Marco Monteiro

Membro
  • Posts

    1,066
  • Joined

  • Last visited

  • Country

    Portugal

Everything posted by Marco Monteiro

  1. Mais umas fotos: Astatotilapia latifasciata - Macho Labeotropheus trewavasae "Chilumba" F1 - macho juvenil (da última ninhada) Labeotropheus trewavasae "Chilumba" F1 - fêmea juvenil (da última ninhada) Um abraço,
  2. Olá amigos, aqui ficam umas fotos do meu casal de Pseudotropheus sp. "Membe Deep": Macho Fêmea Um abraço,
  3. Olá José tudo bem? Eles estão num aquário de reprodução. Um abraço,
  4. Olá amigos, aqui fica a minha última aquisição: um casal de Aequidens Rivulatus Goldsaum F0. Ainda só consegui fotografar o macho porque a fêmea está muito inibida e, uma vez que estão num aquário para reprodução (com alguns seixos e um vaso de cerâmica) passa a vida escondida Macho Um abraço,
  5. Olá Paulo, magníficos exemplares, muito bonitos! Um abraço,
  6. Olá amigos, aqui ficam umas fotos dos meus Hyphessobrycon bentosi. Tenho um cardume de 18 exemplares que, dia após dia, têm desenvolvido cores fantásticas: (Macho) (Fêmeas) Não é nada fácil fotografar estes malandros Um abraço,
  7. Hypsophrys nicaraguensis (Günther, 1864) Macho Distribuição: América Central – Rio San Juan; Lago Nicarágua; Costa Rica Nome da espécie/População: Hypsophrys nicaraguensis Parâmetros químicos da água: Temperatura – 24º a 31ºC Ph - 7.0 a 8.0 dH – 10-20 Alimentação: Espécie omnívora que aceita facilmente qualquer tipo de comida em aquário. Contudo, aconselha-se a administração de comida vida (pequenos caracóis, por exemplo) ou mesmo comida congelada. Dimorfismo Sexual: Ao contrário do que estamos habituados, as fêmeas desta espécie são bastante coloridas e concorrem facilmente com a beleza dos machos, contudo, existem diferenças significativas que os distinguem facilmente. Os machos, para além de maior porte, possuem uma barbatana dorsal e anal bem desenvolvidas e pontiagudas com um padrão reticulado bastante marcado por pontos negros. A lista negra que atravessa o corpo desde o opérculo até à zona do pedúnculo caudal é uma constante em ambos os sexos, no entanto apresenta-se mais demarcada na fêmea. Fêmea Tamanho Médio: O seu tamanho em adulto ronda os 20cm para os machos e 16cm para as fêmeas. Comportamento: Espécie bastante calma e pacífica que pode ser mantida com outros ciclídeos de temperamento idêntico. São caracterizados por apresentarem uma relativa timidez, mas com o tempo acabam por revelar-se exemplares muito sociáveis. Reprodução: Espécie ovípara, a fêmea deposita os seus ovos (podem chegar aos 300) num buraco escavado no substrato ou, em alternativa, directamente em grutas ou cavernas que se proporcionem no aquário. De referir que os ovos desta espécie não são aderentes, ou seja, não se fixam em qualquer superfície, tornando um pouco mais débil a defesa dos mesmos. De qualquer forma, os progenitores são defensores acérrimos da sua prole. Os ovos eclodem cerca de 3 dias depois da postura e as crias começam a nadar livremente por volta do 5º dia após a eclosão. Tamanho mínimo do aquário: Embora sejam exemplares pacíficos é aconselhável um aquário grande, com cerca de 300 litros. Em aquários muito pequenos, os nicaraguensis não exibem as suas maravilhosas cores e tornam-se muito inibidos. Observações: Os Hypsophrys nicaraguensis são ciclídeos fantásticos e com uma sociabilidade incrível. Infelizmente, os níveis de poluição do Rio San Juan, com extensão ao Lago Nicarágua, apresentam-se actualmente muito elevados e por essa razão urge a necessidade de preservação desta espécie (embora ainda não esteja incluída na lista vermelha da IUCN). A sua manutenção em cativeiro poderá tornar-se numa mais-valia no âmbito da sua protecção. Autor: Marco D’Oliveira Monteiro
  8. Boas Alfredo, tudo bem? Um aquário desses e ainda por cima da Aquatlantis, por 600€, não penses duas vezes amigo Vai em frente, pois são aquários de grande qualidade e ainda por cima tens a vantagem de já trazer o móvel Relativamente às caixas de decantação, posso dizer-te que são bons filtros mas que ocupam grande espaço no aquário. Têm melhor desempenho em aquário com espécies de tamanho mais reduzido, pois para mbunas, como tu bem sabes, é complicado manter a água com grande qualidade. Se a ideia for apenas manter os peixes durante algum tempo, não existe problema algum, contudo recomendo-te mais tarde a aquisição de um bom filtro para esse aqua, por exemplo um Fluval FX5 Abraço,
  9. Amigo Alfredo, tudo bem contigo? Não sou adepto de comentar layout's porque considero que faz parte do gosto pessoal de cada um e é assim que as pessoas se devem sentir bem.... desde que não afecte a qualidade de vida dos animais, como é óbvio. Contudo, deixa-me dizer-te que este novo layout está muito bom, parabéns! Mais uma ou outra rocha e esta no ponto| Relativamente à iluminação penso que está bom, até porque acredito que será efeito destas últimas fotografias. Se repararmos nas primeiros fotos que colocaste no teu tópico, e deduzindo que não tenhas trocado de lâmpadas, a iluminação está bastante boa Força com esse aquário e vai dando muitas novidades Grande abraço,
  10. Bom, que dizer? Adorei.... acho que tem bastante potencial Pessoalmente apenas faria uma pequena alteração no layout: enterrava parcialmente os troncos, simulando raízes a emergir do fundo... mas isso são gostos pessoais, apenas Parabéns e vai dando novidades sobre a evolução, com muitas fotos Abraço,
  11. Boas, esse pH está demasiado elevado para Malawi!! Se fosse num Tanganyika justificava-se.... Um máximo de 8.5 será mais do que suficiente. Abraço,
  12. Amigo Ricardo, esse aquário está um mimo E esses venustus, uiiii deixa-os crescer Grande abraço e vai dando novidades sobre a evolução,
  13. Sera Vipan não é de todo aconselhável a mbunas, sem dúvida! Relativamente à tua questão: sim, podes dar alface que eles comem e adoram! Aos meus dou constantemente umas rodelas de pepino que devoram em menos de dois tempos Complementando um pouco a alimentação, forneço periodicamente papa caseira para mbunas. Obviamente que para além destes mimos, têm uma alimentação composta por ração seca com muita spirulina e com baixo teor de proteína Um abraço,
  14. Atenção que os Kribs não têm de viver obrigatoriamente em pH básico!! Muitos vivem em águas com pH à volta de 6,5 Agora, relativamente à compatibilidade entre kribs e apistos, estou de acordo. Um abraço,
  15. Boas, resta saber de que biótopo estás a falar??! Africanos do Malawi, Tanganyika, Vitória..... americanos???!! Apenas referes ciclídeos e como compreendes é muito vasto.... podes inclusive não ter de mexer no pH/KH! Abraço,
  16. Boas, não te preocupes que voltará à normalidade Um abraço,
  17. Boa tarde, é exactamente por este tipo de situações que a PESQUISA se torna fundamental! De outra forma, julgamos o que não temos e enganamos os outros menos experientes.... Como já foi referido, esses peixes nada têm a ver com peacoks (aulonocaras) e a sua identificação deixa margem para dúvidas. Os únicos peixes que tens como certo são os Labidochromis Caeruleus. Se quiseres colocar um tópico para identificação de espécie fá-lo no sítio mais indicado (Ciclídeos não identificados) e, por favor, tenta não apagares as fotos no servidor que as mantém porque senão ficas com os tópicos que criaste sem fotos nenhumas (o que por vezes os torna inutilizáveis e passíveis de serem eliminados). Um abraço,
  18. Olá Pessoal, aqui ficam mais umas fotos actualizadas desta maravilhosa espécie: Macho (com uma sociabilidade incrível, inclusive vem comer à minha mão) Fêmea (muito mais inibida que o macho) Espero que apreciem! Um abraço,
  19. Boas, o problema da agressividade em grande parte dos tetras que formam cardume é precisamente o facto de se adquirirem exemplares isolados. É um dos erros mais comuns aquando da venda destes peixes nas lojas, uma vez que as pessoas devem ser elucidadas para esta questão. Se arranjares mais uns quantos exemplares, essa agressividade vai dissipar-se... Um abraço,
  20. Boas, de facto a fauna actual do teu aquário está completamente desenquadrada Dois ciclídeos africanos (um deles do grande lago malawi e outro de rio africano) + um ciclídeo central americano num aquário de 54L é obra!! Completamente desaconselhável... Relativamente à alteração que propões, penso que os Nematobrycon palmeri (tetra imperador) são uma boa opção, contudo, não os misturava com os barbos. Optava ainda por colocar um ou dois casais de viviparos à escolha. Um abraço,
  21. Pois, bem me parecia que falavas do Nigrofasciatum que, por sinal, é um ciclídeo da américa central e não africano. Vou mover o tópico para o sub-fórum correcto. Um abraço,
  22. Boas, de que ciclídeo zebra estás tu a falar?! Abraço,
  23. Boas, podes começar por ler/pesquisar um pouquinho, por exemplo aqui: Dicas para montagem Lago Malawi Um abraço,