Sign in to follow this  
Darkwish

Tanganyika em Leiria

Recommended Posts

Boas a todos!

 

Para quem não me conheçe eu venhos dos plantados.

 

Após o nascimento do meu 2º filho, resolvi mudar dos plantados para algo novo e diferente um TANGANYIKA.

 

Aqui ficam as caracteristicas do aqua que tenho disponivél:

 

 

Aquário Panorâmico com tampa 80x35x45

 

DSCF7187.jpg

 

Iluminação – 1x18 watt T8 10000K Frente e 2x24 watt PLL 6000K Trás (provavelmente terei de optar por eliminar algumas lamapadas, pois é luz a mais para um tanga de certeza)

 

Filtragem – Fluval 205 680 l/h (será suficiente para um tanga?)

 

Termoestacto 200 watt

 

Relação ao substracto estou a pensar em 15 a 20kg de areia da praia, rochas calcárias (talvez as minhas seiryu stones dos plantados, logo se vê), e claro as lindas conchas.

 

Fauna:

 

Conchiculas (uma destas 3 espécies ou outra ainda não me decidi)

 

'Lamprologus' sp. "Ornatipinnis Zambia"

 

'Lamprologus' ocellatus (Gold)

 

'Lamprologus' similis

 

 

e alguns Cave Spawners ou Rock Dwellers (uma destas ou outra ainda não me decicdi)

 

Paracyprichromis nigripinnis

 

Neolamprologus leleupi (Bulu Point)

 

 

 

Dado as dimensões do aqua não devo poder colocar mais nada. (não vou colocar peixes de grandes dimensões nem muitos para poder manter os territorios bem definidos)

 

 

Flora:

 

Se colocar serão valisnérias e algumas platas flutuantes para tratar da amónia.

 

Fico aguardar as vossas respostas, opiniões e sugestões.

 

 

Nuno Nobrega

Leiria

Edited by Darkwish

Share this post


Link to post
Share on other sites

Viva Nuno

Se queres a minha opinião aqui vai.

Se fosse montar esse aquário para Tangas eu fazia as seguintes alterações:

Iluminação: visto que já tens a calha pronta para receber 1 T8 de 18W e PLL de 24W, eu deixava só uma PLL de 24W (8horas/dia) e metia uma T8 (Deep sea ou blue mon), para dar 2horas de “luar” a fazer transição “dia-noite”…é que os Tanganyikas têm medo do escuro e as luzes apagarem de repente assusta-os um pouco…

Filtragem: Fluval 205, serve, mas metia pelo menos um dos cestos com Zeolit, ( já tive um aquário igual com um filtro desses e as massas filtrantes era tudo Zeolit, que para além de absorverem amónia e nitritos como é porosa também serve para colonização de bactérias, desnitrificantes…

Aquecimento: 24ºC mínimo, 26ºC máximo (no Verão eu sei que é impossível estes valores, mas convém que não esteja muito tempo acima dos 27ºC…)

Fauna:

Conchiculas,um casal de 'Lamprologus' ocellatus (Gold); ou um casal de Neolamprologus brevis .

Cave Spawners ou Rock Dwellers: Paracyprichromis nigripinnis,(1M-2F), (para esta espécie convém ter uma zona com lajes de xisto preto que venham do fundo até à superfície da água);

1 casal de Neolamprologus leleupi “Karilani” (Bulu Point, desconheço se há em Portugal…); ou 1 casal de Neolamprologus helianthus, possivelmente optaria por estes ultimo pois assim poderia meter também um casal de Neolamprologus caudopunctatus.

Agora o mais importante para esta combinação de Fauna é a disposição do Layout (Usaria uma laje de xisto para tapar as tubagens e termóstato de um dos lados e seria desse lado que meteria as conchas, um pequeno grupo no máximo 4 a 5 conchas tanto os N.ocellatus como os N.brevis só usam duas conchas os Brevis não se incomodam que haja mais conchas no território, agora os Ocellatus só deixam ficar mesmo duas conchas “habitáveis” as outras vão enterra-las…

No Centro colocaria uma rocha a servir de “fronteira” entre o território dos conchiculas do territórios dos “Rock dwellers” , na outra lateral meteria várias rochas de modo a criar algumas “tocas” buracos para os rock dwellers…

Mais um motivo para não optar pelos N.leleupi’s é que estes ao contrario da maioria dos Rock dwellers, não são muito “fieis” um território, sendo normal mudarem de tocas a cada desova, assim haja outros buracos para eles e conchas grandes também servem…mas conchas grandes também são muito apelativas tanto para os N.heliathus como para os N.caudopuntactus…para que não haja muita disputa pelos melhores “buracos” optava por introduzir (todas as espécies na mesma altura), um casal de conchiculas adulto e quanto aos rock dwellers uns casais ainda jovens…

Um abraço, até breve

Ps- alterei alguns link’s direccionando para a minha pagina (que ainda não está “completamente” acessível ao publico em geral…)dá uma olhada na ficha dos N.heliathus…se quiseres “vasculhar” podes encontrar mais alguns artigos sobre aquários de Tangas, infelizmente ainda não tive tempo para fazer as fichas das outras espécies que queres…)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas Aquaben

 

Obrigado pelo teu precioso input.

 

Clarifica-me apenas uma coisa em relação a esta parte do teu post.

 

"Cave Spawners ou Rock Dwellers: Paracyprichromis nigripinnis,(1M-2F), (para esta espécie convém ter uma zona com lajes de xisto preto que venham do fundo até à superfície da água);

1 casal de Neolamprologus leleupi “Karilani” (Bulu Point, desconheço se há em Portugal…); ou 1 casal de Neolamprologus helianthus, possivelmente optaria por estes ultimo pois assim poderia meter também um casal de Neolamprologus caudopunctatus."

 

Escolho apenas os Paracyprichromis nigripinnis, e nada mais para a zona de rochas ou tambem posso colocar um casal de Neolamprologus leleupi “Karilani”?

 

É que em relação ao Neolamprologus helianthus e os Neolamprologus caudopunctatus, não devo poder optar pois pelo que li os helianthus são um pouco agressivos e ou caudopunctatus tambem criam nas conchas isso não será correr riscos desnessários em relação aos conchiculas?

 

 

Em relação á diposição dos inertes será algo do que sugeriste. logo tento fazer um esboço e coloco aqui.

 

 

No que diz respeito ao filtro, obrigado pela dica eu já ia pretender utilizar os dois cestos de cima com ceramicas e usar um produto anti-amonia no cesto de baixo, e para a filtração mecanica ficam apenas as esponjas de lado será que assim funciona?

 

Para as lampadas vou experimentar para ver como fica pois as PLL estão encostadas aos lados (uma á direita outra a esquerda) e pode não ficar bem depois de ligado.

 

Em relação a temperatura já tinha lido que seria entre os 24 e 26, mas já se sabe que no verão .... enfim abrir a tampa e colocar a saida do filtro mais em cima.

 

 

Fico aguardar o teu input e dos outros utilizadores do forum obrigado.

 

Atenciosamente,

 

Nuno Nóbrega

Leiria

Edited by Darkwish

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Eu “classifico os Paracyprichromis nigripinni, como “Rock Dwellers, mas não são “Cave spawners…os Paracypris não interferem com os outras espécies e também não é habitual serem importunados pelas outras espécies…o único senão da sua introdiução nesse aquário é que realmente é pequeno para eles, mas se conseguires um layout apropriado para eles podes meter o rácio que mencioneis, sem problemas…

Quanto à agressividade dos N.helianthus, não é pior que a dos N.leleupi,quando estão a defender o seu território, com a desvantagem que os N.leleupi ficam bem maiores e não são “fieis” um só território, enquanto que os N.heliathus quando marcam o seu território, só “atacam” quem não respeitar as suas fronteiras…os N.leleupi, ao trocarem de território vão expulsar os conchiculas se assim o entenderem, e mesmo poderão usar a suas conchas…caso estas sejam suficientemente grandes para albergar a fêmea…O N.caudopuntactus, tal como os N.heliathus, são excelentes cavadores de tocas, mas se tiverem uma concha de grandes dimensões, junto das rochas, vão usar a concha como toca para a fêmea, nenhum deles é um verdadeiro conchicula, mas nenhum Neolamprologus , num aquário, desperdiça uma concha que tenha dimensões suficientes para servir de toca, seja os N.caudopuntactus, ou Um Altolamprologus compressiceps ou calvus…portanto a solução é usar conchas pequenas para os verdadeiros conchiculas, caso queiramos “controlar” num determinado território um “cave spawners”, é meter uma concha de dimensões suficientes para serem usadas como toca, junto à zona de rochas…

Se queres mesmo ter N.leleupi’s, o melhor é 1º meteres os simillis e esperar que se forme uma colónia com pelo menos 4 machos adultos, para que tenham força suficiente para fazerem frente a um casal de Nleleupi, um casal já formado (muito importante), de L.ocellatus adultos também fazem frente a um macho leleupi, mas se o casal não estiver formado o macho não vai enfrentar o leleupi com “vigor” suficiente…

Mas como costumo dizer…quando se trata de ciclideos do Tanganyika, não existe nenhuma regra que não tenham excepção…o melhor é mesmo se experimentar para ver no que dá. O mais importante é mesmo a qualidade da água, um layout a condizer com os habitantes e muita atenção/observação da nossa parte…

 

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas pessoal, e em especial para ti nuno.

Olha, eu mantive num aquario mais ou menos como o teu, uns leleupi, uns julidochromis marlieri e uns brevis. De todos os conchiculas que já vi os brevis são os mais bonitos para mim.

Quanto aos outros a opiniao do aquaben está acertada e ninguém melho do que ele te pode elucidar amigo...

Qualquer coisa dispõe.

Abraço

Lucas

Share this post


Link to post
Share on other sites

Entaõ expliquem-me uma coisa, e não se esqeçam que o aqua e de 80cm apenas

 

Se eu colocar os Paracyprichromis nigripinni não existe stress, pois são de territorio de rochas, tipo 5 individuos jovens não diferenciados, ou abondono estes e ponho uns Cyprichromis leptosoma (Mpulungu)

 

Depois uns verdadeioros conchiculas como os 'Lamprologus' similis 1 casal adulto.

 

Depois uns cave spawners ou meio shell spawners como os Neolamprologus caudopunctatus 1 casal adulto isto não vai dar em porrada com os similis?

 

 

É aqui que reside a minha preocupação central pois quero conchiculas mas quero que sejam felizes e não andem sempre em stress.

 

Se fossem voces o que faziam? apenas optavam por um tipo de conchicula ou arriscavam e punham os dois?

 

Deem aqui uma ajudinha, a quem é novo nisto dos tangas.

 

Um abraço e o meu obrigado pelas participações até agora.

 

Nuno Nóbrega

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Os Paracypris nigripinni andam sempre junto às rochas (se tiverem rochas a seu gosto), os Cyprichromis são de água “aberta” e exigem muito mais espaço para “deambularem” num aqua de 80cm à primeira oportunidade vão saltar fora e nunca não estar em harmonia mesmo que só tenhas um macho, ele vai estar sempre a incomodar as fêmeas…

Quanto às outras perguntas, já dei a minha opinião.

 

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Caro Sr. Jose Bentes

 

Desde já o meu sincero obrigado, pois tirando você e o meu outro colega mais ninguem me deu a sua opinião ;(

 

Então vou optar pelo seguinte:

 

Paracyprichromis nigripinni (1 M + 2F)

 

Neolamprologus caudopunctatus 1 casal

 

'Lamprologus' similis ( 5 ou 6 )

 

Acho que para começar é a melhor maneira, e vou seguir o seu conselho no lado direito xisto preto de alto a baixo depois conchas pequenas para os similis, e depois uma separação seguida de varias rochas com esconderijos.

 

Agora so me resta começar a reunir os materiais.

 

Muiro obrigado pela sua ajuda. Já agora tem alguma destas espécies para venda? se sim mande-me MP por favor.

 

Obrigado mais uma vez.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Eu dei algumas sugestões com base em espécies que eu achei que poderias gostar e a partir do comportamento dos N.leleupi que me fez sugerir as espécies que mencionei, o que fez com que nunca tenha sugerido os Julidochromis transcriptus em substituição dos N.leleupi. agora que já optaste pelos Paracypris e pelos N.simillis, (deixando de fora os N.leleupi e os N.helianthus), talvez seja melhor sugerir os Julis transcriptus e os Julidochromis cf. Transcriptus “Gombe” como alternativa. Diz se te agrada os Julis “Gombe” ou os Transcriptus, sim gostares da espécie, na minha opinião e visto que me pareceu dares “primazia” aos N.simillis, sem dúvida que essas duas espécies de Julidochromis serão menos problemáticas em relação aos conchiculas, pois ao contrário que referi em relação aos Neolamprologus os Julis não têm tendência para se aproveitarem de conchas, e normalmente ocupam um nível acima nas rochas raramente as sua tocas são ao nível do substrato, ao contrario dos Neolamprologus que preferem tocas perto do substrato ou mesmo cavada por baixo das rochas…

 

Quanto à tua pergunta, se tenho as espécies que até agora foram mencionadas aqui neste tópico para venda, tenho todas elas, (e mais algumas outras…), mas não faço vendas directas nos fóruns, caso queiras encomendar através das lojas que estão mencionadas no meu “Site” ou através do Ricardo Garcez, que também tem o contacto no meu “Site”usa um dos link´s que te enviei para teres acesso ao Site…outra loja onde podes encomendar os meus peixes é a www.fixexotic.com, que ainda não tem o link lá no Site, mas a fixexotic e o Ricardo Garcez fazem envios para todo o País…(os Paracypris ainda não disponibilizei nas listas para as lojas mas dentro de mais umas semanas vou disponibilizar uns quantos…)

 

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa Tarde Sr. Jose Bentes

 

Desde já o meu obrigado pela ajuda.

 

Em relação ás julis é um peixe que me agrada de facto, mas nunca falei nele pois sempre pensei que não o poderia ter devido a ser um pouco agressivo.

 

Mas se o Sr. Jose Bentes me indica que é possivel , então vamos para isso.

 

 

Em relação á espécie Julidochromis cf. Transcriptus “Gombe”, existe uma dúvida pois o que encontro Gombe é uma Julidochromis marlieri (Gombe)

 

 

Pelo que eu vi no site de fixexotic gosto destas Julidochromis transcriptus "Kissi", mas como ainda não detectei as Gombe, gostaria de ver antes de decidir.

 

Sendo assim o aqua levaria as seguintes espécies: (por favor veja o numeros de individuos se é o adequado)

 

Paracyprichromis nigripinni (1 M + 2F)

 

Neolamprologus caudopunctatus (1 casal)

 

'Lamprologus' similis ( 5 ou 6 )

 

Julidochromis transcriptus "Kissi" ou Gombe ( 1 casal)

 

 

Fico aguardar a sua resposta, bem como o,link para o seu site.

 

Atenciosamente,

 

Nuno Nóbrega

Leiria

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Em relação às espécies que mencionas…eu referi os Julidochromis em substituição dos N.caudopuntactus, quanto ao resto acho que está no “rácio” correcto.

Aqui ficam uns link´s da minha “página”, ainda tem falta de muita informação nas fichas, mas isto é para ir com calma e à medida do meu tempo disponível…que é muito pouco

Iniciação ao aquário peixes do lago Tanganyica - https://sites.google.com/site/aquabenfriends/artigos/artigo01

Lista das espécies que produzo - https://sites.google.com/site/aquabenfriends/home/lista-de-stock

área dos Tanganyikas - https://sites.google.com/site/aquabenfriends/ciclideos/tanganyica

Julidochromis cf. transcriptus “Gombe”

https://sites.google.com/site/aquabenfriends/ciclideos/tanganyica/julidochromis-transcryptus

Os Julidochromis Gombe são muitas vezes designados por Julidochromis marlieri “Gombe” outras vezes chamam de Julidochromis transcriptus “Gombe”, mas na realidade não são uma coisa nem outra, será uma 3ª espécie com algumas características comuns às duas espécies referidas, mas com diferenças suficientes para que seja uma espécie só por si, mas como ainda não foi feita a classificação correcta deles talvez o melhor será mesmo chama-los de Julidochromis sp. “Gombe”…

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito Obrigado Sr. Jose Bentes

 

Tem fotos das suas Julidochromis transcriptus "Kissi me possa enviar? ou mandar um link, não precisa de ser nada de muito xpto. :roflroll2:

 

As gombe ficam maiores de que as Julidochromis transcriptus "Kissi"?

 

Amanhã vou começar a desmnontar o aqua, para começar o novo projecto. eheheh.

 

Mais uma vez o meu obrigado por toda a ajuda que me tem prestado.

 

Um Abraço.

Nuno Nóbrega

Share this post


Link to post
Share on other sites

bom projecto depoois mete algumas fotos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Os Gombe são mais pequenos que os Transcriptus…quanto a fotos dos Kissi...por estranho que pareça pelo facto de ter centenas deles por aqui, não tenho um só foto…mas dá uma olhada neste link…são iguais:

http://www.seriouslyfish.com/profile.php?genus=Julidochromis&species=transcriptus&id=463

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado, mais uma vez Sr. Bentes

 

Já tenho o plantado desmontado, agora vou começar a comprar as coisas para a montagem.Lampadas, ceramicas, substracto etc...

 

A Areia de calcite onde é que se pode encontrar?

 

O meu fluval, tem 3 cestos, estou a pensar em por 2 cestos com ceramicas e o de baixo com zeolite ou matrix da seachem o que acha?

 

Quando me disse que deveria colocar um xisto até cima, um fundo 3d não funcionaria? ou o xisto é para ter tocas até cima?

 

É que estou a pensar usar as seryu stone que aqui tenho, e assim com um fundo 3d em cor de granito escuro, era capaz e ficar porreiro, desde que não roube muita espessura.

 

Até já e obrigado.

 

Nuno Nóbrega

Edited by Darkwish

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um fundo 3D escuro ainda será melhor para os Paracypris…eles não usam tocas, eles usam a fase das rochas como protecção e a desova também é feita junto a paredes rochosas, na vertical, os ovos não são posto na rocha, são largados e apanhados na queda pela fêmea…interessante de se ver…por isso é que convém que a rocha seja até acima, para dar espaço/tempo para a fêmea largar o ovo ser fecundado e apanhado pela fêmea antes de cair no fundo…

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom Dia Sr. Bentes

 

Muito obrigado, pela sua rápida resposta.

 

Será que me pode ajudar tambem nestas questões.

 

 

A Areia de calcite onde é que se pode encontrar?

 

O meu fluval, tem 3 cestos, estou a pensar em por 2 cestos com ceramicas e o de baixo com zeolite ou matrix da seachem o que acha?

 

 

Mais uma vez o meu obrigado.

 

Atenciosamente,

 

Nuno Nóbrega

Leiria

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Areia de clacita, eu compro no AKI…dá uma trabalheira a lavar mas é bem baratinha…

Quanto a disposição das massas eu costumo inverter a ordem, cerâmica em baixo “resinas” que se têm de substituir periodicamente no cesto de cima. Como já te disse eu metia só zeolit, mas caso queiras meter cerâmica e outro “desnitrificante” tudo bem. Quanto ao Matrix não conheço, (nunca usei), eu prefiro o “Purigen” mas só uso disso nas baterias (5000lt), em aquário com boa filtragem nunca meto mais nada senão Zeolit e cerâmica muito porosa…

 

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado Sr. Bentes

 

Apenas encontro esta no site do AKI, mas assim que possa dou lá um salto para ver, tambem existe muita gente a falar de areia de coral fina e em dolomita.

 

http://www.aki.pt/2009/index.php?id=3830&tbl=registos&id2=191&pesq=1

 

 

Em relação ao filtro não percebi lá muito bem, por favor explique melhor.

 

Os dois cestos de baixo com ceramicas e o de cima com Zeolite ou matrix é assim?

 

imgfiltro.jpg

 

O meu filtro é composto desta forma Fluval 205.

 

Obrigado.

 

Atenciosamente,

 

Nuno Nóbrega

Leiria

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Exactamente o inverso do que eles recomenda…percebeste bem…

Quanto à areia, não é essa, também não sei te dizer se eles continuam a vender areia de calcita, faz tempo que não compro disso, mas era na secção de construção é uma areia muito fina e branca…

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

ok eheheh, você é que manda!

 

Assim será feito.

 

Agora só me falta encontrar o bem dito areao.

 

Obrigado.

 

Atenciosamente,

 

Nuno Nóbrega

Leiria

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

Temos estado a falar de areia calcarias, mas a areia de sílica fina também serve, visto que não está com intenções de meter peixes filtradores de areia, não há problema em usares areia de sílica fina…sempre é mais fácil de lavar e “substituir”…claro que não vai ajudar a manter a água alcalina, mas isso tem de ser feito com Buffer’s específicos para Tanagnyikas…ou caseiros, leste o meu artigo sobre Buffer caseiro? Está na secção de artigos do meu “Site”…

 

Um abraço, até breve

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas Sr. Bentes

 

Sim li o seu artigo, e devido aos plantados até tenho aqui alguns dos componentes quimicos. Eu tenho tambem 2 tipos de agua cá em casa a da rede publica e de um poço a do poço a ultima vez que medi os paremetros eram muito bons para tanga, mas tinha nitratos agora não sei como está, e como apenas a uso para regar o jardim não sei bem se isso já alterou ou não. Mas assim que tenha isto da montagem do aqua resolvido, vou passar para a decisão das aguas.

 

Mas a minha ideia em relação ao substracto é tambem para ajudar um pouco o buffer, deste modo deveria ser algo com calcário.

 

Mas obrigado pelo conselho, mas pretendo algo com calcário na sua composição. ;)

 

Atenciosamente,

 

Nuno Nóbrega

Leiria

Share this post


Link to post
Share on other sites

hello,Do you kwon where can i buy Lamprologus' similis?

Thx a lot.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sign in to follow this