Recommended Posts

Como prometido, venho então fazer o tópico do meu primeiro aquário de água salgada, tal como diz o título, para recife de coral. Podem seguir este tópico também noutro site mas em inglês, pelo que deixo o link para quem quiser. Vou tentar transcrever tudo o que se passa no outro tópico e também ajudar o fórum a ter mais alguma informação, dado que o Reef2Reef é uma autêntica enciclopédia no que toca a água salgada.

https://www.reef2reef.com/threads/b-reefing.648237/#post-6501886

O aquário é um 70x40x40 cm, 112 litros brutos. Penso que seja pequeno para se começar, mas como foi uma desmontagem e sempre quis montar um de recife, então aproveitei a oportunidade e é desta que se torna realidade.

Na loja mais perto de minha casa, Zanclus, com os conselhos do Luis e da Catarina comprei o seguinte material:

- Aqua Illumination Prime HD (Aqua Illumination Prime Tank Mount Black como suporte);
- Tunze Comline DOC Skimmer 9004;
- Tunze Turbelle Nanostream 6020;
- Sicce 250W Heater;
- Caribbean South Sea Base Rock 9 kg;
- Coral Sand 5 liters;
- AquaForest Sea Salt 5kg (para fazer a água inicial e encher o aquário);
- Fluval Epoxy 115g;
- Hidrómetro Fluval;
- Sistema de osmose da Aquili.

Penso que tenho tudo para começar, mas gostava da vossa opinião. Será sempre benvinda, dado que ainda tenho imensas dúvidas. Sempre que puder vou actualizar o tópico, também no seguimento das respostas que me forem dando no outro tópico.

Obrigado a todos.

Edited by brunofasoares

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então as respostas do Reef2Reef:

- Comprar um refractómetro em vez de usar o Hidrómetro, precisamente por ser mais preciso na medição da salinidade. 

Tive isso em consideração, mas de momento a despesa já foi grande. Assim que possível vou tentar adquirir.

- Usar água de osmose.

Esqueci-me de referir no tópico inicial que vou usar água de osmose e foi logo uma chamada de atenção por parte de um dos membros do fórum. Claro que sim, vou usar o meu sistema de osmose e até lhe vou trocar os cartuchos de filtragem todos, para evitar qualquer problema.

Edited by brunofasoares

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo com as respostas deles. Parece-me um setup bom para começar. Eu comecei com um aquário de 60L (com um filtro sump de 40L) e correu bastante bem.

O meu conselho no futuro é montares um sistema com filtro sump para não teres tanto equipamento á vista dentro do aquário.

Tens kits de teste para testar água salgada? O essencial para água saldada na minha opinião é:

  • KH
  • Amónia
  • Nitritos
  • Nitratos
  • Ph
  • Fosfatos

 

Quanto ao hardscape, aconselho simplicidade, sem muita rocha empilhada, e de preferência sem ficar apoiado nas paredes do aquário para facilitar a manutenção.

Falta-me dizer, que para misturar sal na água é bom ter um balde grande, um termostáto para manter a água á temperatura ideal e uma bomba de água para manter a água do balde em movimento para não haver sedimentação do sal.

Edited by João Cardoso (Kadoxu)

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 51 minutos, João Cardoso (Kadoxu) disse:

Concordo com as respostas deles. Parece-me um setup bom para começar.

Boas João. Obrigado pelo teu feedback. O layout está pronto, ou quase pronto, dependendo das opiniões que for obtendo. Amanhã já coloco fotos aqui no fórum para ver o que o pessoal diz e espero também pela tua opinião.

Testes tenho apenas uns de água doce, mas que penso que também dão. No entanto queria investir numa mala no futuro. Para já ou testes com os meus ou vou semanalmente à Zanclus fazer os testes. Já percebi que pelo menos na fase da ciclagem convêm ir analisando se os parâmetros são estáveis ou se sofrem muitas variações. Tenho 2 recipientes, um com cerca de 60 litros e outro de 30. A água para iniciar vou fazer no de 60 litros e depois para as tpa´s faço no de 30 litros que chega bem.

Não vou é conseguir fazer a água inicial toda de uma vez só. Penso que não há problema, mas testo depois quando as juntar no aquário.

Eu tenho mais bombas mas não tenho a certeza se dá para usar. São as que usei nos meus aquários de água doce, estão como novas, mas penso que talvez se estraguem em água salgada. Achas que dão? São bombas de água...

Edited by brunofasoares

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hour ago, brunofasoares said:

Testes tenho apenas uns de água doce, mas que penso que também dão.

Testes de água doce por norma não funcionam com água salgada.

 

1 hour ago, brunofasoares said:

Eu tenho mais bombas mas não tenho a certeza se dá para usar. São as que usei nos meus aquários de água doce, estão como novas, mas penso que talvez se estraguem em água salgada. Achas que dão? São bombas de água...

Geralmente dão, mas verifica se alguma peça dentro da bomba é metálica, normalmente é tudo plástico com excepção do íman do rotor e o veio onde encaixa o rotor (o veio normalmente é cerâmico ou metálico). Se houver alguma peça metálica é melhor não usar. A ferrugem é um dos piores pesadelos da água salgada.

 

1 hour ago, brunofasoares said:

Não vou é conseguir fazer a água inicial toda de uma vez só. Penso que não há problema, mas testo depois quando as juntar no aquário.

 

Depende, se compraste rocha e/ou areia "vivas" (não sei se há um termo diferente em Português para definir rocha/areia com bactérias, mas em inglês chamam-lhe "Live Rock/Sand"). Rocha "viva" tem de ser comprada molhada e mantida em água salgada para manter as bactérias vivas. A areia basta estar meio húmida dentro do saco. Rocha/areia "mortas" são vendidas completamente secas.

Se for rocha/areia morta n faz mal nenhum, se for viva podes matar as bactérias se não tiveres cuidado com a água.

Dicas para preparar a água:

  1. Aquecer a água - Ajuda a dissolver o sal.
  2. Agitar bem o balde/saco/caixa do sal antes de abrir para tirar sal - Diferentes componentes do sal têm pesos diferentes e a tendência é para os mais pesados se irem acumulando mais no fundo do balde.
  3. Ver indicações que estão no balde/saco/caixa do sal - Normalmente é fácil calcular mais ou menos a quantidade de sal que é preciso misturar.
  4. A quantidade de sal que precisas para preparar um balde de 30L é sempre a mesma - Para facilitar as TPAs pesa a quantidade de sal que misturas e anota isso e a salinidade resultante em qqr lado.
  5. É sempre melhor colocar um pouco menos de sal e ajustar depois - Sal a mais na água é bem mais difícil de ajustar, porque tens de misturar mais água de osmose.
  6. Adicionar o sal aos poucos - Se adicionas tudo de uma vez fica muito no fundo e torna-se mais difícil de dissolver.
  7. Deve-se mexer bastante a água ou utilizar uma bomba de água até o sal estar completamente dissolvido. A bomba é essencial se a água não for para utilizar logo (se por exemplo preparares a água no dia anterior).
  8. Testar salinidade só alguns minutos depois de misturar o sal.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tanto a rocha como a areia não são "vivas", portanto não contêm matéria orgânica viva.

A bomba é capaz de ser importante porque permite que faça a água num dia para usar noutro se me der mais jeito. Acho que as bombas têm rotor metálico, mas como tenho 2 ou 3 paradas vou confirmar.

Comprei o balde de 5kg precisamente para facilitar a mistura dos sais. Quantidades maiores já se torna mais dificil agitar.

A minha ideia era comprar a água de TPA na loja porque já vem nos parâmetros correctos e sem sais acumulados. Por isso posso guardar de um dia para o outro sem problema. Caso se complique então lá faço em casa.

Que regime de TPA´s aconselhas? E durante a ciclagem, faço na mesma TPA´s e dentro do mesmo regime? Semanal de cerca de 15% foi o que me aconselharam.

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 minutes ago, brunofasoares said:

A minha ideia era comprar a água de TPA na loja porque já vem nos parâmetros correctos e sem sais acumulados. Por isso posso guardar de um dia para o outro sem problema. Caso se complique então lá faço em casa.

Normalmente faz-se em casa só por ser mais barato, mas não faço ideia dos preços das coisas em Portugal para fazer mais ou menos as contas. Tens que saber quanta água gastas para fazer 1L de água de osmose, ver o preço da água, do sal, etc...

O único problema é que vais ter uma emergência quando a loja estiver fechada (acontece sempre)! 😂

 

20 minutes ago, brunofasoares said:

Que regime de TPA´s aconselhas? E durante a ciclagem, faço na mesma TPA´s e dentro do mesmo regime? Semanal de cerca de 15% foi o que me aconselharam

Funciona da mesma forma que os aquários de água doce. Regra geral, cerca de 20% por semana. Durante a ciclagem podes fazer TPAs se quiseres, mas não é preciso, basta fazer uma TPA maior no fim da ciclagem para baixar os nitratos para um nível aceitável.

Se depois tiveres corais, é preciso estar mais atento aos parâmetros da água e fazer TPA sempre que Nitratos ou Fosfatos aumentarem em demasia. O KH vai baixando com o tempo, porque é utilizado pelos corais quando estão a crescer, mas isso dá para ir doseando com bicarbonato de sódio para manter no nível certo.

 

O meu caso foi um bocadinho diferente, porque no ano e meio que tive o aquário só fiz 1 TPA de 50%... estava a utilizar o método Triton.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 14 horas, João Cardoso (Kadoxu) disse:

O meu caso foi um bocadinho diferente, porque no ano e meio que tive o aquário só fiz 1 TPA de 50%... estava a utilizar o método Triton.

Esse método não conheço. Vou pesquisar. A ideia era mais tarde partir para o método de Balling, mas isso é mesmo muito mais tarde. Para já seria para corais moles e uns LPS se começar a correr bem.

A lija fechar é realmente uma complicação, mas isso também faço em casa uma ou 2 vezes se necessário. Não é por aí. De certeza que me vão sobrar sais depois de fazer esta água inicial.

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hour ago, brunofasoares said:

Esse método não conheço. Vou pesquisar. A ideia era mais tarde partir para o método de Balling, mas isso é mesmo muito mais tarde. Para já seria para corais moles e uns LPS se começar a correr bem.

 A lija fechar é realmente uma complicação, mas isso também faço em casa uma ou 2 vezes se necessário. Não é por aí. De certeza que me vão sobrar sais depois de fazer esta água inicial.

O método Triton, explicado muito básicamente, utiliza um filtro de algas, que deve ocupar ter pelo menos 10-20% do volume total do sistema, para remover nitratos e fosfatos da água. Os outros elementos utilizados pelos animais, corais e algas são repostos (manualmente ou com doseador automático) todos os dias, para manter os seus níveis estáveis.

Link: Triton Labs

Penso que 5Kg de sal deve dar para encher o teu sistema por completo (cerca de 100L) pelo menos 4 ou 5 vezes.

Edited by João Cardoso (Kadoxu)
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

É a embalagem da Aquaforest e diz que faz cerca de 150 litros, esses 5kg. Talvez dê para iniciar e mais umas 3 tpa´s.

Vou ler isso. Obrigado.

Share this post


Link to post
Share on other sites
2 minutes ago, brunofasoares said:

É a embalagem da Aquaforest e diz que faz cerca de 150 litros, esses 5kg. Talvez dê para iniciar e mais umas 3 tpa´s.

Devo ter confundido os números com outra coisa qualquer... sim 5Kg deve dar para isso.

Share this post


Link to post
Share on other sites
há 6 minutos, João Cardoso (Kadoxu) disse:

Devo ter confundido os números com outra coisa qualquer... sim 5Kg deve dar para isso.

Sem problema. É o Sea Salt porque foi o que a loja recomendou para iniciar e para as TPA´s enquanto não tivesse corais, ou mesmo enquanto apenas mantiver corais muito fáceis.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então tinha o arco e a pedra mais pequena, mas como não estava a gostar do aspecto do layout, apesar de na loja ter achado que chegava, comprei uma pedra um pouco maior.large.IMG_20190917_195245.jpg

 

Coloquei as pedras nestas posições que foi o que me pareceu melhor, mas como o posicionamento das pedras é importante para o desenvolvimento do aquário, incluindo a filtragem, peço as vossas opiniões. Claro que nada é definitivo. Quando colocar dentro do aquário é que vou uma melhor ideia do que posso fazer. Mas 40 cm parece-me bastante bom para colocar estas pedras como estão em qualquer dos layouts.

A principio este fim-de-semana já está a montagem preparada. Coloco fotos assim que estiver, mas gostava de mais umas ideias e dicas antes de encher.

large.IMG_20190917_195234.jpg

large.IMG_20190917_195357.jpg

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Respostas do Reef2Reef:

- Parece um bom começo. Não esquecer de manter espaço entre as pedras e os vidros para facilitar a limpeza.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E entretanto lembrei-me de outra coisa... quando testar o layout tenho de contar com o posicionamento do escumador e da bomba, e não só com os vidros.

Acho que já vai dar alguma ginástica.

Share this post


Link to post
Share on other sites

No layout é bom ter pelo menos 2 ou 3 formações rochosas separadas. Para poderes ter corais mais agressivos separados dos que não dão luta. O meu começou com 2 estruturas e depois adicionei mais uma rocha no meio a fazer ilha.

large.salt-03.jpglarge.Salt-5.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Como a rocha está apenas encostada ao arco, qualquer coisa posso sempre separar.

Tiveste problemas com algum dos teus corais?

Tens aí um dos que se tornam praga...

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tirando a Anémona ter-se dividido e uma delas ter ficado demasiado perto dos Zoas, não tive problema nenhum. O maior problema que tive foi com um parasita... portanto a dica aqui é fazeres sempre um tratamento para remover parasitas antes de colocar corais no aquário, ou melhor ainda, ter um aquário separado para fazer quarentena aos corais.

Quanto ás pragas de corais, só se tornam pragas se não estiverem isolados. Eu como não tinha o GSP perto de rocha nenhuma, era bastante fácil de controlar.

A ideia na altura era ficar com o vidro atrás e o do lado esquerdo cobertos de GSP, mas não tive tempo para tanto... lol

Mas se hoje começasse outro aquário destes acho que fazia um só com anémonas e uns palhacinhos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

GSP exacto, Green Star Polyp, não me lembrava do nome.

Pois um aquário desses também há-de ficar brutal.

Infelizmente não tenho aquário de quarentena, nem material para isso... posso usar um dos meus aquários pequenos de cerca de 30 litros, mas é preciso mais material que não tenho, por exemplo iluminação... para já vai ter de ser em lojas de confiança e que tenham os corais bem visiveis a ver se consigo detectar alguma coisa. 

Edited by brunofasoares

Share this post


Link to post
Share on other sites
5 minutes ago, brunofasoares said:

para já vai ter de ser em lojas de confiança e que tenham os corais bem visiveis a ver se consigo detectar alguma coisa

Há uns produtos próprios para fazer um tratamento rápido em apenas alguns minutos. Pesquisa por coral dip ou coral dipping, é melhor do que não fazer nada. Há quem diga que os produtos são básicamente o mesmo que Detol diluído. Eu usei Detol com algum sucesso, mas há sempre alguma bixeza que sobrevive a estes tratamentos rápidos.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

2 problemas:

Ao fazer a primeira água usei o hidrómetro, mas os valores obtidos foram estranhos. Desde 1018 depois de adicionar sais que pensei serem suficientes, ao adicionar mais um copo de sais, a salinidade subiu para 1028, pelo menos é o que indicava o meu hidrómetro. Adicionei água de osmose e o valor não baixava. Lavei o hidrómetro e o valor estava de novo nos 1018. Adicionei a água que tinha retirado que estava muito alta até conseguir chegar a um valor de 1023. Antes que o valor subisse muito de novo, coloquei essa água no aquário. Cerca de 60 litros que deu para encher cerca de 2/3. Pelas minhas contas mais 20 ou 30 litros chegavam. Juntei as águas com valores diferentes, e obtive um valor de 1026 o que presumi que fosse bom para juntar aos 1023, dado que o objectivo era os 1024 mg/L. Enchi o aquário e no fim o valor estava novamente acima dos 1028 mg/L. Isto depois de 3 horas de luta para conseguir águas que estivessem em valores razoáveis.

O outro problema é que o rotor da minha bomba saltou. Sempre que a ligo o rotor salta. Como está na garantia vou à loja ver o que posso fazer. 

Isto começou mal.

O que fazer? A salinidade tão alta é um problema? Talvez leve alguma água à loja e peça para medirem? Talvez comprar o refractómetro e testar para ter a certeza do valor da salinidade?

Iniciar começando já a adicionar bactérias? Vocês usam?

Antes disto tudo testei o layout e decidi que seria bom o tamanho do aquário. O que acham? Fiquei tão frustrado que até me esqueci de tirar fotos depois de encher o aquário.

large.IMG_20190922_163846.jpglarge.IMG_20190922_190822.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Salinidade é preferível ter um pouco a menos do que ter mais, porque com a evaporação da água do aquário a salinidade aumenta (a água evapora e deixa o sal para trás). Mas uma difernça de 2mg/L não acho que seja o fim do mundo.

Que hidrómetro estás a usar? O refractómetro é sempre a melhor opção. O hidrómetro deve ser sempre lavado após cada utilização e tem que se ter cuidado com bolhas de ar que possam alterar a medida.

O refractómetro deve ser calibrado antes de ser usado. O método mais simples é utilizar água de osmose para calibrar o refractómetro no zero. O mais correcto é utilizar uma solução de referência (normalmente é um líquido com a salinidade a 1026).

 

Bactérias não é necessário, se tiveres paciência. Para ciclar, o método mais utilizado em água salgada é colocar um camarão crú (que os cozinhos têm conservantes e outras cenas) dentro do aquário e deixar até acabar o ciclo (no fim do ciclo se ainda houver alguma coisa, a "equipa de limpeza" acaba com isso). Se por acaso a água começar a cheirar mal, é só adicionar carvão activo no filtro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois, espero mesmo que a salinidade esteja no máximo a 1026 porque é fácil corrigir. O problema foi mesmo não estar a lavar o hidrómetro após cada medição. Lmebrei-me disso e depois consegui calibrar as águas nas medidas que referi. No final deu novamente muito alto e já não consegui voltar a medir correctamente. Seja dito que a paciência terminou porque já era quase uma da manhã. Hoje quando chegar a casa já volta à carga.

Pelos meus cálculos a salinidade deve estar entre os 1023 e os 1026. Caso esteja abaixo do que pretendo aconselhas a deixar estar e ir repondo porque com a aevaporação vai acabar por subir ou a corrigir já? E vice-versa... caso esteja nos 1026, aconselhas a fazer já uma tpa e corrigir, ou deixar a na próxima tpa tenar baixar?

Posso colocar carvão no escumador?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esqueci-me que não estás a usar um filtro... 🙃

Se colocares um saquinho com carvão activo dentro do aquário onde houver algum fluxo de água também dá.

O escumador convém estar sempre o mais limpo e livre possível para fazer o trabalho como deve ser. No escumador, se o líquido que aquilo retira cheirar muito mal (que é normal) podes usar daquelas esponjas com carvão activo por cima da tampa para neutralizar o odor.

 

A salinidade 1026 é o ideal, podes ir ajustando aos poucos. Para já o mais importante é tratares da bomba de água, que é essencial.

Share this post


Link to post
Share on other sites