Sign in to follow this  
Luis Rodrigues

Anedotas...

Recommended Posts

ESTA ESTÁ DEMAIS................ESPERO QUE GOSTEM

 

 

Subject: FW: Descomprimir...

To:

 

 

 

Brilhante!

 

 

Por vezes, quando se tem um mau dia e precisamos de o descarregar em

alguém, não o faça em alguém seu conhecido. Descarregue em alguém que

NÃO conheça.

Estava sentado à minha secretária, quando me lembrei de um telefonema

que tinha de fazer. Encontrei o número e marquei-o. Respondeu um homem

que disse: "Está?" Educadamente respondi-lhe: "Estou! Sou o Luís

Alves. Posso falar com a Sra.

Ana Marques, por favor?" Ficou com uma voz transtornada e gritou-me

aos ouvidos: "Vê lá se arranjas a (palavra censurada) do número certo, ó filho da

(palavra censurada)!" e desligou o telefone.

Nem queria acreditar que alguém pudesse ser tão mal educado por causa

de uma coisa destas. Quando consegui ligar à Ana, reparei que tinha

acidentalmente transposto os dois últimos dígitos.

Decidi voltar a ligar para o número "errado" e, quando o mesmo tipo atendeu,

gritei-lhe: "És um grande (palavra censurada)!" e desliguei. Escrevi o número dele

juntamente com a palavra "(palavra censurada)" e guardei-o.

De vez em quando, sempre que tinha umas contas chatas para pagar ou um dia

mesmo mau, telefonava-lhe e gritava-lhe: "És um (palavra censurada)!" Isso animava-me.

 

Quando surgiu a identificação de chamadas, pensei que o meu terapêutico

telefonema do "(palavra censurada)" iria acabar. Por isso, liguei-lhe e disse: "Boa

tarde. Daqui fala da PT. Estamos a ligar-lhe para saber se conhece o

nosso serviço de identificação de chamadas!"

Ele disse "NÃO!" e bateu o telefone. De seguida liguei-lhe, e disse: "É

porque és um grande (palavra censurada)!"

Uma vez, estava no parque do Centro Comercial e, quando me preparava para

estacionar num lugar livre, um tipo num BMW cortou-me o caminho e estacionou

no lugar que eu tinha estado à espera que vagasse. Buzinei-lhe e disse-lhe

que estava ali primeiro à espera daquele lugar, mas ele ignorou-me.

Reparei que tinha um letreiro "Vende-se" no vidro de trás do carro, e tomei

nota do número de telefone que lá estava.

Uns dias mais tarde, depois de ligar ao primeiro (palavra censurada), pensei que era

melhor telefonar também para o (palavra censurada) do BMW. Perguntei-lhe: "É o

senhor que tem um BMW preto à venda?"

"Sim", disse ele.

"E onde é que o posso ver?", perguntei.

"Pode vir vê-lo a minha casa, aqui na Rua da Descobertas, Nº 36. É uma

casa amarela e o carro está estacionado mesmo à frente."

"E o senhor chama-se?." perguntei.

"O meu nome é Alberto Palma", disse ele.

"E a que horas está disponível para mostrar o carro?"

"Estou em casa todos os dias depois das cinco."

"Ouça, Alberto, posso dizer-lhe uma coisa?"

"Diga!"

"És um grande (palavra censurada)!", e desliguei o telefone. Agora, sempre que tinha

um problema, tinha dois "paneleiros" a quem telefonar.

Tive, então, uma ideia. Telefonei ao (palavra censurada) Nº 1.

"Está?"

"És um (palavra censurada)!" (mas não desliguei)

"Ainda estás aí?" ele perguntou.

"Sim", disse-lhe.

"Deixa de me telefonar!" gritou.

"Impede-me", disse eu.

"Quem és tu?" perguntou.

"Chamo-me Alberto Palma", respondi.

"Ah sim? E onde é que moras?"

"Moro na Rua da Descobertas, Nº 36, tenho o meu BM preto mesmo em

frente, ó (palavra censurada). Porquê?

"Vou já aí, Alberto. É melhor começares a rezar", disse ele.

"Estou mesmo cheio de medo de ti, ó (palavra censurada)!" e desliguei.

 

 

A seguir, liguei ao (palavra censurada) Nº 2.

"Está?"

"Olá, (palavra censurada)!", disse eu.

Ele gritou-me: "Se descubro quem tu és..."

"Fazes o quê?" perguntei-lhe.

"Parto-te a tromba!" disse ele.

E eu disse-lhe: "Olha, (palavra censurada), vais ter essa oportunidade. Vou agora aí a

tua casa, e já vais ver."

 

Desliguei e telefonei à Polícia, dizendo que morava na Rua da Descobertas,

Nº 36 e que ia agora para casa matar o meu namorado gay.

Depois liguei para as cadeias de TV e falei-lhes sobre a guerra de gangs que

se estava a desenrolar nesse momento na Rua da Descobertas.

 

Peguei no meu carro e fui para a Rua da Descobertas. Cheguei a tempo de ver

os dois prvalhões a matarem-se à pancada em frente de seis viaturas da

polícia e uma série de repórteres de TV.

 

 

Já me sinto muito melhor. Gerir a raiva sempre funciona.

 

 

(Autor desconhecido)

Share this post


Link to post
Share on other sites

O compadre Manel para a mulher:

 

- Maria, na próxima meia-hora não me vais ver!

 

- Então porquê? Vais à taberna?

 

- Não. Vou-te ao ..........

Edited by PST

Share this post


Link to post
Share on other sites

Em pleno voo um alentejano pede um tinto de Borba para acompanhar a sua refeição, a hospedeira pergunta ao individuo que viaja ao lado do alentejano se quer beber alguma coisa e o mesmo diz ser testemunha de Jeová e com ar ofendido diz ainda:

 

- Prefiro ser raptado e violado selvaticamente por uma dezena de (palavra censurada) da Babilónia antes que uma gota de álcool toque os meus lábios.

 

O alentejano devolve o copo de tinto à hospedeira e diz:

 

- Eu também. Não sabia que se podia escolher.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um alemão, procurando orientação sobre o caminho, pára o seu carro ao

lado de outro com dois alentejanos dentro.

O alemão pergunta:

- Entschuldigung, können sie Deutsch sprechen?

Os dois alentejanos ficaram mudos.

- Excusez-moi, parlez vous français? Tentou.

Os dois continuaram a olhar para ele impávidos e serenos.

- Prego signori, parlate italiano? Nada por parte dos alentejanos.

- Hablan ustedes español? Nenhuma resposta.

- Please, do you speak english? Nada. Angustiado, o alemão desiste e

vai-se embora.

Um dos alentejanos vira-se para o outro e diz:

- Talvez devêssemos aprender uma língua estrangeira...

- Mas pra quê, compadre? Aquele idiota sabia cinco... e adiantou-lhe

alguma coisa??!

 

cheers

Share this post


Link to post
Share on other sites
Malmequer

Na Conservatória do Registo Civil um angolano residente em Portugal quer registar o seu filho recém-nascido:

 

- Bô dia! Eu quer registrar meu minino que nasceu otem.

 

- Muito bem. O seu filho nasceu ontem, é do sexo masculino... e qual é o nome?

 

- Marmequer Bicicreta.

 

- Desculpe?! Quer chamar ao seu filho Malmequer Bicicleta?!

 

- É.

 

- Desculpe, mas não posso aceitar esse nome.

 

- Não pode porque tu é racista! Si meu minino fosse branco tu punha.

 

- Não tem nada a ver com racismo. Esse não é um nome admitido em Portugal.

 

-Tu é racista. Si meu minino fosse branco tu punha esse nome a ele. Tu não põe porque meu minino é preto.

 

- Já lhe disse que não tem nada a ver com racismo. Malmequer Bicicleta não é nome de gente.

 

- Ai não?! Então porque é que tu tem uma branca chamada Rosa Mota!!!!!!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

A Maria e o Manuel vão ao Teatro Municipal assistir ao "O Lago dos Cisnes".

Maria muito cansada após um longo dia de trabalho dorme profundamente durante a maior parte do espectáculo.

Acorda sem graça, e pergunta ao marido:

- Maneli dormi. Será que alguêem da platêa notô?

Responde o Manuel:

- Da platêa nã sêe, mas todas as artistas sim, pois há horas que caminham na

pontinha dos pêis p'ra nã te acordar...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Genial a resposta do hotel....

 

Viajando com o meu cão,escrevi antecipadamente ao Hotel Amador Las

Cruces,no Estado do Novo México,para saber se podiam acomodar um hóspede de

quatro patas.

 

Eis a resposta:

 

"Trabalhamos na indústria hoteleira há mais de 30 anos. Até agora nunca

precisamos chamar a polícia para expulsar um cão que promovesse distúrbios

até altas horas da noite.

 

Até hoje nunca vimos um cão pôr fogo na roupa da cama por adormecer

com um cigarro

na mão.

 

Nunca encontramos uma toalha ou um cobertor do hotel na mala de um

cão, nem manchas

deixadas nos móveis pelo fundo da garrafa de um cão.

 

Está claro que aceitamos o seu cão.

 

PS: Se ele se responsabilizar pelo senhor, "venha também".

 

:)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Dedução Empírica

 

O João estava a cortar a relva do jardim quando repara num novo vizinho a mudar-se para a casa do lado.

Curioso aproxima-se dele e após as apresentações da praxe, Miguel, o novo vizinho, diz-lhe que é Professor de Dedução Empírica.

 

João - Dedução Empirica?! Que é isso?

 

Miguel - Bem, deixe-me dar-lhe um exemplo... estou a ver que tem uma casota para cães.

Deduzo que tenha um cão. Se tem um cão é provável que tenha filhos.

Se tem filhos é mais que normal que tenha esposa. Se tem esposa sou forçado a deduzir que é heterossexual.

 

João - Isso é muito fixe!

 

Separam-se e João vai conversar com o outro vizinho, Zé, que também tinha reparado na mudança para a casa ao lado.

 

Zé - Novo vizinho... que faz ele?

João - É Professor de Dedução Empírica.

Zé - Dedução Empírica?! Que é isso?!

João - Deixa dar-te um exemplo. Tens um cão?

Zé - Não.

João - És (palavra censurada)

 

 

:onfire::silly:

Edited by GOLF_inho

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um sujeito entra numa tasca, e vê por cima do balcão o seguinte cartaz:

 

- Pinga................................... 0,40

- Pão com queijo....................0,80

- Sanduíche de galinha...........1,80

- Acariciar o órgão sexual.....10,00

 

Verificou então a carteira, para não passar alguma vergonha, foi até ao

balcão e chamou uma das três garotas que estavam a servir bebidas nas mesas:

- Por favor.....

- Sim? Responde ela com um sorriso lindo. Em que posso ajudar?

- É você que acaricia o órgão sexual aos clientes ?

- Sou... Responde ela com uma voz bem sensual.

- Então, lave bem as mãos, que eu só quero um pão com queijo!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Uma velha foi presa por roubar no supermercado.

Quando estava no tribunal, o juiz perguntou-lhe:

- O que é que a senhora roubou?

Ela respondeu:

- 1 lata pequena de pêssegos.

O juiz perguntou-lhe o motivo do roubo, e ela respondeu:

- Porque estava com fome.

O juiz então perguntou à velha senhora quantos pêssegos tinha a lata:

- Tinha 6 pêssegos.

O juiz então disse:

- Vou-a mandar prender por 6 dias, 1 dia por cada pêssego.

Mas antes que o juiz pudesse terminar a sentença, o marido da velha senhora perguntou se poderia ter uma palavra com o juiz sobre o acontecido...

O Juiz disse que sim, e perguntou o que queria ele dizer.

Então o marido da velha disse:

- Ela também roubou uma lata de ervilhas...

 

:onfire:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pergunta o elefante ao camelo :

 

" Olha , porque tens as mamas nas costas? "

 

Responde o camelo:

 

" Estranha pergunta, vinda de alguem que tem a pila na testa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Era uma vez uma aldeia onde viviam dois homens que tinham o mesmo nome:

Joaquim Gonçalves.

Um era sacerdote e o outro, taxista.

Quis o destino que morressem no mesmo dia.

Quando chegaram ao céu, São Pedro esperava-os.

- O teu nome?

- Joaquim Gonçalves.

- És o sacerdote?

- Não, o taxista.

São Pedro consulta as suas notas e diz:

- Bom, ganhaste o paraíso. Levas esta túnica com fios de ouro e este ceptro de platina com incrustações de rubis.

Podes entrar.

- O teu nome?

- Joaquim Gonçalves.

- És o sacerdote?

- Sim, sou eu mesmo.

- Muito bem, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho e este ceptro de ferro.

O sacerdote diz:

- Desculpe, mas deve haver engano. Eu sou o Joaquim Gonçalves, o sacerdote!

- Sim, meu filho, ganhaste o paraíso. Levas esta bata de linho

- Não pode ser! Eu conheço o outro, Senhor. Era taxista, vivia na minha aldeia e era um desastre! Subia os passeios, batia com o carro todos os dias, conduzia pessimamente e assustava as pessoas. Nunca mudou, apesar das multas e repreensões policiais. E quanto a mim, passei 75 anos pregando todos os domingos na paróquia. Como é que ele recebe a túnica com fios de ouro e eu.....isto?

 

- Não é nenhum engano - diz São Pedro. Aqui no céu, estamos a fazer uma

gestão mais profissional, como a que vocês fazem lá na Terra.

- Não entendo!

- Eu explico. Agora orientamo-nos por objectivos. É assim: durante os últimos anos, cada vez que tu pregavas, as pessoas dormiam. E cada vez que ele conduzia o táxi, as pessoas começavam a rezar.

 

Resultados!

 

Percebeste?

 

Gestão por Objectivos!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Abrilina Décima Nona Caçapavana Piratininga de Almeida

 

Acheropita Papazone

 

Adalgamir Marge

 

Adegesto Pataca

 

Adoração Arabites

 

Aeronauta Barata

 

Agrícola Beterraba Areia

 

Agrícola da Terra Fonseca

 

Alce Barbuda

 

Aldegunda Carames More

 

Aleluia Sarango

 

Alfredo Prazeirozo Texugueiro

 

Alma de Vera

 

Amado Amoroso

 

Amável Pinto

 

Amazonas Rio do Brasil Pimpão

 

América do Sul Brasil de Santana

 

Amin Amou Amado

 

Amor de Deus Rosales Brasil

 

Anatalino Reguete

 

Antônio Americano do Brasil Mineiro

 

Antonio Buceta Agudim

 

Antonio Camisão

 

Antonio Dodói

 

Antonio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado

 

Antonio Melhorança

 

Antônio Morrendo das Dores

 

Antonio Noites e Dias

 

Antônio P. Testa

 

Antonio Pechincha

 

Antônio Querido Fracasso

 

Antonio Treze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete

 

Antônio Veado Prematuro

 

Apurinã da Floresta Brasileira

 

Araci do Precioso Sangue

 

Argentino Argenta

 

Aricléia Café Chá

 

Armando Nascimento de Jesus

 

Arquiteclínio Petrocoquínio de Andrade

 

Asteróide Silverio

 

Ava Gina (em homenagem a Ava Gardner e Gina Lolobrigida)

 

Bananéia Oliveira de Deus

 

Bandeirante do Brasil Paulistano

 

Barrigudinha Seleida

 

Bende Sande Branquinho Maracajá

 

Benedito Autor da Purificação

 

Benedito Camurça Aveludado

 

Benedito Frôscolo Jovino de Almeida Aimbaré Militão de Souza

 

Baruel de Itaparica Boré Fomi de Tucunduvá

 

Benigna Jarra

 

Benvindo Viola

 

Bispo de Paris

 

Bizarro Assada

 

Boaventura Torrada

 

Bom Filho Persegonha

 

Brandamente Brasil

 

Brasil Washington C. A. Júnior

 

Brígida de Samora Mora

 

Belderagas Piruégas de

 

Alfim Cerqueira Borges Cabral

 

Cafiaspirina Cruz

 

Capote Valente e Marimbondo da Trindade

 

Caius Marcius Africanus

 

Carabino Tiro Certo

 

Carlos Alberto Santíssimo Sacramento

 

Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio

 

Carneiro de Souza e Faro

 

Caso Raro Yamada

 

Céu Azul do Sol Poente

 

Chananeco Vargas da Silva

 

Chevrolet da Silva Ford

 

Cincero do Nascimento

 

Cinconegue Washington Matos

 

Clarisbadeu Braz da Silva

 

Colapso Cardíaco da Silva

 

Comigo é Nove na Garrucha Trouxada

 

Confessoura Dornelles

 

Crisoprasso Compasso

 

Danúbio Tarada Duarte

 

Darcília Abraços

 

Carvalho Santinho

 

Deus Magda Silva

 

Deus É Infinitamente Misericordioso

 

Deusarina Venus de Milo

 

Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco

 

Dignatario da Ordem Imperial do Cruzeiro

 

Dilke de La Roque Pinho

 

Disney Chaplin Milhomem de Souza

 

Dolores Fuertes de Barriga

 

Dosolina Piroca Tazinasso

 

Drágica Broko

 

Ernesto Segundo da Família Lima

 

Esdras Esdron Eustaquio Obirapitanga

 

Esparadrapo Clemente de Sá

 

Espere em Deus Mateus

 

Estácio Ponta Fina Amolador

 

Éter Sulfúrico Amazonino Rios

 

Excelsa Teresinha do Menino Jesus da Costa e Silva

 

Faraó do Egito Sousa

 

Fedir Lenho

 

Felicidade do Lar Brasileiro

 

Finólila Piaubilina

 

Flávio Cavalcante Rei da Televisão

 

Francisco Notório Milhão

 

Francisco Zebedeu Sanguessuga

 

Francisoreia Doroteia Dorida

 

Fridundino Eulâmpio

 

Gigle Catabriga

 

Graciosa Rodela D'alho

 

Heubler Janota

 

Hidráulico Oliveira

 

Himineu Casamenticio das Dores Conjugais

 

Holofontina Fufucas

 

Homem Bom da Cunha Souto Maior

 

Horinando Pedroso Ramos

 

Hugo Madeira de Lei Aroeiro

 

Hypotenusa Pereira

 

Ilegível Inilegível

 

Inocêncio Coitadinho

 

Isabel Defensora de Jesus

 

Izabel Rainha de Portugal

 

Janeiro Fevereiro de Março Abril

 

João Bispo de Roma

 

João Cara de José

 

João Cólica

 

João da Mesma Data

 

João de Deus Fundador do Colto

 

João Meias de Golveias

 

João Pensa Bem

 

João Sem Sobrenome

 

Joaquim Pinto Molhadinho

 

José Amâncio e Seus Trinta e Nove

 

José Casou de Calças Curtas

 

José Catarrinho

 

José Machuca

 

José Maria Guardanapo

 

José Padre Nosso

 

José Teodoro Pinto Tapado

 

José Xixi

 

Jovelina Ó Rosa Cheirosa

 

Jotacá Dois Mil e Um Juana Mula

 

Júlio Santos Pé-Curto

 

Justiça Maria de Jesus

 

Lança Perfume Rodometálico de Andrade

 

Leão Rolando Pedreira

 

Leda Prazeres Amante

 

Letsgo Daqui (let's go)

 

Liberdade Igualdade

 

Fraternidade Nova York Rocha

 

Libertino Africano Nobre

 

Lindulfo Celidonio Calafange de Tefé

 

Lynildes Carapunfada Dores Fígado

 

Magnésia Bisurada do Patrocínio

 

Manganês Manganésfero Nacional

 

Manolo Porras y Porras

 

Manoel de Hora Pontual

 

Manoel Sovaco de Gambar

 

Manuel Sola de Sá Pato

 

Manuelina Terebentina

 

Capitulina de Jesus Amor Divino

 

Marciano Verdinho das Antenas Longas

 

Maria Constança Dores Pança

 

Maria Cristina do Pinto

 

Magro Maria da Cruz Rachadinho

 

Maria da Segunda Distração

 

Maria de Seu Pereira

 

Maria Felicidade

 

Maria Humilde

 

Maria Máquina

 

Maria Panela

 

Maria Passa Cantando

 

Maria Privada de Jesus

 

Maria Tributina Prostituta Cataerva

 

Maria-você-me-mata

 

Mário de Seu Pereira

 

Meirelaz Assunção

 

Mijardina Pinto

 

Mimaré Índio Brazileiro de Campos

 

Ministéio Salgado

 

Naida Navinda Navolta Pereira

 

Napoleão Estado do Pernambuco

 

Napoleão Sem Medo e Sem Mácula

 

Natal Carnaval

 

Natanael Gosmoguete de Souza

 

Necrotério Pereira da Silva

 

Novelo Fedelo

 

Oceano Atlântico Linhares

 

Olinda Barba de Jesus

 

Orlando Modesto Pinto

 

Orquerio Cassapietra

 

Otávio Bundasseca

 

Pacífico Armando Guerra

 

Padre Filho do Espírito Santo Amém

 

Pália Pélia Pólia Púlia dos Guimarães Peixoto

 

Paranahyba Pirapitinga Santana

 

Penha Pedrinha Bonitinha da Silva

 

Percilina Pretextata

 

Predileta Protestante

 

Peta Perpétua de Ceceta

 

Placenta Maricórnia da Letra Pi

 

Plácido e Seus Companheiros

 

Pombinha Guerreira Martins

 

Primeira Delícia Figueiredo Azevedo

 

Primavera Verão Outono Inverno

 

Produto do Amor Conjugal de Marichá e Maribel

 

Protestado Felix Correa

 

Radigunda Cercená Vicensi

 

Remédio Amargo

 

Renato Pordeus Furtado

 

Ressurgente Monte Santos

 

Restos Mortais de Catarina

 

Rita Marciana Arrotéia

 

Rocambole Simionato

 

Rolando Caio da Rocha

 

Rolando Escadabaixo

 

Rômulo Reme Remido Rodó

 

Safira Azul Esverdeada

 

Sansão Vagina

 

Sebastião Salgado Doce

 

Segundo Avelino Peito

 

Sete Chagas de Jesus e Salve Pátria

 

Simplício Simplório da Simplicidade Simples

 

Soraiadite das Duas a Primeira

 

Telesforo Veras

 

Tropicão de Almeida

 

Última Delícia do Casal Carvalho

 

Último Vaqueiro

 

Um Dois Três de Oliveira Quatro

 

Um Mesmo de Almeida

 

Universo Cândido

 

Valdir Tirado Grosso

 

Veneza Americana do Recife

 

Vicente Mais ou Menos de Souza

 

Vitória Carne e Osso

 

Vitimado José de Araújo

 

Vitor Hugo Tocagaita

 

Vivelinda Cabrita

 

Voltaire Rebelado de França

 

Wanslívia Heitor de Paula

 

Zélia Tocafundo Pinto

 

 

 

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
gostava mesmo de saber onde vais buscar tanta imaginacao

 

entao passa um dia com ele e com a sua cara metade..... sao 5* e quando vais a ver onde vai a coversa, ja passou um dia....

Share this post


Link to post
Share on other sites

1. Vc. deve evitar abrev., etc.

 

2. Desnecessário faz-se empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado, segundo deve ser do conhecimento inexorável dos copidesques. Tal prática advém de esmero excessivo que beira o exibicionismo narcisístico.

 

3. Anule aliterações altamente abusivas.

 

4. "não esqueça das maiúsculas", como já dizia dona loreta, minha professora lá no colégio alexandre de gusmão, no ipiranga.

 

5. Evite lugares-comuns assim como o diabo foge da cruz.

 

6. O uso de parênteses (mesmo quando for relevante) é desnecessário.

 

7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.

 

8. Chute o balde no emprego de gíria, mesmo que sejam maneiras, tá ligado?

 

9. Palavras de baixo calão podem transformar seu texto numa porcaria.

 

10. Nunca generalize: generalizar, em todas as situações, sempre é um erro.

 

11. Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.

 

12. Não abuse das citações. Como costuma dizer meu amigo: "Quem cita os outros não tem ideias próprias".

 

13. Frases incompletas podem causar.

 

14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez. Em outras palavras, não fique repetindo a mesma ideia.

 

15. Seja mais ou menos específico.

 

16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!

 

17. A voz passiva deve ser evitada.

 

18. Use a pontuação correctamente o ponto e a vírgula especialmente será que ninguém sabe mais usar o sinal de interrogação

 

19. Quem precisa de perguntas retóricas?

 

20. Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.

 

21. Exagerar é cem biliões de vezes pior do que a moderação.

 

22. Evite mesóclises. Repita comigo: "mesóclises: evitá-las-ei!"

 

23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.

 

24. Não abuse das exclamações! Nunca! Seu texto fica horrível!

 

25. Evite frases exageradamente longas, pois estas dificultam a compreensão da idéia contida nelas, e, concomitantemente, por conterem mais de uma ideia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçando, desta forma, o pobre leitor a separá-la em seus componentes diversos, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.

 

26. Cuidado com a hortografia, para não phoder a língüa portuguêza.

 

27. Seja incisivo e coerente, ou não.

 

 

 

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites
entao passa um dia com ele e com a sua cara metade..... sao 5* e quando vais a ver onde vai a coversa, ja passou um dia....

pois eu ja falei com ele na net tem sempre assunto pra falar pelo que me apercebi e mesmo 10* sempre disposto a ajudar quem precisa

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esta é uma história verídica do suporte de uma empresa famosa de São Paulo, Brasil. Não precisaria dizer que a pessoa que trabalhava no suporte foi demitida, mas ela está movendo um processo contra a organização, que a demitiu por justa causa.

 

Segue o diálogo que gerou a demissão, entre o ex-funcionário e um cliente da empresa:

 

- ;) desk assistência, posso ajudar?

 

- Sim, bem... Estou tendo problemas com o Word.

 

- Que tipo de problema?

 

- Bem, eu estava digitando e, de repente, todas as palavras sumiram.

 

- Sumiram?

 

- Elas desapareceram..

 

- Hum... O que aparece na sua tela?

 

- Nada.- Nada?

 

- Está preta. Não aceita nada que eu digite.

 

- Você ainda está no Word ou já saiu?

 

- Como posso saber?

 

- Você vê o prompt C: na tela?

 

- O que é esse prompiti?

 

- Esquece. Você consegue mover o cursor pela tela?

 

- Não há cursor algum. Eu te disse, ele não aceita nada que eu digite.

 

- Seu monitor tem um indicador de força?

 

- O que é um monitor?

 

É essa tela que se parece com uma TV. Ele tem uma luzinha que diz quando está ligado?

 

- Não sei.

 

- Bom, olhe atrás do monitor, então. Veja onde está ligado o cabo de força.

 

- Você consegue fazer isso?

 

- Acho que sim.

 

- Ótimo. Siga para onde vai o cabo e me diga se ele está na tomada.

 

- Tá sim.

 

- Atrás do monitor, você reparou que existem dois cabos?

 

- Não.

 

- Bom, else estão aí. Preciso que você olhe e ache o outro cabo.

 

- OK. Achei.

 

- Siga-o e veja se está bem conectado na parte traseira do computador.

 

- Não alcanço!

 

- Hum. Você consegue ver se está?

 

- Não.

 

- Mesmo se você se ajoelhar ou se debruçar sobre ele?

 

- Ah, não, tá muito escuro aqui!

 

- Escuro?

 

- Sim, a luz do escritório tá desligada, e a única luz que eu tenho vem da janela, lá do outro lado.

 

- Bom, ligue a luz então!

 

- Não posso.

 

- Por que não?

 

- Porque estamos sem luz.

 

- Estão... Sem luz?

 

Pausa Longa...

 

- Ah! OK, descobrimos o problema agora. Você ainda tem as caixas e os manuais que vieram com o seu micro?

 

- Sim, estão no armário.

 

- Bom! Então, você pega tudo, desliga o seu sistema, empacota e leva de volta para a loja.

 

- Sério?? O problema é tão grave assim?

 

- Sim, temo que seja.

 

- Bom, então tá. E o que eu digo na loja?

 

- Diga que você é burro demais pra ter um computador.

 

 

 

:)

Share this post


Link to post
Share on other sites

• O que é um pontinho vermelho no pântano?

Resposta: Um Jacared.

 

• O que é um pontinho azul no céu?

Resposta: Um Bluemerangue.

 

• O que é um pontinho vermelho a pular de galho em galho?

Resposta: Um morangotango.

 

• O que é um pontinho azul no céu?

Resposta: Um urublue.

 

• O que é um pontinho amarelo na cozinha?

Resposta: Um yellowtrodoméstico.

 

• O que é um monte de pontinhos azuis na areia de uma praia?

Resposta: É um arrastão de Smurfs.

 

• O que é um pontinho branco na relva?

Resposta: Uma formiga vestida de noiva.

 

• O que é um pontinho preto no avião?

Resposta: Uma aeromosca.

 

• O que é um pontinho amarelo no meio do mar?

Resposta: Uma batata da onda.

 

• O que é um pontinho branco a cair do cimo de um frigorífico?

Resposta: Uma pipoca suicida.

 

• O que e um pontinho verde atrás da porta?

Resposta: E uma azeitona de castigo.

 

• O que é um pontinho preto no azulejo do hospital?

Resposta: Uma blackteria.

 

• O que é um pontinho vermelho, um azul, um verde, um amarelo e um rosa na relva?

Resposta: Cinco formigas vestidas de Power Rangers.

 

• O que é um pontinho rosa no céu?

Resposta: Uma gayvota.

 

• O que é uma vírgula na relva?

Resposta: Uma formiga de Nike.

 

• O que é um pontinho vermelho na TV?

Resposta: É a Red Globo.

 

 

 

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Num café de Paris, dois turistas portugueses:

 

- Sabes, Manuel, estou há uma semana em Paris e ainda não fui ao Louvre.

 

- Não te preocupes, Joaquim. Deve ser problema de adaptação intestinal...

 

 

 

;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Chateau Mouton Rothschild

 

Consta, que certa noite, muitos anos atrás, um homem entrou com a namorada no restaurante Lucas Carton, em Paris, e pediu uma garrafa de Mouton Rothschild, safra de 1928.

 

O sommelier, em vez de trazer a garrafa, para mostrar ao cliente, traz o decanter de cristal cheio de vinho e, depois de uma mesura, serve um pouco no cálice para o cliente provar.

 

O cliente, lentamente, leva o cálice ao nariz para sentir os aromas, fecha os olhos e cheira o vinho.

Inesperadamente, franze a testa e com expressão muito irritada pousa o copo na mesa, comentando rispidamente:

 

-Isso aqui não é um Mouton de 1928!

 

O sommelier assegura-lhe que é. O cliente insiste que não é!

Estabelece-se uma discussão e, rápidamente, cerca de 20 pessoas rodeiam a mesa, incluindo o chef de cuisine e o gerente do hotel que tentam convencer o intransigente consumidor de que o vinho é mesmo um Mouton de 1928.

 

De repente, alguém resolve perguntar-lhe como sabe, com tanta certeza, que aquele vinho não é um Mouton de 1928.

 

- O meu nome é Phillippe de Rothschild, diz o cliente, modestamente, e sou eu que faço o Mouton Rothschild!

 

Consternação geral.

 

O sommelier, então de cabeça baixa, dá um passo à frente, tosse, pigarreia, bagas de suor escorrem da testa e, por fim, admite que serviu na garrafa de decantação um Clerc Milon de 1928, mas explica seus motivos:

 

- Desculpe, mas não consegui suportar a idéia de servir a nossa última garrafa de Mouton 1928. De qualquer forma, a diferença é irrelevante.

Afinal o senhor também é proprietário dos vinhedos de Clerc Milon, que ficam na mesma aldeia do Mouton. O solo é o mesmo, a vindima é feita na mesma época, a poda é a mesma, e o esmagamento das uvas se faz na mesma ocasião, o mosto resultante vai para barris absolutamente idênticos.

 

Ambos os vinhos são engarrafados ao mesmo tempo. Pode-se afirmar que os vinhos são iguais, apenas com uma pequeníssima diferença geográfica.

 

Rothschild, então, com a discrição que sempre foi a sua marca, puxa o sommelier pelo braço e murmura-lhe ao ouvido:

 

- Quando voltar para casa esta noite, peça à sua namorada para se despir completamente. Escolha duas regiões muito próximas do corpo dela e faça um teste de olfato. Você perceberá a diferença que pode haver numa pequeníssima diferença geográfica!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Subtileza Feminina

 

Um homem telefona para a sua esposa e diz:

Querida, o meu chefe convidou a mim e a alguns dos seus amigos para

irmos pescar num lago distante.

 

 

 

Vamos ficar fora uma semana.

Esta é uma excelente oportunidade para eu conseguir a promoção que

tenho esperado;

por isso me prepare roupa suficiente para uma semana, e também a

minha caixa de apetrechos de pesca.

Vamos partir directamente daqui do escritório, e vou passar aí apenas

para apanhar essas coisas.

Ah... Por favor, coloque também o meu pijama novo, aquele de seda azul.

A mulher acha que isso soa um bocado estranho, mas atende ao pedido do

marido.

No fim-de-semana seguinte, ele regressa da pescaria um tanto cansado,

mas, fora isso, nada de anormal.

A mulher recebe-o com um beijo e pergunta-lhe se apanharam muitos peixes.

Ele responde:

Sim! Muitos pargos, algumas garoupas e uns poucos carapaus.

Mas, por que é que você não colocou o meu pijama de seda azul, tal como

pedi?

A mulher apenas olha fixamente nos olhos dele e responde segura de si:

Coloquei sim, querido! Coloquei-o dentro da caixa de apetrechos de pesca.

 

Moral da história:

 

NUNCA DUVIDE DA CAPACIDADE DE RACIOCÍNIO DE UMA MULHER

Share this post


Link to post
Share on other sites

------------------

Porque é que os elefantes não jogam boxe?

Porque têm medo de levar na tromba!

------------------

Era um menino que tinha uma grave doença e estava já em fase terminal,e por azar fazia anos nesse dia.No momento de cantar os parabéns toda a sua familia cantava:

"Parabéns a você,nesta data querida,muitas felicidades, NANANA NA NA NAAAAA....(...)"

------------------

Porque é que não podem entrar loiras em Timor?

Porque é Timor "Lo-ro-sae"!

------------------

O que é que uma mulher faz na sala?

Turismo!

-----------------

Finalmnete o dia tinha chegado,a Maria ia finalmente dar á luz o seu bebé!

Lá estava ela no hospital,de pernas abertas,e o doutor a puxar o bebé...

Quando este finalmente sai,não chora nem se mexe!

O médico começa por abanar o bebé e...nada,entao começa a dar-lhe leves chapadinhas na cára e...nada,então manda-o ao ar e agarra-o e nada.

Já irritado começa a bater com o bebé em cima da bancáda com toda a força e nada!!! A mulher já desesperada a ver aquela violencia toda diz:

-o que é que está a fazer ao meu filho?!?!Não faça isso,ainda o mago-a!!!

e o médico responde: Estou a brincar!Não se assuste,JÁ NASCEU MORTO!:morning:

-----------------

Vira-se um alentejano para o outro:

--Ó manel,vê lá se eu tenho a berguilha aberta...

E o outro responde: Não...está fechada....

--Então que se lixe,mijo amanhã....

-----------------

:bad-words:

Edited by Miguel Marques

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um português abre uma filial da sua empresa de pregos em Roma.

Como propaganda fez um outdoor com a figura de Cristo pregado na cruz e

por baixo estava escrito:

"PREGOS GARCIA - 2000 ANOS DE GARANTIA".

Foi aquele rebuliço.

O Bispo de Roma foi pessoalmente conversar com o

português,explicar que não podia fazer isso.

Então o Português resolveu fazer um novo outdoor.

Colocou Cristo com uma das mãos pregadas na cruz e a outra solta, dizendo

adeus.

Em baixo estava escrito:

"ADIVINHE EM QUAL MÃO FOI USADO PREGO GARCIA?"

Meu Deus do céu!!! Até o Papa foi conversar com o Português.

Assim não pode ser! Não pode usar Jesus Cristo como um meio de propaganda.

Invente

outra coisa...

Então vou fazer novo outdoor...assim pensou o Português.

Colocou a foto da cruz vazia e em baixo estava escrito:

"SE O PREGO FOSSE GARCIA, O GAJO NÃO FUGIA"

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this