Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 05/17/2019 in all areas

  1. 2 points
    Bom dia, Me chamo Bruno, tenho 43 anos e sou do Brasil (Rio de Janeiro). Estou trabalhando e morando cá em Lisboa. Pratico aquariofilia desdes os meus 22 anos (quando estudava Biologia na faculdade). Meu primeiro aquário era de 80 litros. Meu último aquário e sem dúvida a melhor experiência que tive até hoje, foi um aquário de 1000 litros fabricado por mim e por meu pai. Utilizamos uma caixa de água (depósito de água) de material rígido (amianto). Cortamos a frente e a uma lateral e colamos vidros de 12mm. Os vidros foram colados com cimento especial e silicone. A parte interna foi pintado de azul com tinta epoxi especial.
    Aquário 1 Aquário 2
    Este aquário ficou montado por 21 anos. Só foi desmontado com a minha vinda para Portugal. Por 18 anos o aquário basicamente era comunitário e plantado, estilo amazônico Tinha espécies pacíficas de todos os continentes. Ph 5.8 a 6.2. A manutenção era feita com água de poço. Nos últimos 3 anos, converti o aquário para criação de ciclídeos africanos, com alguns ciclídeos das américas do norte e sul. Passei a utilizar a água da chuva para fazer manutenção do aquário. Antes de vir para cá, consegui uma cria de Socolofi Cichid (Azul x Albino). Agora, quero montar um aquário menor, de uns 120 litros, entretanto marinho. É um projeto pessoal que deve ser feito até o fim deste ano. Gosto de pesquisar bastante e pagar o menos possível para montar o aquário. O aquário será de corais + peixes. Corais moles e duros. Os peixes basicamente da região da oceania (oceano índico). Desde já agradeço a todos! Grande abraço, Bruno Amaral
  2. 1 point
    Boas! Quando comprei o termo da Eheim também tive de corrigir a temperatura nele porque colocava numa certa temperatura e no termometro mostrava outra diferente. É questão de, se for possível, corrigires no próprio termostato. A pior história que já tive, foi uma atitude de completo amadorismo e inciante e até sem desculpa. Nas primeiras semanas e no primeiro aquário que tive, tinha alguns danios e guppys e nesse aquario tinha um filtro de mochila da Eheim. Naquela de fazer TPA e limpeza fiz uma total burrice com consequências... tirei para limpar a peça do inflow do filtro que fica submersa. Pensei que fazendo rápido e os peixes eram "granditos", não ia haver stress. Mas claro que houve... perdi 4 guppys 😞.
  3. 1 point
    De certeza que devem de comer qualquer coisa mas normalmente a ração dos camarões afunda rápido, o que pode fazer é alimentar os néons e depois quando estiverem cheios meter a ração dos camarões, já irão comer menos de certeza. Mas se fosse a si não dava comer aos camarões todos os dias, eles têm algas para comer tem restos do comer dos peixes para comer também aproveite para os deixar dar uma limpeza nos restos também.
  4. 1 point
    Boas pessoal. Por aqui continua quase tudo na mesma. Esperava ver mais "verde" nesta montagem mas nem a eleocharis mostra os sinais que esperava. Já coloquei o filtro externo e o SAE para ver se ajuda na limpeza. Ver se arranjo uns Ottos para ajudarem também. Enviado do meu Redmi Note 5 através do Tapatalk
  5. 1 point
    Boas Dário Soares Ainda mal começou o ciclo,tens muito pouco tempo,ainda vais ter um pico de Amónia,depois os Nitritos,e só quase ao fim do ciclo quando estes dois parâmetros estiverem a 0,então vem os Nitratos aqui então já podes colocar o primeiro peixe,e claro que os Nitratos vão ser absorvidos pelas plantas,por isso e que e bom ter logo uma quantidade de plantas de crescimento rápido para absolver uma parte dos Nitritos,podes e colocares dia sim dia não,podes colocar umas escamas de comer de peixes,para criar Amónia e a sim começar a criar bactérias. Cumprimentos
  6. 1 point
    Boas amigos. Hoje nasceram os meus primeiros crystal. Cumprimentos
  7. 1 point
    Boas, Os helena são efectivamente predadores e comem outros caracóis, mesmo de dimensões consideravelmente maiores. Não conheço nenhum caso em que tenham atacado peixes saudáveis. Existem algumas opiniões contraditórias em relação a camarões. Há que defenda que os helenas conseguem matar mesmo camarões saudáveis. Pessoalmente, acho que para um camarão não conseguir fugir de um caracol, não pode estar bem de saúde! 😁
  8. 1 point
    Pois eu reparei que você entendeu daí ter tentado editar o post ao que parece já não fui a tempo [emoji28] mas sim podes trocar sem problema no futuro mas tens de ter atenção ás tpa's e às limpezas do filtro o filtro externo como tem mais cerâmicas aguenta um bocado mais sem tpa's Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  9. 1 point
    É verdade de facto um filtro externo é um bocado "puxado" para o início dado que há outras opções mais baratas eu metia dentro desse filtro cerâmicas em baixo e perlon em cima(penso que o fluxo da água seja feito de cima para baixo) o objetivo é limpar e depois passar pelas cerâmicas Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  10. 1 point
    Eu paguei entre 35 a 40€ por 9Kg de substrato (já não me lembro bem mas o valor deste substrato anda à volta disso) mas tens outros melhores(+€) Depende do que estás disposto a pagar. Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  11. 1 point
    Erro meu o substrato é Aquarium Soil da Tropica peço desculpa pelo lapso Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  12. 1 point
    As plantas "baixinhas" são Heteranthera Zosterifolia é a mesma planta que vês na direita do aquário aquela planta que ocupa a lateral só que as que estão na frente são podadas sempre que faço tpa's(ou quando acho que as plantas no geral estão a precisar de poda)o que faz com que se mantenham sempre rasteiras faz um efeito de tapete e o melhor é que essa planta é uma planta de fácil manutenção Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  13. 1 point
    A vida das corydoras baseia-se em remexer o fundo à procura de comida as pygmaeus nadam um pouco mais pela zona média do aquário mas as outras para além de focinharem o substrato normalmente só passado um tempinho é que ganham hábitos diurnos o que indica que normalmente estão mais ativas de noite e se abrirem um buraco no substrato de noite.. eu não gostaria de passar por isso porque você não vê não tem tempo para reagir a tempo e quando acorda.. RIP Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  14. 1 point
    E o bom do substrato fértil que permite contacto com água é que você nunca está preocupado com o E se? E se eu mexer no substrato e ficar substrato fértil em contacto com a coluna de água?? Essa preocupação acaba porque sabe que não haverá problema não sei se em termos €€€ o substrato que lhe estou a falar é mais caro ou mais barato sinceramente estou por fora dos preços sei que estou a usar o Tropica Plant Growht Substrate e estou a gostar nem sequer lavei o areão foi só meter no aquário e encher esperar 2 semanas(já tinha o ciclo feito foi só trocar de substrato mas como liberta sempre amónia no início tive de dar algum tempo) meti os peixes e está bom, podes ver o aquário a foto não é a melhor mas é o mais recente que tenho Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  15. 1 point
    Se por acaso algum dia quiseres corydoras eu não aconselho ter com um substrato fértil que não possa estar em contacto com a água a não ser que tenhas uma quantidade de areão generosa Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  16. 1 point
    Sim podes meter sempre o areão por cima o substrato que estou a falar não permite grandes mexidas mas garanto-lhe que permite mais do que o fértil que você estava a falar e já agora depois de meter fértil e areão será que vai querer mexer?? É que vai misturar o fértil com o areão quando mexer Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  17. 1 point
    Corydoras também podem dar conta do recado corydoras panda, hastatus e pygmaeus são exemplos de corydoras que não crescem muito relembro que as outras embora não fiquem muito grandes ficam bastante robustas e quanto mais pequeno for o peixe mais espaço vai haver no fundo do aquário Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  18. 1 point
    Néons e Galaxys são pacíficos qualquer limpa vidros serve, se tiveres madeira no aquário aconselho ancistrus mas qualquer um serve que se encaixe no teu pH e que o aquário possa comportar em adulto serve. Quanto ao substrato fértil eu sempre olhei para substrato fértil que pode estar em contacto com a coluna de água é uma opção mas eu acho muito melhor dado que se houver problemas de peixes a escavar ou você mesmo precisar de mexer um pouco no substrato pode enquanto em qualquer uma destas opções com um substrato fértil que não possa estar em contacto com a coluna de água... Poderá ter um problema grave algo como pico de amónia e consequentemente peixes mortos ou excesso de nutrientes na coluna de água e consequentemente excesso de algas ou os dois juntos.. óbvio que há muita gente que usa assim como você estás a dizer e corre tudo às mil maravilhas é uma opinião minha apenas prefiro não arriscar Enviado do meu RNE-L21 através do Tapatalk
  19. 1 point
    Parece o mesmo, claro que aí está uma femea, mas qual o comprimento dessa?
  20. 1 point
    Vou dar a minha opinião pessoal baseada apenas no meu gosto pessoal. Vale o que vale :) Eu optava por linhas direitas tipo o móvel que o Miguel fez. Sem prateleiras externas onde acumula pó e onde fique exposto a desarrumação própria de um verdadeiro aquariofilista!!! :p Não te esqueças que espaço para colocar os equipamentos nunca é demais! No (velho) tempo em que esses móveis foram criados não havia filtros, botijas de CO2, aquecimentos externos, bombas doseadoras, fertilizantes, comidas, material para limpeza, camaroeiros, pinças, tesouras, e mil e uma coisas onde estouramos o dinheiro!!! E um conselho final: um bom sistema de eletricidade, vais precisar de muito mais fichas do que pensas para ligar toda a parafernália.
  21. 1 point
    Boas pessoal, é com imenso prazer que venho apresentar meu projecto, que por acaso já iniciei a mais ou menos 2 ou 3 anos, pois é, demorou sim, um bocado, também com o preço das coisas, teve de ser devagar, mas como me disse um membro daqui do fórum, "devagar se vai ao longe" , e olha que ainda faltam algumas coisas, algumas mais importantes que outras, mas enfim, é assim mesmo, vai se andando devagar, mas entretanto, já o enchi e o meti a ciclar, mesmo com o que tenho, pois já dava para fazer isso. Vou dizer o que já tenho, e o estado da coisa. Detalhes do sistema Aquario 160 x 60 x 55 com coluna seca de 50 cm, vidro frontal extra claro, vidro traseiro com vinil preto Sump 95 x 45 x 45 com 3 divisões sendo 65cm para escumador e etc..., 15cm bomba de retorno e 15cm deposito de água de osmose Estrutura 160 x 60 x 100 um aço, pintado a preto com tinta própria para o efeito devido a água e o sal, forrado a vidro preto Tubo de escoamento 50mm e tubo de retorno 25mm, com o vulgar durso na coluna seca, no retorno 3 torneiras para reactores. 2 bombas de circulação RW15 jebao ( já encomendada a espera que cheguem ) Aquecimento 1x 300w termostato electrónico (não sei a marca depois actualizo, sei que preciso de mais um, mas por enquanto fica só este, ate comprar outro) Sistema de reposição com uma bóia para avisar que a bomba não trabalhe a seco e sensor de nível da agua salgada Filtro 2213, que estou usando apenas para carvão ativado, que por sua vez e alimentado por uma das torneiras do retorno, logo ele não esta ligado a corrente eléctrica Escumador Deltec 1660 com bomba DC regulável Iluminação 6x80w Ati, até o momento 2 actínias que acendem primeiro e 4 brancas que ascendem 1 hora a seguir as actínias Bomba de retorno jebao DC 6000l com controlador Areia de coral sugar size tmc 25 kg Agora algumas fotos do material, para que o tópico não seja somente texto Enviado do meu iPad usando o Tapatalk
  22. 1 point
    Novo habitante da ilha, um eremita de patas verdes que achei muito engraçado, porém assim que chegou já foi logo jantando um dos camarões kkkkk Enviado do meu iPhone usando o Tapatalk
  23. 1 point
    INICIAÇÃO AOS AQUARIOS DE ÁGUA SALGADA Antes de nos iniciarmos neste apaixonante Hobby devemos ler muito, fazer perguntas ,nos fóruns e nas lojas, ver vários aquários, pedir conselhos ,orçamentos( 2 ou 3 em lojas distintas e avaliar as diferenças , nem sempre o mais barato é melhor) e tentar estabelecer uma relação de confiança com uma ou 2 lojas. Se não temos dinheiro para montar um aquário grande como deve de ser, mais vale fazer um mais pequeno do que baixar duma qualidade mínima, susceptível de comprometer o bem estar dos peixes e dos corais e de nos levar a desistir. Devemos antes de mais nada praticar uma aquariofilia ética e responsável com respeito pela natureza e pelos animais que queremos manter. - Peixes Peixes anjo, borboleta , palhaços, donzelas etc. Mas em aquariofília marinha geralmente os peixes e corais são conhecidos pelo seu nome cientifico. Antes de os adquirirmos temos que ter em conta as suas necessidades. Existem peixes que simplesmente não se conseguem manter em aquário devido à sua dieta altamente especifica. Temos também que ter em conta o seu crescimento, necessidade de espaço e compatibilidade com outras espécies. Os peixes de água salgada são muito mais territoriais Para saber o que precisamos , é necessário antes de tudo determinar o espaço disponível, quais os peixes e corais que queremos manter e qual o máximo que pretendemos gastar. É claro que existem equipamentos indispensáveis aos quais não poderemos fugir sem estarmos a colocar em causa o bem estar dos peixes e corais. - Peixes “reefsafe”Peixes que não comem corais e outros peixes - Corais moles Corais sem esqueleto calcário, anémonas - Corais duros LPS Corais com esqueleto calcário de pólipos grandes - Corais duros SPS Corais com esqueleto calcário de pólipos pequenos. Geralmente precisam de muita luz e circulação e de águas muito limpas , pobres em nutrientes. - Outros invertebrados Camarões, caranguejos , caracóis, vermes tubo , ouriços, estrelas ,etc - Macroalgas São algas do tipo da Caulerpa e Chaetomorpha que se usam nos refúgios - Microalgas São as algas que fazem a vida negra aos aquarioflistas de recife porque invadem o aquário ,matando os corais , acabando por o dominar. O objectivo principal do aquariofilista de recife é manter estas algas controladas através da redução da matéria orgânica, dos fosfatos e nitratos. # Algas filamentosas( algas verdes que parecem cabelos); # Cianobactérias ( algas viscosas, vermelhas acastanhadas , verdes ou negras que fazem uma espécie de lençol sobre o substrato e a rocha viva); # Diatomáceas ( pó acastanhado sobre o substrato e a rocha viva ) AQUÁRIO - Tamanho Quanto mais volume tiver um aquário mais fácil é de manter porque perdoa mais as asneiras através da diluição. Ou seja , é mais estável porque as variações levam mais tempo a acontecer. No entanto podemos ter aquários bem sucedidos com apenas 50 litros de água. Os aquários maiores permitem-nos ter mais espécies e sobretudo espécies de peixes que necessitam de mais espaço. A desvantagem do tamanho é que os custos são proporcionalmente maiores ,sobretudo em termos de iluminação e rocha viva. - Forma Geralmente são rectangulares .A altura não deve exceder os 80 cm, idealmente os 60 cm . aquários altos são difíceis de manter, iluminar, oxigenar e decorar. Deve ser o mais largo possível para tirarmos partido da decoração acentuando o efeito de profundidade e ter mais espaço para colocar corais mais bem iluminados. - Furado ou não Isto depende se queremos ter sump ou não . Se optarmos por sump ,o que é sempre melhor , podemos furar o aquário no fundo , no meio ou a um canto e fazer uma coluna seca( caixa de vidro á volta do furo com um “pente” por cima por onde escoa a água ) para que a camada superficial da água decante libertando-se daquela irritante película de óleo e poeiras que vemos á superfície dos aquários sem sump. A altura coluna seca vai determinar a altura da água no aquário e dar protecção para que se faltar a electricidade a água do aquário não baixar para além da coluna seca. As colunas secas tendem a fazer barulho quando a água escoa mas isto pode ser minorado através da construção de um Durso - http://www.aurx.net/saltwater/durso.html Se não quisermos fazer coluna seca podemos furar o aquário em cima e colocar uma “pinha “ de protecção. Em qualquer dos casos o furo de saída deve ter pelo menos 40mm idealmente 50 e em aquários grandes devemos fazer mais do que um. Se não quisermos ou não pudermos furar também podemos colocar um “ overflow” .Existem alguns modelos fiáveis à venda nas lojas de aquariofilia. - Tapado ou não Não se usam aquários tapados em água salgada devido ao aumento da temperatura, à dificuldade de iluminação ( só poderíamos usar fluorescentes) e á dificuldade de oxigenação ( acumulação de CO2) que isso acarretaria . Sump- O que é ? – A sump não é nenhum filtro por si só . É apenas um reservatório que funciona como uma extensão do aquário. Não é fundamental mas é muito útil. Existem muitos aquários de sucesso sem sump. - Vantagens # aumenta o volume de água # permite esconder o equipamento( aquecedores, bombas, reactores, escumador etc ) para não estar no aquário principal # faz decantação dos sedimentos , tornado mais fácil a sua remoção por aspiração. # há quem aproveite uma parte as sump para fazer um refugio TEMPERATURA - Ideal entre 24 e 26 º. Acima de 28 teremos problemas com os corais nomeadamente com o branqueamento dos SPS. - Aquecimento . Devemos usar geralmente um termostato ou melhor dois que assegurem cerca de 0,5 W por litro . Par aquecer a 25 º será geralmente suficiente no nosso país. - Refrigeração. Geralmente temos que usar ventoinhas no verão, dirigidas para a superfície da água para aumentar a evaporação e arrefecer a calha de iluminação ( nomeadamente as lâmpadas HQI produzem muito calor ). Se não for suficiente teremos que comprar um refrigerador para aquários. ILUMINAÇÃO - Intensidade luminosa – medida em lumens - Potência – Medida em wats. Utilizemos como referência um W por litro de água para aquários de recife com corais duros . Claro que isto depende da altura do aquário . Aquários muito altos( superiores a 60 cm de altura) exigem mais iluminação (para atravessar a coluna de água ) - Temperatura de côr- medida em graus kelvin – diz-nos se a cor da luz é amarela, branca ou azulada . Quanto maior o nº de Kelvins mais azul é a luz . Luz amarela ,mais próxima da luz solar – aproximadamente 6500 K; Luz branca , quando a luz solar entra na água vai ficando progressivamente mais branca – 10000 K Luz branca azulada – 14000 K Luz azul intenso – actínica 20000 K Exemplo- Aquário de 200 litros ,isto é de 120x40x50 cm - fluorescentes T8 – Poderão servir para aquários só de peixes ou aquários inferiores a 40 cm de altura apenas com corais moles. Imaginem quantas lâmpadas necessitaríamos para o nosso exemplo- cerca de 6 de 115 cm ou seja de 34 W para atingir a tal referência de 1 W por litro. Não cabiam em 40 cm de largura do aquário. - fluorescentes T5 Servem para aquários de recife até 60 cm de altura. Comparativamente às T8 têm cerca do dobro da potência em W para o mesmo comprimento. Por exemplo uma T8 de 150 cm tem 40 W enquanto uma T5 com o mesmo comprimento tem 80W. Logo precisaríamos de metade das lâmpadas para obter a mesma potência. - Power compact ( Pl ) Para efeitos práticos são semelhantes, em termos de utilização , às T5 .Aliás simplificando, são T5 dobradas em U. São aquelas lâmpadas que conhecem os como economizadoras de energia. - HQI São as chamadas lâmpadas de Iodetos metálicos. Existem com 70, 150, 250, 400, 1000 W. As mais utilizadas são as de 150 W e em aquários mais altos e com corais duros SPS usamos as de 250 e até de 400 W. Com HQI conseguimos obter a maior concentração em termos de potência e intensidade luminosa . No nosso exemplo do aquário com 200 litros bastariam 2 lâmpadas de 150 W para termos um aquário para todo o tipo de corais. Estas lâmpadas colocam-se a cerca de 30 cm da superfície da água. FILTRAÇÃO - filtros externos Não se usam em aquários de recife a não ser para uma filtração química com carvão e esponjas de fosfatos - filtração mecânica Geralmente não se usa esponjas nem lã de vidro . Podem ser usadas mas devem ser limpas ou substituídas pelo menos uma vez por semana para não reter a matéria orgânica ,impedindo-a de ir para o escumador. - filtração química Usam-se frequentemente carvão activado e produtos anti-fosfatos - filtração biológica É assegurada pela rocha viva e areia do substrato. Não são necessárias bio-bolas e cerâmicas adicionais em aquários de recife. Em aquários apenas de peixes com pouca rocha viva podem e devem ser utilizadas. Não nos podemos esquecer que o escumador é uma peça fundamental num aquário de recife. Retira a matéria orgânica, antes mesmo de ela se transformar em amónia o que reduz a necessidade de confiar apenas numa filtração biológica. - escumador Equipamento que mistura a água e o ar a grande velocidade produzindo microbolhas que adsorvem a matéria orgânica , fazendo subir a espuma carregada de lama numa coluna de água dentro câmara do escumador para um copo que se vaza regularmente. A água salgada devido á sua tensão superficial permite esta formação de espuma. Isto é um efeiro semelhante que observamos quando o mar está agitado e se forma aquela espuma acastanhada e gordurosa que se deposita na praia. O escumador é também um dos mais potentes oxigenadores da água. CIRCULAÇÃO O nosso objectivo é imitar as correntes e fazer com que a agua passe pela rocha viva e substrato varrendo os sedimentos e transportando-os até ao escumador. A agitação da água permite também a sua oxigenação, fomentado as trocas gasosas à superfície. A circulação de 20 a 30 vezes o volume de água do aquário. Os aquários de corais duros SPS querem mais circulação . Os corais moles e os duros LPS gostam de uma circulação mais moderada. Teremos que jogar com a colocação dos corais conforme as suas preferências. Para simularmos correntes devemos recorrer a “wave makers “ ou a bombas electrónicas pulsáteis como as famosas Tunze. ROCHA VIVA A rocha viva não é mais do que os esqueletos calcários de corais mortos arrastados pelas correntes que se encontram na periferia dos recifes e estão cheios de microorganismos sejam eles bactérias, zooplancton, e pequenos ofiuros, crustáceos esponjas, algas etc. Durante o transporte até aos nossos aquário por vezes decorrem 3 dias ou mais. Durante este tempo grande parte destes organismos morrem e entram em decomposição. Por isso a rocha não pode ser logo colocada no nosso aquário , a não ser que não tenhamos lá nada vivo ainda. Por isso arocha tem que ser curada á parte num recipiente com muita circulação e escumador. Claro que uma rocha de qualidade é aquela que foi removida do mar pouco antes de ser transportada, foi bem embalada e cujo transporte foi o mais curto possível de modo a preservar a maior quantidade de vida possível. È um dos componentes fundamental do aquário a para do escumador, iluminação e circulação. Devemos comprar rocha de boa qualidade ( Indonésia premium ou Fiji premium) bem colonizada e já curada. A rocha das caraibas é geralmente mais barata mas é menos porosa ,menos colonizada, e com formas menos atraentes. Devemos usar cerca de 18 % do volume do aquário em rocha viva .Se formos muito pacientes e estivermos dispostos a esperar mais uns 3 três meses antes de colocar peixes e corais podemos optar por colocar uma parte, digamos metade, de rocha morta e esperar que colonize. A rocha viva de qualidade é cara e ronda os 16 a 18 euros mas é um bom investimento e temos que pensar que estamos a comprar o filtro biológico do nosso aquário, a decoração o local de esconderijo e alimento para os peixes e o suporte para colocarmos os nossos corais. SUBSTRATO Areia ou areão que colocamos no fundo do aquário. Tem uma função decorativa, química e biológica. Serve de suporte para fixação das bactérias nitrificantes( oxidam a amónia e os nitritos em nitratos ) nas camadas superficiais e desnitrificantes ( reduzem os nitratos)nas camadas mais profundas anaeróbicas. É aconselhável usarmos um substrato á base de aragonite embora possamos usar areão de coral esmagado. No entanto aragonite ajuda a manter o pH da água. A camada de areia pode ser de apenas 2 ou 3 cm ou podemos fazer uma DSB ( deep sand bed ) ou seja uma camada de areia profunda , superior a 7,5 cm para explorar melhor a capacidade de disnitrificação. Esta camada maior é geralmente feita de areia fininha ( sugar size). Temos de ter cuidado de manter as camadas superficiais desta areia mexida através do uso de animais detritivoros, como pequenos búzios , ofiurus, camarões e pequenos crustáceos As DSB funcionam melhor num refugio ou lagoa em comunicação com o aquário mas isolados. REFUGIO Aquário à parte geralmente mais pequeno partilhando a mesma água onde podemos criar pequenos microrganismos como pequenos crustáceos que servem de alimento aos peixes e corais quando caem para o aquário principal arrastados pela água de escoamento ( para isso o refugio deve estar acima do nível de água do aquário) No refugio podemos também cultivar algas como a Caulerpa ou a Chaetomorpha que nos permitem remover nutrientes indesejáveis como os nitratos e fosfatos ) Os refúgios não são indispensáveis mas ajudam. REACTOR DE CÁLCIO Aparelho que permite adicionar cálcio e carbonatos à água que são consumidos pelos corais . A sua utilização justifica-se em aquários grandes com muitos corais duros. È caro e necessita CO2 para dissolver o carbonato de cálcio. OSMORREGULADOR Aparelho que permite repor automaticamente a água doce água evaporada através de um sensor de nível e um deposito com uma bomba.. A manutenção da salinidade é fundamental . não nos podemos esquecer que só a água doce evapora e se não a repusermos diariamente , duma forma manual ou automática os nossos peixes e corais poderão morrer. REACTOR DE KALKWASSER Aparelho que permite adicionar Kalkwasser ( hidroxido de cálcio ) juntamente com o osmorregulador. Permite adicionar cálcio e iões OH- que ajudam a poupar a reserva alcalina ( carbonatos ). Quem não tem um reactor nem osmorregulador dissolve umas colheres de Kalkwasser num garrafão com água e adiciona com um sistema gota a gota todas as noites ou de manha para manter o pH. Osmose Inversa – Aparelho que permite purificar a água da companhia usada para fazer a água salgada e para repor a água evaporada . em muitos locais do país a água da companhia tem excesso de nitratos, fosfatos, silicatos e ate metais pesados que deterioram a qualidade da nossa água. QUÍMICA DA ÁGUA E TESTES - Amonia – devem estar a 0 - Nitritos- devem estar a 0 - Nitratos – não devem exceder 10 mg /l no aquário de recife - Fosfatos- devem ser inferiores a 0,03 mg / lt - Alcalinidade ou kH – deve ser superior a 3,5 meq ou a 9 kH - PH – deve estar entre 8 e 8,5 - Cálcio- deve ser superior 380 mg/l - ORP ou Potencial redox – deve ser superior a 250mv - Densidade entre 1,024 e 1,026 num aquário de recife DOENÇAS E PRAGAS Devemos comprar peixes que estejam a comer sem sinais de pontos brancos ,manchas e barbatanas roídas, numa loja da nossa confiança. Devemos ter um aquário de quarentena e hospital . MANUTENÇÃO - TPA’s – trocas parciais de água . Como orientação devemos mudar 10 a 20 % da água de 15 em 15 dias. - Limpeza de vidros- Usar um íman e um raspador de algas - Limpeza do copo do escumador- uma vez ou 2 ves por semana - Testes- sempre que há problemas , algas ou vamos introduzir peixes - Remoção de sedimentos- sifonar o areão ou aspirar a sump de 15 em 15 dias. - Troca do carvão e da esponja de fosfatos - Conforme os testes e a cor e turvação da água. Rui Ferreira de Almeida
  24. 1 point
    Olá !! Pois é verdade , por isso é que existem pessoas com 2 metros e outras com metro e meio. Numa viagem a Singapura em 1993 conheci atraves de um criador de Discus da Malasia uma equipa de uma Universidade em Singapura , que defendeu uma tese de douturamento em Discus. A mesma equipa chegou á conclusão que os Discus Adultos libertam uma enzima que impedem os pequenos de crescerem . Talvez por essa razão comecei a manter Discus todos do mesmo tamanho em aquarios separados . Na verdade e pela minha experiencia observo que os Discus quando sofrem atrasos de crescimento ,alem de se conseguir observar esse atraso pelo formato do Discu , dificilmente recuperam e chegam aos tamanhos maiores , de 18/20 cm . Uma das formas de acabar com essa enzima dentro de água que impedem os pequenos de crescer em contacto com os grandes é ...as mudanças de água !! Tenho e tive peixes com 10 cm a fazerem dessovas e quando pensava que os peixes poderiam ter 6 meses provavelmente já eram adultos , pois para desovar uma femea com 9 meses já o pode fazer. No caso dos machos eles continuam a crescer até aos 6 anos de idade . Agora o ideal é que os Discus tenham espaço para crescerem e se possivel terem todos tamanhos semelhantes ...mas cada peixe é um peixe !! Um abraço HUGO P.S Tambem nao percebi essa dos criadores !! podes explicar
  25. 0 points
    A pior história que tenho com aquários é que no Inverno ao mexer no aquário não me lembro bem porquê tirei o termoestato e quando voltei a meter no aquário pensei que deus o iria ligar sozinho... basicamente passadas 5, 6h quando volto a casa e olho para o aquário tinha 2 peixes mortos e os outros a caminhar para lá também porque não liguei o termostato á corrente... tiver sorte que foram mesmo só 2 todos os outros conseguiram sobreviver depois da temperatura se repôr.