Leaderboard


Popular Content

Showing content with the highest reputation since 12/21/2019 in Posts

  1. 5 points
    Mais um update a este aquário. Estamos a 3 semanas de ir para a Fil onde vai estar juntamente com os restantes 11 aquários do desafio de aquascaping em exposição para todos aqueles que nos venham visitar. Entretanto entraram 6 caridina yellow king kong que ganhei num sorteio. Tenho uma caridina japonica ovada! Pena que não seja possível a sua reprodução nestas condições: Está na altura de fazer as últimas podas e retirar o pó da Canon...
  2. 4 points
    Boas, então aqui fica a fase do hardscape concluída. Depois de plantado, colocarei mais areia na frente.
  3. 4 points
    Boas, Aqui fica a foto conjunta prometida.
  4. 3 points
    Boas pessoal... Já não actualizava este topico faz tempo. O aquario foi desmontado, acordei um dia de manha e ja tava farto de dizer pra mim que nao gostava do aspeto que as algas tomaram conta das rochas. Era o unico sitio onde tinha algas mas nao as consegui erradicar. Maos á obra e aproveitar o maximo possivel das plantas, evitar mexer ao maximo no substrato e maos á obra. Deixo a ultima foto antes da desmontagem e fotos do novo layout
  5. 3 points
    O pai natal já chegou ao abnoba 🎅 BOAS FESTAS
  6. 2 points
    Mesmo em adulto não é fácil morfologicamente distinguir os sexos. Esses ainda são juvenis, ninguém se atreveria a dar palpites. Além disso, no mundo dos discus, um casal só é considerando casal quando nascem alevins. Por termos um "par" fixado a bicar um cone não significa que tenhamos um casal. Uma postura também só comprova que uma fêmea é uma fêmea. O casal só quando as "pulguinhas" nascem.
  7. 2 points
    Boa noite malta, Após cerca de 10 anos afastado deste fantástico mundo, volto agora com alguns projectos nano, dos quais apresento o primeiro: Aquário: 30x20x22 Substrato: Areão Preto, inerte. Filtragem: Mochila 200l/h com esponja e umas bolas brancas dentro de um saco. Iluminação: Calha LED 12w Termostato: Marina mini 25w. Temperatura: 25° Hardscape: Dragon Stone Flora: Limnophila Sessiflora; Aegagropila Linnaei (Moss Balls, coladas a rochas); Anubias Nana e as plantas da direita que não consigo identificar. Fauna: 5 Barbos Cereja e 4 Caridinas (vendidos como Caridinas sortidos, peço-vos desde já que me ajudem a identificar a espécie dos mesmos!) Estou a adorar o regresso ao hobby, agora com pequenos cá em casa que, especialmente o mais novo, passa a vida a ver os aquários, o que nos leva a excelentes momentos de partilha e ensinamentos para que, quem sabe um dia, sejam eles a querer montar um layout!!
  8. 2 points
  9. 2 points
    TPA de 50% feita. Corte rente da Acicularis. Eliminação das folhas mais afetadas. Raspagem à unha das rochas. Aplicação direta de Excel das zonas piores (na quantidade máxima recomendada). Ajuste do fotoperíodo para menos 30 minutos.
  10. 2 points
    Apenas um pequeno update de natal… O layout está pronto, agora é manter e obviamente a areia tem de ser composta. A Elatine acaba por parecer muito com a cuba, mas com raízes enormes. PS- ainda n escovei muito as pedras...haja tempo e paciência. Bom natal pessoal
  11. 1 point
  12. 1 point
    Continua tudo mais ou menos igual... Ainda não comecei com as mudas nem com a fertilização. Só tenho adicionado a água que vi evaporando com água das mudas do aquário dos ranchu... Está assim Alguns detalhes 
  13. 1 point
    Boa noite! Vou registrar aqui a evolução do meu projeto. Se possível, gostaria de ter as críticas e sugestões de vocês, na escolha de plantas e material. Tamanho em cm: 58 x 58 x 25(altura frontal) / 75(altura lateral e de fundo) Substrato mix fértil + inerte da Mbreda Troncos maiores para as orquídeas e outras Luz no fundo (sem água) com 6200 lux Fixação das plantas nos troncos Rochas Dragon Stone Esta é a situação do paludário hoje (24/07/2019) Equipamentos a instalar: Cilindro com CO2 Filtragem externa com Canister Pretendo colocar um carpete (a definira qual planta) e plantas de altura mediana do meio para o fundo. icon_poke Levando em conta a estrutura do aquário, quais plantas e materiais vocês me indicam. Alguma crítica/sugestão? Obs: peixes só irei definir bem mais tarde, quando o PH da água estiver bem estabelecida, pois não quero ficar "forçando" regulagem de PH para mante-los. Ou seja, vou escolher os peixes pelo PH da minha água e não forçar um PH por conta dos peixes escolhidos. Vamos deixar isso para depois Abraços!!!
  14. 1 point
    1 - Nome do Aquário Temporáriamente foi No name yet!!! 2 - Data da montagem 3 - Dimensões do aquário 3.1 - Volumes bruto e útil 90P ADA Style - 90*45*45 - Vidro extra claro - 182.250L brutos / 150L úteis. 3.2 - Estrutura/móvel 90x45x45 cm em alumínio com placa de contraplacado marítimo no topo e traseira. Placas em PVC Brancas para revestimento lateral e frontal. 4 - Equipamentos Instalados 4.1 - Filtro Eheim professional 4 +600 4.2 - Termoestato Termóstato externo Hydor 300W 4.3 - Iluminação/Foto-período 2 Calha de led's Twinstar 900E series (Fotoperiodo de 10h) 4.4 - Sistema de CO2 Garafa co2 com extintor 5 kg Redutor de 2 Manómetros com válvula de ajuste fino integrada, aquaristik Válvula solenóide JBL proflora direct 16/22 4.5 - Outro equipamentos adicionais Bomba doseadora de 4 canais - a ser arranjada ou substituída por uma nova, em garantia. 5 - Substratos & decorações 5.1 - Substrato fértil 2 Sacos de Neo Plant Soil 8L Novos 2 a 3 sacos de Neo Plant Soil 5.3 - Decorações 30kg de Rocha Vulcânica preta/Vermelha/Lava Rock 3 troncos de mopami 6 - Fertilização Aquaforest, AF macro Aquaforest, AF Micros Neo PLANTS ST. LONG, porque tb vou reutizar cerca de 16L de Neo Soil. 7 - Fauna 7.1 - 30 - Cardume de Simulans 7.2 - Betta Splendens "Half Moon" branco macho. 7.3 -?? "Caracóis" Pseudomugyl Furcatus 7.4 -?? Caridina multidentata "Caridina Japónica" 8 - Plantas 8.1 - Quantidade e espécie Plantas a utilizar, espero aproveitar algumas que tenho: Micrantemun Monte carlo Alternanthera reineckii Bucephalandra lamandau mini red Bucephalandra wavy green Rotala sp Green Vou actualizando este post, conforme o decorrer do projecto. 9 – Observações 9.1 - Parâmetros da água: Ph - 6.6/6.8 Gh - Kh - NO2 - NO3 - NH3/NH4 - Temperatura - 9.2 - Frequência das TPA's 1°semana - diariamente 70 a 80% 2° semana - diariamente 70% 3° semana - dia sim dia não 70% 4° semana - dois em dois dias 70% 5° semana - três em três dias 70% 6°semana - quatro em quatro dias 70 % 7° semana - uma vez por semana 70% 9.3 - Alimentação Ocean Nutrition Comunity Formula Dia sim dia não, quantidade a adequada à fauna existente. 9 - Notas 10 - Fotos Já vai sendo hábito começar os tópicos com algum DIY. Recebi o móvel no dia 27 de Setembro, muito bem embalado e com ótimos acabamentos. Na altura optei por mandar o contraplacado marítimo sem qualquer tratamento, o que por um lado foi bom porque pude escolher a cor do verniz, o qual passei 3 demãos depois de lixar as bem as placas de madeira, bem como entre demãos de verniz. Ao fim de 3 demãos. Comprei um tapete de ginástica na decathlon e cortei à medida. E o móvel no sitio a 8 de Outubro.
  15. 1 point
    Na minha opinião acho que ao usares os troncos foste muito mais original e criativa. E o resultado ficou mesmo muito bom. Gosto muito dessa madeira... Nunca a usei em aquascaping, porque também não tive muitas oportunidades para a usar 😄 Mas sei que uma vez falei sobre esta madeira com aquascapers mais experientes e lembro-me de alguém ter dito que deixava a água castanha e nunca parava de largar taninos, daí ter perguntado... Mas muitos parabéns Vera está muito bom, só espero que com a evolução, e o escurecimento natural das rochas e dos troncos, não se perca esse contraste que, como o teu filho disse com bastante perspicácia, faz mesmo lembrar lava 😉
  16. 1 point
    Depois da aventura que foi a montagem do Adelaide e o seu prolongamento por mais tempo do que seria desejável e após muita pressão quer familiar quer dos meus amigos decidi desmontar o layout anterior, passar a fauna toda para um aquário de reserva juntamente com o mega feto de java e algumas buces, retirar as toneladas de pedra e finalmente secar uma imensidão de substrato para reutilizar. Este último processo demorou varias semanas e conforme ia secando na varanda ia colocando dentro do aquário. O problema é que os meus gatos tambem quiseram brincar aos aquascapes... Eu era para reutilizar as mesmas pedras num novo layout mas acabei por decidir usar um semi layout com pedras de xisto que andava a testar para outro aquário. Os meus gatos aquascapers decidiram também dar uns toques no layout... o que me obrigou a decidir encher com agua mesmo sem plantar, há malta que faz dry-starts, eu inovei fazendo um wet-start 🤪 Claro que só durou um dia, no dia seguinte esvaziei tudo e plantei com o que tinha cá por casa, nada muito pensado mas diga-se de passagem que o substrato molhado tornava o metodo de plantar muito mais fácil! Espero que daqui saia algo decente, façam o favor de acompanhar por aqui as novidades. Não se esqueçam de carregar nos likes 👇 e de subscrever o tópico para não perder nada 😉
  17. 1 point
  18. 1 point
    Olá Vera, Muito obrigado pela ajuda e elogio...o meu jeito para aquascaping é nenhum!! Tirei esta foto mais próxima, tenho dois deste tamanho...Amano, será? Cresceram imenso desde à dois meses para cá...
  19. 1 point
    Muito obrigado pela ajuda! Ajudou bastante
  20. 1 point
    Os camarões das primeiras fotos parecem yellow tigers. Se são ibéricos, é tenho dúvidas, é como dizes, não se reproduzem em água doce, tb podem ser neocaridinas wild, que se calhar é o mais provável. Porque digo isto, porque não há à venda os ibéricos em loja é proibida a venda bem como apanhá-los também. E esses, só se encontram em riachos por aí espalhados. O aquário está no bom caminho, está simples mas bonito.
  21. 1 point
    Brutais esse plakats, uma cor lindíssima. 😍
  22. 1 point
    Boas bettaa Se quando fizeres os novos testes e a Amónia estiver a zero,e os Nitritos também,mesmo que tenhas os Nitratos a 5 ou 10ppm este as plantas vão consumir,e porque o ciclo esta feito,então ai podes colocares os camarões. Sobre o termo,isso o que dizes e verdade pode haver um azar e colar,mas tu ou eu ou outra pessoa quando saímos de casa também podemos ter um azar qualquer,ate em nossas casas, não podes ir comprar uma coisa já a pensares que há partida vai haver o tal azar 😊 digamos que se houver o tal azar não perdes ainda muito porque não tens peixes,e o preço do termo não e grande,se fores comprar escolhe um que queiras mas que a caixa do mesmo esteja em condições,e sinal que ouve poucas mexidas da mesma. Saudações
  23. 1 point
    Boas bettaa Esses resultados se estiverem certos na minha opinião ate nem estão maus,agora como tu fizestes uma TPA de manhã,e fizestes os testes há tarde ate podem estarem um pouco alterados divido teres feito os testes depois de umas horas da TPA,talvez se tivesses feito os testes 24 horas depois da TPA os resultados seijam outros,para melhor,ou pior. Sobre não teres o termostato nesse aquário,podes ir a uma loja dos Chineses e compras um que ate não são muito caros e sempre dá para desenrascar,eu aqui há muito tempo comprei um nos Chineses e deu muito bem,e ate hoje faz bem o seu trabalho. O ciclo ser em água quente ou fria ele faz-se,a diferencia entre eles e que com água quente as bactérias se desenvolvem mais rápido. Saudações
  24. 1 point
    Boas Pessoal Bom, este é o meu novo aquario. Já á algum tempo que o tenho mas é bem recente, tem estado a evoluir muito bem. Algas nada demais, aqui e ali...o normal. Algumas pessoas já conhecem o aquario, mas para quem ainda nao conhece aqui fica o setup: Aquarium 90x45x45cm Filter Oase Biomaster Thermo 600 Heater Oase HEatup 300W Termo CO2 pressurizado - 2b/s CO2 Neo - Lights Twinstar 900SP Substract NEO SOil Hardscape Ryuoh Stone Plants ROTALA BONSAI ALTERNANTHERA REINECKII MINI MICRANTHEMUM MONTE CARLO ELEOCHARIS ACICULARIS MINI ROTALA SP. GREEN ROTALA ROTUNDIFOLIA Rotala 'Vietnam Juncos Repens Anubias Pangolino ANUBIA NANA ANUBIA Bucephalandra deep purple/ RED E GREEN CRYPTO PARVA CRYPTO UNDULATA Crypto Becketti Crypto Petchii Fishes Otocinclus Affinis tetra ambar Casal Rams Invertebrates Caridina Multidentata - Japonica Neritina Pulligera Espero que gostem. Este aquario é o que me tem dado mais satisfação manter, sem grandes dificuldades, so trocas de aguas e aparar aqui e ali... Vou mantendo atualizado. Grande aBraço
  25. 1 point
    Boas malta, Ora vamos lá a mais uma montagem, infelizmente os motivos não são os melhores mas lá teve de ser. É sempre um momento agridoce, o misto de ter que desmontar com a vontade de fazer algo novo. Como o nome indica, ventos de mudança, devido a alterações na vida profissional em que estarei ausente por períodos prolongados de tempo tive de desmontar o Woods Stream, que devido à sua exigência de manutenção seria impossível de manter pela minha aquascaper favorita! Agregado a isso até eu me tinha descurado com a manutenção do mesmo e numa tentativa de reverter a situação apercebi-me que o melhor era mesmo desmontar e fechar aquele capítulo. Portanto o objectivo era montar algo que fosse de manutenção relativamente fácil e que não fosse tão exigente em tempo dedicado. 1 - Nome do Aquário Wind Of Change Para além de todo o significado que está por detrás desta nova montagem também o layout nos remete para algo que está influenciado pelo vento, mais abaixo vão perceber porquê. 2 - Data da montagem 11-11-2019 3 - Dimensões do aquário Water Cube Pro 120*50*50 300L 4 - Equipamentos Instalados 4.1 - Filtro Eheim 1200XL 4.2 - Termostato Eheim 300W 4.3 - Iluminação/Foto-período MasWas 45W+15W FTB 50W+20W 8 Horas Foto-período 4.4 - Sistema de CO2 Kit 2Kg c/Válvula solenoide, definido para 8 horas com desfasamento de 1h antes do foto-período 4.5 - Outro equipamentos adicionais Skimmer Eheim 350 5 - Substratos & decorações 5.1 - Substrato fértil Volcano Mineral 5.2 - Substrato inerte Aquasoil Amazónia 5.3 - Decorações (pedras, troncos, etc) Red moor wood Xisto Areia silica 6 - Fertilização (fertilizantes utilizados e plano de fertilização) DIY 7 - Fauna Caridina Japónica, Ottocinclus afinis 8 - Plantas Higrophilla Pinnatifida Micranthemum Motecarlo Rotala sp. Green Rotala H'ra Myriophyllum matogrossense Staurogyne Repens Pogostemon Erectus Rotala Rotundifolia Microssorum Pteropus trident Anubia Nana - Petit Marsilea Hirsuta Ricardia Chamedryfolia Hemianthus micranthemoides 9 - Fotos Segue então as fotos do desenrolar de uma montagem feita numa tarde (tinha as plantas já com dois dias fora de água depois da desmontagem e tinha de me apressar). Uns dias depois ao observar o aquário detectei um ou outro erro que espero que venha a ser combatido pelas plantas, vamos ver como desenvolve. Espero que gostem! Abraço
  26. 1 point
    @Ricardo Gil, Fica aqui a foto do plano traseiro esquerdo [emoji6] Cumprimentos Ismael Figueira
  27. 1 point
    Muito bom Pedro. Continua a ser um dos meus preferidos deste concurso...
  28. 1 point
    Olá pessoal. Não tenho tido muito tempo para aquários e muito menos para social media por razões profissionais e pessoais, mas nunca parei. Desmontei um pequeno que tinha lá em casa para ter mais tempo para o que realmente me importa que é o aquário para concurso! O Qualicum lá foi desmontado e queria algo bonito mas mais fácil de manter. Setup Início da montagem: 02/08/2019 Aquário: 90x45x45 (162L úteis) com fundo em acrílico branco ice Móvel: DIY com estrutura em cantoneira de ferro Iluminação: Twinstar 900SP com dimmer - 0% 16:00h -100% 17:00h - 100% 23:00h -0% 00.00h Filtragem: Oase Biomaster Thermo 600 Media: Equo Stilla - 2 cestos Esponja - 2 cestos Seachem Purigen In/out: Lily pipes MIC Substrato: +/-30 L ADA Amazônia usado + 9 L novo Rocha de lava moida +/-15kg em saquinhos CO2: Botija de 2kg Redutor de pressão Co2 art com solenóide 12v Conta-bolha em vidro Hinterfeld Atomizador JBL proflora Direct 16/22 1 bolhas por segundo Aquecimento: Externo no filtro Hardscape: +/- 50kg Xisto Verde Muito pau Red moor Fertilização: Micros: Aqua Rebell Mikro Spezial Flowgrow Potássio: DIY Nitrato: DIY Fosfato: Não ponho Flora: Anubias 'Petite' Anubias Pangolino Bucephalandra sp. 'Red' Bucephalandra 'Wavy Green' Bolbitis heudelotii Microsorum pteropus 'Narrow' Microsorum pteropus 'Trident' Helanthium tenellum 'Green' Hemianthus callitrichoides 'Cuba' Hydrocotyle verticillata Lilaeopsis brasiliensis Myriophyllum mattogrossense Rotala 'Green' Rotala Rotundifolia 'Orange Juice' Rotala sp 'Yao Yai' Riccardia chamedryfolia Fissidens fontanus Fotos: Hardscape: Actual: Ainda tenho de mudar alguns pormenores. Espero que gostem! DSC_0008.NEF
  29. 1 point
    Boa noite, Ricardo 25 anos, sou de odivelas e vou iniciar agora o 1o aquario
  30. 1 point
  31. 1 point
    Boa noite, depois de uma longa pausa decidi voltar ao hobby os conhecimentos base ainda cá estão mas vou colocar o tópico aqui para retirar dúvidas que surjam. Setup - Aquário de água doce: 1 - Nome do Aquário DeVolta 2 - Data da montagem A partir de 2020 3 - Dimensões do aquário 100x40x45 3.1 - Volumes bruto e útil 180l 4 - Equipamentos Instalados 4.1 - Filtro Jbl E1501 4.2 - Termostato Eheim 250w 4.3 - Iluminação/Foto-período Aqui vou precisar de ajuda porque não tenho calha. 4.4 - Sistema de CO2 Também não tenho e se for necessário compro. 4.5 - Outro equipamentos adicionais Eheim 350 skimmer Muito material diverso como teste bombas alimentadores lâmpadas etc de antigas montagens. 5 - Substratos & decorações 5.1 - Substrato fértil Estou a pensar usar humus como já o fiz anteriormente. 5.2 - Substrato inerte Aceito recomendações qualidade/preco. 5.3 - Decorações (pedras, troncos, etc) Basalto e diversas madeiras. A minha ideia e criar um aquário onde vou ter diversas plantas ainda a escolher mas não um plantado exigente, plantas medias/facil de manter. Para isso gostava que me ajudassem a escolher q iluminação substrato e se há necessidade de co2. Algo assim
  32. 1 point
    Boas, é isso tudo. Entretanto, comprei uma tábua de madeira de contraplacado revestido a fórmica, mandei cortar nas medidas pretentidas e cortei os cantos também para então colocar na estrutura, estava a chatear-me os equipamentos ficarem no chão. Consegui alguém que me ajudasse a fazer dois buracos para colocar a garrafa de CO2, era importante porque tenho duas validadas e uma delas é alta, tem 5kg. Coloquei também o suporte de tomadas ao fundo. Fiz também uma prateleira em cima, mas em termos de altura ficou com pouco espaço, ainda estou a pensar se a fecho toda ou não. E cortei à medida a placa que tinha cá de pvc da outra estrutura, para as duas laterais ficarem tapadas. 07.12.19 Entretanto a falar com o Tozé ele deu a ideia, de colocar um cesto de aço inox fixo no tampo traseiro, daí fui ao ikeia e encontrei o que achei ser ideal, cheguei a casa e aparafusei, ficou porreiro. Assim fica tudo mais arrumadinho. E por agora está assim.
  33. 1 point
    Dia 22 - Só para atualizar , já la vão 9 dias , entretanto tive que dar uma poda drástica na reineckii mini que estava já com muitas folhas mortas , talvez derivado a estar um bocado na sombra do tronco.
  34. 1 point
    Boa tarde, sou o João e sou de Setúbal. Tenho 29 anos e sou um novato nestas andanças.
  35. 1 point
    Poderia ser um Alerta CM, mas é apenas mais uma grande novidade... Um casal tailandês que procurava um sítio onde ficar, em Portugal, que lhes permitisse obter o tão desejado Visto Gold, optou por se estabelecer no nosso querido Rookie... Não têm um feitio fácil. Têm um carácter bastante forte, e brigam com uma enorme frequência. Tanto que a Dona Tailandesa decidiu ir fazer um retiro para a Margem Sul, e promete que só vai voltar para junto do seu esposo quando tiver vontade de ficar de esperanças, e ele investir num dos novos ninhos de bolhas da Chateau d'Ax... Até lá vai fazer a dieta da larva de mosquito vermelha, e alguns workshops de limpeza com a plebe que lhe mantem a Margem Sul sempre a brilhar (4 Otocinclus, 1 SAE, 1 Japónica, 1 Clithon corona). Já o possante Sr. Tailandês, enquanto não aprende a língua, passa as tardes a observar as Neocaridinas, sendo que volta e meia acaba por dar uma mordidela às mais mal educadas... Já o Dona Yunnanila Rosy (a porteira do Rookie) diz que lhe disseram que viram o Sr. Tailandês enrolado com a Borara Kassandra, a vencedora do Miss Borara Linha de Sintra 2019, e que nos últimos meses se tornou na maior influencer da zona, após publicar uma sessão de fotos porkitxonas, em que aparecia a nadar à volta do termostato, qual varão de estripitize, com as barbatanas todas desnudadas e a sensualizar forte... Bem... Vamos ver como este novo casal se adapta ao nosso país... Prevejo um futuro bastante intenso para estes lados... Vou tentar manter-vos sempre informados (o que não será difícil, visto que já tenho um jornalista da CMtv escondido entre as cerâmicas do filtro, pronto para qualquer ocorrência).... Até lá deixo-vos umas fotos raríssimas, que o casal tailandês nem sonha que existem... Ele no Rookie... Ela na Margem Sul... Sr. Tailandês: Dona Tailandesa: D
  36. 1 point
    Por aqui as coisas começam a entrar nos eixos e após 2 semanas e pouco já foi feita a primeira poda de correção. As plantas de caule crescem a olhos vistos, agora é só moldar, aproveitei para replantar as pontas de modo a conseguir maior densidade logo de inicio, algo que recomendo a fazer sempre, pois com mais massa vegetal mais fácil se torna de manter o ecossistema numa fase inicial mais atribulada. Ora aqui fica a foto da praxe após a TPA. Abraço
  37. 1 point
    Actualmente o aquário já se encontra praticamente estabilizado. Falta só preencher mais a carpete na zona frontal à esquerda. A fase das algas já passou e agora é pensar na fauna que vou colocar. Foto tirada ontem, 26/11/19 Segue também um pequeno video com alguns detalhes do aquário 😀
  38. 1 point
    Como continua tudo bastante equilibrado, na Santa paz de Deus... Hoje decidi fazer uma homenagem às minhas queridas Boraras merah, que mesmo se estão sempre caladinhas e sossegaditas, não deixam de ser uns peixes muito simpáticos e resistentes, que nunca chateiam nem se armam em divas... 🙂 Olha para elas tão lindas: E como sei que gostam de ver o estado do aquário, deixo-vos esta foto onde se vê ao fundo o Margem Sul, numa ilusão óptica que parece que tem três termostatos: 😄
  39. 1 point
    O patinho está sem dúvida mais bonito. Em relação ao fundo preto, não vou mudar pois gosto mais do fundo que meti, mas em relação a foto sem equipamento. Aqui fica uma tirada hoje depois da manutenção. Só esqueci de tirar o difusor de Co2 mas isso é o menos. Já dá uma ideia. Enviado do meu PRA-LX1 através do Tapatalk
  40. 1 point
    Boa noite a todos mais uma vez! Tarde, é verdade... E peço desculpa por isso mas mais vale tarde que nunca não é verdade? Isso ou o @Tozé Nunes sempre a chatear (com razão até) para actualizar o tópico. Porque demorei tanto? Em primeiro porque mudei de emprego, em segundo porque tive algumas complicações com a montagem: Um dos troncos descolou dos restantes, ficando a flutuar e tinha de mudar o aqua de sítio. Depois porque não gosto de responder aos comentários sem novidades/fotos (acho enfadonho uma página de tópico só com texto) e também porque o meu telemóvel não é grande espingarda para fotografias e tive de esperar que um amigo meu fosse lá a casa. Mas prometo fazer um esforço para mudar isto, nem que seja terem de levar com uma fotografia com pior qualidade! Assim, quero desde já agradecer a todos os que comentaram, pedir mais uma vez desculpas pela demora e tratar de responder. Novidades, mais abaixo! Obrigado @Pedro Mendanha Dias! Fico contente que gostes do local de estágio dos teus Ottos ahah Eu tenho a mesma preocupação quanto à Eleocharis. Especialmente quando estou a ter alguns problemas com o CO2. Ponderei adquirir mais uma vaso da mesma e reforçar o tapete mas, como já vais ver a seguir, fiz uma pequena redistribuição e estou a tratar de aquecer a garrafa de CO2 para uma adequada produção, que estava a ser mínima. Portanto, basicamente, é ter fé ahah Vamos ver! 🤞 Quanto à questão da areia, a ideia inicial era essa. A de fazer uma espécie de ilha. Mas como infelizmente tive de voltar mais cedo para casa, não trazendo a areia (até estava a pensar misturar os 2 tipos de areia que estavam disponíveis para parecer mais natural) e também porque até me dá jeito ter um tapete de Eleocharis para conseguir uns quantos (valentes) pés para uma montagem futura (270L...). Portanto optei por tentar o tapete e depois do Desafio acabado, talvez optar pela alteração! Enorme @ismael_figueira, obrigado mais uma vez. Obrigado por tudo! Gostei muito da interpretação que deste ao nome. Vamos ver o que sai daqui! Mas sou capaz de escolher essa interpretação a partir de agora ahah Concordo com o que dizes sobre a questão da areia. Como respondi ao Pedro, a ideia inicial passava por aí. Por criar uma espécie de ilha num dos lado mas devido às razões que enumerei, acabei por optar por esta via. Mas não ponho de parte, muito pelo contrário, em fazer a alteração de layout posteriormente! Quanto à anubia, 😁👇👇(depois dos comentários). Não foi fácil dividir tão pouco musgo, por tanto tronco e pedra e anubia e etc. A ideia era, e continua a ser, essa. A de ter as 2 plantas juntas, para dar uma aspecto mais natural, quase como as simbioses que vemos muitas vezes em florestas terrestres. E também para tentar esconder os apontamentos de cola. Começo-me a repetir eu sei, mas obrigado Ismael. Pela ajuda dada e oferta da perpetuação da mesma. Ps- Parabéns atrasados ahah Queria-tos dar mais cedo, achei que o tópico saía mais cedo mas pronto. Grande abraço Obrigado Bruno! Faz sim senhor, tens toda a razão. Não nego de todo a preciosidade da ajuda do Ismael, mas como, e além do que ele já respondeu, eu nem sabia que o aquário do Ismael era aquele. Sabia que ele tinha sido o vencedor mas não o aquário e tenho a certeza que o Ismael consegue criar mais aquários e diferentes do que apenas o seu vencedor. Mas, como já disse, não nego de todo a importância da sua ajuda. Puto Tommy! Muito obrigado pelas palavras! Infelizmente tenho más notícias ahah Eu também gostava muito das Buces mas elas por alguma razão (luz a mais como disseste, será possível?) morreram todas. Nem uma se safou, das 5 ou mais pés que tinha. Não sei se acredito na questão luz porque tive 2 pés que me duraram mais que as primeiras (até estavam a desenvolver folhas novas) e até as mudei de sítio para um local com menos luz e mesmo assim, acabaram por meltar/apodrecer. Fico triste porque adoro a planta e preciso dela para uma futura montagem mas eu também tinha algum receio se as mesmas (dando-se bem lol) não iriam ficar demasiado grande para a finura dos troncos onde estavam. Ficando estranho e pouco estético. Portanto olha, acho que não se tira conclusão nenhuma sobre as Buces. O JBL Tormec iria sim, baixar os parâmetros se tivesse sido usado em quantidade. Eu coloquei literalmente, um JBL Tormec active lol Portanto sinceramente, acho que não faz diferença nenhuma. Foi mais para colmatar o espaço entre as cerâmicas e não pôr as esféricas outra vez. Pois olha a Mini está aqui comigo. Até te digo mais, está aqui ela e a família dela toda porque estou no Alentejo esta semana. Para mim, não há nada melhor neste mundo do que estes fieis amigos e se gostas tanto deles como eu (ou quase tanto ahah) tenho a certeza que ias gostar do conhecer os restantes. Quem sabe um dia! Grande abraço ma man Obrigado Abóbora! É outro dos problemas que estou a ter... O Trident não há meio de se fazer planta. Nem estava à espera que tivesse já grandes folhas novas mas diria até que está mais a decrescer que a crescer. Eu acho que o fraco CO2 não está a ajudar (embora não sejam muito exigentes) ou não tenham tido tempo ou conseguido mesmo ambientar-se mas tenho tido mais folhas a ficarem escuras, acabando a podá-lo, e plantas novas nas extremidades das folhas. Não me faz muito sentido reproduzir quando as condições são más (no Reino animal, a reprodução é preterida à própria sobrevivência) mas também equaciono quase como uma tentativa final de continuação? Largar filhos antes de morrer? Os polvos fêmea morrem aos criar os ovos, por exemplo, mas por outro lado, não vão por ovos inicialmente se as condições próprias e envolventes já não forem as melhores... Esta semana fiz uma experiência nova, não se nota nas fotografias, mas nas próximas já tento mostrar e tirar alguma conclusão. Na pior das hipóteses, antes do desafio, substituo o Trident por Feto de Java que tenho noutro aquário... Obrigado Luís! É sempre enternecedor receber elogios, especialmente de pessoas que têm já um repertório quer Nacional, quer Internacional. Aproveito para desejar a maior das sortes no CLIAC! --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Bem, vamos então à actualização? Vou voltar a fazer um Inception 😅 Um desafio dentro do desafio! Então é assim, vou colocar as fotografias novas MAS! Não vou especificar as alterações, que são/foram várias. Aquele que enumerar todas as alterações, e eu até já dei uma ou 2 de borla, recebe um prémio 🥇 Eu estou a pensar num Panaque como prémio 🤔🐠 O que acham? Então aqui vai: Frontal Lateral direita Superior Os Ottos do @Pedro Mendanha Dias Os Amanos do @Tozé Nunes Façam as vossas apostas! Um abraço e fortes TPA´s
  41. 1 point
    Como mencionei identifiquei o SITE pelo Google. Estou no final da reforma de um lago com volume da ordem de 160 mil litros em uma propriedade na serra de Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil, com altitude de 850metros, cercado por floresta. Por razões de topografia toda a estrutura foi concretada , agora na reforma após 20 anos. Tem espelho d'água de cerca de 240m², com profundidade variando de 60 a 110cm. Sou aposentado, tenho 76 anos e pretendo criar uma espécie derivada do cruzamento dos peixes machos do Pacu com as fêmeas do Tambaqui, resultando nos denominados Tambacu, São espécies comuns na Amazônia e Pantanal. Eles convivem bem com outras espécies como Carpas, Tilápias, etc. Esse é o motivo da busca de informações e a identificação do "Aquariofilia". Não tem motivação comercial.
  42. 1 point
    Bem esta foi rápida encontrei a resposta a todas as minhas questões antes mesmo de alguém ver o tópico. Já agora aproveito para deixar aqui o que são: O que são Hidras ? Hidras são Celenterados (ou cnidários) com formato de pólipos, encontradas em água doce, fria e limpa, nos aquários se prendem a plantas, algas, pedras e nos vidros, por uma de suas extremidades, são pequenas com no máximo 30 milímetros elas podem se movimentar ativamente pelo aquário, dando "cambalhotas", as que encontrei no meu aquário eram da cor verde devido às zooclorelas, pequenas algas que vivem em simbiose nas células da pele das hidras. ReproduçãoElas podem se reproduzir Sexuada e Assexuadamente, no primeiro caso o macho fertiliza a fêmea da boa e velha maneira que todos sabemos, já na maneira assexuada a Hidra solta pequenos "brotos" que se soltam do corpo da mãe e viram novas hydras!E como elas aparecem no Aquário ??As Hidras vêm para os nossos aquários como a maioria dos seres, nas plantas, nas pedras, nos troncos. Enfim onde elas puderem se prender! Elas são minúsculas e é muito complicado vê-las a olho nú, já que também são verdes passam desapercebidas nas folhas de uma Anúbia ou de um Cryptocorine, por exemplo.E elas são perigosas aos habitantes dos aquários ?Não e sim! Não, em aquários comunitários, sim em aquários de invertebrados como camarões. Nos aquários comunitários ou de peixes elas são inofensivas e dificilmente sobrevivem muito tempo, pois os peixes gostam de petisca-las, fiz alguns testes e os neons as comeram de bom grado. Portanto se as ver em um aquário plantado inicial que terá peixes ou no seu comunitário, deixe as lá, farão parte da biologia natural do aquário e entrarão em equilíbrio com a fauna, e confesso que achei elas realmente muito interessantes. Agora nos aquários de camarões a história é outra...Elas são predadoras, vorazes e como suas primas anêmonas possuem ferrões de veneno nos seus tentáculos, que quando em contato com a vítima a paraliza para ser devorada! Não, elas não irão capturar seu Red Crystal Grade A adulto e comê-lo, mas poderá fazer isso com os filhotes tranquilamente.E como evitá-las ?Sempre limpando ao máximo as plantas e pedras que ira adicionar no aquário, até mesmo uma ampulária deve ser limpa. Plantas você pode utilizar permanganato de potássio, hipoclorito de sódio, água sanitária, flourish excel, claro todos em banhos rápidos para não matar a planta.Pedras e troncos sempre fervidos e com sal de preferência, claro depois esfregar o que puder. Com estas medidas você evita em 90% as chances delas virem a morar em seu aquário.
  43. 1 point
    Boas... Deixo-vos aqui uma reportagem espectacular sobre biótopo sul americano, mais propriamente a zona circundante e o próprio rio Orinoco na Venezuela/Brasil... Da pra ficar a entender um pouco melhor este biótopo e para quem gosta tentar reproduzir em casa este magnifico biótopo... Espero que desfrutem tanto ou mais do que eu... Os melhores cumps... Migiel Ribeiros https://youtu.be/TzzJU810AIk
  44. 1 point
    Introdução: Todos nós que temos aquários plantados que de vez em quando acarretam com problemas de algas, até mesmo em aquários que não são plantados podem existir as malditas algas, se bem que, em certos casos até fiquem bem e dêem cor e um aspecto natural ao layout. Claro que num aquário plantado ou num aquário ao estilo de "nature aquarium" (aquascaping), teremos em conta um conjunto de variáveis que se podem traduzir em algas, mais tarde ou mais cedo. Não sendo especialista na área dediquei-me a alguma pesquisa e aqui deixo para vos ajudar. Como se trata de um assunto algo complexo, e as opiniões dividem-se, este artigo pode e deve ser actualizado. Assim conto com a vossa ajuda, e peço-vos que me corrijam nalgum erro, ou até mesmo alguma experiência vossa que aqui queiram partilhar, ou mesmo um tratamento que tenham feito onde tenham tido resultados positivos na extinção das algas nos vossos aquários. Conto com a vossa colaboração... Índice: Algas Filamentosas, Thread Algae Água verde, Green Water (Euglaena) Algas Castanhas (diatomáceas) Algas Fuzz BBA, Black Brush/Beard Algae (Rhodophyta) BGA, Algas esverdeadas e azuis, (Cyanobactérias) Cladophora GDA, Green Dust Algae Pontos verdes, Green Spot (Choleochaete orbicularis) Staghorn (Compsopogon sp.) Algas Filamentosas, Thread Algae Consistem em filamentos verdes e longos, podendo atingir 30cm de comprimento. Muitas vezes mistura-se entre musgos e é por vezes é mantida propositadamente como suplemento alimentar extra para os habitantes do aquário. Causas: Níveis excessivos de ferro – concentrações > 0.15 ppm Tratamento: Remoção manual – utilize uma escova de dentes para remover tanto quanto possível. Manter uma rotina regular de manutenção do aquário com trocas parciais de água semanais/quinzenais Reequilibrar Nutrientes – manter os níveis de nutrientes: N (10-20 ppm), P (0.5-2 ppm), K (10-20 ppm), Ca (10-30 ppm), Mg (2-5 ppm), Fe (.1ppm). Foto em acuariogallego.com Água verde, Green Water (Euglaena) A água verde é um organismo unicelular que contém clorofila a, b, mais carotenóides, dando-lhe uma coloração verde, mas não são consideradas plantas. Com mais de 40 géneros de Euglanóides e mil espécies, esta alga é uma das formas de vida mais abundante e comum no nosso planeta, sendo essencial para a cadeia alimentar. Infelizmente, ou felizmente, ninguém as quer em aquários, devido á estética. Causas: Aquário novo – normalmente aparecem logo após a montagem do aquário, pode ocorrer na instalação e no estabelecimento dos microorganismos (de nado livre que se alimenta de plâncton). Desequilíbrio de nutrientes – mantenha os níveis de nutrientes: N (10-20ppm), P(0,5-2ppm), K (10-20ppm), Ca (10-30ppm), Mg (2-5ppm), Fe (0,1 ppm) . Medicamentos – Existem medicamentos que afectam, o filtro biológico dos aquários. Tratamento: Há uma série de tratamentos para a água verde: Apagão – deixe as luzes do aquário totalmente apagadas e evite qualquer luz ambiente por 5 dias. As plantas possuem reservas, podendo sobreviver por este período, as algas não. Micro filtro – filtros de partículas finas podem limpar a água. Esterilizador UV – uma das formas mais eficaz de combate será utilizando a luz ultravioleta. Alguns relatos dizem que a luz UV também afeta os nutrientes na coluna de água. Floculantes – agrupam pequenas partículas, permitindo que a filtragem mecânica as remova da água, aquaclear. Daphnia – Colocado em uma rede para criação, estas iram consumir as algas. Pequenas trocas parciais – fazer mudanças de água (5-10%) todos os dias até a água clarear. Nota do tradutor: Algumas plantas podem não tolerar um "apagão" de 5 dias. Pode-se desenvolver um micro-filtro utilizando um cartucho/refil de máquina de lavar roupa acoplado a uma bomba submersa. O uso do UV não deverá ser contínuo, devendo estar ligado somente se houver real necessidade ou preventivamente. Este método pode ser um tanto exaustivo, retirar 20-30% de água do aquário durante 3 ou 4 dias seguidos. Apenas evite trocas de água maior. Certifique-se de identificar e eliminar a fonte do problema, ou ele poderá persistir ou retornar. Foto de mano666 © Algas Castanhas (diatomáceas) Algas castanhas, ou diatomáceas, muitas vezes apresentam-se como uma lama castanha ou amarelada, cobre folhas de plantas e itens de hardscape. É raro ser vista num aquário totalmente estabelecido. Causas: Recém-tanque de configuração - Aquários que tenham sido montados recentemente são propensos a algas diatomáceas. O excesso de nutrientes - Sílica em particular parece ser a causa desta alga. Entre em contacto com a empresa de serviços públicos de água a fim de obter um relatório detalhando das concentrações de sílica na sua rede de água. Possivelmente lâmpadas velhas - Às vezes, as lâmpadas antigas podem incentivar o aparecimento de algas diatomáceas. Tratamento: Tempo - Esgotada a fonte de sílica na coluna de água, muitas vezes, desaparecem por conta própria. A remoção manual - sifão / raspar diatomáceas manualmente para remoção rápida. Equipa de limpeza - Otocinclus e Neritinas (caracóis) são fantásticos na limpeza de um aquário com diatomáceas. Eles ajudam com outros tipos de algas também. Algas Fuzz Geralmente surgem em folhas de plantas, dando uma aparência um pouco difusa/felpuda nas suas bordas. Causas: Desequilíbrio de nutrientes – Mantenha os seguintes níveis de nutrientes: N (10-20ppm), P (0,5-2ppm), K (10-20ppm), Ca (10-30ppm), Mg (2-5ppm), Fe (0,1 ppm) . Baixa de emissão de CO2 – Mantenha entre 20-30 ppm de concentração de CO2, conforme permitido pela fauna. Tratamento: Mantenha os níveis adequados de nutrientes e CO2. Comedores de algas – Comedor de algas siâmes (SAE), camarões Amano, Ottos e Molinésias normalmente comem esta algas. BBA, Black Brush/Beard Algae (Rhodophyta) BBA, esta alga pode pertencer ao género das algas "vermelhas" na família das Rhodophytas. A maioria das algas desta família são marinhas, mas existem algumas espécies de água doce que teimam em atingir particularmente os aquários plantados. Esta alga pode apresentar tons de preto, castanho, vermelho ou verde, e pode rapidamente cobrir as suas plantas e hardscape se não estivermos atentos e não tomarmos as medidas acertadas. Causas: Desequilíbrio de nutrientes - Excesso potencial de N, P, Fe. Esforce-se por ter os seguintes níveis de nutrientes: N (10-20 ppm), P (0,5-2 ppm), K (10-20 ppm), Ca (10-30 ppm), Mg (2-5 ppm), Fe (0,1ppm). PH baixo - Neil Frank observou que os aquários de lagos africanos nunca têm BBA. Acredita-se que BBA prospera em ambientes ácidos, e infelizmente, é o que a maioria das plantas preferem. Tratamento: Aumentar CO2 - Isto vai estimular o crescimento das plantas, e deve ajudar as plantas a competir pelos nutrientes. Tratamento com Excel / H202 - Use uma seringa depois de identificar áreas afectadas. Em seguida, remova-as manualmente quando a alga ficar com tons cinza / branco. A remoção manual - Use escova de dentes para remover o máximo possível. Tratamento com lixívia - Mergulhar os itens de hardscape ou plantas mais resistentes em solução de lixívia / água, usando uma proporção de 1:20. Antes de colocá-los de volta no aquário, verifique se o item está livre do odor a lixívia. Tratamento OxiClean - Mergulhar os itens afectados do hardscape numa solução de OxiClean, certificando-se que usa apenas o OxiClean original sem outros aditivos. Manter trocas parciais da água / esquema de fertilização adequado. Tpa's semanais ou quinzenais. Equipa de limpeza - comedores de algas siameses (SAE), e camarões Amano são conhecidos por comer esta alga. Cobre (não recomendado) - Há algícidas comerciais que contêm cobre e que são eficazes no combate á BBA, mas estes vão muito provavelmente matar as suas plantas, e invertebrados que mantenha no aquário. Foto de Tozé Nunes © Um bom artigo sobre esta alga pode ser encontrado aqui: http://www.thekrib.com/Plants/Algae/red-algae.html BGA, Algas esverdeadas e azuis, (Cyanobactérias) Embora muitas vezes referida como sendo uma alga, BGA é na verdade um lodo bacteriano que pode facilmente cobrir tudo no seu aquário em pouco tempo. Aparece como um revestimento verde, preto ou roxo, que quando retirada do aquário exala um cheiro desagradável. Como uma qualquer bactéria consumidora de nitrogénio, ela vai esgotar completamente qualquer quantidade disponível de nitrogénio na coluna de água. Causas: Nitrato baixo - usualmente presentes quando todo o nitrogénio/nitrato foi removido da coluna de água. Embora esta seja uma condição desencadeante, também é agravada pela própria bactéria usando qualquer nitrogénio remanescente. Excesso de matéria orgânica - Superalimentação, ou o excesso de matéria orgânica no seu aquário pode desencadear BGA. Lâmpadas antigas - Às vezes presente quando as lâmpadas não estão a emitir luz utilizável.Pode ser uma questão das suas plantas já não serem capazes de competir com as bactérias no consumo de nutrientes na coluna de água. A má circulação de água - A circulação é chave num aquário plantado de modo a que não haja "pontos mortos" não deixando que os nutrientes sejam consumidos localmente, mas sim por todo o aquário. Tratamento: Aumentar nitratos - dose até a sua concentração atingir aproximadamente os 5ppm. Adicionar plantas de crescimento rápido - Elas vão competir com as algas pelos nutrientes existentes. Blackout/Apagão - BGA não pode sobreviver sem luz. Tratamento Excel / H202 - Use uma seringa e injecte nas áreas problemáticas. Em seguida, remova manualmente os detritos mortos. Eritromicina - utilize este antibiótico na metade da dosagem recomendada para matar as bactérias na coluna de água. Mardel Labs ' Maracas contém eritromicina e tem sido utilizada de forma eficaz, sem prejudicar a maioria das plantas. Cladophora Cladophora é de longe das algas mais difíceis de remover do aquário. Tem a forma de lã verde, resistente e dura, e parece ser favorecida quando misturada com o substrato, e hardscape. Causas: Bolas de Cladophora - Sendo da mesma família que estas algas, podem às vezes ser portadoras de Cladophora para o seu aquário. Condições saudáveis - Infelizmente para uns e felizmente para outros, a Cladophora mantém-se nas mesmas condições de água saudável que outras plantas necessitam. Tratamento: A remoção manual - Use escova de dentes / pinças para remover o máximo possível. Tratamento Excel / H202 - Use uma seringa para aplicar nas áreas problemáticas do aquário. Factor sorte - Muito difícil 100% de remoção. GDA, Green Dust Algae GDA, é como que um filme verde "empoeirado" que aparece na superfície do vidro. É causada por zoo-esporos, e parece evitar agarrar-se no hardscape ou em folhas de plantas. Causa: Nenhuma causa concreta para GDA. Tratamentos: Ignore - GDA parece ter um ciclo de vida finito, de modo que se você permitir que ele seja executado ciclo completo sem raspar-lo a partir do vidro, deve endurecer, e cair depois de cerca de 21 dias. Após este tempo, retire qualquer restante GDA do vidro, e faça uma limpeza completa e mudança de água. Neritinas - podem ajudar a comer algumas GDA's no vidro, mas a abordagem acima provavelmente vai ter de ser utilizada para a remoção completa. Pontos verdes, Green Spot (Choleochaete orbicularis) Green spot é muito comummente vista no vidro dos aquários, quando não se faz tpa's regulares, ou quando utilizamos um esquema de fertilização inadequado. Green spots também aparecem em folhas de longa duração, como Fetos de Java, Anúbias, Cryptocorynes e Bolbitus. Causa: Níveis baixos de Fosfato (PO4) - quase exclusivamente causados quando os níveis de fosfato estão esgotados. Tratamento: Remoção manual - Use uma lâmina de barbear para remover mais facilmente do vidro ou um cartão de débito. Dose de Fosfatos - Doseie PO4 numa concentração de 0.5 a 2.0 ppm. Neritinas - Podem ajudar a remover as manchas verdes das folhas, bem como, no vidro. Staghorn (Compsopogon sp.) As algas de Staghorn são assim nomeadas pois sua ramificação assemelha-se aos chifres de um veado. Esta alga ramifica-se agarrada ás folhas das plantas e equipamentos.Os fios podem aparecer em cor branca, cinza ou verde. Causas: Desequilíbrio de nutrientes - Esforce-se para os seguintes níveis de nutrientes: N (10-20ppm), P (0.5-2ppm), K (10-20ppm), Ca (10-30ppm), Mg (2-5ppm), Fe (.1ppm) . Baixo CO2 - Esforce-se para a concentração 20 a 30 ppm de CO2, conforme permitido pela fauna. Tratamentos: A remoção manual - Use escova de dentes para remover o máximo possível. Mudança da água - Manter agenda semanal / quinzenal mudança da água. Aumentar CO2 - Isso vai estimular o crescimento das plantas, e permitir uma competição saudável com as algas pelos nutrientes existentes na coluna de água. Tratamento com lixívia - Mergulhar os itens de hardscape ou plantas mais resistentes em solução de lixívia / água, usando uma proporção de 1:20. Antes de colocá-los de volta no aquário, verifique se o item está livre do odor a lixívia. Tratamento OxiClean (hipoclorito de sódio) - Mergulhe hardscape e plantas numa solução de OxiClean, certificando-se de que você use somente o OxiClean original sem outros aditivos. Manter o esquema de dosagem de macro-nutrientes (NPK) adequado. Nota: A maioria dos peixes e invertebrados não comem estas algas. Foto em i.ytimg.com Staghorn https://fishlab.com/staghorn-algae/ Referências e fontes: Artigo original: http://www.guitarfish.org/algae - Kris Weinhold Aquatic Plant central Thread Aquatic Plant central - Algae Finder AquaticScape Fighting Algae With hidrogen Peroxide The Speptical Aquarist Adaptado, traduzido por Vera Basílio dos Santos © Copyright 2016 ©
  45. 1 point
    Venho criar este tópico para que possamos partilhar entre nós, o possivel uso de plantas presentes em território nacional para uso na aquáriofilia. Vi recentemente agriões a crescer em cultura semi-emersa num ribeiro aqui perto, aparentam ser da especie Rorippa nasturtium aquaticum e/ou o Nasturtium officinale, e quero por isso perguntar-vos se alguém sabe se este legume, normalmente usado na alimentação foi mantido em aquário com sucesso. Deixo-vos fotos para que possam melhor reconhecer a planta em questão. Se alguém conseguiu até á data, podem postar fotos do crescimento submerso? Sei de mais umas tantas plantas que são facilmente encontradas nas margens do Rio Tejo, ribeiros, rios e seus tributários que aparentam apresentar potencial para a aquariofilia, que planeio fotografar assim que possivel e postar aqui no forum. Não sou capaz de identificar as especies em questão, pois como qualquer interessado no assunto vos é capaz de dizer, a bibliografia especializada, é rara se não mesmo inexistente... Se souberem de mais especies horticulas/selvagens dos nossos rios que possamos usar em aquário postem por favor de forma a que consigamos trazer novas plantas para o hobby, e quem sabe criar novas correntes a nivel dos coleccionadores de plantas (nunca se sabe as perolas que temos em território nacional, afinal de contas, e aparentemente, conhecemos melhor a flora estrangeira do que a flora que temos á nossa porta, e nunca se sabe o que temos nos nossos cursos de água. Aproveito para vos deixar também o link para uma das poucas publicações nacionais acerca do assunto. http://www.arhalgarve.pt/site/parameters/arhalgarve/files/File/upload/Publicacoes/livro_flora.pdf Infelizmente não tem a profundidade, nem a exaustividade, que um maniaco das plantas gostaria, mas pela iniciativa, e singularidade, já merece menção. E já é uma excelente introdução á flora ribeirinha nacional para quem esteja interessado.
  46. 1 point
    Olá pessoal, finalizei hoje o tratamento contra as Cianobactérias e como considero os resultados muito positivos venho-vos deixar o meu testemunho que poderá ser útil para mais alguém com o mesmo tipo de problema. Não tendo formação académia nas áreas da Biologia nem da Química, tentei procurar informação sobetudo pela Net, mais tarde, conversas com alguns amigos permitiram-me esclarecer uma ou outra dúvida que então surgia. Antes de mais quero esclarecer que também eu considero que sempre que possível devemos tentar o equilibrar o nosso aquário com a menor quantidade possível de químicos. Mas no meu caso trata-se de um aquário plantado sobre substracto inerte, o que implica a introdução diária de Potássio, Ferro, Micros, Nitratos e eventualmente umas duas vezes por semana Fosfatos, logo químicos é o que não falta naquele aquário! Julgo que o aparecimento/desenvolvimento das Cianobactérias no meu aqua se deveu sobretudo a uma fase de baixa oxigenação. Com efeito, tenho ainda muito para aprender e com receio de perder demasiado CO2 (no meu caso caseiro), coloquei a saída do filtro de forma a interferir o mínimo com a superfície do aquário. Agora comprendo que foi um erro que aliado á injecção contínua de CO2, me provocou vários desiquilíbrios. De acordo com o que compreendi nas minhas pesquisas, os motivos principais para o desenvolvimento de Cianobactérias nos nossos aquários sâo: 1 – Um desiquilíbrio entre Oxigénio, Nitrogénio e Fósforo. 2 – O aumento anormal de elementos Nitrogenados e Fosfatados. 2 – Um aumento de matéria orgânica que favoreçe o desenvolvimento de microorganismos e que acabam por consumir o oxigénio dissolvido na água, favorecendo a actividade fotosintética das Cianobactérias. 3 – Nos meios anaeróbicos (sem Oxigénio), a disponibilidade de formas inorgânicas de Nitrogénio e Fósforo aumenta, facilitando as infestações muitas vezes observadas junto ao substrato ou entre o substrato e o vidro. Curiosamente as Cianobactérias ou “Algas Azuis”, podem ter presentes pigmentos azuis, verdes, amarelos, laranjas ou vermelhos e estes podem existir simultaneamente em maiores ou menores graus. Ainda mais curioso é o facto do Mar Vermelho receber esse nome devido à presença de “Algas Azuis” vermelhas! Com efeito as Cianobactérias são seres unicelulares (bactérias) que desenvolveram à milhões de anos a capacidade de realizar fotosíntese. Serão provavelmente dos primeiros organismos a aparecer com clorofila, sendo talvez as pricipais responsáveis pelo acúmulo de Oxigénio na atmosfera primitiva. A fotossíntese é o principal meio para a obtenção da energia e para a manutenção metabólica das Cianobacérias. Os seus processos vitais necessitam de água, CO2, substâncias inorgânicas e luz. Como controlar as cianobatérias nos nossos aquários? Baixos níveis de Oxigénio, super povoamento, má filtragem e/ou acúmolo de detritos facilitam o surgimento e/ou desenvolvimento das Cianobactérias. Fixando-se através de uma camada gelatinosa, e mesmo com sinfonagem restam normalmente indivíduos suficientes para formação de nova colónia. Para além de frequentemente se instalarem em frestas de troncos e rochas onde a sinfonagem se torna impraticável. Reproduzem-se por esporos, que podem ser eliminados com um filtro de UV, mas também por divisão celular ou fragmentação, de nada servindo o filtro de UV neste caso. Existem pois dois processos que se têm demonstrado eficazes na eliminação das Cianobactérias: - O APAGÃO, onde se privam as Cianobactérias de Luz, impossibilitando assim a realização de fotossíntese e consequentemente se restringe a obtenção de energia e a manutenção metabólica. Este método, embora eficaz e eficiente também para a resolução de problemas com outro tipo de algas, apresenta o problema de enfraquecer não apenas as algas como também toda a flora presente. Do ponto de vista prático, situações podem existir em que seja muito difícil ou impossível impedir a Luz de alcançar o aquário, quer por motivos funcionais quer por razões de outra ordem. - A ERITROMICINA, um tipo de antibiótico considerado adequado para o combate a este tipo de bactérias. A composição da membrana celular das Cianobactérias dificulta a acção doa antibióticos, a dosagem incorrecta ou o prazo insuficiente pode torná-las resistentes, obrigando à utilização de outros antibióticos que podem destruir toda a fauna bacteriológica do aquário. A Eritromicina é um antibiótico que actua apenas sobre bactérias gram-negativas, não destruindo assim as outras e permitindo ao filtro continuar, embora reduzida, a sua acção biológica (nem todas as bactérias do filtro biológico são gram-negativas, portanto nem todas morrerão com este antibiótico). É fundamental usar este antibiótico adequadamente, evitando o aparecimento de bactérias resistentes e a necessidade de recurso a outro tipo de antibiótico cujos efeitos no nosso aquário sejam menos desejados. Eliminação de Cianobactérias com ERIMOTRICINA: - Antes de iniciar o tratamento deve ser efectada uma profunda sinfonagem do sedimento no fundo do aquário, devendo ser removida a maior quantidade possível de Cianobactérias; - Aplicar diáriamente uma dose de 250 mg de Eritromicina para cada 100 l de água, por um período de três dias. (no meu caso e para garantir a completa eliminação das bactérias, optei por prolongar o tratamento por mais um dia, após verificar que os Nitritos e a Amónia se mantinham em valores aceitáveis); - Diáriamente, antes de administrar o antibiótico deve-se proceder a uma sinfonagem de todas as algas mortas evitando desta forma a acumulação de matéria orgânica em decomposição que originaria um pico de Nitritos e Amónia; - No dia seguinte ao término do tratamento deve ser feita uma troca de pelo menos 50% da agua, repondo desta forma os níveis de Nitritos e Amónia em valores mais reduzidos. Deverá ser colocado carvão activado no filtro durante 24 horas. Na agua reposta, será benéfica a adição de um activador de bactérias, facilitando assim uma mais rápida recuperação da fauna bacteriológica benéfica. Esta rotina de tratamento deve ser efectuada com rigor, de forma a evitar a sobrevivencia de Cianobactérias ao tratamento que poderiam gerar o desenvolvimento de colónias de bactérias resistentes à Eritromicina. A Eritromicina que utilizei encontra-se à venda em farmácias sob o nome de ESE 500. Existem comprimidos de 500 mg e 1000 mg. Existe também em grânulos e saquetas (suponho que façam o mesmo efeito, mas como têm sabor optei pelos comprimidos). Este medicamento é vendido sob receita médica. (no meu caso pedi a receita ao veterinário, que após saber qual o seu destino a prescreveu sem colocar nenhuma objecção) Espero com isto poder ajudar alguém. Desculpem a extensão do texto e se detectarem algum erro, alertem-me pois tentarei editar com as eventuais correcções ou informações adicionais consideradas importantes.
  47. 1 point
    Manutenção de plantas aquáticas Parte I - Nutrientes Toda a gente já ouviu falar em nutrientes como o “ alimento” das plantas, quer aquáticas, quer terrestres. No entanto, muito do insucesso que as pessoas têm com plantas aquáticas são, entre outros igualmente importantes, devido à carência ou excesso de nutrientes nas plantas. Que nutrientes existem e quais os mais importantes para as plantas? Comecemos por identificar os nutrientes à disposição das plantas aquáticas, de que maneira são úteis às plantas e quais os mais absorvidos no dia-a-dia. Macronutrientes: são os nutrientes em maior abundância no aquário plantado comparativamente com os micronutrientes, visto serem provenientes dos excrementos dos peixes, da comida dos peixes e de matéria em decomposição. São também e principalmente os nutrientes que são usados em maior quantidade pelas plantas. Os macronutrientes são: Azoto ( N), Fósforo ( P), Potássio ( K) – Macronutrientes Primários; Cálcio ( Ca) e Magnésio ( Mg) – Macronutrientes Secundários Micronutrientes ou elementos traço: são nutrientes que são usados em menor quantidade pelas plantas e são repostos pela comida dos peixes e pelas trocas de água ( TPAs). Os micronutrientes são: Ferro ( Fe), Manganês ( Mn), Cobre ( Cu), Zinco ( Zn), Boro ( B) e Molibdénio ( Mo) Macronutrientes Primários: - Azoto ( N): é aproveitado pelos tecidos das plantas sob a forma de Amónia ( NH3) ou sob a forma de Nitratos ( NO3) - através das bactérias nitrificantes que constituem o “ Ciclo do Azoto” ou através da quebra de amónia em nitritos e posteriormente em nitratos pela própria planta. Ao nível celular fornecem proteínas e amino-ácidos promovendo assim o crescimento celular e, consequentemente, o desenvolvimento saudável da planta. A observação deste nutriente na planta deve ser dirigida às folhas mais velhas. Carência: toda a planta fica verde-amarelada e as folhas velhas ficam mais amareladas que as folhas novas. Isto deve-se ao facto de que é um nutriente móvel e, ao haver falta deste nutriente na planta, esta desloca-o para as folhas mais novas de modo a garantir a sobrevivência do novo crescimento. As folhas mais velhas não morrem, a não ser em casos extremos. Ex: Excesso: as folhas velhas adquirem um verde escuro. Não são conhecidos efeitos nocivos de excesso de azoto nas plantas aquáticas. - Fósforo ( P): é aproveitado pelos tecidos das plantas sob a forma de Fosfatos ( PO4). Ao nível celular fornecem ácidos nucleicos, energia e promovem o crescimento radicular. A observação deste nutriente na planta deve ser dirigida às folhas mais velhas. Está relacionado com o azoto e a absorção de fósforo depende da quantidade de azoto disponível na planta. Carência: as folhas velhas podem adquirir coloração púrpura ( deve-se à acumulação da antocianina que é um pigmento roxo-azulado que protege as plantas contra a luz UV) ou verde escura. A planta perde as folhas velhas prematuramente, o crescimento fica atrofiado e há um atraso no desenvolvimento da planta. Ex: Excesso: pode causar dificuldade na assimilação de micronutrientes por parte das plantas, particularmente do ferro ou zinco. - Potássio ( K): é o segundo macronutriente, a seguir ao azoto, que está presente em maior quantidade nos tecidos das plantas saudáveis. Ao nível celular é um poderoso catalizador das reacções químicas e um transportador de iões. Promove o crescimento da planta. É um nutriente muito importante pois é dele que depende a absorção do azoto pela planta. A observação deste nutriente na planta deve ser dirigida às folhas mais velhas. Carência: zonas bem limitadas das folhas de coloração amarela, bordos das folhas amarelos e, em casos extremos, nessas mesmas zonas, pode evoluir para buracos de contornos amarelos ( daí muita gente pensar que este ou aquele animal andou a comer as folhas das plantas) e pontas das folhas “ roídas”. O crescimento da planta fica comprometido visto não haver potássio que contribua para a absorção de azoto. Ex: Exceso: pode dificultar a assimilação de magnésio ou cálcio, embora só mesmo estando em grandes quantidades na água, o que é raro. Macronutrientes Secundários: - Magnésio ( Mg): faz parte dos pigmentos de clorofila e é um activador de enzimas. É responsável pela assimilação do ferro ( Fe) por parte da planta. A observação deste nutriente deve ser feita nas folhas mais velhas. Carência: o crescimento da planta fica comprometido com os meristemas apicais ( ápices das plantas) a caírem prematuramente. Dá-se um amarelecimento das folhas velhas que começa nas extremidades das folhas e progride para o centro. A nervura principal da folha pode permanecer verde enquanto as nervuras secundárias ficam amarelas ou esbranquiçadas e morrem. Ex: Excesso: as altas concentrações são toleradas pela planta; contudo um desiquilíbrio com o cálcio ( Ca) e potássio ( K) pode reduzir o crescimento. - Cálcio ( Ca): é um importante constituinte da parede celular e da membrana plasmática das células. A observação deste nutriente é feita nas folhas novas ( novo crescimento). Carência: crescimento reduzido ou morte dos meristemas apicais - leve deficiência leva a que as folhas novas fiquem ligeiramente engelhadas e pequenas. Os tecidos vegetais das folhas ficam reduzidos com a nervura principal a persistir. As folhas ficam em forma de cúpula ou cálice, em vez de lisas ou direitas; deficiência moderada leva a súbitas torcidas das folhas que é agora muito mais reduzida em tamanho. As raízes estão igualmente torcidas e reduzidas, podendo os meristemas radiculares morrer; deficiência acentuada resulta num novo crescimento completamente branco e os meristemas apicais são muito reduzidos. Quer os meristemas apicais ou radiculares morrem. Ex: Excesso: pode levar à má assimilação da planta de magnésio ( Mg) ou potássio( K). Elementos traço ou Micronutrientes: ( vou apenas falar do ferro ( Fe) que é, quanto a mim, o mais relevante e o que se encontra normalmente em falta) - Ferro ( Fe): responsável pela síntese de clorofila. Deve ser observado no novo crescimento ( folhas novas). Carência: clorofila reduzida no novo crescimento e isso traduz-se em folhas e caules da mesma coloração que normalmente é amarelo e progride para pálido em casos mais acentuados. As nervuras permanecem verdes em carências leves e tornam-se pálidas em carências acentuadas, levando à sua morte e queda prematura das folhas. Excesso: clorose em forma de manchas nas folhas novas. Ver artigo: “ Parte II - Consumo de nutrientes e fertilização” para continuação e complemento ( em construção) Para discussão sobre este tema ( dúvidas, ideias, correcções, etc), por favor façam-no aqui.
  48. 1 point
    Olá Shark. Não me considero minimamente experiente em reef, até porque só tenho o aquário de reef montado há uns 5 meses, de qualquer forma queria deixar-te as minhas opiniões. Quanto à Rule of Thumb" no caso das powerheads é geralmente afirmado que a circulação ideal se situa entre 10 a 20x o volume do aquário. No teu caso daria algo como 7500 litros/hora de um ponto de visto teórico. Pela minha experiência a maioria deles até adoram correntes fortes e alternadas. É um delírio ver alguns a tentar nadar contra a corrente Tenho ouvido falar lindamente das Tunze e já vi algumas em aquários de membros aqui do fórum e de facto aquilo não tem comparação com as restantes marcas que conheço (aquariumsystems, azoo, eheim,etc) Penso que 2 de 12000 l seriam bastante sobredimensionadas ... talvez duas do modelo de 6000 l te sirvam na perfeição. Existem modelos que podem ser controlados por um controlador para fazer de wavemaker e são um pouco mais despendiosos, também podes optar por um modelo normal e depois ligas a um daqueles wavemakers que existem de fabrico nacional O fundamental é conseguir uma boa circulação em todo o aquário para evitar zonas mortas. Assim a conjugação e posicionamento das powerheads depende de cada setup para setup, no entanto o mais tradicional é uma em cada canto, apontadas para o centro. Sempre a bombar...24/7 :D Bom desejo-te boa sorte para a montagem do aqua e queremos ver aqui depois umas fotos. Abraço
  49. 0 points
    Raios parta! Foto; Editar; Brilho; Diminuir; 😂😉😛
  50. 0 points
    À conta do nome, se este aquario não ganha, eu impugno o concurso!!!!!! Poda mas é isto sff que parece uma salganhada. Para perceberes o que estou a dizer, vou explicar de outra maneira: Não me mistures chocolate e morango no cone sff. Se não eu não sei o que estou a comer 😛