Sign in to follow this  
MariaAna

Novo aqua de Discus - Ajuda

Recommended Posts

boas

o azul te referes ao

Blue Diamant?

Share this post


Link to post
Share on other sites

O Azul não come, que eu veja...Mas deixa-se tocar,está calmo, acho que vai acabar por comer. O mini-Alenquer é uma debulhadora, come TUDO o que se lhe põe à frente, parece que tem medo de nunca mais comer. Os outros tudo bem, o Malboro arrancou hoje um pedaço do tapete de Parvula assim só por desporto. O Azul primeiro pareceu-me melhor, em relação às barbatanas, e realmente já vi pior noutros peixes, mas hoje reparei que tinha parecia uma linha a sair da barbatana de cima, e em dois ou três sítios em que terminam as barbatanas tem uma espécie de gotas brancas, ou é a própria barbatana...Isto tudo bastante discreto, não tem as barbatanas podres propriamente, mas continuo preocupada.

Share this post


Link to post
Share on other sites

boas

o azul te referes ao

Blue Diamant?

 

boas

nao tens como por uma foto!

pela tua descriçao tudo o que disermos será palpites.

com uma foto podemos te ajudar melhor

Share this post


Link to post
Share on other sites

A temperatura está quase a 30, vou tentar tirar um fotografia onde se veja o que estou a dizer. Ele preto não está, mas ainda agora quando íamos aspirar o areão, se passou, assustou os outros peixes, fartou-se de ir contra o vidro...por isso stressado está de certeza.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Xandre, aqui vai (é um Turquoise, não um Diamond). Espero que se consiga ver alguma coisa, na última parece-me que se vê melhor.

 

http://i1098.photobucket.com/albums/g374/Maria_Ana_Cyan/fotografia-3.jpg

http://i1098.photobucket.com/albums/g374/Maria_Ana_Cyan/fotografia-4.jpg

http://i1098.photobucket.com/albums/g374/Maria_Ana_Cyan/fotografia-5.jpg

http://i1098.photobucket.com/albums/g374/Maria_Ana_Cyan/fotografia-6.jpg

 

Como vêem é discreto, mas está lá. E agora que estou a olhar...será que é muco que ee está a soltar?

Share this post


Link to post
Share on other sites

boas

nao recebeu a minha mensagem?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Traumas decorrentes de acidentes no transporte ou manejo do peixe ou o período estressante de adaptação faz com que o peixe tente fugir e com isso bater em algum ornamento ou no vidro do aquário faz com que o peixe sofra lesões na pele na boca nos olhos e consequentemente essas lesões podem ser porta de entrada para parasitas.

Tratamentos: separa-lo em aquário para tratamento, 1 gota de permanganato de potássio 2% a cada 2 litros de água, se possível pincelar o ferimento com iodo ou mertiolate.

Share this post


Link to post
Share on other sites

VE se isto te ajuda

DOENÇAS EM PEIXES ORNAMENTAIS E TRATAMENTOS

Abrangerei aqui de forma simples e sem muitos termos técnicos doenças de peixes ornamentais, tanto doenças internas (endo) com externas (ecto), este texto é fruto de muita leitura em sites, fóruns, livros e algumas experiências próprias (ainda bem que são algumas poucas).

Embora pouco ou nada conhecido no Brasil é o certificado sanitário de peixes ornamentais, onde o mesmo atesta a saúde e o controle sanitário dos peixes, portanto quando for comprar peixes verifique se o vendedor o tem.

Sempre lembrando que qualquer tratamento deve ser feito em um aquário próprio para tal e não no aquário principal, este aquário de tratamento deve ser:

desprovido de decoração e substrato;

sem filtragem externa ou interna somente aeração;

termostato e termômetro;

ter tamanho para conforto do peixe, não vá colocar um guppy em um pote de sorvete ou coisa assim só porque ele é pequeno ;

é importante que esse aquário de tratamento seja de vidro para melhor observação do peixe;

é importante fazer a limpeza quinzenal deste aquário de tratamento independente das tpa´s e sifonagens que já foram feitas, quando falo limpeza é remoção do habitante e desinfecção e lavagem total do mesmo, pois ele acumula muita sujeira e odores que em nada ajudaram no tratamento do peixe.

A desinfecção pode ser feita após a lavagem com produtos a base de cloro ( candida ou kboa ) ou permanganato de potássio e depois lavar bem com água corrente e deixar secar ao sol e repetir o processo de lavagem em agua corrente e novamente secar ao sol.

 

MEU PEIXE NÃO COME

Fica aqui também um comentário sobre um assunto que abrangemos sendo como normal o fato de peixes jovens ou filhotes não se alimentarem normalmente, conversando com uma bióloga amiga minha ela disse que não existe essa do peixe não comer e estar saudável e ser normal, não é normal o peixe não comer mesmo quando jovem ou filhote, salva guarda quando recém inserido no aquário, mas esse período para que ele volte a comer normalmente é de no máximo 3 dias, passado esse tempo há algo errado com o peixe e ele estará sujeito quando adulto ter mais chances a enfermidades do que os peixes que se alimentaram normalmente.

ECTO-PARASITAS

São todas as formas de parasitas externos, que se fixam na pele, nadadeiras e branquias dos peixes.

 

LERNEOSE e ARGULOSE (espinhas brancas )

Sintomas: os peixes se esfregam lateralmente ou não e constantemente sobre o cascalho e outros objetos do aquário e "aparecem filamentos brancos pelo corpo de até 1 cm de comprimento como se fossem espinhas".

Observações Gerais: temperaturas acima de 26º são favoráveis a esses parasitas como o LERNEOSE ou popularmente conhecido como verme ancora e ao ARGULOSE, e abaixo 18º pode cessar o ciclo de vida destes parasitas, portanto especificamente para estes parasitas água quente não é recomendado.

Esses ecto parasitas são crustáceos e podem causar vários problemas aos peixes, como lesões que podem se transformar em tumores, hemorragias, anemias, além do estresse que causa nos peixes abrindo caminho para outras enfermidades, são verdadeiros carrapatos de peixes.

Quando comprar um peixe e este apresentar tais sintomas você deve informar ao comprador das condições do peixe para que ele tome as devidas providencias com relação aos peixes que cria e ou vende.

Estudos feitos por universitários da universidade estadual de Maringá com alguns peixes de corte como tilapia do nilo e pacu observou maior incidência destes parasitas devido que a falta de vitaminas como C e E ou deficiência das mesma nestes peixes, o estudo baseou-se em duas estufas com peixes que foram alimentados com uma dieta balanceada rica em vitaminas e outra com alimentação não balanceada, os peixes que foram alimentados balanceadamente em apenas 3% foram encontrados os parasitas e na outra o índice subiu para 36%, o estudo chegou a uma conclusão que a vitamina C é a principal protetora para os peixes.

Tratamentos:

  1. remoção manual do parasita com uma pinça cirúrgica, isso não significa que não deve ser seguida de medicação que pode ser um banho de "permanganato de potássio" na proporção de um comprimido para 20 litros de água por 1 minuto repetindo por 3 dias.
  2. Medicamentos na ração como "Vitosan".
  3. Produtos para imersão na água como Azoo ecto-parasiticida, trichlorfon e malathion esse último usado para fins veterinários.
  4. Banhos rápidos em "cloreto de sódio 5%" durante 1 minuto repetindo este por 3 dias.

 

ICTIO ( pontos brancos )

Sintomas: os peixes se esfregam lateralmente ou não e constantemente sobre o cascalho e outros objetos do aquário e "aparecem pontos brancos espalhados sobre o corpo principalmente sobre nadadeiras e branquias".

Tratamentos:

Temperatura da água acima dos 27º ou mais e aplicação de anti ectoparasiticida ou sal.

 

PARASITAS DE GUELRAS

Gyrodactylus e Dactylogyrus

Sintomas: os peixes se esfregam lateralmente ou não e constantemente sobre o cascalho e outros objetos do aquário e "guelras e nadadeiras laterais fechadas, ou uma ou as duas", não come, boca tremula.

Tratamentos:

Banho de Formalina

É feito em um recipiente separado, cheio de água do próprio aquário de origem do peixe doente. São usadas de 5 a 10 gotas de formalina para cada 4 litros de água, e o peixe deve ser deixado nesse banho por até 30 minutos. É extremamente recomendável deixar aerando o recipiente com uma pedra porosa ligada a um compressor de ar durante o tratamento. Enquanto o peixe estiver no banho de formalina deve ser constantemente observado, e se apresentar sinais forte de stress deve ser removido de volta para o aquário. No caso de Dactylogyrus o tratamento deve ser repetido a cada 3 dias, durante um período total de 14 dias.

Banho de sal de cozinha

Prepare uma solução de 40 gramas de sal de cozinha para cada 50 litros de água do aquário em recipiente não metálico. O peixe deve ser pego do aquário e deixado nessa solução por até 30 minutos. É extremamente recomendável deixar aerando o recipiente com uma pedra porosa ligada a um compressor de ar durante o tratamento. O peixe deve ser observado durante o banho e removido se mostras sinais fortes de estresse ou outro adverso. Cuidado, existem espécies de peixes, como o cascudo corridoras entre outros que não suportam banhos de sal.

Banho com Neguvon ( medicamento de uso veterinário )

A administração recomendada é EXCLUSIVAMENTE para os Discos. Temperatura nos 25-26º , sem iluminação pois o tratamento é algo estressante para os peixes. A quantidade de medicamento em pó para cada 100 litros de água é de 80mg , sendo assim 0,8mg/litro. Os peixes deveram assim ficar neste tratamento cerca de 3 dias , acabando também com os ovos que eclodem.

 

Piscinoodiniose (Doença do Veludo)

Sintomas: inicialmente irritação cutânea, aumento da produção de muco e distúrbios natatórios, secundariamente aspecto brilhante aveludado na superfície do peixe.

Tratamentos:

Tratamentos com tripaflavina (acriflavina), ou aureomicina em banhos de 24 horas são eficazes. Elevação da temperatura para 30-32°C força a saída do parasita do hospedeiro, bem como facilita a ação dos fármacos, ambiente escuro.

 

EXOFTALMIA (doença dos olhos estufados)

Sintomas: inicialmente olhos estufados parecendo que vão saltar da orbita , descamação e perda de nadadeiras.

Tratamentos:

Bactericida e Fungicida com trocas parciais de água diárias, temperatura a 27º.

 

FuruNculose (úlceras no corpo)

Sintomas: Esta doença é infecciosa e as úlceras aparecem nas zonas mais ricas em vasos capilares. O agente etiológico causador é uma bactéria gram-negativa, imóvel e não produtora de esporos visíveis, no peixe destrói o tecido em redor do ponto de infecção. No início, surgem manchas vermelhas, dando a impressão de ferimentos, depois há o aparecimento de bolhas de pus e sangue. A seguir, essas bolhas de abrem , havendo formação de úlceras iniciando-se, geralmente, mo pedúnculo caudal, podendo entretanto ter início em outras partes do corpo.

Tratamentos:

Como medicação contra a doença têm-se aplicado banhos de terramicina (uso veterinário) com a dosagem de 500 mg para 50 L de água, pelo espaço de 24 horas, repetindo-se o banho dentro de 5 dias, até controlar a doença. Neste caso, os aquários-hospitais devem ser desinfetados antes de usados novamente, de preferência com permanganato de potássio.

NECROSE DAS NADADEIRAS

Sintomas: Apodrecimento e queda das nadadeiras sem nenhum outro sintoma. Esta doença só aparece quando os peixes estão com suas defesas orgânicas debilitadas, sendo, então, atacados por parasitas. Água muito ácida ajuda a tornar os peixes presas da doença, principalmente os peixes de água alcalina como kinguios e betas. Também a baixa temperatura para peixes de águas tropicais propicia condições para a doença.

Tratamentos:

Na terapêutica desta doença, os banhos têm sido empregados com algum sucesso, usando-se a triflavina(1 grama em cada 100 L) ou a sulfanilamida( 1 grama em 10 L). Recomenda-se o uso de terramicina (veterinário), 500 mg para cada 20 L de água e 10 gotas de azul-metileno a 5%. Estas dosagens não constituem perigo para os peixes e não produzem danos em seus órgãos reprodutores, não lhes causando portando esterilidade.

Saprolegniose (Fungos, Bolores e Mofo)

Sintomas: tufos que se parecem com algodão pelo corpo particularmente quando os peixes apresentam feridas em seu corpo devido a cortes em pedras pontiagudas ou arestas, brigas entre si, ou deslocamento das escamas ao serem apanhados em redes inadequadas. Os fungos atacam a pele, as brânquias, a boca, as nadadeiras, os olhos, bem como as posturas. Peixes sadios não estão sujeitos ao ataque destes protozoários ciliados, que vivem nos aquários em vida livre, como plancto.

Tratamentos:

No combate a esta doença tem-se usado como terapêutica o permanganato de potássio ( 1 grama em 100 litros de água) em banho de duração de 1 hora. A tripaflavina é outra droga que tem sido empregada com resultados excelente (1 grama em 100 litros) em banho de 48 horas. Alguns autores e aquariófilos recomendam um tratamento na base de aurecomicina (10 mg por litro). As feridas e partes infestadas podem ser tratadas com pinceladas de uma solução de azul de metileno a 5% ou solução de mercúrio cromo a 1%. Pode-se usar também tintura de merthiolate, solução a 2% para cada 8 litros, até 4 vezes e fungicidas de largo espectro. Para evitar esta parasitose deve-se trazer os aquários em perfeitas condições de higiene, sinfonando-os periodicamente, a fim de neles não acumular matéria orgânica em decomposição. Pedras com arestas e pontiagudas não devem ser colocadas nos aquários, porque poderão cortar os peixes, propiciando, então, o ataque dos parasitas nos tecidos feridos.

 

 

 

 

ENDO-PARASITAS

São todas as formas de parasitas ou protozoários internos, que se fixam na corrente sanguinia e órgãos internos dos peixes.

OCTOMITOSE (muito emagrecimento)

Sintomas: quando o peixe emagrece muito, não sendo por fome, podemos pensar em tuberculose e depois em octomicose, produzida por um flagelado que vive em seus órgãos internos, o Octomitus. Ataca os peixes vivíparos, o Cichlasoma, o Discus, o Heterandia, o Scalare etc. Usar tripaflavina ou calomelano na dose de 2 g para 1 k de alimentos, durante 4 dias

 

CATARATA (olhos brancos)

Sintomas: olhos esbranquiçados como a catarata.

Tratamentos: pode ser tratada aplicando-se no olho do peixe uma solução de iodo ( 1 parte) e 9 de glicerina. Em seguida, banhar o olho com uma solução de ácido bórico e por último pingar sobre os olhos duas gotas de protargol ou colargol a 1%, utilizando-se um conta-gotas para a operação.

 

ACIDOSE ( água muito ácida)

Sintomas: eriçamento das escamas e nadadeiras fechadas. O peixe fica nadando em voltas, girando sobre si mesmo, vêm os tremores e ele morre.

Tratamentos: corrgir o ph.

 

ALCALOSE (água muito alcalina)

Sintomas: Pode provocar o apodrecimento das nadadeiras e ocorre quando o pH da água vai a 8 ou 9, principalmente quando ela é mole. Muita planta e muita luz concorrem para o seu aparecimento. Quando as condições da água são as citadas, o bicarbonato de cálcio se transforma em carbonato de cálcio insolúvel que ataca as guelras e as nadadeiras, produzindo o seu desfiamento. provoca, também, a opacidade da pele.

Tratamentos: Corrigindo o ph.

 

ANOXIA E HIPOXIA (falta ou excesso de Oxigênio)

Sintomas: a falta de oxigênio também é causa de grande mortandade, em aquários superpovoados e desprovidos de aeração artificial, concorrendo também o material em putrefação, depositado no fundo do viveiro e proveniente de excesso de alimentação, atuando como consumidor de oxigênio, pelo ciclo da oxidação. Por outro lado, a temperatura alta da água, acima de 20ºC, favorece a consumação do oxigênio, pelo aceleramento dos processos de oxidação do aquário. Quando há carência de oxigênio, os peixes nadam na superfície da água como que procurando engolir o ar existente na atmosfera, consequentemente se asfixiam porque seu aparelho respiratório foi feito para retirar o oxigênio existente na água e não no ar. A falta total de oxigênio denomina-se anoxia e é mortal para os peixes, e uma quantidade insuficiente de oxigênio hopoxia, e, neste estado, os peixes parecem encontrar-se bem, porém estas concentrações de oxigênio, próximas ao limite mínimo, debilitam as forças naturais dos indivíduos, tornando-os presas fáceis de diversas doenças. Daí concluir-se ser fundamental importância a concentração de oxigênio na água dos aquários. Uma concentração de 4 a 8 cm3 de oxigênio por litro é o suficiente para a maioria dos peixes ornamentais.

Tratamentos:

Quando desejamos aumentar o teor de oxigênio de nossos aquários, utilizamo-nos da aeração artificial ou renovamos parte da água do mesmo, por água descansada e na mesma temperatura.

 

INFLAMAÇÃO DAS NADADEIRAS

Sintomas: as nadadeiras ficam congestionadas (vermelhas) devido á maior quantidade de sangue nelas existentes. Suas causas são, em geral, temperatura inadequada, esfriamentos ou superalimentação.

Tratamentos: banhos de permanganato de potássio, 1 g para 100 l de água ou de água salgada, 1 g de sal para 1 litro de água, durante 3 min.

 

PRISÃO DE VENTRE

Sintomas: perda de apetite, apatia, gases saindo do ânus, fezes duras com bolhas e compridas como filamentos pendurados no peixe e por ele sendo arrastadas, quando nada, ventre aumentado, ficando ele com a barriga grande. Causas: defeitos de alimentação, principalmente quando dados alimentos secos e enquitréias. Alimentação variada e com alimentos vivos como minhocas, larvas de mosquitos etc, evita o seu aparecimento.

Tratamentos: metronidasol (flagyl) na proporção de 1 comprimido de 400mg para 40 litros de água direto na água ou embebedar alimentos secos nessa solução. Deixar o peixe jejuar alguns dias e depois dar-lhe ao alimentos vivos já mencionados, exceto minhocas brancas, porque provocam constipação.

 

Tuberculose

Sintomas:falta de apetite. Emagrecimento, Natação irregular.

Tratamentos: alimente todos os peixes com flocos especiais contendo um antibiótico de largo espectro e um vermífugo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Wow, muito obrigada!! Não vi a descrição de nenhum parasita externo que provocasse exactamente o que observo, por outro lado, como vi o azul a fazer cocó suspeitei que o danado andasse a comer às escondidas...Escondi-me e lá o vi a comer qq coisita, pelo que fiquei menos preocupada. Das barbatanas não me parece ter havido um agravamento , pelo que vou aguardar a ver q se passa nos próximos dias, altura em que se continuar assim vos digo o que o RuiMar nos aconselhou a fazer a ver se concordam. Obrigada!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas, antes de mais deixem-me apresentar. Eu sou o Micael e comecei a ter discus á cerca de uma semana, comprei atermia para eles mas praticamente nao os vejo a comer e isso deixa-me intrigado. Será ainda que me podiam ajudar a identificar a espécie dos meus pequenos discus? Só não sei como colocar as imagens aqui no forum, alguem me poderia ajudar?

 

Obrigado

Micael Azevedo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Micael, não queres criar um tópico para ti com as condições do aquário, a fauna e flora, e se possível fotos?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado pela sejustao, e o mesmo ja esta criado.

Share this post


Link to post
Share on other sites

De facto agora sou eu a precisar de ajuda de novo!

Temos dois inquilinos novos, um yellow pigeon e um blue diamond, ambos pequenos ainda com 8 cm. Já estão todos no aqua grande que estava a ser ciclado, com 0 de amónia de 0,1 nitritos (quase zero) nos 200 lt. Estavam todos felizes mas o Alenquer maior está a fazer umas fezes que ficam mt compridas e penduradas nele. E hoje passaram de transparente a esbranquiçadas. Estive a ver e fala-se disso em vários lados, mas as perspectivas não parecem boas, não é? Ele e o alenquer mais pequeno estão bastante escuros, mas ambos activos e a comer. Vou fazer o flagyl, desfiz dois comprimidos num bocado de papa que deixei derreter, misturei e agora está a congelar de novo para lhes dar. Que acham? Qual é a vossa experiência? Está assim há dois dias...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Este tópico tem mais de 6 meses de antiguidade... Se fizer sentido, por favor considere criar um novo tópico em vez de reactivar este. Obrigado!

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Sign in to follow this