Carlos_Silva

.Membro Ausente
  • Content Count

    25
  • Joined

  • Last visited

  • Country

    Portugal

Community Reputation

6 :)

About Carlos_Silva

  • Rank
    Super Recém Chegado

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Concelho
    Porto (Porto)
  • Localização
    porto

Recent Profile Visitors

257 profile views
  1. Vivam! O objectivo deste tópico é exactamente o que está no título : Saber a possibilidade de acrescentar um casal de ramirezzi no meu aquário. Dimensões: 80x40x40 pH:6,2 KH: próximo de 0 GH:5 TPA semanal de 30% Fauna: 3 apistogramma agassizii double red (2 fêmeas e 1 macho) 4 tetra ember 4 tanichtys albonubes (estes vão passar para um aquario só para eles) 10 cardinais 4 corydoras paleatus Casal de ancistrus super Red
  2. Obrigado pela dica. Amanhã vou começar o tratamento. Será melhor isolar para não destruir o filtro biológico ou tratar o aquário todo? Mais nenhum peixe apresenta sinais de doença
  3. Tinha estado a ler esse tópico mas não me apercebi de toda a informação que contém. Obrigado pela indicação. Do que li, estou inclinado para doença do algodão, embora o macho não apresente sintomas na boca e sim na barbatana caudal. É foi o primeiro a apresentar sintomas... Será por a doença estar num estado inicial? Alguém tem experiência que me possa confirmar isto? Não queria actuar sem ter a certeza do tratamento correcto.
  4. Dimensões do aquário 80x40x40 Volume: 126lt Filtro(s): Eheim liberty 130 Matérias filtrantes: As esponjas de origem, cerâmicas será e lã de vidro Iluminação: Projector led 1400lumen 6500K PARÂMETROS DA ÁGUA: Temperatura da água (ºC):24 pH:_ 6.7 Amônia:_não testei Nitrito:_não testei Nitrato:_não testei TPA's (Trocas Parciais de Água): 20 lt semanal INFORMAÇ
  5. Viva. Sei que estas conversas já são antigas mas nunca encontrei respostas concretas a estas duvidas: De forma a que os peixes não passem fome, mas também para não termos comida a decompor-se no fundo, o ideal é deitar a quantidade que os peixes consigam comer em dois minutos. Isto é bastante explicativo, mas há situações em que não conseguimos ter a noção do que foi comido, caiu no fundo ou foi aspirado pelo filtro... Os granulados afundam rapidamente, os flocos mantêm - se na superfície e é mais fácil controlar. Sendo assim, este tópico tem como objectivo percebe
  6. Muito obrigado pelas dicas preciosas.
  7. As plantas estagnaram o desenvolvimento e as algas proliferaram . Acho que era tudo junto. Cheguei a fazer tpa de 50% duas vezes por semana... Travava o desenvolvimento das algas, mas não conseguia fazer desaparecer. Tinha um projector de1400 Lumen, que acho que era demais não fazia fertilização e não tinha co2. Agora estou atento para ver se este não descamba ...
  8. Obrigado pela dica. Em relação à anubia, está amarrada a uma pedra. Sofreu um "ataque" de algas num outro aquário onde estava e que não consegui estabilizar. (30lt) Estou a ver se se safa aqui. Senão, vou ter que desistir dela...
  9. Sim, plantei na 5ª feira. Com a excepção da anubia nana, foram todas adicionadas na 5ª. Para já estão a reagir bem... Com folhas a crescer. Sem substrato fértil, veremos como se desenvolvem
  10. Viva. Tinha raízes, como as echinodorus
  11. Viva. Alguém pode ajudar a identificar esta planta? Já agora podem confirmar se é a forma correcta para plantar? (enterrada)
  12. Se for possível peço que remova esta resposta. Já consegui inserir as fotos no primeiro post
  13. Mais de dois anos depois da compra do tanque, finalmente os habitantes. A ideia é criar um ambiente o mais natural possível com materiais baratos mas que resultem para manter um casal de ciclideos anões. Tanque: Dimensões : 80*40*40 Capacidade bruta: 126 lt Espessura do vidro : 6mm Sem tampa Movel: Diy Carlos Silva Style 🙄 em MDF hidrofugo lacado. Equipamento: Filtro : eheim liberty 130 (a trocar por ecco pro 300 em breve ) Aquecedor: eheim thermocontrol 125 Termómetro: sera precision Iluminação: projector led 20w 1700lm 6500K