Ricardo Gil

Filtragem - Algumas Informações

Recommended Posts

Por muito assustador que possa parecer de inicio, a manutenção de um aquário saudável é algo muito simples, dependendo do quanto dominamos conceitos básicos!

Imaginem o aquário como um corpo humano! O coração e os rins estão para o corpo como o filtro está para o aquário! Quando estão bem, tudo corre bem, quando começam a ficar doentes, temos problemas graves, quando param nós morremos!

No aquário, se o filtro é funcional, adequado e mantido em condições, só com muitos disparates teremos problemas no aquário. Ao contrário, com filtros deficientes, desadequados e/ou com má manutenção, vamos ter problemas! Não é uma probabilidade, é uma inevitabilidade!!!

 

Ora bem, porque um filtro é assim tão importante?

Em primeiro lugar, o filtro NÃO serve para limpar um aquário por nós! Temos de ter presentes, que independentemente do filtro, NÓS temos de fazer o NOSSO trabalho. Isso significa que devemos periodicamente (na esmagadora maioria dos casos semanalmente) limpar o fundo do aquário. Ou seja, durante as Trocas Parciais de Agua (TPA), quando mudamos parte da agua do aquário, aproveitamos para aspirar as porcarias que existem no fundo, assim como recolher restos orgânicos que possam haver, como folhas velhas/mortas ou outros.

Depois desta manutenção do nosso aquário, o filtro fica responsável por fazer o mais importante: manter o aquário habitável!

Lembremo-nos que a esmagadora maioria dos peixes vivem em habitats abertos, ou seja, através da corrente de um rio, ou da amplitude de um lago/mar, os peixes têm sempre agua renovada permanentemente. Nos aquários não! A agua circula num sistema ‘fechado’. É como se vivessem durante algum tempo na mesma (literalmente) agua!

Assim, este sistema ‘fechado’, rapidamente pode-se tornar tóxico para os peixes, uma vez que os resíduos dos peixes, comida em excesso e outros libertam substancias nocivas para eles! Podemos sempre trocar mais vezes a agua, mas alem de ser pouco pratico, não elimina o que é nocivo!

 

 Assim, uma das funções do filtro é tornar o que é nocivo (a Amónia) em algo que é tolerável (dependendo dos valores e dos peixes) à vida no sistema… Resumindo esta parte, uma das funções do filtro é transformar a Amónia em Nitratos. A primeira é toxica e a segunda é tolerável. A esta função, chamamos FILTRAGEM BIOLÓGICA.

 

1.jpg

 

Alem desta filtragem, o filtro faz também um outro tipo de filtragem: recolhe partículas que estejam em suspensão na agua e no fundo, que dificilmente conseguimos retirar. Seja matéria fecal, seja flora morta, seja comida em excesso, etc…

Este processo faz com que a agua fique mais clara, menos ‘suja’ e o aquário com um aspeto mais limpo! A este processo dá-se o nome de FILTRAGEM MECÂNICA!

Portanto, o filtro faz uma filtragem mecânica e filtragem biológica! (faz também um outro tipo de filtragem, filtragem química, mas não vamos abordar aqui por se aplicar normalmente, apenas em casos específicos).

 

Agora que já sabemos O QUE FAZ, vamos tentar perceber COMO O FAZ.

 

Todo o tipo de filtragem acontece dentro do filtro. E o que há dentro de um filtro?

Dentro de um filtro existem MATÉRIAS FILTRANTES! Estas podem ser de vários tipos. Cada matéria filtrante tem uma função!

Quando compramos filtros, a maioria vem com esponjas lá dentro. Normalmente de 3 cores diferentes: azul, branca e preta. A branca (que parece uma lã), serve para retirar as impurezas mais finas que andam em suspensão na agua. A azul (uma esponja mais grossa) tem a função de retirar as impurezas maiores. Ambas (azul e branca, fazem filtragem mecânica e biológica, mas com efetividade diferente). O preto normalmente refere-se à filtragem química e deve ser retirada (salvo raras exceções).

 

2.jpg

 

No entanto, alguns filtros trazem umas ‘pedrinhas’ ou cilindros. Digamos que têm a mesma função mas são muito mais eficazes!

Os cilindros (tal como as esponjas azuis) são concebidos para uma filtragem mecânica. As pedrinhas, são mais indicados para uma filtragem biológica. No entanto, tudo faz filtragem biológica, e porquê? Porque a filtragem biológica é realizada por bactérias que se fixam nas matérias filtrantes! Assim, podemos chegar à primeira conclusão: quanto mais matérias filtrantes tivermos, mais bactérias temos, mais filtragem biológica haverá!

 

4.jpg3.jpg5.jpg 

 

O aumento do numero de bactérias no filtro não depende apenas da quantidade de matérias filtrantes, mas também do tipo dessas matérias. Como as bactérias fixam-se lá, quanto maior a porosidade e superfície de contacto dessas matérias com a agua que passa no filtro, mais bactérias teremos também! Por isso, muitos de nós tiramos as esponjas azuis e compramos os tais cilindros e pedrinhas! São mais eficazes. Deixamos apenas a lã branca (mais tarde veremos como colocar tudo dentro do filtro).
Existem no mercado, matérias filtrantes especificas para cada tipo de filtragem (biológica, mecânica ou ambas).

 

Agora que já sabemos para que serve e como faz, falta também perceber se os filtros são todos iguais. Pois, não são!

Há vários tipos de filtros, e, para escolhermos melhor um filtro, falta entender outros 2 conceitos: volume do filtro e capacidade da bomba!

O volume do filtro diz respeito à quantidade (em litros) de matérias filtrantes que cabe no nosso filtro. Já sabemos que quanto mais e melhores matérias, melhor a saúde do aquário!

A capacidade da bomba diz-nos o débito (volume/hora) do filtro. Ou seja, numa hora, quantos litros de agua passam dentro do filtro. Este valor pode ser importante, porque é por norma o critério de escolha de um filtro!

Reparem, interessa que a maior quantidade possível de agua por hora passe no filtro. Quanto mais vezes passar melhor a qualidade da agua, no entanto, se a bomba for muito forte, cria-se demasiada corrente dentro do aquário. A não ser que seja esse o objetivo a atingir, isso deve ser evitado.

Importa referir que essa corrente ou circulação, deverá ser suficiente para cumprir outras funções dentro do aquário, tal como uma equilibrada circulação de agua por todo o aquário (para garantir que não existam espaços sem circulação que podem ficar sem nutrientes importantes para as plantas, ou detritos acumulados no fundo do aquário) e uma suficiente agitação da superfície da agua, para permitir uma melhor troca gasosa entre a coluna de agua e o ambiente exterior.

Normalmente um caudal 5 a 7 vezes a capacidade do aquário pode chegar. Ou seja, para um aquário de 100L, um filtro com 500 a 700 L/h chega. No entanto, para outros objetivos mais avançados temos caudais até 10 ou 12 vezes o volume do aquário. Atenção que o débito que vem na caixa é calculado com o filtro vazio. com matérias lá dentro o caudal diminui sempre.

Percebendo estes conceitos, e consoante o volume do nosso aquário podemos escolher o TIPO DE FILTRO. Existem vários tipos de filtros, mas falaremos aqui dos 3 mais comumente usados:

Filtro Externo (Canister) – a agua é sugada por uma tubagem, entrando num filtro, que depois de filtrar a agua a expulsa para o aquário. É talvez a tipologia de filtro mais usada em aquário a cima de 40/60L.

 

6.jpg

 

Filtro Interno – Fica dentro do aquário, puxando a agua pela base do filtro, expulsando-a de volta por um bocal.

 7.jpg

 

Filtro de Mochila (Hang On) – Filtro externo que fica pendurado no vidro, na parte exterior. A agua é sugada por um tubo e expulsa normalmente por uma rampa. Este tipo de filtro é usado normalmente em aquários mais pequenos.

 

8.jpg

 

Assim, quando perguntamos qual o melhor filtro a alguém, ninguém em consciência pode responder se não souber para que serve o aquário ou as suas dimensões! Lembrem-se sempre que o filtro é que vai marcar o desenvolvimento ou maturação do aquário. Quando compramos um filtro, devemos sim, ter a preocupação de não comprar um filtro ‘curto’ (com pouco débito). Devemos comprar o maior filtro possível desde que não aumente exageradamente a corrente dentro de agua. Alguns filtros trazem a possibilidade de controlo do caudal.

Agora que sabemos quase tudo acerca do filtro, falta também saber como o manter. Lembram-se que a maior importância do filtro está na filtragem biológica? E que esta é feita pelas bactérias? Pois, elas não gostam muito que se ande a mexer muito no filtro. No entanto, a manutenção adequada do filtro é importantíssima para a sua função e durabilidade. Quando o filtro fica muito sujo por dentro, perde a capacidade para que foi feito. O débito diminui porque a agua encontra muita resistência dentro do filtro, e a sujidade acaba por não permitir que as bactérias vivam. Elas, dependem de oxigénio também e as impurezas podem obstruir a chegada deste ás mesmas! Assim, periodicamente (vamos observando o caudal ou registando a data da última manutenção) abrimos o filtro e limpamos por dentro. Como?

Retiramos as matérias filtrantes para dentro de um recipiente e lavamos com a agua do aquário que depois mandamos fora. Lavamos o filtro sem as matérias filtrantes com agua apenas!!! Voltamos a introduzir tudo lá para dentro. E qual a ordem?

Simples:

Primeiro a filtragem mecânica, depois a filtragem biológica e depois a lã branca.

A lã branca pode ser lavada com agua corrente, no entanto é usual substituir a lã branca aquando cada manutenção.

Assim, a agua primeiro passa pela filtragem que retira as partículas maiores, depois passa pela filtragem biológica e por fim retira tudo o que está em suspensão e que passou nas outras filtragens, e é mais pequeno.

Por último fica uma das partes que todos cometem mais erros. Quando compramos um filtro ele vem pronto para meter dentro de agua e fica ótimo para receber peixes? NÃO!

Lembram-se da filtragem biológica, aquela que é mais importante? Pois, ela só existe em filtro ciclados. E o que é que isso significa? Significa que o filtro completou o ciclo de azoto. Ou seja, depois de estar a trabalhar 3/5 semanas, já tem as bactérias especificas para que desempenhem a função adequada. Antes disso não!

Há formas de acelerar esse processo, mas demora sempre algumas semanas. Normalmente quando compramos um filtro, este vem com um líquido (quando não vem o vendedor indica) que não é mais do que um liquido que permite a criação e colonização das bactérias no filtro. Pode-se por plantas, mas peixes não!

Caso queiramos mudar as matérias filtrantes do nosso filtro com o aquário em funcionamento, não as devemos mudar todas de uma vez mas sim uma quantidade pequena, a fim da colonia de bactérias ir sendo colonizada nas matérias novas, vindas das velhas

Bom, o texto vai longo (se vai) e acho que está aqui muita coisa. De qualquer maneira, se têm duvidas, PERGUNTEM!

O filtro é demasiadamente precioso e importante para ser negligenciado. A esmagadora maioria dos problemas do aquário nascem aqui!

  • Like 5
  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Uma nota extra. Está referida a perda de caudal e nos meus filtros e já tive vários de várias marcas sempre verifiquei perda de 30 a 50% do caudal anunciado ou seja quando um filtro anuncia 1500lts/h isso é da bomba em vazio mas com a caixa as matérias e comprimento de mangueiras normalmente fica-se bem abaixo com as tais percentagens a menos.

 

Enviado de meu Redmi Note 4 usando o Tapatalk

 

 

 

 

  • Like 1
  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Antes de mais parabéns @Ricardo Gil. Conteúdo muito bom. Há falta de material tão completo como este e em Português. 

Tenho neste momento dois pequenos filtros internos enquanto tento arranjar o meu externo.
Queria perguntar se posso colocar dentro dos depósitos deste filtros,  onde coloco as esponjas, o material filtrante em substituição ou em conjugação com as esponjas. 
Existem diversos tipos de material filtrante e em formatos diferentes. Quais são as diferenças? 
No meu filtro externo tenho pequenas bolas castanhas, ( Eheim Ecco Pro 130), estas bolas são laváveis ou precisam de ser substituídas? 
Espero que alguém me posso ajudar. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Antes de mais parabéns [mention=65285]Ricardo Gil[/mention]. Conteúdo muito bom. Há falta de material tão completo como este e em Português. 
Tenho neste momento dois pequenos filtros internos enquanto tento arranjar o meu externo.
Queria perguntar se posso colocar dentro dos depósitos deste filtros,  onde coloco as esponjas, o material filtrante em substituição ou em conjugação com as esponjas. 
Existem diversos tipos de material filtrante e em formatos diferentes. Quais são as diferenças? 
No meu filtro externo tenho pequenas bolas castanhas, ( Eheim Ecco Pro 130), estas bolas são laváveis ou precisam de ser substituídas? 
Espero que alguém me posso ajudar. 
As cerâmicas são laváveis na água do próprio aquário quando a tiras para TPAS. É NJ cá devem ficar secas e com o filtro parado muito tempo.

Pequenos filtros internos da para meter será siporax mini ou esponjas.

Enviado de meu Redmi Note 4 usando o Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 21 minutos, S.S. disse:

As cerâmicas são laváveis na água do próprio aquário quando a tiras para TPAS. É NJ cá devem ficar secas e com o filtro parado muito tempo.

Pequenos filtros internos da para meter será siporax mini ou esponjas.

Enviado de meu Redmi Note 4 usando o Tapatalk
 

Obrigado @S.S. .

Finalmente alguém responde.

Tenho um filtro externo completamente parado. No fim de semana ao fazer TPA vou encher o copo do filtro com essa água e vou meter a ciclar num garrafão uma semana e depois troco pelos internos que estão agora a funcionar. 

Tenho algumas dúvidas sobre o que devo meter no copo do filtro externo em relação matéria filtrante. 

Não percebo um coisa nesta questão das colónias de bactérias. Se as colónias são mantidas pelos filtros significa que cada vez que limpamos um filtro essa colónia é destruída? 

 

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas neo_2

Não e bem a sim,todo o aquário tem bactérias,como o filtro,ate no substrato tem e em maior quantidade que por vezes o filtro,e quando se limpa um filtro,e sempre lavado com água que se retira do aquário,e nunca com água da torneira,o filtro para ciclar deve estar a trabalhar no aquário para onde vai ficar,durante duas semanas,fim dessas semanas,podes retirar os filtros internos,e fica o externo.

Cump: Álvaro Silva

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em princípio vou conseguir meter o meu Eheim ECCO pro 130 a funcionar. Que matéria filtrante aconselham para este filtro? Com que frequência devo fazer a limpeza do mesmo? 

Relativamente as bactérias eu todas as semanas ou de 15 em 15 dias no máximo faço limpeza dos filtros e substrato, como posso saber se estou a conseguir uma água maturada? 

Aproveitando a actividade deste tópico, questiono se alguém me pode dizer ou explicar porque os meus peixes não se escondem nos poucos esconderijos que existem. Não é que que me esteja a queixar do facto de os conseguir ver sempre, mas tenho receio que eles não estejam a descansar em condições. Mesmo durante a noite sem luz, eles parecem continuar meios a vaguear pelo aquário. São dois néons negros, tetra limão e um tetra rosa. 

Colocando vegetação o meu tetra rosa será que se torna um pouco menos agressivo? Às vezes persegue os outros peixes e na comida é sempre o primeiro e último a acabar. 

Share this post


Link to post
Share on other sites


Faz como diz o Álvaro. Mete o filtro a trabalhar no aquário com os internos duas semanas e depois tiras os internos.

Os filtros devem ser limpos quando perdem caudal pois a sujidade à mais pode levar a que as bactérias fiquem sem oxigénio. Normalmente as primeiras matérias de entrada da água no filtro são esponja para filtrar a sujidade maior e não a deixar passar para as cerâmicas. Eu depois das esponjas uso siporax da Sera que é uma das melhores cerâmicas para filtragem biológica.

Esses peixes não precisam de esconderijos precisam é de mais companheiros pois são de cardume.

Mete um vídeo do aquário para se perceber melhor como tens o layout.

Enviado de meu Redmi Note 4 usando o Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Relativamente a limpeza do filtro e só com meia dúzia de peixes nunca senti que o caudal tenha reduzido com o tempo, mas também porque o limpo com frequência talvez.
Sobre siporax tenho lido testemunhos que de facto é boa e até resistente mas que ao fim de algum tempo não vale a pena limpar porque perde completamente o efeito.
Isto e sem querer gerar onda de opiniões sobre o produto parece que a superfície porosa onde se alojam as bactérias passado algum tempo deixa de ter essa capacidade pois os poros ficam obstruídos. Testanto com siporax e sem siporax os valores não alteravam ( isto após muito tempo a usar o mesmo siporax) 
Sobre a minha fauna eu tenho conhecimento sobre a necessidade de companhia mas como o tetra rosa não gosta de novos inquilinos fico de pé atrás enquanto não arranjo flora para ajudar todos os que queiram fugir dele. 
O meu layout é muito simples. são duas anubias pequenas e dois feto de java pequenos também, um pequeno monte feito com três pedras. Isto num aquário de 70*40*40

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas neo_2

Todos os animais,inclusive os organismos unicelulares,alternam estados de vigília e de repouso. 

Mas isso não significa que eles durmam de acordo com o conceito humano de sono.

Como não têm pálpebras, os peixes não podem fechar os olhos e seu período de descanso consiste num estado de imobilidade apenas aparente, no qual mantêm o equilíbrio por meio de movimentos muito lentos das nadadeiras. Algumas espécies descansam deitado sobre o fundo do mar ou rio,outras se escondem entre a vegetação densa ou em buracos.

Sem repousar,o peixes morreria de cansaço.

 

Cump: Álvaro Silva

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ainda sobre o material filtrante significa que o que importa reter sobre o tema é a capacidade de nidificação das bactérias? Não importa tanto o tamanho, cor ou forma desde que tenha capacidade de se alojar e multiplicar nos poros do material filtrante?
O que aconselham a meter no meu EHEIM ECCO PRO 130 em termos de material filtrante?
 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Viva! Alguma opinião da ordem das materias filtrantes, num Filtro Externo , essa ordem a começar pela base do Filtro, na direção a subir. Obrigado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 10/7/2018 at 2:14 PM, Manuel_Fluval said:

Viva! Alguma opinião da ordem das materias filtrantes, num Filtro Externo , essa ordem a começar pela base do Filtro, na direção a subir. Obrigado.

Se repares em exemplos da Eheim no filtro externo da Ecco Pro tem do fundo para cima: material filtrante (no meu caso acho que é cerâmica expandida) > camada branca ( perlon )> camada preta ( carvão)> esponja azul.
De qualquer forma o que tenho lido por aqui e com alguma unanimidade é que primeiro se deva colocar o material filtrante onde ficam retidas as partículas maiores, depois esponja e por fim o perlon que é o mais fino e portanto retém as partículas mais pequenas que acabaram por passar pelo material filtrante. 
Mas certamente alguém com mais experiência que eu te poderá elucidar melhor.

  • Thanks 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 03/10/2018 at 17:27, neo_2 disse:

Ainda sobre o material filtrante significa que o que importa reter sobre o tema é a capacidade de nidificação das bactérias? Não importa tanto o tamanho, cor ou forma desde que tenha capacidade de se alojar e multiplicar nos poros do material filtrante?
O que aconselham a meter no meu EHEIM ECCO PRO 130 em termos de material filtrante?
 

Boas. O que geralmente aconselho são 3 marcas: Equo stilla, Seachem Matrix ou Ada bio rio. São todos a mesma coisa, ou seja pedra pomes, e apenas diferem no tamanho e no preço. Quanto mais pequeno mais área colonizável tem, mas ao mesmo tempo mais caudal corta.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 10/9/2018 at 11:24 AM, Gonçalo84 said:

Boas. O que geralmente aconselho são 3 marcas: Equo stilla, Seachem Matrix ou Ada bio rio. São todos a mesma coisa, ou seja pedra pomes, e apenas diferem no tamanho e no preço. Quanto mais pequeno mais área colonizável tem, mas ao mesmo tempo mais caudal corta.

E porque material filtrante de marca? E se eu mandar vir da china um saco de material filtrante? Quais as consequência? ou serão ineficientes para colonização? 

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 52 minutos, neo_2 disse:

E porque material filtrante de marca? E se eu mandar vir da china um saco de material filtrante? Quais as consequência? ou serão ineficientes para colonização? 

Podes mandar vir o que quiseres, mas como respondes mais à frente, pode é ser ineficientes (leia-se menos eficientes) para a colonização de bactérias. Pode ser também de baixa qualidade e desfazerem-se muito rapidamente. Pode ser montes de coisas enquanto estas já se sabe como são. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
39 minutes ago, Gonçalo84 said:

Podes mandar vir o que quiseres, mas como respondes mais à frente, pode é ser ineficientes (leia-se menos eficientes) para a colonização de bactérias. Pode ser também de baixa qualidade e desfazerem-se muito rapidamente. Pode ser montes de coisas enquanto estas já se sabe como são. 

Isto da matéria filtrante é muito complicado de entender ou sou eu eu complico muito. 
Já pensei em comprar cerâmica expandida que se mete nas plantas e resolver o problema.
Ainda estou a investigar. Se alguém já usou deste material que dê a sua opinião.  

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 17 horas, neo_2 disse:

Isto da matéria filtrante é muito complicado de entender ou sou eu eu complico muito. 
Já pensei em comprar cerâmica expandida que se mete nas plantas e resolver o problema.
Ainda estou a investigar. Se alguém já usou deste material que dê a sua opinião.  

Eu por exemplo uso em quase todos os meus filtros a Eheim Substrat Pro, porque costumo comprar filtros da Eheim e já trazem as matérias. Acho que são excelentes precisamente pelo que o Gonçalo referiu, além da porosidade é o facto de não se desfazerem rapidamente. Posso dizer que tenho umas cerâmicas no meu Eheim Ecco Pro que tem uns 15 anos e continuam a cumprir a sua função.

Acho que sim, estás a complicar um pouco. Qualquer das cerâmicas cumpre a função. Mas isso é como qualquer material. Sejam filtros, calhas, solos férteis ou inertes. Em todo o material existem diferenças e não é obrigatório escolher apenas os mais caros ou mais eficazes para se poder ter um bom aquário.

Quanto a cerâmica expandida não faço ideia.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Antes demais quero corrigir-me. Queria dizer argila expandida e não cerâmica expandida. Esta argila expandida pelo que li é muito utilizada em sistemas de filtração de água em estações de tratamento de águas residuais. 
Só tenho medo que ela venha com químicos por ser mais comummente conhecida no mercado para a utilização em plantas. 

 

20 minutes ago, brunofasoares said:

Eu por exemplo uso em quase todos os meus filtros a Eheim Substrat Pro, porque costumo comprar filtros da Eheim e já trazem as matérias. Acho que são excelentes precisamente pelo que o Gonçalo referiu, além da porosidade é o facto de não se desfazerem rapidamente. Posso dizer que tenho umas cerâmicas no meu Eheim Ecco Pro que tem uns 15 anos e continuam a cumprir a sua função.

Acho que sim, estás a complicar um pouco. Qualquer das cerâmicas cumpre a função. Mas isso é como qualquer material. Sejam filtros, calhas, solos férteis ou inertes. Em todo o material existem diferenças e não é obrigatório escolher apenas os mais caros ou mais eficazes para se poder ter um bom aquário.

Quanto a cerâmica expandida não faço ideia.

@brunofasoares fiquei com dúvidas porque por exemplo existem esponjas amarelas, pretas e azuis, tal como material filtrante em formato esférico, quadrado ou whatever e pensei que tinham funções diferentes.
Afinal serve tudo de uma forma geral para o mesmo fim. 
Já agora quantos litros devo comprar para o meu cesto da Eheim ecco 130? já procurei e não consigo encontrar essa informação em lado nenhum. 

Edited by neo_2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cada material só pode ser comparado entre o do mesmo género. Cada coisa tem a sua função. As cerâmicas servem para criar uma colónia de bactérias e as esponjas para agarram partículas suspensas na água. O facto de uns serem quadrados e outros esféricos é porque, como já deves ter reparado, existem filtros de formato quadrado e redondo. Além disso existem vários tamanhos porque tem a ver com o modelo de cada filtro.

No 130 não sei bem a capacidade dele, mas penso que pelo menos 1 litro. Eu gosto de ter pelo menos um cesto cheio de cerâmicas, por norma tenho 2 cheios e o resto com esponjas. Mas isso também depende da capacidade de cada filtro. O 300 tem um copo maior, com mais cestos logo mais espaço para o material.

Deixa ver se alguém tem o 130 e que possa dar alguma dica sobre quantidades. Mesmo assim acho que o ideal é teres sempre cerâmicas a mais. Pelo menos eu tenho sempre umas de reserva.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 12/09/2018 at 19:59, S.S. disse:

Uma nota extra. Está referida a perda de caudal e nos meus filtros e já tive vários de várias marcas sempre verifiquei perda de 30 a 50% do caudal anunciado ou seja quando um filtro anuncia 1500lts/h isso é da bomba em vazio mas com a caixa as matérias e comprimento de mangueiras normalmente fica-se bem abaixo com as tais percentagens a menos.

 

Bem lembrado, esqueci-me de referir essa questão. A informação que a marca disponibiliza é normalmente com o filtro vazio. Com o mesmo carregado de matérias filtrantes o débito/hora diminui, e com uma fraca manutenção, pode até diminuir com bastante relevo.

 

On 26/09/2018 at 15:17, neo_2 disse:

Existem diversos tipos de material filtrante e em formatos diferentes. Quais são as diferenças? 

Olá Neo_2

Existem diferentes matérias filtrantes porque há varias formas de conseguir o mesmo objectivo. O que importa reter é a seguinte informação: Cada um de nós quer ter o máximo de bactérias vivas no menor espaço possível. Eu explico...

Em primeiro lugar, queremos ter uma grande quantidade de bactérias no nosso filtro. Mas alem de disso, temos também de assegurar que as mesmas têm condições para viver e fazer o seu trabalho. Por exemplo: termos um filtro cheio de bactérias mas as matérias filtrantes estarem muito sujas, significa que as bactérias vão deixar de absorver o oxigénio necessário para viverem e podem eventualmente morrer... e vamos ter problemas sérios. 

Pensando desta forma, percebemos que queremos que tudo o que metemos dentro do filtro possa ter condições para fixar as bactérias e permitir o seu desenvolvimento. Desta forma, existem matérias filtrantes especificas para alojar as bactérias, e outras mais direccionadas para reter as partículas que andam na agua em suspensão (lixo, dejectos, folhas, etc...). Como nem todos os filtros têm o mesmo tamanho, também existem matérias filtrantes de vários tamanhos. Assim, se chega a uma quantidade imensa de matérias filtrantes disponibilizadas pelas varias marcas (fora outras que são alternativas).

O ideal é ter uma fase dentro do filtro que "limpa" a agua (filtragem mecânica), e outra que exclusivamente se preocupa com as bacterias (filtragem biológica).

Cada marca arranja soluções e materiais diferentes para as suas matérias filtrantes, e isso faz com que existam muitas opções no mercado. 

Sei que existe aqui um post algures onde colocaram um comparativo entre algumas matérias filtrantes, principalmente a sua porosidade (quanto mais porosas, maior a superfície de contacto com a agua e, logicamente, mais bactérias).

Não sei quais as melhores que existem no mercado, até porque não uso todas, mas poso dizer-te como tenho organizado o meu cesto dos meus filtros (tenho filtros grandes).

A ordem é a do fluxo de agua...


1) Boa filtragem mecânica que lavo de 2 em 2 meses ( retiro, passo por agua corrente e esfrego bem), constituída por esponja azul e cilindros de varias marcas (vou reutilizando de vez em quando)

2) Lã branca (meto aqui a lã para não irem impurezas para as matérias filtrantes biológicas, e mudo todos os meses)

3) matérias biológicas (é raro mexer... pode demorar muito tempo até as lavar, e quando as lavo é em agua do aquário. Faço da seguinte maneira: meto agua da tpa em dois baldes diferentes, retiro as matérias filtrantes do cesto (estão dentro de um saco), passo as mesmas dentro do primeiro balde varias vezes e agito, e depois passo dentro do segundo e vejo se a agua ficou quase limpa.)


4) novamente lã branca (com a função de não permitir que fragmentos das matérias filtrantes entrem na cabeça do filtro.

Acho que tenho uns 6 tipos de matérias filtrantes espalhados pelos meus aquários. quando começo um aquário novo, retiro parte de matérias filtrantes de outros (já estão ciclados) e reponho com matérias novas. A validade das matérias também é importante. Chega uma altura em que as matérias têm já resíduos entranhados que as torna ineficientes. 

Nunca lavo a lã branca. Mando fora e meto nova...

On 28/09/2018 at 00:14, neo_2 disse:

Relativamente as bactérias eu todas as semanas ou de 15 em 15 dias no máximo faço limpeza dos filtros e substrato, como posso saber se estou a conseguir uma água maturada? 

 

Neo_2

Não deves mexer no filtro 2 vezes por semana. Quanto muito, 1 vez e mesmo assim pode ser demais. Os filtros não gostam que lhes mexam! Eu quando abro o meu para lavar as matérias mecânicas, não lavo a biológica (como referi em cima, a forma como as arrumo permite que nem precise de lavar tanto as biológicas). O substrato podes limpar todas as semanas com a TPA...

 

On 28/09/2018 at 09:16, neo_2 disse:

Sobre siporax tenho lido testemunhos que de facto é boa e até resistente mas que ao fim de algum tempo não vale a pena limpar porque perde completamente o efeito.
Isto e sem querer gerar onda de opiniões sobre o produto parece que a superfície porosa onde se alojam as bactérias passado algum tempo deixa de ter essa capacidade pois os poros ficam obstruídos. Testanto com siporax e sem siporax os valores não alteravam ( isto após muito tempo a usar o mesmo siporax) 

 

Todas as matérias filtrantes perdem a capacidade para a qual foram concebidas. Como tudo na vida, tem um prazo de validade. Matérias filtrantes mais cuidadas, duram mais, mas eternos, só os diamantes 😉

Uma das razões é mesmo o entupimento da porosidade, mas isso acontece em todas...

A maior parte das vezes, os valores não alteram porque temos, por norma, uma quantidade de bactérias suficientes nas outras matérias filtrantes que fazem o trabalho.

 

 

On 03/10/2018 at 17:27, neo_2 disse:

Ainda sobre o material filtrante significa que o que importa reter sobre o tema é a capacidade de nidificação das bactérias? Não importa tanto o tamanho, cor ou forma desde que tenha capacidade de se alojar e multiplicar nos poros do material filtrante?

Mais ou menos...

Como disse em cima, há matérias especificas para cada trabalho dentro do filtro...

 

On 07/10/2018 at 14:14, Manuel_Fluval disse:

Viva! Alguma opinião da ordem das materias filtrantes, num Filtro Externo , essa ordem a começar pela base do Filtro, na direção a subir. Obrigado.

 

Olá Manuel

Em cima disse como organizo as minhas e não me tenho saido mal. O principio é que a agua passe primeiro numa parte que retire a sujidade, e depois que passe na filtragem biológica. 

 

há 21 horas, neo_2 disse:

Isto da matéria filtrante é muito complicado de entender ou sou eu eu complico muito. 
Já pensei em comprar cerâmica expandida que se mete nas plantas e resolver o problema.
Ainda estou a investigar. Se alguém já usou deste material que dê a sua opinião.  


Há muita coisa que pode servir para fazer de matérias filtrantes. No absurdo, qualquer coisa que se meta no filtro, tem capacidade de fixar bactérias. Se meteres lá uma pedra da calçada, ela alojará bactérias, mas de certeza que a quantidade de bactéria que alojará versus o prejuízo que a pedra te trás, não compensa. 

Há quem use rocha vulcânica, argila expandida, etc... 

Não sei se funciona ou não porque não uso e sou MUITO cético. É mais barato? É!! Compensa no fim? Duvido!!

Tenho muitas duvidas que o volume ocupado por argila expandida (ou outra coisa alternativa) tenha a mesma área de contacto com a agua, que o mesmo volume de uma matérias filtrante específica de uma qualquer marca... 

As matérias filtrantes são caras por algum motivo e não é por falta de concorrência...

Edited by Ricardo Gil

Share this post


Link to post
Share on other sites
On 09/10/2018 at 10:07, neo_2 disse:

Se repares em exemplos da Eheim no filtro externo da Ecco Pro tem do fundo para cima: material filtrante (no meu caso acho que é cerâmica expandida) > camada branca ( perlon )> camada preta ( carvão)> esponja azul.
De qualquer forma o que tenho lido por aqui e com alguma unanimidade é que primeiro se deva colocar o material filtrante onde ficam retidas as partículas maiores, depois esponja e por fim o perlon que é o mais fino e portanto retém as partículas mais pequenas que acabaram por passar pelo material filtrante. 
Mas certamente alguém com mais experiência que eu te poderá elucidar melhor.

Esta ordem tem que vere com a orientação da entrada da Agua no filtro, Certo? Na maioria dos filtros o sentido da Agua e pressão é de cima par abaixo? ou ao contrário... porque aí a disposição deveria ser então ao contrário se o sentido for oposto.

Não sei se me fiz entender...

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 21 minutos, Manuel_Fluval disse:

Esta ordem tem que vere com a orientação da entrada da Agua no filtro, Certo? Na maioria dos filtros o sentido da Agua e pressão é de cima par abaixo? ou ao contrário... porque aí a disposição deveria ser então ao contrário se o sentido for oposto.

Não sei se me fiz entender...


Depende do filtro. A maior parte (acho todos os que me lembro) têm um fluxo de baixo para cima. Assim, quando o filtro está vazio, mete-se primeiro (em baixo) as materias filtrantes para limpeza (filtragem mecânica) e por cima a filtragem especifica para as bacterias (Filtragem biológica)

 

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 9 minutos, Ricardo Gil disse:


Depende do filtro. A maior parte (acho todos os que me lembro) têm um fluxo de baixo para cima. Assim, quando o filtro está vazio, mete-se primeiro (em baixo) as materias filtrantes para limpeza (filtragem mecânica) e por cima a filtragem especifica para as bacterias (Filtragem biológica)

 

Obrigado!

Share this post


Link to post
Share on other sites

@Ricardo Gil estava a precisar que alguém pegasse nessas questões e as respondesse com cabeça, tronco e membros e com lógica.  Obrigado. 
Relativamente à área de contacto penso que se refere a capacidade de alojar as bactérias será isso?
Eu tenho este filtro a funcionar no meu aquário. E tenho exactamente esta disposição tirando a esponja preta.  A parte que faz a fixação das bactérias não é a última? é a que fica no fundo do copo?160707100732.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites