Problemas com corais, diatomáceas, etc..


Recommended Posts

Boas,

 

andava o meu aquário a correr tão bem e de repente....grande stress nos SPS, LPS e moles. Começaram a perder cor, a um ritmo lento, e nas últimas duas semanas RTN em parte dos SPS. Os moles estão todos mirrados (até a praga das Xénias) e as Euphylias quase fechadas. Duas Anthias e 1 camarão também morreram.

Claro que estas coisas só acontecem quando estamos fora.

 

Quando cheguei tinha o copo do ATB cheio de água e a sair continuamente pelo topo. Para juntar à festa, quando fui para fora o copo ia já com 1/3 de porcaria. Portanto grande carga repentina no aquário.

 

Por outro lado, ando numa luta há cerca de 2 meses para erradicar de vez diatomáceas/dinoflagelados (não sei bem qual deles tenho ou se os 2: só sei que a RV está castanha clara, o areão também e o vidro do fundo com 1 camada que parecem fios também da mesma cor).

 

Quanto ao escumador penso que possa ter acontecido porque na véspera de ir embora estive a colar uma série de corais com epoxy e provavelmente poderei ter exagerado na dose.

 

As medições não foram conclusivas, mesmo sabendo que nem tudo se consegue medir.

Ph - 8,3

No3 - 1

PO4 - 0

Ca - 490

Mg - 1380

KH - 9

Temp - 25,6º

SiO2 - 0

 

Bem sei que a carga orgânica em excesso e de forma repentina poderá ter sido claramente um rastilho para começar o RTN. No entanto, já tinha perda de cor em grande parte dos corais e mesmo os moles já andavam mirrados. Andei a ler e a tentar ver o que poderia estar a influenciar isto tudo. Do que li surgiram as seguintes questões:

 

Excesso de cola epoxy (alteração da posição de vários corais) - poderá ter provocado intoxicação dos corais/sistema?

Dinoflagelados - li algures que certas espécies poderão provocar intoxicação, provocando morte em invertebrados por ex. Será mesmo?

Vida útil das T5 - poderão influenciar nos dino e nos corais de alguma forma?

 

Para tornar isto ainda mais confuso para mim, já li em vários fóruns que uma das formas de erradicar os dino é não fazendo TPA, diminuindo assim os nutrientes disponíveis para os mesmos.

 

Enfim, dúvidas atrás de dúvidas e sem saber o que fazer ao certo.

Alguma dica?

 

Abraço

Hugo

Link to comment
Share on other sites

Boas Hugo. Ja me aconteceu, com certos quimicos ou excesso de agua (por exemplo no Aquaqmedic Percula 90), os escuamdores ficarem completamente descontrolados, encherem e deitarem a agua fora, de volta ao aquario ou caixa depuradora. Na maior parte das vezes o escumador estava vazio ou quae pelo que nao foi grave o retorno de agua suja para o aquario.

 

Quanto a possibilidade da cola ter provocado o descontrolo do escumador, nao sei. Nunca uso. Quando se parte algum coral apanho as pontas e deixo deitado em cima de uma rocha ou metido em algum buraco. Se quiser pegar pega e se nao acaba por cair e perder-se no meio das rochas.

 

Parece-me importante saber porque o copo tera ficado cheio e o escumador a repor toda a agua retirada de volta no sistema. Quanto a causa dos problemas nos corais penso ser evidente que o escumador foi retirando a carga organica do sistema durante algum tempo e a foi juntando do copo do escumador e, de um momento para o outro nao so deixou de retirar carga organica como ainda repos em segundos toda a que tinha sido retirada durante dias... Isso deve ter sido terrivel e em particular para os SPSs. Quantos dias esteve assim?

 

Quanto as cianobacterias, no Verao de 2003 tive esse sproblema com um aquario montado em Janeiro de 2003. Usei o AntiRed da AquaMedic e acabei por perder duas anemonas e em seguida camaroes, ermitas e todos os invertebrados do aquario incluindo Aiptasias. Quando percebi a dimensao do problema, em dois dias e uma noite ainda consegui meter todos os peixes em varios baldes, retirar toda a agua, lavar a areia, repor agua nova ate encher o aquario e repor la os peixes. Nao sei como mas sobreviveram todos excepto os Mandarins que deixaram de ter comida. Os Amphipodes e Copepods que eram praga no aquario e se viam aos montes por tudo quanto era sitio deixaram de aparecer. E durante anos nao voltei a ter Aiptasias ate 2007 ou 2008 quaqndo comprei varias rochas e peixes a um Membro que desistiu da aquariofilia.

 

Ja voltei a ter problemas de cianobacterias, nomeadamente em aquarios acabados de montar e que em 2 ou 3 levaram logo com corais la dentro. Passei a usar o "CHEMICLEAN - Red Slime Remover" da buyenterprises.

 

Dantes tinha esta embalagem:

http://www.aquatichouse.com/Supplements_files/chemiclean.asp

 

Tambem la explica como usar. Eu desligo o escumador e retiro todas as resina (normalmente uso carvao activado e Boyd Enterprises) durante 24 horas mas quem tiver ozonizador, UV ou UV-C tambem os deve desligar. Ao fim de 24 hora de aplicacao do produto ligo o escumador e ao fim de 48 horas de aplicacao do produto mudo 20% da agua e reponho ou nao as resinas.

 

Nova a presentacao do produto:

http://www.chemi-pure.com/prd_am/product/idproduct=2

 

Tem sido bastante eficiente. Infelizmente tenho bastante dificuldade em encontrar. So conheco um sitio em Portugal que vende, a RuiMar na Damaia que, segundo a etiqueta. o compra ao importador George M.Gouveia.

 

Claro que esta sera uma solucao facil mas a usar apenas como recurso final para um problema instalado. Mas o melhor sera evitando nomeadamente sabendo esperar o tempo necessario na instalacao de novos aquario e tendo sempre muito cuidado com a carga organica dentro do aquario, usar bons e potentes escumadores, ter uma excelente circulacao dentro do aquario nao apenas quanto a quantidade de agua em circulacao mas tendo tambem atencao a forma como as rochas e corais foram postos para evitar zonas sem circulacao que acumulem porcaria ou "agua morta" no aquario. Nao esta em causa ter muita circulacao com potentes cabecas motorizadas ("Power Heads"), que ate pode provocar "stress" nos corais assim como os jactos de agua policiais sobre a multidao de manifestantes. Sera preferivel boas bombas de circulacao ou as WaveBoxs da Tunze (e eu que ate gosto das Maxi-Jet e ainda hoje as uso). Muita atencao quanto a qualidade da iluminacao e nomeadamente o periodo de vida util das lampadas.

 

Ha quem diga que os Cerites ou Cerithium sao excelentes consumidores de cianobacterias mas eu nunca os vi a come-las.

 

Tambem ja li em aguma revista sobre peixes consumirem cianobacterias mas de momento nao me lembro de qual ou quais sera. Se encontrar a revista depois aviso.

 

Por ultimo, hoje devias ter ido ao setimo aniversario do Forum ;)

Um dos oradores, o Machado de Sousa, abordou este tema e poderias ter discutido com ele a melhor abordagem para este problema. As ultimas embalagens que comprei de "CHEMICLEAN" ficaram-me a 19,90Euros cada pelo que a inscricao para o Aniversario ficava praticamente paga :x uma vez que terias informacao suficiente para combater essa praga sem recorrer a produtos quimicos. Infelizmente ninguem colocou duvidas sobre esta questao pelo que nao foi aprofundada e eu vou continuar a usar o produto ate ter problemas ou me demonstrarem estar de todo errado.

 

Um abraco

Rolim

Link to comment
Share on other sites

Olá Hugo,

 

Só para complementar a resposta do amigo Rolim ( Paulo, infelizmente perdemo-nos no Oceanário; teria sido bom termos tido mais tempo para uma cavaqueira mas fica para a próxima; ainda aguardo uma visita tua ;) ), pedia-te que colocasses uma ou várias fotos das algas. Só assim é que se poderá identificar exactamente com o que se está a lidar e dirigir a intervenção nesse sentido.

 

Em relação ao Epoxy, confirmo que em quantidade suficiente despoleta uma reacção de " flood" no escumador obrigando a água a subir pelo corpo do mesmo, acabando por transbordar. Portanto, a porcaria que o copo já tinha não veio ajudar nada na qualidade da água, antes pelo contrário.

 

Em relação aos Dinoflagelados, já tive por duas vezes e, na minha opinião, são " A Mãe de todas as Batalhas"! Um surto de Cianobactérias é " peanuts" comparado com um problema de Dinos. Felizmente consegui resolver em ambas as situações, sempre com os mesmos métodos.

 

Mas, antes de passarmos à prática, posta umas fotos para vermos do que realmente se trata.

 

 

Abraço,

Ándré

Link to comment
Share on other sites

Boas,

 

Paulo e André, obrigado pelas respostas.

 

No meu caso penso que o problema não passe tanto por utilizar químicos no aquário. Os corais já estão ressentidos o suficiente e iria causar ainda maiores perdas, julgo eu. Há que identificar a raiz do problema e aos poucos tentar recuperar o sistema.

 

Em termos de aspectos que penso poderem estar a influenciar desta forma bem negativa, e já vão ver o quanto negativo está nas fotos, julgo que os seguintes factores poderão estar a contribuir:

 

- Adição de elementos traço da FM (abaixo do recomendado mas nunca se sabe se acima do desejado...) que poderão estar a alimentar os dinoflagelados e quem sabe intoxicar o aquário. Já procurei em vários fóruns sobre este assunto mas nunca li nada em concreto.

 

- Lâmpadas T5 já têm mais de 1 ano. Julgo que poderá contribuir para o boom em questão.

 

- Nunca medi a qualidade da água à saída da osmose. Os filtros podem ter cedido de vez e toda a água que esteja a entrar no sistema não tenha qualidade suficiente. Sei que na torneira os silicatos estão no máximo da escala. Efeito de bola de neve.... Tenho que ver se alguém me empresta um medidor de TDS para aferir a eficácia da osmose.

 

- O "flood" do escumador quase de certeza que foi pelo excesso de epoxy utilizado de uma só vez. Tenho tentado compensar este problema com TPAs. Hoje vou fazer mais uma de 80l. O RTN dos SPS vem daqui garantidamente mas ainda não consigo explicar o porquê dos corais moles (pragas) estarem todos mirrados antes deste acontecimento.

 

- Hoje desliguei a injecção de CO2 no sistema (do reactor de cálcio) mantendo o reactor de fosfatos a funcionar e carvão activado também.

 

Agora vamos à desgraça... Não se assustem pois está mesmo uma miséria e os vidros ainda estão sujos :D

Depois disto acho que vou beber umas loiras para acalmar beer

 

DSC_8352.jpg

 

DSC_8353.jpg

 

DSC_8354.jpg

 

DSC_8356.jpg

 

 

Abraço

Hugo

Link to comment
Share on other sites

Olá Hugo,

 

Isso é mais um caso de Dinoflagelados.

 

Tal como disse no post abaixo, vou tentar encontrar uma pequena metodologia que fiz na altura em que tive isso e passá-la para aqui para poderes experimentar e ver se resulta.

 

Para já, no teu caso, eu parava imediatamente com a adição de traces, mantinha o CO2 desligado e mantinha o carvão + reactor de fosfatos. As lâmpadas T5 são ( no máximo mudam-se de 10 em 10 meses, consoante a refrigeração das mesmas pela calha), obviamente para mudar mas não é por aí.

 

A água de osmose convém ser o mais pura possível. Os filtros convém substituir de 6 em 6 meses e a membrana, desta forma, pode aguentar sem problemas 2 anos.

 

 

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Encontrei:

 

" ......

 

Regarding Dino´s, I am too currently handling the same problem in my 30G LPS and softies tank. I have been battling Dino´s for a month now, after two weeks trying to keep NPS corals with daily frozen food, several times/day. The skimmer + WC were not enough for the organics and bam: Dino´s. The white sand became red with O2 bubbles spreading the threads of the Beast, the glass was covered in a red web as well as the rocks and corals started to become affected with red strings attached to them.

 

Before corals were affected, I read and read and tried to apply the following:

 

- stop feeding corals and reduced feeding on fish

- increase pH with kalkwasser saturating the top off water; ph is always 8.3

- add GAC and change it every two weeks

- water changes of 20L two times/week with detritus in the Sump and Dino´s in the Display syphoned

- wet skimming

- UV filtration for day period

- turkey baster the corals everyday to keep them free of algae and keep the stringy Dino´s suspended to be overflowed and filtered by the UV

- clean the glass and MP10 everyday to remove as much nasties I could

 

After three weeks with this routine, I have not noticed positive results, much on the contrary. After one hour the lights go on, sand and rock were still red, glass still had the red webs, corals were getting more affected, specially the Zoanthids. I consider myself a patience guy but enough is enough so I rethought my steps, asked why these things would come back after trying to control the organics and decided to go extreme:

 

- removed all the fish and inverts to the bigger tank to completely stop throwing food in the tank

- increased GAC

- UV filtration for 24h

- covered the whole tank with beach towels

- performed a 20L WC and vacuumed all the Dino´s I could on the sand and rocks

- cleaned the glass and pump

- turkey bastard the corals

- immedeately turned the lights off and left the tank in total darkness for 4 days ( I read that some people went 7 days but I am not that radical)

 

At the 4th day, I turned the lights on for 6 hours and performed a WC to syphon the dead Dino´s. Corals took the beating and looked good, sand was white again, rocks and glass were clean and the Beast was dead ( or so I thought)...

 

At the 6th day, It resuscitated! Tiny red patches started to color the sand grains to take the lost Glory It once had! The first reaction was: " Not in my watch you won´t, Bit**". Clearly, there were still some organics left but the only affected area was the sand bed. In the same day, I went to the LFS and bought a bottle of MB7, along with a bottle of Vodka. When I got home, I once again rethought my theory but reached the conclusion that injecting Vodka would most likely fuel the algae since it would be another nutrient at the Beast´s disposal and I wouldn´t want that. Oh, what the heck. I´ll just use the MB7 and keep the Vodka for happier days ( or sadder days, depending on the evolution of the situation :sad1: ).

 

So, new actions have been taken:

 

- leave the lights for only 6h/day

- remove the UV filter

- return to 20L WC once a week

- turkey baster the sand and rock every day in the nocturnal period to keep the POM suspended in order to feed the corals and the DOM available for Bacteria that, consequently, could be skimmed out or also feed the corals.

- the extra Bacteria introduced by the MB7 would aid in this conversion for feeding and exportation of the system. No extra carbon source is used.

 

I´m on my 6th day of these newly simple tasks and on the 12th day after the blackout and Dino´s are slowly fading. The rock, corals, glass and pump are 100% clean, corals never looked happier, the sand has still some patches of red but it stays withe for longer time through out the day and this is evident day by day to the point I decided to give a sweet to my LPS corals made of Mysis and Lobster eggs today. I am confident that it won´t take longer until things get back to normal but I won´t be opening the champagne bottle just yet. For now, I can only say that Dino´s are under control but not gone.

 

Now, I see some details that turned my task easier to control this pest, such as:

 

- my tank is small ( 30G) so it really helps when it comes to turkey baster, WCs, cleaning, skimming, injecting bacteria, etc

- I only had three small fish and a couple of Inverts that were easy to remove to facilitate maintenance and stop feeding the tank

- it is a tank exclusive for softies like Ricordeas and Zoanthids and LPS like Acanthastreas, Trachyphyllias, Catallaphyllia, Favias, Caulastreas, etc.

- Lighting is composed of 6 x 18W T8

- Flow is also imperative and the MP10 in this tank doesn´t allow dead spots

- It is also imperative that much of the detritus that are suspended with the turkey baster are overflowed and skimmed out of the system or vacuumed with WCs in the Sump

 

...."

 

 

Está em inglês porque na altura fiz para um tópico no RC. Neste momento não tenho tempo para traduzir mas se tiveres alguma dúvida, coloca.

 

 

Boa sorte.

Link to comment
Share on other sites

Vai ser mesmo uma luta e pêras. Mas com calma hei-de lá chegar.

 

Fiquei com dúvida se o estado dos corais (corais moles e LPS fechados e perda de cor nos SPS) pode estar associado à presença dos ditos dinoflagelados ou se isto foi tudo coincidência e algo mais tenha afectado os corais?

O RTN deve ter sido pela "flood" do ATB.

 

Já desliguei o CO2 e tenho feito TPAs certinhas com aspiração da sump. Vou tentar seguir os passos que indicaste e vou postando os resultados.

Medi agora o SiO2 à saída da osmose e não deu nada. O que não quer dizer que esteja boa. Foi só 1 teste. Mas aqui vou ter que gastar uns €€.

 

Abraço

Link to comment
Share on other sites

Olá Hugo

 

Antes de mais, queria te dizer que lamento o que se passou com o teu aquário, mas com calma tudo se resolverá.

Terá de se perceber, o que levou ao aparecimento desses malditos "Dinos".

Pelas conversas que tivemos, quer por troca de mp´s, quer pessoalmente, a substituição recente do areão do teu aqua e a introdução de 8 kgs de rocha morta, associado à falta de tempo que neste momento tens e possivelmente com a devolução da "porcaria" que estava no copo do escumador, foram todos juntos os causadores deste boom que teu aquario sofreu.

Claro que os sps, como mais exigentes se ressentiram de uma forma mais drastica, e o aparecimento do rtn foi prova mesmo disso.

Trocas de água constantes, muito carvão activado e muita dose de paciência, por vezes é suficiente para resolver a situação.Pelo que me dizes, estas medidas não resolveram a situação, pelo que te vou dar um conselho e perdoa-me a minha frontalidade.

 

Com esta tua situação profissional terás realmente tempo para teres um aqua mais exigente?

Penso que deverias pensar bem no assunto e decidir realmente o que deveras fazer ou poderas ter como aquario.

 

Talvez a melhor situação, passa por colocares os teus vivos num aquario montado para o efeito, colocares os corais num aquario amigo ou mesmo coloca-los à venda, e iniciares um aquario de novo, utilizando a rocha e areao que ja tens, depois de bem lavado.

Fazeres um ciclo novo e só depois apostares num aquario menos complexo, talvez de LpS, ou moles, pois com a exigencia profissional que neste momento tens, este tipo de aqua se adpataria melhor a ti.

 

 

 

 

Que tudo corra pelo melhor, e não me leves a mal, mas unicamente estou a pensar no teu bem.

 

Abraço

Poliveira

Link to comment
Share on other sites

Olá Paulo,

 

É verdade que o tempo que tenho disponível para o aquário cada vez é menor e com tendência para piorar.

 

Já tinha vindo a pensar em transformar este aquário em algo menos exigente, lps e moles (algumas alturas até pensei voltar à água doce), tal como sugeres. A sugestão é óptima e ainda bem que há frontalidade. Para mim, o interesse é salvar os corais e peixes que ainda tenho. Não quero desistir do hobbie mas também tenho consciência que o que vem a seguir tem que ser de acordo com as minhas possibilidades (temporais e financeiras claro) e que por outro lado, o facto de haver alguma ausência não coloque em risco toda a vida que existe no aquário.

 

Os corais já vão sair do aquário amanhã ou 3ª e vão para o aquário do amigo Paulo Rolim. É o melhor a fazer no momento e os peixes vão para um aquário temporário. Terei é que arranjar 1 estrutura para lá colocar o ATB a funcionar. O escumador só funciona com uma altura de água até 20 e poucos cm.

 

Garantidamente fiz demasiadas intervenções no aquário e que levaram a que esteja como está no momento. Se há algo importante nos reefs é estabilidade acima de tudo. Acho que o meu aquário foi mal projectado logo de início, com equipamentos deficientes, rocha mal escolhida, excesso de peixes, etc.., e depois fui tentando resolver problemas atrás de problemas. Por vezes resulta, por vezes não resulta...

 

Para além de todos os passos que terei que tomar, já andava a tentar perceber quais as melhores opções de equipamentos para este tipo de aquário (LPS e moles).

 

- Que iluminação é necessária? Neste momento tenho 8x54 T5

- Circulação: as bombas que tenho não valem nada.

- Bastará reactor kalk ou é preciso manter o de cálcio?

Link to comment
Share on other sites