Rui Alves

Registo Particular de Lojista
  • Content Count

    47
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

4 :)

3 Followers

About Rui Alves

  • Rank
    Gerente da Loja aquaeden
  • Birthday 05/30/1972

Contact Methods

  • MSN
    ramirezi@netcabo.pt
  • Website URL
    http://
  • ICQ
    0

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Concelho
    Abrantes (Santarém)
  • Localização
    Venda do Pinheiro

Recent Profile Visitors

1,413 profile views
  1. Rui Alves

    Rui Alves

  2. Raramente comento debaixo do meu nome próprio devido à minha posição como lojista e patrocinador do fórum, mas o Fábio acabou de prestar uma informação falsa e que para bem da verdade convém esclarecer. Todos os solos negros usados na aquariofilia são recolhidos no Japão. O que diferencia o substrato Ada de todos os outros substratos é o facto de ser 100% de terra preta ( terra preta natural é muito rara, no Japão só existem 2 locais de recolha e esta é limitada pelo governo). Os outros solos no mercado são feitos ou a base de solo negro derivado da cinza dos vulcões, ou a partir de extratos de terra negra ou transformando terra amarela em terra preta através de processo termico. Associado à terra preta usada no substrato da ada está um conjunto de nutrientes e substâncias naturais que não existe em qualquer outro tipo de solo. Esta informação está ao alcance de qualquer um, basta procurar, e por isso quero acreditar que a informação errónea prestada aqui tem origem no desconhecimento sobre estes dados. Cumprimentos, Rui Alves
  3. Olá a todos, em nome da aquaeden, através da minha pessoa e da Sónia, quero dar os parabéns a todos pelos extraordinários resultados que obtivemos este ano! Ainda falta saber alguns resultados e temos a esperança que ainda venha aí mais boas surpresas. Tivemos a maior participação de sempre e não podemos esquecer que se trata do concurso mais prestigiado de aquascaping no universo da aquariofilia internacional. O que podemos esperar daqui pra frente ? Da nossa parte podem continuar a contar com o nosso esforço e dedicação a esta arte que tanto amamos. Sei que existe um potencial Amano em cada um de vocês e sei que estes resultados tão bons são só prenúncio daquilo que aí vem no próximo ano. Faço aqui um agradecimento especial ao Francisco Matos, ao Pedro Rosa e ao Miguel Reis pelo incansável suporte e por acreditarem sempre! Obrigado a todos, Rui e Sónia.
  4. Excelente trabalho Manuel. Conseguiste um layout extremamente equilibrado que tem muito a ver com a tua boa escolha das plantas. Além disso o tronco está perfeitamente situado e conseguis-te criar zonas de sombra e contraste que contribuiem muito para criar a ilusão de produndidade. As plantas estão saudáveis, mas podes aproveitar e modelar mais, através da poda, a rotala sp. green. Ficará mais bonita e mais brilhante. Os meus parabéns, belo aquário. Rui Alves
  5. Boas, O Filipe Almeida já disse tudo. Tudo depende do balastro e o balastro é para 2 lâmpadas. Não é possivel ligar apenas uma. Cumprimentos, Rui Alves
  6. Boas, A lâmpada de 24w/965 é mais cara porque é uma lâmpada com a restituição cromática (CRI) muito alta, neste caso é igual a 98. Em termos práticos isto significa que esta lâmpada tem uma capacidade muito grande em restituir a verdadeira natureza das cores. Nestas lâmpadas são usados fósforos raros e de alto grau de pureza, e é por esse motivo que a lâmpada é mais cara. Outra coisa muito importante saber é que o aumento da restituição cromática faz-se ás custas do fluxo luminoso, ou seja, as lâmpadas com mais CRI têm menos fluxo luminoso que lâmpadas com menos CRI. Nem sempre as melhores lâmpadas para aquário têm que ter um CRI muito alto. Convém ter sempre um CRI>80 que é uma garantia de boa reprodução de cores, mas a base crucial na escolha das lâmpadas para um aquário plantado reside na diversidade do espectro. Se pudermos juntar CRI alto, espectro completos, boas lâmpadas em termos técnicos e bons balastros a conduzirem as lâmpadas, então é perfeito. Rui Alves
  7. Olá Vasco, o ponto focal deste aquário parece que foi tirado a régua e esquadro. Está tão bem feito que neste momento dá a sensação que o único sitio que existe é esse. Penso que com o passar do tempo e o crescimento natural das plantas essa sensação vai-se diluir e acrescentar algo mais ao aquário. Um aquário destes é sempre uma tarefa dificil e uma equipa de limpeza hábil é totalmente necessária. Boa-sorte Vasco, vou acompanhando e parabéns pelo projecto bem pensado. Cumprimentos, Rui Alves
  8. Olá a todos, Obrigado pelos vossos comentários. Não tenho actualizado o tópico por manifesta falta de tempo. Vou tirar umas fotos este fim de semana e postar aqui. Adicionei algumas rochas que me parece terem dado o toque que faltava. O aquário está óptimo e não teve até agora qualquer problema com algas. Tenho mantido também todos os nutrientes, inclusive luz e Co2 nos limites minímos para não ter muito trabalho nas manutenções, uma vez que agora com a chegada de um novo membro á familia, o tempo encurtou para cuidar dos 4 aquários que mantenho neste momento. Rui Alves
  9. Como previa o aquário ciclou rapidamente. O uso de um filtro com matérias filtrante usadas acelerou o processo. A areia para quem perguntou é sarawak sand da ada. Os primeiros testes a meio da semana indicavam: No2 = 0 Kh = 3.5º Ph = 6.8 Adicionei também a meio da semana a equipa de limpeza: 8 crossocheilus siamensis 8 otocinclus affiinis 40 Caridina Japonica. Quanto á flora parece-me saudável a já com alguns rebentos nas cryptos. Estas aguentaram-se bem e não notei quase nenhum "meltdown". Começei também a fertilizar com H24+ da équo. Hoje adicionei os primeiros 31 Nematobrycon palmeri que vão ser a fauna prinicipal do aquário. Todos estes peixes são da minha criação própria. Ficam aqui as fotos de hoje: À esquerda dois machos e á direita uma fêmea. Cumprimentos, Rui Alves
  10. Boas, obrigado pelos vossos comentários. Fica aqui o setup: Dimensões do aquário: 170Cx55Lx45A Flora: Cyperus helferi, Microsorium pteropus, Cryptocoryne becketti, Cryptocoryne nevellii,Cryptocoryne wendtii "broad leave",Cryptocoryne wendtii "green/red", Cryptocoryne willisii. Iluminação: Solstar 2x80wT5+4x54T5 (neste setup vou usar apenas das 2 T5 80w) Lâmpadas: Aquastar 10.000k+Daylight spectraplus 6500k Fotoperíodo: 8h diárias agora no inicio Filtro: Eihem 2260 Substrato: Vigor Équo + Eden Équo Co2: 2 bolhas por segundo através de difusor Elos Atos20 Injecção via garrafa pressurizada com redutor de pressão V2 pro da Tmc Temperatura : 24º Valor pH: 6.8 Vou começar hoje a fazer alguns testes água e depois coloco aqui os parâmetros. Como estou a usar um filtro como matérias filtrantes de outro setop penso obter uma ciclagem mais rápida do aquário. A fauna está em estudo mas haverá novidades em breve. Cumprimentos, Rui Alves
  11. Montagem: 06/12/09 Esta montagem foi inspirado no rio maliau que atravessa a Bacia de Maliau em Sabah na Malásia. Este local de perímetro circular em forma de disco voador tem mais de 25km de diâmetro é um dos locais mais inexplorados do planeta terra. No seu interior existe uma das florestas tropicais mais antigas do mundo, muito mais antiga que a floresta tropical africana ou a floresta tropical amazônica. È chamado por muitos como "The lost world of Sabah". Numa expedição cientifica levada a cabo em 1996, só em 2 km quadrados foram identificadas 450 espécies de plantas diferentes. Takashi Amano levou a cabo uma expedição a este local em 1998, e foi através da leitura de um artigo sobre expedição que surgiu o meu interesse sobre este local felizmente ainda intocado do planeta terra. Este aquário é a minha forma de transportar o nosso imaginário a esse lugar mitíco. O ph da águas no interior da floresta de Maliau varia entre 4.5 e 6.8, mas é geralmente 5.4. Os produtos usados na montagem: Nest montagem a minha ideia é usar o elemento espaço o melhor possivel. Pensei em criar duas ilhas com abundante vegetação e á volta das ilhas só areia. Colocação do substrato fértil. Colocação da areia á volta das ilhas e começo do plantio. Basicamente Cyperus helferi e cryptos. Espero que gostem. A seguir vem o setup e mais fotos. Cumprimentos, Rui Alves
  12. Uma calha só de Leds para aquário e quando falamos de leds estamos a falar de leds de alto brilho ou de alto fluxo, é neste momento um mau investimento. Só é bom se estivermos a pensar fazer um novo investimento daqui a 6 meses, e depois outro daqui a seis meses...e depois outro.... O problema actual dos leds é o mesmo problema que a iluminação com base em lâmpadas fluorescentes teve de início: a gestão do calor. Cerca de 50 a 90% de energia que é aplicado a um led converte-se em calor e é necessário que este calor abandone o chip para que o led seja 100% eficiente. Ou seja, todas as qualidades que atribuimos aos leds, como elevado fluxo luminoso, vida prolongada, só são verdade quando é assegurado uma apropriada gestão de calor. Esta gestão nos leds actualmente é feita através do uso de dissipadores acoplados. A performance e a capacidade de manter o fluxo luminoso de um LED depende da chamada temperatura de junção (Tj) do chip. Esta temperatura não pode ser medida directamente e por isso os fabricantes usam um ponto á volta do Led, denominada temperatura correlativa ou Tc. Portanto assume-se que a temperatura medida neste ponto corresponde à temperatura de Tj. O cálculo do fluxo luminoso máximo dos Leds é feito pelos fabricantes com Tc=25º. Com temperaturas mais altas o fluxo luminoso diminui gradualmente. Nos Leds de alto luxo atinge-se muito rapidamente tc= 100 graus. A Tc depende da dissipação térmica associado ao módulo Led e da sua corrente de alimentação. Existe uma fórmula de calcular a depreciação do fluxo luminoso de um Led em função de Tc. Pegando num exemplo concreto e em dados de fábrica: Cree XRE-W WHITE 6950K BIN P4 COM ALIMENTAÇÃO A 350MA E Tc=25º – FLUXO LUMINOSO MÁXIMO 84lumen COM ALIMENTAÇÃO A 350MA E Tc=70º – FLUXO LUMINOSO MÁXIMO 69lumen Dividimos 69 por 84 e temos uma perda de luz de 18%, que é o mesmo que dizer que o fluxo luminoso com Tc=70º e a 350 mA é 82%. Isto permite-nos fazer a fórmula : 100% fluxo luminoso x fluxo luminoso em função de Tc = fluxo luminoso real 84lumen x 82% = 69 lumen. A estimativa do tempo de vida útil do Led também é feita a partir de um determinado Tc. Por exemplo, para este mesmo Led: Cree XRE-W WHITE 6950K P4 COM ALIMENTAÇÃO A 350MA E Tc=70º – 69 lumen - TEMPO DE VIDA ÚTIL = 50.000 HORAS DE VIDA. COM ALIMENTAÇÃO A 700MA E Tc=70º – 108 lumen - TEMPO DE VIDA ÚTIL = 35.000 HORAS DE VIDA COM ALIMENTAÇÃO A 1050MA E Tc=70º – 127 lumen - TEMPO DE VIDA ÚTIL = 20.000 HORAS DE VIDA . Actualmente pegar numa calha de iluminação baseada em leds de alto fluxo para aquário e compará-la com alguns dos sistemas HQI ou sistemas T5 mais avançados e eficientes ou é pura demagogia ou um exercício em que se comparam grandezas completamente diferentes A maioria de nós por causa da especificidade e exigência dos organismos que habitam os nossos aquários temos calhas compactas, com potências elevadas e sujeitas a amplitudes térmicas. Neste contexto realizar uma instalação de leds torna-se particularmente difícil. É preciso também não esquecer que uma das características afectadas pelo calor é o comprimento de onda e portanto a temperatura de cor. As calhas no mercado da aquariofilia com leds de alto fluxo neste momento sofrem todas do mesmo mal: o facto da tecnologia led estar em pleno desenvolvimento. Ninguém fornece dados relativos a temperaturas de funcionamento que como já viram são cruciais na avaliação de desempenho de um led. Isto significa que, por exemplo, o anunciar de 50.000 horas de tempo de vida útil significa anunciar uma utopia e em última análise uma mentira, porque se trata do tempo de vida útil anunciado pelo fabricante do led em condições de temperatura e alimentação controladas, condições estas impossíveis de manter e controlar no interior das calhas de leds para aquário que tenho observado. Estou a trabalhar com os led´s da Cree Xlamp de alto fluxo há cerca de um ano. Especialmente com os módulos XRE-W, XRE-WW, XRE-WWW, W-XR E WW-XR. São módulos de 1w, 3w, 4w, 3x3w, 3x4w e 16.8w. Este último módulo que tem a referência 329-XRE-WWW bin Q4 tem um fluxo máximo de 1284lumen a 1050 mA. São todos led´s de corrente constante o que significa que têm que ser operados com alimentadores de 350 mA, 500 mA, 700 mA ou 1050 mA. Estes led´s extraordinários deixam antever que num futuro mais ou menos próximo será mesmo possível iluminar aquários de recife exigentes usando apenas este tipo de iluminação. Até lá os leds neste momento têm um enquadramento em aquariofilia no sentido de constituírem desde já uma boa solução para aquários menos exigentes em termos de luz. Os leds de alto fluxo são também, desde já uma óptima solução para substituir a componente azul ou actinica dos nossos aquários. Este sim é o verdadeiro “calcanhar de Aquiles” dos sistemas de iluminação para água salgada e provavelmente também aquele que é mais ignorado pelos aquariofilistas. As lâmpadas azuis ou actinicas por causa da sua emissão específica de luz em determinadas zonas do espectro luminoso, têm um fluxo luminoso bastante fraco. Para dar um exemplo uma lâmpada T5 de 54w com 6500k tem um fluxo luminoso de 4250 lumen, e a mesma lâmpada azul tem 1500 lumen e a actinica 1000 lumen. Portanto já é muito fácil substituir esta parte azul dos nossos sistemas com leds azuis ou actinicos de alto fluxo com emissão de luz entre os 420 e os 485nm. Aqui sim pode-se poupar muito dinheiro desde já! Rui Alves
  13. Parabéns, o aquário está muito bom. Excelente trabalho! cumprimentos, Rui Alves
  14. Alexandre, Será que ainda trabalha?! Depois deste tempo todo é quase uma peça de museu. abraço, Rui Alves
  15. Boas Raquel, esse balastro funciona assim, mas por acaso é diferente dos balastros normais. Esse balastro é especifico para lâmpadas UV e é por causa disso que acende a lâmpada apenas com 2 ligações. Normalmente é com 4 ligações. Esse balastro ainda tem outra coisa engraçada, é que permite ligar mais uma lâmpada e as duas funcionam independentemente uma da outra o que também é raro num balastro. Cumprimentos, Rui Alves