Alex Calvin

Membro
  • Posts

    33
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    3
  • Country

    Portugal

Alex Calvin last won the day on January 20

Alex Calvin had the most liked content!

About Alex Calvin

  • Birthday 07/13/1969
  • Age 53

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Concelho
    Sintra (Lisboa)
  • Localização
    Rio de Mouro

Recent Profile Visitors

610 profile views

Alex Calvin's Achievements

Apprentice

Apprentice (3/14)

  • Conversation Starter Rare
  • Reacting Well Rare
  • Dedicated Rare
  • Collaborator Rare
  • First Post Rare

Recent Badges

8

Reputation

  1. Atenção! Não percam, é já neste fim de semana.  

  2. Podes levar uma amostra da tua água a uma loja de aquariofilia e pedir que te façam os testes para comparar, logo ficas a saber se terá a ver com o teste não estar em condições ou não. Seja como for, se queres baixar o PH, podes de facto ir fazendo pequenas TPA com água de garrafão de PH ácido, em tempos fiz isso e lá ia resultando, mas dá imenso trabalho andar a acartar com garrafões. Entretanto vim a ter conhecimento de substractos de troca catiónica que além dos benefícios cujas propriedades têm para as plantas, também auto regulam o PH para 6/6.5. Comecei a usar o Terra Bruna da marca Equo e nunca mais tive problemas com o PH, também há um da Tropica o " Aquarium Soil " e uma mídia biológica a Neo Media soft que diz também baixar um pouco o PH. Apenas algumas dicas, mas lá está, se ao menos o PH estivesse estável, seria melhor não andares a mexer nisso, contudo se o KH é muito baixo, admira-me que não hajam flutuações.
  3. Pois, a turfa tem que ser substituída ao fim de algum tempo, conforme as instruções, 3/6 meses. Se o KH é baixo e não está a fazer efeito tampão, não estou a ver de momento o motivo pelo qual não consegues baixar o PH, tendo em conta que não haja flutuações e o PH se mantenha estável. Mas, mais vale que se mantenha estável do que haver flutuações.
  4. Não terás aí alguma pedra calcária? Que mídias filtrantes usas?
  5. Bom amigo, como foi dito, normalmente o íctio costuma afectar os peixes depois de uma TPA por acentuadas diferenças de temperatura em peixes cujo sistema imunitário esteja mais fragilizado, seja por questões de stress, qualidade da água ou alimentação deficiente. O protozoário Ichthyophthirius multifiliis é o responsável por esse problema. Os pontos brancos que surgem no peixe, não se trata do parasita do íctio. mas são fungos oportunistas que surgem nas perfurações da pele causados pelo parasita. Quando detectado desde o início, aumentar a temperatura para 29º/30º durante cerca de 18 dias, poderá resolver o problema sem uso de medicação, contudo, as feridas abertas pelos parasitas poderão dar origem a ataques bacterianos, que, tal como os fungos. também se aproveitam do estado fragilizado do peixe para atacar. O ciclo do íctio tem as seguintes fases: Trofozóito: Estágio adulto ou forma ativa do protozoário capaz de se alimentar, movimentar e se reproduzir. Tomonte: Fase em que o íctio adulto se solta do peixe hospedeiro, encapsula-se numa espécie de cobertura gelatinosa que o protege inclusive da medicação e começa a multiplicar-se. Tomite: Íctio após a divisão do Tomonte. Teronte: Forma móvel e infecciosa do íctio que sai do tomonte e procura um hospedeiro. O aumento de temperatura, tem como função evitar que essa cobertura gelatinosa, na fase de tomonte, se forme e proteja o protozoário, evitando que este se multiplique e volte a infectar novos hospedeiros. Quanto mais baixa for a temperatura, maior será o ciclo de vida do protozoário. Portanto, aumentando a temperatura, evitamos que o protozoário possa completar esse ciclo e acabará por ser eliminado, assim sendo, não obstante uma medicação adequada para o tratamento do íctio, importa que seja aumentada a temperatura por os tais 18 dias. O Ichthyophthirius multifiliis pode surgir no aquário seja por peixes infectados, sejam por plantas ou decorações provenientes da natureza ou outro aquário. Assim sendo, os peixes antes de serem adicionados ao aquário comunitário, sempre que possível, devem passar por uma quarentena num aquário à parte. Plantas e decorações devem ser desinfectadas com permanganato de potássio, não apenas elimina parasitas e bactérias nocivas, mas, também caracois e ovos de bicharada diversa. Em Portugal penso que o medicamento da marca Labcon não se encontra disponível no mercado, o medicamento que normalmente é mais usado neste caso de infecção por íctio é o Esha exit
  6. Bom... Um aquário plantado, com plantas mais exigentes, vai-te custar mais caro o investimento. Podes ter um belo aquário plantado com plantas menos exigentes, como Anúbias, Microsoruns, Limnophilas sessiliflora, apenas alguns exemplos. Em relação ao tamanho do aquário, mais 20 cm de comprimento, não é nada assim de tão extraordinário, mas, enfim... Cabe-te a ti a capacidade de argumentação e negociação com a tua esposa acerca desse assunto, eu sei como é. 😄 Mas, quando chegarem a um consenso, podemos rever as opções, se for o caso. Entretanto, lavar a loiça, levá-la a jantar fora, oferecer-lhe uma prenda, etc, são alguns métodos que eventualmente podem levar as esposas a mudar de ideias. 😄
  7. Boas Dnandes. É assim, se optares pelo aquário 80x40x40, O Fluval 207 e o termostacto 150 watt servem. Mas, se optares pelo aquário 100X40X50, já te recomendo mesmo o Fluval 307 e um termostacto de 200 watt ou mais em particular se moras numa região fria ou se a sala onde está o aquário, não for climatizada. O Prime recomendo sempre a cada TPA, excelente producto, mas, o Stability não é propriamente necessário. Poderá ter utilidade no início da montagem do aquário para acelerar um pouco mais o ciclo do azoto, mas, terás que meter um pouco de comida dos peixes para gerar amónia e usar o producto durante 7 dias, conforme as instruções do producto (Podes ler sobre os productos no site da Seachem). A vantagem é que sempre podes inserir alguns peixes (poucos) antes do ciclo estar completo, visto que o Stability vai ligar amónia, nitritos e nitratos, mediante esse uso diário, de forma a que se torne seguro para os peixes, mas, terás que deixar completar o ciclo de qualquer forma. É um bom producto, mas, se tiveres mais paciência, poupas o dinheiro nesse producto e compras testes, por exemplo. Testes de gotas são bastante mais fiáveis que os de fitas, por isso não recomendo os de fitas. Com testes de Nh3/Nh4 , No2 e No3, podes ir acompanhando as fases do ciclo até teres a certeza que amónia e nitritos estão a 0 e podes controlar nitratos, que não convém que passem dos 10 ppm. São testes que podem dar sempre jeito caso venhas a ter algum problema com a fauna mais tarde, uma das primeiras coisas a analisar, é o estado da água. Mas, também podes retirar uma amostra da água do teu aquário e levar a uma loja de aquariofilia para que te analisem. São opções que te podem fazer poupar algum dinheiro. Se pensas num aquário plantado, tens que pensar no grau de exigência das plantas que pretendes. Se forem plantas bastante exigentes em termos de fertilização, Co2 e iluminação, já convém que tenhas um bom substracto fértil e Co2 pressurizado, mas, visto que plantados não é a minha especialidade, prefiro deixar essa parte para os mais entendidos. No entanto, posso já adiantar que em relação à série B da Twinstar, para plantados exigentes não é a melhor opção, a série B foi projectada para realçar as cores da fauna e flora, serve para plantas pouco exigentes, mas, para as mais exigentes, recomendo outra luminária, que, mais uma vez, prefiro deixar essa dica para os mais entendidos. De resto, vai com calma e sempre podes contar com a nossa ajuda. Felicidades no projecto.
  8. Como foi referido, um Fluval 307 será o mais adequado para um aquário com 100x40x50. Mas, pesquisa e pensa bem na fauna que desejas manter, pensa na compatibilidade de espécies para o tipo de aquário que pretendes, em relação aos parâmetros químicos da água e também na compatibilidade entre espécies, não te precipites. Se é para evoluir, que evoluas com conhecimento de causa e muita ponderação. Obviamente, opta por decorações naturais.
  9. O Fluviário de Mora inaugura amanhã, dia 18 de janeiro, às 10 horas, a exposição “𝘾𝙪𝙞𝙙𝙖𝙙𝙤! 𝙄𝙣𝙫𝙖𝙨𝙤𝙧𝙖𝙨 𝘼𝙦𝙪𝙖́𝙩𝙞𝙘𝙖𝙨” desenvolvida pelo Museu Nacional de Ciências Naturais (CSIC) de Madrid no âmbito do projeto Life Invasaqua. A exposição é composta por 19 painéis que mostram as principais espécies aquáticas invasoras da Península Ibérica, o seu grau de ameaça à fauna e flora autóctones, bem como as consequências e o impacto ambiental, socioeconómico e sanitário que estas espécies causam. A exposição itinerante “𝘾𝙪𝙞𝙙𝙖𝙙𝙤! 𝙄𝙣𝙫𝙖𝙨𝙤𝙧𝙖𝙨 𝘼𝙦𝙪𝙖́𝙩𝙞𝙘𝙖𝙨”poderá ser visitada no Fluviário de Mora todos os dias entre as 10 horas e as 17 horas, incluindo domingos e feriados, até ao dia 18 de abril . Durante os próximos 2 anos irá ser apresentada em outros Centros Ciência Viva e museus portugueses. O projeto ibérico LIFE INVASAQUA conta em Portugal com a participação da Universidade de Évora, da ASPEA – Associação Portuguesa de Educação Ambiental e a SIBIC – Sociedade Ibérica de Ictiologia, que apoiaram o CSIC no desenvolvimento desta exposição. 𝘝𝘪𝘴𝘪𝘵𝘦 𝘰 𝘍𝘭𝘶𝘷𝘪𝘢́𝘳𝘪𝘰 𝘥𝘦 𝘔𝘰𝘳𝘢, 𝘰𝘯𝘥𝘦 𝘰 𝘳𝘪𝘰 𝘥𝘦𝘴𝘢𝘨𝘶𝘢 𝘯𝘰 𝘴𝘰𝘯𝘩𝘰! http://www.fluviariomora.pt/?fbclid=IwAR0aFLQtkGiovJX6lMccOHK8T6cC2NFbbZNBlQi0CGn3xKMpbS1w59TfFKk
  10. Amigo... Como já te foi dito, não esperes milagres com 6 Carassius auratus num aquário de apenas 57 litros, já para não falar dos outros peixes. Nunca conseguirás dessa forma ter água de boa qualidade, pelo contrário. Portanto, não te podemos indicar uma solução para o teu caso, a não ser, que se realmente gostas e tens interesse na saúde e bem estar dos teus peixes, o melhor é doares a alguém que tenha condições para os manter, porque caso contrário, é uma questão de tempo até teres mais baixas. Podes até saber no que consiste o ciclo do azoto, mas, talvez não estejas devidamente informado acerca das condições adequadas e necessárias para manter Carassius auratos, mas, fica aqui um artigo que podes ler para ficares bem informado e teres uma melhor noção acerca dessa espécie. https://www.aquariofilia.net/forum/topic/263052-kinguios-conheça-antes-de-montar-um-aquário/
  11. Boa noite Teresa! Muitos condicionadores não fazem propriamente falta. Desde que o aquário e parâmetros químicos e de temperatura da água sejam adequados às espécies que nos propomos manter, que a filtragem seja adequada e eficaz, que a comida seja variada e de boa qualidade, com a realização de TPA semanais e aspirações de resíduos no fundo rotineiras, a água deverá manter-se de boa qualidade e os peixes saudáveis. Plantas naturais, também ajudam bastante, consomem amónia e nitratos que acima dos valores recomendados, podem ser tóxicos. No caso dos Carassius auratus, plantas naturais não são boa ideia porque eles tendem a comê-las, mas, sempre poderás experimentar Anúbias e Microsoruns, teoricamente, peixes herbívoros não as comem, omnívoros, pela lógica, também não. Essas rações de "férias", não recomendo de todo, o mais provável é poluírem a água, do que alimentar bem os peixes. O melhor de facto é um alimentador automático, mas, por vezes acontece que podem avariar e largar demasiada comida de uma só vez, o melhor é colocar doses pequenas para evitar imprevistos. De qualquer forma, se o período de ausência não for demasiado grande, os peixes aguentam muito bem vários dias sem que lhes deem ração. Felicidades no novo projecto, não te esqueças de fazer bem o ciclo do azoto (ciclagem) e vai dando notícias. 🙂
  12. Teresa Pereira. Antes de mais, bom ano para ti também, tudo de bom. Fico satisfeito por teres compreendido acerca das condições adequadas para manter Carassius auratus, de facto, para peixes ainda pequenos, não temos obrigatoriamente de seguir a regra á risca logo de início, mas, convém que tenhamos noção acerca das características e necessidades fundamentais das espécies que nos propomos manter e pensar também um pouco a curto, médio ou longo prazo, consoante a taxa de crescimento de cada espécie em particular. Por isso, toda a informação necessário importa para termos tempo e conhecimentos para que haja uma preparação atempada. Fico também, satisfeito porque de facto pareces-me alguém verdadeiramente empenhada a proporcionar as melhores e mais adequadas condições aos teus peixes. Filtragem, como se costuma dizer, nunca é demais, a não ser que determinado equipamento não tenha regulação de fluxo e este seja demasiado forte para as espécies em questão, de resto, é um investimento que se faz a longo prazo e a pensar em várias opções de fauna ou litragem de aquários. Em relação a condicionadores, pessoalmente apenas uso o Seachem Prime, pelos motivos que mencionei acima, prevenir a intoxicação por cloro, cloramina ou metais pesados. Para falar a verdade, durante vários anos não usei qualquer condicionador, comecei a usar desde que começaram a fazer obras nas condutas na zona onde moro e mais vale prevenir, que remediar. Desde então, e como é um bom producto, passei a usar por norma O Seachem Prime a cada TPA, pelo que recomendo. De resto, evito qualquer producto desnecessário. Fica aqui o link da Seachem onde poderás obter mais informações acerca dos productos da marca. https://www.seachem.com/
  13. A amónia deverá estar a 0, convinha saber também valores de nitritos e nitratos. O peixe pode estar apenas a ambientar-se ao novo aquário, mas, convinha saber de mais detalhes. Litros aquário, filtragem, etc. Fotos e videos ajudam bastante.
  14. Kinguios para Iniciantes: o que você precisa saber antes de montar um aquário de kinguios Kinguios (Carassius auratus) estão entre os peixes mais apaixonantes da aquariofilia, não só por sua beleza e longevidade, mas pela interação com o aquariofilista, podem comer em nossa mão literalmente. Contudo pode ser considerado um dos peixes mais injustiçados do hobby, em muitos casos são mantidos sem os cuidados necessários para que possam viver de forma plena no aquário. Arte de Kinguios (Carassius auratus) Neste artigo iremos abordar de forma simples suas principais necessidades. Vamos entender melhor os principais pontos e planejar de forma positiva nosso aquário de kinguios. Maturação do Aquário (Ciclagem) Infelizmente é muito comum mesmo nos dias de hoje a venda de aquários e peixes ao mesmo tempo, o cliente escolhe o aquário, decoração e seus kinguios prediletos. Por desinformação esse procedimento acaba ocorrendo, em pouco tempo os peixes morrem levando a frustração do potencial novo aquarista. Isso acontece porque nossos sistemas são mantidos por bactérias nitrificantes. Dentro do aquário, ocorre um processo de desintoxicação natural através de bactérias nitrificantes, essas bactérias irão eliminar compostos nocivos aos nossos kinguios, contudo tal equilíbrio biológico precisa de tempo, que será em media de 25 a 30 dias. Maturação do Aquário (Ciclagem) dos kinguios Inicialmente iremos montar o aquário, colocaremos a decoração e a filtragem. É muito importante condicionar a água do aquário com algum excelente condicionador. Usaremos nesse caso o OceanGuard dos mais completos condicionadores do mercado, que irá eliminar cloro, cloramina e metais pesados. Para ajudar no processo de ciclagem utilizaremos o Ocean Blend em conjunto com o Over Nite respeitando um intervalo de 48h entre um e outro, ambos são excelentes aceleradores biológicos que contem bactérias nitrificantes que ajudam de forma sensível a maturação biológica do aquário. Tamanho do Aquário O tamanho do aquário em muitos casos é o que determina o sucesso ou fracasso em manter esses incríveis peixes. Normalmente são vendidos com poucos meses de vida, peixinhos pequenos e coloridos, sem duvida encantam até o olhar mais distraído, kinguios conseguem nos apaixonar realmente, contudo aqueles pequeninos e coloridos peixes podem chegar a proporções consideráveis, por esse motivo é muito importante o planejamento de seu lar, Kinguios podem viver em média 20 anos se receberem os cuidados necessários. Tamanho do Aquário para kinguios O tamanho do aquário é fundamental para que nossos peixes possam crescer de forma plena, no caso das chamadas variedades exóticas (Cabeça de leão, Ranchu, Oranda, Telescópio, pérolas, Celestial, Ryukin e etc…) basicamente devemos usar a proporção de 76 litros para o primeiro peixe, e 38 litros por cada kinguio adicional no aquário. No caso das chamadas variedades comuns (Cometa, Hibuna, Shubunkin) devemos usar a proporção de 120 litros para o primeiro peixe, e 60 litros por cada kinguio adicional no aquário. É importante não misturar variedades exóticas com as chamadas variedades comuns. Variedades comuns são muito mais ágeis no momento da alimentação não dando chance as variedades exóticas que são muito mais lentas, além de apresentarem em muitos casos certa agressividade em relação a variedades exóticas. Filtragem A filtragem para nossos kinguios deve ser muito bem dimensionada, são peixes que produzem uma quantidade grande de dejetos. Basicamente uma filtragem de 10 vezes por hora em relação a litragem do aquário passando pelos filtros será ideal, como exemplo um aquário de 150 litros deverá tem em media 1500 litros hora em média de capacidade de filtragem. Filtragem nunca é demais em relação aos kinguios. Podemos usar um ou mais filtros para conseguir esse feito, sendo muito importante trocas parciais de água para ajudar a exportar compostos nitrogenados como o nitrato por exemplo. filtragem para kinguios Um aquário com excelente filtragem irá contribuir para a saúde plena do kinguio, assim como prevenir o aparecimento de patógenos oportunistas resultado do acumulo da matéria orgânica. Devemos ter uma excelente quantidade de mídias biológicas em nosso sistema de filtragem, sendo uma importante ferramenta para colonização de nossas bactérias nitrificantes. Nossos filtros preferencialmente devem possuir filtragem biológica, química e mecânica. Mídias de vidro sintetizado são comprovadamente uma das melhores opções para nossos filtros por possuírem grande área de fixação biológica. Utilizaremos a Bio Glass Ring, mídia biológica de alta porosidade que ajudara de forma sensível nossa filtragem biológica. Como filtragem química utilizaremos o Zeocarbon que possui um mistura de carvão ativado e zeólita, dessa forma teremos um excelente filtragem química e um adicional em segurança caso ocorram picos de amônia, a zeólita é um mineral com atração a amônia. A filtragem mecânica ficara a cargo de esponjas ou lã acrílica que normalmente acompanham os filtros destinados a nossos sistemas. Alimentação O Kinguio possui o trato digestivo muito particular, nosso peixinho não possui estômago funcional, por esse motivo exige uma dieta especial com rações de grande qualidade. O resultado é que o alimento é mais rapidamente processado pelo seu sistema, exatamente por não conseguir armazenar certa quantidade de alimentos. O trato digestivo de um kinguio é bastante longo, sendo normalmente o dobro do comprimento de seu corpo. Alimentação para kinguios Nesse caso o kinguio acaba produzindo uma quantidade de dejetos superior em relação a peixes com estômago. Quando alimentados com rações inadequadas irão acumular gordura em seu organismo, em pouco tempo poderão flutuar contraindo a síndrome da bexiga natatória. Infelizmente em muitos casos com efeitos irreversíveis. Rações balanceadas para kinguios possuem baixos índices de gordura e adicionais vitamínicos vitais como Alfa tocoferol, e acido ascórbico, em alguns casos probióticos naturais. Uma ótima opção como base da alimentação de nossos kinguios é a Super Goldfish Mini Sticks da Tropical. Alimento cuidadosamente balanceado que além de outros ingredientes importantes possui Alfa tocoferol e acido ascórbico em sua composição. Confira o artigo: erros e acertos na alimentação dos peixes ornamentais Podem ser oferecidos flocos e granulados tendo o cuidado de condicionar a ração antes de ser usada na alimentação. No caso dos flocos é muito importante que a porção a ser ministrada seja deixada de molho em recipiente com água por aproximadamente 2 minutos, esse procedimento simples permite que a ração “expanda” fora do peixe (a ração ao ser hidratada se torna 3 vezes maior) evitando que algumas variedades mais sensíveis de kinguios (ovais) tenham problemas digestivos. Com granulados deixamos de molho por mais tempo, cerca de 5 minutos para que o ar contido nos grãos saia. Temperatura e química da Água Kinguios são peixes muito adaptáveis preferindo temperaturas subtropicais, contudo uma faixa entre 22 a 28 graus será ideal para variedades exóticas, e 15 a 28 graus para variedades comuns. Em temperaturas acima de 29 graus os vasos sanguíneos do kinguio irão dilatar trazendo grande sofrimento ao peixe. O pH ideal estará na faixa de 6.5 a 8.0 e a dureza média (GH). Parâmetros do aquário para kinguios Dependendo da região normalmente ocorrem grandes diferenças de pH, nesse caso devemos utilizar tamponadores específicos de pH para que os parâmetros fiquem ideais, A Ocean Tech possui ótimas opções, usaremos os excelentes pH Down se a ideia for diminuir o pH, ou o pH Up se a ideia for subir o pH. É muito importante que a escala fique entre 6.5 a 8.0. CompanheirosCompanheiros para o aquário de kinguios Idealmente kinguios devem ser mantidos com Kinguios. Exigem dieta especifica, sendo indefeso em relação a outras espécies, as agressões em suas belas caldas ou stress provocado por intensa perseguição no aquário irão abrir portas para doenças oportunistas. Devemos evitar manter kinguios com peixes tropicais, existem muitas variedades de kinguios nas mais belas e variadas formas. Plantas e decoração Plantas e decoração no aquário de kinguios Aquário de Solange Nalenvajko (Xica), créditos André Albuquerque Difícil descrever a exuberância que plantas naturais trazem a nossos aquários, infelizmente kinguios são onívoros com tendência herbívora, irão consumir praticamente todas as espécies de plantas aquáticas ou flutuantes. Existem alguns raros casos de sucesso, contudo na maioria das vezes as plantas serão prontamente consumidas. Alguns gêneros de plantas mais resistentes como Anubias e Microsorum costumam dar bons resultados, além de complemento alimentar vegetal que poderá ser feito utilizando a Super Spirulina Forte em flocos ou granulado, ambas com excelente aceitação por parte dos kinguios. Os benefícios serão muito positivos, a spirulina é reconhecida como um dos mais completos suplementos alimentares para peixes da atualidade. Plantas e decoração no aquário de kinguios Além disso, plantas artificiais podem ser uma alternativa, existem atualmente plantas bem realistas que podem agradar o seu gosto. Opte por plantas macias para que não desfiem a calda delicada dos kinguios. Pedras idealmente arredondadas, troncos sem pontas, devemos evitar que acidentalmente nossos kinguios se machuquem. Acreditem amigos, esses animais não são só indefesos em relação a outros peixes, mas também em relação á decoração, é fundamental que façamos um ambiente seguro. Substrato Ao contrario do que se possa imaginar, kinguios idealmente preferem a alimentação bentônica, ou seja, preferem se alimentar no fundo aquário. Ao revirar o substrato irão inclusive complementar sua dieta consumindo pequenos seres que vivem de forma bentônica. Em outras palavras, abocanhar o substrato a procura de alimento é um comportamento natural. Por esse motivo é fundamental a escolha do substrato ideal para evitar problemas. substrato para o aquário de kinguios Substratos com formato de placas (ex: basalto) podem machucar seriamente nossos peixes, granulometrias maiores irão acumular uma quantidade muito grande de matéria orgânica, sendo comuns nesses casos picos de compostos perigosos como nitrito e amônia. Além disso existe a possibilidade perigosa de kinguios ficarem entalados com o substrato. O substrato ideal deve ter granulometria entre 1 a 2 mm, usaremos o substrato Snow White da Ocean Tech que além de muito bonito nos ajudará a manter o pH estável em 7.5, esse substrato é totalmente inofensivo para os nossos peixes, dessa forma nossos kinguios poderão de forma tranquila buscar seu alimento secundário no substrato. Conclusão O kinguio pode ser a escolha perfeita para aqueles que desejam um peixe belo, dócil, e de vida longa. É um dos mais populares peixes ornamentais do mundo, sua diversidade de cores e formas conquistando cada vez mais admiradores em todo o mundo. Montar um aquário com planejamento e principalmente visando o bem estar dessa magnifica criatura é nosso objetivo primário, afinal a Aquariofilia é sinônimo de responsabilidade. Autor: Denis Cetera é um apaixonado pelo o aquarismo e colaborador da Tropical Import! Fonte com ilustrações : http://www.tropicalimport.com.br/artigos/kinguios-conheca-antes-de-montar-um-aquario/
  15. Um aquário de 92 litros para 4 Carassius auratus, é bastante pequeno, são peixes que sujam bastante e necessitam de uma dieta bastante especial. O filtro Eheim Turbojet 3368, até pode ser adequado para um aquário de 92 litros, mas, se o próprio aquário não é o mais adequado para 4 Carassius auratus "cauda de véu", de pouco adianta. Sugiro uma leitura no seguinte link, para que entendas os requisitos adequados para manter "kinguios". http://www.tropicalimport.com.br/artigos/kinguios-conheca-antes-de-montar-um-aquario/ Não sei se será o caso, mas, recomendaria o uso de Prime da Seachem a cada TPA, por vezes, há problemas que poderão ter a ver com cloro, cloramina ou metais pesados. É um caso que se deve observar com mais calma e detalhe, mas, realmente, o aquário e filtragem, para essa espécie, deixa bastante a desejar. Já agora, convinha saber também como é limpo esse filtro, pode ser o caso de estares a eliminar bactérias nitrificantes.