[DIY] - CO2 - injector Químico .


Luís Fortunato

Recommended Posts

Olá.

 

Antes de mais nada, se estão realmente interessados neste método de injecção de CO2, aconselho-vos (devia ser obrígo-vos) a lerem este tópico na sua inteira extensão. E senão perceberem alguma coisa, perguntem...

É já para evitar que aconteçam acidentes, porque alguém "esperto" decidiu ver só as imagens, copiar, e encharcou o quarto/sala mais os móveis e aquários com água ácida...

Obrigado

 

Creio que nunca houve por aqui (no Fórum) um injector de CO2 exclusivamente químico. Hoje como tive de fazer novas garrafas (Bicarbonato mais ácido), aproveitei e tirei umas fotos (deploráveis)... :oops:

 

Material completo:

 

CO2Quimico_1.jpg

 

:D Duas garrafas de refrigerante gaseificado

:oops: Mangueira das bombas de ar q.b.

:evil: Mangueira dos sistemas de soro

:lol: Dois estranguladores do sistema de soro

:cry: 2 ou 3 peças de encaixe das bombas de ar

:arrow: 2 tampas das respectivas garrafas, uma com um furo e a outra com 2

:arrow: Ciano-acrilato/supercola 3 q.b. (há outras melhores, tipo a araldite, mas no meu caso a supercola 3 aguenta-se bem)

:arrow: Fita de Teflon (arranja-se em qualquer casa de bricolage). Muito usada para tapar fugas em canalização de gases, tipo esquentadores.

:arrow: 2 Adaptadores de secção (vêm nos sistemas de soro). Tanto podem ser em plástico como em borracha.

:arrow: 2-3 berlindes

 

CO2Quimico_2.jpg

 

CO2Quimico_3.jpg

 

CO2Quimico_4.jpg

Rolha com dois furos. Os bicos de plástico vêm nos sistemas de soro (cada sistema completo custa à volta de €1, dependendo da farmácia). Se bem que um dos bicos é de uma bomba de ar. É o "suporte" da pedra difusora, o que liga o difusor à mangueira.

O pedaço de mangueira é indiferente, mas eu prefiro ter. É por onde pinga o ácido para cima do Bicarbonato de Sódio.

 

CO2Quimico_5.jpg

Garrafa do ácido. A fita de teflon não é obrigatória. Apenas a coloco porque já tive uma fuga na rosca da garrafa. Não se esqueçam que o Ácido Clorídrico é volátil e corroi, com o passar do tempo, ainda mais sobre pressão, a rosca da garrafa.

 

CO2Quimico_6.jpg

Rolha da garrafa de ácido. Esta rolha tem apenas um furo, no qual colei directamente o tubo de silicone (não tem o tubo de plástico rígido das pedras difusoras). Se repararem, existe um tubo mais fino (do sistema de soro) que se coloca dentro do tubo maior (ver próxima foto).

 

CO2Quimico_7.jpg

Temos que ter um tubo que vá até ao fundo da garrafa (ou muito perto) de modo a conseguirmos sugar quase toda a mistura de ácido.

 

CO2Quimico_8.jpg

Estranguladores no tubo do sistema de soro. Estes estranguladores não servem nos tubos de silicone normais, pois além de terem um diâmetro maior, são mais rígidos, nunca se conseguindo fechar completamente.

 

CO2Quimico_10.jpg

Adaptadores de secção. Estes tubos permitem passar de um tubo dos sistemas de soro para um de secção maior como os das bombas de ar.

 

CO2Quimico_9.jpg

Sistema completamente montado.

 

A partir daqui é muito simples. Como devem ter reparado, há uma parte na mangueira de silicone, a que está ligada ao nosso difusor, que foi cortada. Nas extremidades desses dois novos tubos colocaram-se os adaptadores de secção e entre eles os dois, um pedaço de tubo do sistema de soro (mais fino) com os dois estranguladores. Estranguladores estes que servem para controlar o caudal de injecção, e mesmo fechar o sistema durante a noite.

 

As garrafas são de 1,5 litros, e o que uso é o seguinte:

Na garrafa reactora (a dos dois furos na tampa), coloco com a ajuda de um funil, 250 gramas de Bicarbonato de Sódio (€0.80 na drogaria cá do bairro), com 2-3 berlindes, e no final, cerca de 1 cm de altura de água.

Os berlindes servem para ajudar a mexer (quando é preciso) o Bicarbonato de Sódio que assenta no fundo.

Na garrafa de ácido, deito cerca de 60% de água da torneira, seguidos de 40% de ácido muriático (não é o volume todo, ficam aí uns 5-6 cm até ao gargalo). MUITO CUIDADO!!!

NUNCA USEM Ácido Muriático puro (a 30%) na garrafa. No máximo dos máximos, uma proporção de 60-40% de ácido-água. Eu uso menos ácido que água, pois já sei, mais ou menos, que é esta a quantidade necessária para neutralizar as 250 gramas de NaHCO3.

Após isto, basta montar o sistema (como na foto), com os estranguladores fechados, apertar a garrafa do ácido de modo a pingar para cima da água onde está o Bicarbonato de Sódio. Rapidamente ocorre a reacção:

 

Na(+) + HCO3(-) + H(+) + Cl(-) -> H2O + NaCl + CO2

 

Obviamente que o NaCl, Cloreto de Sódio, fica dissolvido na água do reactor, mas de vez em quando ficam uns cristais depositados na garrafa ou na tampa. É apenas NaCl (puro), não faz mal nenhum.

 

Ao atingir-se uma pressão considerável (quando não se conseguir apertar a garrafa facilmente), admite-se que o sistema está pronto.

Depois basta abrir os estranguladores (não bruscamente) até começar a injectar o CO2 no aquário. Consoante o caudal que a gente quiser, mais ou menos devem ficar abertos os estranguladores.

 

Precauções: Estamos a usar um ácido, se bem que diluído e garrafas sobre pressão. É altamente aconselhável a não darem pontapés, cacetadas, biqueiradas nas garrafas.

NUNCA se abre a garrafa do reactor, sem primeiro estar completamente aberta a do ácido. Ao fazerem isso, se a garrafa de ácido estiver com alguma pressão, vai começar a pingar ácido sobre o bicarbonato de sódio continuamente, até chegarem à situação em que a reacção é tão violenta que mais parece uma garrafa de champanhe descontrolada... só que é água salgada e com bicarboanto de sódio... :?

 

Bem acho que de resto é tudo.

Espero ter ajudado.

Cumprimentos

Luís Fortunato

 

PS: Desculpem lá as fotos serem uma bela porcaria (para não usar outro termo).

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

...e encharcou o quarto/sala mais os móveis e aquários com água ácida...

 

Não se esqueçam que o Ácido Clorídrico é volátil e corroi, com o passar do tempo, ainda mais sobre pressão, a rosca da garrafa

 

MUITO CUIDADO com o ácido muriático. E deve-se sempre verter o ácido para cima da água, NUNCA O CONTRÁRIO!!!  

NUNCA USEM Ácido Muriático puro (a 30%) na garrafa. No máximo dos máximos, uma proporção de 60-40% de ácido-água. Eu uso menos ácido que água, pois já sei, mais ou menos, que é esta a quantidade necessária para neutralizar as 250 gramas de NaHCO3.  

 

Precauções: Estamos a usar um ácido, se bem que diluído e garrafas sobre pressão. É altamente aconselhável a não darem pontapés, cacetadas, biqueiradas nas garrafas.  

NUNCA se abre a garrafa do reactor, sem primeiro estar completamente aberta a do ácido. Ao fazerem isso, se a garrafa de ácido estiver com alguma pressão, vai começar a pingar ácido sobre o bicarbonato de sódio continuamente, até chegarem à situação em que a reacção é tão violenta que mais parece uma garrafa de champanhe descontrolada

 

Gostei deste trabalho, mas tenho noção que isto não é para qualquer um. Pessoalmente, na minha formação, tive aulas de laboratório, tenho noções de segurança, tive aulas de química até na universidade, etc, etc.

 

Mas surge-me a duvida:

 

Com tanto perigo, com tantos cuidados a ter, com todas as regras a saber de como lidar com ácidos, qual é a vantagem de termos um reactor ácido em casa comparativamente ao bom e fiavel processo natural das leveduras?

 

Para a pessoa comum, (não esqueçer os membros do forum com crianças em casa, cães, gatos...capazes de entornar, roer e virar garrafas cheias de ácido) qual é a necessidade de exposição a um risco de acidente desta envergadura?

Link to comment
Share on other sites

Para a pessoa comum, (não esqueçer os membros do forum com crianças em casa, cães, gatos...capazes de entornar, roer e virar garrafas cheias de ácido) qual é a necessidade de exposição a um risco de acidente desta envergadura?

Uma boa questão...

 

Com duas boas respostas: Pode-se desligar quando se quer; e podemos controlar o fluxo (facilmente)...

 

Chegam-te?

 

Eu sei que não é apropriado para pessoas que tenham crianças, cães, gatos, etc...

Mas é tão inapropriado, como um sistema de botija...

Creio que o colocares dentro do móvel (no caso de ser possível), elimina (grande parte) dessas possíveis ocorrências...

 

Com tanto perigo, com tantos cuidados a ter, com todas as regras a saber de como lidar com ácidos, qual é a vantagem de termos um reactor ácido em casa comparativamente ao bom e fiavel processo natural das leveduras?

Já apontei as duas principais razões... mas já agora, se bem que isso dá pano para mangas, acho muito mais simples e eficaz uma reacção química com controle, do que "fiar-me" em leveduras, nas quais existem uma catrefada de parâmetros para as por a fermentar à máxima potência, ou com o caudal que eu quiser...

 

Até podes dizer: "ah e tal, se quiser menos CO2 deito menos fermento".

Ok... agora pergunto-te se consegues manter todos os parâmetros minimamente idênticos ao longo do ano? Salinidade da água, pH do meio, idade do fermento que deitas, temperatura, etc...

 

É muito difícil.

 

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

boas, a ideia ta porreira apesar de ser complicadita "perigosa", mas com certeza compensa bastante. A minha pergunta é a seguinte, onde conseguimos arranjar esse material ? por exemplo os estranguladores de soro ?

animelogo.gif

Deus proteja os vossos peixes... 8)

IvoDanielMarques@gmail.com

Link to comment
Share on other sites

Olá.

 

boas, a ideia ta porreira apesar de ser complicadita "perigosa", mas com certeza compensa bastante. A minha pergunta é a seguinte, onde conseguimos arranjar esse material ? por exemplo os estranguladores de soro ?

Antes de mais nada, a ideia não é minha :wink:

Tudo bem que com o passar do tempo posso ter feito alterações a DIY's semelhantes na net, mas a ideia base não é minha.

 

Quanto aos estaguladores, o kit de soro, comprado na farmácia, traz isso.

Custam à volta de €1 cada...

 

Relativamente ao perigoso... como eu costumo dizer:

 

Nenhum composto químico, e não só, é perigoso... basta saber com o que se está a mexer e como saber manuseá-lo...

Se estão incrédulos, para ficarem a saber, podem ir a uma loja de aquariofilia (das boas) e conseguem fazer um explosivo, utilizando apenas 3 ingredientes, das coisas mais banais que se possam vender... :wink:

 

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

Muito bem Luis, bom artigo. Pessoalmente, já me rendi ao CO2 pressurizado à muito tempo mas para quem não tem meios para isso e está farto do CO2 por fermentação, esta é sem dúvida a direcção a seguir. Lembro-me de ver este sistema pela primeira vez no último aniversário do fórum, feito pelo Pedro Alves ( Just me) e, como na altura ainda não tinha CO2 pressurizado, fiquei maravilhado com a potência e durabilidade daquilo.

Link to comment
Share on other sites

Olá André.

 

Antes de mais nada, obrigado pelo teu comentário.

 

Lembro-me de ver este sistema pela primeira vez no último aniversário do fórum, feito pelo Pedro Alves ( Just me) e, como na altura ainda não tinha CO2 pressurizado, fiquei maravilhado com a potência e durabilidade daquilo.

Sim... este sistema já existe há muito tempo, inclusivé, já é utilizado por mais gente cá do Fórum.

 

O que quiz dizer, é que nunca vi um DIY dedicado aqui neste Fórum.

 

Mas de resto, acho que a mais valia deste método é mesmo o controle total sobre o caudal e a possibilidade de parar a injecção. Coisas que são impossíveis de fazer com o método do fermentador.

 

Fica bem.

Um abraço.

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

...

Mas de resto, acho que a mais valia deste método é mesmo o controle total sobre o caudal e a possibilidade de parar a injecção. Coisas que são impossíveis de fazer com o método do fermentador.

...

 

Boas mais uma vez, estou a acompanhar este tópico e acho bastante interessante, mas no entanto estão a surgir algumas dúvidas.

Se na criação comum de Co2 existe a reação do Bicarbonato de Sódio o que provoca bastante pressão, então se usássemos o sistema de magueirinhas e os estranguladores existiria também a possibilidade de controlar o fluxo do mesmo ? ou não ?

animelogo.gif

Deus proteja os vossos peixes... 8)

IvoDanielMarques@gmail.com

Link to comment
Share on other sites

Olá de novo.

 

Se na criação comum de Co2 existe a reação do Bicarbonato de Sódio o que provoca bastante pressão, então se usássemos o sistema de magueirinhas e os estranguladores existiria também a possibilidade de controlar o fluxo do mesmo ? ou não ?

Acho que estás equivocado.

 

No método do fermentador, o Bicarbonato de Sódio não interfere nas reacções químicas que libertam CO2. Ele apenas é utilizado, para evitar que o primeiro CO2 produzido pelos fungos se consiga dissolver na água, baixando o pH e minimizando a fermentação.

 

Se tu trancares a garrafa do fermentador, o mais certo é aquilo rachar/rebentar/abrir uma fuga com a pressão. Pois, as leveduras continuam a fermentar, independentemente de estar trancado ou não. Ou seja, a pressão vai aumentando cada vez mais, até chegar ao ponto de rachar/rebentar/abrir uma fuga na garrafa/rolha/tubo de silicone.

 

O bom do sistema exclusivamente químico, é que quando tu fazes gotejar ácido sobre o bicarbonato de sódio, o CO2 tenta ir por dois lados. Pelo tubo ligado ao difusor dentro do aquário, e para a garrafa de ácido. Se nesta altura trancasses o escape, a pressão continuaria alta nas duas garrafas. Mas como podes deduzir, a pressão quando se forma CO2, é sempre ligeiramente maior na garrafa do reactor. Ou seja, quando pingas o ácido, o CO2 formado "empurra" o ácido que está no tubo que liga as duas garrafas chegando até a borbulhar na garrafa de ácido.

Como o reactor está trancado, não sairá mais CO2, mantendo-se as pressões das duas garrafas iguais, não havendo um retorno de ácido para a garrafa reactora.

 

Agora se tiveres os estranguladores abertos, entenda-se, uma saída para o CO2. Quando a pressão na garrafa reactora aliviasse (por o CO2 sair para o aquário), ao teres uma pressão maior na garrafa de ácido, haveria um retorno de ácido para a garrafa reactora. E formar-se-ia mais CO2, aumentando a pressão nas duas garrafas, etc... continuando o ciclo outra vez.

 

Se por ventura puderes ir ao aniversário do Fórum este fim-de-semana, tenta falar com o Just_me que, salvo erro, vai explicar este sistema no Evento. É muito mais fácil compreender o mecanismo vendo ao vivo.

 

Espero ter ajudado.

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

Obrigado pela explicação Luis. Agora entendi a diferença entre os dois sistema. Nota 10 para ti como membro exemplar deste forum.

Abraços

animelogo.gif

Deus proteja os vossos peixes... 8)

IvoDanielMarques@gmail.com

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Vou tentar montar um sistema desses.

 

Estou grato por esta ajuda. o tópico esta bastante bom. Estou consciente dos perigos. Mas sobram algumas dúvidas:

 

Vou preparar as garrafas. Como tenho araldite, melhor um pouco. Na garrafa com duas saidas ponho o Bicarbonato, os berlindes e um pouco de água e na outra garrafa (A que tem só uma saida) ponho 60% de água e 40% de ácido Muriatico a 30% de modo que a garrafa fique a 6 cm de estar cheia.

 

Fecho as garrafas e depois? Não dizes.

 

Por uma resposta presumo que eu tenho de dar início a reacção. teria de apertar a garrafa do ácido para uma gota pingar sobre o bicarbonato, não? Ou não faço nada.

 

Antes disso abano a garrafa da reacção? Disseste que os berlindes eram para ajudar a misturar, mas não explicaste quando e como se deve agitar a garrafa da reacção.

 

Depois do sistema iniciar o funcionamento eu vou precisar de voltar a mexer? De vez em quando tenho de misturar o reagente?

 

Outra: A solução morre! Não deita mais CO2. Faço toda a mistura novamente ou junto só mais Bicarbonato a garrafa das Reacções. Poderei usar as mesmas garrafas várias vezes? Quanto tempo pode durar a mistura que descreveste?

 

A Por Fim: Presumo que o ácido esteja também a venda em farmácias?! Deste o preço do Bicarbonato e do sistema de soro, mas não mencionaste nenhum detalhe da aquisição do Ácido. Tiveste de ir ao mercado Negro? Quando compras 5Litros de ácido Cloridrico eles ofrecem uma amostra de Plutónio?

 

Abraço, Marc06

"Human beings, who are almost unique in having the ability to learn from the experience of others, are also remarkable for their apparent disinclination to do so."

Douglas Adams

(1952 - 2001)

Link to comment
Share on other sites

Olá grande Marc.

 

Fecho as garrafas e depois? Não dizes.

Por uma resposta presumo que eu tenho de dar início a reacção. teria de apertar a garrafa do ácido para uma gota pingar sobre o bicarbonato, não? Ou não faço nada.

Nem mais. Mas já tinha dito isso... pode é ter ficado subentendido :lol:

 

Após isto, basta montar o sistema (como na foto), com os estranguladores fechados, apertar a garrafa do ácido de modo a pingar para cima da água onde está o Bicarbonato de Sódio. Rapidamente ocorre a reacção:
Ao atingir-se uma pressão considerável (quando não se conseguir apertar a garrafa facilmente), admite-se que o sistema está pronto.
Outra: A solução morre! Não deita mais CO2. Faço toda a mistura novamente ou junto só mais Bicarbonato a garrafa das Reacções. Poderei usar as mesmas garrafas várias vezes? Quanto tempo pode durar a mistura que descreveste?

É assim, a mistura que eu apresentei é feita a olho. Já sei mais ou menos, que necessito dessa quantidade de ácido para reagir com as 250 gramas de NaHCO3. Se usares mais Bicarbonato, vais gastar a garrafa de ácido toda, e vai continuar bicarbonato por reagir na garrafa reactora. Reciprocamente, se usares ácido mais concentrado, vai-se gastar o Bicarbonato de Sódio todo e ainda vais ter ácido na garrafa.

 

Relativamente à duração, a mim costuma durar entre 15 a 20 dias, com um caudal minimamente aceitável. Não perguntem por bolhas/segundo ou outra coisa qualquer, pois essas medidas variam de conta-bolhas, ou outro artifício que utilizem.

 

A Por Fim: Presumo que o ácido esteja também a venda em farmácias?! Deste o preço do Bicarbonato e do sistema de soro, mas não mencionaste nenhum detalhe da aquisição do Ácido. Tiveste de ir ao mercado Negro? Quando compras 5Litros de ácido Cloridrico eles ofrecem uma amostra de Plutónio?

Peço desculpa, deixei subentendido mais uma vez. O ácido muriático (HCl a 30%) compra-se facilmente num supermercado/AKI em embalagens de 1 litro (salvo erro não chega a €1). Também se vende em drogarias. É utilizado como desentupidor de canos, e não só...

 

Espero ter ajudado.

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

Muito Obrigado, Luís.

 

Grande Ajuda. Eu já teria comecado a preparar tudo se na Farmâcia não me tivessem dito que não vendem sistemas para Soro. (Eles tentaram porêm vender-me soro fisiológico). Hoje vou experimentar numa outra.

 

Presumo que não tenha de fazer novas garrafas cada vez que renovo a mistura. As mesmas garrafas duram aproximadamente quantas misturas sem derreter?

 

Abraço, e mais uma vez Obrigado.

"Human beings, who are almost unique in having the ability to learn from the experience of others, are also remarkable for their apparent disinclination to do so."

Douglas Adams

(1952 - 2001)

Link to comment
Share on other sites

Já puz aquilo a bombar por:

 

2 sistemas de soro (2x0,75€) de uma farmâcia em Oeiras

Duas garrafas de cola vazias

um litro de ácido moriatico do AKI do Colombo por 0,75€ também

uma caixa de 450g de Bicarbonato de sódio que eu já tinha por ca.

Cola da Araldite que eu já tinha

Fita de teflon que eu já tinha.

 

Na garrafa do ácido risquei primeiro os 60% de água e depois 40% de HCL. Assim não há como enganar.

 

Estou muito contente com a mistura. Liguei um velho dispersor da EHEIM. daqueles com pedra. Maravilha.

 

Obrigado, Marc06

"Human beings, who are almost unique in having the ability to learn from the experience of others, are also remarkable for their apparent disinclination to do so."

Douglas Adams

(1952 - 2001)

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Olá.

 

estou com a mesma duvida do marc. De quanto em quanto tempo se deve substituiar as garrafas' date=' ou isso é irrelevante?![/quote']

Ok... isso não posso revelar... é segredo... :lol:

Sinceramente, não sei. Eu uso estas há uns 3-4 meses e não noto grandes diferenças.

E agora vou notar menos, pois decidi ir para o CO2 de botija. Não por necessidade, mas por comodismo :wink:

É mais fácil de manusear, etc...

 

Mas continuarei a responder a todas as perguntas.

Nem que seja no mesmo molde que esta última: não sei... :wink:

 

Quanto aos estranguladores, é muito mais fácil controlar o caudal assim. Imagina um deles como o redutor, e o outro como a válvula de agulha cabecadura. É raro conseguires controlar o caudal como queres apenas com um. Eu pelo menos acho difícil. É preciso teres muita precisão. Com dois é muito mais fácil.

 

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

Bom topico love you Cheira-me que nao vou aguentar o bichinho e vou acabar por construir um desses...

 

Entretanto senti-me tentado a mandar vir um kit daqueles por 100€ de injeccao de CO2 da aquaristic.net. Infelizmente ja me disseram que se a coisa avaria, la vao os peixes todos para o caraças no aquario... E assim tao facil de se avariar? Os perigos sao assim tao grandes? E que se forem, sinto-me mais seguro em ter o bom e velho biologico ou este que apresentaste aqui, do que acordar um dia com os peixes todos a boiar...

 

Um abraço,

 

Hugo Ferreira

Link to comment
Share on other sites

Olá.

 

E assim tao facil de se avariar? Os perigos sao assim tao grandes? E que se forem, sinto-me mais seguro em ter o bom e velho biologico ou este que apresentaste aqui, do que acordar um dia com os peixes todos a boiar...

Hum...?

Avariam? Porque avariam?

Não digo que sim, nem que não, mas nunca ouvi falar de tal coisa...

 

Para os peixinhos morrerem, só estou a ver se o caudal aumentasse significativamente. Ou seja, teria de haver um problema com o redutor, ou com a válvula de agulha, pois são esses que controlam o caudal do CO2.

 

De resto, só posso dizer que já uns 3-4 anos que trabalho com botijas de gases e linhas de vácuo (no laboratório), e nunca ouvi falar de redutores avariados.

 

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

Bem, fiz o meu kit de co2 quimico e 5 estrelas.

 

Posso mesmo dizer que quem se aventurou com o kit biologico também tem capacidades para trabalhar com o quimico. É praticamente o mesmo processo de "utilização" tirando o uso do acido, mas com um funil previne-se todo e qualquer tipo de incidentes.

 

Na hora de iniciar a reacção, basta ter cuidado e deitar pouco a pouco o acido diluido no bicarbonato e pronto.

 

Se tudo for feito com cabeça e com um pouco de cuidado e tão perigoso como o biologico.

 

Estou satisfeito :wink:

Link to comment
Share on other sites

é sempre bom vigiar nos primeiros dias a reacção.

 

e já agora quando olharem para o aquário deem um olhinho ao sistema.

 

Estou em vias de experimentar uma modificação para funcionar mais estavelmente.

Posted ImageTantas plantas, tantos peixes, tantas possibilidades... tão poucos aquários! - Me
Link to comment
Share on other sites

Estava a ver que nunca mais dizias nada... :D

 

Fica bem.

Um abraço.

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites

Boas,

 

Tirem-me só uma duvida para uma pesssoa inexperiente (que sou eu).

 

1- mistura-se pouco a pouco o acido no bicarbonato, com as vávulas fechadas até esvaziar a garrafa do acido? (no mesmo dia)

 

2- existe problemas se as vavulas estiverem sempre fechadas?

 

obrigado

 

Filipe

Link to comment
Share on other sites

Olá.

 

mistura-se pouco a pouco o acido no bicarbonato, com as vávulas fechadas até esvaziar a garrafa do acido? (no mesmo dia)

Uma garrafa com a mistura de água + ácido dá para uns 15-20 dias...

Já tinha dito...

 

existe problemas se as vavulas estiverem sempre fechadas?

Não. Aliás, é assim que se tranca o CO2...

 

O bom do sistema exclusivamente químico, é que quando tu fazes gotejar ácido sobre o bicarbonato de sódio, o CO2 tenta ir por dois lados. Pelo tubo ligado ao difusor dentro do aquário, e para a garrafa de ácido. Se nesta altura trancasses o escape, a pressão continuaria alta nas duas garrafas. Mas como podes deduzir, a pressão quando se forma CO2, é sempre ligeiramente maior na garrafa do reactor. Ou seja, quando pingas o ácido, o CO2 formado "empurra" o ácido que está no tubo que liga as duas garrafas chegando até a borbulhar na garrafa de ácido.

Como o reactor está trancado, não sairá mais CO2, mantendo-se as pressões das duas garrafas iguais, não havendo um retorno de ácido para a garrafa reactora.

Cumprimentos

Luís Fortunato

Não respondo a dúvidas por MP...

Se querem ajuda, coloquem as vossas questões no Fórum para ficarem para a posterioridade. Assim, alguém que tenha a mesma dúvida no futuro fica com ela esclarecida usando apenas a Pesquisa.

Link to comment
Share on other sites