Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 08/25/2020 in all areas

  1. 8 points
    Boas Pessoal, A pedido do Tozé um dos administradores do fórum, que aproveito para agradecer, gostava de partilhar a minha experiência com a montagem que realizei este ano para o IAPLC 2020 e que me garantiu o 76º lugar. De facto, uma experiência emocionante quando dedicamos bastante num aquário e, ao vivo, ouvimos o nosso nome num dos mais prestigiados concursos do mundo. Aproveito para deixar desde já, um grande obrigado mais uma vez ao Luis Cardoso pela paciência e pelo facto que têm sido para mim um grande professor neste mundo e no início desta minha jornada nas competições de aquascaping. Aproveito para agradecer também este resultado, ao Luis Fortunato e a Zanclus na escolha do material, e mais uma vez dar os meus parabéns à Vera e ao Luis pelas suas posições no IAPLC e aos restantes portugueses que também concorreram. Para concluir, vou tentar deixar para quem esteja a iniciar-se, ou mesmo trocar conhecimentos, e assim dar o meu testemunho de tudo o que tenho aprendido, e falar sobre o que uso atualmente em termos de setup, e espero que desta forma possa contribuir e ajudar de alguma forma o fórum a crescer e os seus membros, assim como, aprender, porque neste tipo de competições se há algo que aprendi, é que está sempre a mudar, novas técnicas estão a surgir e o que hoje é novo e moderno, amanha está desatualizado, é incrível ver que quando pensamos que mais nada pode ser inventado, todos os anos somos surpreendidos por algo novo e fascinante, portanto encaro com isto como uma forma de aprendizagem e assim melhorar as minhas montagens também convosco. The Right Hand of Nature – World Raking 76 IAPLC 2020 Planeamento do Hardscape Este aquário desde o seu planeamento à sua montagem, levou cerca de mês e meio, mais concretamente desde meados de Outubro até ao dia do seu enchimento no dia 07/12/2019. Aconselho a levarem o tempo necessário, muitas vezes quando iniciamos neste hobby e muitos que já andam aqui há algum tempo nisto, sabem do que falo, que faz parte da nossa natureza humana a pressa de ver o aquário cheio de água e com os peixes e muitas vezes cometemos logo de inicio o primeiro erro, aconselho assim, e digo isto sempre a amigos e com quem me cruzo que queiram começar um pouco mais além nos aquários plantados, que muitas vezes mais vale esperar nem que seja mais um mês ou dois e adquirir equipamento de qualidade, bastante material de hardscape, bastantes plantas para o arranque das montagens, um bom substrato, etc.., portanto aproveito para dizer que o que venho aqui falar não é de qualquer motivo fazer publicidade a esta ou aquela marca, mas sim falar daquilo que uso e que tem sido para mim sucesso, mas tendo sempre em mente que o que para mim resulta para vocês poderá ser diferente, cada aquário e um caso próprio com variáveis diferentes para cada um.. Sobre o planeamento gostava de aproveitar e deixar o link de um vídeo (não sei se é permitido mas acho que sim), vídeo que aprendi bastante e ouvi com grande dedicação e aconselho a todos, este vídeo é do “Green Aqua” no workshop realizado pelo antigo campeão do IAPLC Josh Sim titulado “MASTERCLASS - HOW TO BUILD THE PERFECT AQUASCAPE FOR CONTESTS - BY WORLD CHAMPION JOSH SIM”. https://www.youtube.com/watch?v=uJBhmZUwDBI&t=5133s Neste vídeo fala como contruir um aquário para competição. Para mim o que é essencial na construção de um hardscape e que aprendi quer neste vídeo, quer para nesta montagem foi o seguinte: 1. Tema: Realmente quando planeamos devemos ter em mente um tema, algo que a pessoa do outro lado rapidamente identifique 2. Profundidade: Conseguem um pouco de profundidade, tendo o substrato inclinado com mais elevação na traseira. 3. Ponto Focal: Devemos sempre conseguir levar a pessoa que olha do outro lado para onde queremos 4. Perspetiva (também para a profundidade): Conseguem adicionado à frente peças grandes e pequenas atrás. Aconselho se tiverem dificuldade em estudar o estilo “diorama”. Para esta montagem utilizei então, redmoor wood e seiryu stone, bastantes acreditem! Aproveito, para dizerem que é aqui que surge a nossa criatividade, nunca iremos encontrar aquela peça igual como vemos nas outras montagens, todas elas fazem parte de tantas outras, ou seja, uma pedra ou tronco que muitas vezes vemos são constituídos por 3, 4 ou 5 peças juntas, mas o que quero dizer é que não há peças perfeitas à vossa espera nas lojas. Para isso temos várias técnicas, as que mais uso é habitualmente a utilização de filtros de cigarro, ou papel de cozinha juntamente com super cola para unir quer as peças de madeira, quer as pedras, existem vários vídeos por ai no Youtube a ensinar estas técnicas. Muitas vezes também utilizo para reforçar nas zonas mais baixas silicone para aquários. Deixo-vos os passos desta montagem: Mostro-vos esta foto para verem os sacos de cascalhos que me referi para dar elevação: Continuando: Algo importante. acho que é referir que muito também é tentativa/erro e posicionar as peças no aquário. Bem e por fim deixo-vos o hardscape final: Bem, falando assim então, um pouco sobre o setup. Setup Aquário Watercube 100 x 50 x 50 , actualmente são estas as medidas que utilizo, mas se tiverem de adquirir um novo aquário aconselho a pensarem em obter 60 cm de largura, obtemos sempre um pouco mais de profundidade. Iluminação: Bem neste assunto são várias as opções no mercado de grande qualidade, mas as que utilizo e que prefiro até aos dias de hoje são as Twinstar no meu aquário utilizo a Twinstar 900 SP (são as ideais para as medidas do meu aquário). Inicio sempre as minhas montagens com cerca de 7 horas no início nas primeiras duas semanas, aumentando sempre meia hora de duas em duas semanas até às 10 horas de luz por dia (quando pretendo “puxar” pelas plantas e adquirir os seus vermelhos, tem um vídeo do Filipe Oliveira a explicar aconselho). Filtragem: Bem eu uso um Eheim Professional 3 2080 XL, e basicamente o que uso lá dentro é apenas Seachem matrix em duas ou três gavetas não me recordo, e uso em uma das gavetas a lã filtrante e ainda na mesma, 1 sacos de seachem purigen com cerca de 300 gramas para tornar a água cristalina. Manutenção de 2 em 2 meses ao filtro, mudando as lãs, ou mais cedo, se notar algo de diferente na água. Substrato Como se trata de um aquário para competição, e estes aquários tem tendência a durar apenas pouco meses, no meu caso os meus são desmontados de 8 em 8 meses, não utilizo substrato fértil por baixo, utilizando nas minhas montagens apenas Neo Soil Plants, neste aquário posso vos dizer que foram utilizados cerca de 7 sacos de 8 litros, podem sempre reduzir a quantidade de substrato se utilizarem na parte de trás rochas que se possa utilizar no aquário e que se apanhe na natureza, esferovite, cascalho (muitas vezes coloco cascalho em meias de vidro daquelas dass senhoras). Para completar apenas uso Neo tabs (K, Fe, ST Long), sensivelmente coloco umas 8 de cada no fundo do aquário. Estas depois vou reforçando mais ou menos de 2 em 2 meses. CO2 Botija de 2kg, com redutor de pressão e Electroválvula, e JBL proflora direct, utilizo sempre umas 3 a 4 bolhas por segundo. Fertilização: Este foi um tema quem me conhece daqui do fórum, sabe que demorei a adquirir experiência, por isso aconselho a aprofundarem conhecimentos, muito importante para aquários plantados é certamente saber as necessidades das plantas e perceber o que utilizar e em que quantidades. Como utilizo água de osmose e não só por causa disso, utilizo os meus próprios fertilizantes. Para a dosagem utilizo uma doseadora automática a Jebao DP-4. Comecei por utilizar a fórmula do Nuno Matos a uns anos e adaptei às minhas necessidades, posso deixar-vos a minha fórmula: Garrafa 1 (K e micros) · 500 ml de água destilada · K2So4 – 37,88 g · Micros (Chelated Trace Elements) – 1,67 g Garrafa 2 (Nitratos) · 500 ml de água destilada · KNO3 – 3,42g · Urea – 1,5 g Garrafa 3 (Fosfatos) · 500 ml de água destilada · KH2PO4 – 0,93 g Dosagem: No início das montagens, começo a fertilizar só ao final de duas semanas (assim que começo a ver alterações nas plantas), micros e potássio (garrafa 1), com uma dosagem de 20 ml por dia. Ao final de 9 semanas a contar do início, ou muitas vezes um pouco antes, introduzo os nitratos e fosfatos, ou seja, fica então: · Garrafa 1: 20 ml diários · Garrafa 2: 20 ml, apenas 1 vez por semana · Garrafa 3: 20 ml, apenas 1 vez de duas em duas semanas Como devem saber e como já referi cada montagem e cada aquário é um caso diferente, é importante aprender a conhecer as plantas que utilizam e em que quantidades, muitas vezes existe a necessidade de se ajustar as quantidades, por exemplo para o fim desta montagem que vos apresento, as quantidades que colocava para 500 ml de água destilada já eram a dobrar, isto devido ao excesso de plantas que tinha no aquário e a exigência que tive dos musgos e de outras plantas. Como podem ver, as quantidades que utilizo são muito poucas, utilizo uma dosagem PMDD, muito parecido a dosagem dos nutrientes da ADA. Com esta fertilização, consigo controlar as nossas amigas algas, ou seja, não lhes dando nutrientes não aparecem, dando só mesmo o necessário para as plantas, posso vos dizer que ao final de duas semanas nem necessito de limpar os vidros. Consigo assim, também obter uns vermelhos mais intensos das rotalas, só assim conseguimos, com a ajuda de co2 e diminuindo os nitratos, colocando as plantas em “esforço”, mas por outro lado, atenção algumas plantas também podem sentir estas necessidades. A flora que utilizei foi a seguinte, Alternanthera reineckii 'Mini', Hydrocotyle tripartita, Hygrophila pinnatifida, Marsilea crenata, Micranthemum 'Monte Carlo', Marsilea hirsuta, Ranunculus inundatus, Rotala 'Vietnam H'ra', Staurogyne repens, Vesicularia ferriei 'Weeping', Cladophora aegagropila, Fissidens fontanus, Riccardia chamedryfolia, Bucephalandra sp. 'Red', Hemianthus micranthemoides, Anubia Pangolino, Ludwigia palustris, Microsorum pteropus 'Trident', Rotala rotundifolia Hardscape. Mudança de Água: Não é um assunto novo, mas o que faço é TPAs diárias na primeira semana, na segunda semana 2 em 2 dias, na terceira semana 3 em 3 dias, na quarta 4 em 4 dias e a partir da quinta semana apenas 1 vez por semana. Esta é uma rotina que não se pode falhar, aqui em casa já sabem que os domingos de manhã são passados em frente ao aquário e que as mudanças de água são religiosas. Como referi utilizo osmose e após mudanças que realizo cerca de 40% da água total (atenção descontar sempre à litragem as quantidades de pedra e troncos), utilizo o Softwater Mineral GH+ para ré-mineralizar a água sem influenciar o GH, e ao mesmo tempo introduzo alguns elementos trace para compensar a fertilização. Em termos de quantidade vou adicionando até obter um TDS de 120-130. Portanto esta é a minha fórmula, espero que de alguma forma possa ter ajudado, espero que gostem, deixo-vos em baixo algumas fotos do progresso até a foto final, (fotos são tiradas do telemóvel, desculpem a qualidade), vão reparando que a medida que o aquário vai amadurecendo também a montagem amadurece e com o tempo alguns elementos são adicionados, como troncos e pedras e detalhes. Foto do Concurso: Um grande abraço a todos, Samuel Ferreira
  2. 7 points
    Josh Sim - PURE - IAPLC 2020 Agradeço ao Josh Sim, pela simpatia de me ter autorizado a partilhar as suas fostos aqui no fórum. I thank Josh, for the simpathy for having allowed me to share his photos here on the site. Tank size: 150x60x60 Substrate: ADA Aquasoil Amazonia + LaPlanta Sand Wood: Malaysian drift wood Lighting: ONF 60cm x 2, ONF 120cm x 1, 8 hours per day Filter: Eheim 2217 x2 Filter Media: Bio Rio Fertilizer: KNO3 + Seachem Trace Water Change: 30%, 2-3 times per week This tank was not created for contest. I made this layout as a tribute to Sensei Amano - a homage to Nature Aquarium and IAPLC in its 20th Anniversary. The title is "Pure". I hope to express Nature Aquarium in its purest form and i tried to make something truly underwater with the spirit of Sensei Amano. I used the most basic aquatic plants: lotus, bolbitis, tenellus, HC "Cuba", hairgrass, mosses and even Riccia Fluitant, plants that sensei would use 20 years ago. I am very grateful for this result, but i am even more grateful for what Nature Aquarium has brought to my life. New Chapter starts here! Let's talk about reflection in Aquascaping. Reflection on the left and right glasses has become one of the important features in my recent works. I love reflections because it provides a sense of continuation to our layouts and makes our tanks appear larger without the "confined" feeling. A certain reflections also give a different dimension to our scapes, make it more 3D and improve layering effect. We always try to give the viewers (or the judges) more things to look at when they see our tanks and a good reflection can give us exactly that few extra details. There are basically 2 types of reflections: 1) Mirror reflection - this is a more common type of reflection, where we reflect exactly the same thing like a mirror image. What we see in the reflection can also be seen in our layout. This kind of reflection can give a good continuation effect and makes the tank appears larger/longer than the actual size. 2) Asymmetrical reflection - this is not so commonly seen or achieved in aquascaping as it requires slightly more effort to do so. What you see in the reflection is different from what you can see from the frontal view of the tank, it gives a different dimension and create a nice 3D effect. A good reflection, be it mirror or asymmetrical, requires practises to make it perfect. It is quite often that one has to adjust the reflection after the tank is filled up with water because that is when we can see the reflection best. Reflection is not a must in aquascaping, there are some concepts that do not need reflection and still look amazing. But if you want to have reflections in your tank, better make full use of them and make it count! Good luck!! PLANTED TANK LEGENDS - 7x WORLD CHAMPION JOSH SIM WORKSHOP THE INTERNATIONAL AQUATIC PLANTS LAYOUT CONTEST 2019 World Ranking: 1 GRAND PRIZE Josh Sim Malaysia /Dream On https://www.adana.co.jp/en/aquajournal/top-of-the-world-2019-01/
  3. 5 points
    Bem, por onde hei-de começar?! Primeiro por pedir desculpas pela falta de actualizações do tópico e pela falta dedicação aqui ao FÓRUM pela minha ausência. Tudo tem uma razão, tal como já tinha mencionado no inicio do tópico, a minha vida profissional sofreu alguma mudança e passei a estar ausente do país por períodos de tempo bastante prolongados. Como tal torna-se muito complicado de fazer actualizações bem como acompanhar o desenvolvimento do aquário. No entanto os aquários não ficaram nada mal entregues e isso veio a refletir-se no sucesso desta montagem em particular. Vamos por partes, apesar das dificuldades em manusear as tesouras e na restante manutenção que exige um aquário destas dimensões a minha aquascaper particular assumiu o compromisso com garra e determinação! Claro que nem tudo foram águas calmas... desde as dores de costas ás mãos calejadas pelas tesouras, como pelo meio sofremos a perda do nosso escalar que nos era tão chegado... Mas a determinação em não desapontar era mais forte e ela nunca se deixou abalar! Antes de sair deixei as coisas preparadas para corresse tudo da melhor maneira, no máximo estou ausente cerca de 3 meses de cada partida portanto, deixei a manutenção do filtro feita bem como deixo uma botija de co2 nova instalada para não sofrer dissabores! Quantos aos fertilizantes e respetiva rotina de administração ficam ao encargo da aquascaper, ora trabalho de laboratório não é problema para ela por isso fazer os fertilizantes é uma bela brincadeira! (Sim uso os meus próprios sais com a receita do Nuno Matos, resulta por isso equipa que ganha não se mexe) Restante manutenção do aquário, é aqui que vem a pior parte! Podar e definir as moitas também demorou a assimilar mas com o tempo passou a tratar a tesoura por tu! Podar o tapete de monte carlo = dores de costas+dores nas mãos! A agravar a situação, o aquário está um pouco alto para ela o que complica um pouco, mas mais uma vez a resiliência prevalece! Ahhh as trocas de água são "peaners"! Por fim e muito resumidamente o resultado de toda esta dedicação traduziu-se numa bela foto! Uma bela foto que valeu uma posição bem generosa no ranking da edição de 2020 no IAPLC. Se correspondeu ás expectativas? Claro que sim, aliás superou em largo número o que pensava alcançar! Quero também parabenizar os restantes portugueses que concorreram ao IAPLC de destacar o top 3 português através do @Luís Cardoso, @Samuel Ferreira e à @Vera Santos pelas posições alcançadas! Deixo-vos então a foto que conquistou o 164º lugar no ranking Grande abraço
  4. 4 points
    Boa tarde Face ao panorama que atravessamos e às dificuldade que temos para organizar eventos, lembrámo-nos à semelhança de outras associações de promover a 1ª Exposição nacional de Bettas Splendens e selvagens. Nesta primeira iniciativa apenas poderão participar criadores ou entusiastas que estejam em território Nacional. Inicialmente o prazo de inscrição era até 15 de Setembro, mas acabamos por prolongar o prazo até dia 15 de Outubro. Os peixes serão avaliados por 1 juri da IBC - International Betta Congress, de quem a Associação é membro. Para participar ou esclarecer alguma dúvida, bastará enviar um e-mail à Associação: geral.apbetta@gmail.com
  5. 4 points
    Ora boas, Após ver os muitos e inspiradores trabalhos no concurso IAPLC (quem sabe um dia...), lá decidi fazer no fim de semana um pouco de manutenção ligeira ao aquário, uma limpeza geral ao filtro e mudar a posição do Inflow e Outflow de forma a melhorar a circulação e a agitação de superfície. Troquei também o Inflow e voltei a colocar o Skimmer Eheim 350 no aquário (ligado apenas por 15 minutos de 2 em 2 horas). A fazer três semanas de plantado amanhã, o aquário continua em modo cruzeiro... foram introduzidos 5 camarões Amano e 10 Rasbora Galaxy para povoar o aqua, e também com esse reforço da equipa de limpeza (no total 5 camarões Amano e 8 caracóis clithon corona) algas é coisa que não se tem visto por aqui (talvez a calma antes da tempestade). O tapete de montecarlo e cuba já está praticamente fechado, a pinnatifida está a tentar tomar conta do tronco e até a rotala Wallichi está a crescer a olhos vistos. Apenas a rotala vietnam h´ra, por estar um pouco na sombra do tronco, está a levar mais tempo a desenvolver (já coloquei a luz mais na parte traseira do aqua para tentar resolver a situação). Ora seguem algumas fotos do estado do Aquário, que até agora me está a dar cada vez mais gosto ter e cuidar:
  6. 4 points
    2014 VALL D'ARAN BY Juan Puchades 2019 Aquascape Details Tank Size 120 x 45 x 55 cm (47 x 18 x 22 in) Volume 297L (79 gallons) Lighting ADA RGB LIGHTING SYSTEM X 2 Filtration ADA SUPER-JET FILTER ES-1200 Additional Information OCTOBER WHISPER was inspired by those days of the early autumn, where a great variety of colors can be observed in harmony, the soft light contrasts with the warm colors and the strong shadows of the shady areas. Title OCTOBER WHISPER Plants Rotala Rotundifolia Orange Juice, Rotala sp. Yao Yai, Ludwigia Arcuata, Ludwigia sp. Mini Super Red, Limnophila sp. Mini Vietnam, Eleocharis Acicularis, Eleocharis Parvula, Cryptocoryne Crispatula var. Balansae, Cryptocoryne Parva, Equinodorus Tenellus, Vesicularia Dubyana, Microsorum Pteropus var. Trident, Anubias Bartieri var nana Pangolino. Fish/Animals 60 x Nematobrycon Palmeri, 8x Crossocheilus Siamensis, 8x Otocinclus Affinis, 20x Caridina Multidentata Materials Seiryu Stone + combination of different driftwood (vine wood are main elements) IAPLC 2020 FROM INSPIRATION TO END, THE IMPORTANCE OF A THEME&STORY: I have learnt from two masters Masashi Ono and Josh Sim the importance of having a theme. Theme makes your tank recognizable. So this year i focused on having something in my tank that could be a little different and something behind the scene. This is what I wrote as a comment on my IAPLC applycation and this is a photo that inspirated me. The African continent is mysterious, its ethereal features, almost magical, enrich its overwhelming nature. Light radiates differently from the rest of the world, with its copper tints and warm tones. There is a saying that says “you have not seen a true sunset if you have not seen it from Africa”. This aquarium shows its respects and pays tribute to the African continent, using the anubia, characteristic of its rivers, as its main plant, and two species of native killies of the continent. My special and warm grattitude to: - My team mates: Jose Angel Madrid Gonzalez , Ismael Aguilar Soria , Miguel Angel García (specially you, my photo master!!!!), Mario Perez , Efrain Sequera Moreno .- My mentors: Luca Galarraga and Long, and the two masters that i mention before. - For sure all my family members, you are the ones that let me focus a bit on my hobby. - Andy Tam and Esther Mous , my etternal grattitude for your support. Aquaflora plants & Life aqua products have been an important part of this project. ENTREVISTA Quisiera agradecer a Vera todo su interes mostrado en esta entrevista, y el afectivo trato que recibimos mi mujer y yo cuando visitamos Aquaeden por parte de todos los aficionados portugueses allí congregados. Vera me pide una descripción personal, que quisiera resumir como un trípode que sustenta mi persona. Nací en Valencia, una ciudad a la orilla del Mediterráneo, en el este de España hace 33 años. Esos tres pilares son mi familia, que tenemos la suerte de ser padres estas Navidades. Mi profesión, soy dentista especializado en encías (periodoncista) cuya especialidad ejerzo en mi consulta dental. Se trata de una profesión exigente, de muchas horas de dedicación y que a su vez compatilizo con la universidad, ya que soy profesor asociado de periodoncia en la Universidad de Valencia. Eso me lleva al tercer gran pilar, mi pasión desmesurada por el Nature Aquarium, cuyo tiempo se obtiene de realizar una aritmética muy cuidadosa de las horas del día. 2. ¿Quién o lo que influyó para comenzar un interés en acuarios. Comenzaré dando respuesta a la segunda de las preguntas, nací en el seno de una familia con mucho amor a los animales y a los jardines. La verdadera pasión de mi padre es la jardinería y el paisajismo terrestre, la cual combina con su amor a la crianza de Golden Retriever. Ello me llevó a entender desde pequeño la importancia del cuidado afectivo y constante de nuestros animales, virtudes que ahora entiendo que resultan fundamentales para el desarrollo de un acuario plantado. En mi casa siempre ha existido un acuario, me crié viendo como mi hermano mayor cuidaba de un acuario de 200 litros en el cual un arcoiris de peces, sin excesivo sentido más allá que disfrutar de sus bonitos colores. Una vez independizado, a la edad de 24 años incorporé al salón de mi primer piso de alquiler, un acuario enfocado al cuidado de peces Disco junto con cardenales. Con un escaso plantado donde cryptocorines y anubias trataban de sobrevivir a las condiciones que yo mantenía en aquel acuario. Pronto dió un vuelco radical mi interés por la acuariofilia, el uso de internet me permitió comenzar a ver acuarios de origen japonés (al tiempo entendí el mito de Takashi Amano) que lucían vibrantes plantados, tapizados completos y una salubridad que yo desconocía. Era el plantado y la estructura y no los peces los protagonistas, aquello me cautivó. Navegando por la red tuve la casualidad de encontrar una pequeña, miníscula tienda que acababa de fundar Albert Escrihuela, la entrada a aquel recinto llamado Nascapers cambió por completo mi visión de los acuarios, y me ha llevado a día de hoy a disfrutar de la filosofía importada del Nature Aquarium. Por ello es mas que justo decir, que mi primera influencia real en el paisajismo es Albert Escrihuela. A día de hoy puedo decir que ha sido una simbiosis entre ambos lo que nos ha hecho evolucionar como paisajistas, llevando nuestra pasión al Nature Aquarium a los concursos internacionales, él como profesional, y yo como aficionado. En el transcurso de todos estos años, digamos que 2011 puede marcarse como el inicio de mi afición al NA, quiero destacar la presencia de dos personas que han sido timón y rumbo de mi evolución como paisajista. El vietnamita Long Tran Hoang y el brasileño Luis Carlos Galarraga, dos referencias y amigos que guardo en mi corazón puesto que dedicaron de forma desinteresada mucho tiempo a ayudarme a progresar en esta afición. Por ello, tres pilares tiene mi vida y tres grandes amigos paisajistas han influido en el desarrollo de mis habilidades. 1. Número de años que tiene y cuántos tanques? Debido al reducido espacio reservado en mi casa a la afición, sólo dispongo de 2 acuarios en funcionamiento. Mi acuario de "show", cuyos montajes suelen tener un desarrollo de unos 9 meses, y un acuario que me permite desarrollar plantas y mantenerlas en caso que no las esté necesitando en el acuario principal. Creo que es fundamental tener un acuario "nursery" o "farm". Como paisajista mis inicios en los concursos se remontan a 2012. 2012- JUNGLE BOX. Iaplc 284th. 2013: VALL D'ARAN. Iaplc 54th. AGA top10. CBAP winner. 2014. A MORNING OF PEACE AND CALM. Iaplc 26th. AGA top10. EAPLC 2nd. 2015. WHERE THE DREAMS COME TRUE. Iaplc 17th. EAPLC 8th. THE OLD CREEK. Iaplc 44th. EAPLC 11th. 2016. ROOTS OF MARRIAGE. Iaplc 27th. AGA 2nd. EAPLC 2nd. 2017. FLOW OF LIFE. Iaplc 53th. AGA top 10. EAPLC 13th. AQSC winner. 3. Hacer una descripción de cómo fue tu primer acuario? Si usted puede seguir las respuestas con fotos piensan que sería divertido para ver. Será un placer mostrarles fotos de mi primer acuario plantado. Por favor, vean la oportunidad de analizar este acuario y ver lo mucho que se puede llegar a evolucionar desde el primer montaje. He de decir que me da risa ahora cuando veo este primer montaje, pero hay que decir que gracias a él, comenzó el desarrollo de una etapa preciosa en mi vida como paisajista aficionado. Como podéis ver, se trata de una versión un tanto carente de concepto de un iwagumi, mediante el empleo de dragon stone "ohko stone". Cabe destacar que el tapizado de H. Callitrichoides "cuba" y el resto de plantas tienen unas condiciones de salubridad óptimas. Estos fueron mis primeros pasos con la Staurogyne, Cuba, Eleocharis y demás. Si bien podemos apreciar que el empleo de musgos es muy deficiente y que el uso dado a la Eleocharis Vivipara es... jeje, juzguen ustedes mismos. 4. ¿Qué tipo de peces es que usted comenzó a estar interesado? Y ahora? La relevancia y transcendencia de los peces empleados en mis montajes ha sido también, fruto de la evolución en el conocimiento del Nature Aquarium. Si bien he de confesar que en un principio, el empleo de peces era determinado en exclusiva por factores propios de la "estética" del montaje, en los últimos dos años mi concepto ha evolucionado junto con el criterio de la creación de las condiciones adecuadas para esos peces con el montaje creado. Me explico, si me remonto de tres a cinco años atrás, el criterio de selección del cardumen se basaba en tamaño proporcional al montaje, número de peces en concordancia a la obra, color que permitiese destacarles sobre el fondo y compatibilidad entre especies. Ello me llevó a emplear P. Simulans en mi primer iwagumi, Orizias Woworae en el segundo (un landscape) y Amandaes&Rodwayis en el tercero, también landscape. A partir de 2015 mi visión paisajista fue variando en busca de un concepto mas "underwater", con el enfásis puesto en tratar de combinar mi gusto por crear estructuras complejas, junto con un hábitat adecuado para dichas especies introducidas. Eso a hecho que la toma de desiciones sobre el cardumen o las especies elegidas, dependa de si el acuario creado es un buen hábitat para las mismas. 5. ¿Cómo describiría la evolución del paisajismo acuático y fishkeeping, en general, en los últimos años en España? Me encanta esta pregunta, aunque no se si soy la persona adecuada para responderla. Si nos enfocamos desde la perspectiva del conocimiento, hace 5 o 6 años puedo asegurarte que en España ya había grandes conocedores del acuario plantado, muchos de ellos anónimos, pero que aunan muchísimos más conocimientos de los que yo pueda tener. Sin embargo, creo que es cierto afirmar que el factor copetitivo de los concursos internacionales ha supuesto un plus de excitación a la comunidad paisajística que se ha hecho más evidente en los últimos años. Si me centro en la pregunta como tal, creo que de 2012 a 2015 suponen años de inflexión en la comunidad paisajistica española, en los cuales encontramos un aumento vertiginoso en las participaciones a distintos concursos internacionales, así como el nivel de los montajes año a año sigue un ritmo alcista. Podemos justificar la tendencia alcista en número de participación, observando que de 30 participaciones en IAPLC hace 5 años, hemos pasado a números entre 85 y 95 inscritos. Si bien hay que destacar, que ese ritmo se ha frenado y está mantenido en esas cifras ya por dos años. Digamos que crecimos mucho, pero ahora se ha estabilizado el número de concursantes. Creo que hay muchos motivos que justifican esa subida y estabilización, y en cierto modo creo que el colectivo español es un ejemplo de difusión de esta afición. Si nos planteamos las posibles causas creo que hay algunas de ellas que son dignas de mención. 1.- El énfasis en la propagación del paisajismo acuático llevado a cabo por algunas tiendas especializadas. 2.- La irrupción de una comunidad que engloba a una amplia mayoría de los paisajistas españoles, que a propiciado un punto de reunión de todos nosotros, llamado Aquascaping Spain. 3.- La creación de núcleos de amigos que comparten afición e interés por los concursos internacionales, lo que ha llevado a que encontremos colectivos de aficionados que se ayudan y potencian entre si en muchas ciudades españolas. Desde el punto de vista de la "supuesta calidad" o nivel de los acuarios españoles, desde mi punto de vista, creo que España también ha evolucionado en positivo. Vienen a la mente acuarios destacados previos a 2012/3 como pudiese ser Riu Sec de Bernat Hosta, a mi juicio el mejor nanoacuario español y que fue un gran salto de calidad para un paisajista español. Pero es justo afirmar, que año a año el número de acuarios españoles destacados en los concursos internacionales ha ido en aumento. Y si se me permite, a día de hoy creo que en España hay un grupo cercano a 10 paisajistas con capacidad para estar entre los 100 mejores paisajistas a nivel mundial, incluso con algunos de ellos con la capacidad de optar a puestos muy elevados. Cuando estos datos eran inpensables hace apenas 5 años. Como muestra de ello, observamos que España ha obtenido entre 4 y 7 paisajistas en el top100 del IAPLC en los últimos 4 años. Obteniendo 1 o 2 de ellos en el top27 mundial. Asimismo, cada año entre 2 y 3 paisajistas ya obtienen un puesto top10 o superior en el concurso americano de paisajismo AGA, o en el concurso europeo. Eso me lleva a reflexionar, que desde el punto de vista de calidad y número de paisajistas, considero que España puede ser junto con Francia, Italia, Alemania, Turquía, Polonia, Hungría y Portugal, las potencias del paisajismo en Europa. Sin embargo, a excepción de los paisajistas franceses, el resto de países aún deben de mejorar mucho su nivel para poder tener a 2 o 3 de ellos en la lucha por las posiciones delanteras de forma habitual. Sin embargo, estas afirmaciones me llevan a una reflexión que me transmitió en su día Long Tran Hoang: "Puesto y nivel no siempre van ligados de la mano". Ello es debido a que los concursos, como tal, son sólo eso... concursos, en muchas ocasiones podremos no coincidir con los criterios de evaluación de los jueces, por ello encontraremos acuarios "afortunados" en posiciones delanteras que quizás a nuestro juicio no lo merezcan, y acuarios "desafortunados" en la situación contraria. Por tanto, los años de participación y el estudio de los resultados de los concursos me lleva a la conclusión que los concursos justos o no, deben der ser relativizados, tanto cuando se triunfa como cuando uno espera una mejor posición. El concurso no nos hace mejores paisajistas, sólo nos compara entre nosotros, y siempre, las comparaciones son subjetivas. 6. En su opinión, ¿qué es una tienda de acuarios local necesita tener para ser considerado fiable? Creo que el paisajismo acuático es una disciplina que requiere de una serie de factores que son imprescindibles para el éxito del acuario, sin ellos, los riesgos del fracaso y la desespeación del aficionado nobel son muy elevados. Por ello, la respuesta a tu pregunta es muy sencilla, una tienda debe de priorizar en la transmisión del conocimiento hacia los aficionados con el objetivo de disminuir la alta tasa que no consiguen sus objetivos y abandonan la afición en los primeros años, incluso meses. El acuario plantado requiere un equilibrio entre la correcta filtración, iluminación, parámetros de agua, sustrato y fertilización, en función del tipo de plantado que queramos realizar. Encontrar ese equilibrio no es sencillo para el paisajista nobel, y sin un adecuado asesoramiento, creo que puede ser un camino difícil de recorrer. Esta creo que debiese ser la prioridad a la hora de elegir la tienda a la cual comprar los productos. 7. ¿Cuándo el interés en el paisajismo acuático será? Quienes le han influenciado? Creo que esta respuesta ya la he ido avanzando a lo largo de la entrevista, mis tres grandes pilares como maestros paisajistas. Sin embargo, creo que somos la expresión de nuestras influencias y en este caso he tenido el placer y el honor de recibir estímulos de muchas personas que me han ayudado en este camino a ser mejor persona y mejor paisajista. Con miedo a olvidarme de muchos, para mi es justo nombrar a mi amigo Pep Pericas, que durante los primeros años fue un gran referente en el paisajismo español, y me brindó su amistad y conceptos. Junto a él, los paisajistas españoles con los que he compartido más horas de charlas en estos años son Miguel Angel García y Bernat Hosta, así como todo el grupo de trabajo que hemos creado en Valencia, Valencia Aquascaping Team (VAT) en la que ya a día de hoy somos 8 paisajistas los cuales compartimos pasión, y me siento muy orgulloso de sus trabajos en 2017 y muy esperanzado con sus proyectos de 2018, seguro estoy que darán mucho que hablar. 8. ¿Qué consejo le daría a los principiantes fundamentales en el paisajismo acuático? atención primaria, etc ... El acuario plantado es un ecosistema en el cual ningún factor debe fallar, las condiciones del agua con sus cambios en función del tipo de sustrato empleado, el sustrato y fertilización adecuada a cada momento del plantado y en función al tipo de variedades, el correcto empleo del co2 inyectado al acuario, la iluminación y filtración empleados. Todos esos factores son fundamentales, y el fallo de uno sólo de ellos será suficiente para crear un desequilibrio que puede llevar a la decepción al paisajista novel. Por ello, un buen equipo y un buen asesoramiento es necesario para ayudar en las primeras etapas de dudas y nervios del paisajista motivado pero inexperto. El paisajismo es una disciplina que requiere de tiempo para evolucionar en la misma. Por ello, mi segundo consejo sería entender que obtener un acuario similar a aquellos que vemos en fotos no es sencillo en la mayoría de ocasiones, pero es posible. La paciencia y la observación nos llevarán a poco a poco a ir entendiendo las fases por las que todo acuario debe pasar. El tercero de los principios fundamentales del paisajista novel con ilusión por participar en concursos debe de ser la constancia y el estudio de los trabajos de años anteriores. La constancia aportará el desarrollo de las técnicas y el refinamiento, mientras que el estudio de los acuarios nos dará las ideas, las posibilidades y unos ejemplos de acuarios los cuales no son imposibles de alcanzar. Soñar no cuesta dinero. 9. ¿Qué tipos de equipos y herramientas o creen indispensable para el mantenimiento de un acuario? En mi opinión creo que hay un elemento fundamental en el que invertir algo más de dinero, a mi juicio ese elemento es la luminaria. Una buena lámpara es un factor necesario para el óptimo desarrollo del plantado. Lo considero incluso por encima de la filtración del equipo. Respecto a los utensilios para la poda y cuidado del acuario a mi me encantan mis tres básicos: una pinza larga recta de puntas estrechas para el plantado, un tijera grande curva para la poda de las plantas de tallo y una tijera ADA pro scissors spring para la poda de detalle. Con esos tres utensilios puedo manejarme durante toda la evolución del montaje. 10. Juan, usted tiene que utilizas HardScape recogido en la naturaleza? donde forneces de elementos sólidos para acuarios? Lo cierto es que sólo he empleado madera recogida de la naturaleza en dos montajes. Mi experiencia con maderas recogidas y empleadas por primera vez dentro del acuario es sinceramente poco recomendable para un recién iniciado. En ambas ocasiones he tenido que lidiar con desequilibrios importantes en el agua motivados por la madera, resultando en arranques difíciles y un periodo de estabilización del acuario largo y tedioso. Si bien es cierto que ambos acuarios luego me dieron satisfacciones muy importantes (The old creek & Roots of marriage). Respecto a piedras, he empleado en estos años seiryu stone, dragon stone, frodo stone y phoenix stone. Diré sin complejos que la Seiryu stone es una maravillosa piedra, de textura y belleza sinigual, muy versátil que facilita la obtención de un paisaje muy bonito. Sin embargo hay que ser conscientes que genera una subida de la dureza y requiere de importantes cambios de agua constantes. A pesar de ello, no tengo duda que es mi piedra favorita. La Dragon stone es una piedra versátil que no genera desequilibrios en el agua, y es una candidata ideal para muchos paisajistas. Frodo y Phoenix creo que son piedras que requieren de mayor habilidad para crear montajes interesantes. Todas estas piedras las obtengo en la tienda especializada que tengo en mi ciudad. 11. ¿Qué tipos de sustratos les gusta usar? Para mi forma de entender el acuario natural, es fundamental un sustrato muy saturado de nutrientes. Después de haber empleado varios sustratos (Help, Tropica, OK), me siento muy cómodo con el empleo de Aquasoil amazonia de ADA. Es un sustrato que requiere de mucha constancia en los cambios de agua durante el primer mes, pero que asegura un desarrollo vigoroso del plantado en los meses siguientes. Con este sustrato, si el acuario va a ser mantenido durante un periodo largo de tiempo, siempre aconsejo el empleo de Power Sand special de ADA como base del sustrato, así como la combinación con los starters de ADA (Penac W, Penac P, Tourmaline BC...), sin embargo, si se trata de un acuario para competición en el que mi plantado no se desarrollará durante más de 9 meses, únicamente empleo Amazonia sin necesidad del resto de elementos. Un consejo cuando empleamos este sustrato, y podría hacerlo extensivo a otros sustratos muy cargados de nutrientes, es realizar un plantado muy abundante desde el primer momento, intentando incorporar desde un primer momento plantas que tengan un consumo importante, de este modo disminuiremos el riesgo de exceso de nutrientes en el torrente de agua, y así bajaremos la posibilidad de aparición de algas propias de las primeras etapas del acuario. 12. ¿Qué tipo de plantas es lo que más le guste para su uso en acuarios? Esta pregunta me la han realizado en varias ocasiones, y mi respuesta ha ido variando con el tiempo. Si bien en mis inicios me enamoré de la Hemianthus Callitrichoides "cuba", planta que utilicé como elemento principal en "Jungle box", "A morning of peace and calm" y "When dreams come true", luego fue tomando un protagonismo mucho más secundario en el resto de montajes. Hoy en día disfruto de las plantas de tallo en el sector posterior, en especial del uso de rotalas en los sectores posteriores. La rotala Gia Lai o H´ra me tiene enamorado, con su color naranja a rojo en función de la exposición lumínica, sus hojas mas lanceoladas que la rotala rotundifolia y su crecimiento algo más lento que R.Green o R.Rotundifolia. Para las regiones frontales la versatilidad de las distintas especies de bucephalandras, hoy en día, más asequibles y de crianza en granja, así como la maravillosa Anubia Pangolino, permiten tener a nuestra disposición plantas de belleza especial, crecimiento lento y muy agradecidas en su mantenimiento, ideales para los detalles en el sector anterior del acuario. 13. ¿Qué especies de plantas ya se han dado algunos dolores de cabeza para mantener? En muchas ocasiones mi curiosidad por nuevas especies no tan habituales del mercado me ha hecho pedir plantas no habituales entre las distribuidoras clásicas. He de reconocer que algunas especies no he conseguido desarrollarlas de forma satisfactoria. Fundamentalmente me ha generado problemas la bolbitis heteroclita difformis y el crepidomanes malavaricum. Otras plantas más habituales que no considero haber obtenido su mayor esplendor son la rotala wallichi y rotala vietnam. 14. Fertilizas sus acuarios, en cuanto a qué métodos o productos? En este caso la respuesta es fácil, desarrollé mis primeros montajes con el sistema de fertilización y sustrato de ADA, viajé a japón en 2014 donde terminé de entender la filosofía transmitida por Takashi Amano, y si he de ser sincero, a pesar de haberme ofrecido otros sistemas de fertilización, una vez controlado perfectamente este sistema prefiero no cambiar mis rutinas. Si bien he probado otros sustratos, sigo estando muy cómodo con Aquasoil Amazonia, puedo decir que soy algo cómodo para estas cosas, no deseo que mi tiempo de dedicación al acuario se base en experimentación de productos, prefiero invertirlo en desarrollo del montaje. 15. Juan, una pregunta que todo el mundo debería querer que se respondieran, es como haces para extinguir las algas que siguen apareciendo en nuestros tanques? El problema de las algas puede interpretarse desde un punto de vista relajado, no son más que indicadores del proceso de ciclado del acuario o bien marcadores de desequilibrios en los nutrientes. A día de hoy mis montajes arrancan con las mismas premisas: 1) Cargas filtrantes maduras, son sin duda la mejor de las soluciones a los problemas iniciales del acuario. Poder empezar un nuevo montaje con un filtro maduro ahorra mucho tiempo de evolución al acuario. 2) Respeto estricto de los cambios de agua en las primeras 5 semanas. En mi caso bajo el sistema de ADA de cambio de agua del 50% diario la primera semana, y luego añadiendo 1 día más a cada semana que pasa. Esto es evidentemente laborioso, pero es clave para evitar alga filamentosa en los primeros estadios. 3) Evolución en el número de horas de luz, comenzando en 6 horas e incrementando cada 4 o 5 días media hora hasta las 8 horas y media. 4) Fundamental un plantado muy abundante desde el primer momento, siempre que sea posible con plantas ya adaptadas al medio sumergido. Estas pronto comenzaran a consumir nutrientes del torrente. 5) Incorporar Caridina Japonica una vez ya ha pasado el pico de nitritos del acuario. Yo llevo ya algunos montajes en los que me disgusta la incorporación de estas, son muy grandes y pueden mover el sustrato o algunas plantas recién colocadas. A día de hoy prefiero incorporar Neocaridinas Red Cherry en grandes cantidades. 6) Trato de evitarlo por todos los medios, y por suerte llevo varios montajes sin necesitarlo, pero un buen aliado en caso de un desequilibrio masivo es el empleo de Excel o EasyCarbo de Seachem. Me han facilitado en el pasado el control de algas, aunque prefiero evitarlos siempre que sea posible. Quisiera acabar la entrevista recordando a todos los aquascapers que impriman toda su pasión y amor en cada proyecto que inicien, no busquen las modas, no traten de copiar, sólo busquen lo que realmente les produce satisfacción plasmar entre los cristales. De ese modo, el éxito personal llevará a la plena felicidad en el cuidado del acuario.
  7. 4 points
    1 - Nome do Aquário The Green Kaos! 2 - Data da montagem Um dia destes. 3 - Dimensões do aquário 3.1 - Volumes bruto e útil 80P nada de ADA Style - 80*40*40 - Vidro extra claro - 128L brutos. 3.2 - Estrutura/móvel 80x70x40 cm de contraplacado marítimo. 4 - Equipamentos Instalados 4.1 - Filtro Oase Biomaster Thermo 250 4.2 - Termostato Nada...nada de mt calor para as plantas! 23º é que é bom! 4.3 - Iluminação/Foto-período 2 Calha de led's dos chinocas (Fotoperiodo de 8h) 4.4 - Sistema de CO2 Garafa co2 500gramasx2 Redutor de 2 Manómetros com válvula de ajuste fino integrada Fluval Proflora M602 (não tenho a certeza) Válvula solenóide JBL proflora direct 16/22 5 - Substratos & decorações 5.1 - Substrato fértil 1 Sacos de Neo Plant Soil 8L (mais um belo saco do continente, bem cheio, que um amigalhaço me ofereceu, para reutilizar) Areia de rio 5.3 - Decorações Uns kgs de Rocha Vulcânica preta Uns kgs de xisto, trazidos de uma linda castata perto de Piodão 1 Raiz de Limoeiro(coitado, tinha uns 40 anos e secou) 1 Raiz de qualquer coisa, que apanhei na praia, depois da tempestade Eva (Obrigado Eva) 6 - Fertilização A comprar Neo PLANTS ST. LONG (comprar, pq ng patrocina!!!!) A ver ainda. 7 - Fauna 7.1 - Hão-de ser uns belos ramirezis e mais qualquer coisa... 8 - Plantas 8.1 - Quantidade e espécie Plantas a utilizar: Micrantemun Monte carlo (comprar, pq ng patrocina!!!!)) Várias Bucephalandras Muitos MICROSORUM PTEROPUS NARROW (gentilmente oferecidas por um amigalhaço) MICROSORUM Minor Microsorum Windwlow (gentilmente oferecidas por um amigalhaço) Microsorum pteropus Trident (gentilmente oferecidas por um amigalhaço) Várias Anubias Bolbitis heudelotii Hygrophila pinnatifica (gentilmente oferecidas por um amigalhaço) Mini Pelia ... Como está...desleixado e à espera de intervenção (divina)...o período das férias (cerca de 10 dias) foi mt mau para o aquário, não se deu bem com o abandono e mt especialmente com o calor e temperaturas que atingiu, e as plantas que lá estavam, foram quase todas rejeitadas, porque ficaram mt degradadas e com algas... Neste momento, está a correr com CO2 para manter as plantas substitutas....
  8. 3 points
    Aquário: 80x35x45 (8 mm, com tampas para correr, em vidro) Feito pela Centrividro Setup: Calha Led Amtra, 32 w, 80 mm, com dimmer Input e output: vidro CO2: garrafa de 1 Lt, pressurizada, válvula solenoide. Co2 ligado à temporizador. Inicia cerca de 1,5 h antes do ciclo de luz - 8 h intensidade média - e termina 1 h antes do fim do ciclo de luz. Está a fazer, para já, 1,5 por segundo. Solo: Tropica (9 Lt - 2/3 mm, 3 Lt - 1/2 mm) Substrato Fértil: Tropica Substrate ( Lt 1, 5) + kg 2,4 sera floredepot Utilização de lava rock pequena, comprada em loja de jardinagem colocada debaixo do solo e adição de sticks (initial sticks da Tetra) Flora atual: 1° plano: echinodorus acicularis 2° plano: echinodorus acicularis, cryptocoryne parva, cryptocoryne brown, araguaia, feto de Java narrow e trident, musgo Christmas Fundo: echinodorus arquartica, echinodorus reni e rotala lá rotundifolia. Nota: em falta marsilea crenata, echinodorus PARVULA e musgo Christmas Passo a passo: Estudo da disposição das pedras e troncos Desenho do esboço com algumas plantas para o layout que tinha em mente. (PS: estou com dificuldade em colocar fotos.... Assim que conseguir coloco. 😉 - Obrigado Álvaro) Aquário colocado e recriação do processo inicial de estudo do layout. Pensei, inicialmente, em usar o material que vêm de cor azul (espécie de esferovite mas mais densa e não se desfaz como a esferovite) para Elevar troncos e rochas, para conseguir mais facilmente a elaboração de vários planos mas abandonei a ideia. Não tirei fotos à colocação do substrato e da lava rock, sorry. Aqui está a primeira imagem com o solo. Utilizei abraçadeira de eletricista e um tronco para fixar e colar tronco. Utilizei uma espécie de silicone (recomendada por um Expert). Também deixei pedras por uns dias a fazer pezo para evitar que os troncos flutuassem e estragas sem o trabalho. Alguns eu já tinha e estavam num Aqua com àgua. Outro estava fora(era do meu antigo 120 p) tive de o serrar e comprei um novo. Estava difícil deixarem de flutuar😅😅 O enchimento... O final Como referi, de plantas falta marsilea crenata, echinodorus PARVULA e musgo Christmas A hygrophila pinnatifida vai ser para sair e a rotala rotundifolia será a pensar. A ideia é tê-las nesta fase de arranque para ajudar com os valores da água.
  9. 3 points
    Ora boas, E assim passou um mês desde que plantei o aqua e tal como já disse anteriormente, estou impressionado com a velocidade a que algumas plantas se desenvolveram... mais umas semanas sem dar uso à tesoura, e a pinnatifida ia tomar conta do aquário todo, porque não só está a crescer em altura, como está a lançar novos ramos para tudo o que é lado. Tendo sido o ultimo fim de semana dedicado às vindimas, não foi feita a manutenção habitual do aquário, ficando por isso agendada para o próximo fim de semana a manutenção do filtro, lily pipe e aquário com direito a corte de plantas e tudo... vamos lá ver como é que vai correr. Ficam aqui as fotos da evolução do aquário: Dia de plantar o aqua: 1ª semana, onde experimentei colocar o lily pipe com skimmer, coisa que não resultou mto bem, mas vai merecer outra tentativa no futuro. 2º semana, com novas alterações a nível de colocação de lily pipes e o tapete de monte carlo e cuba a desenvolver bem 3ª semana, já se notando bem o desenvolvimento da pinnatifida a mostrar toda a sua imponência e o tapete de monte carlo e cuba já fechado. A araguaia e a guyana também já estão a espreitar ali atrás. 4ª semana, sem grandes alterações pois não foi feita sequer a manutenção semanal, mas pela primeira vez já se nota sujidade nos lily pipes e nem se consegue ver a rotala wallichi atrás do tronco devido à imponênia da pinnatifida que em breve será domada (ou pelo menos será feita a tentativa)
  10. 3 points
    Betta splendens é o nome científico atribuído ao peixe conhecido como Combatente do Sião. Há uns séculos atrás eram mantidos e criados pelas suas capacidades de lutadores (daí o nome de Combatente). Atualmente são mantidos como animais de estimação, pelas suas diversas formas e cores e pela sua personalidade individual (não há 2 bettas iguais). Em 1840, o Rei do Sião, presenteou um amigo, com alguns dos seus peixes mais premiados. este amigo entregou os peixes a Theodore Cantor, médico. Só em 1909, é que C. Tate Regan, os identificou formalmente e lhe foi atribuída a denominação de Betta splendens. Em 1927, os primeiros Bettas chegam aos Estados Unidos. Betta splendens forma selvagem Os Bettas splendens evoluiram para lá da sua forma selvagem e são agora como normalmente os vemos nas lojas de aquariofilia. Foram criados, ao longo do tempo, para se obterem diversas cores (Copper, Koi, por exemplo) e formatos de barbatanas (Halfmoon, Crown tail, Double tail, etc). Existem exposições só dedicadas a eles, em que os melhores exemplares concorrem entre si, segundo os standards definidos pela IBC (entidade máxima, na atribuição de grades e de standard de todos os bettas splendens e selvagens). O primeiro tipo de cauda que apareceu, e que atualmente ainda se encontra foi o Veiltail (cauda de véu). Através de criação seletiva, obtiveram-se diversos formatos de cauda como as Delta, Halfmoon, Crowntail, e os Plakat de cauda curta, muito parecidos com a forma ancestral. Betta splendens doméstico, variedade veiltail Devido ao comércio, o Betta splendens é provavelmente o tipo de betta mais fácil de encontrar e o mais comum, apesar de atualmente algumas lojas já o´terem uma oferta de algumas espécies de bettas selvagens. O betta pertence à familia doa Anabatídos, onde se incluem os Gouramis, Colisas, Channas e outros. Todos os anabantídeos, possuem um orgaão conhecido como Labirinto, que lhes permite respirar ar atmosférico. Isto permite-lhes viver em águas paradas e em cativeiro serem mantidos em pequenas litragens de água. O atual Betta splendens, foi criadoa a partir de cruzamentos com outros tipos de selvagens, como o Betta imbellis, Betta smaragdina, Betta mahachaiensis e o Betta splendens original. Betta smaragdina
  11. 3 points
    Olá a todos, a pedido do Tozé Nunes venho partilhar convosco a montagem com que participei no IAPLC2020, tendo sido a minha primeira participação em concurso. Começo por descrever o setup - Hardware - Aquário Ecoarium Pro Line 90x45x45cm Luminária Chihiros WRGB90 - posteriormente substituida por 2xTwinstar 900EC Filtro Hydor Professional 600 com lily pipes em vidro e skimmer incorporado Injecção CO2 com atomizador JBL proflora Hardscape - Rocha Ryouh/Seiryu Madeira Dark Forest Wood by Ecoarium Substrato e areias decorativas - Dennerle Scaper's Soil Dennerle Rio Xingu Areia amarelada/esbranquiçada que sinceramente não sei a marca e modelo Comecei a montagem com alguma intenção de entrar no IAPLC a ver o que me saía na rifa, não estava propriamente a contar com um lugar muito bom pois vários motivos - não seria um layout para montar, tirar a foto e desmontar, mas sim um "slow burner" sem grandes necessidades de manutenção, e obviamente os layouts nos lugares cimeiros são predominantemente diorama/brasilian/wtvr, e sendo que o que gosto mesmo é o clássico Nature aquarium, foi isso que quis fazer, seguem então algumas fotos. Hardscape - Já plantado - Evolução - Pelo meio não estava a ter os resultados que queria, com crescimento em direcção da luz e mesmo nas plantas que tinham acesso desimpedido à mesma, problemas de crescimento e algas. Portanto depois de muito lutar, esfregar, arrancar etc, troquei o mono da chihiros por duas TS900EC, e tudo se tornou mais fácil. Por muitas afinações, intensidades diferentes etc, que experimentasse na chihiros nunca consegui resultados que agradassem. Entretanto aconteceu o grande evento de 2020, o nosso amigo covid, que fez com que eu esquecesse na totalidade o IAPLC2020, continuei a fazer a manutenção normal e a montagem estava com óptimo aspecto. Entretanto decidi fazer uma valente poda nas rotalas, cerca de duas semanas antes da data de fecho para entrega de submissões....quando soube da data faltava uma semana, estive para desistir mas depois de uma semana com 12 horas de luz, muitas tpas, e fertilização intensa, consegui que as rotalas ficassem a espreitar lá atrás 😄 Aqui fica a foto final - Satisfeito com o resultado, especialmente com algo feito em cima do joelho, vamos la ver o que o próximo ano nos trás. Não posso também deixar passar em branco os excelentes resultados obtidos pelos Portugueses em geral, não só o Luis, o Samuel e a Vera, mas todos os outros que se chegaram à frente!
  12. 3 points
    EDIT: Esqueci-me de mencionar que cheguei a Portugal cerca de 2 semanas antes da data final para a submissão de foto ao concurso. Ainda deu tempo de fazer uns ajustes de correcção nas linhas das moitas. Como não podia deixar de ser e tipicamente à "tuga", a foto só saiu no último dia, a 31 de maio! Foi arriscado mas valeu a pena a espera, se fores cardíaco não deixes as coisas para a última! Neste meio tempo houve oportunidade de fazer a encomenda de um belo cardume de thayeria boehlkei, mais conhecido por tetra pinguim. Seria mau não mencionar a fauna pois na verdade são eles o centro de atenção dentro do aquário e acabam por ser aquela peça que vai completar a dinâmica e o propósito do aquário. Desta espécie em particular posso dizer que estou maravilhado com o comportamento que os peixes têm dentro do aquário, faclitaram muito a vida na hora de tirar a foto final! Formam um cardume compacto e coeso como se de um batalhão de infantaria se tratasse, atrevo-me a dizer que tirando um ou outro todos cumpriram o serviço militar obrigatório! Deixo-vos uma foto destes belos exemplares Abraço
  13. 3 points
    Tozé, O meu obrigado desde já pelas tuas palavras. Após ler as tuas palavras, e não querendo fugir também ao tema inicial, pois poderia explicar o esferovite a que me refiro para evitar essas situações, apesar de haver sempre riscos, mas tens aqui mais um seguidor, não fico nada chateado, concordo contigo quanto ao uso deste material, temos de ser nós a lutar pelo futuro, cada vez fico mais triste ao ver o que estamos a fazer ao nosso planeta, mas isso são outros assuntos e interesses, fica a minha promessa a partir de hoje não irei usar mais😅. Abraço.
  14. 3 points
    "Terena stream" foi o trabalho que desenvolvi para o IAPLC2020 ficando com o ranking mundial 176#, tendo este ano o IAPLC recebido um total de 2358 trabalhos de 84 paises e regiões. Apresento aqui a ficha técnica e foto final do trabalho. Ficha técnica Flora: Anubias nana 'pangolino' Vesicularia ferriei Vesicularia dubyana Taxiphyllum Bolbitis heudelotii Microsorum pteropus 'Trident' Rotala green Rotala wallichii Rotala rotundifolia Rotala yao yai Ludwigia sp.'mini super red' Hemianthus micranthemoides Hemianthus callitrichoides Glosssostigma elatinoides Bucephalandra sp.lamandau mini red Cryptocoryne wendtii Gratiola viscidula Eleocharis acicularis 'mini' Fauna: Sawbwa resplendens Neocaridina davidi 'red cherry' Caridina logemanni 'yellow kingkong' Foto Final para concurso. IAPLC2020 ranking 176# Agradecimento especial ao Tozé Nunes,Ricardo Gil,Nuno Matos e Luis Cardoso.
  15. 3 points
    Aqui está o post que faltava para honrar esta que foi a minha primeira tentativa no mundo do Aquascaping! Basicamente, com este aquário fui aprendendo tudo o que era completamente desconhecido para mim até então, enquanto me candidatava a vários concursos. Numa primeira fase, enviei esta foto para o Desafio do Fórum: Após um inesperado 6º lugar, li as críticas do júri e tentei melhorar o aspecto do menino... Tirei nova foto e enviei-a para o IAPLC (681/1867), CBAP (23/27) e EAPLC (57/125): A pedido de várias famílias, troquei a areia vermelha dos desertos remotos do fim do mundo, por uma La Plata básica, para dar uma ADAda na situação, e enviei a foto para o WAC: Consegui um fantástico 47º lugar entre 55 aquários 😄 Mas o objectivo deste aquário era mesmo aprender... E nisso, como se diz no Norte, ele foi "impecábel"... Um autêntico laboratório onde consegui experimentar muitas coisinhas giras... No início do ano, depois do falecimento do meu Beta, por motivos de pensar que era um canguru saltador, comecei a pensar num futuro digno para o recipiente que me deu tantas alegrias enquanto Rookie... O tempo passou, e no dia 10 de Agosto de 2020, o aquário estava bastante selvagem: Retirei as plantas, que não tinham uma única alguinha, os peixes foram para o Margem Sul (que só tinha camarões), e assim chegou ao fim este projeto... Para sempre eternizado neste post no melhor Fórum de Aquariofilia do Sistema Solar & Alguns Exoplanetas... Quero agradecer ao Sr. @Tozé Nunes e a todos os participantes no primeiro Desafio de Aquascaping da PET, bem como ao pessoal aqui do fórum, que me ajudaram muito a entender este universo da jardinagem subaquática 😄 E mesmo se este aquário agora vai dar origem a um biótopo, o bichinho do Aquascaping ficou, e já tenho bastantes ideias para vencer, em breve, o IAPLC... Sabem que agora há uns explosivos fantásticos que usados com sabedoria fazem coisas maravilhosas...??? Mas isso deixo para um outro tópico 😉
  16. 3 points
    Hello Everybody, This is Bernat Hosta from Barcelona (catalonia). I'm aquarium fan from many many years ago and dedicated to aquascpaing to participate is some contest. I reached good results from time to time, and also other bad results, but this are contest........... I hope to share with you some of mys scapes and enjoy yours. Obrigado to accept me in this forum. See you.
  17. 2 points
    Boas, Nome do Aquário: Fallen Root (foi a primeira ideia a surgir após montar o hardscape ainda na loja) Data da montagem: 20/08/2020 Dimensões do aquário: Aquário (100Lt) 60x40x40 - 8mm - vidro extra claro (ILA EUROPA) Equipamentos Instalados Móvel 120 x 40 x 100 Filtro Externo Oase Biomaster Thermo 350 Termostato: incluido no filtro externo Iluminação/Foto-período: Led Twinstar 600S II ligada a dimmer (6 horas a 80% com 1 hora de "nascer do sol" e "anoitecer" até 1% Sistema de CO2: Set CO2 da Ecoarium a debitar 2 bolas por segundo, com difusor JBL Proflora e Lily Pipes Ecoarium de vidro para Inflow e Outflow (inicialmente sem skimmer incluido mas precisamente hoje instalei com Skimmer incluido (encomendado via AliExpress). Skimmer Eheim 350 - utilizado antes de lily pipe com skimmer incluido Substratos & decorações Substrato fértil: 2 litros de Power Sand Advance; cerca de 11 litros de Aquasoil Amazonia Vers. 2 e 1,5lt de aquasoil amazonia powder Decorações: 1 raiz de pinho, pedras seiryu Fertilização ADA Brighty K e ADA Mineral (5ml por dia nas primeiras duas semanas) Fauna: ainda a decidir Plantas 5 x Montecarlo 3 x Cuba 2 x Eleocharis Mini 1 x Marsilea Hirsuta 1 x Marsilea Crenata 1 x Hydrocotylle Verticillata 1 x Hygrophila Araguaia 1 x Hygrophila Pinnatifida 1 x Bucephalandra Kedagang 1 x Myriophyllum Guyana 1 x Rotala Wallichii 1 x Rotala sp Green 2 x Rotala Vietnam H´ra 1 x Anubia nana Pangolino 1 x Anubia nada bonsai 1 x Limnobium Laevigatum (a partilhar com o Biorb 60lt) 1 x musgo Riccardia sp chamedryfolia Parâmetros da água pH - 6,8 gH - >4 kH - 4,5 NO2 - 0 NO3 - 25 NH3/NH4 - n.s. temperatura - 25º 9.2 - Frequência das TPA's - primeira TPA feita hoje, mas será feita uma TPA de 50% semanalmente Após um período de quarentena onde comecei a ver vários vídeos sobre aquascaping (Green Aqua / George Farmer, entre outros) e tendo já um aquário em casa que me foi oferecido em tempos (Biorb life 60lt), o bichinho de ter um aquário plantado em casa foi-se entranhando. Após autorização da esposa 😄 e tirar dúvidas através de vídeos no Youtube e em vários fóruns, fiz uma lista de tudo o que era necessário e ao longo de dois meses fui juntando todas as peças necessárias. Ao montar tudo aquilo que era preciso, e sendo período de férias, decidi aplicar um Dark Start (videos Youtube) e após montar todos os equipamentos e com o hardscape no lugar, deixei o aquário montado com o filtro ligado durante duas semanas. Ao fim de duas semanas, e com a ajuda do Seachem Stability, não só o aquário estava ciclado, como já tinha todas as plantas necessárias para plantar o mesmo. O aquário já está assim em funcionamento à três semanas, duas sem plantas e quase uma após plantação de todas as plantas (plantado a 20/08). Apenas as Anubias vieram em vasos, sendo as restantes plantas Topica 1-2 grow, o que para alguém sem qualquer experiência de prepara plantas e plantar aquário, foi uma experiência demorada e divertida. Espero que as plantas não se ressintam da falta de experiência. O musgo como era in vitro e mto pouco na embalagem foi colado de forma quase aleatória e com mta cola à mistura (alguma bem visivel), mas não estou muito satisfeito... vamos ver como corre. Falta agora escolher a equipa de limpeza (julgo que vou optar por ottos e camarões Amano) e os peixes que irão ser as estrelas da festa. Espero ir relatando uma aventura calma e bem sucedida (será??????) Abraços Diogo
  18. 2 points
    Betta Patoti Tanah Grogot. Esta espécie é originária do Rio Mangar, e fica a cerca de 25Km da provincia de East Kallimatan, no Bornéu Indonésio. As marcas e coloração diferem de localidade para localidade. As populações mais próximas de Balikpapan, possuem barras negras, ao contrário de outras localidades mais a norte em que as barras são avermelhadas. As populações mais próximas a Samarinda, possuem uma iridiscência verde no corpo. São peixes relativamente grandes, atingindo os 9-10cm. Podem ser mantidos em pares num aquário standard de 80*30, sendo que se devem proporcionar diversos esconderijos, e a luminosidade deve ser quebrada quer com plantas flutuantes, quer com água escura. A adição de folhas ao fundo do aquário, torna o ambiente mais fiel ao seu biótopo natural, funcionando como fonte de taninos e como esconderijo para os alevins (funcionam também como fonte secundária de alimento). Ajudam simultâneamente a acidificar ligeiramente a água. Podem usar-se plantas como Microsorum pteropus, Taxiphyllum barbieri ou Cryptocoryne spp em vaso. Filtração não necessita de ser muito forte, bastando um filtro de esponja, ligado a uma bomba de ar. A temperatura deverá variar entre os 21 e os 27ºC, pH entre 4.0 e 7.0 e com uma dureza entre 0-179ppm Como qualquer outro betta, são predadores de larvas de insectos, e outros pequenos invertebrados. Em cativeiro aceitam facilmente quase toda a alimentação congelada habitual (artémia, larvas de mosquito). Já dei inlusivamente mysis, mas não pegaram com tanta facilidade. Aceitam facilmente alimentos processados/industriais, apesar de ser preferível optar pela alimentação congelada e viva, do que optar pela alimentação exclusivamente industrial. Os meus comem ração industrial, mas dou de vez em quando. A alimentação deles é à base de comida congelada. Podem ser mantidos em pares oara criar, ou em grupos se houver um aquario suficientemente grande para os alojar. Os machos distinguem-se das fêmeas, por serem maiores, mais coloridos, com uma cabeça mais larga e com as pontas das barbatanas a crescerem mais e ficarem pontiagudas. O pai incuba os ovos na boca por um período de 10 a 12 dias e os alevins já são expelidos da boca do pai, completamente formados e a nadar livremente. Patoti video.mp4
  19. 2 points
    Boas malta, Depois de vários meses ausente deixo algumas fotos que para aqui tinha no telemóvel com o desenvolvimento do aquário. Deu para fazer várias experiências. Nos últimos tempos e também por falta de tempo fui simplificando o lay-out. Agora chega ao fim este projecto, deixo então fotos dos vários estados. Abraço João
  20. 2 points
    Obrigado pelo elogio do esboço, fiz no serviço com esferográfica, foi à primeira não podendo esconder / apagar erros efetuados. Não foi difícil porque já tinha os troncos e rochas e fiz várias composições para futuro layout. Depois foi só copiar a foto e preencher com as plantas que idealizei. Em relação ao desenho 😂😂😂 tenho a confessar que era uma antiga paixão minha. Abandonei em final da década de 90. Sou apaixonado por aguarela. Cheguei, nos tempos de estudante, a fazer várias e a vender algumas (a pessoas menos entendidas 🙄🙄). O que fiz melhor foi uma encomenda a óleo, reprodução de um Quadro de Van Gogh, intitulado " Monte com Ciprestes". Ficou fabuloso, pelo menos na minha opinião. Tirei foto analógica e não sei onde está. Foi uma encomenda. Sou muito crítico quanto ao meu trabalho, lacunas por isso desisti. As aguarelas estão papadas, para quem conhece o termo. Deixo fotos de alguns quadros que fiz, que trouxe para a minha casa em 2000.
  21. 2 points
    Obrigado pelas tuas palavras. Isto não começou como eu queria e foi tudo a correr. Se bem que já tinha algumas coisas que aproveitei (filtro, um pouco de substrato, solo, filtro), existiu uma verdadeira correria.... Encomendei o aquário por medida e estava a contar com ele para 20 de Setembro e telefonaram-me no inicio do mês a dizer que estava pronto. Então andei a correr porque tinha no seu lugar outro aquário de idêntica dimensão, com solo pedras e troncos que tive de esvaziar e só não o fiz antes porque, queria aproveitar o filtro já bem ciclado. Foi ir buscar o aquário novo, desmontar o antigo. Colocar o Antigo, já bem esgotado e velhinho no lixo e colocar e montar o novo no seu local. Mesmo já tendo feito um estudo prévio, ainda dá luta, encontrar a mesma disposição que eu tinha em foto e as pedras não ficaram exactamente como tinha idealizado. Assim como a profundidade que eu pretendia (dá próxima compro um com 60 de profundidade e acabam-se as coisas 😜😂😂). Em relação à crenata é a primeira vez que a utilizo. Escolhi-a por ser menor que a glosso e do que a marsilea hirsuta mas, também é a mais lenta a crescer. Percebo o que disseste sobre a Eleocharis acicularis sobrepor-se. Está última era só para efetuar uma transição, principalmente, junto às rochas, subir depois transição echinodorus parva e por fim a Eleocharis Parvula Se calar não reparaste mas, tenho para além da rotala a pinafida do lado oposto, e penso ter referido no início do post que estas duas foram introduzidas para ajudar no ciclo, por serem de crescimento bastante rápido e para serem retiradas posteriormente. Se bem que sempre adorei rotalas e se ficar de futuro , possivelmente sigo a tua sugestão. Nesta fase, quero evitar mexer em tudo que é plantas de caule porque tenho debaixo do solo carradas de substrato fértil e pastilhas🙄😬😬 Em relação ao feto eu queria o mini... Isto das pressas nunca dá bons resultados... Cortei algumas folhas maiores. Na verdade espetei o feto de java e a Eleocharis Parvula a correr porque a crenata deu-me cabo das costas. Gostei dos teus comentários porque denotam experiência nestas andanças. Obrigado. 👌👌👌
  22. 2 points
    Olá a todos, Comprei esta tarde uma calha Chihiros A801 para o meu aquário plantado (https://www.aquariofilia.net/forum/topic/261240-voltando-atrás), aproveitei para fazer o TPA semanal e já a montei no aquário. Deixem-me dizer-vos que, para o tamanho e preço da coisa (5 cm de largura e cerca de 100€), aquilo debita luz numa quantidade absurda. Mas vamos por partes... Em termos de qualidade de construção a calha deixa muito a desejar. Os suportes em acrílico que a acompanham são, esteticamente, uma bosta. Estava a tira-los da caixa e já vinham cheios de riscos. A sua montagem não é fácil (apesar de termos apenas que apertar 4 parafusos, foram os 4 parafusos mais difíceis de apertar que já encontrei na vida) e por falta de instruções na embalagem não percebi logo à primeira como devia encaixar os suportes. Busca rápida na Internet, e depois de montada no aquário a calha parece não se mexer por nada. Incrível! O que parecia no início um brinquedo de fraca construção, ficou fixa ao vidro e até agora nada a parece abalar. Os riscos no acrílico continuam a incomodar-me, mas uma calha de 80x5cm (parece quase um palito) tão rígida deixou-me a pensar que os chineses estão muito à nossa frente em termos de engenharia. Quase cheguei a pensar que os técnicos da Chihiros a tenham desenhado assim de propósito para nos desapontar ao abrir a caixa e depois a surpresa ser maior. A calha em si é de alumínio. Aquece, claro. São 50 watts de potência. Mas os 50 watts atiram-nos para a tal quantidade absurda de luz que quase nenhum aquário precisa, portanto reduzi-a para metade (com o dimmer incluído no pacote) e a temperatura alcançada não me parece nada exagerada. O meu aquário tem apenas um tapete de Monte Carlo e umas rochas de Granito meio amareladas. O verde da Monte Carlo (e das algas que se prendem às rochas) parece saltar do vidro com os 8000K de temperatura de cor. Gosto! Sei que qualquer planta vermelha que pudesse pensar comprar ficaria a perder, mas como o meu objectivo é manter a coisa simples não me incomoda ter este tom mais azulado/esverdeado (sem ser de modo algum exagerado). Só para vos deixar uma melhor ideia... o aquário foi remodelado há pouco tempo e eu estava com a impressão que as plantas estavam a perder cor. Com esta calha tudo me parece normal e saudável. Os Leds brancos resultam, portanto, para mim. Que mais vos posso dizer? A minha calha anterior tinha sido feita em casa com uma prateleira do IKEA, duas luzes LED compradas nos chineses (10 watts cada) mais 4 Flood Lights de 15 Watts cada. Por 100€ julgo ter dado um passo em frente neste hobby, e resta-me esperar para ver como se desenvolve o crescimento das plantas. Qualquer questão que queiram levantar... estejam à vontade. Abraço.
  23. 2 points
    Boa noite, Hoje estive quase 5 horas a plantar crenata 😅😅😅 Foi plantado a Eleocharis Parvula e os Fetos de Java Narrow. Estes são muito grandes. Cortei algumas maiores mas, acho grandes demais. Falta colocar o musgo Christmas. As costas já não deixavam e não sei se tenho coragem para colocá-lo amanhã.... 😝😝 Foram adicionados 20 tetras amadea e 15 Emerald eye Rasbora, 3 corydoras pigmeus e 7 camarões Amano.
  24. 2 points
    O que é? É curável? De onde é que apareceu? É contagiosa? Eu sei que todos estão a fazer estas perguntas agora mesmo. E como é que eu sei? Porque fiz a mim mesma, estas mesmas perguntas. De onde é que apareceu? Bela pergunta. Fiz exatamente a mesma pergunta ao Laboratório. A resposta foi: 1 peixe, comida congelada, comida viva, nas redes usadas (que os amigos me deram quando os seus peixes morreram) , esponjas de filtros usadas (apesar de as ter desifetado com lexívia)... a lista continua. É contagioso? Sim. É altamente contagioso para outros peixes. Apesar de eu ter limpo todos os meus aquarios e recipientes, tenho de considerar que todos os meus peixes, plantas, caracois e redes estão todas contaminadas. Tenho de largar uma bomba na fishroom... Não posso permitir que alguma coisa continue contaminada e possa prejudicar a fishroom. É curável? Depende a quem pergustes. O Laboratório para onde mandei os peixes diz que não é. Outras fontes dizem que peixes expostos, podem ser curadps com a medicação correcta. Outras ainda dizem que se criares os peixes muito cedo, podes curá-los, pois antes que a doença afete os orgãos reprodutores, tens hipóteses. Mas a minha opção foi desinfetar tudo e todos. Tinha criado aquelas linhagens apenas durante 2 anos, mas felizmente houve criadores que me voltaram a oferecer matrizes para recomeçar. Os meus peixes estão em risco? Bem.. Sim. todos os meus peixes estavam em risco de ficar contagiados mesmo os que tinha no emprego e em casa. Porquê? Porque esta porcaria não morre. Tem uma parede celular muito grossa e a lixivia só o consegue matar se o mergulhares lá dentro por 1 semana (ou mais, só para ter a certeza de que morreu). Afinal isto é um primo da Tuberculose humana, mas como o laboratorio me disse, NÃO É TUBERCULOSE. A única hipotese de matar isto foi obter um produto de nível hopitalar chamado "Lysol". Consegui obter algo parecido junto do veterinário. O que é que faço, se aparecer nos meus peixes? Depende da maneira que entrou na tua fishroom e quantos peixes poderão estar infetados. Isto não é algo que uma simples limpeza das redes entre utilizaações de diferentes aquários mantenha sob controlo. A primeira coisa a fazer é saber de onde veio. Foi algum peixe que trouxe de algum lado? Há quanto tempo está a dar sinal na minha coleção? A única solução definitiva é eutanaziar todos os peixes doentes, todos os que tiveram contactos com os doentes e limpar todos os aquarios, com aquele desinfetante especial, lexivia e po-los ao sol.Isto acontece em todos os tipos de Setup. Faças ou não quarentena ao extremo, se aparecer na tua coleção, não te vais conseguir livrar dele. Quando aparece, aparece e fica lá. Lembra-te que só um laboratório pode dizer se é ou não mycobacterium ou algo menos ameaçador. Eis o que me aconteceu... O que começou por ser um simples Fin Rot (apodrecimento das barbatanas), acabou por se mostar algo bem pior. Comecei a tratar o Fin rote notei que nada funcionava e o problema estava a ficar cada vez pior e muito agressivamente. A podridão comeu as barbatanas até ao corpo do peixe e começava a danificar o corpo. Quando notei que nenhum tratamento estava a ter efeito, rapidamente enviei os peixes para um laboratorio. Rapidamente fui contactada pelos laboratórios e informaram que de facto era mycobacterium. Portanto se virem que as feridas e a podridão das barbatanas não se cura com nada e os tratamento não estão a funcionar, enviem os peixes para análise. Mais uma vez, só um laboratório pode confirmar se é ou não mycobacterium. Então e agora? Bem. Depois de limpar tudo, deois de todo o choro, deixei os recipientes limpos e secos, por algumas semanas. O Laboratório disse que deixar ficar seco por umas semanas que seria suficiente para garantir que qualquer vestigio de mycobacterium, morreria e desapareceria. Excelente informação sobre o mycobaterium pode ser encontrada nesta publicação: https://srac.tamu.edu/index.cfm/event/viewAllSheets/ Tenham atenção, que existe muita informação incorrecta e errada sobre mycobaterium e outras doenças na Internet. Adaptado do artigo escrito por Lori Green, na Flare Magasine
  25. 2 points
    Escolhendo a fêmea certa para o serviço - por Kayla Griffin, in Flare Magasine Quando escolhemos um par para criar, a maioria olha para o macho, imaginando o que pretende obter da descendência. Fazendo isto, poderemos estar a limitar as nossas possibilidades. quando escolho um par para criar, olho para muitas coisas. A forma das barbatanas, as cores e como são balanceadas, quer no macho, quer na fêmea. A fêmea tem um papel importante na genética da descêndencia, tal como o macho. Isto significa que se a fêmea, não for tão bem balanceada quanto o macho, a mesma será "descartada" e continuo à procura duma fêmea que cumpra os requisitos. O que procuro numa fêmea halfmoon balanceada é a totalidade da estrutura do peixe. A fêmea tem de ter simetria. A barbatana anal, tem de ser compacta e justa e não deve descair e tocar na linha do fundo da barbatana caudal. A dorsal deverá manter-se erecta, mas sem qualquer tipo de dobra. A barbatana caudal, deve ter linhas bem definidas e formar um "D" perfeito, quando a barbatana estiver bem aberta.. por isso é que uso um transferidor para comparar as linhas. A barbatana caudal também deve ser bem balanceada. Deve ter tantos raios para cima como para baixo. A ultima coisa, para que olho, é para a cor. Se a fêmea não tiver a cor pretendida, nem sequer tento. Se estou a criar para obter metálicos e iridisc~encias, nã otem qualquer lógica usar uma fêmea que não cumpra estes requisitos. Examino a fêmea com a ajuda de uma lanterna, para garantir que não tem nem vermelhos nem amarelos. E nesta situação, uma lanterna LED, é bastante útil, pois mostra os metálicos e as iridiscências muito bem. Na minha honesta opinião, a fêmea é tão importante quanto o macho, pois ela traz 50% do material genético da postura. Se a fêmea por exemplo, não tiver uma dorsal forte e o macho tiver, podem esperar certamente, que pelo menos 540% da postura terá barbatanas "fracas" como as da mãe. Porque não usar características fortes em ambos os pais? Algumas pessoas com quem falo, acreditam que uma característica fraca, pode ser corrigida com uma caracteristica forte do macho, mas isto é apenas teoria. Claro que depois podes apenas cruzar os melhores exemplares da prole entre si, mas a possibilidade de obter exemplares com a caracteristica fraca existe na mesma e a probabilidade de essa caracteristica aparecer numa segunda prole é muito elevada. Ou seja, quando crias os irmão da primeira postura, a probabilidade dessa caracteristica se manifestar na segunda geração é de cerca de 25%. É por isto que eu procuro peixes com caracteristicas fortes e bem definidas quando pretendo criar. Mesmo quando procuro algo novo, tento que machos e fêmeas, tenham o mesmo standard.
  26. 2 points
    Os itens a seguir são obrigatórios em qualquer Fishroom! Folhas de Amendoeira da India – Também conhecida por Catappa, ajuda a imitar o habitat natural do peixe, ajuda na cura pois possui Taninos, Flavonóides e ácidos orgânicos, que podem induzir e estimular a desova. Sal de aquário (sal Epsom) - Ótimo para uso em casos de obstipação, ou letargia geral nos peixes. O sal de aquário não é uma cura para todas as doenças, porém definitivamente tem seus usos num aquário doméstico Tetraciclina (Antibiótico de amplo espectro) – uso mais comum para tratar podridão das barbatanas, fungos, olho pop(pop eye), podridão na boca, algas verde azul. Azul de metileno - Útil no tratamento de infecções por fungos. Também é eficaz no tratamento de casos leves de Ictio. Pode ser usado para proteger os ovos de serem infectados por fungos. Pode ser usado como parte de um banho medicamentoso para tratamento de envenenamento por amônia Seachem Cupramine - Medicamento à base de cobre excelente para tratamento doenças de veludo e doença de algodão. Verde malaquite (Tratamento antifúngico) - colunaris pode ser tóxico para alguns peixes, como o neon tetra, o peixe-gato cauda de salmão (Neoarius leptaspis) e alguns peixes arco-íris. Certifique-se que a água está bem arejada durante esse tratamento. Tenha cuidado ao medicar seu aquário e tenha o cuidado de ler as instruções relevantes para medicação que irá utilizar. Muitos medicamentos estão disponíveis em diferentes forças e dosagens , e só porque alguém ja usou 5ml por 20 litros, não significa que você deve seguir cegamente o conselho dele. Muitos medicamentos precisam de uma mudança na taxa de dosagem, dependendo do tipo de peixe a ser tratado. Faça uma pesquisa antes de administrar! Outra coisa a recordar, nada é melhor que uma água em boa condições, podendo inclusivamente a maioria das doenças ser completamente evitada. Guia para ter um Betta saudável Esta é a primeira parte do que esperemos que seja uma série regular de como manter um Betta saudável. Nos próximos artigos, iremos nos focar sobre doenças e patógeneos específicos no entanto, para começar, vamos focar-nos em como se deve parecer um betta saudável e sobre como você se pode esforçar para manter o seu betta saudável. Primeiro, olhe para todo o corpo. O corpo deve ter uma forma de betta e não ter nenhuma deformidade da coluna vertebral. Nos doubletails eles podem ter um pouco de torção no pedúnculo caudal, mas tente manter isso ao mínimo. Se a linha do corpo parecer ter torções nem sequer pense em obter esse betta. Outra coisa a procurar é a "linha". Algumas linhas de Betta plakat têm uma cabeça de “colher” que têm defeito e devem ser evitados, no entanto às vezes a cabeça de colher não pode ser evitada em algumas linhas. Segundo, observe as escamas. AS escamas devem ser relativamente uniformes e nenhuma deve estar distendida ou ausente. Existem linhas de peixes que têm escamas mal formadas como dragões e alguns dos peixes “X-Factor” teram escamas malformadas. Estas não significam que o betta esteja pouco saudável, no entanto, criarão problemas para projetos de criação. Terceiro, observe as barbatanas. As barbatanas devem poder manter-se eretas sem qualquer aperto. Você pode ver alguns peixes com raios enrolados ou raios dobrados. Embora seja indesejável para criação não significa que o betta não é saudável. Se você verificar dano nas barbatanas, pode ter sido de luta ou doença. Em caso de dúvida, evite estes bettas. Quarto, observar a barriga do betta. A barriga deve ser ligeiramente arredondada, mas não inchada. Se a barriga for côncava, então questões mais sérias podem estar em cima da mesa. Se possível, verifique as fezes pois podem fornecer um indicador de saúde. As fezes de Betta devem cair e ser arredondadas. Se as fezes forem longas e pegajosas, de cor clara, típicamente relacionada com uma doença interna. Poderá ser algo menos grave que a dieta possa consertar ou poderia ser algo mais grave. Quinto, observar os olhos. Os olhos devem ser translucidos e não esbugalhados ou muito salientes. Um olho leitoso pode ser uma infecção que descolorou o olho ou formou uma catarata. Lembre-se que a pele do betta também cobre os olhos, bettas com olhos opacos à medida que envelhecem formam depósitos de guanina na pele que vai enublar a área sobre os olhos, eventualmente causando cegueira. Sexto, observar as guelras. O opérculos não devem estar distendidos a nao ser que o Betta esteja a fazer o “flaring”. Se o opérculo parecer distendido ou é sinal de infecçao ou de dano permanente. Os Bettas tal como todos os peixes sao susceptiveis a envenenamento por amonia. Procure por um ritmo de respiraçao normal.Caso o ritmo de respiraçao nao seja normal pode significar que o peixe está stressado ou tem um problema.Pode ser as guelras danificadas devido à amonia ou um parasita como por exemplo ( a fluke or velvet). Velvet pode e irá atacar as guelras do Betta adulto antes de se ver algum tipo de infestação/infecçao no corpo. Sétimo e por ultimo, será observar a boca do Betta. Deverá ter dois lábios intactos, por vezes podemos encontrar danos de lutas já ocorridas ou também com labio parcialmente danificado devido a uma infecçao conhecida por “Fungos na boca”. Provavelmente a parte mais importante de manter um Betta saudavel será manter um ambiente estável e bons parâmetros na agua. A manutenção é tambem um dos aspectos mais importantes de manter um Betta. Se estiver numa situação em que pergunta "Oh, provavelmente aguenta outro dia sem troca de água ”ele provavelmente não aguentará! Obrigue-se a fazer trocas parciais de agua (TPA). O minimo absoluto que iria sugerir seria um quarto do volume do aquário, algo abaixo disso iria requerer pequenas TPA’s diarias e dependendo do regime alimentar poderá ser necessario até 2 pequenas TPA’s diárias . Existem todos os tipos de maneiras defazer uma troca de agua, no entanto, se você fizer uma TPA em grande escala, é melhor ter um recipiente dedicado para o efeito. Por isso recomendo um Caixote do lixo (por exemplo Rubbermaid de 133L) permanentemente montado em um local ou com rodas para se movimentar. Nesse caso utilizaria uma bomba de retorno ligada a uma mangueira para efectuar a TPA. Quanto aos recipientes individuais use plástico ou vidro. Eu não sou fã dos recipientes de plástico por causa da descoloração e pelo facto de eles realmente não poderem ser esterilizados a quente. Por isso, recorri a frascos para conservas comum quarto ou meio litro, como fiz nos anos 80, quando comecei a criar Bettas. Os frascos de vidro permitem a esterilização com lixivia e aqueça na máquina de lavar louça. Como eu consigo isso é coloca-los na máquina de lavar louça e despejo água com lixivia diretamente o fundo da máquina de lavar louça. Depois uso o programa mais quente e deixo a máquina de lavar loiça descontaminar os frascos com a lixivia primeiro e depois de enxaguar abundantemente em agua deixo secar os jarros ao calor, desta forma, não há absolutamente nenhum patógeno que possa estar nos frascos! Para a troca de água eu faço em lotes de 8 para o meio litro e 16 para o quarto de litro. Começo por lavar as mãos com sabao antibacteriano. Os frascos estao todos alinhados numa pequena bancada e cheio com agua do caixote. Depois eu puxo um frasco de cada vez da prateleira e despejo o conteúdo do frasco através de uma rede para pegar o betta e a água entra num balde. Os frascos sujos são então alinhados o chão da Fishroom. O desperdício do balde é designado para a água retirada e nunca é usado para mais nada. O betta é então colocado no jarro mais próximo e esse jarro é colocado de volta na prateleira. A rede é então colocada em uma solução de lixívia a 30% e depois entra em uma jarra para enxaguar e o procedimento é repetido até que todos os 8 ou 16 frascos tenham sido usados. Como cada frasco é colocado de volta no prateleira não há contaminação cruzada. O balde é então derramado no sistema de remoção de águas residuais (outro balde com uma bomba dedicada para enviar o água contaminada para o ralo) e volto lavar as minhas mãos com sabão antibacteriano. A jarra para enxaguar é derramada na pia e reabastecido para evitar que a lixivia contamine o frasco de enxaguar. Eu lavo as minhas mãos outra vez com sabao antibacteriano e volto a repetir o processo. Para os aquarios de crescimento, cada tanque usado para bettas é canalizado ou em processo de o ser. Cada criação de desova é 100% estéril cada e toda vez. Para criar uma desova, o tanque é cuidadosamente limpo com lixivia e depois enxaguado abundantemente com agua. O filtro de esponja e os esfregões para a desova são fervidos por vários minutos e deixados a arrefecer antes de serem recolocados no tanque. Qualquer item que toque em qualquer tanque deve ser completamente esterilizado antes de ser utilizado em qualquer outro lugar. Alguns podem ver esse fanatismo como um exagero, no entanto, é a melhor maneira de garantir que você não contamina todo o seu trabalho duro com algum tipo de erro descuidado e que perca linhas inteiras. Em conclusão, se mantiver o seu betta nas melhores condições, com água limpa e comida adequada, os problemas de saúde devem ser mínimos. As condições da água é o ponto onde muitos iniciantes em betta o perdem. Se as condições da água se tornarem insalubres, o sistema imunológico do betta ficará comprometido, ficando vuneravel para todos os tipos de possíveis infecções. Mantenha a água limpa e alimente-os bem. Se você tiver quaisquer perguntas ou comentários, sinta-se à vontade para me informar. As questões futuras tratarão da nutrição e de vários grupos de doenças. Traduzido da revista Flare, nº 48-1, publicação oficial da IBC, com a respetiva autorização
  27. 2 points
    Após exatos 2 meses da montagem inicial no estilo DSM resolvi encher o aquário. Estou utilizando a produção de CO2 caseira, mas com um equipamento um pouco mais moderno. Coloquei apenas perlon por enquanto no filtro hang on pois no começo sabia que o substrato iria soltar muita sujeira. Por enquanto estou fazendo ciclos de iluminação e CO2 de 10horas com 1 bolha por segundo de CO2. Como passo a semana no trabalho só poderei fazer os ajustes finais no final de semana. Essa primeira semana pretendo dosar Flourish Excel todos os dias e depois dia sim, dia não. E deixo a foto abaixo para acompanharmos o crescimento das plantas a partir de agora. Em breve farei a compra dos mídias biológicas que irei utilizar pra já começar a fazer a ciclagem geral do aquário e poder introduzir os peixes. (PS: Amigo Tozé, deu tudo certo com as pedras. Não tombaram kkkkkk tinha prendido bem no substrato e consegui colar uma pedra na outra pra ficar mais firme) Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
  28. 2 points
    Boas, Na minha opinião, ambos são vantajosos cada um à sua maneira. O lily pipe com skimmer incluído acaba por ser visualmente mais apelativo (quando está limpo), é menos um equipamento que consome energia e como está constantemente em funcionamento a superfície da água está sempre limpa facilitando em muito as trocas gasosas (isto pode ser uma vantagem ou desvantagem dependendo do propósito do aquário). Quanto ao skimmer como o 350 da eheim, é de fácil manutenção, removível quando não é necessário, resistente e acoplado a um timmer pode ser programado para ligar e desligar quando acharmos mais necessário, além disso é um ponto extra de circulação no aquário. Posto isto, ambos têm vantagens e desvantagens mas optaria sempre pelo uso do skimmer em separado. É feio? SIM, é mas torna-se mais versátil na sua utilização e função! Espero ter esclarecido. Abraço
  29. 2 points
    Olá Tozé, Não, este aquário nunca chegou a ir a concursos, nem achei que estivesse a esse nível, sobretudo serviu mais que tudo para perceber as fertilizações e testar alguns conceitos, dando a origem a este aquário. Concursos começaram apenas o ano passado com o CIAC, EAPLC (consegui o 11º lugar) e Web aquascaping (20º lugar), com este aquário que vos deixo abaixo, foi necessário de facto dar mais um salto e evoluir para poder concorrer ao alto nível, mesmo assim, tentei perceber o que estava errado e decidi que este ano de 2020 tinha de dar mais um salto e ir mais além e ser mais arrojado nas minhas montagens. Abraço, Samuel
  30. 2 points
    Samuel, primeiro que tudo quero te dar parabéns por 3 motivos: pelo teu aquário, ficou excelente! Depois pela tua fantástica colocação no iaplc e finalmente por teres aceite o desafio de explicar tudo muitissimo bem aqui! Só queria realçar um ponto, quando sugeres diversos materiais para criar altura mencionaste esferovite que não aconselho de todo. Não só porque se por algum motivo ele se soltar vai criar uma derrocada como ao mesmo tempo é um material que é extremamente poluidor e devia ser erradicado o seu uso em qualquer situação. O esferovite é das piores coisas que andam espalhados pelos nossos oceanos e extremamente difícil a sua recolha por se esfarelar. Infelizmente foi/é usado pela industria pesqueira contribuindo para a morte de muitas espécies marinhas. Desculpa ter estragado um pouco o teu tópico ao mencionar isto mas é um assunto que me diz muito hoje em dia.
  31. 2 points
    Boas, Ora então foi com grande satisfação que assisti ao directo do IAPLC. Portanto devia aqui uma satisfação, e como estou preguiçosa vou transcrever o que escrevi nas redes sociais. " Ao fim de 4 anos a programar o meu primeiro aquascaping, dois anos de aprendizagem, pesquisas, de experiências, e de tentativas de erro e acertos.... Pela primeira vez, independentemente ou não de toda a situação mundial, tinha em mente participar do Concurso mais importante a nível mundial não só pela antiguidade como pelo seu prestígio. Um hobby fantástico, pelo qual me apaixonei, por influência do meu pai. Desde que me conheço como pessoa (anos 70), relembro os momentos que passei ao seu colo, a admirar guppys, platys e neons umas plantinhas. Aquários de estrutura de ferro, e vidros colados com massa de vidraceiro, alguns equipamentos e pouco mais. Mais tarde recuperei-os, conforme lhe tinha prometido, e a paixão pela aquariofilia cresceu. Não podia deixar de lhe fazer referência, porque parecendo que não, é a ele que também devo esta paixão. Depois foram as más influências por parte de amigos, 😅😅😅 como, Tozé Nunes, Filipe Oliveira, Luís Cardoso, Nuno Matos, Tiago Miravent, Ismael Ferreira, Vasco Ferreira, Bruno Carvalho, membros do fórum Aquariofilia.net e tantos outros que podia mencionar. Uma ressalva para os amigos que estiveram cá em casa a fotografar o aquário, eles sabem quem são. O que é um facto é que também sem foto tirada com máquina fotográfica era difícil ficar na posição em que fiquei. Mais recentemente, agradeço também todo o apoio dado pelos meus amigos Brasileiros, destacando o BAU - Brasílian Aquascaping Union. Só posso estar orgulhosa, 119°,nunca pensei fazer parte do top 127 deste concurso, é uma honra estar entre os melhores. Mas, nem tudo se resume a ficar no top 127, pois hoje vi excelentes trabalhos que mereciam muito melhores posições. Portanto, tudo isto é muito relativo e subjectivo. O intuito é melhorar e ter algo que possamos observar em casa, que nos complete e que nos satisfaça o mais possível! Os meus parabéns a todos os concorrentes portugueses, em especial, ao Luís Cardoso, Samuel Ferreira, pelos ótimos resultados este ano. Todos juntos, contribuímos para colocar o nome de Portugal em melhor posição." Resumiu-se a um ótimo ano a nível de resultados. Ainda vem aí o AGA, vamos ver se não me engano no envio da foto este ano, como aconteceu o ano passado, enviei a que não devia, e a edição da mesma não estava boa. Depois no princípio do ano que vem, há o EAPLC também. O RFLAC, não participei, principalmente porque não gostava de ver Portugal a descer no ranking mundial, e depois porque também não seria de todo ideal para com a equipa estrangeira, da qual faço parte. E por fim porque, a participação num único concurso já dá para ter uma ideia se me portei bem ou não, e se o aquário valia alguma coisa ou não. A pesar de tudo, vejo erros evidentes, alguns que cometi o ano passado, como é o caso da poda. Tenho que treinar mais, e às vezes não me importar em deitar podas para o lixo, é que eu sou muito aproveitado há, se há coisa que me chateia é deitar para o lixo, plantas que custam uns bons euros. Assim, também já dei uma série de podas, a quem precisa. E porque isto já é um testamento, deixa cá colocar a foto que é o que vocês querem verem, o resto é balelas. 😅 Obrigada a todos os que seguem o tópico, só lendo ou também escrevendo. Cada vez mais estamos preguiçosos, acho eu. Depois haverá mais novidades, para concurso ou não depende. Portanto, vou continuar a postar fotos no tópico até desmontar. Abreijos
  32. 2 points
    Esse comentário chegou demasiado tarde... Já mencionei que não consigo estar quieto? Tinha a ideia de elevar um bocadinho o substrato nos dois cantos traseiros do aquário, mas quando comecei a mexer no tanque entusiasmei-me e acabei por alterar toda a configuração. As pedras são as mesmas, e continuam quase no mesmo sitio, mas arranjei-as de forma diferente. Acho que a coisa, assim, tem outro impacto. Espero só que a Monte Carlo, com tantas mexidas, não se ressinta.
  33. 2 points
    Pequeno update deste aquário. Tal como outros aquários do desafio, tambem este foi a avaliação no IAPLC tendo ficado em 1248° lugar... não sendo de todo, para ser honesto comigo próprio, a melhor classificação, sabia que nunca atingiria uma muito melhor classificação tendo em conta que a foto enviada era a mesma que foi submetida aqui no desafio. Mas no entanto fiz questão de participar para ajudar a aumentar o numero de portugueses. No IAPLC estão os melhores dos melhores e este ano conseguimos lugares de destaque mas isso já é do conhecimento geral. E na óptica do copo meio cheio ou meio vazio, posso sempre afirmar que ficou à frente de 1100 aquários! 😁
  34. 2 points
    Boas, passei para actualizar o tópico nos que diz respeito a bricolage. Aqui fica um update. Quanto ao resto vai tudo bem, ainda é cedo para mostrar e os resultados do IAPLC, vem como, a dita carta ainda não chegaram. Novidades para breve. Cump. 😉
  35. 2 points
    Boas, Uma semana após plantar todas as plantas e juntar mais algumas pedras na parte de baixo do tronco (com algumas anubias nana coladas em pedras), tudo está a correr bem (até agora pelo menos...). O tapete de montecarlo parece que está a fechar bem, as rotalas estão a crescer e a pinnantifida deu um pulo brutal, só a Cuba é que ainda não mostrou grandes sinais de desenvolvimento, embora continue bem verdinha. Entretanto, já cá moram os novos residentes do aquário, trata-se de 6 ottocinclus e 10 caracois clithon corona, que vão tratar das limpezas até decidir quais serão os próximos residentes a dar entrada. Em relação à questão anterior levantada pelo Álvaro, na loja Ecoarium referiram que se trata de um tronco de pinho tratado devido ao factor resina. Passo ainda a indicar a resposta da loja online Aquasabi (site onde costumo realizar algumas compras) que indicaram o seguinte em relação a raízes e troncos de pinho (que também vendem): " Hello Diogo, thank you for your inquiry. We can assure you that pinewood is not toxic for the aquatic inhabitants. The pinewood does turn the water slightly brown because it emits humic substances, but that is the opposite of toxic. Humic substances care for healthy development and secure the gills of the fish. It is advisable, though, to water the pine wood prior to putting it into the tank to wash away possible adhesive particles. It also takes some time to drown. Bem, mas agora é altura de postar algumas fotos da evolução do Aqua: Cumps
  36. 1 point
    Boas Guilherme Não é exagero,ele agora e pequeno mas ele vai crescer e depressa,então deixo-te aqui um artigo que devias ler ate ao fim,e depois fazes o teu juízo final,neste artigo diz quase aquilo que eu te disse,ora vê, https://www.aquaonline.com.br/artigos/saiba-mais-sobre-a-especie/1917-carassius-auratus-kinguios-aquarios-e-observacoes e tens aqui um outro para veres que não há exagero nenhum naquilo que eu tinha-te dito,http://www.aquarismopaulista.com/aquario-kinguios/ ,tens que ver que estes peixes são para lagos,pois é ai que eles devem viver bem com qualidade de vida. Saudações
  37. 1 point
    Acho que a coisa começa a compor-se... tenho só que chegar aquela formação mais escura para o lado direito e encontrar uma boa pedra para colocar ao centro, junto ao vidro de trás, quando elevar o substrato no fundo. Que acham?
  38. 1 point
    Já somos dois 😉. O tronco não o encontrei, comprei-o na Ecoarium em Gaia, pois foi onde tinha comprado o filtro, o sistema de CO2 e outros equipamentos para o aquário, e fui lá um dia experimentar hardscapes no dojo da loja. Depois de uma hora de indecisão, reparei neste tronco na secção de hardscape e fez-se luz... acabei por perder pelo menos mais uma hora a escolher e experimentar pedras que ficassem bem com o tronco e já sendo tarde (pelo menos 30 minutos após a hora de fecho da loja) lá me decidi a trazer tudo para casa e o resto é história...
  39. 1 point
    Entendo perfeitamente as palavras do Álvaro, apesar dos meus 47 anos... Obrigado pelas palavras Álvaro. 👍👍👍
  40. 1 point
    Boas Arlindo Eu também quando era mais novo também fazia uns desenhos e pintei muitos quadros,e ate fiz umas coisa em barro,entretanto deixei de fazer isto tudo por volta dos anos 80,para me tranquilizar dizia para comigo fica para a minha reforma,hoje estou reformado e não peguei mais. Se esta há espera do futuro,não vives o presente,esquece e pinta e desenha agora porque o futuro e já. Gostei muito das tuas aguarelas,e também do teu esboço,e do aquário,parabéns. Saudações
  41. 1 point
    Boas. Adoro projetos Diy. Montei este aqua com restos de vidro de uma janela partida e de mosaicos que haviam ca em casa. O display tem 41×20x31, 26l A parte traseira tem um sump de 10l Meti um tronco tratado de videira e pedras cá da região. O substrato foi coletado na ribeira ca proximo e tratado. Comprado só a Anubia anã que esta ali a fixar-se e o termômetro dos chineses e um litro de midia biologica da Sera. Ainda devo meter muita flora low tech. Quanto à fauna, estou a pensar em neocaridinas ou um beta mais umas coridoras, o queacham? Ainda não testei ph nem nada. Meti a ciclar faz 8 dias, ainda vou esperar 3 semanas e testar amônia e ph antes de meter fauna. Gostava das vossas opiniões.
  42. 1 point
    Até agora a transição correu bem, à excepção do betta que após 2 anos de conviver com a caveira e passar pela boca dela, conseguiu esta segunda ficar preso nela e fazer um golpe ainda grande 😟. Está agora a recuperar no aquário de quarentena e a caveira no lixo. Inicialmente tive um pouco de receio com o Macho Gourami anão/Colisa, mas o Betta guardou bem as Vallisnerias e Gourami a perceber que ali não se metia. Este aquário deverá agora ficar sem grande remodelação, merecia um pouco mais de vegetação e variedade mas a co-proprietária não quer mais plantas, se lhe conseguir por mais 2 bolas marino estou com sorte 😄. Se o betta recuperar bem, estou a ponderar dar-lhe uma casa verdadeiramente plantada para ele e uns camarões, mas por agora o foco é a sua recuperação. Ficam aqui umas fotos do aquário e a evolução até agora. 10 de Agosto - Acabado de montar: 15 de Agosto - Introdução de Vallisnerias Gigante e Natans: 30 de Agosto - Introdução de Colisas:
  43. 1 point
    Boas, Belas Walliciis, de meter inveja, lindas. Parece-me que falta aí um fundo translúcido para teres mais contrate das plantas e peixes. 😉
  44. 1 point
    Fábio Eu disse me parece,é melhor esperares por outras opiniões,ate posso estar a julgar ver mal.
  45. 1 point
    Boa tarde pessoal, Obrigado pelas tuas palavras José Carlos. Tens toda a razão no que dizes, pois experimentando é de facto a melhor maneira de aprender algo, principalmente neste hobby com tantas variáveis, mas que serve para nos dar prazer e paz de espírito (pelo menos até as algas aparecerem 😉). A escolha de material foi feita precisamente na óptica de investir em algo me pudesse durar uns anos e fui muito influenciado por vídeos como os da Green Aqua, pelo que se as coisas correrem de forma desastrosa, pelo menos não posso culpar o hardware. Hoje foi dia de troca de água e limpeza de vidros e pré-filtro (Oase biomasterthermo 350), pois os clithon corona são caracóis excelentes para limpar o fundo dos troncos e algas, mas também são máquinas de fazer ..... bem, basta dizer que possuem um metabolismo muito rápido 😄 Antes de colocar algumas imagens, não posso deixar de deixar os parabéns à Vera Santos e ao Luís Cardoso (perdoem-se se existirem outros concorrentes lusos) pelos resultados no concurso IAPLC, mto bom.
  46. 1 point
    Boas, A ideia de aplicar um "Dark Start" surgiu após visualizar alguns videos no youtube, onde por acaso, num video de uma loja alemã (Liquid Nature Viena) vi que ciclaram um aquário sem o "sacrificio" de peixes e sem plantas, apenas com o hardscape montado. Como utilizei o Aquasoil Amazonia Vers.II, que quando plantado "obriga" a mudar 50% de água diariamente nas primeiras semanas, diminuindo a frequência das trocas de água até às 4 primeiras semanas do aquário devido à elevada libertação de amónia, e como estava prestes a ir de férias, caso plantasse desde logo não iria ter oportunidade de realizar as trocas de água. No dia 31 de Julho enchi o aquário, pus o filtro a funcionar, adicionei Seachem Stability e deixei o aquário sem qualquer interferência ou testes até ao dia 05/08, dia no qual comecei a realizar testes com o JBL Proscan. Apenas como nota, o aquário ficou a luz desligada durante todo o processo de ciclagem. No dia 20, após o valor de nitritos se encontrar a 0 e o valor de nitratos estar "normal", fiz a primeira troca de água no aquário com o intuito de plantar o mesmo. Já agora, fiquei fã de plantar não só em solo molhado, mas sim, com água cerca de 3 ou quatro dedos acima do nível de solo onde vamos plantar... torna tudo muito mais fácil e limpo. Além disso, acaba por não ser necessário ir humedecendo as plantas, pois já se encontram debaixo de água. Através dos resultados dos testes, é possível verificar os picos de nitritos e nitrato normais num processo de ciclagem. Tal aconteceu deixando o filtro a funcionar e adicionando um produto como o Seachem Stability (de forma a iniciar o processo de colonização de bactérias no filtro (Oase BiomasterThermo 350 com 5 cestos; 1º cesto com esponja azul 20ppi de origem; 2º, 3º e 4º cesto com Seachem Matrix e 5 cesto com Seachem Purigen e Esponja laranja 30ppi de origem). Mal o valor de nitritos atingiu 0 e o valor de nitrato ficou "normal" decidi plantar o aquário (20/08) e até agora, fora aquela camada tipo algodão a aparecer na madeira, não tive qualquer tipo de problema de algas ou de melting nas plantas devido à elevada libertação de amónia do solo (isto não querendo agoirar ;-D). Uma outra vantagem é que podia ter adicionado peixes logo no primeiro dia após plantar, pois o ciclo já estava terminado O facto que me levou a tentar este "Dark Start" foi principalmente pelo que ia lendo em vários sites a indicar que o Aquasoil Amazonia para iniciantes (como eu) era um solo complicado e que normalmente dá várias dores de cabeça logo no inicio de vida do aquário. Isso e o facto de ter férias a chegar, foi o suficiente para experimentar. Mais questões, estejam à vontade Cumps
  47. 1 point
    Bom dia, não conhecia essa espécie mas fiz uma breve pesquisa http://www.aquahobby.com/gallery/b_Mastacembelus_erythrotaenia.php Espero que ajude alguma coisa.
  48. 1 point
    Boas deixo mais uma foto para verem como já começa a ganhar forma. Espero que gostem!
  49. 1 point
    O aquário está muito bonito. Gostei também da zona técnica, do isolamento do filtro. Vou fazer a mesma alteração no meu móvel mas gostava de esclarecer uma dúvida, a planta preta por cima onde a arranjas te ? E rígida ?
  50. 1 point
    Boas, aqui estão algumas fotos, amarrei alguns dos fetos ao tronco e o musgo está bem maior. Sucumbi também à ideia de pôr uma batata doce a crescer no aqua, até dá um efeito engraçado, os neons metem-se nas raízes durante a noite para fugir à corrente