António Lourenço

.Membro Ausente
  • Content Count

    815
  • Joined

  • Last visited

  • Country

    Portugal

Community Reputation

-1 :(

About António Lourenço

  • Rank
    Hiper Membro
  • Birthday 06/02/1967

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • País
    Portugal
  • Concelho
    Abrantes (Santarém)
  • Localização
    Almada

Recent Profile Visitors

4,091 profile views
  1. Olá Normalmente o desenvolvimento dos anabantideos tem "marcos" onde a mortalidade é maior. Pela minha experiência estes "marcos" depende do desenvolvimento , como é natural, e da especie .O momento mais importante é qdo se desenvolve por completo o orgão labirinto.Por muita teorias que haja ninguém sabe ao certo qdo se dá. Pela simples razão dos motivos (e de outros) que referi atrás. Vamos ao que interessa.. eu se fosse a ti tomava as seguintes medidas: tapava muito bem (os cantos tapa-os) o aquario para não haver grande disparidade de temperatura da agua e do ar, voltava a colocar os caracois, TPA,s diarias e lentas(importante), nesta fase não aconselho (mesmo nada....) a colocares qualquer substancia e voltava à artemia ou arranjava microvermes. E quanto mais plantas/agua verde ...melhor! Boa sorte.
  2. Se tens um macho porque vais comprar outro ? Sem primeiro tentares com o que já tens?
  3. Olá André Acredito que nunca te tenha acontecido mas continuo a achar que é um pouco arriscado. Qdo disse os dois preparados era basicamente o macho com o ninho feito e a femea ovada.
  4. O André já disse tudo mas há um pormenor que não concordo com ele. A folha da amendoeira da india não serve de suporte do ninho porque pode afundar.Mas também não precisas de nenhum . As caixas que podes utilizar são umas que tem +- 40 cm completamente transparentes.A tampa com a pequena tampa adiconal por cima vai ser útil ao longo da reprodução. Podes dar logo artemia recém eclodida. Juntas o casal qdo ambos tiverem preparados.
  5. Penso que não vale a pena gastares 35€ por um termómetro por esse preço compras um termostato bom , uma serie de termómetros, comida para sei lá qto tempo etc etc Investir é num bom termóstato. Porque se este avariar, isso sim, provoca problemas sérios. Eu tenho o habito de colocar a mão em todos os aquários qdo me aproximo para ver se há problema.Mas como disse ..é um habito Mas isto é a minha opinião
  6. olá tenho um +- 400 lt. (150X60x50) montado com a flauta na vertical. Para mim tem a vantagem que distribui melhor a agua e a temperatura pelo aquario em termos de altura e deixando um furo acima da superficie facilita as trocas gasosas. Junto à flauta tenho o aquecimento e a saida do filtro de fundo.Provocando assim uma corrente ao longo do aquario. O modo como tens instalada a flauta é o normal. Mas deu-me para fazer desta forma. N um canto tenho a saida para o filtro no outro canto oposto tenho: saida do filtro de fundo, a famosa flauta e um aquecedor de 300 W ... Podes ver aqui:http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showtopic=168735&st=0&p=1011061&hl=+tetra%20+do%20+congo&fromsearch=1entry1011061 Tenho que actualizar este tópico, é incrivel como o tempo passa. A Mary tem me "dado na cabeça" para o fazer....
  7. Embora na minha opinião devias investir num aquecimento de maior potencia (poupavas no consumo, porque estava menos tempo ligado), esses aquecimentos deviam possibilitar uma temperatura superior. Estão bem regulados? Nessas flautas de saida de agua dos filtroscostumo colocar na vertical, com um furo ao nivel da superficie
  8. As bio balls neste caso tem pouca importancia. Elas são uteis qdo a agua "cai" para cima delas num ambiente seco/molhado. Por ex. numa sump. Se quiseres usar um suporte para a filtragem biologica (a eponja azul já faz isso) utiliza ceramicas. Já deves ter ,devem ser esses "cilindros brancos" que referiste. Qto mais rugosas melhor. Não sei qual é proporção da cada material filtrante que tens,, mas se puderes investe em ceramicas, Se não quiseres ir por ai, substitui as "balls" por mais "lã" de vidro que encontras em qualquer retrosaria de uma forma barata.
  9. Essa "femea" parece-se muito com um macho... Mas se for uma femea não parece nada ovada.Podse verificar isso se o tubo ovipositor estiver visivel e se tiver a "barriga inchada". Qto mais notares estes 2 pormenores mais rápido é a desova.
  10. Algumas especies desenvolvem-se melhor.Por ex. 99% das plantas que encontras no mercado são plantas de crescimento fora de agua.Numa estufa podes as ter , depois de ambiantá-las, só com as raizes submersas.Lembras-te de eu falar que não precisas de filtros?
  11. coloca uma ripa de madeira por cima do plástico à estrutura da madeira que fizeste por causa do vento. A manutenção de peixes numa estufa não tem nada haver com o que temos que ter na nossa casa.Vais ter algumas surpresas tantos em relação aos peixes como às plantas.Era mais fácil começar com projecto por volta de Março.Mas eu sei como é..... continuação do bom trabalho!
  12. olá não montes nenhuma bateria para os bettas splendens. Vai devagar e vais chegar à conclusão que não precisas. O problema nestes casos é o vento e a chuva.Se usares plastico para o tecto tens que fazer de forma a que não acumule agua. Faz testes com uma mangueira. Mais vale isto do que tentares remediar a situação num dia de temporal. O chão eu não me preocupava.O unico pormenor pode ser desfavoravel é poder aparecer algumas poças de agua.Mas isso... e em termos de custos poupas algum dinheiro mais importante é o tecto. em relação aos "aquarios" procura recipientes de plastico e de preferencia escuros. continuação de bom trabalho. ainda vais ter muito bom trabalho
  13. Acredita que se tiveres plantas em quantidade. não precisas de filtros nenhuns. Alíás para mim esse é o grande interesse num projecto deste tipo. Mantenho assim algumas especies. Recipiente, plantas, peixes e mais nada. E em alguns sem substrato se forem emersas. No caso dos vivíparos ajuda e muito teres plantas de superficie no caso dos bettas Splendens igualmente enquanto forem alevins. Para o crescimento podes utilizar plantas emersas. Só mais um pormenor. Se puderes encosta a estufa a uma parede para evitar dissabores no inverno