Tronco de videira((ajuda))


Recommended Posts

Ora bem...Deixa cá ver se te consigo desfazer esses mitos e desinformação que porventura vá nessa cabeça.

 

Mito 1- Troncos de videira libertam nitratos na água...

Nada temas, embora seja um medo legitimo, é algo minimizado por uma limpeza criteriosa do tronco... O tronco per se não te vai libertar nitratos na água, quando muito liberta taninos, muitos taninos, é na realidade uma das melhores madeiras que tens se quiseres criar um aquário com águas tanicas. O que por vezes acontece é uma deficiente limpeza dos troncos fazendo com que quando são metidos no tanque estejam contaminados com sujidade e terra...Isso sim vai te libertar nitratos, e por vezes mesmo pesticidas no tanque... Mas como disse, uma limpeza criteriosa vai resolver-te esse problema.

 

Mito 2- Os troncos de videira apodrecem ao fim de pouco tempo...

Ledo engano. Este é o cavalo de batalha dos meninos que gostam de detractar o uso de videiras em favor do uso de manzanita, red moor, mopani e tantas outras (TODAS elas caras e compradas leia-se de passagem...) Na realidade, se a videira estiver seca, não estiver já em putrefacção, e se for preparada convenientemente, não só não irá apodrecer em pouco tempo, como o ritmo de putrefacção da videira é dramaticamente reduzido ou mesmo impedido. Não vou dizer que não exista alguma deterioração dos troncos de videira submersos, porque acontece sempre (bolas acontece com qualquer madeira, mesmo a de compra), mas não é no espaço de semanas como alguns gostariam de pintar. Outra coisa a ter em atenção é a fauna que metes em tanques de videiras...Locarideos e troncos de videira, não costuma resultar bem, os locarideos teêm aquele hábito irritante de te ir comendo as videiras ao raspar pedaços de madeira dia após dia, é algo visivel com muita rapidez em tanques com ancistrus, plecostomus e outros seus semelhantes. No entanto já mantive ottocinclus em tanques com videira, e embora exista algum desgaste é minimo e restricto ás partes menos robustas dos troncos. Quanto á durabilidade sou testemunha, tenho videiras em tanques á bem mais que uns 7 anos, e ainda tenho aqui várias videiras de quando experimentei as primeiras, e continuam integras.

 

Mito 3 - Tens que ferver/cozer no forno as videiras...

 

Errado, embora seja algo que para alguns usos seja aconselhavel, não é inteiramente necessária.

Pessoalmente fujo desse método, visto que as videiras preparadas dessa forma teêm tendencia a realmente apodrecer. Prefiro fazer um tratamento de sal+lixivia. O que faço é manter as videiras submersas durante SEMANAS em soluções de SAL que vou alternando com lixivia. Troco a água a cada 5 a 6 dias, sempre que ela fica castanha/cor de Chá. O Objectivo deste metodo é matar a videira/preserva-la, e ao mesmo tempo manter o máximo de taninos na videira. A Fervura irá provocar uma libertação demasiado rápida dos taninos ao mesmo tempo que quebra a parede celular das celulas na madeira, o que liberta açucares...Resultado, mais taninos (googlem o que são taninos e de onde eles vêm para entender a relação açucares na madeira-Taninos), que actuam como um antibiótico tão importante nos nossos aquários ajudando a prevenir doenças na fauna e a ajudar a combater alguns tipos de algas ao mesmo tempo. No entanto compreendo que isto não é para todos os aquariofilos nacionais, visto que ainda existe muito aquele estigma da água cor de chá... Há quem diga que é uma questão de gosto, eu prefiro pensar que é mais uma questão de inteligencia e de vontade que o habitat dos nossos animais seja o mais proximo possivel do original (isto para mim que prefiro fauna que habita rios de água tanica...)

 

Agora quanto ao que foi dito aqui por alguns...

 

@tylapia...Falar de cabeça nem sempre resulta bem, e desta foi uma delas. Se tens videiras devias saber, e dizer desde o inicio, que a videira vai sempre lixiviar taninos na água, dada a sua estructura, vai haver sempre lixiviação de taninos para a água, o que significa águas tanicas aka Agua Cor de Chá, e olha que não é pouco tempo, mesmo fervidas as videiras ao fim de 2 anos ainda lixiviam taninos na água (tenho mesmo aqui um com 3 anos que na altura tive a triste ideia de ferver, e ainda hoje lixivia para a coluna de água)... Por isso para quem não gosta de águas tanicas, bem, videiras talvez não seja para vocês...

 

@ Joãoreis00 Os bolores são coisas normais quando metemos qualquer madeira que seja num aquario. Podem parecer potencialmente prejudiciais para o tronco/fauna, mas nada temas. É na realidade benéfico.

Esse bolor é um oportunista que te começa a limpar o tronco de matéria morta e em especial os açucares na madeira (e acredita que a madeira mesmo parecendo que não, tem muito açucar, especialmente a videira, daí que a videira seja tão boa a libertar taninos), por um lado há um risco de te deteriorar a madeira, mas por outro lado o que acontece é que há a criação de um biofilme uma camada "geleia", na realidade é uma matriz extracelular segregada por bacterias, que ajuda a reduzir o ritmo de degradação da madeira debaixo de água. Por outro lado esse bolor/fungo/biofilme é uma excelente fonte de alimentação para caracois/peixes(nomeadamente locarideos)/invertebrados como os camarões. Experimenta meter uns caracois no tanque na fase em que a madeira "funga" e verás que desaparece em poucos dias.

Depois retirar uma videira que esteve submersa por muito tempo subitamente vai correr por vezes mal, havendo uma rapida degradação da mesma aquando da sua secagem. Isso é um fenomeno conhecido que acontece com toda a madeira que este submersa por longos periodos, especialmente visivel em madeira de naufragios... Podes retirar a videira de dentro de água, mas tenta que seja um processo gradual, já me aconteceu o que te aconteceu, mas por experiencia pode ser minimizado por um processo gradual deixando o tronco num recipiente e deixar a água desse recipiente evaporar gradualmente. Comigo tem resultado, embora por vezes aconteça que realmente os troncos rachem, mas nada de maior...

 

@jNuNeS-_-

A questão do waterlogging na videira é uma boa questão...Podes mergulhar a videira durante semanas e mesmo assim ela vai boiar...Acredita já passei pelo mesmo. Em minha experiencia a videira só irá ficar realmente waterlogged ao fim de uns 2 a 3 meses, mesmo ao fim desse tempo e pela sua densidade, vai infelizmente, ter uma enorme propensão para boiar...Resolve-se com facilidade, umas abraçadeiras, uns pesos e um uso inteligente do substracto ajudam a resolver o problema... Pessoalmente quando arranjo troncos novos, o que faço é agarrar um black&decker furar em pontos estratégicos, e uso abraçadeiras para prender os troncos a pedras/sacos ou meias de areão e prender bem a coisa, e depois tapar tudo com uma boa camada de areão. Ao fim de uns bons meses submersas esse problema é reduzido substancialmente, podendo usar em montagens posteriores de forma muito mais liberal. É claro que alguns troncos continuam a dar-me que pensar a cada montagem, mesmo ao fim de anos. Tenho aqui um tronco de 30 cm de comprimento, com umas rachas e entalhes lindos, quase totalmente direita, que ao fim de 2anos e meio continua a ser dificil de fixar, e que ateima sempre em querer boiar.

 

Para finalizar....

MUITO IMPORTANTE.

Pelas suas caracteristicas morfológicas, aquando do uso de troncos de videira, a introdução dos tão esteticos musgos deve ser muito bem pensada, especialmente no caso do Taxyphillum barbieri, vulgo musgo de java. Este aviso não se prende tanto com a videira, mas com o proprio musgo. Este musgo tem aquele habito irritante de se enfiar nos buracos mais pequenos e de mais dificil limpeza, sendo mesmo capaz de voltar do mundo dos mortos mesmo após estar seco durante meses e mesmo até anos. Digo isto a falar de experiencia.

Desmontei um tanque de 96 litros há umas semanas, e tive a ideia de ir buscar umas videiras já preparadas que tinha na garagem, uma das videiras tinha tido musgo de java, estava seco, lá fui limpando. E estupidamente, ao fim de 1ano e meio...Surprise surprise, tenho agora musgo de java a propagar-se pela videira novamente. A contaminação de outras plantas/vasos/elementos é impossivel pois ainda não plantei o tanque.

 

Outro tanque que tem aquele habito irritante de voltar dos mortos é o Fissidens fontanus, que também depois de bem seco, consegue voltar dos mortos. Mas no caso do Fissidens fontanus já não fiquei nada chateado XD

 

Nunca te esqueças, o musgo de java é como a herpes...É para a vida XD

 

Peço desculpa pelo meu post longo, mas espero ter ajudado alguém que precise.

O que vos postei é baseado na minha experiencia e do que tenho lido ao longo dos anos acerca das mais variadas areas...

 

Se quiserem um guia que escrevi há uns meses ou uns anos acerca das videiras posso ir fazer um search. Lembro-me de ter feito um post semelhante e explicito acerca de como escolho, em que altura as escolho e quando trato as minhas videiras, há uns tempos largos aqui no forum...

Edited by gervas
  • Upvote 6
Link to comment
Share on other sites

Ora bem...Deixa cá ver se te consigo desfazer esses mitos e desinformação que porventura vá nessa cabeça.

 

Mito 1- Troncos de videira libertam nitratos na água...

Nada temas, embora seja um medo legitimo, é algo minimizado por uma limpeza criteriosa do tronco... O tronco per se não te vai libertar nitratos na água, quando muito liberta taninos, muitos taninos, é na realidade uma das melhores madeiras que tens se quiseres criar um aquário com águas tanicas. O que por vezes acontece é uma deficiente limpeza dos troncos fazendo com que quando são metidos no tanque estejam contaminados com sujidade e terra...Isso sim vai te libertar nitratos, e por vezes mesmo pesticidas no tanque... Mas como disse, uma limpeza criteriosa vai resolver-te esse problema.

 

Mito 2- Os troncos de videira apodrecem ao fim de pouco tempo...

Ledo engano. Este é o cavalo de batalha dos meninos que gostam de detractar o uso de videiras em favor do uso de manzanita, red moor, mopani e tantas outras (TODAS elas caras e compradas leia-se de passagem...) Na realidade, se a videira estiver seca, não estiver já em putrefacção, e se for preparada convenientemente, não só não irá apodrecer em pouco tempo, como o ritmo de putrefacção da videira é dramaticamente reduzido ou mesmo impedido. Não vou dizer que não exista alguma deterioração dos troncos de videira submersos, porque acontece sempre (bolas acontece com qualquer madeira, mesmo a de compra), mas não é no espaço de semanas como alguns gostariam de pintar. Outra coisa a ter em atenção é a fauna que metes em tanques de videiras...Locarideos e troncos de videira, não costuma resultar bem, os locarideos teêm aquele hábito irritante de te ir comendo as videiras ao raspar pedaços de madeira dia após dia, é algo visivel com muita rapidez em tanques com ancistrus, plecostomus e outros seus semelhantes. No entanto já mantive ottocinclus em tanques com videira, e embora exista algum desgaste é minimo e restricto ás partes menos robustas dos troncos. Quanto á durabilidade sou testemunha, tenho videiras em tanques á bem mais que uns 7 anos, e ainda tenho aqui várias videiras de quando experimentei as primeiras, e continuam integras.

 

Mito 3 - Tens que ferver/cozer no forno as videiras...

 

Errado, embora seja algo que para alguns usos seja aconselhavel, não é inteiramente necessária.

Pessoalmente fujo desse método, visto que as videiras preparadas dessa forma teêm tendencia a realmente apodrecer. Prefiro fazer um tratamento de sal+lixivia. O que faço é manter as videiras submersas durante SEMANAS em soluções de SAL que vou alternando com lixivia. Troco a água a cada 5 a 6 dias, sempre que ela fica castanha/cor de Chá. O Objectivo deste metodo é matar a videira/preserva-la, e ao mesmo tempo manter o máximo de taninos na videira. A Fervura irá provocar uma libertação demasiado rápida dos taninos ao mesmo tempo que quebra a parede celular das celulas na madeira, o que liberta açucares...Resultado, mais taninos (googlem o que são taninos e de onde eles vêm para entender a relação açucares na madeira-Taninos), que actuam como um antibiótico tão importante nos nossos aquários ajudando a prevenir doenças na fauna e a ajudar a combater alguns tipos de algas ao mesmo tempo. No entanto compreendo que isto não é para todos os aquariofilos nacionais, visto que ainda existe muito aquele estigma da água cor de chá... Há quem diga que é uma questão de gosto, eu prefiro pensar que é mais uma questão de inteligencia e de vontade que o habitat dos nossos animais seja o mais proximo possivel do original (isto para mim que prefiro fauna que habita rios de água tanica...)

 

Agora quanto ao que foi dito aqui por alguns...

 

@tylapia...Mentir não é bonito, e falar de cabeça ainda menos. Se tens videiras devias saber, e dizer desde o inicio, que a videira vai sempre lixiviar taninos na água, dada a sua estructura, vai haver sempre lixiviação de taninos para a água, o que significa águas tanicas aka Agua Cor de Chá, e olha que não é pouco tempo, mesmo fervidas as videiras ao fim de 2 anos ainda lixiviam taninos na água (tenho mesmo aqui um com 3 anos que na altura tive a triste ideia de ferver, e ainda hoje lixivia para a coluna de água)... Por isso para quem não gosta de águas tanicas, bem, videiras talvez não seja para vocês...

 

@ Joãoreis00 Os bolores são coisas normais quando metemos qualquer madeira que seja num aquario. Podem parecer potencialmente prejudiciais para o tronco/fauna, mas nada temas. É na realidade benéfico.

Esse bolor é um oportunista que te começa a limpar o tronco de matéria morta e em especial os açucares na madeira (e acredita que a madeira mesmo parecendo que não, tem muito açucar, especialmente a videira, daí que a videira seja tão boa a libertar taninos), por um lado há um risco de te deteriorar a madeira, mas por outro lado o que acontece é que há a criação de um biofilme uma camada "geleia", na realidade é uma matriz extracelular segregada por bacterias, que ajuda a reduzir o ritmo de degradação da madeira debaixo de água. Por outro lado esse bolor/fungo/biofilme é uma excelente fonte de alimentação para caracois/peixes(nomeadamente locarideos)/invertebrados como os camarões. Experimenta meter uns caracois no tanque na fase em que a madeira "funga" e verás que desaparece em poucos dias.

Depois retirar uma videira que esteve submersa por muito tempo subitamente vai correr por vezes mal, havendo uma rapida degradação da mesma aquando da sua secagem. Isso é um fenomeno conhecido que acontece com toda a madeira que este submersa por longos periodos, especialmente visivel em madeira de naufragios... Podes retirar a videira de dentro de água, mas tenta que seja um processo gradual, já me aconteceu o que te aconteceu, mas por experiencia pode ser minimizado por um processo gradual deixando o tronco num recipiente e deixar a água desse recipiente evaporar gradualmente. Comigo tem resultado, embora por vezes aconteça que realmente os troncos rachem, mas nada de maior...

 

@jNuNeS-_-

A questão do waterlogging na videira é uma boa questão...Podes mergulhar a videira durante semanas e mesmo assim ela vai boiar...Acredita já passei pelo mesmo. Em minha experiencia a videira só irá ficar realmente waterlogged ao fim de uns 2 a 3 meses, mesmo ao fim desse tempo e pela sua densidade, vai infelizmente, ter uma enorme propensão para boiar...Resolve-se com facilidade, umas abraçadeiras, uns pesos e um uso inteligente do substracto ajudam a resolver o problema... Pessoalmente quando arranjo troncos novos, o que faço é agarrar um black&decker furar em pontos estratégicos, e uso abraçadeiras para prender os troncos a pedras/sacos ou meias de areão e prender bem a coisa, e depois tapar tudo com uma boa camada de areão. Ao fim de uns bons meses submersas esse problema é reduzido substancialmente, podendo usar em montagens posteriores de forma muito mais liberal. É claro que alguns troncos continuam a dar-me que pensar a cada montagem, mesmo ao fim de anos. Tenho aqui um tronco de 30 cm de comprimento, com umas rachas e entalhes lindos, quase totalmente direita, que ao fim de 2anos e meio continua a ser dificil de fixar, e que ateima sempre em querer boiar.

 

Para finalizar....

MUITO IMPORTANTE.

Pelas suas caracteristicas morfológicas, aquando do uso de troncos de videira, a introdução dos tão esteticos musgos deve ser muito bem pensada, especialmente no caso do Taxyphillum barbieri, vulgo musgo de java. Este aviso não se prende tanto com a videira, mas com o proprio musgo. Este musgo tem aquele habito irritante de se enfiar nos buracos mais pequenos e de mais dificil limpeza, sendo mesmo capaz de voltar do mundo dos mortos mesmo após estar seco durante meses e mesmo até anos. Digo isto a falar de experiencia.

Desmontei um tanque de 96 litros há umas semanas, e tive a ideia de ir buscar umas videiras já preparadas que tinha na garagem, uma das videiras tinha tido musgo de java, estava seco, lá fui limpando. E estupidamente, ao fim de 1ano e meio...Surprise surprise, tenho agora musgo de java a propagar-se pela videira novamente. A contaminação de outras plantas/vasos/elementos é impossivel pois ainda não plantei o tanque.

 

Outro tanque que tem aquele habito irritante de voltar dos mortos é o Fissidens fontanus, que também depois de bem seco, consegue voltar dos mortos. Mas no caso do Fissidens fontanus já não fiquei nada chateado XD

 

Nunca te esqueças, o musgo de java é como a herpes...É para a vida XD

 

Peço desculpa pelo meu post longo, mas espero ter ajudado alguém que precise.

O que vos postei é baseado na minha experiencia e do que tenho lido ao longo dos anos acerca das mais variadas areas...

 

Se quiserem um guia que escrevi há uns meses ou uns anos acerca das videiras posso ir fazer um search. Lembro-me de ter feito um post semelhante e explicito acerca de como escolho, em que altura as escolho e quando trato as minhas videiras, há uns tempos largos aqui no forum...

Era dum post destes que a malta precisava.

Obrigado pelo contributo.

  • Upvote 1
Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Vi numa das respostas acima alguém que recolhe troncos em rios ... Isso é eficaz ...??

Para mim era bem mais simples do que tentar arranjar um tronco ( tipo videira )

Esperar ai um ano que ele seque e depois ferver e mergulhar em agua ...

Se retirar um do rio ou riacho que procedimentos seguir ??

Link to comment
Share on other sites

  • 2 years later...

Mas que grandes dicas aqui vão! Obrigado por isso.

 

Estou por aqui pois pretendo colocar no meu aquário uns troncos grandes de videira que não estão secos, muito pelo contrário.

 

O problema é que não há como por a secar ao sol :( daí a dúvida a quem puder ajudar...

 

O que pretendo fazer: tirar a casca (feito), colocar um mês submersa num riacho, passar para um mês em banho de sal e posteriormente em agua limpa. Prender a base nuns xistos com bracadeiras plásticas para evitar futuras flutuações..

 

Posso colocar directamente assim mesmo a "banhos" no riacho? Ou é necessário a secagem antecipada?

Edited by JCarneiro
Link to comment
Share on other sites

Gervas,

 

Obrigado pelo post, pois para além do conhecimento demonstrado, está uma excelente boa vontade em ajudar, bem haja.

 

 

Cumprimentos,

Luís Rodrigues

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Mas que grandes dicas aqui vão! Obrigado por isso.

 

Estou por aqui pois pretendo colocar no meu aquário uns troncos grandes de videira que não estão secos, muito pelo contrário.

 

O problema é que não há como por a secar ao sol :( daí a dúvida a quem puder ajudar...

 

O que pretendo fazer: tirar a casca (feito), colocar um mês submersa num riacho, passar para um mês em banho de sal e posteriormente em agua limpa. Prender a base nuns xistos com bracadeiras plásticas para evitar futuras flutuações..

 

Posso colocar directamente assim mesmo a "banhos" no riacho? Ou é necessário a secagem antecipada?

 

Nisso da secagem não sei como te posso ajudar a menos que pretendas esperar até ao verão bang ou numa zona sêca da tua casa colocas por cima da lareira enquanto acesa. No forno não sei se é possível ou se até incendeia.

 

Submergi-lo num riacho, ou lago, ou rio, etc... não aconselho, de todo, pois vai acumular parasitas, algas filamentosas e até químicos sabe-se la do saneamento ou de fábricas. Podes é colocá-lo naqueles bidões azuis cheios de água ou em bacias, ou panelões, e trocas de duas em duas semanas as águas e até podes acrescentar uns caracóis la para o meio para facilitar.

 

Nota: se os troncos forem grandes podes serra-los em partes até caber onde queres e depois colas-os com silicone para aquarios :) :) :)

Edited by R.F.S.F.
Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Boas

Vou deixar o meu contributo pois tenho um tronco de videira no aquario a mais de um ano.

Recolhi o troco ainda verde, foi 2 meses para um rio ao lado de casa sempre submerso, lavei-o a maquina de pressão para retirar a casca(muito eficaz) depois passeio por agua limpa da torneira durante uma semana e foi direto para o aquario. Nao tive agua castanha nao tive algas nao tive qualquer problema. Atenção que o rio onde o deixarem têm de ter a certeza que nao fazem descarga de quimicos.

 

Cumprimentos

 

Enviado do meu UMI ZERO através de Tapatalk

Link to comment
Share on other sites

  • 1 month later...

Muito obrigado pela informação.

De qualquer modo vou aproveitar a época da secagem dos salpicões e alheiras para por um pouco a secar, depois vai a banhos :smile2:

 

Cuidado... ainda comem o tronco a pensar que é um enchido!!! :sorry:

 

Agora a sério... o fumo? Terás que ter atenção a isso...

Acho que o fumo não será benéfico para o aquário.

Link to comment
Share on other sites

  • 3 weeks later...

Uma ajuda...

Ontem fui ver os troncos que tenho em molho num tanque na quinta com água em grande circulação, e acontece que estavam com bastantes manchas.

Já li que existe a possibilidade de aparecimento de manchas bancas no inicio, e que até são boa comida para alguns peixes, mas estas são manchas cor-de-rosa com cerca de 1cm ou mais, e não faço a minima do que isto seja.

Os troncos foram cortados, limpos das cascas, secos, e colocados submersos.

Não queria deitar isto fora, pois gosto deles... Que raio se passa? Que fazer?

Link to comment
Share on other sites

Uma ajuda...

Ontem fui ver os troncos que tenho em molho num tanque na quinta com água em grande circulação, e acontece que estavam com bastantes manchas.

Já li que existe a possibilidade de aparecimento de manchas bancas no inicio, e que até são boa comida para alguns peixes, mas estas são manchas cor-de-rosa com cerca de 1cm ou mais, e não faço a minima do que isto seja.

Os troncos foram cortados, limpos das cascas, secos, e colocados submersos.

Não queria deitar isto fora, pois gosto deles... Que raio se passa? Que fazer?

 

As manchas brancas aparecem quando estão fora de agua mas bem encharcados, costumam ser fungos, minis cogumelos.

Mas para alem de se ter que tirar a casca do troco tem-se também que retirar, com a ajuda de uma mangueira de pressão e ou uma escova, a terra e partes da madeira que estão "podres" costuma ser uma camada de 1mm a 2mm de baixo da casca. Mas claro que acontece que as madeiras não são todas iguais.

Consegues enviar fotos?

Link to comment
Share on other sites

Obrigado pela resposta.

No fim de semana já devo retirar do banho para preparar para colocar no aquario.

Partes podres penso já ter limpo tudo, a casca retirei bastante, se é que não tirei toda.

Depois coloco aqui foto.

Link to comment
Share on other sites

Bem acho que já fiquei esclarecido sobre o que é aquilo...

Chamam aquilo de lagrima da videira, por outras palavras é a seiva.

Tirei uma foto das manchas

 

2ljmdcg.jpg

 

Pode-se ver manchas laranja/rosa que é a tal seiva, com mistura de lodo e as tais manchas/veludo já conhecido dos troncos recem mergulhados

 

Pensava que já tinha tirado a casta toda, e não é que depois de banhos percebi que ainda tinha mais para tirar.

Penso que seria melhor ter colocado logo de molho sem descascar e aproveitar depois de ensopada que sairia melhor a casca era só puxar aos bocados.

 

Aqui um troco já descascado (esquerda) e outro meio descascado (direita), e ambos já sem flutuação.

 

smybrm.jpg

Edited by JCarneiro
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Quando o fores tirar da agua tenta lava-lo a maquina da pressão, sai tudo que é um mimo hehehehehe

Depois se poderes mete fotos dele lavadinho lol

 

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

  • 5 years later...
On 21/11/2012 at 21:48, gervas disse:

Ora bem...Deixa cá ver se te consigo desfazer esses mitos e desinformação que porventura vá nessa cabeça.

 

Mito 1- Troncos de videira libertam nitratos na água...

Nada temas, embora seja um medo legitimo, é algo minimizado por uma limpeza criteriosa do tronco... O tronco per se não te vai libertar nitratos na água, quando muito liberta taninos, muitos taninos, é na realidade uma das melhores madeiras que tens se quiseres criar um aquário com águas tanicas. O que por vezes acontece é uma deficiente limpeza dos troncos fazendo com que quando são metidos no tanque estejam contaminados com sujidade e terra...Isso sim vai te libertar nitratos, e por vezes mesmo pesticidas no tanque... Mas como disse, uma limpeza criteriosa vai resolver-te esse problema.

 

Mito 2- Os troncos de videira apodrecem ao fim de pouco tempo...

Ledo engano. Este é o cavalo de batalha dos meninos que gostam de detractar o uso de videiras em favor do uso de manzanita, red moor, mopani e tantas outras (TODAS elas caras e compradas leia-se de passagem...) Na realidade, se a videira estiver seca, não estiver já em putrefacção, e se for preparada convenientemente, não só não irá apodrecer em pouco tempo, como o ritmo de putrefacção da videira é dramaticamente reduzido ou mesmo impedido. Não vou dizer que não exista alguma deterioração dos troncos de videira submersos, porque acontece sempre (bolas acontece com qualquer madeira, mesmo a de compra), mas não é no espaço de semanas como alguns gostariam de pintar. Outra coisa a ter em atenção é a fauna que metes em tanques de videiras...Locarideos e troncos de videira, não costuma resultar bem, os locarideos teêm aquele hábito irritante de te ir comendo as videiras ao raspar pedaços de madeira dia após dia, é algo visivel com muita rapidez em tanques com ancistrus, plecostomus e outros seus semelhantes. No entanto já mantive ottocinclus em tanques com videira, e embora exista algum desgaste é minimo e restricto ás partes menos robustas dos troncos. Quanto á durabilidade sou testemunha, tenho videiras em tanques á bem mais que uns 7 anos, e ainda tenho aqui várias videiras de quando experimentei as primeiras, e continuam integras.

 

Mito 3 - Tens que ferver/cozer no forno as videiras...

 

Errado, embora seja algo que para alguns usos seja aconselhavel, não é inteiramente necessária.

Pessoalmente fujo desse método, visto que as videiras preparadas dessa forma teêm tendencia a realmente apodrecer. Prefiro fazer um tratamento de sal+lixivia. O que faço é manter as videiras submersas durante SEMANAS em soluções de SAL que vou alternando com lixivia. Troco a água a cada 5 a 6 dias, sempre que ela fica castanha/cor de Chá. O Objectivo deste metodo é matar a videira/preserva-la, e ao mesmo tempo manter o máximo de taninos na videira. A Fervura irá provocar uma libertação demasiado rápida dos taninos ao mesmo tempo que quebra a parede celular das celulas na madeira, o que liberta açucares...Resultado, mais taninos (googlem o que são taninos e de onde eles vêm para entender a relação açucares na madeira-Taninos), que actuam como um antibiótico tão importante nos nossos aquários ajudando a prevenir doenças na fauna e a ajudar a combater alguns tipos de algas ao mesmo tempo. No entanto compreendo que isto não é para todos os aquariofilos nacionais, visto que ainda existe muito aquele estigma da água cor de chá... Há quem diga que é uma questão de gosto, eu prefiro pensar que é mais uma questão de inteligencia e de vontade que o habitat dos nossos animais seja o mais proximo possivel do original (isto para mim que prefiro fauna que habita rios de água tanica...)

 

Agora quanto ao que foi dito aqui por alguns...

 

@tylapia...Falar de cabeça nem sempre resulta bem, e desta foi uma delas. Se tens videiras devias saber, e dizer desde o inicio, que a videira vai sempre lixiviar taninos na água, dada a sua estructura, vai haver sempre lixiviação de taninos para a água, o que significa águas tanicas aka Agua Cor de Chá, e olha que não é pouco tempo, mesmo fervidas as videiras ao fim de 2 anos ainda lixiviam taninos na água (tenho mesmo aqui um com 3 anos que na altura tive a triste ideia de ferver, e ainda hoje lixivia para a coluna de água)... Por isso para quem não gosta de águas tanicas, bem, videiras talvez não seja para vocês...

 

@ Joãoreis00 Os bolores são coisas normais quando metemos qualquer madeira que seja num aquario. Podem parecer potencialmente prejudiciais para o tronco/fauna, mas nada temas. É na realidade benéfico.

Esse bolor é um oportunista que te começa a limpar o tronco de matéria morta e em especial os açucares na madeira (e acredita que a madeira mesmo parecendo que não, tem muito açucar, especialmente a videira, daí que a videira seja tão boa a libertar taninos), por um lado há um risco de te deteriorar a madeira, mas por outro lado o que acontece é que há a criação de um biofilme uma camada "geleia", na realidade é uma matriz extracelular segregada por bacterias, que ajuda a reduzir o ritmo de degradação da madeira debaixo de água. Por outro lado esse bolor/fungo/biofilme é uma excelente fonte de alimentação para caracois/peixes(nomeadamente locarideos)/invertebrados como os camarões. Experimenta meter uns caracois no tanque na fase em que a madeira "funga" e verás que desaparece em poucos dias.

Depois retirar uma videira que esteve submersa por muito tempo subitamente vai correr por vezes mal, havendo uma rapida degradação da mesma aquando da sua secagem. Isso é um fenomeno conhecido que acontece com toda a madeira que este submersa por longos periodos, especialmente visivel em madeira de naufragios... Podes retirar a videira de dentro de água, mas tenta que seja um processo gradual, já me aconteceu o que te aconteceu, mas por experiencia pode ser minimizado por um processo gradual deixando o tronco num recipiente e deixar a água desse recipiente evaporar gradualmente. Comigo tem resultado, embora por vezes aconteça que realmente os troncos rachem, mas nada de maior...

 

@jNuNeS-_-

A questão do waterlogging na videira é uma boa questão...Podes mergulhar a videira durante semanas e mesmo assim ela vai boiar...Acredita já passei pelo mesmo. Em minha experiencia a videira só irá ficar realmente waterlogged ao fim de uns 2 a 3 meses, mesmo ao fim desse tempo e pela sua densidade, vai infelizmente, ter uma enorme propensão para boiar...Resolve-se com facilidade, umas abraçadeiras, uns pesos e um uso inteligente do substracto ajudam a resolver o problema... Pessoalmente quando arranjo troncos novos, o que faço é agarrar um black&decker furar em pontos estratégicos, e uso abraçadeiras para prender os troncos a pedras/sacos ou meias de areão e prender bem a coisa, e depois tapar tudo com uma boa camada de areão. Ao fim de uns bons meses submersas esse problema é reduzido substancialmente, podendo usar em montagens posteriores de forma muito mais liberal. É claro que alguns troncos continuam a dar-me que pensar a cada montagem, mesmo ao fim de anos. Tenho aqui um tronco de 30 cm de comprimento, com umas rachas e entalhes lindos, quase totalmente direita, que ao fim de 2anos e meio continua a ser dificil de fixar, e que ateima sempre em querer boiar.

 

Para finalizar....

MUITO IMPORTANTE.

Pelas suas caracteristicas morfológicas, aquando do uso de troncos de videira, a introdução dos tão esteticos musgos deve ser muito bem pensada, especialmente no caso do Taxyphillum barbieri, vulgo musgo de java. Este aviso não se prende tanto com a videira, mas com o proprio musgo. Este musgo tem aquele habito irritante de se enfiar nos buracos mais pequenos e de mais dificil limpeza, sendo mesmo capaz de voltar do mundo dos mortos mesmo após estar seco durante meses e mesmo até anos. Digo isto a falar de experiencia.

Desmontei um tanque de 96 litros há umas semanas, e tive a ideia de ir buscar umas videiras já preparadas que tinha na garagem, uma das videiras tinha tido musgo de java, estava seco, lá fui limpando. E estupidamente, ao fim de 1ano e meio...Surprise surprise, tenho agora musgo de java a propagar-se pela videira novamente. A contaminação de outras plantas/vasos/elementos é impossivel pois ainda não plantei o tanque.

 

Outro tanque que tem aquele habito irritante de voltar dos mortos é o Fissidens fontanus, que também depois de bem seco, consegue voltar dos mortos. Mas no caso do Fissidens fontanus já não fiquei nada chateado XD

 

Nunca te esqueças, o musgo de java é como a herpes...É para a vida XD

 

Peço desculpa pelo meu post longo, mas espero ter ajudado alguém que precise.

O que vos postei é baseado na minha experiencia e do que tenho lido ao longo dos anos acerca das mais variadas areas...

 

Se quiserem um guia que escrevi há uns meses ou uns anos acerca das videiras posso ir fazer um search. Lembro-me de ter feito um post semelhante e explicito acerca de como escolho, em que altura as escolho e quando trato as minhas videiras, há uns tempos largos aqui no forum...

Boa noite! 

Ando a tratar um tronco de videira há mais ou menos um mês. Este tronco já deveria estar bem seco pois já foi cortado há mais de um ano e estava num local seco e ao abrigo da chuva.

Para o fazer fui seguindo alguns passos: limpei o tronco, deitei-lhe água a ferver, ficou imerso uma semana em água com sal e mais tarde imerso em água limpa até submergir. 
Até aqui tudo decorreu sem problemas, no entanto todo este processo já dura há mais de um mês e continuo a deparar me com a água tingida tipo chá.

Existe algum tratamento para isto deixar de acontecer? Ou é uma questão de tempo até deixar de tingir a água?

Já percebi que o facto de tingir a água não seria prejudicial para a minha fauna, mas honestamente não queria que isso acontecesse. Ainda fica muito castanha após dois ou três dias a cada muda de água.

É que também sou da opinião que um tronco tratado por nós tem outro “sabor”. 

Abraço 

Link to comment
Share on other sites