Murkas

Cianobactérias

Recommended Posts

Ola,

recentemente no meu aquario (montagem muito recente) apareceram as ciano... o pesadelo azul esverdeado :)

 

Vai daí comecei a procurar na net e encontrei algumas contradições sobre o seguinte tema:

 

Em alguns sites vem que uma das causas para o aparecimento desta alga são os nitratos estarem em valores reduzidos, outros dizem exctamente o oposto, ou seja ter valores elevados de nitratos....

 

A minha pergunta é mas então em que ficamos? :yb668:

 

de resto este tópico resume bastante bem outras causas possíveis...

http://www.aquariofilia.net/forum/index.ph...ano-bact%E9rias

 

Para já vou acertar os níveis de nutrientes (manter os nitratos estaveis a rondar os 5~10ppm e os fosfatos a rondar 1ppm) que não tenho conroloado com grande rigor e aumentar a circulação... depois logo se verá aonde isso nos leva...

 

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois a mim aconteceu-me o mesmo!

O que é mais estranho é que eu andava a controlar diáriamente tanto os Nitratos como os Fosfatos, mas não controlava o valor dos Nitratos após a introdução de KNO3... Para meu grande espanto, concluí mais tarde que a concentração que supostamente vinha indicada no rótulo, afinal não coincidia com as medidas correctivas que eu fazia no meu aqua!!!...

Depois disso, esmerei-me em confirmar diáriamente que garantia que os valores de NO3 se situavam perto de 10ppm e o PO4 no 1 (trabalhando entre o 7,5 e o 10 para o NO3 e o 0,75 e o 1 para o PO4), tentando sempre manter uma relação de 1 para 10 entre Fosfatos e Nitratos.

Como é compreensível passei por uma semana com aspirações diárias, outra com aspirações irregulares, outra sem aspirações (para ver o nível de evolução), etc. Até os peixes foram forçados a fazer uma dieta rigorosissima, não fosse o caso de com o excesso de comida eu estar a provocar uma carga orgânica demasiado elavada...

Pareceu-me observar que a introdução de "micros" podia eventualmente influenciar o desenvolvimento destas meninas, ( mais micros = mais cianobactérias), contudo, mesmo cortando completamente a fertilização de micros ( e a de ferro, já agora), elas persistiram!

Li entretanto tudo o que consegui encontar sobre este tema e concluí (ou pelo menos assim interpretei) que tinha duas hipóteses para a resolução do meu problema:

Um APAGÃO ou ERITROMICINA.

O APAGÃO iria debilitar todas as algas, cianobactérias, mas também as plantas, e iria privar-me de contemplar por uns dias o meu aqua, (o que seria uma séria facada no meu equilibrio emocional);

A ERITROMICINA iria debilitar a colónia de bactérias do aquário. As Cianobactérias bem que podiam (e deviam) ir à vida, mas uma boa parte das bactérias do meu filtro também iria e os meus camarões podiam não gostar nada da experiência...

Enfim, venha o diabo e escolha!...

Pelas condicionates particulares do meu aqua, da minha disponibilidade e da minha paciência, optei pela ERITROMICINA. Não experimentei o APAGÃO, pois já não tinha paciência para mais "experiências" e confiei que a margem de capacidade de filtragem extra no meu sistema me permitiria arriscar nessa solução.

Estou no segundo dia de tratamento, as ciano são praticamente residuais, mas a Amónia voltou a aparecer...

Pelo que entendi, tanto com um método como com outro a Amónia / Amoníaco disparam devido à concentração de matéria organica em decomposição, pelo que por agora ainda está tudo dentro do previsto.

Daqui a 3 ou 4 dias já vos posso dizer alguma coisa sobre a minha experiência nesta batalha.

As cianobactérias estão a morrer. As bactérias de gama negativa (não sei se é assim que se diz mas são um tipo de bactérias... existem umas "-" e umas "+", desculpem mas de Biologia só tenho o 9º ano com quase 30 anos), também devem ter ido à vida. Espero que as de gama positiva ainda estejam a fazer alguma coisa no filtro biológico.

Os peixes continuam a nadar satisfeitos e os camarões andam, por enquanto, a passear alegremente.

Edited by C Mocho

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois... chegaste ás mesmas soluções que eu, mas como nao gosto do uso de quimicos na resolução de doenças e algas, vamos ver no que da ospaninhos quentes.... :techi:

 

Obrigado pela tua resposta.

 

Abraço

 

PS: disseram-me que ja obtiveram alguns resultados com esha2000, mas apenas o vou experimentar se o controlo dos nutrientes e o aumento da circulação falhar...

Edited by Murkas

Share this post


Link to post
Share on other sites

E qts dias acham necessarios para realiza o dito apagão? Eu tenho o mesmo problema faz meses.

Share this post


Link to post
Share on other sites

As minhas estão a desaparecer e não chegou a ser preciso nenhum apagão.... (felizmente)

 

O que eu fiz foi:

-Substituir as lâmpadas que estavam a ficar com algum tempo de uso

-Fertilização mais rigorosa e a necessária par manter osntratos a rondar os 10ppm

-Aumento da circulação com uma bomba de circulação com 200l\h (é um pouco demais mas foi a bomba mais fraca que encontrei)

-Como tinha o CO2 parado devido a uma fuga algures e ainda nao tratei desse problema, comecei a dosear diariamente e na dose recomendada Seachem Flourish Exel pois ja estava co algas que tipicamente mau fornecimento de Carbono (stanghorn entre outras).

 

Pode ter sido uma conjugação de todos estes factores mas depois do 3º dia a adicionar Flourish Exel o crescimento das ciano estagnou e em cerca de 6 dias desde o inicio de fertilização com o dito as ciano estão a reduzir drasticamente pelo que conto com a próxima tpa e ao longo da próxima semana conseguir "domar" coisa e num futuro próximo extingui-las do meu aqua....

 

Abraço

 

PS: o aoagão e o doseamento de medicamentos qunto a mim só deverá ser feito quando todas as outras medidas falharem... (disseram-me que um medicamento que é eficaz contra as ciano é o esha2000,eu nao o experimentei, de qualquer das maneiras fica a dica...)

 

PS2: Quanto á duração do apagão podes pesquisar no Google por cianobacterias ou BGA (blue green algae) que encontras varias dicas de como acabar com elas... Foi o que eu fiz antes de passar a medidas extremas e posso dizer que me dei bastante bem :D

Edited by Murkas

Share this post


Link to post
Share on other sites

boas

 

eu na minha antiga montagem tive tambem ciano, acho que foram vário factores a trabalhar para o seu aparecimento, carga orgânica, má circulação e má fertilização.

depois de resolver todos os problemas elas teimaram em não desaparecer ai experimentei o apagão com uma TPA antes E uma depois a rondar os 50%, notou-se uma diminuição das ciano e as plantas ficaram um bocado mal tratadas.

Assim quer o sistema voltou ao normal, as ciano voltaram a aparecer.

o apagão julgo que será mais indicado em surtos de algas, julgo que as ciano teem a capacidade de se adaptar a condições muito extremas, com estava a pensar mudar o layout não aprefundei mais o tratamento, desmontei e montei novamente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá pessoal,

finalizei hoje o tratamento contra as Cianobactérias e como considero os resultados muito positivos venho-vos deixar o meu testemunho que poderá ser útil para mais alguém com o mesmo tipo de problema.

Não tendo formação académia nas áreas da Biologia nem da Química, tentei procurar informação sobetudo pela Net, mais tarde, conversas com alguns amigos permitiram-me esclarecer uma ou outra dúvida que então surgia.

 

Antes de mais quero esclarecer que também eu considero que sempre que possível devemos tentar o equilibrar o nosso aquário com a menor quantidade possível de químicos. Mas no meu caso trata-se de um aquário plantado sobre substracto inerte, o que implica a introdução diária de Potássio, Ferro, Micros, Nitratos e eventualmente umas duas vezes por semana Fosfatos, logo químicos é o que não falta naquele aquário!

Julgo que o aparecimento/desenvolvimento das Cianobactérias no meu aqua se deveu sobretudo a uma fase de baixa oxigenação. Com efeito, tenho ainda muito para aprender e com receio de perder demasiado CO2 (no meu caso caseiro), coloquei a saída do filtro de forma a interferir o mínimo com a superfície do aquário. Agora comprendo que foi um erro que aliado á injecção contínua de CO2, me provocou vários desiquilíbrios.

 

De acordo com o que compreendi nas minhas pesquisas, os motivos principais para o desenvolvimento de Cianobactérias nos nossos aquários sâo:

1 – Um desiquilíbrio entre Oxigénio, Nitrogénio e Fósforo.

2 – O aumento anormal de elementos Nitrogenados e Fosfatados.

2 – Um aumento de matéria orgânica que favoreçe o desenvolvimento de microorganismos e que acabam por consumir o oxigénio dissolvido na água, favorecendo a actividade fotosintética das Cianobactérias.

3 – Nos meios anaeróbicos (sem Oxigénio), a disponibilidade de formas inorgânicas de Nitrogénio e Fósforo aumenta, facilitando as infestações muitas vezes observadas junto ao substrato ou entre o substrato e o vidro.

 

Curiosamente as Cianobactérias ou “Algas Azuis”, podem ter presentes pigmentos azuis, verdes, amarelos, laranjas ou vermelhos e estes podem existir simultaneamente em maiores ou menores graus. Ainda mais curioso é o facto do Mar Vermelho receber esse nome devido à presença de “Algas Azuis” vermelhas!

Com efeito as Cianobactérias são seres unicelulares (bactérias) que desenvolveram à milhões de anos a capacidade de realizar fotosíntese. Serão provavelmente dos primeiros organismos a aparecer com clorofila, sendo talvez as pricipais responsáveis pelo acúmulo de Oxigénio na atmosfera primitiva.

A fotossíntese é o principal meio para a obtenção da energia e para a manutenção metabólica das Cianobacérias. Os seus processos vitais necessitam de água, CO2, substâncias inorgânicas e luz.

 

Como controlar as cianobatérias nos nossos aquários?

Baixos níveis de Oxigénio, super povoamento, má filtragem e/ou acúmolo de detritos facilitam o surgimento e/ou desenvolvimento das Cianobactérias.

Fixando-se através de uma camada gelatinosa, e mesmo com sinfonagem restam normalmente indivíduos suficientes para formação de nova colónia. Para além de frequentemente se instalarem em frestas de troncos e rochas onde a sinfonagem se torna impraticável.

Reproduzem-se por esporos, que podem ser eliminados com um filtro de UV, mas também por divisão celular ou fragmentação, de nada servindo o filtro de UV neste caso.

 

Existem pois dois processos que se têm demonstrado eficazes na eliminação das Cianobactérias:

- O APAGÃO, onde se privam as Cianobactérias de Luz, impossibilitando assim a realização de fotossíntese e consequentemente se restringe a obtenção de energia e a manutenção metabólica. Este método, embora eficaz e eficiente também para a resolução de problemas com outro tipo de algas, apresenta o problema de enfraquecer não apenas as algas como também toda a flora presente. Do ponto de vista prático, situações podem existir em que seja muito difícil ou impossível impedir a Luz de alcançar o aquário, quer por motivos funcionais quer por razões de outra ordem.

- A ERITROMICINA, um tipo de antibiótico considerado adequado para o combate a este tipo de bactérias.

A composição da membrana celular das Cianobactérias dificulta a acção doa antibióticos, a dosagem incorrecta ou o prazo insuficiente pode torná-las resistentes, obrigando à utilização de outros antibióticos que podem destruir toda a fauna bacteriológica do aquário. A Eritromicina é um antibiótico que actua apenas sobre bactérias gram-negativas, não destruindo assim as outras e permitindo ao filtro continuar, embora reduzida, a sua acção biológica (nem todas as bactérias do filtro biológico são gram-negativas, portanto nem todas morrerão com este antibiótico).

É fundamental usar este antibiótico adequadamente, evitando o aparecimento de bactérias resistentes e a necessidade de recurso a outro tipo de antibiótico cujos efeitos no nosso aquário sejam menos desejados.

 

Eliminação de Cianobactérias com ERIMOTRICINA:

- Antes de iniciar o tratamento deve ser efectada uma profunda sinfonagem do sedimento no fundo do aquário, devendo ser removida a maior quantidade possível de Cianobactérias;

- Aplicar diáriamente uma dose de 250 mg de Eritromicina para cada 100 l de água, por um período de três dias. (no meu caso e para garantir a completa eliminação das bactérias, optei por prolongar o tratamento por mais um dia, após verificar que os Nitritos e a Amónia se mantinham em valores aceitáveis);

- Diáriamente, antes de administrar o antibiótico deve-se proceder a uma sinfonagem de todas as algas mortas evitando desta forma a acumulação de matéria orgânica em decomposição que originaria um pico de Nitritos e Amónia;

- No dia seguinte ao término do tratamento deve ser feita uma troca de pelo menos 50% da agua, repondo desta forma os níveis de Nitritos e Amónia em valores mais reduzidos. Deverá ser colocado carvão activado no filtro durante 24 horas. Na agua reposta, será benéfica a adição de um activador de bactérias, facilitando assim uma mais rápida recuperação da fauna bacteriológica benéfica.

Esta rotina de tratamento deve ser efectuada com rigor, de forma a evitar a sobrevivencia de Cianobactérias ao tratamento que poderiam gerar o desenvolvimento de colónias de bactérias resistentes à Eritromicina.

 

A Eritromicina que utilizei encontra-se à venda em farmácias sob o nome de ESE 500. Existem comprimidos de 500 mg e 1000 mg. Existe também em grânulos e saquetas (suponho que façam o mesmo efeito, mas como têm sabor optei pelos comprimidos).

Este medicamento é vendido sob receita médica. (no meu caso pedi a receita ao veterinário, que após saber qual o seu destino a prescreveu sem colocar nenhuma objecção)

 

Espero com isto poder ajudar alguém.

Desculpem a extensão do texto e se detectarem algum erro, alertem-me pois tentarei editar com as eventuais correcções ou informações adicionais consideradas importantes.

Edited by C Mocho

Share this post


Link to post
Share on other sites

Excelente tópico CMocho!

 

Os meus parabéns tanto plo tópico como pela vitória sobre o pesadelo azul\esverdeado (que pelos vistos também pode ser avermelhado :smokedrag:)

 

EDIT: e porque não juntares as tuas duas intervenções e propores para inamovível? Fica a sugestão...

Edited by Murkas

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois Milton, compreendo o que queres dizer, mas as poucas fotos que tenho do aquário não são de forma nenhuma ilustrativas, até porque à medida que a situação agravava eu ia compensando com sinfonagens diárias e nunca deixei chegar a um ponto muito notório. A fertilização andava mais "controlada" do que nunca e quem vinha cá a casa continuava a dizer que estava tudo muito bonitinho e só quando eu chamava à atenção é que se apercebiam da infestação (é claro que não era pessoal de aquários)!

Curiosamente, creio que foram as sinfonagens o factor que mais contribuiu para alastramento das cianobactérias um pouco por todo o aqua.

Com efeito, creio que ao aspirar as ciano com um tubo, acabei por transportar a colónia inicial para outros pontos do aquário, mesmo para locais com forte movimentação da agua, onde supostamente elas têm fama de não gostar de se desenvolver, mas aqui desenvolveram-se sem problemas!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Curiosamente, creio que foram as sinfonagens o factor que mais contribuiu para alastramento das cianobactérias um pouco por todo o aqua.

 

Comigo aconteceu exactamente o mesmo... até que passei a ter o cuidado de aspirar tudo sem deixar "bocados" de ciano á deriva pelo aqua. ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

bons dias,

 

so passado um tempo a procura sobre o tema é que tropecei neste topico.. Bem eu queria saber se alguem ja experimentou um produto acho que é da JBL que elimina os fosfatos e os nitratos..? É suficiente para parar c esta praga?

 

cumps,

Rodrigo

 

 

P.s- peço desculpa pelo desenterro...

Share this post


Link to post
Share on other sites