dg12

Escolha de iluminação para um aquário de água doce

Recommended Posts

Boas a todos os aquariófilos,


Com este tópico pretendo, com a ajuda de outros membros deste fórum, tornar o que parece ser muito complicado num texto simples no que toca ao tema: 'Escolha de iluminação para um aquário de água doce'. Isto surge no propósito de existirem imensas dúvidas em tópicos abertos, nem todos criados só por principiantes na aquariofilia.


Assim sendo, seja um principiante a montar o primeiro aquário, ou alguém que já tenha um aquário há muito tempo e queira fazer uma mudança de layout/fauna/flora, o sistema de iluminação é algo a considerar aquando da montagem. Para uma correcta escolha da tecnologia e dimensionamento do sistema de iluminação, é necessário ter em atenção vários factores, entre os quais os mais importantes serão:

- Montante a investir (€);

- Disponibilidade de mercado (p.e. poderá não haver um modelo de calha de iluminação LED ainda disponível em determinada loja);

- Dimensão do aquário em questão (prende-se mais com o suporte da calha ou outro tipo de sistema de iluminação);

- Altura da coluna de água (leia-se mais à frente);

- Possibilidade de adaptação de um sistema antigo por uma tecnologia mais eficiente ou com melhores níveis de iluminação pretendidos (caso de alguém que tenha uma calha velha parada e quiser recuperá-la);

- Fauna e flora pretendida (prende-se com o espectro de radiação);

- Layout e hardscape escolhido (prende-se com as cores e contrastes no aquário);

- Aquário com tampa única ou aquário aberto;

- Existência ou não de sistema de iluminação e fertilização;

- etc...


Com isto tudo em mente já, foram criadas umas regras hipotéticas que ajudam de uma forma muito básica a escolher 'a luz que um aquário deve ter, considerando se precisa de pouca, média ou muita luz' (numa linguagem técnica muito pobre), sendo estas a regra do lúmen/Watt e lúmen/litro. A primeira representa a eficiência luminosa de um dado sistema de iluminação, enquanto a segunda corresponde aos níveis de necessidades de plantas de fácil, média ou alta manutenção, como indica a foto seguinte retirada do site da trópica:

Table-lumen-per-liter-water_299x270.jpg


Se quisermos ter apenas um aquário de dimensão 60x30x30cm com musgo de java e anubias p.e., podemos ter um sistema de iluminação com um débito de 1000 lúmens, de acordo com esta regra. Podendo esta ser uma regra de fácil aplicação e entendimento, não é 100% certa, devido a não considerar todos os factores acima descritos. Por exemplo, se tiver agora um aquário de 30cx30lx60a (sim, uma dimensão esquisita), será que com uns 50cm de altura de coluna de água, a luz chegue ao fundo do aquário? Se for uma lâmpada de foco hqi, sim talvez... Se for 3 tiras de 30cm de LED SMD 3528, talvez já não, mesmo esta sendo uma tecnologia 'mais eficiente'.


Existe uma regra também, que eu não suporto ver: a Watt/litro. É uma regra irritante e bastante mal-feita, e talvez um dos principais motivos de confusão para os principiantes, sendo muitas vezes usada até por empresas conceituadas. Identicamente à regra anterior, recomenda-se 0.25-0.5Watt/litro para plantas de fácil manutenção, 0.5-1Watt/litro para plantas de média manutenção e +1Watt/litro para plantas de difícil manutenção. Vamos deitar esta regra abaixo da seguinte forma: por exemplo... Uma lâmpada incandescente de 100W é capaz de debitar 360º volumetricamente uns 1500 lúmens, mas um foco LED de 3chips de 5W (15W total) consegue debitar num ângulo de 120º volumétricos a mesma quantidade. Esperem... mas assim, um aquário de 200lt, com a lâmpada incandescente de 100W pode ter plantas de fácil/média manutenção... E com o foco LED que tem um nível de eficiência muito melhor, com o mesmo débito luminoso, nem plantas de fácil manutenção pode ter?? :eusathink:


Agora, porque é que é importante a iluminação num aquário, para além de conseguirmos ver os nossos peixinhos a nadar dentro dele? Então, como todos nós demos na escolinha, os animais respiram oxigénio e libertam dióxido de carbono, enquanto as plantas fazem o contrário, 'respirando' dióxido de carbono e libertando oxigénio (enquanto a luz está ligada, fazendo o inverso quando elas pensam que é de noite, por isso aconselha-se que ninguém tenha plantas em vasos nos quartos de dormir). Isto chama-se um processo fotossintético e é replicado para os nossos aquários, tendo como protagonistas os peixinhos, camarões, caracóis e as plantas.


Tal como o sol se levanta e põe no céu, os nossos aquários precisam que o nível de iluminação faça algo idêntico... Mas como um controlador de vários níveis de iluminação que imita o nascer e por do sol através do efeito dimming, com programação de espectros de radiação diversos, está um pouco fora de mãos em termos económicos, o que é aconselhado a fazer é estipular um 'fotoperíodo'. O que é isto? É uma gama de tempo diário em que o sistema de iluminação está ligado, recomendando-se 6-10horas. Preferivelmente, deve-se ter em atenção que se se definir o fotoperiodo para a noite, e o aquário é iluminado por luz solar no quarto/sala durante o dia, a 'noite' para as plantas e peixes é curta.


Sem querer entrar muito pelos tópicos de fertilização e CO2, que também deverão ser abordados de forma igual a este tópico, se tivermos injecção de CO2 e fertilização no aquário, maiores e melhores níveis de iluminação e espectro serão precisos para conseguir manter o bom equilíbrio do aquário e nunca se deve ter injecção de CO2 com o sistema de iluminação desligado, pelos mesmos motivos acima descritos.


Não entendendo muito dos espectros de radiação de sistemas de iluminação e a sua correlação para a fauna/flora do nosso aquário, vou tentar expor de forma mais clara possível o necessário básico. Muitas vezes, quando vamos a uma loja ver as lâmpadas tubulares fluorescentes (t5 e t8), deparamo-nos com um gráfico na embalagem com uns picos e cores, muitas vezes acentuadas nos tons de vermelho e azul, raramente no verde (digo isto porque demos na escola a escala RGB, vermelha-verde-azul). Porquê? Então para termos uma luz branca, não precisamos de um mesmo nível no espectro destas 3 cores? Sim, precisamos, mas em aquário o mesmo não é pretendido a 100%. Vejam a seguinte foto:

fotossintese2.jpg


Como se pode ver, as 'montanhas' ou picos estão acentuados na gama da cor vermelha e azul. Isto acontece porque as plantas utilizam pouco a gama verde, gostando mais do tom azulado (promove o crescimento e robustez) e o tom avermelhado (promovendo a floração, particularmente no estado emerso). O tom azulado na aquariofilia também é usado para dar o efeito de luar (moonlight). Com isto tudo, adicionando ainda o tom verde do espectro, começa-se a formar um disperso tom esbranquiçado que, com um correcto balanço, agrada tanto a plantas, como peixes e também nós, que vemos as cores reflectidas dos nossos ramirezis e guppies.


Depois, em termos mais práticos, existe o conceito de temperatura de cor. Normalmente na nossa casa temos lâmpadas fluorescentes de rosca (casquilhos E14 e E27) de 2 tipos de cores, um tom mais amarelado (3000-3500K) e outro mais esbranquiçado (6000-6500K), havendo uma gama muito maior, que vai desde os 2500K-20000K em termos de lâmpadas no vasto mercado (ver escala na figura seguinte). Há quem prefira o tom mais esbranquiçado (eu por exemplo) e há quem prefira o tom amarelado, mas na verdade, em termos de saúde em nossa casa haveríamos de usar ambas. Nas nossas salas e quartos de dormir é aconselhado o amarelo, enquanto que na cozinha, dispensa, corredor, etc.. o branco.

colortemp.jpg


Porquê? Isso já tem a ver com funcionamento do nossos olhos e por aí além, mas o que é mais necessário saber é quanto mais baixo for, menor reflexão de luz existe e menos intensidade de cor os olhos conseguem apanhar, dando uma sensação de menor cansaço visual (queremos estar mais descansados a descontrair na nossa sala à noite e no quarto) e quanto maior for, mais reflexão e percepção de cor teremos, implicando que haja mais 'trabalho emparelhado' entre os nossos olhos e cérebro, evitando assim tropeçarmos num sapato no meio do corredor porque não o vimos devido ao tom de luz.


A mesma coisa se aplica aos nossos aquários. O mais aconselhado, em termos de temperatura de cor (pondo de lado o espectro de radiação) é a gama dos 4500-6500K (O termo Natural-Cool White). Abaixo disto, torna-se difícil a percepção visual, tanto nossa como dos nossos peixes dentro do próprio aquário e acima desta gama só mesmo para água salgada (usa-se muito os 10000K, mas não vou abordar esse assunto aqui).


Outra coisa importante a falar e que muitos acabam por se esquecer é a impermeabilidade do sistema ou ponto de iluminação. Sempre que possível, usa-se uma tecnologia com indíce de protecção IPXY. O que o X representa não é importante para a aquariofilia, mas normalmente vê-se substituído pelo dígito 6. O último dígito do índice é que é importante, sendo que 5 corresponde à prova de humidade, o 7 à prova de água/salpicos e o 8 quer dizer que o sistema é submersível. Mas por exemplo, se tiverem um sistema LED em que o chip seja IP67 e o driver apenas IP63, não quer dizer que não o possam utilizar... Apenas implica que só podem colocar por cima da superfície de água o chip, mantendo o driver sem possibilidade de contacto com a água/humidade.


Para finalizar, vou só realçar que no nosso mercado mais realista em termos económicos, existem imensas aplicações de tecnologias de iluminação nos nossos sistemas para aquários, nomeadamente:


- Incandescente - Para mim isto é história já, não creio que valha a pena abordar;

170px-Gluehlampe_01_KMJ.png


- HQI - não domino muito o assunto, mas sei que ainda é muito utilizado na aquariofilia e que tem algumas vantagens, como o 'arranque lento'. Peço ajuda a outros mais entendidos nisto para expor ideias;

Aquarium_HQI_MH_lamps.jpg


- Fluorescente (tubulares T5 e T8, G23 e vários casquilhos) - Já é uma tecnologia com idade mas talvez a com melhor racio qualidade-preço em termos de utilização na aquariofilia. Comparando as tubulares, recomenda-se sempre, se houver possibilidade, de optar pelas t5 em detrimento das t8, mas sempre que possível utilizar reflectores para maximizar o rendimento obtido;

t5-t8.jpg


- LED (Light Emitting Diode)...


Como amante da tecnologia LED que sou, sempre que tenho hipótese, troco o sistema de iluminação de qualquer aquário por LED... Até em minha casa não uso mais nada! Com isto, as formas mais encontradas no nosso mercado são:

- Chips - Variam entre os 0.1W até aos 100W, precisando sempre de um controlador/driver adequado (lâmpadas com esta tecnologia já têm embutidas, só é preciso entrar em conta aquando uma montagem DIY);

- COB - uma tecnologia recente a ser adaptada a muitas aplicações nesta área, tem bastantes vantagens e ocupa pouco espaço (falando da parte iluminativa), aparecendo em forma de módulos, barras, lâmpadas e até tiras. Necessita também de controlador/driver.

- SMD - talvez a tecnologia mais utilizada dentro da área LED, estando no mercado há bastante tempo e sempre em actualização e mudança, aparecendo tanto em tiras moldáveis, como módulos e até lâmpadas...

5630vs5050vs3528-LED.jpg?2199

Screenshot_2015-09-05-01-32-20_1_zpsn6a5


Dentro da tecnologia SMD, existe:

- SMD 3528 - Tecnologia já em desuso devido ao seu pouco rendimento (em termos de tecnologia LED como é óbvio), mas que suporta o formato RGB programável;

- SMD 3014 - Idêntica ao acima descrito, com certas vantagens e outras desvantagens que creio que não vale a pena discutir;

- SMD 5050 - caracteriza-se por uns pequenos módulos de formato quadrado, melhores em termos de eficiência que os 3528 ou 2538 e possivelmente os que ocupam a maior parcela de mercado LED actualmente. Em termos de conciliação de aquariofilia, hidroponia e aquaponia, são os mais 'polivalentes' porque vêem em formato RGB programável, o que é óptimo para culturas emersas também;

5M-Plant-Growing-7-1-RED-BLUE-5050-LED-S


- SMD 5630 e 5730 - Em termos de eficiência, opta-se sempre por estes dentro da tecnologia SMD, conseguindo dar uma intensidade iluminativa muito boa. Uma tira de um metro disto, com um transformador adequado, ilumina um aquário 100cx50lx50a até ao fundo, consumindo horariamente apenas 14-15Wh. Sempre que tenho hipótese, é esta tecnologia que uso nos meus aquários, seja em tiras ou módulos impermeáveis;


Peço que os moderadores mais aptos a complementar esta informação o possam fazer, podendo até editar o meu tópico directamente (especialmente em termos de figuras e imagens). Creio que também era importante fazer algo idêntico para a água salgada. Pode haver uma correspondência de alguns factores aqui abordados e outras coisas que sejam idênticas entre a água salgada e doce, mas como não domino nada do assunto, não vou meter-me nisso. E se encontrarem um erro ortográfico, corrijam por favor :)


Espero ter ajudado os mais novos e mais velhos no assunto com esta iniciativa! E que, mesmo que este não se torne inamovível, que leve a que alguém componha algo do género para que se faça um tópico inamovível quanto à iluminação (doce e salgado) e também à fertilização, visto que já existe um para o CO2. Peço também uma ajuda para o título deste tópico.


cumprimentos aquariófilos,

David

Edited by A. Ferreira
correcção
  • Upvote 10

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parabéns pelo excelente trabalho sem duvida uma grande ajuda para todos...

 

Cumps

 

Enviado do meu V3 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado Filipe Sampaio. Mas creio que está muito maçudo... Quando tiver mais tempo, a ver se meto mais umas fotos complementares, links e umas cores lol

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tendo em conta o tipo de conteudo está muito bom e bem simplificado.

Tal como tu tambem sou um amante dos leds e tive que passar horas a ler foruns e a ver sites, muitos deles em inglês, e as vezes ainda ficava mais confuso.

Acho que conseguiste reunir muita informação util em relativamente pouco espaço.

Mais uma vez parabéns e obrigado pelo excelente trabalho.

 

Cumps

 

Enviado do meu V3 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Screenshot_2015-09-05-01-32-20_1_zpsn6a5voi7.jpg" alt="Screenshot_2015-09-05-01-32-20_1_zpsn6a5"> encontrei esta imagem neste site http://heracolights.com/2014/03/10/3528-vs-5050-vs-5630-led-smd-diodes/tem alguma informação que acho que pode ser útil.

 

Enviado do meu K013 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu estive à procura duma tabela desse género para os SMD! Dava-me um jeitão para depois, se fosse necessário ou se alguém tivesse alguma dúvida, explicar como funcionavam as tiras (a nível energético e não funcional que para mim é quase mágico lol) e demonstrar o porquê de as tiras serem alimentadas a 12V / XA e também o porquê de se poder cortar as tiras de 3 em 3 leds.

 

cumps,

David


Filipe Sampaio, mais logo quando tiver tempo vou aproveitar essa imagem que encontraste para completar a parte dos SMD.

 

cumps

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pronto, já fiz umas pequenas correcções e adaptações de figuras para embelezar o post :)

 

cumps,

David

Share this post


Link to post
Share on other sites

Talvez eu não tenha percebido o objectivo deste post... mas isto que aqui fizeste já existe aos pontapés pela net a fora com mais ou menos detalhe em algumas secções. Talvez não tão bem "explicado/traduzido" uma vez que grande parte das informações aparecem em inglês...

Eu estava a acompanhar o outro topico e fiquei esperançado/curioso com este.

Não se deveria focar um pouco mais os aspectos praticos ( como aqueles que se estavam a discutir no outro topico) em vez de mais um glossário de definições? Ou escreveste isto como uma "introdução" a toda a discução e inputs que vão começar a aparecer agora relacionados com as experiencias dos varios user e dos seus setups? (espero que sim :naughty: )

 

Dg-12 não te deixo de dar mérito pela pro-actividade de iniciares isto. Boa! :dance:

 

Vou deixar aqui o meu contributo prático:
tenho dois aquarios, um com 100x50x60 (coluna de agua efectiva 48 e T5s a 10cm da agua), outro com 45x35x35 (ja teve como iluminação Led5050, 3 tiras de 35cm, agora está com uma economizadora philips minitornado 12W na vertical)

 

Segui esta tabela para as t5s

64314d1324070281-t5-ho-light-fixture-goo

E muito sinceramente dos 20inch (50cm) esqueçam as T5 não tem poder de penetração suficiente e com duas T5s (39W) entre o topo do aquario e os 10cm deveria ter uma intensidade alta- verifica!
Penso que seria muito mais benéfico ter 3 T5s e subir a altura destas ( estou ciente que é pouca luza para esta litragem mas as plantas que tem não requerem muito mais) Está em calha o plano para adicionar mais 2 T5 de 39W)... mas presumo que seja demais e tenha um boom de algas.

No outro aquario, ao contrario do que esperava as tiras led 5050 dos chinos (impermeaveis com silicone) funcionaram por mais de um ano sem perda notável do brilho, tinha 3 tiras com 35cm o mais perto do topo da agua ( ou seja os 35cm). As anúbias nana cresceram sem grandes alterações no entanto o musgo de java e o flame definham. O Leds 5050 não têm capacidade para chegar ao fundo. servem talvez para um aquario de camarões pouco profundo 20-25cm e com flora pouco exigente.

Estou agora a experimentar uma luminária DIY com duas Economizadoras Philips mini tornado de 12W na vertical e com um reflector improvisado.
Noto que o musgo consegue crescer mas...acho que não me convence pelo menos a olho não me parece luminosidade suficiente. Talvez tente as lampadas LED do IKEA, comprei uma no outro dia para um candeiro e apesar de ser 3200K pareceu-me ser bastante luminosa para a potência.

Os leds que descomissionei talvez use para o efeito nascer/por do sol

Edited by Nelson Matos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Viva Nelson Matos,

 

O que eu quis fazer foi um englobar dessa informação toda espalhada por aí e compactar tudo, o mais breve e sucinto possível neste tópico, pois creio que era uma mais valia para os utilizadores deste fórum.

 

E sim, tens razão, a ideia seria passar por um processo de esclarecimento de dúvidas, sejam teóricas ou práticas. Pode eventualmente vir aqui um membro perguntar algo do género:

 

- Para um aquário 80x40x30, quantos metros de tira 5050 SMD deveria colocar para plantas de fácil manutenção e como fazer com a disposição das mesmas?;

- Para um aquário 40x20x25, que tipo de iluminação seria aconselhável colocar, visto que um balastro mais lâmpada t5 de 35cm custa 10€ e uma lâmpada LED de foco + calha custa 15€?;

- Qual a grande diferença em termos práticos entre os SMD 5730 e 5630 e o porquê de dizeres que aconselhas estes aos 5050 quando dizes que estes últimos têm RGB programável?

 

E coisas do género...

 

A tua contribuição é benéfica mesmo sendo algo muito prático e definido, mas não implicando que alguém num futuro próximo não passe por uma dúvida semelhante e que a tua resposta ajude.

 

Esse LED do IKEA, qual falas? Essas economizadoras da Philips, nunca usei, mas nunca pensaria em arriscar.

 

Para o efeito por-de-sol, que controlador estavas a pensar usar?

 

cumps,

David

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas David,

 

Embora concorde que informação relacionada existe a rodos na NET a sistematização desta é uma mais valia. Até para refrescar alguns conceitos que se vão esquecendo.

 

Os meus parabéns!

 

Sent from my Nexus 4 using Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

 

 

A tua contribuição é benéfica mesmo sendo algo muito prático e definido, mas não implicando que alguém num futuro próximo não passe por uma dúvida semelhante e que a tua resposta ajude.

Nunca há dois sistemas/setups que se comportem de forma igual a única coisa que fiz foi ajudar logo a descartar algumas hipoteses que alguns ainda consideram ( os 5050 para mais de 25cm de altura).

O forum é para isso que serve, duvidas respostas, troca de ideias etc etc.

 

Esse LED do IKEA, qual falas? Essas economizadoras da Philips, nunca usei, mas nunca pensaria em arriscar.

A lampada que comprei para o candeeiro é esta http://www.ikea.com/pt/pt/catalog/products/00301423/ mas para aquario não serve porque dispersa luz quase 360º, no entanto têm lá outras que talvez funcionem.

Dizes arriscar com as economizadoras Philips porquê? Aquilo funciona que é um mimo, acho é que não tem power suficiente.

Para fazer isto acho que também é preferível ir para T5s

F8EYZB6HJKC816D.RECT2100.jpg

 

 

Para o efeito por-de-sol, que controlador estavas a pensar usar?

Aqui há duas hipoteses, ou lampadas Led dimmable ou Leds 5050, qualquer um deles controlado por um arduino.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aquilo que queria dizer com o 'arriscar com as lâmpadas economizadoras Philips' era que para aquário, essas lâmpadas nunca dariam. Os níveis de iluminância + dispersão da luz em 360º das mesmas não dão para furar talvez 20cm de coluna de água, não? :)

 

Os dimmers que eu conheço para os SMD são todos manuais, pelo que não eram muito viáveis. Quanto ao arduíno, não sou entendido do assunto... daria para fazer algo automático e programável?

 

cumps,

David

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Falas.te numa coisa importante. Dispersão.

Por cima das milhas calhar ontem tem a lâmpada t8 de 61cm tem uma placa de plástico branca para fazer reflexão.

Essas placas devem ser trocadas? Onde arranjar ?

Cobri.las com alumínio daria mais eficiência?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aquilo que queria dizer com o 'arriscar com as lâmpadas economizadoras Philips' era que para aquário, essas lâmpadas nunca dariam. Os níveis de iluminância + dispersão da luz em 360º das mesmas não dão para furar talvez 20cm de coluna de água, não? :)

 

Os dimmers que eu conheço para os SMD são todos manuais, pelo que não eram muito viáveis. Quanto ao arduíno, não sou entendido do assunto... daria para fazer algo automático e programável?

 

cumps,

David

 

Furam os 20cm sem problema...dependendo do que queres. Se queres um tapete com 35cm esquece mas se tiveres 35cm com plantas tipo anubias, musgo java, quadricostatos, etc ou seja plantas de pouca exigência dá.

A questão da dispersão dos 360º tem de ser colmatada com reflectores tal como nas T8 e T5, daí a grande vantagem para sistemas de led com os famosos 120º/150º.

 

Com o arduino consegues programar tudo e mais um par de botas, tens até modulos RF que te permitem fazer comandos etc.

Para fazers o dimming podes simplesmente usar um transistor or mosfet.

Patinas um pouco até conseguires programar aquilo em condições e talvez seja a especificação de tudos os componentes que precisas a fase mais complicada da coisa por existem imensos tuturials e questões identicas pelos foruns do arduino net a fora.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Existe alguma mudança DYM que deie para fazer a esses receptores de plástico para aumentar a luz para a água e diminuir o aquecimento da tampa ?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Podes sempre substituir por reflectores de alumínio ou folha de alumínio, mas quanto ao aquecimento não há-de haver grandes melhorias. Se possível, podes dar um jeito à lampada de modo a afastá-la um pouco mais do plástico da tampa.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Os meus reflectores são em plástico

Share this post


Link to post
Share on other sites

É que por ex a lâmpada Aqua GLO da Hagen é de 18000k... Onde encontrar algo com esses k em led ?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tens aqui por exemplo

http://www.alibaba.com/product-detail/lumini-Aqua-programmable-full-spectrum-18000k_1816381458.html?spm=a2700.7724857.35.18.w07kP4&s=p

 

Mas acho que te estás a focar um ponto que a meu ver não é assim tão importante.

Por acaso estava a ver um site precisamente sobre esse assunto.

 

7º) TEMPERATURA DE COR - objetos muito quentes, como filamentos de lâmpadas incandescentes, brasas, tochas, altos fornos e estrelas, emitem luz com espectros bastante específicos e independentes do material que são feitos, portanto pode-se fazer uma equivalência direta entre a tonalidade da cor emitida com a temperatura do objeto, geralmente expressa em Kelvin (K).

  • Lâmpadas com temperatura de cor em torno de 2700 K têm aparência amarelada e passam a sensação visual de 'quentes' apesar da temperatura menor.
  • Lâmpadas com temperatura de cor em torno de 5500 K têm aparência branco-amarelada.
  • Lâmpadas com temperatura de cor acima de 6500 K têm aparência branco-azulada e passam a sensação visual de 'frias' apesar da temperatura ser maior.

 

A luz natural do nosso Sol, em céu aberto e ao meio dia, tem temperatura de cor em torno de 5400-5500 K. Portanto, para imitar a luz solar natural a temperatura de cor para aquários plantados deve ser algo em torno de 5200 a 6500 K. Usar lâmpadas abaixo ou acima destes valores é uma questão de gosto pessoal do aquarista por um visual mais amarelado ou azulado do aquário.

Muitas lâmpadas não têm o objetivo de reproduzir com fidelidade a tonalidade natural equivalente a um objeto quente. Por exemplo, não é possível classificar a temperatura de cor para as lâmpadas de horticultura, como erroneamente vem estampada na embalagem de algumas destas lâmpadas (18000 K?). Pense bem, se realmente estas lâmpadas tivessem temperaturas de cor em 10000 ou 18000K deveriam apresentar luz intensamente azulada. Acredito que tenha ocorrido um erro de interpretação pois o valor 1800 K seria o mais adequado à coloração rosada destas lâmpadas.

Edited by Filipe Sampaio

Share this post


Link to post
Share on other sites

Toda esta informação foi retirada desta pagina:

http://www.aquahobby.com/articles/b_ilum.php

 

 

A pesquisa começou porque li algures que a cor da luz influência o desenvolvimento da planta.

E foi isto para já que encontrei:

 

ilum1_zpsc5i4txxv.jpg

 

 

 

O olho humano tem maior sensibilidade, em termos de intensidade, na faixa do verde (500 a 560 nm) e amarelo (560 a 600 nm). No processo da fotossíntese as clorofilas das plantas absorvem a luz com maior intensidade nas faixas no azul (430 a 470 nm), laranja (600 a 640 nm) e vermelho (640 a 780 nm). Entretanto, vale ressaltar que o processo fotossintetizante não é regido unicamente pelas clorofilas, sendo influenciado também por outros pigmentos acessórios que absorvem de forma mais eficiente algumas radiações, posteriormente transferindo esta energia para as clorofilas. Os pigmentos licopenos e carotenos são muito eficientes com as radiações de picos azuis, e as ficoeritrinas e ficoxantinas tem suas absorções próximas às das clorofilas. É importante observar que, apesar da maior absorção da luz azul, há maior resposta fotossintetizante à luz vermelha; este fato se deve a um complexo processo de transferência da energia absorvida, dada a maior instabilidade da clorofila frente aos altos estados de excitação energética que são proporcionados pela luz azul.

 

 

Para aquários plantados seria aconselhável uma proporção mínima em torno de 30 - 60 lúmens por litro de água do aquário (volume bruto).

Iluminação (lm/L) Baixa/Fraca <25 Média/Moderada 25-55 Forte/Clara 55-90 Muito Forte/Intensa >90

Capturar1_zpspqdviuti.jpg

Edited by Filipe Sampaio

Share this post


Link to post
Share on other sites

18000K é um pouco overkill.

As plantas mais altas até que podem gostar mas essa temperatura para as plantas no fundo de nada serve.

Tens as grolux de 8000K e vá as de 10000K mais que isso penso que seja desnecessário.
Já agora +/-16€ dessa comprava uma grolux e um 6500K

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por acaso não custa 16 mas sim 11.

E a Aqua GLO é para realçar cor dos peixes. A flora GLO é que é penso eu de 2800k e é para as plantas.

A questão prende.se que opção tenho para usar em vez dessas 2 por ex , 2 tubulares led com abertura de 160 mas será suficiente os 6400k e os 3500?

Ou antes disso para poder comparar, dessa marca Hagen e tendo espaço para 2 lâmpadas qual devia ser a conjugação delas ? É que existem uns 7/8 modelos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vi o preço num site ingles e fiz a conversão... bem 11€ é realmente mais barato mas continuo um pouco descrente na sua mais valia.

Alguma razão particular para escolheres a Hagen?
Eu se apenas tivesse duas lampadas ia para as duas de 6500K fosse LED ou Ts.

 

De LED a única experiência que tenho são as tiras do chines, mas lembro-me que havia por aqui um tópico de um membro que comprou umas T5 LEDs na aqueden (marca Innoyara) para substituir as flurescentes e até nem dizia muito mal daquilo eu depois perdi o topico mas também gostava de saber o resultado final. Dá uma vista de olhos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A questão é que as normais t8 de 6500 não têm nem metade dos lumens dessas da Hagen

Edited by AndrePeixoto

Share this post


Link to post
Share on other sites

18000K é um pouco overkill.

As plantas mais altas até que podem gostar mas essa temperatura para as plantas no fundo de nada serve.

Tens as grolux de 8000K e vá as de 10000K mais que isso penso que seja desnecessário.

Já agora +/-16€ dessa comprava uma grolux e um 6500K

 

Overkill parece-me mesmo a palavra mais adequada ;)

Vi o preço num site ingles e fiz a conversão... bem 11€ é realmente mais barato mas continuo um pouco descrente na sua mais valia.

Alguma razão particular para escolheres a Hagen?

Eu se apenas tivesse duas lampadas ia para as duas de 6500K fosse LED ou Ts.

 

De LED a única experiência que tenho são as tiras do chines, mas lembro-me que havia por aqui um tópico de um membro que comprou umas T5 LEDs na aqueden (marca Innoyara) para substituir as flurescentes e até nem dizia muito mal daquilo eu depois perdi o topico mas também gostava de saber o resultado final. Dá uma vista de olhos.

 

Se for as que estou a pensar, esses tubos de encaixe t5 são apenas tiras de LED SMD 3528. E até que aquando da montagem desse tubo, tem que se retirar o arrancador do balastro.

Share this post


Link to post
Share on other sites