Diesel_Car

Membro
  • Posts

    955
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by Diesel_Car

  1. Olás, Não tenho mbunas há muitos anos, mas parece-me um Labeotropheus trewavasae. Cumps, Nuno Reis
  2. Olás, Nitratos a 40mg/l (o primeiro teste é que interessa, não ligues aos outros) são elevadissimos já por si, não vejo necessidade de fazeres a diluição a não ser por mera curiosidade... Agora trata de resolver os 40mg/l e o resto não interessa. Cumps, Nuno Reis
  3. Olás, Muito mais que a altura, tens de pensar bastante na largura do aquário. Seja para comprar HQI de 150 ou 250, tens de primeiro pensar na quantidade de projectores que queres, tendo noção que cada projector ilumina uma área de sensivelmente 70x40 a 20-25cm de altura da água. Por exemplo num aquário de 1m de comprimento, tens obrigatoriamente de comprar 2 projectores, senão ficarás com os cantos muito mal iluminados. Quanto á potência, aí sim deves pensar no volume do aquário. No caso do teu, basta um projector 70w...ou 2xt5 27w ou mesmo 4xt5 27w. Para projectos complexos...contacta o "ramirezi". Na minha opinião, ao invés de estragares um Lifectech ou outra calha qualquer, facilmente consegues obter uma bela luz comprando: - balastro + arrancador para HQI 70W - projector 500w halogéneo - lâmpada hqi 70W - 2-3 metros fio elétrico Juntas tudo na batedeira...e voilá, ficas com um projector bastante agradável á vista. Cumps, Nuno Reis
  4. Olás, O grande problema desse tipo de receitas é o facto de se desfazerem totalmente na água. A melhor solução é adicionar SEMPRE gelatina á mistura para os cubos, quando descongelarem, manterem-se intactos (a "Ocean Nutrition" faz isso nas comidas congeladas deles...e é excelente!!). Pessoalmente nunca percebi a lógica de usar coração de boi (ou outra parte qualquer do dito animal) na alimentação dos peixes, mas enfim... Provavelmente o que se passou no aquário do BadBoy foi excesso de matéria orgânica em decomposição, com o respectivo pico de amónia. Cumps, Nuno Reis
  5. Luis, Descansa que vais ter xénias para dar....vender....e deitar para o caixote Cumps, Nuno Reis
  6. Olás, Os castanhos parecem-me Palythoas e não Parazoanthus... Não sei se se aplica também á guerra química entre corais, mas algumas espécies de palythoas possuem um dos venenos mais tóxicos do mundo, totalmente mortal para os humanos. Cumps, Nuno Reis
  7. Olás, Nem por isso... Se tens 432 litros de água, deverias ter cerca de 40-50 quilos de rocha viva (10-20% do volume total do aquário), idealmente cerca de 80quilos. Como se trata de um rombo enorme no bolso, podes comprar mais 5 quilos de viva e completar o resto com rocha morta...de modo a perfazer os tais 40-80 quilos. Prepara-te para, com 20 quilos de rocha viva, teres uma maturação mais lenta do aquário. Sendo assim, vais ter de ter ainda mais calma a colocar vida... Segue todos os parâmetros químicos com atenção (testes semanais, mudanças de água semanais, cuidado com a alimentação, etc), e vais ver que consegues um belo aquário em menos de nada. Cumps, Nuno Reis
  8. Olás, Depois de 8 meses com um salgado da costa 60litros (março - setembro 2004), 1 ano e meio com um reef 140L (setembro 2004 - fevereiro 2006), resolvi fazer um upgrade para um reef mais a sério - 300L. Aproveitei tudo o que tinha no 140L, comprei mais algumas coisinhas e em janeiro deste ano comecei a montar um reef maior. Como sou um gajo apressado, comecei a montar o aquário em janeiro...e em fevereiro já tinha peixes e corais lá dentro. Felizmente tudo correu bem....graças ao facto de ter aproveitado bem o que tinha no 140. Setup: Aquário 150*50*40 Circulação: 1 powerhead 3800l/h + 1 powerhead 2000l/h + queda água escumador +/- 900l/h Escumador: 1 Jebo 180 (sei que parece insuficiente, mas não me posso queixar - no fim do ano compro um mais a sério). O facto de não ter sump diminui o leque de escolhas.... Iluminação: 2 x 150W HQI 10000K + 4 x 27W actinicas T5 Fotoperíodo: 11:00 - 22:00 actinicas ; 12:00 - 20:00 HQI Aquecimento: Jager 300W Arrefecimento: ventoínha 30cm - 45W -> 12:00 - 20:00 30 Kg rocha viva (aquário anterior) + 40kG rocha morta 70Kg aragamax sugar size - DSB 8cm frontal + DSB 12cm traseira/lateral Parâmetros: pH - 8,2 kH - 7-8 Cálcio - 350mg/l Nitritos, nitratos, amónia, fosfatos - 0 Aditivos: turbo calcium 2 em 2 dias + kalk todos os dias + bicarbonato sódio quando é necessário (até agora só 1 vez - kH= 4 com cálcio 460) Fauna: 1 donzela (Pomacentrus coelestis) 2 palhaços (A. ocellaris) 1 Zebrassoma flavescens 1 Ecsenius bicolor 1 Paracanthurus hepatus Anémonas: 1 Epycistis crucifer - casa dos palhaços há 1 ano e 1 mês SPS: 3 mini mudas Acropora sp. (1 verde + 2 castanhos) + 1 muda Acropora rosa LPS: Fungia Favites Euphylia Galaxea Tubastrea Moles: Actinodiscus (verdes, azuis, vermelhos, verdes metálicos) Zooanthus (verdes e laranjas) Xénia branca e castanha GSP Clavularia Sarcophyton - 2 Lobophyton - 3 Sinularia - 1 Restante bicheza: 15-20 ermitas 1 ofiuro grande Turbos da costa 1 caranguejo que não sei a espécie Ofiurídeos, estrelas pequenas, "baratas", fire-worms, misydáceos...ás toneladas. Vários tipos de macro-algas. Pragas detectadas: Xénia... 1 aiptasia (tenho-a há um ano, ainda não se dividiu) Dictyota aos baldes!!!! Tem corrido tudo bem com o aquário, tirando o facto de ter os LPS todos FU%" com o calor - 32ºC durante 2 dias, em que estive ausente (moles e SPS não sofreram nada - já montei uma "mini" ventoinha que resulta muito bem). Tenho uma praga brutal de dictyota (alga castanha), que tapa os duros todos, aumentando a fragilidade dos mesmos...para além de ser feia como tudo!!! O centro do aquário, devido á posição dos projectores, tem pouca luz (foi propositado), portanto optei por colocar corais não fotosintéticos, 1 sabella (comigo há 2 anos) e actinodiscus. Geral: Pormenor da "pequena" ventoínha... Peixes: Flavescens - no canto direito vê-se a aiptasia. Onde está o hepatus (não vale ver a foto abaixo...)???? Mais próximo.... :D No cantinho dele!! Um sarco a sofrer com o calor.... A anémona no seu cantinho: NORYYYYY TIMEEEE!! Tudo para a mesa!! Mais uma geral.... O meu cantinho dos actinodiscus... Acropora rosa (comprei para tentar recuperar (10€), perdeu todo o tecido em baixo) Fungia a recuperar...o calor fez os seus estragos em TODOS os LPS. GSP + Clavularia + xénia = total harmonia. Cumps, Nuno Reis
  9. Olás, Nunca experimentei cerites nem outros caracóis semelhantes, apenas turbos da costa, mas segundo tenho lido são excelentes a remover algas. Quanto aos nassários...não aconselho muito. Na natureza são excelentes detritivoros, que vivem enterrados na areia e no lodo. Já no aquário, para além de morrerem muito depressa devido á ausência de comida e temperatura elevada...os ermitas acham-nos um verdadeiro petisco e costumam matá-los para roubar as conchas. Nunca me duraram mais de 2 dias!! Generalizares não é um boa técnica de "ensino". Tal como as estrelas do mar e alguns ofiurídeos (género Ophiarachna ), há caranguejos predadores de corais e invertebrados, mas também há excelentes comedores de algas (género mithrax por exemplo - alguns com o tempo começam a atacar os peixes). Não concordo nada. Os palaemon são excelentes detritivoros para colocar no inicio do aquário. Mais tarde poderão até ser mortos por lysmatas ou, principalmente, por stenopus. No meu aquário geralmente duram 3 minutos, até a donzela dar cabo deles (por isso ainda não arrisquei em colocar lysmatas/stenopus)!! Os dois grandes problemas das macro-algas, especialmente género caulerpa, são: - podem tornar-se pragas (especialmente a racemosa e racemosa var. peltata), quase impossíveis de irradicar. - durante a esporulação, libertam esporos que tornam a água verde, quase eutrofizada. No entanto, ambos os problemas poderão ocorrer estando a alga na sump ou no aquário. Se tens hipótese de colocar as algas na sump, é preferível encheres o refúgio completamente com C. prolifera e/ou taxifolia. Torna-se um habitat excelente para a proliferação de microrganismos benéficos ao aquário e ajudam na desnitrificação - coloca iluminação na sump, não te esqueças. Quanto á halimeda, o principal problema é o facto de consumir cálcio "á bruta" (a estrutura das "folhas" é constituida por uma grande percentagem de carbonato de cálcio), podendo concorrer com os corais duros na absorção de cálcio. Nunca mantive halimeda (nunca me ofereceram ), mas lembro-me de ver o aquário do membro Diogo Lopes, há uns anos atrás, quando retirou os corais duros do aquário, ter uma praga brutal de halimeda a crescer por todo o lado... Como referi acima, pH a "8" pode significar muita coisa.... Cumps, Nuno Reis
  10. Olás, Sim, fazes bem. Para além de servir como meio de filtragem, a rocha viva serve também para colocares os corais... Mas quantos quilos tens de rocha viva? Cumps, Nuno Reis
  11. Olás, Na minha opinião, como equipe de limpeza, nada bate um bom grupo (20 ou mais) de ermitas (patas brancas, verdes, azuis...etc -> de pequena dimensão....não coloques nenhum "bulldozer" de 10cm!! ), meia duzia de ofiuros pequeninos e um ofiuro grande. Alguns caracois do mar (burriés ou "turbos" da costa) também são bemvindos, para um aquário desse tamanho apostava em apanhar uns 20 ou 30 e fazer uma boa aclimatização. Camarões da costa também são óptimos (género Palaemon). Também podes colocar um ou outro caranguejo (cuidado a escolher...) e, mais tarde, um lysmata ou camarão semelhante. Algumas estrelas que se vêem nas lojas também são boas, mas cuidado a escolher. Com o tempo, vão começar a aparecer pequenos anelídeos (fire-worms) no areão, assim como copépodes e isópodes (semelhantes a pulgas do mar) espalhados pelo aquário, excelentes a remover restos de comida . Esperemos que seja a última fase de algas que vês, mas é bem provável que com a introdução de alguma vida tenhas outro pequeno boom, perfeitamente normal e controlável com o tempo e mudanças de água, de algas. De forma muito simples, o teu objectivo no aquário vai ser teres todos os compostos azotados a zeros (amónia, nitritos e nitratos). Com esponjas e cerâmicas, consegues eliminar totalmente a amónia e os nitritos...no entanto estás apenas a transformá-los em nitratos. Ao fim de algum tempo, tanto a esponja como as cerâmicas serão apenas fábricas brutais de nitratos...com consecutiva produção massiva de algas. Outro grande problema das esponjas, e estas são mais problemáticas que a cerâmica, é o facto de apanharem toda a vida em suspensão no aquário (os tais copépodes e isopodes que falei acima), impedindo a criação de uma fauna grande o suficiente para eliminar grande parte das porcarias e restos de comida que se produzem. Com: - uma boa quantidade de rocha viva (cria espaço para a criação de uma fauna e floras variadas, espaço para colónias de bactérias, etc) - uma boa equipe de limpeza (apanham e comem os restos de comida e fezes) - uma boa circulação de água na coluna de água (obriga as porcarias a circularem no aquário e diluirem-se na água) - um bom escumador (elimina todos os restos orgânicos em suspensão) Consegues manter um aquário sem grandes problemas, eliminando a necessidade de limpar esponjas e manter cerâmicas. Não sei qual o design da tua sump, mas se tiveres espaço, cria um bom refúgio no lugar onde tens as cerâmicas. Aproveita e faz uma camada de areia com cerca de 10-12cm de altura - DSB - para ajudares ma desnitrificação. Cumps, Nuno Reis
  12. Olás, Como sabes que o aquário não está estável, assim como o valor de pH? A única indicação que temos é o facto do pH estar a 8 (nos testes de tiras, geralmente os valores variam de 0,5 em 0,5), não sabemos se foi uma medição bi-diária (manhã e noite, todos os dias) ou ocasional (1 vez por semana). Sem adicionar vida, para além da rocha viva, vai ser complicado saber se o aquário está estável e estabilizá-lo. Mesmo não tendo havido produção de nitritos nem nitratos, o aquário pode muito bem estar pronto a receber peixes e outros seres vivos. O facto de ter, ou não, nitritos e nitratos, pode significar que foram produzidos e eliminados. Como já referi, o ideal seria adicionar algumas macro-algas e/ou alguns corais moles. No entanto, não vejo mal em adicionar um ou outro peixito...desde que com total controlo dos parâmetros. Se se trata de um aquário de 20 litros, aí sim...como diz um grande amigo meu - "esquece lá isso" - não coloques os peixes. No entanto...é um aquário de 432 litros. O que queres dizer com "sistema de filtragem"? Não inclui nada de bio-balls, cerâmicas ou esponjas/lã de vidro...não? Se incluir...desmonta isso tudo e faz a filtragem apenas com o escumador + rocha viva. Coloca aqui a relação que tens em termos de circulação dentro do aquário, iluminação total, Kg de rocha viva, água que usas na reposição, etc. E respectiva transformação em precipitado de carbonato de cálcio...insolúvel em água ( = desperdicio de hidróxido de cálcio). Kalk, hidróxido de cálcio, kalkwasser, lime-water...etc, é tudo a mesma coisa. A função principal é elevar e manter os níveis de cálcio da água. Também tem a função de impedir um abaixamento de pH durante a noite, aumentar um pouco o kH (nunca notei nada...) e precipitar fosfatos (nunca notei esta função, pois sempre tive fosfatos nulos). Injecta-se no aquário numa relação de 1 colher de chá (de plástico...) para cada 5 litros de água doce (de preferência de osmose). Dilui-se muito bem sem agitar (não deixes entrar bolhas de ar na garrafa), e deixa-se gotejar para o aquário de modo a repôr de forma lenta a quantidade de água evaporada. A melhor altura para injectar é durante a noite, devido ao abaixamento de pH durante esta fase (produz-se mais CO2 durante a noite, portanto o pH tem tendência a baixar - usa-se o kalk para contrapôr este abaixamento). Atenção ao kalk...se notares que o kH está muito baixo, o pH muito alto ou os níveis de cálcio demasiado altos...pára imediatamente de injectar. Prepara-te para teres o aquário com bastantes algas castanhas...depois algumas verdes...e mais tarde um belo aquário cheio de coralina, corais e peixes. Good luck! Cumps, Nuno Reis
  13. Olás, Quando me refiro ao setup...refiro-me mesmo aos equipamentos que estás a usar (tamanho do aquário; bombas e sua potência l/h; iluminação; filtragem - escumador ou não; substracto que usaste; água de reposição que usas; etc). É a melhor altura para reveres se tudo está como deve de ser, antes de colocares os primeiros habitantes. De qualquer forma, acho que podes arriscar a colocar uns palhacitos ou uma donzela pouco agressiva (será que isto existe...? ). Medires os níveis de cálcio também pode ser uma boa ideia, não sei se estás a injectar kalk, mas é um parâmetro que convém ter sempre em consideração. Cumps, Nuno Reis
  14. Olás, Não sei como testaste o Gh, mas se foi com gotas...tiveste uma trabalheira desgraçada para nada. Devido ao teor elevadissimo de sais na água salgada, não se mede o Gh. Da próxima já sabes... Coloca o setup, para vermos se tens o aquário bem montado ou se deves fazer alguma alteração, de modo a não teres problemas no futuro. Vais colocar corais? Uns corais moles antes de colocares os peixes pode ser benéfico. Se conseguires arranjar umas macro-algas (caulerpa prolifera ou taxifolia, não coloques racemosa...), também poderão ajudar no inicio. Cumps, Nuno Reis
  15. Olás, A impermeabilização parcial da rocha viva, isto é, a cobertura da parte exterior da rocha viva é feita tanto através de algas coralinas como de "outros" seres (anelideos - serpulideos, sabelídeos, etc - e moluscos com concha calcária). Mas...o que acontece quando os seres morrem? Pois é, ficam os esqueletos... A rocha viva de boa qualidade é tão leve pois é feita básicamente de esqueletos calcários, entrelaçados entre eles. São estes esqueletos que tornam a rocha viva um material tão poroso e permitem a grande acumulação de bactérias no seu interior. As algas coralinas quando morrem deixam também o seu "esqueleto", aumentanto em parte o volume da rocha e criando mais zonas porosas. Esta porosidade também permite criar zonas anaeróbias e escuras, onde se depositam as bactérias desnitrificantes...onde o nitrato é decomposto. A constante deslocação de seres vivos (incluindo bactérias) para o interior da rocha, permite a passagem de pequenas quantidades de água para as zonas sem oxigénio, tal como acontece com as DSB. Em termos gerais, a desnitrificação dentro da rocha viva, deve equivaler a um valor muitissimo baixo...sendo o restante decomposto pela DSB e por macro e micro algas. Mesmo enquanto está viva, a alga coralina proporciona outras vantagens, nomeadamente: - impede o crescimento de outras micro-algas na própria rocha viva - cria passagens e buracos na rocha viva, onde se instalam muitos seres vivos - a sua extrutura porosa permite aos corais agarrarem-se com mais facilidade Cumps, Nuno Reis
  16. Olás, Só pelo preço...é asneira de certeza!!! :D Fora de brincadeiras, podes usar sem problemas. Relê bem a análise química da água e vê se é mesmo água pura ou se tem outros componentes. Cumps, Nuno Reis
  17. Olás, Quanto ao peixe da primeira foto, é um peixe-cachimbo ou marinha (género Syngnathus) . É muito semelhante aos cavalos-marinhos, portanto...difícil de alimentar. Quanto ao camarão, é um camarão mouro ou negro (Crangon crangon). Não te aconselho muito a trazer animais para casa sem saberes do que se trata realmente. O peixe cachimbo não deve durar muito tempo num aquário de recife... Cumps, Nuno Reis
  18. Já agora... Néon chinês com uma semana: 1 mês: 41 dias: Cumps, Nuno Reis
  19. Olás, Cá vai: . Acho que é algo assim...mas com uma caudinha!! Cumps, Nuno Reis ps- http://www.ejpau.media.pl/series/volume4/i...art-02-fig4.jpg (isto é um alevim de truta, a escala para um alevim de néon é bem diferente...claro...embora o "design" seja equivalente.)
  20. Olás, Tratam-se de Oryzias latipes, ou de forma mais comum, "medakas" ou "killies dos arrozais". São pequenos peixes muito resistentes, muito usados em pesquisa genética (são os famosos peixes aos quais se injectaram genes de medusa, para ficarem fluorescentes, a par dos danio zebra). São oriundos do japão, coreia do sul e china. Crescem até 5,5cm e as fêmeas são mais gorduchas (nos exemplares que temos em loja, só depois de muita observação se descobrem as diferenças) e nos machos a barbatana anal é pontiagudo. Gostam de água limpa e arejada, sem grandes cuidados relativamente á temperatura. Em termos de cuidados, são muito semelhantes aos néon-chineses ("white cloud", nas lojas Ornimundo, Tanychtis albonubes), embora os últimos necessitem de ambientação a água fria durante alguns dias (tenho os meus em lago exterior há 2 anos, sem problemas), pois são vendidos e ambientados a água quante. Em termos de alimentação, deliram com alimento vivo/congelado, mas gostam bastante de flocos. Os medaka reproduzem-se de forma muito engraçada, pois os ovos ficam colados na zona anal da fêmea, onde são fertilizados pelo macho. Por acaso nunca observei este comportamente em loja, espero fazê-lo quando os meus se reproduzirem no lago. Espero ter ajudado, Cumps, Nuno Reis
  21. Olás, Sim, podes, se quiseres temperar a salada de alface. Para que querias o sal? Não era para fazer água salgada para utilizar num aquário, nao? Se fôr para utilizar num aquário, esse sal não tem os "ingredientes" totais nas suas proporções correctas para fazer uma boa água salgada. Basicamente trata-se de cloreto de sódio com meia duzia de outros sais, mas poucos nas concentrações correctas. Cumps, Nuno Reis
  22. Olás, As tabelas de compatibilidades não devem, pura e simplesmente e salvo algumas excepções, ser aplicadas em aquário e servem apenas a título informativo. As anémonas do género heteractis não devem, ponto final, ser mantidas em cativeiro.... Os meus occelaris adoptaram, há 8 meses atrás, mais ou menos, uma Epycistis crucifer (das caraíbas...). Não tem nada a ver com as anémonas que adoptariam no habitat natural, mas não deixou de ser uma opção valida para eles. Trata-se de uma anémona fácil de manter e que nunca sai do mesmo sitio, não sendo muito agressiva para os outros peixes. Sofre, como todas as anémonas, com falta ou excesso de luz e não é esquesita com a comida (tanto em termos de tamanho como periocidade com que é alimentada). Já perdeu totalmente a cor por duas vezes (a última vez foi há 2 semanas, quando a mudei de aquário), felizmente ao fim de uns dias as zooxanthelas voltaram a crescer e a cor voltou. SouSa: antes de comprares uma anémona (pessoalmente acho que, das incluidas nas tabelas, só as Entacmaea e as Stychodactyla devem ser mantidas...embora estas últimas apenas em aquários bem grandes só para elas, sem peixes nem corais), pensa na quantidade de luz que tens, arranja um local no aquário ideal para a colocar e pensa bem se queres mesmo uma anémona. São animais bastante sensiveis e mudanças, podendo morrer no aquário de muitas formas possíveis (excesso/ falta de luz, excesso/falta de corrente, excesso/falta de comida...etc). Além disso, correr sempre o risco dos palhaços nem lhe tocarem!! Cumps, Nuno Reis
  23. Olás, Será que podes explicar melhor esta parte, pelo que sei, o kalkwasser não aumenta o kH por si só, mas apenas o pH....sem tocar no kH. De que forma o kalk aumenta o kH? O que faz é aumentar a "alcalinidade" (entre aspas, não falo no kH), ou seja, o poder da água para fazer subir o pH (aumento da concentração de OH- vindo do hidroxido de cálcio), certo? É por isso que é adicionado durante a noite, para combater a produção de CO2 (abaixamento de pH) através da adição de OH- á água (aumento de pH). Para subir o kH (ou alcalinidade, dureza de carbonatos - poder da água para manter o pH num nível desejado), a única forma é adicionar carbonatos/bicarbonatos soluveis em água, ou o kalkwasser também o faz de uma outra forma? Se tiver um nível baixo de cálcio e alcalinidade, devo adicionar apenas kalk ou algum repositor de alcalinidade também (bicarbonato de sódio ou kh-buffer, para além da lógica mudança de água)? Em que alturas, tudo junto ou separado? Dia/noite? E kH elevado, com cálcio baixo? E o oposto (calcio alto, kh baixo - com pH constante), o que devo adicionar? Sempre tive niveis médios de cálcio e kH (300ppm calcio e kh 6, com pH baixo - 8,1-8,2 sem oscilações nocturnas), e como não tinha corais duros nem nada que consumisse cálcio para além das algas coralinas, adicionava kalk por "precaução". Mantinha mudanças de água regulares, o que nunca levou a problemas de falta de cálcio/kH nem desordens no pH. Com o novo aquário que montei, já que quero manter corais duros, queria saber quais as diferentes formas de manter o kH/cálcio/pH constantes, sem uma parafernália de equipamentos enorme (não tenho sump...) e apenas com adições pequenas de buffer's tipo kalk ou bicarbonato (já vi o "calculador" online que colocaram num outro tópico, mas parece-me demasiado confuso). Cumps, Nuno Reis
  24. Olás, Já coloquei os peixes que tinha no antigo reef (150L) no aquário novo, e vi a real dimensão da minha donzela: está um bicho enorme!! Sendo assim, acho que vou ter de pensar melhor nos peixes que vou introduzir para ela não dar cabo deles. Um YT não deverá ser problemático, agora com um hepatus (devido á semelhança na coloração) deverá haver muitos problemas... Próxima compra: Zebrassoma flavescens...daqui a 1 mes e meio. Cumps, Nuno Reis
  25. Olás, Como também estou a montar um aquário com a mesma capacidade, embora com medidas bem diferentes - 150x40x50 (CxLxA) -, também gostaria de saber se é possível colocar um YT e um hepatus num aquário com esta capacidade. No total vou ficar com 1 donzela (Pomacentrus coelestis), um Ecsenius bicolor e 2 Ocellaris - do aquário antigo, devem entrar no novo amanhã - 1 Psedocheilinus hexataenia, 3/4 Nemateleotris magnifica ou 3/4 Pterapogon kauderni (cardinal de bangai) - para comprar aos poucos. Entretanto irei colocar um YT e gostaria de saber se ainda me "cabe" um hepatus... A rocha viva/morta foi colocada encostada ao vidro traseiro, para permitir um maior espaço de "natação" para os peixes, mas de forma a albergar os corais (o espaço lateral não é muito...mas lá consegui ajustar a decoração). Cumps, Nuno Reis