Leaderboard

  1. Tozé Nunes

    Tozé Nunes

    Administrador


    • Points

      14

    • Posts

      7,192


  2. Bruno R. Carvalho

    • Points

      10

    • Posts

      774


  3. Vera Santos

    Vera Santos

    Moderador GERAL


    • Points

      8

    • Posts

      3,877


  4. RodrigoAlm

    RodrigoAlm

    Membro


    • Points

      5

    • Posts

      141


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 10/30/2021 in all areas

  1. Betta dennisyongi São uns pequenos anabantideos com cerca de 3 a 4 cm, originários da província de Aceh, a noroeste de Sumatra, de riachos de baixa altitude, com água levemente ácida ( 5,0-7,0) e rica em taninos, podendo por vezes ser encontrados também em zonas de águas claras, nestas zonas a água costuma ter uma temperatura entre 20 a 27C, pelo que não precisam de temperaturas tão altas como outros bettas. Gostam de zonas com bastante vegetação, onde passam grande parte do tempo, e onde os alevins se escondem também de predadores. Em aquário ( por exemplo 40x30x30 é uma boa medida para um casal ou trio inicial), gostam de ter locais com bastante vegetação, onde se esconder, e onde o macho quando está de boca fica durante alguns dias, para se proteger de possíveis predadores, e ficar longe da fêmea que vai insistentemente tentar voltar a criar, pelo que é aconselhável ter 2 ou mais machos para cada fêmea, ao contrário dos bettas mais comuns. Pode se colocar algumas folhas (amieiro, carvalho, cattapa, etc) no aquário que além de darem um toque mais natural, fornecem também refugio e alimento para os alevins. Os adultos alimentam-se sem problema de flocos ou granulado, mas se possível, preferem alimentos vivos ou congelados, o ideal é ir variando o mais possível. A luz, sem ser por causa das plantas não é muito importante, uma vez que eles preferem locais de sombra, no entanto se bem habituados ao aquário eles vão ser bem activos e raramente tímidos. A filtragem, se existir, pode se basear num filtro de esponja, no meu caso não uso nenhum, vou fazendo trocas de água. Os meus neste momento mantenho em aquário mono-espécie, mas já mantive uma colónia, juntamente com rasboras, Yunnanilus cruxiatus, Badis sp, sem qualquer problema, apenas não vi juvenis nesse tempo. Quando ocorre o acasalamento, tal como noutros bettas, o macho abraça a fêmea, que depois liberta os ovos, após o acasalamento, macho apanha e guarda-os na boca, por aproximadamente 10 a 17 dias, após os quais o macho liberta os alevins já completamente formados e a nadar livremente, podem ser deixados junto dos pais , alguns podem ser comidos mas são poucos. São uns pequenos anabantideos com cerca de 3 a 4 cm, originários da província de Aceh, a noroeste de Sumatra, de riachos de baixa altitude, com água levemente ácida ( 5,0-7,0) e rica em taninos, podendo por vezes ser encontrados também em zonas de águas claras, nestas zonas a água costuma ter uma temperatura entre 20 a 27C, pelo que não precisam de temperaturas tão altas como outros bettas. Gostam de zonas com bastante vegetação, onde passam grande parte do tempo, e onde os alevins se escondem também de predadores. Em aquário ( por exemplo 40x30x30 é uma boa medida para um casal ou trio inicial), gostam de ter locais com bastante vegetação, onde se esconder, e onde o macho quando está de boca fica durante alguns dias, para se proteger de possíveis predadores, e ficar longe da fêmea que vai insistentemente tentar voltar a criar, pelo que é aconselhável ter 2 ou mais machos para cada fêmea, ao contrário dos bettas mais comuns. Pode se colocar algumas folhas (amieiro, carvalho, cattapa, etc) no aquário que além de darem um toque mais natural, fornecem também refugio e alimento para os alevins. Os adultos alimentam-se sem problema de flocos ou granulado, mas se possível, preferem alimentos vivos ou congelados, o ideal é ir variando o mais possível. A luz, sem ser por causa das plantas não é muito importante, uma vez que eles preferem locais de sombra, no entanto se bem habituados ao aquário eles vão ser bem activos e raramente tímidos. A filtragem, se existir, pode se basear num filtro de esponja, no meu caso não uso nenhum, vou fazendo trocas de água. Os meus neste momento mantenho em aquário mono-espécie, mas já mantive uma colónia, juntamente com rasboras, Yunnanilus cruxiatus, Badis sp, sem qualquer problema, apenas não vi juvenis nesse tempo. Quando ocorre o acasalamento, tal como noutros bettas, o macho abraça a fêmea, que depois liberta os ovos, após o acasalamento, macho apanha e guarda-os na boca, por aproximadamente 10 a 17 dias, após os quais o macho liberta os alevins já completamente formados e a nadar livremente, podem ser deixados junto dos pais , alguns podem ser comidos mas são poucos. Fêmea jovem! Juvenil! Macho de boca Acasalamento! Cumprimentos!!
    3 points
  2. Boas pessoal vou relatar aqui a minha reprodução de bettas FCCP x Red Fancy espero que gostem e vou atualizando o mais possível. O casal foi colocado junto no dia 25/10, macho colocado da parte da manhã, no início da tarde a fêmea dentro da garrafa. No dia 26/10 soltei a fêmea da parte da manhã e deu-se os abraços. Dia 28/10 nasceram os pequenos e hoje dia 31/10 começaram as primeiras refeições (vermes do vinagre). Macho Fêmea Ninhada
    3 points
  3. Ora, após o final da petfestival, toca de trazer o aquário para casa e por obrigação da troika cá de casa que meses antes tinha imposto um máximo de 2 aquários na sala, este lá ficou na marquise num profundo drystart... Não sei qual é o recorde mundial de maior drystart mas eu arriscava! Guiness andas a dormir!!! As imagens que vou colocar a seguir podem ofender os mais puristas, ficam já avisados! Estão preparados? Aqui vai: 4 de Fevereiro ( primeiros dias em casa) tudo impecável! Nem parece que foi transportado até um 3°andar!!! 29 de Março: As plantas a crescer bem, desculpem os vidros húmidos! A areia tornou-se uma dor de cabeça com as algas a gostar muito de lá andar... 11 de Março: Aqui já se nota as plantas a descambar, afinal ainda estão no estado emerso! Depois veio o calor e houve um tremendo crescimento e um ataque demolidor das cianobacterias 🤦‍♂️ Nessa altura não tirei fotos, já pensava porque é que ainda me dava ao trabalho de desmanchar tudo. Em 14 de Novembro estava assim: Fui retirando as plantas que foram morrendo e esperando que a pandemia passasse e um milagre acontecesse por aqui... Passou as épocas festivas (sem sair de casa, entenda-se) mas o covid quis vir cá ver isto!!! Se isto estava mal, melhor não ficou... E finalmente já no Verão decidi encher com água para perceber se isto tinha solução! Dia 07/07: ainda estão por aí ? Por hoje já chega!
    3 points
  4. Boas noites, membros desta comunidade fantástica que gasta os seus salários em coisas para meter entre 5 vidros! Hoje trago-vos uma odisseia em exclusivo aqui sobre o meu mais recente aquário, espero que vos capte a atenção e vos mantenha interessados. Como qualquer história, tem um princípio, meio e mais tarde, espero eu, um final feliz 🤪 E o princípio começa quando em 2018 em troca de um fim de semana de trabalho extra ganhei um belíssimo aquário com umas dimensões muito engraçadas para o aquascaping. No início ficou guardado cá por casa à espera que um dia o estreasse. Uns meses depois, calhou o @JP Gomes ter me ligado a convidar para um jantar em Lisboa com dois amigos americanos que vindos de uma viagem pela Europa faziam ponte cá antes de atravessar o oceano. E após o dito repasto surgiu a ideia de convencer o Kevin Kelly a ir até à loja da Ecoarium em Massamá (infelizmente encerrada meses depois) para ele fazer um scape! Metemos nos carros, passamos por casa do @João Abóbora para nos ceder as chaves da loja e depois um saltinho a minha casa para vir buscar aquário, substratos, troncos e bute que se faz tarde,a caminho da loja! Já passava da meia noite, a Therese Neal a dormir no sofá da loja 😄 e eu e o JP entretidos a ver o aquascaper nova-iorquino em ação! Devido ao adiantado da hora, fomos embora e o aquário ficou na loja para mais tarde ser plantado. O João Abóbora decidiu no outro dia mexer e inventar colocando um bocados de areia meio castanha e com isso acabei por desistir de prosseguir com esta montagem. Toca a desmanchar tudo, limpar e levar para casa novamente. (Continua)
    2 points
  5. Blá, Blá, Blá... Teresa Neal a dormir no sofá. Cianobacterias Algas verdes. Blackout. Cagada. Junta tudo e manda fora. Fim. Está feito o resumo da vida aquática do Tozé. Água? Veste os calções e atira-te a Fernandaires, em Novembro. Aí ao menos não feres a vista a ninguem. Tivesse eu partido o canto desse aquário em vez do meu, e tenho impressão que esse aquário tinha sofrido menos. Serrenho, da próxima manda-lhe um caixote com xisto lá dentro, e diz-lhe para ele meter na sala ao lado dos outros aquários. Ele nem vai notar a diferença entre o caixote e os outros aquários. Ps: onde anda o Mendanha? Mendanha, o Serrenho chamou Benfas ao Benfica. Fica para ti a resposta a tal heresia. Malta, saiam deste post rapidamente, é tempo perdido. O aquário actualmente é igual à parte de trás do meu Electrolux. Minto. É igual à parte de trás do meu Electrolux, depois de cair 8 andares pelo vão de escada. Um abraço a todos, principalmente ao Serrenho que não merecia que o seu extraordinário aquário ficasse entregue a um troglodita que não sabe para que servem os talheres...
    2 points
  6. Atualização. Mudança completa de visual há 3 semanas
    2 points
  7. Porque deixei de ter que lutar tanto contra as algas? Simples, experiência, acho eu. Não vou dizer que nunca tenho algas, seria mentira, e neste post já mostrei que as tenho, a diferença é que no passado quando elas apareciam eu não sabia o que fazer, agora graças a anos de tentativa e erro, tenho uma boa ideia do que fazer assim que aparecem. Métodos que resultam para mim. Com os anos também aprendi a ser mais paciente, não entro em pânico ao primeiro sinal de algas, prova é que este problema de algas já era esperado e eu tenho resolvido o problema com tempo e paciência. A maioria do pessoal mal vê uma alga, começa a mexer na luz, CO2, fertilização sem qualquer método, hoje mudam isto, amanhã aquilo, sem pensarem no que andam a fazer e no fim sem darem tempo para observar os efeitos do que andam a fazer no aquário. Eu era culpado deste erro, durante anos fiz parte dessa maioria, na minha constante luta contra as algas eu acabava por causar mais algas porque o aquário nunca estabilizava. Paciência foi talvez a melhor arma que aprendi para controlar estes problemas, além disso acho que simplesmente aprendi como as coisas funcionam no aquário, manter um bom balanço entre luz,CO2 e fertilização. Aprendi que fertilização é super importante, mas ao mesmo tempo abandonei o método do estimative index em favor de regimes de fertilização mais limitados. Porque fiz isto? O extimative index fica bastante barato com o uso dos sais, a premissa do método é que doseamos em excesso para evitar que as plantas tenham falta de qualquer nutriente, e usamos TPA semanal para repor o balanço de nutrientes ao remover o excesso que as plantas não usaram. Ora neste método as plantas crescem que se fartam, saudáveis, mas além da trabalheira que dá andar sempre a podar, esse excesso de nutrientes também proporciona o crescimento de algas. Exemplo no extimative index tinha que andar sempre a limpar as rochas e madeiras, porque ficavam cobertas de algas, isto era um ritual semanal, as plantas estavam bonitas mas tinha que limpar o hardscape constantemente. Usando doses mais pequenas, deixei de ter esse problema. Passei a usar cápsulas debaixo do substrato para fornecer nutrientes as plantas e apenas usar fertilização líquida para complementar. Não inventei nada disto, aliás aprendi muito disto nos workshops do Filipe Oliveira, o certo é que, sai mais caro usar fertilizantes comerciais, mas não tenho paciência para andar a calcular doses de sais a misturar e já expliquei acima alguns dos pontos fracos do extimative index. Passei a usar controladores em todas as minhas calhas, reduzo a potência das calhas nas primeiras semanas e uso não mais que 6 horas de luz e a médida que o aquário estabilizar vou aumentado a potência ou a duração dependendo da necessidade. Aprendi a configurar melhor a circulação da água no aquário para maximizar a absorção do CO2 e nutrientes pelas plantas, tanto pela colocação das Lilly pipes e usando filtros recomendados para aquários muito maiores que os meus. Especialmente tendo em conta que tenho montado hardscapes que não facilitam em nada a circulação, uma alternativa é criar os layouts de forma a não serem tão restritivos no que se refere a circulação, ou no caso de alguns layouts que criei tentar maximizar a circulação tendo em contra o design do layout. Ou seja um melhor conhecimento da interação entre luz, CO2 um maior controlo dos nutrientes e circulacão de água ajudou bastante a reduzir os problemas de algas. Outra coisa que faço é que embora me custe mais caro, eu na montagem planto os meus aquários com o máximo de plantas que lá conseguir colocar, quanto mais plantas, mais elas vão consumir nutrientes, mais chances de evitar as algas no início. E o certo é que tive um caso enorme de melt na primeira semana, e tive algas, mas o problema resolveu-se e as plantas de momento já cobrem quase todo o aquário pouco mais de um mês depois. Se tivesse usado poucos potes provavelmente nada teria sobrevivido ao melt e as algas teriam causado ainda mais estragos. Passei a correr os meus aquários a 23 graus, quanto mais alta a temperatura mais chances de algas, e os peixes que uso não necessitam de temperaturas mais elevadas. São detalhes que fazem parte do método que criei para mim, que aprendi através do método de tentativa e erro na luta contra os inúmeros problemas de algas que enfrentei ao longo dos anos, sim no passado tive problemas de algas monumentais, cheguei a pensar desistir várias vezes, mas também aprendi muita coisa em fóruns, vídeos e workshops com pessoal que tinha mais experiência que eu. E fui adaptando o que aprendi para criar o meu método, temos aqui membros mais experientes, e se queres aprender recomendo os vídeos do Filipe Oliveira e da green aqua e o site do The 2HR Aquarist do Dennis Wong. E não penses que nunca tenho algas, aliás quem diz que nunca têm mente, todos nós temos algas, e só uma questão de aprendermos o que fazer quando elas aparecem. Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    2 points
  8. Obrigado Vasco. Sim agora é cuidar deixar envelhecer e ir mantendo. Hoje fiz TPA, mais um update, continua a crescer bem, as algas já quase que se foram, tenho feito doses diárias de Excel, é um tratamento que já fiz noutros projectos e resulta, as algas aos poucos vão morrendo e com uma boa equipa de limpeza desaparecem. Ainda há algumas nos musgos no lado direito na traseira, mas hoje fiz remoção manual e com o tratamento já não deve levar muito a passar a fase das diatomaceas filamentosas. Hoje fiz TPA, uma aspiração mais cuidada para remover detritos acumulados, e adicionei alguma areia e areão de várias granulometrias para tentar deixar os caminhos mais definidos, na montagem não fui tão detalhado pois queria dar tempo as plantas para crescerem antes de detalhar melhor as zonas de areia, especialmente atrás. Podei o musgo flame, as rotala wallichi e a eleocharis acicularis. Adicionei algumas buces para preencher algumas áreas que não tinham ficado bem definidas na montagem inicial. O aquário actualmente leva TPA semanal, tirando isso leva fertilização e pouco mais. O único percalço a anunciar foi que infelizmente parti o difusor de CO2 novo, ainda me lembro quando apareceram os difusores de acrílico, o seu ponto principal de venda era que não se partiam como os de vidro. Eu já perdi a conta a quantos difusores da Neo parti, acho que até se partem mais facilmente que o vidro. Hoje foi mesmo descuido, ainda dá para usar, mas quando puder compro outro. Que fazer, bem vindo ao aquascaping, onde partimos difusores e Lilly pipes uns atrás dos outros mas continuamos a comprar mais porque gostamos de os ver dentro do aquário. Em termos de vivos, adicionei 15 boraras urophtalmoides ( já tinha lá 5), 10 ottocinclus, 10 amanos, 5 caracóis clithon corona, 5 neritinas puligera, 5 neritina juttingae. Tirando isso finalmente desmontei o 45P e passei para este uma quantidade considerável de camarões de várias espécies, não sei ao todo quantos. Não tenho intenções de adicionar mais nada e o Betta a Susana já vendeu. Agora fica aqui a foto do aquário hoje após a manutenção, depois adiciono algumas com mais detalhes. Espero que gostem Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    2 points
  9. Chegado o Agosto e por mais tpas que fizesse e limpasse as cianos acumuladas a coisa não melhorava! Mais uma semana ausente de vacaciones e isto no regresso!!! Foi aí que decidi fazer um blackout total durante 5 dias! Para quem não sabe o que isso significa, retirei a iluminação, tapei o aquário por completo com panos de flanela pretos e deixei o filtro ligado. Não vale espreitar!!! E foi assim que, ao final da semana, de coração apertado retirei os panos temendo que as plantas tivessem todas morrido por falta de luz! E surpresa, surpresa, não só se mantiam verdinhas como a maledita tinha desaparecido por completo (ou pelo menos não estava visível)! Finalmente, já em Setembro dei uma poda geral para incentivar o crescimento e para melhorar a circulação e evitar pontos de retenção de algas: Mais umas semanas e finalmente saiu da marquise e entrou para a sala. Para isso contribuiu o fim do 45p do desafio que ocupava uma das duas vagas permitidas pela troika! 😆 E entrada dos primeiros habitantes, dois magníficos neocaridina davidi red cherry ♥️
    2 points
  10. Biophytum Sensitivum Localização e luz - 🔸 Um local indireto e brilhante é o melhor para este espécime, já que ambientes sombreados podem levar a mofo no solo e crescimento lento. Embora o risco de queimadura de sol seja alto em locais ensolarados, um local que ofereça até uma hora de luz solar matinal ou noturna é aceitável, desde que a amostra seja mantida úmida. Nunca coloque esta planta sob a luz do sol o dia todo devido ao risco de declínio da folhagem e morte da planta. Água - 🔸🔸🔸 É melhor manter pequenas árvores em solo úmido de forma confiável, pois níveis de umidade inconsistentes podem resultar em crescimento atrofiado e infeliz. Deixe o terço superior do composto secar entre as águas no período de crescimento, reduzindo ainda mais no outono e no inverno. Os sintomas de rega insuficiente incluem uma perda repentina de folhagem mais velha, folhagem amarelada ou crocante e crescimento atrofiado, enquanto os sintomas de rega excessiva incluem caule enfraquecido ou podre, nenhum novo crescimento, folhas inferiores amareladas e eventual morte da planta. Clique aqui para saber mais sobre a podridão da raiz e como resolvê-la! Umidade - 🔸 Crie uma bandeja de umidade para fornecer um ambiente úmido e estável para sua planta. Se a saturação ao redor for muito baixa ou o calor muito alto, as pontas das folhas podem começar a dourar e enrolar, especialmente sob a luz solar direta. Mangue suavemente a folhagem de vez em quando para hidratar as folhas e manter o nível de poeira baixo. Fertilização - 🔸 🔸 Alimente a cada quatro águas durante o período de cultivo e a cada seis no outono e inverno, usando um fertilizante rotulado como 'planta de casa' . Nunca aplique um produto 'Pronto a Usar' no solo sem primeiro regar, pois pode queimar as raízes e deixar as folhas amareladas. Como as pequenas árvores duram apenas um ou dois anos, a fertilização regular é a chave para uma folhagem mais duradoura, bem como uma saúde melhor e uma folhagem mais verde. Propagação por sementes (Moderado) - Mergulhe as sementes em água morna por cerca de 24 horas em um local escuro, de preferência em cima de um radiador em funcionamento. Da mesma forma, polvilhe as sementes sobre o composto úmido rotulado como 'planta de casa', resistindo à tentação de compactá-lo. Manter o solo uniformemente úmido e permitir que o excesso de água escorra livremente da base do pote para evitar condições de alagamento. O local ideal para uma germinação bem-sucedida é em um ambiente claro e indireto com temperaturas acima de 18 ℃ (64 ℉) com aquecimento de fundo. Mantenha a panela em um saco transparente para fornecer um nível estável de umidade, junto com a umidade do solo por mais tempo. A germinação pode levar até dois meses, portanto, não descarte nenhuma semente malsucedida até que esse limite seja ultrapassado. Remova o saco quando as mudas produzirem sua segunda folha e, em seguida, divida-as em seus próprios vasos de 7 cm. Flores Como as Pequenas Árvores são classificadas como anuais, elas florescem prontamente a partir do final do verão. A flor individual durará vários dias, com o show geral durando várias semanas. Eles são conhecidos por serem polinizados com bastante facilidade, então verifique se há sementes em desenvolvimento para semear na primavera seguinte (foto abaixo). VID_211400320_115526_960.mp4 https://www.ukhouseplants.com/plants/biophytum-sensitivum-little-trees
    2 points
  11. Vamos lá ver se não me esqueço de nada... Néons são peixes de cardume... é bom ter sempre um grupo de no mínimo 6, para não andarem constantemente stressados. Isto até poderia ser engraçado para ter uns camarões... 10L para ter peixes é muito pouco. As plantas são verdadeiras? O substrato não me parece ser fértil, e as pedras grandes não são muito boas para o crescimento das plantas. Sem um substrato fértil é muito difícil para a planta sobreviver As pedras grandes são pesadas e vão acabar por esmagar as plantas, que morrem por consequência Sabe o que é o ciclo do azoto? É possível ter um aquário com peixes e sem filtro em certas condições e com a manutenção certa... este aquário não me parece de todo adequado para isso.
    2 points
  12. Fccp é fancy Cooper e é o macho red fancy é a fêmea tem apenas algumas escamas brancas. O objetivo é tenta tirar alguns peixes como o pai mas sem o tom copper nas escamas ficar só com a escamas brancas, mas é sempre imprevisível o que irá sair
    2 points
  13. Hoje fiz manutenção, TPA, removi manualmente o máximo de algas que consegui. As plantas estão a recuperar. Hoje adicionei mais algum musgo nas árvores e aproveitei que estou a desmontar um 45p que aqui andava esquecido e usei a Monte Carlo desse aquário para replantar áreas onde a Monte Carlo tinha sofrido melt. Fica aqui foto do aquário Estou bastante contente com a evolução,. Fase do melt já foi, algas estão por aí mas hoje já comecei a dosear Excel e com tempo elas desaparecem e já não voltam. As plantas começam a crescer. Para um aquário de 4 semanas as coisas começam a ficar no bom caminho. Em termos de fauna por agora tudo que lá está veio do 45P que estou a desmontar, tenho uns micro rasboras ( boraras urophtalmoides), gosto bastante deles neste aquário mas tenho poucos, por isso vou mandar vir mais, temos caracóis ( neritinas puligera) e (neritinas zebra), temos camarões de várias espécies ( neocaridinas Davidi blue dream, Davidi orange, Davidi Yellow, Davidi red fire e Davidi green), também tenho uns amanos, todos eles já vieram do 45P, tenho também alguns ottos. Tenho 2 pseudomugil Gertrudes, mas isso são dois peixes que a Susana deixou esquecidos no 45P, em princípio serão para remover pois prefiro ter um cardume apenas dos boraras. Tenho também um Betta halfmoon placate blue marble que foi adicionado hoje, mas este não é meu, é da Susana e só deve ficar aqui temporariamente. Se bem que eu tou a começar a gostar de ver o peixe a explorar o layout. Ainda tem algas, diatomaceas filamentosas, mas isso como disse é só esperar e elas vão embora. O layout começa a ganhar forma, que acham? Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    2 points
  14. Olá malta. Como já tinha referido noutro tópico (Link), decidi voltar à aquariofilia, mais em concreto ao Aquascaping. Embora tenha tido um aquário comunitário com algumas plantas de baixa manutenção e hardscape básico, decidi aventurar-me no Aquascaping, para poder tirar maior proveito do hobby. Sendo assim, vou começar por um Nano de 27L, espero que gostem da montagem, espero ter tempo para vos manter actualizados. Neste momento tenho 2 disposições dos troncos que ainda não decidi, as tochas ainda podem mexer dependendo da posição dos troncos (e ainda vou reforçar a quantidade de substrato). Setup 1 - Nome do Aquário Nano 27L 2 - Data da montagem Meados de Novembro de 2021 3 - Dimensões do aquário 30x30x30cm (27L) 4 - Equipamentos Instalados Filtro Eheim 2211 (Classic 150) Termostato Eheim Thermopreset 150 Iluminação/Foto-período 2 x Amtra LED 10.5W cada Sistema de CO2 Sistema TMC de 0,7 Kg Skimmer Por colocar Skimmer da Eheim 5 - Substratos & decorações Substrato fértil Tropica Aquarium Soil Decorações (pedras, troncos, etc) Pedras Oho (Dragon stone) Troncos Redmoor Drift Wood (pelo menos parece) 6 - Fertilização Ainda por decidir 7 - Fauna Ainda por decidir, no entanto estou inclinado para Caridina Crystal Red, "Celestial Pearl Danios", Otocinclus e em principio é tudo. 8 - Plantas Ainda por decidir, no entanto o intuito seria: Tapete de HC "Cuba" (prefiro ao "Monte Carlo" pela folha mais pequena) Alguns detalhes de Alternanthera reineckii "mini", Pogostemon Helferi e Anubias e Bucephalandra Background: Rotala Rotundifolia, Green e "Hra" e/ou Ludwigia inclinata 'Cuba' ou Pantanal Musgos, ainda por decidir quais, mas pelo menos alguns nos troncos. 9 - Observações N.A. 10 - Fotos Ideia 1 Ideia 2 Caso tenham alguma preferência na disposição dos troncos digam, ainda posso mudar algumas rochas dependendo dos troncos, e ainda vou colocar mais pormenores caso acha necessário. A primeira imagem até cria um bom ponto focal, no entanto como a parte de trás estaria coberta de plantas, não seria bem um bom ponto de foco. Abraço!
    1 point
  15. Boa tarde a todos, É com muito entusiasmo que regresso a estas bandas, agora com um nano! Ainda se encontra em fase primordial de montagem. O arranque será quando regressar de férias daqui a 3 semanas, para acompanhar de perto a ciclagem. Setup 1 - Nome do Aquário Cryptcandle 2 - Data da montagem Fim de Setembro 3 - Dimensões do aquário 35x25x23cm (20L) 4 - Equipamentos Instalados Filtro Fluval C2 Termostato Ainda sem (nem sei se terá necessário uma vez que a divisão é quente) Iluminação/Foto-período Twinstar 30B (emprestada por um amigo que não usa. Se não for suficiente, penso comprar uma 300c) Sistema de CO2 Ainda sem 5 - Substratos & decorações Substrato fértil JBL Pro Scape Plant Soil Decorações (pedras, troncos, etc) O que está nas fotos abaixo é de uma antiga montagem. Já não me recordo do nome. Estava muito na moda algures em 2013 7 - Fauna Camarões terá certamente. Peixes ainda não pensei sobre o assunto. 8 - Plantas Eleocharis acicularis mini ou Eleocharis sp. mini (não sei qual das duas é mais fácil de manter Anúbias mana mini ???? 10 - Fotos Recebi algum material e decidi começar a interter-me com alguns layouts. Não nego a possibilidade de adquirir mais/diferentes tipos de rocha. Estou recetivo a dicas no Layout! 🙂 Abraço!
    1 point
  16. Olá pessoal boa noite! Durante os primeiros dias o aquário pouco mudou. Introduzi temporariamente o skimmer porque o aquário infelizmente não possui nenhuma agitação na superfície e acumulava-se grandes quantidades de CO2 na superfície. Queria ver se arranjava um skimmer na entrada de água do filtro, porque este é demasiado grande e potente. A HC Cuba aguenta-se, foi mal plantada de início e derreteram muitas folhas. Noto algum crescimento, por isso pode ser que corra bem. As restantes plantas parecem estar a crescer bem. E relação a algas, já começam a aparecer, como seria de esperar. Espero esta semana conseguir arranjar amanos, otocinclus e caracóis para ajudarem na limpeza. Tenho feita mudanças de água de 50% a cada três dias, o pH anda muito baixo, pelos 6,4 e no fim do ciclo de CO2, é capaz de descer ligeiramente abaixo de 6. Deixo em baixo imagens do aquário, ainda tenciono mudar o musgo, porque continuo a não gostar (nem sequer o coloquei bem).
    1 point
  17. Algumas fotos de atualização! Para os interessados, a flora: Plano Traseiro Rotala Rotundifolia Ludwigia sp. Mini Super Red Plano Médio Microsorum Pteropus Windelov Anubias Mini Mini Althernanthera Reineckii Mini Christmas Moss Plano Frontal Eleocharis Acicularis Mini Micranthemun Species Monte Carlo
    1 point
  18. Amigo... Se pensas manter Carassius auratus, necessitas de um aquário bem maior e uma filtragem bastante eficiente. http://www.tropicalimport.com.br/artigos/kinguios-conheca-antes-de-montar-um-aquario/ Podes ler nesse link as condições adequadas e necessárias para manter essa espécie nas melhores condições. Para um aquário de, por exemplo, 60 litros e espécies de temperaturas sub tropicais, sugeria antes Tanichthys albonubes (Neons chinês), dânios zebra e vá lá, um pequeno cardume de corydoras, por exemplo, paleatus. Poderão haver outras possibilidades a considerar também para temperaturas tropicais, como por exemplo, tetras ou ciclideos anões. Para um aquário de 30 litros, podes considerar um betta, pequenos tetras ou rasboras, ou então killies ou camarões. Recomendo uma pesquisa cuidada antes de decidires o que vais manter e cá estamos para ajudar na melhor escolha.
    1 point
  19. Foi exactamente isso, era o que havia na loja. Disseram que o "Christmass moss" apendas prendia às rochas, não aos troncos, daí não ter sido sugerido. Caso me farte deste vou ver o Ricardia. Sim vou estar atento às plantas, na verdade nem todas as que queria comprei, no background nem queria wallichii por ser exigente, mas acabei por comprar na mesma. Vou perder um bocadinho de tempo nisso. Obrigado! Obrigado! Sim eu soube disso em relação à Cuba, não me importo de aparar mais vezes o tapete. Mas pronto, é também uma experiência, se correr mal com Cuba no pior dos casos mudo para Monte Carlo. Abraço e obrigado a todos
    1 point
  20. Eheh opá ando aqui com muito trabalho e está me a trocar as ideias todas 🙂
    1 point
  21. @JoseCarlosMarques é ótimo!ele tem que se entreter com algo😅 além do Benfas se não rebenta, e sem dúvida está bem entregue.
    1 point
  22. Respondido por mensagem. O segundo Otto da encomenda na dita loja no domingo ha noite já estava morto, digo que foi o que veio na encomenda porque tinha 5 impecáveis vieram dois e foram dois ha vida, os outros continuam saudáveis assim como os cardinais e as rasboras, só os escalares é que ficaram com os sintomas acima, entretanto hoje já estão mais despertos, não com o mesmo apetite voraz mas já comeram, agora estou lixado que os dois maiores parecem estar a formar casal e estão a cascar nos outros, já não bastavam estar debilitados sei lá com o que... Ficam umas fotos do tropica e das Rasbora Espei, desculpem a qualidade, não me parecem as espei que queria mas gostei da vida que vieram dar ao aquário, em relação ao tropica o que acham que deva fazer? ainda esta em condições usar? de não tenho viagem marcada para Oliveira de Azeméis, mas ainda tenho um 20L sem vivos com algumas podas e plantas montado onde talvez o posso gastar.
    1 point
  23. Para crescer saudável precisa de boa luz, substrato fértil e CO2. Não é só um fertilizante que resolve as necessidades das plantas.... 😉 Antes de comprar plantas e peixes, devemos sempre pesquisar as suas exigências para ter algum sucesso e adequar o que compramos aos equipamentos e materiais que temos no aquário.
    1 point
  24. Eu também tinha, e tinha muitos comentários de pessoal a queixar que tinham perdido peixes, camarões e plantas. A maioria pessoal que não estava a fazer como deve ser, o meu problema é que quando fiz o vídeo ainda não sabia tudo o que sei hoje sobre o uso. Então no vídeo eu fiz de maneira que hoje não faria. Usei demais, usei o método dos americanos de pulverizar. Basicamente usei o método que aprendi com o Dave do canal ADUaquascaping. E ele pulverizava aquilo por todo o lado, até me pergunto hoje como raio ele não matava as plantas todas. Mas água oxigenada tem esse problema, se não for bem feito dá buraco. Tive um gajo que me culpou que perdeu os peixes e plantas todos, eu no vídeo recomendei 3%, o gajo foi comprar 30% e depois a culpa era minha. 30% é industrial, 3% é food grade. Tem tudo a ver. Por isso hoje em dia quando falo de água oxigenada, meto os prós e contras e recomendo antes o Excel. Ja agora bom vídeo, é basicamente isso, bastante eficiente para as BBA. Mais rápido que o Excel. Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    1 point
  25. Depende da alga e da severidade. Para a diatomaceas filamentosas, elas espalham-se ao aquário todo facilmente, descobri que spot treatment com seringa não tem grande efeito, porque regra geral aquilo cobre o aquário todo em menos de nada, prefiro tratar o aquário todo, e para esta alga não desligo o filtro, não sei explicar mas tenho melhores resultados com ele a funcionar. Para as outras algas uso spot treatment e desligo o filtro, especialmente se for BBA. Se for algo mais severo, misturo spot treatment com tratamento ao aquário todo. Para cianobacterias, descobri que spot treament com Excel e água oxigenada resulta, contrariamente a ideia que apenas pode ser resolvido com blackouts ou antibióticos. Se te lembras na montanha do xisto tive um problema de cianobacterias que cobriu o aquário todo, fiz o tratamento que descrevi a cima em desespero e dei cabo delas. Isto já depois de ter falhado blackouts e erythromycin. Na altura registei a informação, no meu registo mental e hoje quando vejo cianos ataco com Excel e nunca mais tive cianos fora de controlo. Claro que tem que se repetir várias vezes devido a característica da ciano de voltar, mas com algum tempo de tratamento elas desaparecem de vez. Green dust e green spot não creio que resulte, pode ter algum efeito, mas a melhor solução e mesmo resolver a causa e remover manualmente ou através da equipa de limpeza. Staghorn resulta com spot treatment, mas eu quando vejo essa alga simplesmente removo as folhas afectadas e corto o problema pela raiz. Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    1 point
  26. 10 ml. Resulta, sem resultados adversos para as plantas e vivos. No passado, naquela montanha de xisto usei água oxigenada, mas havendo Excel prefiro, embora seja mais caro. Claro que na montanha, o problema de algas era muito mais grave, e além das diatomaceas tinha cianobactérias, na altura resultou também, mas aí chegou ao desespero, cheguei a usar 80 ml diários de água oxigenada, mas aquilo limpou as algas todas em menos de uma semana e salvou-me o layout. Existe um vídeo do cinescaper onde ele em desespero fez um tratamento maluco assim e resultou, não é algo que recomende excepto em casos de desespero em que mais nada resulta. Mas doses mais pequenas diariamente resulta para controlar problemas menos graves. Existe também o método 1-2 punch também para casos de desespero, onde se faz dose elevada de água oxigenada e excel ao mesmo tempo, nunca usei pessoalmente, opto sempre por um ou outro. As diatomaceas filamentosas crescem bastante rápido, mesmo com equipa de limpeza a alga cresce mais rápido do eles conseguem comer, remoção manual ajuda bastante, mas é difícil remover tudo especialmente de musgos e tapetes, ou seja aquilo volta bastante rápido, a ideia é usar o Excel para atacar as algas e dar chance aos vivos de removerem o resto. Com o passar do tratamento começa a ser visível que a medida que eles limpam os restos da alga ela já não volta, é que está alga é mesmo chata enquanto houver restos ela volta sempre, e bastante rápido, o Excel é só a minha maneira de abrandar a coisa para nao deixa-las tomar conta do layout. Neste caso, em uma semana a alga praticamente desapareceu, apenas tenho uns spots onde ainda há uns restos, mas já não deve faltar muito para desaparecer de vez. Remocao manual, Excel e uma boa equipa de limpeza é a minha maneira de resolver este problema. Sem equipa de limpeza tem que se usar doses mais altas de Excel, e sem Excel a equipa de limpeza sozinha não consegue resolver o problema, remoção manual é um must, especialmente nas fases iniciais do problema, senão quando derem conta o aquário está todo coberto com esta alga. P.s atenção ao tal vídeo do cinescaper, se alguém decidir pesquisar, ele usou água oxigenada super concentrada a 33%, eu estava desesperado na montanha de xisto mas não sou maluco e apesar de ter usado doses elevadas, usei água oxigenada normal. Não recomendo o uso de água oxigenada concentrada, pois conheci bastantes casos de idiotas no UK que o fizeram com efeitos catastróficos. E sinceramente se tiverem acesso a Excel, é mais seguro. Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    1 point
  27. Apenas para informar que depois de uns minutos offline, temos instalada nova versão do fórum. Obrigado! JB
    1 point
  28. Quem? 🤦‍♂️ Spoilers? 💁‍♂️ Bem, continuando a "estória" uns dias depois da entrada dos 2 camarones, transitaram os restantes habitantes do nano para este Iwagumi! Destaque para as 3 neritina pulligera que não param! 20211028_224023.mp4 A acompanhar no team limpeza temos ainda caridinas japonicas, caridina tiger red, ottocinclus afinis e uns magníficos caridina PRL, oferta do @Nuno M.
    1 point
  29. Estou aqui no fórum para isso, senhor doutor!
    1 point
  30. Só tinha essas fotos "gerais" 💁‍♂️ Quanto ao planalto, faz parte do layout original do "criador" @Filipe Serrenho! Eu acho que a inspiração veio daqui:
    1 point
  31. Lepanthes teretipetala Rega Manter humidade, mas não excessivamente húmido. Cuidado com os rebentos sensíveis, ao contacto com a água. Várias pulverizações diárias são possíveis. Humidade Requer uma humidade alta entre 80 e 90% ou mais. Nunca deve ser inferior a 75% Ventilação Indispensável, leve. O ar deve estar em movimento sem secar o meio de cultura muito rapidamente. Lepanthes insectiflora Condições, as mesmas da de cima. Oncidium cheirophorum Luz Iluminação de nível médio a alto. Observe as folhas, se estiverem com um tom verde escuro sem brilho, você precisa dar mais luz, se por outro lado estiverem com um tom alaranjado é sinal de queimadura solar, nesse caso reduza a iluminação, o ponto ideal é um verde com brilho. Temperatura Entre 15 a 23ºC durante o dia, com uma queda entre 6 a 8ºC durante a noite, ou seja, elas gostam de uma temperatura relativamente fria. Humidade Por volta de 70%. Rega e substrato Regue-as a medida que se aproximam da secura. Essas orquídeas adoram receber ar em suas raízes. Logo após a floração, algumas orquídeas precisam de um descanso seco, principalmente se cairem as folhas. Durante esse período regue apenas o necessário para que os pseudobulbos não murchem, mas no momento em que começam a surgir novos rebentos você já pode voltar a rega normalmente. Oncidium coluratum Luz: Oncidium coloratum precisa de um nível de luz de 15.000-25.000 lux. Temperatura: A temperatura média do dia de verão é de 29-30 ° C, e da noite de verão de 19-21 ° C, o que dá uma diferença diária de 9-10 ° C. A temperatura média do dia de inverno é de 24-25 ° C, e a noite 14-15 ° C, dando uma diferença diária de 10-11 ° C. Umidade: O Oncidium Colorido necessita de umidade de 80-85% ao longo do ano. Rega: Ao longo do ano, as chuvas são moderadas a fortes, mas no inverno é um pouco mais seco. As plantas cultivadas devem ser abundantemente regadas durante a estação de crescimento, mas as raízes devem secar muito rapidamente após a irrigação. No final do outono, a quantidade de água pode ser ligeiramente reduzida. Fertilizante: Durante o crescimento ativo, as plantas devem ser fertilizadas semanalmente 1 / 4-1 / 2 da dose recomendada de fertilizante para orquídeas. Período de descanso: A rega para Oncidium coloratum deve ser reduzida no inverno, mas eles não podem permanecer secos por um longo período de tempo. A fertilização deve ser reduzida ou eliminada completamente até que a rega regular seja realizada na primavera. Pilea cadierei Família: Urticaceae Características: Herbácea perene de folhagem ornamental Porte: 30 a 70 cm de altura. Fenologia: Ano todo, diminutas e inexpressivas. Cor da flor: Branca (sem valor ornamental). Cor da folhagem: Verde, com desenhos prata acinzentados. Origem: Vietnã, Laos. Subespontânea nas regiões de Mata Atlântica. Clima: Subtropical / tropical. Luminosidade: Sombra ou meia-sombra. Platystele schmidtchenii Clima Intermediário Circulação de ar Médio Luz Médio Umidade Alto Fertilizante Por mês Bulbophyllum affine Temperatura: Ambiente quente e de inverno de não menos que 18 ° C à noite. Mantenha um movimento de ar suave. Luz:Moderado a brilhante (2.000 a 3.500 velas). Maior luminosidade resulta em florações melhores e mais frequentes. Água-Umidade: Humidade deve ser mantida em 60%. Regue com frequência, visto que as plantas montadas (pelo menos diariamente) prosperam em condições mais úmidas do que a maioria das orquídeas. Bulbophyllum pode ser a exceção à regra "em caso de dúvida, não regue". As espécies de regiões mais temperadas costumam ter um período de seca e a rega deve ser ajustada de acordo. Neolehmannia ou epidendrum peperomia I just moved her to another terrarium, let's see if it works out better... 🤞🌳🌿🍃☘️ Necessita de um nível de luz de 30000-35000 (até 40000) lux. Se a luz for menos forte, podem aparecer problemas com as flores. O fotoperíodo deve ser de 12 horas, mesmo no inverno. As temperaturas ideais no verão são 24-25 (máximo 26) ° C durante o dia e 18-19 ° C à noite, no inverno 22-24 ° C durante o dia e 14-16 ° C à noite. Esta espécie adora muita humidade, especialmente se for cultivada como epífita, deve pelo menos 75%, ideal 80-85%. Tolumnia "Peach" Híbrido de Tolumnia de Zona Temperada. Luz / Localização: Luz filtrada / Interior Temperatura Ideal: Entre os 14ºC e os 26ºC Rega: 1 a 2 vezes por semana Cultivo em: Vaso de plástico, de barro, pequeno cesto ou montada em cortiça com esfagno. Flores de 2 a 3 cm alaranjadas..
    1 point
  32. Cristiano, quem não está disponível para ouvir respostas como a que lhe dei, não faz perguntas. Você vem a um fórum de aquariofilia dizer que comprou dois peixes e os enfiou dentro de um jarro com água, afirmando que tem aí um aquário... se fizesse uma pequena pesquisa antes de se "iniciar neste mundo", como afirma, rapidamente perceberia que aquilo que fez foi quase o mesmo que perguntar num fórum de vegetarianos a receita da feijoada à transmontana. Já agora... 10 litros têm dois garrafões de água, amigo! Esse frasco tem uns 2 ou 3, se tanto.
    1 point
  33. Mais vale deitar um bocadinho de vinagre em cima duma das pedras brancas. Se ferver é calcária e não deve ser usada. Há por exemplo outras pedras como o quartzo branco, que não te altera os parâmetros da água e podem fazer o contraste que queres. Relativamente aos "visitantes" é comum acontecer. Não te preocupes, vão ajudar na limpeza e no controle de excesso de comida. Deixa-os andar. De resto acho que vais no bom caminho. Eu não teria enterrado as anubias, mas atava-as à rocha vulcânica. Se conseguires/quiseres, arranja umas tocas de coco e ata as outras lá. Elas com o rizoma enterrado são capazes de morrer (digo eu que não percebo nada disto).
    1 point
  34. Não é verdade! Também estou a seguir o tópico e a apreciar os diversos capítulos da "estória" e não fui alvo de bullying nem qualquer tipo de ameaças. Faça um favor a si mesmo e continue a debitar capítulos, sff. Ou será que vai capitular e declarar que nada mais tem a escrever sobre o assunto em mãos?
    1 point
  35. Caro membro, não me faça essa afronta! Eu nem sabia que tinha seguidores!! Tirando o caro, os outros dois que se dignaram aqui aparecer, apenas o fizeram após ameaças de serem despedidos da equipa que "modera" este fórum!
    1 point
  36. Pois é,muito estranho,não sei não,espera que alguém venha aqui e se lembre de alguma hipótese de ser a causa da subida do ph. Saudações
    1 point
  37. Viva Para 60l efetivamente com um filtro externo ficas melhor servido. Quanto à iluminação é veres nas casas da especialidade alguma calha compatível. há para todos os gosto e para todas as carteira. Se for para umas plantas simples de baixa manutenção qualquer uma serve, se for para no futuro pensares em algo mais evoluído e com maior dificuldade tens de ter isso em consideração. Terá de ser de melhor qualidade e consequentemente mais cara. Abraço
    1 point
  38. Que raio... é mais que uma história!?!?!? Agora fiquei curioso com este post...
    1 point
  39. Bom dia 🙂 Finalmente posso partilhar o resultado final, e a casa do meu pequeno Crowntail Betta. https://ibb.co/1M6MmWR https://ibb.co/YhrtwHK https://ibb.co/FnmgN2Z https://ibb.co/HzGrDcK A única situação que enfrentei, foi com o filtro interno, que embora desse para regular o fluxo, o meu Betta estava um pouco stressado e com pouco apetite, pois gosta de aguas praticamente paradas. A solução que arranjei, depois de várias tentativas, foi colocar um género de "meia" na saída do filtro que corta completamente a corrente e deixa o meu Betta super feliz, a nadar por todo o lado. Obrigada por toda a ajuda, este forum tem sido uma bíblia 🙂 Cumprimentos, Patrícia
    1 point
  40. Na preparação para a Petfestival de 2020 decidimos dar palco a um rapazito que conhecia online e que fazia umas cenas engraçadas lá na longínqua Estónia e que tinha voltado entretanto para o Alentejo, tendo participado na última edição do Desafio de aquascaping aquariofilia.net arrebatando o primeiro lugar, de seu nome @Filipe Serrenho! E foi nessa altura que decidimos usar o tal aquário parado aqui em casa! Pedi ao Filipe para no workshop criar um Iwagumi, pois eu já há muito que gostava de tentar manter um devido ao nível de dificuldade ser maior! E foi assim que o rapazito, cheio de nervos 😁 montou um belíssimo Iwagumi em plena FIL no final de Janeiro de 2020 ( sim, havia rumores de um vírus chinês...) Se estão a gostar da história e não querem perder nenhum episódio por favor cliquem nos likes e em subscrever este tópico.
    1 point
  41. Começando pelos aquários, a funcionar tenho estes. Este aquário foi usado no desafio de aquascaping do fórum de 2019, saiu nas rifas e ficou na posse de um velhote conhecido meu e de alguns moderadores do forum, em 2020 ele desistiu do hobby e eu fiquei com o aquário. Montei o layout como brincadeira durante os confinamentos para ver se ganhava vontade de voltar a isto. Este é o de 45 cm que estava esquecido, já não está assim como é óbvio, mantive em funcionamento por causa do tapete de Monte Carlo que sabia que viria a ser útil para este em caso de melt. Vai ser desmontado assim que eu me passar a preguiça, visto que já tirei quase tudo o que dele podia tirar. Depois tenho este de 60 cm Montei em agosto já com ideia de levar a coisa mais a sério de novo. E finalmente tenho este do tópico. Em relação comprar stock de uma loja, eu era a loja. Ou mais ou menos, noutra vida eu aventurei-me na ideia de uma loja online, quando veio a separação tudo isso acabou. Vendi maior parte do stock que me restava mas guardei aquilo que podia usar para mim. Se bem que actualmente já não sobra quase nada. Em relação aos peixes, caracóis e camarões, quando digo que o aquário de 45 cm estava esquecido, digo que em termos de aquascaping já não me estava a preocupar com esse aquário, tinha peixes, caracóis e camarões que simplesmente estou a passar para este aquario novo. Mas para quem mantém aquários plantados há certas coisas que não podem faltar, fertelizantes, umas botijas de CO2 extra carregadas não vá acabar na pior altura possível, alguns tubos de plástico ou lily pipes, pois elas tendem a partir quando todas as lojas estão fechadas e depois é o diabo, e Excel para as algas. Claro que se a carteira tá apertada no caso do Excel quem não caça com cão, caça com gato e podes usar água oxigenada que fica por uma fracção do preço, mas eu pessoalmente podendo usar Excel, prefiro. Além de que ando nisto há 17 anos e tenho o péssimo hábito de não deitar nada fora, ou seja tenho caixas e caixas de hardscape e outro material. Posso dizer que nesta floresta, não comprei uma peça de hardscape, nem pedras,nem madeira. O substrato também uma boa parte era reutilizado.Acho que este layout só me deu gastos nas plantas. Em relação a não ser um iwagumi, até há uns 3 anos esse era o meu estilo favorito, mas actualmente não sinto muita vontade de voltar ao estilo. O último layout puro iwagumi que me dediquei a sério foi este. Quem sabe se me dá na cabeça fazer outro um dia. A Susana, só tem um inconveniente. É chegar a casa e descobrir os meus aquascapes cheios de peixes dela. [emoji1787][emoji1787][emoji1787] P.S e enquando escrevo este post, já fiquei sem Betta, a Susana já lhe arranjou nova dona. Eu disse que era só temporário. [emoji1787][emoji1787][emoji1787] Enviado do meu M2006C3LG através do Tapatalk
    1 point
  42. Viva Tozé, Fui à loja e estava avariado. Já tenho um novo a rolar direitinho. Obrigado
    1 point
  43. Mais uma alteração ao lado esquerdo do aquário. É o lado que me tem dado mais trabalho a manter alguma planta. E também mexi um pouco ao meio. Adicionei um pouco de Rotala Macranda. Enviado do meu Redmi Note 9S através do Tapatalk
    1 point
  44. Também foi acrescentada alguma fauna, 20 Paracheirodon axelrodi 6 Celestichthys Margaritatus
    1 point
  45. Muitos parabéns, ficou espectacular mesmo! !
    1 point
  46. Alteração da rocha da esquerda e "levantamento" da rocha da direita.
    1 point
  47. Sophronitis cernua Macroclinium Manabinum
    1 point
  48. Desde que ando por esta vida dos aquários, e mais em particular pelo Aquascaping, as discussões acerca do que é o Scaping, se é compatível ou não com outras áreas como os Biótipos, ou mesmo onde começa ou acaba. Muitos gostam do resultado, da foto, do fim! Pessoalmente gosto do processo, da criação e da forma como se consegue chegar a uma altura em que decidimos que é o fim, O PONTO! A verdade é que é das áreas mais complexas e mais técnicas, e um desafio extremo quando se tenta chegar a um patamar de excelência, pois aquilo que temos de dominar, vai muito para alem dos conceitos de Aquariofilia. Ficam aqui algumas coisas para discutirmos, para percebermos, ou mesmo colocarmos em causa. Existem muitos mitos, tabus e duvidas acerca do aquascaping. A primeira de todas é que o aquascaping é por vezes visto apenas como uma atividade com pouco respeito pela fauna e apenas se preocupa com a flora. Outra “certeza” é que está apenas ao alcance de alguém com muita possibilidade de investimento, porque tem de ser “high tech”. Existe também a convicção que os aquascapers são uma tribo especial porque se acham dominadores de uma” prova rainha”. PURO ENGANO!!! Afinal de contas, o que é o aquascaping? Through building and maintaining beautiful nature aquarium people re-learn the intricate connections between forms of life, plants, fish, microorganism and humans. Riches and beauty come from harmony, from balance. Aquarium are great teachers of this truth — Takashi Amano Aquascaping é um termo que usamos para descrever a construção e a decoração de um layout de uma forma que satisfaça a nossa própria perceção do que é esteticamente agradável! Sim, a perceção do que é esteticamente agradável! O que é agradável a uns, é o para todos? Muitas das vezes! Existe forma de manipular essa perceção? Há! Mas já la vamos! Muito do debate acerca do aquascaping feita por gente “de fora”, é que 'o que é para mim aquascaping para ti não o é'! O que é errado. A partir do momento que colocamos hardscape num aquário (independentemente do uso que lhe vamos dar, ao aquário), temos sempre uma tendência (mesmo que menor) de colocarmos isso agradável aos nossos olhos. Afinal de contas, ninguém quer um aquário feio, nem que seja para criação!!!! Essa tendência de agradarmos aos nossos “olhos”, e o facto de colocarmos um tronco ou uma pedra, ou mesmo um substrato num aquário, de forma mais ou menos cuidada, e mesmo que feita de forma inconsciente, é um trabalho de aquascaping! Sim, todos temos dentro de nós um aquascaper em potência! Como referi em cima, existem sim formas de “enganarmos” ou “manipularmos” a perceção do que é bonito. Os olhos captam uma informação que o cérebro pode entender de formas diferentes. Imaginem um aquário vazio. Imaginem agora uma pedra dentro desse aquário. A mesma pedra dentro do mesmo aquário, dependendo da forma como está colocada ou a sua posição dentro do mesmo, faz mudar a nossa perceção estética sobre a mesma composição. Isto é estranho (é a mesma pedra e o mesmo aquário) mas não é por acaso! Isto acontece porque os “nossos olhos” são sensíveis a várias regras (as regras que os aquascapers tentam seguir): (a partir de agora vamos chamar à disposição do que está dentro do aquário de layout ou composição. Chamaremos também as pedras e troncos que pomos lá dentro de hardscape) 1. Regra dos Terços, Regra da Espiral Dourada e dos Triângulos Dourados A Regra do Terços consiste em dividir o aquário em 9 partes iguais através de duas linhas horizontais e duas verticais equidistantes. A intersecção entre si cria 4 “pontos de força”, e é nesses locais imaginários que devemos colocar o foco da nossa atenção (ponto focal). As linhas devem também ser referência para as proporções estéticas (falaremos mais à frente). Ou seja, é nesses pontos, que devemos colocar no nosso layout aquilo que mais queremos dar força ou salientar. Fig 1 Em fotografia, esta regra é importantíssima. Muitos nunca repararam, mas as grandes fotografias de retrato, normalmente colocam os olhos ao nível da linha dos terços superiores. Já se é uma foto com a linha do horizonte, esta linha é colocada no terço superior ou inferior, caso queiramos dar destaque ao solo ou ao céu, nunca a meio da fotografia. A Regra da Espiral Dourada é a base inspiratória para a regra dos terços (dito de uma forma mais ligeira). Vai uma lição de matemática? (o meu professor de matemática disse que eu ia aturar matemática até ao tumulo, desconfio que tem razão) Sequência de Fibonacci, estão familiarizados com ela? Provavelmente quem estuda arquitetura, fotografia ou outras artes, sabe do que falo. Para os restantes passo a explicar: A sequência de Fibonacci é 0 1 1 2 3 5 8 13 21 etc… ou seja, o numero seguinte é a soma dos dois anteriores. Ou, explicando de outra maneira, dividir um numero pelo seu antecessor na sequência, dá resultado é igual ao “numero de ouro” 1,6180339887. A esta média entre os números que compõem a sequência dá-se o nome de média dourada (curiosidade). Até aqui, esta explicação nada ajuda, certo? Mas e se eu disser que uma das expressões visuais da média dourada é uma espiral? Fig 2 Se disser que toda esta complexidade matemática se expressa em algo tão simples como serem as proporções que nos agradam porque são as que existem na natureza? Onde? Nas conchas da maioria dos gastrópodes, na disposição das sementes nas flores, etc… Curioso? Não! Fig 3 O nosso cérebro está “formatado” para gostar da maioria das criações da natureza (não, isto não tem significado religioso nenhum. Apenas científico). Assim, o aquascaper, deverá colocar o ponto focal, o centro da nossa atenção, precisamente no centro da espiral! A espiral não é mais do que a representação visual das “Medidas Perfeitas”. A Regra dos Triângulos Dourados, propõe que o layout seja dividido numa série de triângulos, cujas proporções obedecem escrupulosamente às descritas nas regras anteriores. Esta regra pode ser expressa se traçarem uma recta imaginaria diagonal que una dois cantos de um rectangulo dourado. Depois basta traçar linhas perpendiculares que unam essa diagonal aos dois restantes cantos do aquario. Formam-se assim, 4 triangulos dourados Fig 4 Estas regras, não são usadas apenas por nós. Aliás, não fazemos mais do que também reproduzir estas regras usadas na Arquitectura, Fotografia, Design, etc… Ficam alguns exemplos: Fig 4 Fig 5 Fig 7 Fig 8 Fig 9 Fig 10 Fig 11 Fig 12 Fig 13 2. A Proporção A proporção fala-nos dos tamanhos e da perceção que temos acerca do que vemos. Uma pedra de 20 cms pode PARECER grande ou pequena, consoante o que está ao seu lado. O mesmo acontece com plantas, peixes, pormenores, etc.. não é por acaso, que os aquascapers procuram, a fim de uma maior noção de escala, colocar plantas de folha grande à frente e de folhas pequenas atrás. Outra dica é colocar pedras grandes e com detalhes pronunciados à frente e pequenas e sem relevos atrás. Estas simples regras fazem parecer que o aquário tem maior profundidade (distancia entre o vidro da frente e o de trás) do que realmente tem. Outra dica é colocar o que está na traseira do aquário mais alto do que está na frente. Isso tem a ver com a noção de perspetiva. Quando olhamos para certos aquários, parece que têm vários metros desde o vidro da frente ao vidro de trás. Essa perceção errada (a de que o aquário tem vários metros de profundidade) é dada pela profundidade que a escala, a proporção e a perspetiva nos dão! (entendem como conseguimos “enganar” o cérebro através dos olhos?) 3. Ponto Focal O que é o ponto focal? Afastem-se do vosso aquário. Uns bons 4 a 5 metros para trás. Abram e fechem os olhos repetidamente e devagar. Reparam que há sempre algo a que os vossos olhos se prendem de forma inconsciente? Pois bem, esse é o ponto focal. Bons aquários têm um ponto focal definido. Os aquários que não o têm são “cansativos” à vista pois o cérebro procura algo que prenda a sua atenção. Isso também faz com que o cérebro decida “se gosta ou não” do aquário (ou do que vê)! Quanto mais o ponto focal se aproximar do centro da espiral ou dos terços (falados anteriormente), melhor será a apreciação do nosso cérebro! (continuam a achar que aquilo que gostamos numa imagem, seja numa foto ou aquário, é controlado por nós?) Como criamos pontos focais? Bom, não é difícil. Depende de vários factores, como: Posicionamento, Profundidade de Campo, Luminosidade, Cor, Tamanho, Forma & Textura. O posicionamento refere-se à proximidade com a regras dos terços. Quanto mais perto de lá estiver, mais perto será o nosso ponto focal. A Profundidade de Campo refere-se à tendência que temos para olhar o que está mais perto com prejuízo ao que está mais longe, mesmo que imediatamente atrás. A Luminosidade, refere-se obviamente ao facto de olharmos para o que está mais iluminado. A cor idem. Temos tendência para dirigirmos a atenção para a cor mais berrante, diferenciada e mais forte. O mesmo facto para o Tamanho. Quanto maior, mais apelativo. No que diz respeito às Texturas e Formas, o que nos prende a atenção é a dissonância (a forma como se destaca do ambiente em redor, como os veios das pedras ou saliências dos troncos). Quando combinados estes parâmetros podemos criar um grande ponto focal, ou mesmo vários pontos focais (desde que não igualmente atrativos). Uma das grandes riquezas e dificuldades do aquascaper é criar uma ligação óptica entre pontos focais, de modo que os olhos percorram uma direção no aquario ditada por esses pontos focais. O olhar iniciará no ponto focal principal, percorrendo de seguida para o segundo, terceiro e assim sucessivamente! Fig 14 Normalmente olhamos para as coisas de cima para baixo e da esquerda para a direita. No aquário, pode ou não ser assim! O facto de o cérebro seguir estas diretrizes também faz com que estabeleça a sua sentença: Gosto/Não Gosto! (ainda acham que o gosto por um aquário não tem nada de científico?) Percebendo estes 3 pontos principais, a Regra dos Terços, Proporção e Ponto Focal, percebemos o verdadeiro desafio que o aquascaper tem para montar um aquário. Muitos demoram a fazer o layout vários dias ou até semanas. Com o aquário vazio (sem agua e sem plantas), mete-se apenas o substrato e o hardscape. Monta-se, fotografa-se e vê-se! Muitas vezes o hardscape é mudado varias vezes até ao resultado final. A maior parte das vezes é um processo solitário onde o scaper monta o layout, e a fim de não viciar os olhos, faz períodos (horas ou dias) em que não olha para o layout. Para muitos, é também um processo criativo conjunto. Pedem-se informações a amigos (se queremos críticas é a eles que perguntamos. A para dizer bem perguntamos à nossa mãe), a fim de outros olhos verem o que não vemos. Confesso que a maior riqueza para mim é nesta fase, a da criação, do crescimento e maturação do layout (as duas ultimas já depois de estar com agua). Por fim, percebe-se que a o facto de gostarmos por vezes de um layout não depende do famoso “gosto pessoal”. Se colocarmos um barco de plástico dentro de um aquário, podemos dizer se gostamos ou não dele, pois isso é subjetivo. Mas a forma como o colocamos, o enquadramento, o lugar, etc, vai fazer com que gostemos mais ou não, e isso não é subjetivo, é objetivo! Parte da informação retirada de, FOTOGRAFIA Luz, Exposição, Composição, Equipamento, Joel Santos, 2011 Fig 1 - Filipe Oliveira Fig 4 - The Green Machine Restantes Figs - Retiradas da web
    1 point
  49. Boas, Curiosamente não costumo controlar muitos parâmetros deste aquário. Já o tenho montado assim, com os tylomelania, há mais de um ano, o que lhe dá já alguma estabilidade. O pH anda há volta dos 7.6/7.8 (estranhamente vieram da loja num pH muito mais baixo) e a temperatura nos 28º. Agora, pelo que me apercebi da última vez que tive dennerli, o mais importante é mesmo a água o mais limpa possível, daí as 2 TPA's que faço por semana. Costumo usar uma caneta de TDS como "alerta para TPA" (quando chega aos 200 é hora de mudar água) mas não está calibrada, por isso não sei se são valores reais, serve só para meu controlo pessoal. Cumps.
    1 point