tmiravent

.Membro
  • Content Count

    1,026
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3
  • Country

    Portugal

Everything posted by tmiravent

  1. Passados 2 meses: 1| Bucephalandra 'Fake Catherineae' [abril. 2014, já com um fio mais adequado] 2| Bucephalandra 'Midnight Blue II' [abril. 2014, já com um fio mais adequado] Imagens actuais 1| Bucephalandra 'Fake Catherineae' [fev. 2015] Esta Bucephalandra tem uma folha relativamente pequena e muito estreita. ​Nunca deu flor (até hoje), tem um crescimento lento e as raizes agarram bem ao hardscape (com uma anúbia). Neste tanque as folhas ficam com uma cor do azul cobalto, ao verde azeitona com tons avermelhados nas folhas novas). Uma das minhas favoritas, por pouco que não desapareceu quando a recebi, não tinha sequer 1 centímetro! Como todas as Bucephalandras deve estar num tanque livre de algas para as folhas ficarem imaculadas. Mantenho com luz fraca a moderada, Co2 e fertilização DIY. 2| Bucephalandra 'Midnight Blue II' [fev. 2015] Esta Bucephalandraé das mais vulgares e das que tem um crescimento mais rápido (já retirei 4 filhos). ​Já deu flor pela segunda vez! A flor é branca, relativamente grande, ferozmente comidas pelos camarões! As raízes agarram bem ao hardscape (tal como uma anúbia). Neste tanque as folhas ficam com tonalidades verdes escuras e claras. Depois de estabilizada cresce rapidamente mas mesmo assim é mais lenta que uma anúbia... Como todas as Bucephalandras deve estar num tanque livre de algas para as folhas crescerem em condições. Mantenho com luz fraca a moderada, Co2 e fertilização DIY.
  2. As minhas primeiras vieram directamente da Ásia. [Fevereiro 2014] Demoraram mais de 1 mês a chegar (mas vinham muito bem embaladas). Aqui fica o registo depois de as tirar da embalagem: 1| Bucephalandra 'Fake Catherineae' [fev. 2014] 2| Bucephalandra 'Midnight Blue II' [fev. 2014] 3| Bucephalandra 'Cooper Leaf' [infelizmente, esta não sobreviveu]
  3. [editado 29/03/2015] Bucephalandra Aqui fica uma pequena contribuição sobre uma planta que considero muito interessante. Não por ser ainda um bocado restrita mas sim pela sua beleza. Já existem algumas referências espalhadas pela web sobre esta espécie particular de plantas. Um dos mais conhecidos é o Vasteq [1]. Tem coisas publicadas em fóruns, blog, página no facebook e é dos que tem contribuido para a difusão desta planta. O crescente interesse que a planta despertou fez com que hoje seja possível alguns investigadores trabalharem de forma mais sistemática sobre esta espécie. Conhecida desde 1858, por volta do ano 2000 foi lentamente sendo introduzida no hobby. Hoje é uma planta bastante mais conhecida no hobby por todo o mundo. Com o passar do tempo surgiram muitos vendedores e locais onde podemos adquirir esta planta (até mesmo em lojas físicas em Portugal). O preço também tem vindo a baixar à medida que as plantas são multiplicadas e deixam de ser tão raras. Mais uns anos e será uma planta mais fácil de obter. O Nome das Coisas De acordo com Vasteq[1] existem duas origens para o nome Bucephalandra. A mais provável, tem origem na semelhança da forma da flor 'parte masculina' da planta, que parece uma cabeça de touro. (Esta cabeça de touro é dificil de ver nas bucephalandras na forma submersa, eu nunca consegui ver, ainda...). Assim o nome da planta é a junção de 3 palavras gregas:bous + cephalê + anêr ( touro + cabeça + homem). A outra origem da palavra (mais poética mas menos provável) está no Bucéfalo[2] que era o nome do cavalo de guerra de Alexandre, o Grande, rei da Macedónia e fundador de um dos maiores impérios da antiguidade. Bucéfalo tinha uma marca branca de nascença no dorso com a forma de uma cabeça de touro. Qualquer uma das duas explicações encaixa bem na caracterização da espécie. Mas onde fica 'esse tal' Bornéo? Fica longe, muito longe! A ilha do Bornéu[3] é uma grande ilha localizada na Ásia. A ilha é dividida em três partes. A maior parte pertence à Indonésia, a outra parte maior pertence à Malásia e a menor parte pertence ao Brunei. Este factor é importante para a compreensão dos nomes dados por alguns vendedores às variedades da planta. Actualmente a regra geral (que nem sempre é verdade infelizmente) a distinção das variedades da espécies de Bucephalandras é normalmente uma referencia à sua localização geográfica de origem[4] Outra componente do nome é dado pela cor e forma caracteristicas das folhas, Red, Blue, green, etc. Por exemplo, a planta que mostrei em cima (várias vezes) tem o nome completo: Bucephalandra Sp. "Midnight Blue II" Daerah Melawi (espécie + cor + lugar). Quando os vendedores não seguem este critério (pelo menos até a espécie estar bem estudade e nomeada correctamente) ficamos na ignorancia da variedade que temos...(infelizmente acontece). Mas então não sabemos ao certo de que planta estamos a falar? Existem mais de duas centenas de variedades mas a sua correcta identificação ainda carece de algum rigor científico. Se olharmos para a classificação cienftifica 'actual' da Bucephalandra temos: Classificação científica Reino: Plantae Divisão: Magnoliophyta Classe: Liliopsida Ordem: Alismatales Família: Araceae Subfamília: Aroideae Tribo: Schismatoglottideae Género: Bucephalandra Um estudo recente de Boyce & Wong[5] (que muito tem contribuido para o estudo da espécie, ainda em desenvolvimento) vem lançar algumas pistas mais sólidas sobre as bucephalandras. Mas ainda é um tema que vai dar muito debate (mas isso fica para os especialistas, os botânicos). Os autores em vez de partirem do Género – Bucephalandra, subiram um nível até à Tribo – Schismatoglottideae. Partiram para um vasta recolha, estudo e análise (geográfica, morfológica, habitat, etc) onde fazem uma previsão de mais de 50 espécies distintas. Importante também de referir a importância destes estudos (para a comunidade cientifica e para o hobbie) que aborda detalhadamente o sistema reprodutivo da planta. Para quem tiver interesse (e paciência para ler um bocado), é um estudo vasto mas muito valioso. O resultado, num futuro próximo, vai ser uma convivência entre uma classificação cientifica mais precisa e um conjunto de nomes comuns obscuros e imprecisos (mas que também fazem parte da história recente da espécie, do seu mistério e da sua poética). Multiplicação As bucephalandras podem ser multiplicadas por divisão do rizoma ou por semente. O corte de parte do rizoma em duas ou mais partes é a forma mais fácil e usual de multiplicação. Mesmo com bocados pequenos, com menos de 1cm e duas ou três pequenas folhas, é possivel obter novas plantas (variedades com folhas pequenas). Mas deve preferencialmente ser feito com plantas em boas condições para o crecimento ser mais rápido e sucesso do corte ser garantido. A experiência com plantas e a observação cuidada é suficiente para uma boa avaliação da melhor forma de usar a tesoura. O corte é muito semelhante ao de uma anúbia, o rizoma é rijo. Convém ter algum cuidado para não partir o rizoma nem esmagar o caule com uma má tesoura (um corte limpo é sempre melhor!). Por semente é mais dificil mas não impossivel! No habitat natural a planta multiplica-se por semente. Já foram produzidas sementes de bucephalandra (em cativeiro) com sucesso [6], mas as condições semelhantes ao seu habitat natural não são as mais fáceis de recriar. No Bornéu, a planta agarra-se firmemente às rochas que existem nas margens dos rios com fortes correntes. Nesta fase ficam na forma emersa e aproveitam os insectos locais para fazer a polinização. A dispersão das sementes é feita por via mecânica, os salpicos de água vão largando sementes à medida que atingem a flor[6]. Nas alturas de cheias os rios inundam e as plantas passam a ficar submersas. A alternância entre os dois estados é normal para a planta, é uma epífita. Algumas espécies aparecem e desaparecem misteriosamente nas estações das chuvas, essa é a razão para serem conhecidas como as variedades 'ghost'. Desconfio que o sistema radicular não seja igual em todas as variedades. Não consegui encontrar qualquer referência a bucephalandras que existam de forma permanente submersa no habitat original. Bucephalandra na aquariofilia A bucephalandra é uma planta muito resistente. Tem capacidade para viver em grande partes dos ecosistemas tropicais que temos nos nossos aquários. Como é uma planta de crescimento lento, um aquário com algas pode ser prejudicial porque vai demorar a lançar folhas novas (tal como uma anúbia). Co2, fertilização e boa iluminação aceleram o crescimento e resultam numa planta mais colorida. A melhor coloração das folhas é na forma submersa onde exibe o exuberante pontilhado branco que lhe é caracteristico. Na minha curta experiência com esta planta já me tinha questionado acerca do momento escolhido pelas bucephalandras para florir. A resposta é simples, tendo as condições ideais produz flores de forma regular e quase constante[7] (mesmo no estado submerso). A bucephalandra tem um sistema radicular adaptado a um meio aquático de correntes fortes, agarrando-se firmemente ao hardscape (pedras e troncos). Desta observação do seu habitat, criou-se um 'certo mito' que é o de que deve estar apenas agarrado ao harscape. Mas não passa disso mesmo, de um mito! Algumas experiências, como as do Tom Barr [7], têm vindo a enterrar a planta com resultados muito interessantes. O sistema radicular desenvolve-se mais e o crescimento da planta é mais rápido e vigoroso. Desconfio que qualquer bom solo (Elos, Trópica, etc) será ideal para um bom desenvolvimento. Mas alguns solos talvez não sejam bons, os que tendem a compactar com tempo podem levar ao aprodecimento das raizes e os inertes demasiado pontiagudos que podem ferir mecânicamente ao plantar. Trata-se de uma questão de bom senso e capacidade de observação. [1] http://bucephalandra...cal-plants.html [2] http://en.wikipedia....wiki/Bucephalus [3]http://pt.wikipedia....rg/wiki/Bornéu [4] http://www.ukaps.org...l-in-one.26970/ [5] http://www.bioone.org/doi/abs/10.3372/wi.44.44201 [6] Boyce, Peter, BUCEPHALANDRA MOTLEYANA, Curtis's Botanical Magazine, 2008 [7] http://www.barrreport.com/
  4. Estou curioso para ver esse trabalho em pedra. Sem desfazer a koke (quem é bem interessante) esses calhaus da gardunha não ficam nada atrás! E vivos? já sabes o que vais meter? Mesmo sem ver nada (última moda do aquascaping) imagino e tenho o feeling que vou gostar! Mas isto já entre no campo do aquaguessing! um abraço
  5. Boas Pedro, uma coisa é certa com esta escolha de plantas o hardscape vai sobre-sair! Musgos interessantes! abraço
  6. Muitas Tozé! nem todos podem ter tantos tanques como tu! Obrigado Vera! E agora vamos ao que interessa, os pequenos detalhes: a florir pela segunda vez! afinal sempre sobreviveu a uma aventura épica! Uma folha especialmente interessante. vista um pouco mais de cima: Cumprimentos
  7. Boas, não exageres na quantidade de lã. É muito eficaz a filtrar mas tende a compactar rapidamente reduzindo o caudal do filtro. Se vires que o filtro perde caudal mais rápido coloca menos quantidade de lã. cumprimentos
  8. Boas, se me permites, uma sugestão: estes são mais dificeis de partir... cumprimentos
  9. tmiravent

    Suntria

    Bem... esse tetra está um show! Com essas barbatanas deve andar tudo num bacanal nesse tanque...
  10. Boas, todos os filtros fazem ruído (quando estão a funcionar), uns mais outros menos. O ecco 300 novo não deveria fazer. Se for novo aposto em algum stress no percurso da água ou ar lá dentro... Se for em segunda mão, pode ser apenas desgaste do rotor ou borrachas com alguma folga (nesse caso é substituir). Tenho um ecco 300 em segunda mão e sempre fez barulho. Mas já vi novos que quase não se dá por eles. cumprimentos.
  11. O que podes fazer com LED: http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showtopic=227771&page=4 ou este: http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showtopic=223623&page=4 ou mesmo este: http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showtopic=234511 tens muitas montagens com led's, dá para teres uma ideia do que se consegue fazer! vê nas lojas patrocinadoras aqui do forum, tens muita oferta. cumprimentos
  12. Boas, se compraste na aquaeden deves falar directamente para lá. Qualquer dúvida de funcionamento ou problema eles resolvem. cumprimentos
  13. e fez-se luz! grande adição! Gosto do arranjo menos central! cumprimentos
  14. Boas, foi a primeira vez que colaborei como voluntário, e fiquei bem impressionado! É notável como se consegue organizar um stand com base na boa vontade e voluntariado. Já li alguns post's a referir uma apresentação pobre da aquariofilia... Compreendo os comentários, mas fazer melhor, está nas mãos de todos os que gostam deste hobby! Se tivermos muitos aquariofilistas a colaborar tudo irá certamente melhorar, o contributo de todos é fundamental para fazer a diferença. Pode ser interessante irem pensando em propostas concretas para fazer ainda mais e melhor no próximo evento. Quero deixar uma nota em especial a alguns voluntários (pela dedicação, empenho pessoal e capacidade de sacrifico fora do normal): - Hugo Silva, Vera Santos, Pedro Vicente, Rui Melo, António Nunes, Paulo Conceição [eu sei que outros também deram o máximo e tudo o que podiam, para eles também uma nota de reconhecimento e as minhas desculpas por não saber os nomes de todos ] abraço tiago
  15. O que ficou depois do corte...
  16. Muito bom! é deixar os musgos fazerem o seu trabalho e os troncos ficam TOP! parabéns
  17. Olá pedro, não pensei nesta montagem para concursos mas com o objectivo de a manter por algum tempo. a sp. mini ainda vai levar tempo... Provavelmente terei de reforçar a calha para iluminação para ter uma luz mais uniforme. Tenho a calha a meio e a parte da frente fica na sombra... Não estou com as german micros do Nuno, aliás tive de reduzir a relação de micros na fertilização para metade (comparando com a montagem anterior). Os vermelhos, confesso... foi também algum entusiasmo na revelação da foto... (o António até já tinha reclamado!) culpa de trabalhar com o monitor não calibrado... (mais uma preguiça!) cumprimentos tiago
  18. Obrigado! Os equipamentos é mesmo preguiça... cumprimentos
  19. Mais uma com tudo lá dentro... (sorry)...
  20. tmiravent

    Migalhas

    Última imagem (com o material todo lá dentro):
  21. tmiravent

    Suntria

    Parabéns pelo casal, é top! Estou a gostar desse verdinho, tiraste o ecrã lateral? cumprimentos
  22. Sim pode-se utilizar inox desde que seja o certo. Repara, lily pipes em inox é do mais caro que anda por ai, dá uma viste de olhos nos Lily pipe da ADA. http://www.thegreenmachineonline.com/shop/aquatics/filtration-system/lily-pipes/metal-jet-pipes/ada-metal-jet-pipe-v-2-inflow A vantagem em relação ao vidro é ser difícil de partir... Atenção que nem todo o INOX é adequado à utilização dentro do tanque. Ferro, alumínio ou aço normal não servem porque oxidam. Esteticamente são os meus preferidos! Mas é tudo uma questão de gosto, os de vidro também são bonitos. cumprimentos
  23. obrigado.para a distância não está nada mal... são lily pipes em inox! ligeiramente mais resistentes do que os de vidro;) a Vera tb anda por aqui! cumprimentos