Os Apistogrammas


Recommended Posts

Os Apistogrammas

Pequenas jóias aquáticas, finalmente a atingirem o posto relevante que merecem nos nossos aquários. Estes peixes ganham mais adeptos diariamente e são actualmente o principal desafio de muitos fãs do Aquário de água doce.

Durante muitos anos, no passado, foram relegados pelo seu tamanho maior e primos escriturados. Peixe muito adequado para aquários de tamanho médio, mas são peixes que exigem alguns cuidados. Precisam de um ambiente agradável para aparecerem as suas cores maravilhosas e apresentarem o seu comportamento peculiar.

 

Ancestrais:

O género Apistogramma tem uma história relativamente extensa, encontrados de volta do Pleistoceno, portanto, a primeira espécie tem mais de dois milhões de anos de história. Tal foi concluída há cerca de 10.000 anos atrás, ou seja, recentemente em termos geológicos.

Durante este período de tempo prolongado, este gênero foi "pow" - como muitos outros tão diferentes expansões periódicas de avatares e contracções das florestas tropicais, causados pela idade do gelo e períodos interglaciares.

A glaciação que teve uma média de cerca de 100.000 anos duração cada, encurralando grandes quantidades de água, diminuindo nível do mar em pelo menos 100 metros. No período de glaciário máximo no hemisfério Norte, o disseco da bacia amazônica. Temperaturas mais baixas e portanto menores precipitações, a floresta tropical foi transformada e é nestes domínios remotos, de onde vêm a maioria dos grupos de peixes que ia aparecer o género Apistogramma.

Estes grupos evoluíram independentemente, adaptado aos seus ecossistemas específicos.

Períodos interglaciário, no entanto, aumentaram a temperatura, descongelavam grandes massas de água. A Amazônia foi uma saída para o oceano, cresceu a selva e diferentes espécies que eram anteriormente isoladas, começaram a expandir-se juntamente com o aumento da bacia amazônica. Por conseguinte, o Apistogrammas (juntamente com outros gêneros), iriam ser estabelecidos nos territórios de novo.

 

Como mencionado acima, estes períodos eram entremados. A idade de gelo nunca foi tão homogénea, portanto a selva expandida. Quando expandidos, originários do que hoje é conhecido como populações de bacia amazônica, foram caminhando em todas as direcções, resultando que viveram nos ecossistemas extensivos e diversificados.

 

Expansão geográfica:

Sua presença é exclusivamente na América do Sul.

Para o Ocidente pelas montanhas dos Andes; a Leste pelo Oceano Atlântico na bacia do Amazonas abrange paralelo para o Sul, seu limite no Leste se torna de dureza inferior e muito mais distante da Costa; ao norte do Rio Orinoco e seus afluentes; como do Sul até à data, a. borellii habita águas perto para a cidade de Rosário, na Argentina, a 32ª paralelo.

Este vasto território, tem variado ecossistemas, com temperaturas similares todo o ano e com duas estações (as chuvas e a seca).

Na extremidade oposta, encontramos outros ecossistemas que claramente marcadas por quatro estações. Os apistogrammas foram capazes de se adaptar a ele, bem como diferentes tipos de águas têm flutuações nas faixas de dureza, do pH e da condutividade ao longo do ano.

Algumas espécies são distribuídos por grandes áreas da bacia amazônica, por outro lado, outros são endémicos.

Os apistogrammas habitam todas as águas possíveis: de "buraco negro" águas que são suaves, ácida e rico, ácidos húmicos para "branco" águas ricas em sedimentos, com próximo ao pH neutro.

Acredita-se que a espécie original seria monogamous, com uma grande semelhança com a que pertencem ao subgrupo de commbrae a Apistogramma, com um muito menos acentuado Dimorfismo sexual em que surgiu mais tarde, em espécies mais evoluídas.

 

Etimologia:

A etimologia da palavra, é uma consequência da União: Apisto = irregulares e gramma = linha ou caractere, ambos provém do grego, mas este último tem uma Latinized significa que é o que causou confusão.

Gramma, tal como referiu, tem dois significados; deixando sem Regan clara em 1.913 para qual em causa.

Portanto, não sabendo com que intenção foi empregada pela Regan, a controvérsia é servida e permanecerá ainda hoje, desde segundo a ser interpretado, poderia variar denominações de cada espécie, mas esta questão será para as Ictiologistas...

 

Morfologia:

Todos os apistogrammas lateralmente são compactados, mas teremos em conta algumas características para diferenciá-los. Muitos deles são relevantes no momento da criação de grupos e subgrupos, aliás, não são oficiais divisões nem rígidas, como existem espécies chamados "ponte", que são a União, ou o "vínculo ausente" entre grupos relacionados. Este utilitário de classificação reside em ter um guia para auxiliar na identificação das espécies para tratar de chegar e uma vez classificados, analisar o grau de afinidade com outros apistogrammas, antepassados comuns, quando começou a diversificação, etc..

 

Altura:

Está alto, alto corpo corpo "movido ou shifted" para trás (a. borellii), organismo que dão a sensação de estar mais comprido (a. elizabethae) de baixa, assim também. Existe gamas intermediárias: corpo baixo e moderadamente longo, organismos curtos e baixos, etc.. Estas espécies não são assim tão fácil englobar um ou outro recurso, mas que é apenas um primeiro passo para uma posterior classificação.

 

Comprimento:

Esta medida é útil quando estamos antes de um adulto com sua maior amplitude. Também nos ajudam a determinar a que grupo pertence, mas sem rigor. Tamanho superior de macho geralmente não excede dez centímetros e com excepção do sp a.. "corte-spot" e a sp. "Tiquié 1", os machos são sempre maiores que as fêmeas.

 

Dorsal:

Aqui as variações são enormes tanto formas padrões de design de cor e design (pontos, arranhões, etc..). Por formulários qualquer serrados, com rádios anteriores ou posteriores de tamanhos diferentes, com conclusão em punta, arredondado; extensões, etc..

 

Barbatana:

Existem também variações nos padrões de cor e desenho, de ambas as formas. Temos quatro formas claramente diferenciáveis: arredondada, truncada, lanceolate e cilindro lira; que, por sua vez, pode ter algumas pequenas variações.

 

Barbatanas ventral e anais:

As diferenças residem na mesma extensão como na coloração e desenho.

 

Pedúnculo caudal:

Variável tanto na altura e comprimento, como em seu padrão de design específicos. Este último recurso também é útil para classificá-las. Exceptuando a altura do ponto de também pode variar sua forma (redonda, quadrada, etc..).

 

Faixas ou linhas:

A mais famosa irregular faixa horizontal (que dá nome ao género), geralmente é ampla e defenida por uma linha escura, pré orbital, o super orbital e o lado missão: típico, geralmente maior tanto a largura e a altura da horizontal; embora corresponda parcialmente esta banda.

Além disso, há outros recursos que são um complemento acima; como a cor do corpo (todos variam a intensidade de acordo com humor o peixe e o lugar que ocupam na hierarquia do grupo), a espessura dos lábios, aponte o pectoral barbatanas, etc..

 

Hábitos:

O biotipo ideal são os rios, lagos, Lagunas e todos os cursos de rios com pouca correnteza e superficial,( de pouca profundidade) com um fundo variável que pode conter de uma enorme camada de folhas, através de sucursais quebrados, parcialmente submersa árvores, rochas. A própria cama pode ser constituída por areia, bem como diversos sedimentos de acordo com o tipo de água do Rio..

 

Comportamento:

Para regra geral, são adequadas para a coexistência com outras espécies de gêneros. Em vez disso, o comportamento entre diferentes espécies de apistogrammas, pode ser relativamente conflituoso, deverá, portanto, analisar a compatibilidade entre eles, dependendo da natureza, espaço, abrigos e requisitos de cada espécie a introduzir.

 

Territórios:

Algumas espécies estão localizadas nas margens; rios, lagos, Lagunas; bancos de areia. A maioria é espécies de corpo comprido, cinzento amarelado (a não ser tão facilmente divididos) de cores e menos marcados pelo seu dimorfismo sexual.

Outros estão localizados em enseadas e grutas, nas áreas de maior profundidade. Estes apistogrammas têm uma variedade de formas, o seu dimorfismo sexual e colorido é famoso. Este cenário é composto de acumulação sucessiva de folhas, ramos, rochas e vegetação - incluindo árvores parcialmente imersas que são úteis para refúgio, de todos eles e especialmente para os juvenis e os jovens.

Existem espécies que não estão ligados permanentemente riverbanks, ou as zonas mais profundas (por exemplo, o próximas ao regani a.).

Todas estas áreas são compartilhadas, não só entre as espécies do género, onde a população de apistogrammas m2 pode flutuar muito (de 35 para exceder 300 indivíduos jovens e adultos), mas também com outros anões cíclideos, carácidios, loricáridos, etc..

 

Coloração:

Espécies que são consideradas mais primitivas, excepto onde as diferenças são mínimas, geralmente, os machos possuem uma maior diversidade, tanto o intervalo de cores e a intensidade do mesmo. Além disso, irá variar de acordo com o humor, saúde e o lugar que ocupam o estatuto de hierarquia do grupo: dominante, sub-dominado, dominado, etc.. Coloração depende directamente o sistema nervoso central.

 

Reprodução:

Também aqui existem várias maneiras de os diferenciar:

 

a) Monógamos do tipo familiar: o corte pode variar de um a vários dias. Dimorfismo sexual é menos evidente destas espécies. Tanto o macho e fêmea de defender o território de arranque e posterior compartilhado cuidados de larvas e juvenis.

 

O tipo patriarcal - matriarchal de Monógamos: duração do corte é semelhante ao tipo de família. A grande diferença é que o macho monitora seu território e o local da libertação, responsável por ela em alguns momentos, enquanto a fêmea alimenta nesse tipo de relação. É ela quem será responsável por cuidados em todas as fases, após o pôr-do-sol.

 

c) Polígamo: o macho defende seu território e fertilizes implementações de várias fêmeas. O corte é geralmente breve, de alguns minutos a algumas horas. O número de fêmeas é sujeito a qualidade quantitativa como qualitativos (basicamente o montante de abrigos e alimentares disponíveis) do território do macho. O cuidaod com os alevins são quase exclusivamente em fêmeas. Dimorfismo sexual geralmente é evidente.

 

d) Poliandras: até ao momento a única espécie conhecida que tem esse recurso é a sp. "emerald", onde a fêmea abriga um grande território vários machos que realiza implementações um; o macho dominante, a área mais próxima da cavidade da fêmea de ocupação.

 

Condições da água:

Consta que, em algumas espécies influencia o pH da percentagem de machos e fêmeas incorridas um pôr-do-sol em ambos que outros, mais decisiva é a temperatura.

 

pH:

Este parâmetro pode variar em diferentes áreas de um rio e no momento do ano. Fazer-em uma ideia mais concreta, Staeck analisou diferentes águas habitadas por apistogrammas; e em intervalos de extremos encontrados com altamente ácida como medido no Igarapé conhecido como Tiburari, o mais elevado dos 7.6 a cidade Boliviana de Santa Cruz e a Uapés baixa do pH 3.9.

Ele tem menor incidência de temperatura em geral. A percentagem de machos e fêmeas, resultantes de um arranque terá uma maior incidência de machos é mais água ácida.

 

Temperatura:

Geralmente, com temperaturas de 26 ou 27 ° C é praticamente igual quando ocorre na percentagem de machos e fêmeas em desovas. Temperatura mais alta sobe a percentagem de machos, com uma exceção à regra; são o caetei a., que maior temperatura, levará a mais fêmeas.

Essas temperaturas também são benéficas para o desenvolvimento integral dos peixes. Conduzida por Uwe Römmer, a experiência demonstrou que o cacatuoides a realizada a 26 ° C seis meses medidos duas vezes como o mantida entre 20 e 24 ° C, semelhante à que no seu Aquário tinha 29 e 30 ° C.

Também influências a quantidade e o tamanho dos ovos, cerca de 26 ° C é também onde os melhores resultarem serão alcançadas.

Maturidade sexual: algumas espécies cheguem a ele para quatro meses. No entanto, outros Fechar para seis. A título de exemplo, note-se que, como regra geral, a primeira implementação realizada fêmeas entre os 140 e 350 dias de vida, dependendo da temperatura da água. Em 26 é quando as fêmeas feita sua primeira versão, sendo mais jovem.

A temperatura ideal é entre 26 e 27 ° C para os peixes provenientes da bacia do Amazonas e 24-27 ° C para o subtropical manter constantemente, embora muitas espécies toleram temperaturas superiores e inferiores.

 

Manutenção no Aquário:

Tamanho e características: manter uma única espécie, com algumas excepções, os tanques de 40 litros de espécies monógamos e de 60 litros para espécies polígamo é adequado. Enquanto a combinar duas espécies, ou mais, recomendamos tanques de 80 litros.

O reservatório deve fornecer um refúgio como um lar cada fêmea e como na medida do possível tamanho ajusta seu corpo. Desta forma podemos irá evitar a presença de predadores potenciais como parte da comunidade de aquário.

O substrato ideal seria ser formado pelo Rio areia ou cascalho mínima das partículas. Além disso, para uma água de cor âmbar (se por "estético" preferem que é clara a água é outra questão diferente de cristal), troncos, plantas, abrigos e finalmente a adição no topo do substrato de uma camada de folhas de carvalho ou.

 

Alimentação:

Variada, com uma forte dose de alimentos vivos. Isso será essencial, não só porque algumas espécies não aceitarão outros tipos de alimentos por algum tempo, mas também para vê-las com cores melhores, mais saudáveis, bem como para incentivá-los para a reprodução.

Muitas espécies que geralmente são mais populares, no fishkeeping e, portanto, acabam por ser criadas em cativeiro aceitam outros tipos de alimentos; de grânulos, escalas, comidas caseiras. Outra espécies acostumam-se, embora, como mencionado, nunca devemos esquecer o fornecimento habituais alimentos ricos em proteínas.

 

Reprodução:

Para isso vai sempre querer ter o apistogrammas em aquários específicos de reprodução, porque em uma "Comunidade" Amazônica, as chances são grandemente reduzidas devido à presença de loricáridos e calíctidos fundamentalmente e em menor medida, peixes gregárias (por exemplo, carácidos) também podem causar acidentes, especialmente no alevins durante os primeiros dias de vida.

Para encorajá-los, normalmente, apenas um aumento nos alimentos vivos a fornecer os dias antes de uma alteração parcial na água. E se este causar uma redução da pressão atmosférica: você tem certeza de que teremos uma desova!

A quantidade de ovos e do mesmo tamanho varia dependendo da espécie, tamanho e idade da fêmea e água que habitaram condições. Deve ser anexada em uma cavidade pela fêmea e eclosionarán entre 24 e 72 horas. Também com as particularidades acima mencionadas sobre seu relacionamento feche com temperatura.

Após incubação as larvas consumirá sua gema e sobre o saco quinto dia (normalmente não mais do que o oitavo), os juvenis começam a nadar livremente.

É essencial ter o artemia nauplii para esta fase, embora existam alimentar comercial que permitirá aos alimenta-los.

 

Escrito por Vera Basílio dos Santos Copyright 2010 É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A PUBLICAÇÃO DE TODO O CONTEÚDO AQUI PUBLICADO NOUTROS CONTEXTOS, SOB PENA DE ACÇÃO JUDICIAL.

 

  • Upvote 2
Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...