Sign in to follow this  
Luís Torrão

Aquários de agua salobra (Brackish )

Recommended Posts

Aquários de agua salobra (Brackish )

 

Antes de mais, este pequeno trabalho de recolha de dados e investigação pretende esclarecer e incentivar novas pesquisas sobre o assunto, pois as informações são ainda poucas e de pouca consistência, fico assim aberto a quem quiser participar num trabalho mais aprofundado de fauna e flora a entra em contacto comigo pelo meu email.

 

Significado de Brackish.

 

Brackish é o nome que se dá da junção das águas dos rios com as águas do mar, tornando-as em águas salobras.

Consideram-se águas salobras as que possuem entre 0,5 e 17 gramas de sal por litro.

A salinidade destas águas não é constante, varia com a subida e descida das marés, quando a maré sobe a salinidade aumenta e quando desce o fluxo do rio ganha força e a salinidade desce.

xemplomagorx0.th.gif http://badmanstropicalfish.com/brackish/brackish.html

 

-As zonas de encontro das águas

 

-Estuários e Mangues

Os estuários são a zona onde o rio se encontra com o mar podendo criar alguns lagos e pântanos provocados pelas descidas e subidas da maré.

riodeltarl4.th.jpg “ Estuário”

 

Os mangues são zonas alagadas mas protegidas da acção directa do mar, zonas que se encontram florestadas

manguenu2.th.jpg ”Mangue “www.fotothing.com

 

Características dos estuários

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

 

“Um estuário é a parte de um rio que se encontra em contacto com o mar. Por esta razão, um estuário sofre a influência das marés e possui tipicamente água salobra.

Do ponto de vista da ecologia e da oceanografia, um estuário é uma região semi-fechada do oceano influenciada pelas descargas de água doce de terra, quer seja um ou mais rios, ou apenas da drenagem do continente.

Muitas vezes, usa-se a palavra estuário em contraposição ao delta, onde o rio se mistura com o mar através de vários canais ou braços do delta. No entanto, um delta pode considerar-se também uma região estuarina. Por outro lado, um "mar interior" como o Mar Báltico pode apresentar em toda a sua extensão as características de um estuário.

Há vários formas de estuários, determinadas não só pela geomorfologia da costa, mas também pelas características do(s) rio(s) e das massas de água oceânicas que ali se encontram. Uma destas formas é o rio.

Um aspecto muito importante é que, devido aos nutrientes que as águas de terra transportam, um estuário é geralmente uma região com elevada produtividade biológica. No entanto, devido a ser uma região semi-fechada, sofre particularmente os efeitos da poluição e pode transformar-se num deserto biológico”.

 

Características dos Mangue, ou Manguezal

Origem: http://www.infoescola.com/

Idioma – Brasileiro

 

“O Mangue, ou Manguezal, é um ecossistema típico de áreas costeiras alagadas em regiões de clima tropical ou subtropical. Mesmo com uma variedade pequena de espécies o mangue ainda é considerado um dos ambientes naturais mais produtivos do Brasil devido às grandes populações de crustáceos, peixes e moluscos existentes. O manguezal desenvolve-se nos estuários e na foz dos rios sendo um berçário para muitas espécies de animais.

O mangue é composto por apenas três tipos de árvores (Rhizophora mangle – mangue-bravo ou vermelho, Avicena schaueriana – mangue-seriba ou seriúba – e Laguncularia racemosa – mangue-branco) que podem chegar a até 20 metros de altura em alguns lugares do país. Esse tipo de ecossistema se desenvolve onde há água salobra e em locais semi abrigados da ação das marés, mas com “canais” chamados gamboas que permitem a troca entre água doce e salgada. Seu solo é bastante rico em nutrientes e matéria orgânica com características lodosas e, composto por raízes e material vegetal parcialmente decomposto (turfa).

O Brasil possui a maior faixa de mangue do planeta com cerca de 20 mil km² que se estendem desde o nordeste (Cabo Orange – Amapá) até o sul do país (Laguna – Santa Catarina). Os manguezais também são encontrados na Oceânia, África, Ásia e outros países da América”.

Fontes:

http://www.mre.gov.br

http://www.ambientebrasil.com.br

http://www.midiaindependente.org

 

 

Rios Brackish

Autor: Edson Rechi (http://www.forumaquario.com.br/portal/tx_brackish.html)

Idioma – Brasileiro

 

“O encontro rio acima misturado a água do mar, pode-se formar rios de água salobra. Estas regiões possuem fluxo rápido que poderá ser simulado por uma potente bomba de circulação direcionada a algum lado. O tamanho do tanque para este tipo de montagem poderá variar de acordo com os peixes que pretende criar, para pequenos peixes como a Abelhinha, Molinésias e Peixes-vidro, pode-se adquirir um tanque de 50l ou mais, para peixes maiores e carnívoros, recomenda-se acima de 200l. Detalhe: Nunca... mas nunca mesmo, misture peixes menores como Abelhinhas (entre outros) com peixes carnívoros, mesmo estes últimos sendo de pequeno porte.

 

Habitantes: Abelhinha (Brachygobius Xanthozona), Molinésias, Peixe Vidro (Chanda Ranga), Goby Knight (Stigmatogobius Sadanundio), Puffer Spoted (Tetraodon Nigrifilis), Puffer fígura 8 (Tetraodon Biocellatus), Mexerica.

Plantas: Valisnérias, Feto de java.

Temperatura: 25ºC à 28ºC

pH: 7.6 a 8.5

Decoração: Plantas mais altas no fundo e mais curtas ao lado. Adicionar uma ou mais toca de rochas caso venha criar Gobys. Anubias e Feto de Java devem estar espalhados pelas pedras.

Salinidade: Boa parte dos peixes que vivem em rios salobros aceitam densidade entre 1.005 - 1.010 (1 ou 2 colheres de sal para cada 3,8l de água). Puffers manchados preferem condições mais elevadas com densidade entre 1.010-1.020.”

 

 

Elemento necessários para montar um Brackish

 

- A salinidade (densidade) de um aquário Brackish é relativa aos peixes que se pretendem manter, a água pura possui uma densidade de 1.000, quer dizer um litro de água pesa 1 Kilo, a água salgada é mais densa devido aos sais dissolvidos, tem uma densidade acima de 1.017, possui em media de 18g a 35g de sal por litro.

1.005 - Água doce / levemente salobro

1.006 à 1012 - Moderadamente salobro

1.012 à 1017 - Salobro

1.018 a 1.035 – Marinho

 

- O sal usado nas montagens é sal marinho, nunca sal da cozinha e nunca deve ser deitado directamente no aquário já com os seus habitantes, deve ser dissolvido quando na montagem. Se a ideia for aumentar a densidade deve dissolver-se antes e acrescentar com muita moderação.

- A temperatura pode variar entre 22 graus e os 30, mais uma vez depende da fauna que se pretende manter.

- A iluminação convêm ser o mais semelhante á usada nos aquários de água salgada, a maioria destes peixes gostam de grande luminosidade

- Substrato e decoração – Pode-se usar como substrato conchas moídas e areia de rio/praia, cascalho neutro, não á regra, mesmo para a decoração pode-se usar troncos e raízes desde que não acidifiquem a água, pois esta deve ser alcalina.

- Na filtragem recomenda-se filtros esternos que façam no mínimo 8 ciclos por hora , ou seja numa hora a totalidade da agua deve passar pelo filtro 8 vezes, se a densidade for maior que 1.015 a utilização de um escumador é bem vinda, pode-se ainda usar um filtro interno para fazer circulação da água. Não nos devemos esquecer que a maioria destes peixes é carnívora e sujam muito a água.

- As espécies de peixes a manter são as originários dos estuários e mangues como é obvio, no entanto com alguma adaptação consegue-se manter algumas espécies diferentes.

aqauriosalobrorw5.th.jpg http://www.wetwebmedia.com/BrackishSubWebIndex/Brackish%20System%20PIX/Brack_tank_Rolf.JPG

 

O primeiro passo é mesmo escolher a fauna para se poder montar o aquário em torno das exigências dos peixes, isto deve ter um especial cuidado pois a maioria destes peixes são batentes agressivos, o tamanho do aquário também deve ser em consideração às espécies.

 

Paixes comuns para montagens de densidade igual ou inferior a 1.005

 

Mollie, Poecilla sphenops

Sailfin mollie, Poecilia velifera

Kribensis, Pelvicachromis pulcher

Glass fish, Chanda ranga

False tiger datnoid, Coius microlepis

Nandus, Nandus nandus

Celebes rainbowfish, Telmatherina ladigesi

Peacock spiney eel, Macrognathus aculeatus

Tyre track eel, Mastacembelus armatus

Fire eel, Mastacembelus erythrotaenia

Freshwater pipefish, Enneacampus asorgii

Figure eight puffer, Tetradon biocellattus

Violet/dragon goby, Gobioides broussonetii

Bumble bee goby, Brachygobius doriae

 

Paixes comuns para montagens de densidade igual ou suprior a 1.005

 

Silver datnoid, Coius quadrifasciatus

Finger fish/mono, Mondactylus argenteus

Sebae mono, Psettus sebae

Scat, Scatophagus argus argus

Archer fish, Toxtes jaculatrix

Four eyes fish, Anablep anablep

Spotted goby, Dorminator maculatus

Knight goby, Stigmatogobius sadanundio

Boney snouted gudgeon, Butis butis

Giant freshwater pipefish, Microphis brachyurus aculeatus

Green spotted puffer, Tetradon nigriventris

Columbian shark catfish, Arius seemani

Berneys sharkcat, Hexanematichthys graeffei

Freshwater morray eel (goldspot and snowflake etc), Gymnothorax tile S

 

Outros exemplos de baixa densidade.

 

• Sailfin and other mollies (Mollienesia and Poecilia spp.)

• Monos (Monodactylus spp.)

• Scats (Scatophagus and Selenotoca spp.)

• Archerfishes (Toxotes spp.)

• Pufferfishes (family Tetraodontidae)

• Cichlids (family Cichlidae)

• Garpikes (family Lepidosteidae)

• Shark catfishes (family Ariidae)

• Sleeper gobies (family Eleotridae)

• Spiny eels (family Mastacembelidae)

• Four eyed fishes (Anableps spp.)

• Mudskippers (Periophthalmus spp.)

• Orange Chromide (Etroplus Maculatus)

• Siamese Tiger Fish (Datnioides microlepis)

 

Para aquarios pequenos

 

• Killifishes (family Cyprinodontidae)

• Bumblebee and other Gobies (family Gobiidae)

• Glassfishes (family Chandidae/Ambassidae)

• Pipefishes (family Syngnathidae)

 

Dados recolhidos em http://members.tripod.com/extreme_skier/fi...sh/brackish.htm

 

 

Os dados que se seguem são da autoria - Edson Rechi (http://www.forumaquario.com.br/portal/tx_brackish.html), com autorização do mesmo para exposição integral do conteúdo .). Os testos encontram-se em Brasileiro.

 

Algumas espécies e alguns detalhes:

 

Nem todos peixes listados abaixo são compatíveis entre si, estude bem antes de adquiri-los levando em consideração aspectos importantes como dieta alimentar, tamanho adulto, densidade da água, agressividade.

 

Arqueiro (Toxotes jaculatrix)

 

pH: Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico (come peixes menores)

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: Ásia e Oceania

Tamanho Máximo: 25cm

Zona do aquário: Meio e Superfície

 

Arqueiros são peixes interessantes, possuem o hábito de "cuspirem" água em insectos próximo a superfície, fazendo-o cair na água onde será devorado, podendo “cuspir” a uma distância de até 2m. Sua reprodução em cativeiro é muito difícil de ocorrer.

Estes peixes não exigem um aquário muito alto, porém o tanque deverá ser comprido e largo principalmente.

Costumam frequentar mais a superfície e meio do tanque.

Se desejar manter um cardume destes peixes, deverão ser colocados todos de uma só vez e de tamanho aproximado.

- Alimentá-los com alimentos vivos sempre que possível (semanalmente), pois possuem hábito carnívoro. Preferencialmente deverão ser alimentados com rações flutuantes.

- Peixes jovens podem migrar para água doce por algum tempo, mas retornam a água salobra onde vivem a maior parte do tempo.

 

 

 

 

Mudskipper Atlântico (Periophthalmus barbarus)

 

Temperatura: 25ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico (come peixes menores)

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: Senegal até Angola (Leste Africano)

Tamanho Máximo: 20cm

Zona do aquário: Meio e superfície

 

Mudskippers possuem habilidade de se arriscar em terra por longos períodos, portanto se deseja criá-los, terá que reservar uma área seca e outra com água. Pode-se usar montagens de mangues ou mesmo empilhar inúmeras rochas no sentido que algumas fiquem fora de água. A densidade desejável para estes peixes gira em torno de 1.005 a 1015. Uma preciosa dica é sempre manter seu tanque bem fechado assegurando que não escape, pois estes peixes são ariscos e frequentemente podem ser vistos pela casa se o tanque não for bem tampado. O peixe arqueiro é uma boa companhia para Mudskippers.

 

 

Peixe-gato Colombiano (Arius seemanni)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 25ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico (come peixes menores)

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 350l

Distribuição: Sul da Califórnia (USA) até Colômbia

Tamanho Máximo: 40cm

Zona do aquário: Fundo

 

O Arius está entre o mais desejado peixe-gato entre os amantes destas espécies. São peixes com olhos grandes, corpo poderoso prata (parece cromado) e bem activos. Embora predatórios, não são agressivos e podem fazer companhia com outros ciclídeos. Este peixe muitas vezes é confundido com o famoso Jordani (Arius Jordani) e vive tanto em água doce ou salobra, podendo serem vistos as vezes no mar. O tanque mínimo recomendado para esta espécie é 350l e deverá possuir excelente filtragem e um nível de oxigénio muito bom. Densidade específica entre 1.005 a 1.015 é desejável para estes peixes.

 

 

Black Belt (Cichlasoma maculicauda)

 

pH: Neutro

Temperatura: 28ºC

Sociabilidade: Sozinho / Casal

Comportamento: Agressivo

Dieta: Omnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: América Central

Tamanho Máximo: 30cm

Zona do aquário: Todas

 

Ciclídeo de grande porte e extremamente agressivo e em minha opinião um dos mais belos Ciclídeo da América Central e muito inteligente, capaz de interagir excepcionalmente com o dono. O tanque deverá possuir decorações com muitas rochas para servir de abrigo. Deverá mantê-lo sozinho ou em casal, nunca com peixes menores ou pacíficos. Se optar por mantê-los com outros peixes, assegure-se que o peixe que irá manter junto possui o mesmo nível de agressividade e que tenha um tanque relativamente grande para amenizar disputas por territórios. Embora preferem pH neutro a levemente alcalino, poderá mantê-los em água salobra com densidade baixa (em torno de 1.005 ou menos). Sua alimentação deverá ser a mais diversificada possível com abundância vegetal.

 

 

Abelinha (Hypogymnogobius xanthozona)

 

pH: Alcalino

Temperatura: 25ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 50l

Distribuição: Java, Sumatra e Bórneo

Tamanho Máximo: 4cm

Zona do aquário: Fundo

 

Peixe habitual de água salobra, será necessário adicionar sal marinho na água e plantas flutuantes para reduzir a iluminação excessiva em vista que estes peixes preferem zonas mais escuras. Embora seu tamanho seja pequeno, podem agredir outros peixes ou se alimentar de peixes menores do mesmo tamanho ou menores.

Sua reprodução em cativeiro é um tanto difícil, a fêmea desova ovos em alguma superfície lisa onde o macho desempenhará sua função, costumam eclodir em 3 à 5 dias. Sua dieta deverá ter como base alimentos vivos. Deverá ser evitado colocar com peixes maiores por questões óbvias.

 

 

Enguia Americana (Anguilla rostrata)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 22ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 900l

Distribuição: Atlântico norte, sobretudo costa americana

Tamanho Máximo: 120cm

Zona do aquário: Fundo

 

A Enguia "americana" é uma das espécies que emigram dos estuários. para os oceanos. Na fase jovem são transparentes e relativamente fáceis de se colectar sendo que normalmente os machos preferem permanecer próximo a água salobra e a fêmea muitas vezes acaba subindo rio acima podendo até ser encontrada em água doce.

Este peixe cresce relativamente rápido e muito, seu tanque deverá ser o maior possível, principalmente no comprimento e largura, possuindo água ligeiramente salobra. Em fase adulta tende a ser muito agressivo com os demais peixes sendo aconselhado mantê-la apenas com peixes maiores e agressivos. A alimentação de exemplares jovens deverá ser à base de plâncton, camarões e outros alimentos vivos menores, em fase adulta preferem invertebrados vivos, lagosta, carne (deverá afundar) e peixes.

Estes peixes costumam ser bem activo e possui hábitos nocturnos, mantenha o aquário sempre bem fechado para evitar que fujam.

 

 

Enguia de "água-doce" (Echidna rhodochilus)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 22ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Pacífico

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: Pacífico Ocidental

Tamanho Máximo: 50cm

Zona do aquário: Fundo

 

Embora vendido com freqüência como peixe de água-doce, são peixes de água salobra e vivem melhores se mantidos em tal água.

Companheiros ideais para Monos e Scats pode facilmente adaptar-se a condições marinhas, mas densidade entre 1.005 à 1.010 será mais aceitável para sua saúde a longo prazo. Como boa parte das Enguias, são predadores se alimentando de pequenos peixes e invertebrados, embora esta espécie seja pacífica com peixes maiores e dependendo do tamanho do tanque, poderá aceitar a presença de outra.

Muitas vezes podemos nos deparar com problemas em fornecer alimentos para Moréias, uma dica é amarrar minhocas ou camarões em linha de algodão e colocar no aquário como se estivesse "pescando", passe o alimento próximo a ela e vá puxando no sentido que ela fique ativa e vá atrás do alimento, é uma boa diversão e ao mesmo tempo estará estimulando seus instintos, onde em breve voltará a se alimentar sozinha.

 

 

Guppy (Poecilia reticulata))

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 22ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 40l

Distribuição: América Central até o Brasil

Tamanho Máximo: 5cm

Zona do aquário: Todas

 

Os Guppies estão entre os peixes mais populares, são calmos, amistosos, resistentes e ótimos reprodutores. Em aquários deverá usar sempre um número maior de fêmeas do que machos. Sua expectativa de vida gira em torno de três anos e existem as mais variadas cores para aquarista nenhum colocar defeito. Vendido como peixes de água-doce, podem se adaptar a condições salobras desde que a densidade seja sempre menor que 1.010

 

 

Peixe-vidro (Parambassis ranga)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 50l

Distribuição: Paquistão, Índia, Tailândia e Malásia

Tamanho Máximo: 8cm

Zona do aquário: Todas

 

Peixe muitas vezes desprezado por não possuir cores, o vidro indiano é totalmente transparente sendo possível visualizar toda sua estrutura interna. Possui o comportamento muito tímido sendo companheiros ideais para Guppys. O dimorfismo é um tanto complicado, porém quando bem ambientados no tanque, os machos possuem uma borda levemente azulada sem suas nadadeira anal e dorsal. Sua reprodução em cativeiro é relativamente fácil onde uma dica é variar a temperatura para que a ocorra.

 

 

Kribensis (Pelvicachromis pulcher)

 

pH: Ligeiramente Alcalino / Neutro

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Casal

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 50l

Distribuição: África Ocidental

Tamanho Máximo: 6cm

Zona do aquário: Meio e Fundo

 

Este pequeno ciclídeo é característico dos deltas ligeiramente salobro e córregos encontrados na África Ocidental e de adaptam facilmente a água doce ou levemente salobra. Um peixe muito usado em aquários plantados devido a sua rusticidade, cuja água tende a ser mais ácida. São peixes de fácil reprodução e normalmente "criam" seus alevinos. Seu comportamento é pacífico, porém não costuma aceitar outros exemplares no mesmo espaço, sobretudo em tanques menores, portanto se deseja manter mais de um casal, certifique-se que tenha espaço suficiente e principalmente tocas para se refugiarem.

 

 

Molinésia (Poecilia latipinna)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 40l

Distribuição: América do Norte

Tamanho Máximo: 6cm

Zona do aquário: Todas

 

Outro peixe muito popular vendido freqüentemente como peixe de água-doce devido sua rusticidade. Este peixe poderá ser mantido em água levemente salobra podendo reproduzir facilmente. Deverá ser mantido com peixes pequenos e dóceis. Muitos os mantém em condições marinha, que acaba diminuindo drasticamente sua expectativa de vida.

 

 

Mono (Monodactylus argenteus)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: África a Indonésia e parte da Ásia

Tamanho Máximo: 20cm

Zona do aquário: Meio

 

O Mono argenteus pode ser encontrado em água salobra desde a costa oriental da África a Indonésia e parte da Ásia. Está entre o mais procurados para montagens brackish devido o formato triangular de seu corpo. Sua nadadeira dorsal, anal e causal são levemente amarelas que só podem ser notado quando o peixe atinge sua maturidade.

O tanque para abrigar estas espécies deverá possuir bastante espaço para sua rápida natação, já que são peixes bem ativos (embora tímidos) e costumam nadar freqüentemente em cardumes (opte por sempre adquirir no mínimo 4 ou 5 exemplares) e podem se alimentar de peixes menores quando maiores. O Monodactylus Sebae também é encontrado em água salobra e possui praticamente os mesmos hábitos do M. argenteus.

 

 

Scat (Scatophagus argus)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: Indo Pacífico

Tamanho Máximo: 30cm

Zona do aquário: Meio

 

Scats são peixes grandes com corpo comprido e sua cor pode variar de verde ao amarelo com diversos pontos sobre seu corpo. Estes peixes possuem espinhos venenosos. Ao adquirir esta espécie, é sempre melhor possuir 2 ou 3 espécies jovens.

São peixes que vivem sua juventude em água salobra e migram para o mar após alguns anos. Uma densidade entre 1.010 a 1.018 será bem vinda para eles caso deseje mantê-los com outros peixes como Monos.

Sua dieta deverá sempre ser complementado com alimentação vegetal e são extremamente sensíveis as presenças de altos índices de amônia ou nitratos.

 

 

Targetfish (Terapon jarbua)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 250l

Distribuição: Indo Pacífico

Tamanho Máximo: 35cm

Zona do aquário: Meio

 

O targetfish é uma espécie "clássica" do brackish. São peixes bem ativos que necessitam de um bom espaço para nadarem em grupos, costumam comer peixes menores. Requer mantê-lo em densidade média.

 

 

Goby Violeta / Peixe Dragão (Gobioides broussoneti)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Pacífico

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: Carolina do Norte (USA) até região Sudeste do Brasil

Tamanho Máximo: 50cm

Zona do aquário: Fundo

 

O Goby violeta ou peixe-dragão como também é conhecido, não confundir com o Dragão Chinês, deverá ser mantido em água levemente salobra. O aquário deverá possuir muitos refúgios ou tubos de PVC para o peixe se abrigar já que possui hábitos nocturnos. Apesar de crescerem muito e possuírem aparência apavorante, são peixes bem calmos tendo que evitar colocá-los com peixes mais agressivos ou peixes menores que poderão ser devorados.

 

 

Bullrout (Notesthes robusta)

 

pH: Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 150l

Distribuição: Austrália

Tamanho Máximo: 30cm

Zona do aquário: Meio / Fundo

 

Peixe muito raro em aquário e pouco recomendado para iniciantes; possui forte hábito predatório sendo mais ativo durante a noite.

Possui espinhos venenosos em sua nadadeira dorsal e a usa como forma de defesa de outros peixes maiores. A coloração do Bullrout varia muito sendo a mais freqüente a cor marrom e podem chegar a 30cm. Vivem na Austrália e se adaptam facilmente a todo tipo de água (doce, marinha e salobra) sendo ideal mantê-lo em água salobra com densidade por volta de 1.010 e embora predadores, costumam aceitar pedaços de carnes e alimentos congelados.

 

 

Gar Cubano (Atractosteus tristoechus )

 

pH: Neutro / Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 1300l

Distribuição: Cuba

Tamanho Máximo: 180cm

Zona do aquário: Meio / Superfície

 

Espécie muito grande e rara de peixe-agulha, raramente são encontrados em lojas podendo ser observado geralmente em aquários públicos.

O tanque obviamente deverá ser grande para abrigá-lo contendo rochas e plantas altas, sendo indicado mantê-los em ph neutro a levemente alcalino. Sua alimentação deverá ser ministrada principalmente com alimentos vivos, embora possam aceitar ração industrializada.

Infelizmente esta espécie se encontra a beira da extinção.

 

 

Gar "Jacaré" (Atractosteus spatula)

 

pH: Neutro

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 2.500l

Distribuição: Rio Mississippi (USA) e Golfo do México

Tamanho Máximo: 300cm

Zona do aquário: Meio / Superfície

Considerado o maior peixe-agulha chegando a quase 3 metros de comprimento, obviamente não é qualquer aquarista que pode manter em sua residência um peixe deste porte e por isso são vistos principalmente em aquários públicos. Estes peixes se alimentam praticamente de tudo, sobretudo de peixes vivos. Vivem principalmente em água-doce, mas podem viver em água salobra com baixa densidade. Algumas espécies podem aceitar somente alimentos vivos e outros podem aprender a comer carnes e pelets para ciclídeos.

 

 

Peixe Mosquito (Heterandria formosa)

 

pH: Neutro / Ligeiramente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 25l

Distribuição: América do Norte

Tamanho Máximo: 2cm

Zona do aquário: Todas.

 

Considerado um dos menores peixe do mundo, este peixe é muito apreciado pelos aquaristas devido a seu tamanho reduzido e suas várias cores escura espalhadas pelo corpo. Peixe muito comum na América do Norte, sua média de vida está entre as menores também variando não mais que 2 anos (com raras exceções). Peixe ideal para se manter em aquário plantado junto com peixes como Guppys (não maiores que estes) e costumam aceitar sem maiores problemas todo tipo de ração, sobretudo flocos. Embora sejam peixes considerados rústicos, apreciam um pH neutro a levemente alcalino, podendo ser também adaptado em pH levemente ácido.

 

 

Empire Gudgeon (Hypseleotris compressa)

 

pH: Neutro

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 100L

Distribuição: Austrália e Nova Guiné

Tamanho Máximo: 10cm

Zona do aquário: Fundo e Meio

 

Em minha opinião, considero estes peixes um dos mais belos da água salobra/doce, é um ótimo atrativo para aquários plantado ou comunitário. Possui o corpo escuro com barriga vermelha e nadadeiras quem podem variar muito a cor passando desde vermelho, amarelo, preto e branco. Aceitam relativamente bem viver em água levemente salobra.

 

 

Tiger-fish (Datnioides quadrifasciatus)

 

pH: Neutro

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 300l

Distribuição: Ásia e Oceania

Tamanho Máximo: 30cm

Zona do aquário: Todas

 

Uma das menores espécies entre os tiger-fish (peixe-tigre), deverá sempre ser mantido em água salobra e apesar de agressivos, costumam tolerar outro exemplar por perto, desde que o tanque seja relativamente grande. Recomendado apenas para aquaristas experientes, devido dificuldades em alimentá-los onde sua preferência tende a alimentos vivos apenas, recusando rações ou mesmo pedaços de carne. O tanque para abrigá-los deverá possuir muitas plantas e rochas para que se ambientem melhor.

 

 

Puffer Gigante (Tetraodon mbu)

 

pH: Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 500l

Distribuição: Rios do Congo

Tamanho Máximo: 70cm

Zona do aquário: Todas

 

Como seu nome sugere, este Puffer é muito grande e deverá ser mantido em um bom espaço a fim de prosperar. Originário dos rios mais baixos do Congo e parte do lago Tanganyika. São peixes muito agressivos e se o deseja manter com outras espécies de peixes, deverá escolher com cuidado. São encontrados em água salobra e é um peixe altamente carnívoro sendo que sua alimentação deverá ser ministrada com alimentos vivos ou congelada, embora possam vir a recusar o segundo. Mariscos são bem vindo em sua dieta a modo de "gastar" deu osso localizado na região próxima a sua boca.

 

 

Mexerica Verde (Etroplus suratensis)

 

pH: Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: Índia e Sri Lanka

Tamanho Máximo: 40cm

Zona do aquário: Meio

 

Um Ciclídeo grande e agressivo, o Mexirica Verde terá vida mais longa se mantido em água salobra e pH alcalino. Ávidos comedores de plantas, a decoração do aquário deverá ser composta basicamente de rochas.

 

 

Goby Dorminhoco/Marbled (Oxyeleotris marmorata)

 

pH: Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Agressivo

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 300l

Distribuição: Sudeste Asiático

Tamanho Máximo: 55cm

Zona do aquário: Fundo

 

Embora chamado de Goby, o Goby dorminhoco pertence a família Eleotridae e não da família dos Gobys verdadeiros (Gobiidae). Uma característica marcante é que ao contrário dos Gobys verdadeiros, possuem duas nadadeiras dorsais. É um peixe caçador noturno e requer alimentos vivo em abundância, embora possa dificilmente aceitar rações de fundo. O aquário deverá estar munido de muitas plantas, troncos e rochas para servir de refúgio durante o dia, já que literalmente é um peixe "dorminhoco" com despertar sempre a noite.

Uma importante observação é que o Goby Marbled é um peixe que pode consumir em uma só noite seu próprio peso e comerá qualquer coisa que se mover em sua frente independente do tamanho, desde que caiba em sua boca.

 

 

Peixe-Agulha (Xenentodon cancila)

 

pH: Neutro / Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 150l

Distribuição: Ásia

Tamanho Máximo: 35cm

Zona do aquário: Superfície

 

Peixe pacífico, embora poderá comer todos peixes menores que couberem em sua boca grande. Gostam de água ligeiramente salobra e sua ambientação no tanque deverá ser feita da melhor maneira possível e observada durante há primeira semana. Mantenha o aquário tampado, já que além de viver sempre rente a superfície, costuma dar seus "pulos".

 

 

Mexirica Laranja (Etroplus maculatus)

 

pH: Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 100l

Distribuição: Índia e Sri Lanka

Tamanho Máximo: 8cm

Zona do aquário: Meio

Este peixe em fase jovem costuma ser confundido com outro ciclídeo, o Red Devil, devido seu corpo alaranjado. No Brasil são peixes populares e muitas vezes mantidos erroneamente em água-doce sendo que preferem água levemente salobra onde se desenvolvem muito mais, além de apresentarem cores fantásticas. Vejo muitas perguntas por aí do tipo: Meu Mexerica não passa dos 4cm, porque? Meu Mexirica não possui cores vibrantes, porque? Está aí a resposta mais plausível...

 

 

Gobião Roxo-listrado (Ogurnda mogurnda)

 

pH: Neutro

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 100l

Distribuição: Austrália e Papa Nova Guiné

Tamanho Máximo: 15cm

Zona do aquário: Meio / Fundo

 

Espécie resistente que pode viver tanto em água doce ou salobra. São peixes escavadores, deverá possuir um substrato de areia que será melhor apreciado. Apesar de pacífico, é um peixe bem territorial com seus semelhantes, portanto deverá possuir bastante espaço e tocas para cada um demarcar sei território. Sua alimentação deverá ser a mais variada possível.

 

 

Ciclídeo Synspilum / Redheaded (Cichlasoma synspilum)

 

pH: Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Casal

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 200l

Distribuição: México, Guatelama E Belize

Tamanho Máximo: 40cm

Zona do aquário: Meio / Fundo

 

Outro grande ciclídeo que desenvolve um "galo" em sua cabeça. São peixes pouco vistosos quando jovens, que vão desenvolvendo sua coloração conforme vão crescendo ficando bem bonitos com cores vibrantes. Considerado um dos maiores ciclídeos chegando a 40cm e são encontrados freqüentemente em água salobra com baixa densidade. Se diversos machos forem mantidos juntos, o dominante pode desenvolver um "caroço" ainda maior em sua cabeça. Seu temperamento é muito similar ao do Oscar, porém mais tímidos e vivem em rios e córregos lentos se adaptando conforme se desenvolvem no aquário, diminuindo sua timidez com o tempo.

Uma curiosidade interessante é que o famoso peixe Papagaio é descendente deste peixe, surgiu entre o cruzamento de fêmea de Cichlasoma synspilum com Cichlasoma citrinellum.

 

Espada (Xiphophorus hellerii)

pH: Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 50l

Distribuição: América Central

Tamanho Máximo: 10cm

Zona do aquário: Meio / Superfície

 

Um dos peixes mais populares, especialmente entre os novatos. Seu nome vem em alusão a sua nadadeira caudal prolongada que indica se tratar de um macho. Atualmente existem diversas cores entre estes peixes, devido à seleção por criadores.

É um peixe rústico e calmo não requerendo um tanque muito grande, desde que este possua um mínimo de espaço para sua natação, pois são peixes bem ativos e o mantenha com tampa. Vivem tranqüilamente em água salobra com baixa densidade. Comem praticamente de tudo. Uma curiosidade sobre esta espécie é que devido a falta de hormônios, a fêmea adulta poderá virar macho, dependendo da necessidade.

 

 

Banjo (Platystacus cotylephorus)

 

pH: Neutro

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Sozinho

Comportamento: Pacífico

Dieta: Onívoro

Tamanho mínimo do aquário: 150l

Distribuição: Bacia Amazônica

Tamanho Máximo: 25cm

Zona do aquário: Fundo

 

Peixe pacífico com longa cauda, pode ser mantido em água-doce ou salobra com baixa densidade. O tanque deverá possuir areia no substrato para uma melhor ambientação deste peixe. Bom para tanques comunitário.

 

 

Peixe Cachimbo (Microphis brachyurus)

 

pH: Levemente Alcalino

Temperatura: 24ºC à 28ºC

Sociabilidade: Grupo

Comportamento: Pacífico

Dieta: Carnívoro

Tamanho mínimo do aquário: 100l

Distribuição: Ásia

Tamanho Máximo: 25cm

Zona do aquário: Meio

 

Parente próximo do Cavalo-marinho, este peixe dificilmente se habitua a cativeiro. O aquarista que deseja mantê-lo deverá atentar em sua alimentação, costuma aceitar apenas alimentos vivos como artêmia e deve-se evitar criá-lo com peixes mais rápido em vista que são peixes bem lentos em seus movimentos. O exemplar da foto acima é encontrado em boa parte da Ásia e existe outro mais comum espalhado pela Europa (Syngnathus Abaster), principalmente na costa portuguesa possuindo características idênticas a seu primo asiático com exceção que prefere água com pH mais puxado para o neutro e chegam a 1

 

 

Plantas

 

Podemos usar um número limitado de plantas neste tipo de montagem. Plantas largamente usadas em tanques temáticos ou plantados normalmente não se adaptam as condições de água usada na montagem de um brackish, com algumas excepções. Se pensar em usar plantas na montagem, monte primeiramente um tanque com baixa salinidade (< 1.005) com muitas plantas e vá subindo a salinidade lentamente, até que elas se adaptem. Algumas sugestões: Valisnerias spp., Sagittaria spp. são as mais indicadas devido a sua rusticidade. Algumas Anúbias e Musgos também são bem vindos como outras plantas mais pesadas como Hygrophila spp., Nomaphila spp., Microssorium, Samoulus, e Rabos de Raposa. Algas marinha, caso haja uma salinidade maior, como as algas pink serão bem vindas.

 

Algumas sugestões:

 

- Elódea: Planta pouco exigente que aguenta bem condições adversas;

- Anubias spp. : Algumas espécies africanas costumam tolerar sais na água e até mesmo ataque de peixes;

- Bacopa spp. : Principalmente Bacopa monniera frequentemente são encontradas em água salobra;

- Espécies de Cabombas: Dá um efeito bonito no tanque, porém são bem apreciadas pelos peixes;

- Cryptociryne spp : Em especial a Cryptocoryne ciliata se dá bem em água salobra;

- Echinodorus spp. : Especialmente a Echinodorus Tenellus, muitos a considera a mais resistente;

- Hygrophila Polysperma: Apesar de apreciada por muitos peixes de água salobra, esta planta é bem resistente e pode suportar água com baixa densidade;

- Microsorium pteropus: Uma das melhores plantas a se manter em tanque brackish. É uma das únicas plantas para aquários que é naturalmente de água salobra;

- Nymphoides sp. : A bananinha de água também poderá ser usada em baixa densidade;

- Sagitaria spp. : Possui folhas resistentes e se adapta relativamente bem em água salobra;

- Vallisneria spp. : Em particular a Vallisnéria "gigante" como a americana;

- Vesicularia Dubyana : Também conhecido como Musgo de java, pode tolerar até mesmo água mais dura.

 

------------------------------------------------------//-------------------------------------------------------------------------------

 

Por fim , as vantagens de um aquário deste tipo são obvias, alem de pouco comuns ( para quem procura a diferença ) as doenças típicas são raras como o ictio,

Espero ter esclarecido algumas das dúvidas em relação a Brackish, assunto muito pouco desenvolvido ainda na aquariofilia, mas que não merece o esquecimento.

 

Fontes de recolha de dados -:

http://www.forumaquario.com.br/portal/tx_brackish.html autor: Edson Rechi, ao qual devo agradecer a brevidade mostrada na disposição do tratamento de dados do artigo original.

http://members.tripod.com/extreme_skier/fi...sh/brackish.htm

http://badmanstropicalfish.com/brackish/brackish.html

Wikipédia, a enciclopédia livre

Edited by speedgupy
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas speed

 

exelente topico :D

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boas speed

 

exelente topico :D

 

obrigada

vamos ver se ganha adeptos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

bom trabalho , tenho muito interesse nisto .

 

Enviei email para conferenciarmos sobre o assunto .

 

Ou então vou ai a sala ao lado falar contigo lol.

Edited by peixe é fogo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

 

Muitos parabéns pelo tópico speedgupy.

Bastante completo e informativo.

 

 

 

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boas

 

 

Muitos parabéns pelo tópico speedgupy.

Bastante completo e informativo.

 

 

 

Abraço

 

vamos ver se á semelhança do que aconteceu no fórum aquário no Brasil , as pessoas aqui ganham interesse por coisas diferentes .

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas speedgupy

 

Muito bom post força com isso pode ser que mais alguns se juntem a causa

 

Cumps

 

Rodolfo Silva

Share this post


Link to post
Share on other sites

De água salobra no momento só tenho platy(Xiphophorus maculatus) banjo (Bunocephalus coracoideus) Não sei se vai prestar,pois não é Platystacus spp., melanotaeni neon (Melanotaenia praecox) iriaterina (Iriatherina werneri) E agulhinha prata (Dermogenys pusillus) Nem pretendo salgá-lo por causa dos neons,pristellas,coridoras schwartzi,rodóstomos,minha borboleta de asas pretas,dojôs,barbos dourados,barbos cerejas,ramirezis,peixes lapis trifasciata,tanictis,xadrezinhos cauda-de-lira e minha kuhli negra. No momento tô namorando um baiacuzinho e quando comprá-lo vou colocá-lo num áqua separado também tô namorando alguns guppies. Mas mesmo assim criar só um tópico sobre esse assunto é pouco,deviamos criar um fórum dedicado apenas a estes peixes especiais.

Edited by agulhinha

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

 

Muito bom este tópico.... neste momento estou a meio da montagem do meu aquario de agua salobra (brackish) e ultimamente tenho feito alguma pesquisa, falta-me só saber quais os valores exactos dos kH, gH, Fe, NO2, NO3, NH4, NH3 e PO4 que devo ter no aquario para poder começar a encomendar os peixes ...

 

Á uns anos atrás tive um aquario destes mas dada a falta de conhecimento na altura limitava-me a adicionar sal marinho na agua ... sem nunca ter feito testes ...

 

Os peixes acabaram por morrer .... mas electrocutados :\ (o termoestato estalou)

 

 

Penso que se deveria divulgar mais este tipo de peixes pois dada a ascendencia dos salgados, os brackish foram deixados para trás .... á ums 4 / 5 anos quase todas as lojas tinham destes peixes, agora não se vê nem um ... só por encomenda ...

 

 

Quando tiver tempo vou abrir um topico com a montagem do meu aquario, e irei incluir algumas informações para quem esteja interessado em aderir..

 

Cumps

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas.

 

(informação adicional: aquário de 150 cm)

 

De á uns meses para cá tenho procurado informação sobre aquários de água salobra, tudo começou quando por curiosidade comprei um monodactylus para um aquário comunitário que tinha (o pouco que sabia era que qnd pequeno dava-se em agua doce) no entanto cerca de um mês depois fui entrega-lo á loja por ler lido que apesar de ser um peixe resistente, prefere o tipo de água completamente contraria dos discus (e na altura tinha um).

 

O bichinho ficou, imaginava como seria um cardume de 8 mono...

 

Aprofundei mais um pouco e soube então dos vários puffers, dos scatophagus, dos arqueiros, e outras espécies principalmente pelo excelente post que o speedgupy fez.

 

Foi então que dei destino a todos os peixes que não iriam tolerar esta aventura e pouco depois arranjei os primeiros 5 monos (não havia mais na loja), adorei! São uns doidos mas com uma beleza que dificilmente se encontra em peixes de água doce.

 

Pouco depois vieram 2 puffers green que contrariamente que dito em vários locais do fórum, são calmos e pacíficos, são óptimos exterminadores de caracóis uma vez que tem força para partir a casca deles, claro que ao lado de gupys ou outros peixes frágeis não seriam tão amistosos, mas com os meus monos, platys, espadas, arqueiros e scataphagus e Kribensis não se passa nada.

 

Ou seja, neste momento tenho:

4 Monodactylus médios e 5 pequenos (estes últimos comprados á uma semana, mas acho que exagerei, acho que vou devolver uns 3, é doidice a mais no aquário

1 Scatophagus tb este comprado a 1 semana (sacana não me come nada, só estou tranquilo pq o vejo o dia todo a comer plantas, com calma habituasse a artemia e flocos)

2 puffers green

2 arqueiros

4 kribensis (1 macho e 3 femeas)

3 coridoras (que como tenho subido a densidade de sal aos poucos, tem vindo a "acompanhar")

1 molly preta (não consigo quem me fique com ela ;)

4 platys

2 espadas

 

Agora vem as dúvidas:

 

1ª Qual a melhor combinação de lâmpadas para puxar pelas cores destes? Tenho 4 lâmpadas T8 (2 marine, 1 power, 1 flora)

 

2ª Como é o comportamento dos arqueiros? Pelo que li são peixes de grupo, mas os dos dois que aqui tenho, um deles obriga o outro a estar sempre no fundo do aquário ou num canto junto do termóstato, caso contrario sacode-o bem! É uma fase? Será por ser do mesmo sexo? Será por serem só dois? É que apesar de ser em grande parte do tempo, existe alturas em que estão tranquilos.

Ambos são do mesmo tamanho, vieram da mesma loja de animais com 2 semana de diferença.

 

3ª Que espécies de plantas dão se bem em salobra, e onde as posso encontrar?

 

4ª Se amanha quiser dar o próximo passo, para água salgada, será que os Mono, os Scatophagus, os arqueiros e os puffer se adaptam?

 

5ª Rocha viva ou mesmo corais toleram água salobra?

 

6ª Encontrei á pouco tempo uns ciclidios de água salobra tambem, nao sei o nome, mas tb nao sabia que para alem do kribensis havia outros ciclideos salobros.

 

 

Aqui está o meu contributo para este topico, acho que para o bem destes peixes, que realmente se devia abrir uma secção conforme já existe para agua doce e salgada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Brackish de 84l

 

Setup:

 

Um aquário de 84l (70x30x40) Temp:25C, pH 7,5, DH 12, salinidade 1.000 a 1005( levemente salobro).

Filtro 400l\h

Substrato: Cascalho de rio simples, camada de pedrinhas e areia calcária.

Enfeites( esconderijos) - 2 troncos tratados e dolomitas

Iluminação - 2 lâmpadas de 15w

termostato - 80w

 

Fauna:

 

4 Espadas (Xiphophorus hellerii) –preto 1 macho e 3 fêmeas- 10cm (Temperatura Ideal: 22°C ~ 28°C ,pH ideal : 7,0 – 7,5 dH ideal : 9º - 19º Salinidade máxima : 1,011 ( 15,4 ppm ) Sal: aconselha-se a adição de uma colher de chá de sal por cada 15l de água no aquário .

 

2 Molinésias latipinnas- 1 fêmea negra e 1 fêmea dálmata - de 10 a 12cm (Temperatura ideal : 17ºC - 27ºC pH ideal : 7 – 8.2 dH ideal : 12º - 34º Salinidade máxima : 1,036 ( 87 ppm)preferem inferiores a 1,007(10,2 ppm).

 

casal de kribensi(Pelvicachromis pulcher)-7 a 10 cm (pH : 6,5 à 7,5 dGH : 7° à 15° Temp: 24°C – 28°C salinidade: 1.000 – 1.005)

 

1 Agulhinha - 7cm (24-28°C), pH levemente alcalino (7.2-8.0) e, se possível, em água levemente salobra)

 

5 parambassis ranga (peixe vidro)- 8cm pH: 6.5-8.0 dureza: 9-20 temperatura: 25º-26ºC salinidade: 1.000-1007 )

 

1 mexirica ou casal ( etroplus maculatus) (8cm) pH: 7,5 a 8,5 Temperatura: 20º a 25 C Dureza: 9º a 19 DH

 

1 Abelhinha -Brachygobius sp. (pH: 7.2 a 7.8 Temperatura: 26º a 28ºC Dureza: 14º dGH a 25º dGH Tamanho Máximo: 4cm)

 

1 Baiacú figura 8 ( Tetraodon biocellatus) (de 6 a 8 cm)- (pH: 6.5-7.5 dureza: 5-15 temperatura: 22-26º C) aguenta baixa salinidade.

 

 

Flora de água salobra:

 

- Vesicularia Dubyana : Também conhecido como Musgo de java, pode tolerar até mesmo água mais dura

(Cuidado:fácil Cascalho:nenhum Iluminação:fraca)

 

- Microsorium pteropus( samambaia de java) : Uma das melhores plantas a se manter em tanque brackish. É uma das únicas plantas para aquários que é naturalmente de água salobra; (Cuidado: Fácil Cascalho: Nenhum Iluminação:fraca)

 

-Valisnéria Spiralis(Cuidado:fácil Cascalho:simples Iluminação: Média)

 

- Elodea-

 

- Higrófila(Cuidado Cascalho Iluminação Origem: Índia Fácil Simples Forte)

 

- Rabo de raposa

 

- Sagitária

 

 

E aí, o que acham? Esse é o setup que imaginei p o meu futuro brackish, está bem composto, vcs podem me ajudar?

 

Posso adicionar algum invertebrado como caranguejo uça , aratu ou algum camarão a esse setup, qual?? O que deveria modificar ou adicionar ao setup? Só sei q caranguejos precisam de uma parte emersa.

 

Até agora tenho 4 espadas a espera num aquário de 20 l e esse aquário de 84l ciclando com elodeas, valisnérias e 1 higrófila:

 

http://imageshack.us.../dscf2049w.jpg/

Edited by Daniela Souza

Share this post


Link to post
Share on other sites

Este é daqueles tópicos que, sim, contribuem positivamente para a aquariofilia e para a nossa cultura!

 

Obrigado e os meus Parabéns Luís Torrão e outros que também contribuem e perdem do seu tempo a dar-nos o seu conhecimento e dedicação!!!

Edited by R.F.S.F.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sign in to follow this