Sign in to follow this  
Daniel Almeida

Diário de Reprodução de Betta Macrostoma

Recommended Posts


Espero com este tópico trazer algo de novo para a comunidade aquariofilista de Portugal, uma vez que esta vertente dos bettas selvagens se encontra pouco desenvolvida, e que os tem mantém se muito escondido.

No inicio deste verão decidi que queria manter esta espécie. Após muita investigação, de ter visto todas as páginas na internet relativas à espécie, e de me ter informado de preços, decidi começar a procura. Comprar a particulares era impossível, não havia resultado nenhum em páginas de Portugal acerca deles, então voltei me para as lojas de aquariofilia onde costumo comprar peixes e material. Os resultados foram sempre decepcionantes, eu dava o meu contacto e ninguém me ligava de volta. Acabei por conseguir algumas informações após falar com o sr Emanuel da Aquoporto. Mas mesmo assim não foi fácil, porque ora apareciam, ora desapareciam, de vez em quando o fornecedor recebia-os mas em quantidades de 4, que eram logo vendidos. Ou então porque só recebiam machos. Finalmente há duas semanas foi me conseguido um casal. O que me preocupava agora era o pequeno facto de serem peixes F0, ou seja, selvagens. Basta uma pesquisa na net para desmoralizarmos com relatos de peixes selvagens que não se adaptam e morrem, que não comem, que vêm de sítios duvidosos e em mas condições, e não é um investimento nada barato para deixar morrer desta maneira, muito menos peixes como estes que se encontram ameaçados. Fiz o meu melhor neste aquário, juntei colónias de Red cherries, de daphnias (oferecidas pelo membro Ricardo Carvalho aqui do fórum), tudo para ter um ambiente acolhedor e o mais parecido com o habitat natural destes peixes, do qual são o único habitante juntamente com uma espécie de Machrobrachium de coloração vermelha. Os peixes finalmente chegaram no sábado passado depois de uma viagem bastante longa, e assim que tirei os sacos da caixa onde vinham acondicionados, valeu a pena toda a espera. A ambientação foi lenta, e claro que cheia de insegurança. Não fazia a minima ideia de como iam reagir à água. O aquário foi preparado com água de garrafão com pH 5.3, e acondicionada com troncos, folhas de amendoeira e pinhas de amieiro. A temperatura é de 24ºC. Depois de algum tempo a ambientar os peixes à agua do aquário, estes foram retirados, primeiro a fêmea depois o macho. A fêmea saiu das redes muito calma, e para meu espanto, manteve-se à mostra, e curiosa, investigando o aquário. O macho por sua vez refugiou-se debaixo de um tronco, o que me deixou logo nervoso. Neste momento tinha a luz do aquário afastada para não os stressar em demasia, passados alguns minutos aproximei, deixando a no seu local definitivo (A iluminação é uma calha com uma tira de leds, presa à tampa. Com a tampa levantada a luz incide indirectamente, com pouca intensidade). Fiquei vidrado neles durante imenso tempo, são peixes de um porte completamente inesperado para quem está habituado a ver bettas splendens (estes têm cerca de 10cm). O macho perdeu o medo, e assim que saiu do esconderijo a sua cor mudou para o laranja brilhante caracteristico, o preto carregado na boca e cara, abriu o seu leque colorido de borda azul, a dorsal com a pinta preta, e começou a exibir-se para a fêmea. Fiquei muito mais descansado depois disto.

Nesse dia ainda os vi darem umas corridinhas atrás dos Reds.

No segundo dia já comiam muito bem, começaram a comer daphnias, vivas e congeladas, mas o verdadeiro espectáculo foi ver o instinto selvagem destes peixes a predarem sorrateiramente os reds. Neste dia (domingo), introduzi na sua dieta grilos vivos. Um espectáculo igualmente bonito. Terceiro dia começou de novo o stress. A fêmea não comia e eu a levar as mão à cabeça. Comprei também krill mas não comeram ainda.

Hoje, quarto dia, tentei alimentar a fêmea, continuou sem comer. O macho não estava com o seu preto intenso. Em vez disso tinha sido substituído por um cinza. Senti-me fisicamente mal, o único motivo para estes peixes de enorme apetite não comerem é a existência de parasitas internos. E medicar peixes selvagens não é boa prática, tornando se ainda mais complicado se eles não comem. Cansado acabei por adormecer em frente ao aquário. Fui acordado por uma chamada, e enquanto falava e olhava para o aquário, o que é que se está a passar?

Isto:

vdcmqv.jpg


voyfsx.jpg


24ya1hy.jpg


fm70w3.jpg


2h2l7on.jpg


2m6ux5z.jpg


34ec5u9.jpg


Aí estão eles, no abraço, e depois na passagem dos ovos. Os ovos são bastante maiores que os dos splendens, assim como a forma é diferente. Após o abraço, a fêmea deposita os ovos na barbatana anal do macho, e apanha-os com a boca, assim como aqueles que caem, que são apanhados pelos dois. Depois disto e como se pode ver nas fotos, a fêmea transfere os ovos para a boca do macho, que os incubará durante cerca de duas a três semanas pelo que lí. Durante este período o macho não come, o que penso que não será problema porque estes dias alimentou-se muito bem. E por agora é isto. Não tenho mais fotos porque o aquário tem pouca luz, e prefiro não abusar nas fotos com flash. Estas que tirei foi um grande risco, perturbá-los durante o ritual de acasalamento, mas tinha de o fazer. Peço desculpa pelo texto longo, com muito palha, mas pretendo fazer deste tópico um diário desta espécie, espero suscitar interesse noutros aquariofilistas! Vou dando novidades assim que as tenha, o meu objectivo é claro reproduzi-los e quem sabe, mais tarde, ter uma colónia considerável e retribuir à Natureza o que ela me 'emprestou' :)

Cumprimentos a todos!

Daniel Almeida

Edited by Daniel Almeida
  • Like 1
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Andava curioso sobre os bettas selvagens, achei este teu tópico muito interessante, vou seguir e espero boas novidades em breve!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fantastico, e com grande contentamento que vejo que ainda ha quem procure especies raras e super-interessantes, mais ainda quando são premiadas com a sua reprodução!!

Ha Bettas Selvagens "brutais", estes são os maios raros e impressionantes, parabens pela escolha!

Este sera sem duvida um Topico que seguirei atentamente!!!

 

Parabens e muito obrigado!!

 

Vasconcelos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa noite!

ThunderDrum

Também gosto bastante das espécies selvagens de bettas. Já tive rutilans, e andei montes de tempo à procura dos albimarginata, mas decidi manter mesmo o rei dos bettas, e está a ser uma experiência e tanto! Obrigado pelo teu apoio, vou dando noticias.

 

Sr Emanuel

Nada disto teria sido possível sem a sua ajuda. Tinha receio que viessem de algum exportador de qualidade inferior para o exportador onde os encontrou, mas tal como garantiu, só peixes de qualidade e estes são a prova.

Tem conhecimento de alguém que os tenha em Portugal?

 

Cumprimentos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas!

Dia 2 de 'papo', continua tudo bem! A fêmea também parece ter voltado a alimentar-se, parece estar tudo bem encaminhado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa tarde

Bettas selvagens não é por enquanto a minha praia, estou virado para os splendens.

Apesar disso gostei muito com o enredo que crias-te neste tópico denota muito interesse e dedicação, só assim é que conseguimos aquilo que desejamos

Boa sorte com a repro.

Cumprs

Aurélio Moreira

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado Aurélio! Quem sabe se nao te convertes daqui a algum tempo. Existem espécies muito bonitas, as minhas perferidas sao os albimarginata, channoides, rutilans, simplex. E isto com varios rituais e comportamentos reprodutivos, bubblenesters, ninhos subaquaticos, incubadores bocais. É pena nao estar tao desenvolvido quanto os splendens, pensa nisso porque tens boas condicoes, é so substituires todos os teus splendens hehehee

cumprimentos!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parabéns! Isso é que se chama um tiro certeiro :)

 

Peixes selvagens e com menos de uma semana no aquário a desovar, é muito bom!

 

Já tens alguma coisa preparada para alimentar os alevins?

 

Acho 3 semanas muito tempo para os ovos eclodirem...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas João!

Hehe obrigado, mas ainda assim sinto que alguma coisa pode vir a correral. Tenho sempre o pé atras mesmo tendo tantos sinais de que a situação está no bom caminho.

Tenho receio que a fêmea tenha parasitas internos, ela reproduzir-se-ia se estivesse infectada?

Ainda não preparei nenhum alimento por ainda ser cedo, caso veja que a postura está bem encaminhada então ai eclodirei artémia, assim como alimentarei com microvermes e daphnias.

Quanto ao tempo de eclosão, relatos pelos quais me tenho guiado reportam uma consistencia nos 14 dias. Isto porque os alevins se ficam a alimentar do saco vitelino, e apos isso deverao alimentar se na boca do macho de outros alimentos. Não sei se ja viste as arowanas quando sao pequenas e teem aquele barrigao do resto do ovo. Os macrostoma sao assim, por isso é que demoram mais tempo ate serem independentes.

Cumprimentos!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Correr mal, pode em qualquer altura do crescimento deles, mas como até és um gajo dedicado, vai correr bem de certeza ;)

E como o macho não comeu os ovos nem cuspiu, é porque está tudo ok.

 

Em principio, mesmo que tenham parasitas porque são selvagens, já têm o sitema imunológico preparado para lidar com eles. Por isso não deves vir a ter problemas com isso... Como prevenção, mete um pouco de alho na comida congelada, que ajuda a limpar e é natural.

 

Estava a achar muito tempo para os ovo eclodirem, mas afinal são como todos os outros. Eclodem ao fim de alguns dias e passado as 3 semanas, é que saiem da boca do pai. Mas quando saírem, vêm com fominha #food

 

Todos os peixes ovíparos nascem com o saco vitelino. As arowanas que aparecem nas lojas vês o saco, porque maioria dos ovos são retirados da boca dos pais antes mesmo de eclodirem. Senão eles também só vêm cá para fora, quando já absorveram tudo do saco vitelino. É a táctica dos incubadores bocais, para garantir a segurança da prole.

 

Estive a ler umas coisinhas sobre eles e a reproduçao desses meninos, não é assim tão facil como eles fizeram parecer. Por isso mais uma vez: Parabéns!

Ainda para mais tens a responsabiliade acrescida, de essa espécie estar na lista vermelha do IUCN e no nível D2, que significa, criticamente em perigo ou em extinção para muito breve! Ao que parece, grande parte do habitat desses peixes vai ser transformado numa plantação de palmeiras...

 

Se a postura for avante, tenta encontrar mais alguém para dar continuidade à reprodução em cativeiro, porque tal como muitos killies, acho que vai ser uma espécie que só vai continuar a existir graças aos aquariofilistas.

 

Não sei se já passas-te por este site, na tua procura por informação sobre esses mennos, mas é dos que acho mais fidedignos quando procuro informações sobre comportamentos. http://www.seriouslyfish.com/species/betta-macrostoma/

 

Boa sorte com esta tentativa e vi mantendo o tópico actualizado, mas com poucas fotos com flash, para não os stressares ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hoje, terceiro dia, o macho continua de papo :)
Alimentei com gammarus congelado, a femea pegou e o macho acho que se alimentou tambem, pouco e pedacos pequenos, mas continuou com os ovos.
Quanto aos parasitas, podiam ser infectados por outros parasitas diferentes dos encontrados no habitat natural, ou nao? Eu estou receoso de alimentar com larvas vermelhas, ate hoje comem daphnias, reds, gamarus e grilos. Quero introduzir ainda artemia, que nao tenho, e krill.
Sim ja estou familiarizado com esse processo dos incubadores, os splendens tambem nascem com o saco vitelino, e os outros claro, por isso é que nao comecam logo a nadar livremente. Mas estes teem ovos bem grandes! E ha quem faca como as arowanas, e incube os ovos artificialmente com os macrostoma mas quero fazê-lo naturalmente. Tenho conhecimento de que se encontram ameacados, é uma pena que deixem acontecer isto com estes animais, mas o que sao uns peixinhos comparados com dinheiro e negocio? Enfim o meu objectivo é mesmo esse, prolongar a existencia desta especie no mundo e divulgá-los por cá. Sei que há quem em varias partes do mundo e isso é bom. Espero que comecem a surgir mais especimes de cativeiro.
Já conhecia o site, todos os resultados do google com as palavras chave 'Betta Macrostoma' estao a roxo, investiguei bastante!
Vou tentar colocar fotos hoje.
Cumprimentos

Edited by Daniel Almeida

Share this post


Link to post
Share on other sites

boas daniel mais uma vez parabéns pelo acontecimento "Historico" vou acompanhar de perto e quem sabe adquirir te algumas crias...

 

grande abraço

 

Tiago Marques

Share this post


Link to post
Share on other sites

xl7y.jpg

 

lwl1.jpg

 

rab6.jpg

 

w275.jpg

 

Boa tarde a todos!

Foi o possivel de hoje, com o telemovel. Infelizmente como podem perceber, o macho já não está de papo, engoliu os ovos. Notem que as cores agora estão mais vivas, o laranja e o preto estão bem mais carregados. Mas não faz mal, o casal está a alimentar-se bem, e brevemente farei uma TPA, aspiro o fundo e aí de certeza que haverá nova postura.

Tiago, obrigado!

Espero poder ter descendência para divulgar pela comunidade ;)

Só não será tão cedo quanto pensava hehehe.

Cumprimentos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Foi pena... Mas o que interessa é que estão a fazer desovas. Mais virão! :)

 

Terá sido de os alimentares?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Se calhar foi disso mesmo.. Vou fazer um separador para dividir o aquário, talvez em rede para a água circular. Os peixes parecem me saudáveis o suficiente para eu poder intervir no aquario. Nestas fotos de agora o macho estava a vir ao encontro do tlm, e a femea tambem mas menos. Estao à vontade ja. Tentativa e erro, assim e que se vai lá!

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa tarde!

Não há grandes novidades acerca do casal, não houve mais posturas, mas têm estado muito bem, à vontade e bastante saudáveis. Já comem (à mão) facilmente comida congelada e ocasionalmente alguns grilos. Das vezes que já lhes troquei a água não aspirei o fundo, se calhar isso está a prejudicar um pouco a qualidade da água e a impedir que haja desovas, a próxima TPA será com aspiração. Deixo aqui umas fotos com uma qualidade fraquinha mas dá para ter uma ideia das cores e de como eles estão. Tenho de atinar com as fotos e arranjar uma solução para virem nitidas sem necessitar do flash :eusathink:

2efi99k.jpg

 

fx8g8o.jpg

 

fbgxhe.jpg

 

1055i5g.jpg

 

213hkds.jpg

 

Próximo passo: Limpar os vidros do aqua hehehe :medieval_mace:

Share this post


Link to post
Share on other sites
  • ola boas eles parecem estar muito bem de saúde não deve tardar já te devem estar a premiar com mais uma postura;)

grande abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado Tiago!

Espero que assim seja :) Caso não aconteça vou ver se consigo arranjar uma osmose baratinha. A não ser que haja à venda água de osmose, alguém tem conhecimentos acerca disto?

Share this post


Link to post
Share on other sites

acho que para já não devias gastar nisso visto que vem ai muita chuva se podesses aproveitavas agua da chuva e fazias as TPAs!!!

 

era o que eu faria

Share this post


Link to post
Share on other sites

E a questão da poluição? Há alguma maneira de testar a água? Estou a apanhar água numa caixa desde esta tarde, talvez a teste com algum peixe. a água é cristalina pelo menos. e como já choveu ontem se calhar já limpou muita da porcaria que há pelo ar. Amanha já deverá estar cheia

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu nunca testei e também nunca tive problemas ate porque faço tpa´s nos discus com agua da chuva e eles estão que e uma maravilha;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa noite a todos Já faz algum tempo que não actualizava o tópico. Pouco se passou, o casal continua em excelentes condições. Já se alimentam de comidas congeladas, papa de coração de boi, e inclusive comida seca (attison betta pro). Durante este tempo fui sempre mantendo a qualidade da água, e tentando replicar as condições que tinha quando os recebi. Experimentei água carregada de taninos, amarela, e água cristalina. Usei água mais ácida e mole (vitalis com pH de 4.7 e mineralização total de 26 mg/l), sem sucesso. Notei que o macho não se exibia para a fêmea como quando os introduzi no aquário (nota: vinham em sacos separados) então tive a ideia de os separar fisicamente com uma divisão opaca, com uma 'janela'tapada com rede, para circulação da água. Nos primeiros tempos, e até hoje, esta barreira serviu para comprovar os relatos que parecem aparecer em todos os sites com fichas informativas acerca dos macrostoma: aquário SELADO, porque estes peixes são saltadores exímios, com uma precisão incrível. De 2 em 2 dias lá tinha eu de colocar a fêmea no seu lado (nata: era sempre a fêmea que saltava). Recentemente, há 2 ou 3 dias, aspirei o aquário, havia alguns desperdícios de comida no fundo e deve ter sido a vez em que a água ficou mais poluída. Então deixei o aquário com cerca de 25cm de altura de coluna de água, uns 15cm de barreira fora de água, e com um espaçamento da tampa de cerca de 4cm. Isto ontem. Hoje ao ir ver deles lá andava ela do outro lado. Vejam o salto e a precisão. Deixei, e reparei que estavam ambos com as cores características de reprodução, mas como a qualidade da água estava tão má, comparada com as outras vezes, não quis deitar foguetes antes da festa. Umas horas mais tarde voltei com água para TPA e lá estava o macho com o seu papo protuberante. Ainda assim retirei mais uns litros da água e acrescentei água nova, isto no lado da fêmea. Estou a pensar manter a coluna de água com a mesma altura que estava, e deixar a fêmea juntamente com o macho, sem os alimentar. No final acrescentei duas folhas de amendoeira à superfície para criar um ambiente mais acolhedor e abrigado. A partir de hoje, the clock is ticking, 14 dias +-, siga reproduzir uma espécie ameaçada na natureza :) Para muitas pessoas são só peixes, e se se extinguirem não vão afectar a vida de ninguém. Mas para estes peixes, a vida é tudo o que eles têm. e como aquariofilista, sabe bem mudar um bocadinho do mundo, mesmo que sejamos apenas nós a notar. Cumprimentos Daniel Almeida

Share this post


Link to post
Share on other sites

ola Daniel boas

ainda bem que há pessoas que ainda se importam com os animais especialmente espécies ameaçadas, e e obvio que espero que desta vez corra tudo pelo bem e acho que vai dar bom resultado...

 

grande abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Novidades, existem?

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sign in to follow this