Peru (biótopo)


HugoHeisenberg

Recommended Posts

Boa noite,
​Continua a não haver novidades dignas de nota, para além de uma pequena alteração no layout. E tirei o fundo escuro, acho que ficou bastante melhor. O apistogramma macho demora a chegar, a loja onde encomendei originalmente não arranjou (e não me avisaram, tive de ser eu a entrar em contacto com eles...) mas já falei com o sr. Vasconcelos da Aquoporto e ele tem, deve chegar em breve. De momento não consigo publicar as fotos, não sei porquê, mas está na galeria...
​Boa noite

Revival

Link to comment
Share on other sites

  • Replies 53
  • Created
  • Last Reply

Top Posters In This Topic

Boas,
​Hoje deve chegar um Apistogramma Bitaeniata macho "wild", jutamente com dois Heros Severum. Infelizmente, o Sr. Vasconcelos não sabia a proveniência do apisto, mas tenho andado a falar com o Sr. Mike Wise numa tentativa de apurar de onde será provavelmente originário. De momento, é a única alteração. Queria deixar aqui uma geral do aquário, mas por alguma razão não consigo fazê-lo, nem colar o link... Depois atualizo com fotos dos novos habitantes.
​Vou brevemente arranjar uma colónia de camarões Red Cherry, de forma a ter mais uma fonte de alimento vivo. Estes estarão no aquário, de forma a simular o alimento na natureza.
​Também a conselho do Mike Wise, vou arranjar mais madeira para o aquário e mais nymphaeas.

Edited by HugoHeisenberg

Revival

Link to comment
Share on other sites

Boa tarde,

O apistogramma e os heros chegaram na sexta, mas não consegui atualizar mais cedo. Os heros chegaram quase mortos, devido ao frio, mas felizmente ambos sobreviveram. Todos os habitantes do aquário me parecem bem de saúde e acho que já tenho mais uma postura dos apistos. O macho ainda é pequeno (cerca de 4cm), mas lindíssimo. Os heros também são pequenos (uns 5cm, no máximo) e bastante tímidos, apesar de energéticos. Só hoje consegui que comessem um pouco de granulado para discus e sempre que alguém se aproxima do aquário, escondem-se atrás dos troncos. Vou continuar a alimentar pouco, várias vezes ao dia, uma vez que todos os novos habitantes estão ligeiramente magros demais.

Revival

Link to comment
Share on other sites

E as fotos, opah! Fotinhas, nem uma geral nem nada, que desgraça, estás preguiçoso??

 

Saudações sportinguistas, lol

Link to comment
Share on other sites

Epah, já percebi que és lampião!

 

Não sei se é de estar no tapatalk que não consigo ver a imagem, tu utilizas o photobuchet?? É só instalar lá a imagem retirar o url e pimba colocas aqui, experimenta.

 

Saudações sportinguistas, lol

Link to comment
Share on other sites

Na verdade apenas gosto de picar, não ligo a futebol, hahahah

 

Apenas colei o link, também estava no tapatalk. Já tentei, no pc não estou a conseguir colar links nem inserir imagens... não sei se será do browser ou do fórum.

De qualquer forma, os bichos continuam em forma e os heros a comer que nem loucos. O apisto é que é mais esquisito com a comida, provavelmente por estar habituado a alimento vivo, sendo selvagem. Tenho de arranjar mais variedade desses, não posso ter o bicho a viver só de artémia congelada...

Revival

Link to comment
Share on other sites

Também dou granulado aos meus e eles gostam, experimenta.

 

Saudações sportinguistas, lol

Link to comment
Share on other sites

Não toca no granulado, já experimentei alguns diferentes e sempre o mesmo. Na verdade, hoje nem na artémia tocou, deixou-me preocupado...

 

Só para atualizar, a fauna neste momento é:

- Um trio de apistogrammas bitaeniata (duas fêmeas"shishita" F1 e um macho "wild" que, segundo a minha conversa com o Mike Wise, veio provavelmente de algum local na Colômbia)

- Duas corydoras aeneus albinas (desapareceu uma)

- Dois heros severum

 

E ainda quero:

- 20 Nannostomus Marginatus

- 15 carnegiella strigata ou gasteropelecus sternicla

- algum/alguns L que me agrade e partilhe o habitat com estas espécies

 

As aquisições mais "urgentes" neste momento são:

- culturas de arranque de comida viva

- 3 a 5 nymphaeas

- um sistema de osmose inversa

Edited by HugoHeisenberg

Revival

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Boa tarde,

O aquário continua sem novidades. Vou alterar a filtração. Trocar este Fluval 305 por um filtro de esponja com bastante esponja e uma bomba de ar. Deverei obter melhores resultados e replicar melhor as zonas que pretendo. Vou vender os heros (se alguém estiver interessado, entre em contacto) e arranjar mais um macho e mais quatro fêmeas, tudo selvagem, logo que tenha disponibilidad€ para isso. De resto, os planos mantêm-se.

Cumprimentos

Revival

Link to comment
Share on other sites

Encontrei isto no theKrib e achei que podia ser interessante para alguém (eu achei interessante e útil):

 

«This is from Kullander's "Cichlid fishes of the Amazon River drainages of Peru"

concerning the

ecology of A. bitaeniata:

 

"Apistogramma bitaeniata appears to be strictly a black-water species,

although many samples lack habitat information. It is common in the Nanay and

Mazán, where Apistogramma are otherwise rare and represented only by A. eunotus

and A. cruzi. Collecting sites include quebradas {streams, from groundwater

sources and/or swamps, whose volumes vary with local rainfall}, lake shores, sand

playas, and blackwater pools. The large sample from the blackwater pool, SOC 71,

is notable for the starved appearance, whereas the Yuto Cocha {lake} sample

consists of only trim fish, suggesting that shadowed slow flowing forest

quebradas with clear black water may provide optimal conditions for the species.

Generally, the fishes were associated with leaf litter."

 

Kullander lists the following water conditions for the Rio Nanay: "nutrient

and bacteria contents low, excepting a relatively high iron content (0.070 ppm),

pH 5.2, total hardness 3.00 ppm, dissolved oxygen 6.41 ppm and temperature 28.5ºC

{83º F}. Personal observation from river playas indicate a pH of 5.5-6,

temperatures 27-34ºC {80-93ºF} in the surface, hardness 0-0.8ºdGH and dissolved

oxygen 3.6-6.9 ppm (saturation 51-87%) and iron 0.5 ppm."

"Tributary quebradas carry clear, dark water and flow over sand bottom. They

are well-shadowed by forest, but fishing was generally done in open areas. Leaf

litter constitute a significant portion of the substrate. Quebradas were found

to have pH 5.0-6.0, hardness 0.2-0.6º dGH and dissolved oxygen 4.5-6.4 ppm

(saturation 56-77%)."

"Different types of lakes at different water levels were fished. These had

had generally darker and clearer water than the river, but turned turbid with

lowering water level. Blackwater pools, such as my station SOK 71, lacked

transparency. Combined data give ranges of pH 5-5.5, oxygen 2.4-6.4 ppm (31-88%

saturation), hardness 0-0.6 dGH and temperature 27.5-32ºC {82-90ºF}."

"The R. Mazán, visited in 1984, was similar to the R. Nanay. The river and

associated streams had soft, slightly acid water (<1º dGH, pH 5.5-6.0)."

 

I've found that this species produces consistant and large spawns (100+) at pH

<6.3, a total hardness of 5º dH (3º dGH & 2º dKH), and a temperature of 26ºC

(77ºF). A. bitaeniata seems more susceptible to bacterial diseases than most

apistos and doesn't take well to many medications - especially the dye-types like

malachite-green. Because of this, tank cleanliness is very important. I've

found using older, less energetic males, with younger females produce more and

larger surviving spawns. The males are polygamous and tend to bother brooding

females to the extent that they often eat their spawn/fry. Females are also

easily spooked, leading to the same result (munch!). Even turning the lights on

or off can spook them. I've found keeping a dim light on the brooding tank at

night helps a lot. Hope this helps.

 

Mike Wise

Edited by HugoHeisenberg

Revival

Link to comment
Share on other sites

Boa noite,

Continua a não haver grandes novidades. Acabei agora de alimentar artémia congelada, todos me parecem bem de saúde.

Estou apenas intrigado numa situação. Acho que uma das supostas fêmeas que tenho pode ser um macho... um "sneaker male". A barbatana dorsal e tons de azul na cabeça dizem-me que pode ser um macho, pela barbatana caudal e coloração, parece uma fêmea... Não sei o que será. Vou deixar desenvolver-se e ver o que acontece...

 

Cumprimentos

Edited by HugoHeisenberg

Revival

Link to comment
Share on other sites

Tenho de ler o artigo com calma.

 

Então e fotos??? Não há meio!

 

Opah, nem de telemóvel, vá lá faz lá um esforço. Puxa tás preguiçoso!

 

Saudações sportinguistas, lol

Link to comment
Share on other sites

É especificamente em relação a Apistogrammas bitaeniata, mas a informação aplica-se a qualquer espécie que habite nesses rios...

 

Eu bem tento, mas por alguma razão, não consigo mesmo publicar. Vamos ver se é agora...

d549f1daa9c49beb79eee1fb93ed6011.jpg

Foi o melhor que se arranjou, com o telemóvel. Mas já dá para ter uma ideia. A areia está quase completamente coberta por uma grande camada de folhas, o que faz com que os comportamentos sejam bastante naturais. É fantástico de observar. Principalmente agora que o macho Apistogramma começa a ter um território bem definido e até os Heros que têm quase o dobro do tamanho expulsa de lá.

Revival

Link to comment
Share on other sites

Ah, até que enfim, dá para ter uma ideia. Tens ali ao meio um tronco interessante, pena é, não se conseguir ver os peixes, mas pronto já tiraste 60% da curiosidade. :naughty:

Link to comment
Share on other sites

Só agora comecei a conseguir publicar fotos através do tapatalk no telemóvel, não sei porquê... Mas vou começar a atualizar com mais frequência, sempre que conseguir. Aquele tronco é muito engraçado, tem bastantes ramificações e os peixes conseguem esconder-se mesmo lá dentro, quase como uma jaula. Era o sítio favorito dos Heros, quando chegaram. Amanhã com tempo tento tirar algumas fotos com mais qualidade, tanto ao aquário como aos peixes.

 

Em relação às dúvidas quanto ao sexo de uma das supostas fêmeas, acho que é mesmo uma fêmea. Apesar de ter muito azul na cabeça e os 2º e 3º raios da barbatana dorsal serem anormalmente desenvolvidos para fêmea, a coloração do corpo e forma da barbatana caudal são características de uma. De qualquer forma, gostava de arranjar mais algumas, para ter uma colónia e mais um macho. Se o aquário tiver estrutura suficiente, é possível mantê-los pacificamente e é mais natural.

 

Cumprimentos

Edited by HugoHeisenberg

Revival

Link to comment
Share on other sites

Boa tarde,

Acho que finalmente identifiquei exatamente o macho. Parece ser um Apistogramma bitaeniata "Curutu". O Rio Curutu , ao que parece, está ligado ao rio Shishita e são extremamente próximos, Quando o Mike Wise e o Tom C recolheram exemplares selvagens, em Outubro de 2008, os parâmetros da água eram os seguintes: pH 5.64, condutividade 37 µSiemens/cm e temperatura 26.1ºC.

Edited by HugoHeisenberg

Revival

Link to comment
Share on other sites

Então como é que correu a refeição?

 

Saudações sportinguistas, Lol.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 months later...

Boa tarde,
Este aquário tem sofrido algumas alterações (os apistogrammas a habitar aqui agora são um trio de gephyras do Ricardo Gomes, tenho 12 Nannostomus e hei de arranjar mais, tenho duas Rineloricarias lanceolata "red"..). Esta semana chega o sistema de OI e aí sofrerá alterações ainda maiores. Passei dois meses a alimentar à base de vivos como dáfnias, microvermes e larvas de mosquito. Entretanto as culturas foram abaixo. Esta semana virão também culturas de ostracodes, vermes brancos e grindal. Quando tiver o sistema de osmose, irei tirar tudo do aquário, retirar o manado, voltar a colocar a sílica, voltar a colocar as folhas juntamente com uma dose industrial de folhas novas, rearranjar o hardscape e as plantas e encher o aquário com 90% água de osmose. Depois espero uns dias, não vá haver algum pico de amónia, e os peixes voltam para lá. Vai haver muitas fotos disso tudo, incluindo da bicharada! Até lá, deixo a melhor foto que consegui dos Nannostomus, que nunca param. DSC07790_zpsdjqoobzx.jpg

Quando a carteira recuperar do investimento no sistema de osmose, estou a pensar arranjar uma calha de LEDs da BeamsWork. Encontrei um site que as vende (novas) a cerca de trinta euros, portanto, quero aproveitar.

Revival

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...
  • 4 weeks later...

Alguma novidade?

 

OFF-TOPIC: Mais um conteúdo que deixei de conseguir seguir, não sei porque motivo. Se alguém puder esclarecer agradeço.

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Boa noite,
​Infelizmente, este projeto teve um final desastroso e imprevisto. Ainda estou em choque e sem saber bem o que aconteceu. Fui passar duas semanas de férias e deixei os meus pais encarregues do aquário (nada de mais, apenas a alimentação, uma vez que tudo o resto foi feito antes de sair). Um dia antes de voltar, ligam-me e dizem-me que a água está completamente negra, a cheirar a podre e um dos Heros está morto. Disse para retirarem o peixe morto que quando chegasse veria o que seria melhor a fazer. Vinte e quatro horas depois, chego a casa. Ao chegar ao corredor, um cheiro bastante intenso a podre, insuportável dentro do quarto, todos os peixes mortos. Pelo estado de decomposição, alguns deles deviam estar mortos há quase uma semana. Ainda não sei o que causou isto, mas o único ser vivo a sobreviver foi a Nymphaea Lotus (e os caracóis que entretanto voltaram a dominar o aquário). Conclusão, depois de quase dez horas a trabalhar arduamente, o aquário está limpo e pronto a utilizar. Não sei quando o voltarei a fazer, vou levar o meu tempo. Ainda não acredito que isto aconteceu. Talvez tenha sido do calor ou poucas TPAs? Enfim... uma aprendizagem que custou mais do que custaria (nem me preocupo muito com o dinheiro gasto em peixes, mas mais pelas suas vidas, isso é que me está mesmo a chatear). Nem tive coragem de fotografar.
InstagramCapture_19fd9bcf-80ea-479a-ba7a

Revival

Link to comment
Share on other sites