MotarSolitario

[DYV] Alimentaçao (Infusórios e outros preparados)

Recommended Posts

"São chamados de infusórios, muitos tipos de protozoários que se formam a partir de infusões de vegetais. São usados para a alimentação de alevinos e se alimentam das bactérias também produzidas pela infusão. Na infusão podemos usar muitos tipos de vegetais como cascas de batata, nabo, folhas de alface, almeirão, cascas de banana... A infusão é feita com a colocação de água fervente sobre a matéria vegetal após secá-la ao sol. O chá que bebemos também é uma infusão!

 

Para criarmos infusórios, existem diversas receitas. Uma que funciona bem consiste em deixar no sol cascas destes vegetais, ou folhas de alface até ficarem secas. Alguns autores recomendam não usar alface, a infusão de folhas de alface produz uma cultura que contém fungos e parasitas. Depois colocamos as folhas em um vidro de conservas e despejamos um pouco de água fervente, como se estivesse fazendo um chá e completamos com água fresca.

 

Este preparo deve ficar no escuro de 2 a 3 dias produzindo uma grande quantidade de bactérias, tornando a água turva e pronta para receber os microorganismos. Pegamos a água que fica no pratinho de um vaso de plantas sem adubos ou pesticidas, ou escorremos um pouco de água pela terra do vaso. Esta água certamente conterá grande quantidade de microorganismos, principalmente o protozoário Paramecium, que é o desejado, então colocamos na infusão preparada. Depois todos os dias umas gotas de leite ou até lactobacilos vivos (yakult) que causará a multiplicação das bactérias, o alimento para os protozoários.

 

Em uma semana se forma uma camada espessa próxima a superfície que contém milhões de minúsculos microorganismos. O ideal é preparar diversas infusões com intervalos de alguns dias, assim teremos o fornecimento garantido. Alimentamos os alevinos ovíparos a partir do terceiro ou quarto dia após a eclosão, diversas vezes ao dia, com uma colherinha da infusão."

 

ENQUITRÉIAS

 

Enchytaeus albidus

 

As enquitréias são pequenos vermes de cor branca que constituem provavelmente uma das mais populares formas de alimento vivo criadas por aquaristas. Elas são altamente nutritivas e especialmente valiosas para colocar os peixes em boas condições alimentares antes da desova, ou para um crescimento rápido e sadio dos alevinos. A enquitréias não devem ser utilizadas como base para uma alimentação diária porque são mais ricas em gorduras sólidas que oleosas e os peixes não podem processar gorduras sólidas de modo eficaz. Entretanto, oferecidas duas ou três vezes por semana, elas darão aos seus peixes um reforço alimentar importantíssimo. O comportamento dos seus peixes mudarão visivelmente quando virem o movimento desordenado das enquitréias no aquário. O segredo para manter, com sucesso, uma boa cultura de enquitréias é entender suas necessidades particulares e supri-las. As informações a seguir devem guiá-lo na direção correta.

 

 

O RECIPIENTE PARA CRIAÇÃO: A experiência demonstra que caixas rasas (pequena altura) dão melhores resultados. Tamanhos ideais para estas caixas são de 15x15x10 a 60x30x15. Esta caixa deve ser coberta para evitar a luz e predadores. Formigas, besouros e outros insetos podem comer sua comida ou mesmo atacar as enquitréias. Uma tampa segura e um local adequado para a cultura será o suficiente para evitar estes predadores. Caixas de plástico com buracos de drenagem no fundo tem sido utilizados com êxito. Entretanto, simples caixas de pinho ou compensado são, geralmente, preferíveis às de plástico, isopor ou outros materiais por causa da porosidade do material que permite uma melhor drenagem e aeração do solo. Porém, caixas de isopor são amplamente utilizadas, sem problemas, devido a facilidade de aquisição. Uma cobertura é recomendada para manter a umidade do recipiente e evitar que a superfície do solo seque. Qualquer material chato que possa ser colocado levemente sobre a superfície do solo servirá como cobertura. Costuma-se usar um pequeno pedaço de vidro com puxador um pouco menor que a superfície da caixa. Deixe uma pequena área do solo exposta ao ar. A concentração de umidade na cobertura atrai as enquitréias, criando um bom local para a alimentação. Alimentando-as e conseqüentemente atraindo-as para a superfície fica mais fácil de coletá-las.

 

O MEIO DE CULTURA: As enquitréias crescerão em qualquer tipo de solo desde que, com o tempo, ele não se torne uma massa compacta e dura. Cacos de cerâmica obtidos na maiorias das lojas de jardinagem podem ser utilizados. Xaxins e humus são excelentes aditivos que irão aumentar em muito a qualidade do solo. Um tipo de solo simples, fácil de ser encontrado e satisfatório, que é muito utilizado é o carvão ativado. Qualquer que seja o tipo de solo escolhido, assegure-se de que ele está livre de fertilizantes, pesticidas, fungicidas ou outro produto químico ou contaminante que possa ser nocivo. O pH do solo entre 6.8 e 7.2 é o ideal.

 

O MÉTODO DE CULTURA: Encha por volta de 2/3 da capacidade da caixa com o tipo de solo escolhido. Umedeça o solo até que ele fique bem úmido, tomando cuidado de drenar todo o excesso de água. O próximo passo é pegar a sua cultura de partida. Elas estão frequentemente disponíveis nas lojas de animais especializadas em peixes, fornecedores de alimentos vivos ou de um colega hobbysta. Uma vez conseguida a cultura de partida ou apenas algumas enquitréias, Coloque um pouco de comida na superfície do solo e borrife um pouco de água, colete um número suficiente de vermes e coloque-os também na superfície. Coloque a cobertura de vidro sobre o solo, tampe a caixa e coloque-a num local com temperatura entre 15-21º C. Para melhores resultados, mantenha a cultura em locais frios e escuros. Temperaturas acima de 30º C ou abaixo de 0º C matarão sua cultura. A temperatura ideal de criação é de aproximadamente 18º C. Aumentando ou diminuindo a temperatura a partir deste limite, o crescimento da cultura irá declinar(caso necessário coloque-as na geladeira). Deixe que sua cultura permaneça repousando durante alguns dias a fim de permitir que suas enquitréias se multipliquem.

 

ALIMENTAÇÃO: As enquitréias comem quase tudo de orgânico. Alguns criadores alimentam-nas com comida a base de vegetais como aveia, pão umedecido em leite, farinha de trigo, cereais, purê de batata entre outros. Elas poderão até comer mesmo comida de peixes em forma de flocos ou pellets, comida de cão ou gato, desde que pré-umedecidas. Migalhas de pão e aveia são muito utilizadas pelos criadores. Entretanto, como nós, elas também são o que comem, então uma boa pedida é a farinha láctea ou qualquer outro cereal para bebês, que misturadas com água dão excelentes resultados. O cereal também oferece índices de proteínas maiores que as migalhas de pão. Esse alto índice de proteínas aumentam o valor nutritivo das enquitréias. O mesmo acontece com as artêmias, que sofrem uma dieta melhorada para depois serem oferecidas aos peixes. Enquitréias não devem ser alimentadas muito intensivamente no início porque comida em excesso tende a atrair insetos, crescimento de fungos e contaminação por bactérias. Você deverá regular a quantidade de comida oferecida durante o primeiro mês, até a cultura estabilizar. Realimente somente quando necessário. Caso a comida que você esteja oferecendo não for consumida em uma semana, você está dando muita comida para a quantidade de vermes de sua cultura.

 

REPRODUÇÃO: Enquitréias são hermafroditas. Qualquer indivíduo tem órgãos reprodutivos tanto masculinos quanto femininos. Um indivíduo se acasala com qualquer outro e um fertiza o outro. Eles trocam esperma durante a cópula e os ovos são depositados em casulos transparentes. Cada casulo produzido pelos indivíduos jovens contém entre 9 e 10 ovos, os casulos dos adultos entre 20 e 25. Com o aumento da densidade populacional de sua cultura, a taxa de reprodução diminui e o vermes antigos passam a produzir apenas de 2 a 3 ovos por casulo. A média do total da população da cultura é em torno de 10 ovos por casulo. Os ovos eclodem em 12 dias, e os filhotes começam a se reproduzir em 20 dias. A maior produção de que se tem notícia é de 35 ovos por casulo e cada indivíduo pode produzir em torno de 1000 ovos durante seu ciclo de vida.

 

COLETA: Se sua cultura estiver sendo mantida adequadamente, as enquitréias se juntarão em massa na superfície do solo, geralmente em baixo da cobertura de vidro, onde fica fácil removê-las. Deve-se ter o cuidado de retirá-las do vidro com um palito e aí oferecê-las aos peixes. Não se deve colocar o vidro com as enquitréias direto no aquário a fim de não contaminar a cultura. Não se deve coletar enquitréias de culturas com menos de 1 mês, deixe a cultura crescer e você estará em condições de fazer novas outras e coletá-las sempre que precisar.

 

GENERALIDADES: Você deve inspecionar sua cultura a fim de verificar os níveis de comida e umidade pelo menos duas vezes por semana. Aconselho verificar diariamente para previnir qualquer ataque de predadores, que caso sejam observados muito tarde podem provocar a morte de toda a cultura. Caso você note que está havendo muita sobra de comida, diminua a quantidade oferecida ou aumente o intervalo de tempo entre as “refeições”. Você perceberá que o nível de água começará a descer e que a superfície do solo começará a secar. Caso essa situação continue as enquitréias começarão a ir mais fundo no solo procurando a umidade. Quando isso acontece, elas estão se afastando da comida que está na superfície. Borrife com água para manter o solo úmido mas não encharcado. Um frasco de desodorante serve perfeitamente para esse propósito. Excesso de umidade também não devem ser admitidos pois faz com que elas subam em direção à tampa, dificultando sua coleta.

Culuras de enquitréias são comumente infestadas com pulgões, que poderão se alimentar tanto das enquitréias como da comida delas. Para evitá-los basta colocar sua culutra na geladeira. Dependendo do tipo de solo, após alguns meses, sua textura começará a deixar a desejar devido a atividade das enquitréias e o solo começará a se tornar ácido. Isso inibe o desenvolvimento dos vermes, deixando a cultura apenas com indivíduos adultos. Para manter sua cultura, o solo antigo deve ser removido e um novo deve ser colocado no lugar. A cultura pode ser dividida por outras caixas, o que pode ser vantajoso pois você passa a ter várias culturas em andamento. Você deve transferir a maioria dos vermes coletando-os da caixa antiga e colocando-as na nova. Outro método simples consiste em retirar uma faixa de 2-3 cm do solo com a maioria das enquitréias e gentilmente misturá-las com o solo novo, umidecendo-o na nova caixa.

A habilidade dos peixes de aquário em manter uma boa saúde e crescimento depende diretamente da qualidade e quantidade de nutrientes recebidos durante sua dieta diária. Para uma dieta normal, muitos dos alimentos industrializados são adequados. Entretanto, um aquarista que cria seus peixes e deseja tê-los em exccelente condição, deve tentar uma alimentação a mais variada possível, utilizando algumas das muitas formas de alimento necessários para prover uma dieta balanceada para seus peixes e as enquitréias são um dos vários tipos de alimento vivo de fácil manutenção por todos os aquaristas, iniciantes ou não.

 

Texto de Adrian R. Tappin

Tradução e adaptação por Marcus A. S. Silva

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

granda artigo :wink: :D

muito util

 

alguns meses nasceram no meu aquario trichosgaster leeri, eu não tinha nenhuma cultura, então li em qualquer lado para alimentar os pequenos com agua de um aquario com tartarugas :wink:

nunca vi a crescerem tão depresa :!:

 

fica bem,

Share this post


Link to post
Share on other sites

hehehe o cheiro devia ser jeitoso

 

mas ja agora aproveito para dizer como se arranjam larvas de mosquito fresquinhas: food food food

 

colocamos um recipiente com agua ao ar livre de preferencia ha sombra de alguma arvore ou planta

 

depois e so esperar uma semaninha e começar a recolhelas

 

cuidado para nao deixarem as larvas ficarem adultas (mosquitos)

 

e fica uma receita:

 

--» Patê de Gordon: super alimento

 

Esse super alimento ficou conhecido no mundo inteiro porque foi apresentado por Myron Gordon, naturalista americano responsável pelo laboratório de genética do aquário de New York.

 

O patê consiste numa composição nutricional que vem atender às necessidades básicas de qualquer peixe ornamental criado e desenvolvido em cativeiro

 

Qualquer pessoa é capaz de produzi-lo, é uma verdadeira receita de bolo .... desde que queira se sentir independente e ter em mente que a boa alimentação é essencial para seus peixes.

 

Dependendo da quantidade de peixes a alimentar, você poderá fazer a quantidade tal que possa suprir durante um ou dois meses a criação, uma vez que pode ficar neste período de tempo em um congelador.

 

Ingredientes:

 

100 g de coração de boi;

 

100 g de fígado de boi;

 

100 g de coração de galinha;

 

4 cenouras com casca;

 

4 batatas inglesas com casca;

 

10 folhas de espinafre;

 

2 ovos crus ( gema e clara );

 

1 pacote de gelatina;

 

2 colheres de sopa de Neston;

 

2 colheres de sopa de Farinha Láctea;

 

1 colher de sopa de farinha de peixe;

 

1 colher de sopa de óleo de fígado de bacalhau;

 

1 colher de sopa de açúcar;

 

1 colher de sopa de sal;

 

 

 

Modo de preparar:

 

Limpa-se o fígado e os corações de todas as impurezas ( gordura e nervuras ), cortando em pequenos pedaços, leve ao fogo para uma leve fervura de 10 minutos juntamente com os legumes, e após a fervura, liquidifique e passe em uma peneira para retirar os grandes pedaços, deixando a mistura bastante homogênea; logo após leve-a ao fogo novamente, só que desta vez em banho maria por 25 minutos, ou até secar a água existente e tornar um amassa com consistência de patê.

 

Após esta fase, introduza as outros ingredientes ( Farinha Láctea, de peixe, Neston, óleo de fígado, sal e açúcar e os ovos) e um pacote de gelatina, que pode ser com ou sem sabor. A gelatina é o elemento aglutinante, o qual não deixará a mistura se desfazer em contato com a água.

 

Procure misturar tudo muito bem e deixe esfriar para colocar em potes individuais e guardar no congelador.

 

No caso de não ter um dos ingredientes acima especificados, não faz mal, o que não pode deixar faltar é a gelatina, podendo ser substituída por ágar-ágar ou carboxi-metil-celulose. Não precisa ser um mestre cuca para fazer essa receita simples e rápida

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

realmente não cheira muito bem banana rock

mas eles achavam apetitoso. :lol:

 

a taxa de mortalidade baixou muito nos primeiros dias.

 

já agora, sabes de alguma receita para obter/manter daphnias (não sei se está bem escrito :shock: 9

 

em relação às larvas de mosquito funciona melhor numa caixa escura e colocando algumas fhls.

 

fica bem, :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu tenho num balde preto

quanto a tua pergunta ainda nao estudei esse bichinhos

mas se descbrir coloco aqui banana rock

 

entretanto fica mais esta:Receitas para pastas de coração de boi e minhocas da terra

 

Coração de boi

 

1) Uma xícara de carne de coração de boi da qual foram retirados previamente a gordura e os músculos.

 

2) Passe no liquidificador até formar uma mistura fina.

 

3) Passe a mistura através de uma peneira.

 

4) Dissolva uma colher de sopa de gelatina sem sabor em meia xícara de água morna.

 

5) Misture a gelatina dissolvida com água à mistura fina de carne de coração de boi.

 

6) Congele a mistura em sacos plásticos ou em forma de pequenos cubos.

 

Minhocas da terra

 

1) Processe uma xícara de minhocas no liquidificador para produzir uma mistura fina.

 

2) Dissolva uma colher de sopa de gelatina sem sabor em ¾ de uma xícara de água em temperatura ambiente.

 

3) Misture a gelatina dissolvida com a água à massa de minhocas no liquidificador.

 

Congele da mesma maneira como indicado para a pasta de coração de boi.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

tenho de experimentar, apesar de ñ parecer mt apetitoso, mas o k importa é keles gostem, né assim???

 

_________________

Cumps, banana rock

Share this post


Link to post
Share on other sites

sim experimenta mas as pessoas com quem vives podem nao gostar muito pois as vezes deita um cheiro terrivel banana rock :shock::lol:

parece ervilhas de mau cheiro

 

ja agora..

 

Patê para Discos

(e demais ciclídeos e peixes em geral)

 

 

 

Ingridientes:

 

· Coração bovino

· Camarão sem casca

· Farinha de minhoca

· Complexo vitamínico

· Outros (opcionais/especiais): alho, ração comercial, carne de molusco, remédios etc

 

 

Modo de fazer:

 

Compre o coração em açougue ou mesmo em supermercado (costuma vir em bandeijinhas; compre cerca de 2 ou 3, dependendo do tanto de gordura que tiver – deve dar uns 500g de carne limpa). Se comprar no supermercado, aproveite e passe na peixaria e compre uns 150 a 200g de camarão do mais baratinho que tiver, sem casca.

 

Agora, a parte "sanguinolenta": tem que limpar o coração todo, tirando a parte branca (capa de gordura e fibras), fibras no interior, artérias, veias, em suma tudo o que for duro ou fibroso. Pique em pedaços pequenos para facilitar quando for moer.

 

Depois de limpo, hora de misturar tudo: coração, camarão, farinha de minhoca e vitaminas.

 

A proporção deve ficar em torno de 3 a 5 partes de coração para cada 1 de camarão, e aproximadamente 30g de farinha de minhoca para cada mistura final de coração e camarão.

 

Por fim, moe-se até uma fina poeira 1 ou 2 comprimidos desses de vitaminas tipo "Centrum", e joga-se na mistura, colocando tudo no mixer e moendo até ficar com consistência de carne moída.

 

Não asse, cozinhe ou grelhe: tem que ser cru mesmo !!!

 

Esparrame tudo numa bandeija forrada com papel alumínio e leve imediatamente ao frezzer. Depois de congelado, tire do papel alumínio, quebre em pedaços e retorne logo ao freezer num pote ou embrulho hermético qualquer.

 

Quando for servir aos discos, pegue apenas a quantidade adequada, e descongele previamente.

 

Pode-se ainda adicionar outros ingridientes, de acordo à necessidade ou especificidade do uso do patê. O uso do alho tem sido divulgado como preventivo e/ou controlador de parasitoses gastrointestinais; pode-se adicionar remédios para tratar peixes doentes; também é possível a adição de vegetais se for utilizar o patê para peixes onívoros.

 

A farinha de minhoca, se não for achada no comércio, pode ser feita em casa, ou substituída por tubifex liofilizado – apenas atente a tratá-lo previamente a esse uso (veja abaixo). Mas atente que a quantidade de tubifex deve ser menor, cerva de 20g no máximo, pois esse é muito mais gorduroso que as minhocas.

 

Para deixar o tubifex próprio para uso (mesmo que seja o liofilizado): transforme-o em uma farinhas ou pó, ponha num copo ou recipiente que suporte receber água fervente; ferva água numa chaleira, e depois verta essa água fervente dentro do copo com tubifex. Coe num filtro de café de papel, e reserve até o momento de adicionar ao patê

Share this post


Link to post
Share on other sites
Guest

Kanto a isso ñ há problema :shock: , o k é importante é k os meus peixinhos lindos gostem.

 

______________

Cumps, banana rock

Share this post


Link to post
Share on other sites

mais uma esta fiz agora:

-umas quantas ervilhas descascadas

-um ou dois dentes de alho conforme a quantidade que se for fazer

-figado uma chavena ou duas

-cenora

-camarao descascado

-espinafres

--»descascar tudo

--»lavar tudo muito bem

--»cortar em pedaços pequenos

--»dar uma leve cozedura

--»depois juntar tudo num recipiente

--»moer picar ou passar com varinha magica ate formar uma pasta

--»separar em doses ou de forma a puder retirar o pretendido

--»meter numa embalagem estanque e congelar

 

 

esta a refeiçao feita

 

Sou mesmo bom na cozinha

:( :D 8)8)8):lol::lol:

mais duas que descubri por ai

 

receita 1

1,5 Kg de coração de boi.

1,5 Kg de fígado de boi.

4 ovos crus.

170 gramas de espinafre.

170 gramas de ervilhas.

170 gramas de cenouras.

115 gramas de farelo de trigo.

24 gotas de algum complexo vitamínico.

4 envelopes de gelatina sem sabor.

reeceita 2

2 Kg de coração de boi.

2 Kg de fígado de boi.

1 Kg de flocos de cereais Nestun.

1 Kg de farinha de germen de trigo.

30 gramas de ervilhas secas partidas

60 gramas de espinafre.

4 ovos crus

225 gramas de camarões inteiros mas sem cabeças.

115 gramas de levedura de cerveja.

Limpe o coração e o fígado, retirando o excesso de gordura e nervos.

Usar um processador de alimentos para picar a carne em pedaços muito pequenos.

Misture o resto dos ingredientes, (exceto a gelatina da receita 1) no processador.

Na receitaI, a gelatina atua como um espessante que mantém a mistura como uma pasta. Misturar a gelatina em um recipiente com um pouco de água quente, o suficiente para dissolvê-la, deixar esfriar ligeiramente, porém a mistura deve permanecer líquida. Misturar com os outros ingredientes.

Coloque a mistura em sacos plásticos com fecho tipo ziper e pressione até deixar plana. A pasta deve permanecer refrigerada ou congelada se vai conservá-la por longo tempo.

A receita 2 requer que a mistura seja cozida até que se torne ligeiramente granular.Coloque a mistura em sacos plásticos com fecho tipo ziper e pressione até deixar plana. A pasta deve permanecer refrigerada ou congelada se vai conservá-la por longo tempo

Share this post


Link to post
Share on other sites
--»moer picar ou passar com varinha magica ate formar uma pasta

 

 

Esplica melhor esta parte!?!?! Quando fui moer a minha raçao fiz tudo menos pasta!! o que se parecia mais era sopa!

Share this post


Link to post
Share on other sites

essa parte e sem agua

ou seija se tiver gelo ou agua fica aguada.

a agua durante o processo deve ser minima.

tems de ir achando o ponto certo.

comigo faz sempre pasta. :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu tenho uma duvida no que toca a alimentação d animais vivos aos peixes, não corro o risco de animais tipo as dafnias ou as faladas enquitreias see esconderem encontrarem um canto mais escondido e começarem a reproduzir-se provocando certas situações nefastas pros peixes??? ha essa possibilidade?

Um abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu penso que se elas reproduzirem é bom e nao mau, pois os teus peixinhos vao tercomidinha fresquinha sempre que procurarem :shock:

 

è o que eu acho!! Espera pela opniao dos mestres de culinaria :shock:

Share this post


Link to post
Share on other sites

eu por acaso tenho um situação engraçada, tenho uma "despensa" de insectos que ficam debaixo da calha, sao muito pekenitos nao devem ter mais de 3/4 milimetros no maximo, eles "vivem" debaixo da calha alguns encontram-se mortos, outros bem vivaços e entao de vex em quando deito alguns para dentro do aquario ( é so levantar a calha e empurrar com o dedo), o meu betta adora-os :D

já os neons nao se interessam muito neles

Share this post


Link to post
Share on other sites

Viva :twisted:

 

Olá Miguel.RS

 

Tal como disse o tarlex, se eles reproduzissem no aquário seria excelente, mas infelizmente isso não acontece, as Dáfnias na presença de comida e uma água de qualidade reproduziam muito bem, se não estivessem por lá os peixes para as paparem logo :D

 

Quanto à Enquitréas, e apesar de elas aguentarem vivas, umas horas valentes submersas, acabam por morrer, pois não são animais aquáticos como as Dáfnias :)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá,

 

Alguém sabe-me dizer como arranjar dafnias vivas (ou criá-las) e mantê-las vivas?

 

Quanto às equitreias, onde é que se compra isso vivo...não consigo arranjar aqui em Faro!...Se alguem souber algum sitio para comprá-las no Algarve, Setúbal ou Leiria, agradecia a ajuda!

Share this post


Link to post
Share on other sites

dafnias encontras em lagos, poças, ou em particulares, pedes a alguem que te arranje ou podes comprar umas culturas de arranque que existem da amtra ou la como se chama a marca.

Manter e facil arranjas uma caixa de agua e colocas agua da limpesa dos filtros, agua verde e ou levedura.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá,

 

Não necessito de alimentar as dafnias? se sim, com o quê?

 

Como é que sei que estou a apanhar dafnias e não outro parasita qualquer...não sei como são as dafnias!

Share this post


Link to post
Share on other sites
colocas agua da limpesa dos filtros, agua verde e ou levedura.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ah Granda Cozinheiro que saiu este motar!!! :D

 

Culturas vivas falem com o jorgehcosta!!!

Ainda deve de ter :lol:

Nunca vi tanta variedade junta :lol:

 

Dafnias eu comprei um saquinho delas vivas da Amtra (caro como o raio, para a quantidade que é...) e coloquei dentro de um balde de 25 L ao sol...(ja vou em 7 baldes... ) Ja ha quase um ano que não me faltam dafnias e larvas de mosquito pois eles aproveitam e põem la os ovos.

 

Nos aquarios de criação de alevins eu tambem costumo por as barcaças dos ovos de mosquito a flutuar, á medida que nascem são logo papados pelos alevins. São umas cenas pretas que aparecem a flutuar nos baldes parecidas com barquinhos e observando bem ate da para distinguir os ovos pois é composto por imensos pontinhos juntos.

 

Agora ando a pensar recomeçar tudo de novo pois esta-me a aparecer uma variedade de bixos estranhos nos baldes e tenho receio que sejam prejudiciais...

 

Um deles parece um escorpiao, outro parecido com larve de mosquito mas muito mais pequeno, outro tipo sanguesuga mas do tamanho das larvas de mosquito, sei lá... tenho retitrado isso tudo antes de dar aos peixes mas acho que da menos trabalho recomeçar tudo de novo...

 

As larvas vermelhas é que continuam um misterio para mim pois tambem tenho mas só no fundo junto á nhanha... alguem sabe de algum site onde descreva o ciclo de vida desses bixinhos?

Share this post


Link to post
Share on other sites

boas

 

que bichinhos são estes que costumam haver nos lagos?

 

se forem a setubal ao jardim ao pe do estádio podem ver montes desses bichos a nadar mas axo que eles respiram o ar normal e nao atravez da agua

 

tipo isto mas castanhos.........

41.jpg

 

é o que?

será que se pode dar aos peixes?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Isso não são dáfnias????

 

eu apanhei isso a pensar que são dáfnias...alguém pode ajudar?!

Share this post


Link to post
Share on other sites

pelas informações q consegui recolher, são moscas de água...alguém confirma? Os peixes comem isso?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro TGV,

 

após alguma pesquisa descobri que os insectos que falaste são "water boatman" em inglês ou corixa sp., estes insectos são benéficos e alimenta-se de algas podendo ser mesmo dados aos peixes, conforme é dito na seguinte página [url/] http://insects.tamu.edu/fieldguide/aimg40.html [url/]

 

 

Um abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites