SALADAdeFRUTA

.Membro Ausente
  • Content Count

    119
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

14 :)

2 Followers

About SALADAdeFRUTA

  • Rank
    Membro Júnior
  • Birthday 07/09/1993

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Concelho
    Lisboa (Lisboa)
  • Localização
    Lisboa

Recent Profile Visitors

1,111 profile views
  1. Viva, armou-se um bico de obra porque o filtro do meu aquário, um JBL e701 cuja idade rondará os 4 anos manda a luz abaixo cada vez que o ligo à corrente eléctrica. Já é o segundo JBL que tenho e nunca tive um problema destes. Supondo que a garantia já foi ultrapassada, não sei o que fazer para resolver o problema e não ter de arranjar um novo. Provavelmente haverá alguma coisa que possa fazer para resolver isto. Alguém teve experiências semelhantes? I filtro tem estado a correr desde que o comprei há quatro anos sem qualquer problema.
  2. Preciso de duas pll 55W, e gostaria de saber de lojas em Lisboa. Obrigado
  3. Acabei por ligar para uma certa loja, e perguntei se tinham um suplemento de cálcio para água doce. O chefe esteve a falar comigo: disse-me que não tinham nada disso, que só tinham cálcio para aquário salgado, questionou o meu uso de sais secos depois de eu dizer que já os uso com sucesso há anos e sugeriu-me a gama seachem para macros porque o cálcio é um macro. Pronto năo tinham nada. 5 minutos de pesquisa e fui à loja desembolsar 15 euros no seachem equilibrium que para além de conter cálcio, fornece magnésio em proporção e potássio. Às vezes as pessoas nem se ajudam a elas próprias haha. Já agora, se têm deficiências de cálcio ou magnésio ou querem subir o gh seachem equilibrium é uma maravilha. Ah e obrigado pela sugestão luiji
  4. Viva Estou com um problema sério porque tenho plantas com sintomas graves de deficiência de cálcio e as farmácias já não têm fornecimento de qualquer tipo de cálcio desde carbonato de cálcio a cloreto de cálcio e bicarbonato de cálcio. Alguém conhece algum fertilizante com cálcio? Obrigado
  5. Esse exemplo matemático foi muita giro, não tinha pensado nisso. São dois métodos, e são os dois bons enquanto funcionarem O derretimento parece ter parado e sobram quatros tufos mais umas folhinhas, mas nunca se sabe (estou a falar da utricularia), um dia destes posto novas fotos (quando tiver a máquina outra vez). Hoje vai no 15º dia.
  6. E é chato porque não posso adicionar amanos nem os red fire que queria meter lá para dentro... Comedores de algas nem vê-los, ou então adeus utricularia
  7. Viva Paulo, Esta já é a minha segunda tentativa com a utricularis, já tinha tentado há um ano mais coisa menos coisa. Eu já li e vasculhei todos os tópicos de quem teve com sucesso esta planta (bastante raros), já vi todas as opiniões, muitas contraditórias, que existem disponíveis na web. Já sei todos os detalhes, conselhos, iluminações, fertilizações, durezas, adaptações imersa/emersa e vice-versa, CO2, substratos. Sei que é uma planta extremamente frágil durante o período de adaptação e a uma série de coisas. Na verdade, é consenso geral que a graminifolia não gosta de muita luz nos primeiros tempos (e que até cresce bem com pouca luz), que se deve manter um nível estável e elevado de CO2, especialmente no princípio, e que pode demorar bastante tempo a arrancar (se não derreter toda entretanto). Como as águas de onde vem são bastante macias, presume-se que goste disso, e quanto aos nutrientes, há pouca informação mas há quem diga que nitratos e CO2 em baixo podem dar asneira. As calhas LED que tenho têm 6500 K, e o aquário oscila entre os 24 e os 25ºC que é a temperatura ambiente. A estória do CO2 é discutível. Depois de muito ler pela web fora e de muita experiência com o CO2, sou apologista de manter níveis elevados de C02, da ordem dos 30 ppm. É essencial para manter as algas em linha e para eliminar qualquer dúvida de que o CO2 possa estar a agir como factor limitante. É o mesmo com a fertilização. Admito que inicialmente estava relutante em fertilizar, e seguindo uma mistura de conselhos da Tropica e o plano de fertilização da ADA (tendo em conta os componentes dos diferentes produtos e a sua utilização), só fertilizei com potássio e micros durante a primeira semana. Era para continuar assim, mas algumas plantas estavam a mostrar sinais de deficiências, especialmente alguma amarelice. Então arranjei magnésio e aumentei os micros. Mas isto levou-me a duvidar se não seria talvez pela nulidade de nitratos na água. Não estava a planear fertilizar com nitratos e fosfatos até às 3-4 semanas, para evitar algas e porque supostamente as plantas não têm necessidade, mas o resultado estava a ficar à vista. E depois de alguma pesquisa e ponderação comecei a fertilizar EI por excesso. Eu já usava este método antes, aliado a elevados níveis de CO2, e sempre tive um crescimento luxuriante, mas estava relutante de o usar num aquário novo. É verdade que em termos lógicos mudar mais de metade da água deixa sempre alguns dos nutrientes que já lá estavam, mas a verdade é que por experiência própria e depois de ler muitos artigos por senhores que tiveram sucesso com EI e níveis elevados de C02 como o Tom Barr, sei que as plantas ficam maravilhosas e algas quase nem vê-las. Pode muito bem ser que esteja a danificar as plantas, mas nada o indica porque das 10 espécies que tenho, 8 estão em crescimento rápido (duas das quais são da secção difícil Tropica e as outras são todas médias), a utricularia é o que é e a pinnafitida ficou em choque com a mudança e por eu a ter partido em muitos bocados (suspeito, mas ainda assim parece estar a rebentar). Agora no princípio é assim que vou fazer com um número maior de TPA's, depois logo se vê. Já vou em uma semana disto e não há algas para além das normais diatomácias e alguns filamentos verde-pálido. Voltando à utricularia, ela teve um comportamento muito estranho na maneira como foi derretendo, é literal quando digo que se está a derreter gradualmente da direita para a esquerda como se alguém estivesse a passar uma linha lentamente. Quanto à cor está um pouco esbranquiçada, e os tufos mais à esquerda estão bem sem sinais de derretimento, provavelmente prestes a rebentar, mas quem sabe. Dos mais de 10 tufos que já derreteram, não ouve um único que não começasse da direita para a esquerda. Quando começam, geralmente o derretimento é exponencial à noite, mas também pode ser porque está muito mais tempo com as luzes apagadas do que acesas. Ah, e uma última coisa: a Tropica cultiva a utricularia de modo emerso. Na verdade estará mesmo aí o principal problema, dado que a planta tem muita dificuldade em adaptar-se ao meio imerso, mas facilmente passa de dentro de água para fora.
  8. Sim eu sei, estava só com ideias, primeiro vâo uns meses a crescer. Jasus, a utricularia já derreteu metade. É super estranho porque apesar de terem sido plantadas sem relação ao conjunto original e com intervalos de centímetros, o derretimnto foi gradual de um lado para o outro e assim continua. Embora os bocados que sobram de um dos lados e algumas folhas no outro estejam consideravelmente mais altos e tenham desenvolvido as armadilhasitas. O raio da planta é practicamente impossível de adaptar ao meio imerso, e a Tropica sabe disso. No entanto nunca fariam venda imersa porque não rende. Eu estou para ver se os bocados que sobram se espalham, duas semanas depois já é tempo que chegue para arrancar. Com esta planta emersa para imersa é uma autêntica roleta russa, uma perda de tempo e dinheiro bem possível. Tenho o CO2 acima dos 30 ppm, nitratos não se percebe bem a cor mas está entre os 10 e os 20, fosfatos nos 2 ppm, potássio ao monte, e doseio micros EI também. Magnésio cheguei a dosear porque vi alguma amarelo e na bonsai e na tripartita mas parei para não endurecer a água, que a utricularia é uma maria. Todas as plantas a crescer solidamente excepto a utricularia e a pinnafitida, mas essa teve muita folha a morrer, e ao que parece é mesmo assim e vai rebentando devagarinho depois do choque. Para não variar também devia vir emersa.
  9. Comecei ontem com fertilização EI à la bruta, e subi o CO2, que quero manter acima dos 30 ppm. O único nutriente que não é adicionado é cálcio, e apesar da água aqui em Lisboa não ser dura, espero que não faça diferença. Agoro olho para o aquário e ponho-me a pensar se não haverá espaço a menos para as plantas e hardscape a mais, eu que gosto tanto de selva. Está-se aqui a geminar a ideia de tirar as duas madeiras da frente do lado esquerdo, aquela com um pico alto esquisito com musgo e a pequenita que está apoiada nela, mesmo no extremo esquerdo. Assim a parte da frente do lado esquerdo do aquário ficaria só com rocha e plantas, e aquele pico de madeira desapareceria. Vou considerar irsto fortemente. Se fizer isto acrescento mais uma espécie de planta. Quanto às plantas, a pinnafitida está em sofrimento, e a utricularia já derreteu metade. Ambas suponho serem emersas, o que é uma bela treta e só dá trabalho, obrigado à Tropica. Espero que se aguentem firme. Quando a pinnafitida crescer vou plantar alguma no extremo direito do aquário à frente da myriophilum tuberculatum. Essa está agora a rebentar, e ainda vai precisar de muita replantagem. O que acham de tirar as madeiras? Têm alguma sugestão para um planta que fique à frente da pogostemon erectus do lado esquerdo no caso de a madeira sair?
  10. SALADAdeFRUTA

    "Dia-D"

    Está muita fino. Na foto parece amarelada a luz, e em conjunto com o areão é muita amarelice. Estou ansioso por ver esse tapete de utricularia. Digam o que disserem ainda acho de longe o tapete mais bonito e mais raro. Também acho estranho essa das caridinas andarem a ratar folhas boas. Ainda por cima estou com alguma utricularia a derreter... Só vou metê-los (os camarões) quando ela parecer uma erva daninha a infestar o aquário, por agora é mais uma flor de estufa. Eh pá só agora é que vi essa nuvem a sair do difusor, que bruxaria é essa, realmente é outro nível
  11. Actualização dia 5 (texto) As madeiras têm alguma daquela matéria branca, que suponho serem colónias gigantes de bactérias que estão a comer o que conseguem da superfície da madeira. Sei que aquilo desaparece passadas duas a quatro semanas, portanto nem me dou ao trabalho de limpar. As plantas Aquaeden da Tropica trouxeram alguns caracóis. Há uns dias já tinha visto caganitas espalhadas pelo aquário, e agora vejo-os pequenitos por ali. Enfim, já tive planorbis e estes são mais ao estilo de lago, pelo que quando mandar vir as caridinas japonica e mais alguns come-algas compro também uma helena. A utricularia sofreu algumas baixas: dos 18 tufos que fiz a partir de dois vasos 1-2 Grow (que são emersos), dois derreteram quase totalmente de ontem para hoje, os outros estão practicamente todos verdes e saudáveis. Não estava à espera de ouvir conselhos sobre a utricularia (na minha opinião é de longe o tapete mais bonito e complicado, não há ninguém a usar em grande escala por aqui que eu saiba), e é sempre bom. Já estava à espera de combate para a fazer arrancar, e vou subir o CO2 então. Algas, há só uns dois ou três emaranhados minúsculos de filamentosas. Quanto à fertilização é sempre um bocado na dúvida. O guia da Tropica para os primeiros 90 dias do Aquário diz para fertilizarmos com potássio e micros a partir das duas ou três semanas e com nitratos e fosfatos a partir de um mês no mínimo. Vejam por vocês mesmos. Por não serem responsáveis no crescimento de algas já fertilizei um bocado com cloreto de potássio e micros. Pode ser impressão minha mas o topo da pogostemon erectus pode estar de um verde esbranquiçado. Provavelmente é impressão minha. Todas as plantas à excepção da utricularia parecem estar a rebentar.
  12. Setup: Aquário Casa do Nemo 65 x 35 x 40 Móvel Vidromoldura Filtro JBL e701 Substrato fértil e inerte Tropica CO2 pressurizado 2kg Aquaristic com válvula magnética e difusor Aquaristic Rocha seyriu e madeira não sei quê da Aquaeden Duas calhas Beamswork v2 60 plant edition LED Termostato Eheim 150W Lily pipes Fertlizantes secos Plantas Tropica Hydrocotyle tripartita Fissidens fontanus Hygrophila pinnatifida Rotala macrandra Utricularia graminifolia Taxiphyllum flame Alternanthera reineckii 'Mini' Pogostemum erectus Myriophyllum tuberculatum Rotala bonsai O musgo que está ali apenas a crescer, dado que é enviado num estado completamente sub-desenvolvido. Depois vai ser espalhado pelos troncos. A pogostemon erectus veio já bem grande e vai ficar diferente com um desbaste para melhorar o cenário. Fotografias do terceiro dia.
  13. Este tópico é temporário, depois faço um como deve ser. A pogostemon erectus chegou mt grande e da um ar esquisito a coisa, e as outras coitadas, nem da para ver como a rotala macrandra e a pinnafitida. Basicamente estão aqui as plantas da seccao dificil tropica quase todas. A cuba já tive e é para meninos, fazer um tapete de utricularia graminifolia arrancar é que é. Assim por alto Aquario casa do nemo 65 35 40 se nao me engano Movel vidromoldura filtro jbl e701 co2 pressurizado c valvula magnetica e difusor aquaristic rocha seiryu e madeira nao sei o que comprada na aquaeden lily pipes 2 calhas beamswork v2 60 hi lumen Fertilizantes secos plantas tropica Hydrocotyle tripartita Fissidens fontanus Hygrophila pinnatifida Rotala macrandra Utricularia graminifolia Taxiphyllum flame Alternanthera reineckii 'Mini' Pogostemum erectus Myriophyllum tuberculatum Rotala bonsai
  14. Viva Quando é que começaste a fertilizar?
  15. Já estou a ver isto tarde. Nas primeiras duas\três semanas não se fertiliza, até as plantas estarem habituadas e estáveis. Só aí é que começam a consumir nutrientes. Deves começar com doses pequenas, e fertilizar sem nitratos e fosfatos. Vais subindo gradualmente e os fosfatos e nitrato só começas a fertilizar no mínimo passadas três\quatro semanas. No primeiro mês também fazes um série grande de tpa's e começas com um fotoperíodo menor que o normal. Basicamente o que tinhas de fazer é parar de fertilizar por mais umas semanas.