VVolf

.Membro
  • Content Count

    23
  • Joined

  • Last visited

  • Country

    Portugal

Everything posted by VVolf

  1. Boas, posso te garantir que os nenufares ficam enormes e acabam por morrer por falta de condições. Nunca experimentei mas do que conheço de nenufares não seria viável, até porque um aquário de 50 litros é um bom vaso para um nenufar num lago. Mas acho que tenho uma solução para o teu problema. Há duas espécies que até sao autoctones em Portugal, que são basicamente nenufares em miniatura e podes tentar a tua sorte. Uma delas é o Frogbit (Hydrocharis morsus-ranae). É uma planta sensivel às temperaturas e nos lagos morre no inverno mas volta a nascer na primavera. No aquário deve ser ideal. Comprei pelo Ebay uns 4 pés e paguei 3€ de portes vindo da Rep. Checa. Bom e barato. A segunda é a Nymphoides peltata. Bastante mais resistente que a primeira, perde só a parte aérea no inverno. Tem as folhas ligeiramente maiores e dá flor amarela. Ando para experimentar outra espécie que é a Nymphoides Indica, talvez também seja adequada. Resumindo: Faz uma pesquisa no google pelo grupo botânico Nymphoides e vês as opções que te parecerem melhores.
  2. Boas, posso-te recomendar plantas mais acessíveis, daquelas que encontras na natureza ou então no pingo doce/continente/jumbo e afins visto que não sou apologista de ir a lojas. - Se quiseres nenufares tens uma grande opção: OLX, onde tens pessoal a vender de norte a sul, enviam-te por correio e voilá. Já comprei inumeros por lá, por vezes são pequeninos mas no mesmo ano ficam enormes e dão bastantes folhas. Mas se preferires compras presenciais o melhor sítio são hortos. No OLX também já comprei Elodeas, Salvinia Natans, Vallisnerias, nunca tive nenhum problema com vendedores. --------------------------------------------------- - Se quiseres tentar flor de lótus em semente: aliexpress, compras cada semente a um preço médio de 0.05€, são dificeis de manter e muito sensiveis mas pode ser que tenhas sorte. --------------------------------------------------- - Nos hipermercados tens aqueles vasos de aromáticas na parte dos frescos. Muitas delas são plantas aquáticas aptas para lagos (quase ninguém sabe), como: Poejo (Mentha Pulegium), Hortelã de Água (Mentha Aquática), Hortelã dos Ribeiros (Mentha Cervina), Erva Amarga (Rumex Sanguinea). ----------------------------------------------------------- -Em qualquer loja compras um saco de sementes de Agrião de Água. Espetacular para filtrar a água. E ainda podes fazer salada no fim. - Se tiveres alguma barragem por perto podes tentar procurar por Egeria Densa (no olx também vendem), Myriophilum Spicatum, Ranunculus Aquatilis, Juncus nas margens. Há também plantas que cresce nos campos abandonados: erva cavalinho (Equisetum Hyemale), Jarros etc. Depois, em ultima instancia, se não tiveres mesmo por onde comprar, sugiro o Ebay, tens sempre qualidade de serviço, qualidade de entrega, o preço não é muito alto e arranjas mais variedade.
  3. Felizmente voltei a ter oportunidade de me encontrar com este animal. E pela análise que lhe fiz, agora que sabia minimamente com o que estava a lidar, concluí estar na presença da já rara Rã Ibérica. Olhos laterais, manchas negras nos olhos, tamanho inferior a 5 cm, gosta de se esconder na vegetação marginal. Muito menos tímida que a rã verde. Infelizmente não vejo vestígios de mais nenhuma pelas redondezas... Aqui fica um video do meu ultimo encontro com ela, pelos vistos gostou do lago :)
  4. Excelente sugestão e excelente site. Obrigado. Pena não dar para conhecer as coordenadas GPS exatas dos diferentes locais.
  5. Oh não te preocupes com isso hehe :D Podes dizer a loja na mesma, se me enviarem por correio pode ser que eu compre, ou então pode ser que ajude outro membro que passe por aqui e lhe dê jeito. Um abraço e obrigado na mesma.
  6. Não tem mal, sem problema ;) Não estava registado no mapa de membros, mas penso que não era a isso que te referias. Ou pode ser algum problema do "novo" forum...
  7. Peço desculpa se estou a dizer alguma asneira mas eu tenho o meu perfil preenchido com todas as informações.
  8. VVolf

    VVolf

  9. Boas, ja ando ha algum tempo desesperadamente a procura destas especies de plantas para os meus lagos: Ranunculus aquatilis. Pontederia Cordata. Hotonia Palustris. Myosotis Scorpioides. Alguém sabe onde posso comprar ou encontrar? Há alguma loja online ou física que recomendem para plantas aquáticas de exterior? Tudo o que vejo no olx é um autêntico roubo e ainda cobram portes. Do estrangeiro no mínimo sao portes de 10€ para cima. Se alguém tiver alguma destas especies e me puder vender também agradecia. Desde ja obrigado a quem me puder ajudar.
  10. Bem, é claramente uma espécie de papiro. Tenho a certeza que é do genero Cyperus, o que significa que se dá mergulhado em água ou como marginal. Mas não me parece ser o papiro comum (Cyperus papyrus) nem o Cyperus Alternifolius.
  11. Olá José, as raízes começam a formar-se ao longo dos caules que estão mergulhados em água. Penso que basta um pé da planta, que este enraíza desde que esteja em água.
  12. Já tive rãs que me subiram escadas de 20 degraus que tenho no quintal, só para mudar de um lago para o tanque que fica no socalco mais a cima. Eu não tenho peixes, mas se há planta marginal que resista a essa devastação acho que é o poejo devido ao seu rápido crescimento. É também um ótimo filtro natural porque cria umas raízes enormes. Este é um poejo que plantei em Dezembro de 2016 (1,30€ no pingo doce): Isto são as raízes aquáticas de um poejo que mudei de lago (com 2 meses): Relembro que estas raízes são poder de filtragem puro dos nutrientes e é isto que proporciona o crescimento rápido da planta.
  13. Boa noite, pela minha experiência os melhores sítios para adquirir plantas para lagos em Portugal é nos hortos ou então no OLX. Algumas lojas vendem-nas, mas os preços são exorbitantes. Já vi plantas campestres a serem vendidas a 5€ ou nenufares a 20€. Comprei 2 vallisnerias giganteas pelo OLX e chegou em menos de 24 horas num envelope de correio azul, tudo em condições. Os nenufares mandaram me num pacote de sumo e também chegaram intactos pelos ctt. Quanto à questão das rãs, há a questão da legislação, se estiveres a falar da rã verde ou de qualquer espécie autoctone é ilegal capturar ou comprar. Tenho algumas que habitam os meus lagos mas são selvagens. Da experiencia que tenho é muito dificil mantê-las. Não comem nenhum alimento que não mexa, são tímidas, e da noite pro dia são capazes de fugir de um lago e aparecerem 1 semana depois noutro. E depois todo o cuidado que tiveres com o habitat das rãs pode ser infrutifero uma vez que os critérios que elas utilizam para selecionar um bom lago não são iguais aos teus. Por exemplo as rãs costumam abandonar lagos que tenham tritões ou peixes, por instinto, pois estes animais comem-lhes a descendencia. A menos que coloques uma vedação para as impedir de sair caso não gostem do teu lago (o que eu considero cruel), terás dificuldade em mantê-las viavelmente. Tem também em conta que as rãs cometem canibalismo, portanto não basta uma zona de esconderijo comum a rãs adultas e jovens. Têm mesmo que ser muitas zonas, onde os peixes não possam sequer sonhar em entrar, e que permitam que elas se escondam umas das outras inclusive. O Poejo é das marginais que se desenvolve melhor e adora água. Em 2 meses fica com o dobro do tamanho e cria imensas raízes submersas. No entanto e isto é algo que ainda não confirmei se é verdade, dizem que é repelente de insetos. Eu vejo bastantes insetos no poejo que tenho mas se isso for verdade pode afetar a quantidade de alimento das rãs, assumindo que comem insetos selvagens. Essa imagem que colocaste não está a aparecer...
  14. Boas, Estava eu a tratar do jardim quando me deparo com esta rã/sapo a saltitar por entre as ervas. A minha primeira impressão é que seja a rã de focinho pontiagudo. Mas o habitat era claramente típico para um sapo, seco e sem nenhum curso de água por perto. No entanto quando me aproximei o animal fugia e saltava como uma rã. A muito custo lá a apanhei e mudei-a para um lugar melhor no meu terreno, onde não corre o risco de ser pisada e onde tem um lago por perto. Mas ela não quis ir para a água... Alguma dica sobre o que possa ser? Há probabilidades de haver mais destas por perto? Não quero correr o risco de magoar nenhuma sem querer. Fiz bem em muda-la de sitio ou pode ser prejudicial? Agradeço ajuda de quem souber.
  15. Boas José, Em primeiro lugar não mistures rãs com peixes, pois não se dão. Os peixes comem os girinos e colocarás as rãs sob grande stress. Essa solução só é viável se tiveres excelentes esconderijos e abrigos. Plantas: - Para as oxigenadoras é melhor colocares em vasos em rede próprios para plantas aquáticas para garantir que não se tornarão invasivas. Além do mais é muito mais facil se precisares de as remover ou fazer manutenção. Usa Elodeas, Egeria Densa, Myriophylum, Hippuris vulgaris etc. Também podes usar Valllisneria Gigantea pois da-se em água fria. - Os nenufares obviamente não podem faltar. Lotus é dificil de os conseguires fazer crescer bem devido às temperaturas cá em Portugal, mas como estás nos açores creio que deves conseguir! Manda vir umas sementes pela net (consegues a 5 centimos cada) e experimenta germiná-los. - Plantas marginais há muita variedade. Depende do dinheiro que queiras gastar e do efeito pretendido. Nas secções de aromáticas dos hipermercados encontra-se atualmente muito Poejo, Mentha Aquatica, Mentha Cervina, Rumex Sanguinea (Erva amarga) etc. Tudo plantas marginais por 1€ e pouco. O Poejo cresce num instante como se fosse um arbusto. Depois tens as campestres: Myosotis, Caltha Palustris, Typha, Lírios de água (iris pseudacorus), Jarros, Juncus (Efusus e Efusus spirallis), Ranunculos, Alho social, Junquilhos (Zephyrantes Candida)... Creio que num parque qualquer ou numa ribeira encontres isso tudo. Para um efeito mais cuidado tens a Thalia Dealbata, Pontederia Cordata, Papiros (muitas varidades),a Estrelícia de Água, o Equisetum (Japonicum e Hyemale), a Planta Fibra Óptica (Scirpus cernuus), Iris Laevigata. Estas são apenas algumas das que resistem bem ao Inverno em Portugal Continental, é provavel que tenhas muito mais variedade nos Açores. Penso que as marginais conseguem sobreviver às tentativas dos Kois em comerem-nas. - Em relação às flutuantes a oferta é mais limitada, pois quer os Jacintos de Água quer a Alface de Água ((P i s t i a) Espécie inserida no DL 565/99. Lista de espécies cuja venda é proibida em Portugal stratiotes) são "ilegais" de se possuir ou vender em Portugal, apesar de serem muito uteis. Tens a Salvinia Natans (Feto flutuante) que já vi venderem no Continente ou a Lemna Minor que são lentilhas de água e são um bom alimento para os peixes. Outra coisa, não coloques nenhuma árvore diretamente por cima do lago pois as folhas/flores são a pior coisa que pode acontecer quando caem aos montes lá dentro... Se precisares de mais conselhos relativamente às plantas diz. Um bom equilibrio de plantas vai com toda a certeza garantir que não precisas de filtros artificiais.
  16. Boas, Tens aí um bom projeto pela frente. Para tapar essas frinchas todas, acho que sika top seal está bom, e se for preciso cimento cola. Tenho um tanque enorme que estava a verter água e a solução foi cimento cola. É o mais fácil na minha opinião. Depois podes forrar a azulejo, fica mais fácil de lavar e já ouvi dizer que o cimento não é muito adequado para os peixes a longo prazo. Contudo, nunca tive problemas e tenho alguns peixes num lago feito de pedra e cimento. Depois tens essa berma redonda que eu acho interessante e podes usar para plantas de charco/pantano. Quanto à fauna e flora, o ideal era em primeiro lugar tratares da flora toda e deixares isso bem estabelecido. Tens muitas soluções económicas nos rios portugueses - Juncus, Tipha, Jarros, Agriões selvagens, papiro, ou então nas lojas de jardim também se arranja muita variedade. Se queres um bom equilíbiro sem filtro, a minha sugestão é usares plantas oxiginantes: elodea, egeria e myriophilum; e acima de tudo plantas filtrantes para a água não ficar verde: agriões de água selvagens e jacintos de água ou alface de água. Consegues encontrar isso tudo em rios se souberes onde procurar. Quanto aos cedros, tenho o mesmo problema, mas parece que não afeta em nada os peixes. Vais limpando com uma rede. Se fossem pinheiros era bem pior porque acho que a caruma de pinheiro é tóxica. Cumprimentos
  17. É estritamente proibido capturar rãs ou girinos de rãs autóctones em território nacional. Respeita os animais que estão quase em vias de extinção.
  18. Vai a um horto. Arranja-se muito facilmente num horto. Em lojas de plantas aquáticas nunca vi, o comum é venderem-se elodeas para aquários. Comprei um punhado de egeria densa num horto, aquilo em 2 meses já dá para fazer 5 vasos dos grandes, cresce que é um loucura. Outra sugestão é Myriophylum, mas essa encontrei numa albufeira a boiar. Também cresce mesmo rápido. A parte boa dessas plantas é que não precisam de substrato, mas se puseres num vaso com terra e algumas pedras por cima elas crescem mais rápido. Nunca tive problemas com água verde, mas também não tenho peixes, só rãs.
  19. Olá a todos. Este post serve para aquele pessoal que não gosta de gastar muito dinheiro em plantas para lagos, e mesmo assim quer ter muita variedade no seu ecosistema quer em quantidade de espécies, quer em habitats. Ao mesmo tempo isto permite muito menos manutenção, maior resistência ao frio do inverno, resistencia a pragas, e evita que NOVAS espécies invasoras entrem no nosso território. As plantas que vou mencionar existem no nosso território, pelo menos na região do douro litoral e minho, que são as zonas por onde ando mais frequentemente. 1- Jarros (Zantedeschia aethiopica) - Muito comuns e fáceis de encontrar em lugares húmidos e sombrios. Podem ser plantadas em água até 30 cm de profundidade, o que muita gente não sabe. 2- Agrião de água - Pode ser adquirido em qualquer estabelecimento comercial em semente. Tem uma folha arredondada e permite formar enormes tapetes verdes de superfície. Penso que não aguenta estar totalmente submersa, mas estou a fazer essa experiência num lago a 15 cm de profundidade. Ideal para as pessoas que vivem longe de lojas dedicadas à venda de plantas aquáticas. (foto do google images) 3- Agrião selvagem de água - Encontrada na natureza em praticamente todos os cursos de água onde procurei. Tem uma folha recortada e maior que o agrião normal. Pode ser usada como planta flutuante, forma uma imensa manta verde. Ideal para girinos de anfíbios e pequenos peixes porque proporciona imensos esconderijos dos predadores. 4- Hera inglesa - Muita gente não sabe que a Hera comum encontrada em casas antigas, terrenos baldios e muros pode ser cultivada dentro de água, até mesmo sem substrato. Uma solução fácil e rápida. 5- Lucky bamboo - Não é bamboo real. É uma planta para interiores, mas suporta bem a água fria e na minha experiência dá-se bastante bem no exterior, exceto nas noites com geada. Acho que na parte sul do país deve aguentar bem o Inverno. No norte/centro, recomendo a levar para dentro e colocar numa jarra no Inverno. É excelente porque é vendida em muitas casas de decoração e quem não tiver acesso a casas especializadas para plantas aquáticas consegue adquirir uma cana destas por pouco mais de 1€. 6- Ipomoea aquatica - É uma planta extreamente invasiva, mas que dá uma flor muito bonita e cobre a superfície da água. É boa para anfíbios, mas tem um crescimento enorme. Costumo ver isto em lagos e terrenos abandonados. (foto do google images) 7- Juncus - Muito comum junto aos cursos de água. Tem um rizoma que é relativamente fácil de separar em vários tufos se for puxada com cuidado. É uma excelente planta decorativa para lagos de qualquer tamanho. Penso que se vende nas lojas de plantas, mas existe com bastante frequência na natureza. 8- Typha - Tal como os juncus, muito comum em regatos naturais. Esta é mais difícil de arrancar, porque é enorme e tem raízes fundas. Dá uma bolota muito característica que é extremamente decorativa. (foto do google images) 9- Trandescantia fluminensis - Esta planta está na lista mas é controversa. É extremamente invasiva. Também é chamada de erva-da-fortuna. Basicamente quem plantar isto arrisca-se a ficar com o quintal cheio desta erva para sempre. É uma planta de sombra e humidade, e muita gente não sabe mas ela dá-se bastante bem na água, mesmo sem raíz e sem substrato. Tem uma folha verde muito bonita semelhante às do lucky bamboo. Eu coloquei no meu lago porque já tinha disto aos molhos no terreno, mas não recomendo mesmo a quem já não a tiver no terreno que a introduza. E para já é isto que tenho. Estou sempre à procura de mais espécies que existam em território nacional e que sejam resistentes. Quem tiver mais sugestões agradeço que adicione por favor. E quem tiver dúvidas que não se acanhe. Para quem quiser conhecer o meu lago: http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showtopic=252220(não está 100% atualizado)
  20. Eu tenho papiro no meu lago, que tem no mínimo 70 cm de profundidade e é uma planta que pode estar submersa parcialmente desde que as folhas fiquem fora de água. A mesma coisa para os jarros, que são uma planta que fica bonita em lagos e pode ser plantada até 30 cm de profundidade.
  21. Aqui está o antes: E o após: Um habitante noturno: Mais perguntas, estou à disposição. Cumprimentos, VVolf.
  22. Olá a todos, Recuperei dois lagos que estão num terreno de família e que estavam abandonados só com água da chuva. Acontece que um dos lagos já era habitado por uma razinha verde (Pelophylax perezi), o que eu achei normal, dado que há um ribeiro que atravessa o terreno. Logo após a limpeza da água e construção de algumas ilhas e esconderijos em pedra, esse lago foi colonizado por mais 2 habitantes: 2 salamandras, uma delas a salamandra de fogo. Inicialmente tinha como objetivo fazer um lago de plantas bonito e que pudesse servir de abrigo aos animais. Visto que ele se encontrava povoado, o meu interesse pelos anfíbios aumentou. Um vizinho que tem um charco nas traseiras de casa (prestes a ser destruido por causa da construção de prédios) arranjou-me mais 3 rãs para ajudar a reintroduzir no meu lago. O meu objetivo é fazer daquele lago um ecosistema equilibrado e autosustentável que não necessite de manutenção. Sei que as espécies são autóctones e como tal não podem ser mantidas em cativeiro. No entanto eu não as tenho presas em cativeiro, elas encontraram o meu lago, e podem sair do lago sempre que quiserem e o terreno é bem grande e passa um riacho mesmo ao pé do lago. Acho uma hipocrisia quando são as próprias autarquias que encanam os ribeiros, constroem em cima dos charcos e rebentam com toda a biodiversidade só para fazerem prédios. Onde eu moro já não se encontra uma unica rã verde nem um único ribeiro a céu aberto, está tudo entubado e os anfíbios cada vez mais ameaçados pela perda de habitat. Como tal, o meu projeto passa por criar todas as condições para que a vida anfíbia possa de novo prosperar naquele lugar. Não tenciono acrescentar mais fauna, apenas garantir que aquela consegue reproduzir-se sustentavelmente e sem necessitar de manutenção. As minhas preocupações passam por garantir que a flora é adequada. Caraterísticas: dimensões do lago: forma octogonal lado - ~1 metro profundidade - ~70 cm tem um repucho de água que vem com pressão do ribeiro. Fauna: alguns caracóis de água doce (muito pequenos, na ordem dos mm) 4 rãs verdes (Pelophylax Perezi) 1 salamandra de pintas amarelas e 1 salamandra verde que não sei qual a espécie. Flora: Rumex Sanguinea Nymphaea alba - Nenúfar branco Cyperus papyrus - papiro Scirpus cernuus Bamboo da sorte - não é bamboo de verdade, vou colocá-la no interior durante o inverno Equisetum Japonicum Egeria densa - elodea Zantedeschia aethiopica - jarros (ao redor) Myriophyllum spicatum - pinheirinho de água Nasturtium officinale - Agriões de água entre outras que não sei o nome, pois consegui-as no estado selvagem em ribeiros. O substrato tem algumas zonas com seixos que apanhei em vários rios e também na praia, outras zonas com areia, mas a maioria do espaço tem folhas/terra/resíduos. Em breve coloco imagens do antes e do após. Cumprimentos, VVolf.
  23. Olá a todos, sou da zona da Póvoa de Varzim, e entrei recentemente (há 2 meses +/-) no mundo aquático. Sou adepto de lagos no exterior e resolvi recuperar 2 lagos que estavam abandonados num terreno da minha família. A minha principal motivação é criar ambientes de pouca manutenção, com ecossistemas equilibrados e auto-sustentáveis que não necessitem de alimentação artificial nem troca de água, oxigenação artificial ou filtragem. Neste momento tenho algumas rãzinhas, uma nativa que apareceu num dos lagos, e outras que um conhecido me arranjou. Devido à perda enorme de habitat que os anfíbios têm sofrido, estou a tentar reintroduzi-los nos meus lagos sustentavelmente. Portanto o meu interesse é em lagos de anfíbios, nomeadamente rãs. Fauna: alguns caracóis de água doce (muito pequenos, na ordem dos mm) 4 rãs verdes (Pelophylax Perezi) 1 salamandra de pintas amarelas (que encontrou o meu lago) e 1 salamandra verde que não sei qual a espécie. Flora: Rumex Sanguinea Nymphaea alba - Nenúfar branco Cyperus papyrus - papiro Scirpus cernuus Bamboo da sorte - não é bamboo de verdade, vou colocá-la no interior durante o inverno Equisetum Japonicum Egeria densa - elodea Zantedeschia aethiopica - jarros (ao redor) Myriophyllum spicatum - pinheirinho de água Nasturtium officinale - Agriões de água entre outras que não sei o nome, pois consegui-as no estado selvagem em ribeiros. O substrato tem algumas zonas com seixos que apanhei em vários rios e também na praia, outras zonas com areia, mas a maioria do espaço tem folhas/terra/resíduos. dimensões: forma octogonal lado - ~1 metro profundidade - ~70 cm Em breve coloco fotos e mostro o conjunto completo. Ainda não sei que plantas irão resistir ao Inverno, nem as necessidades de todas elas, portanto ainda não posso dizer que é um lago bem estabelecido. Cumprimentos, VVolf