Cianobacterias


Nelson Pena

Recommended Posts

Esta restruturação do fórum permite recordar tópicos que nos deram muito prazer e também olhar para eles com uma certa distancia e seguramente com mais conhecimento.

Eu há pouco tempo tive um surto enorme de cianobacterias no meu aquário grande após uma morte maciça de xénias devido ,penso eu a uma quebra de pH por a cave ter ficado fechada durante 8 dias e não ter colocado a ventilação forçada 24 horas por dia.

Ora perante tal quadro e como não é fácil fazer TPA'S num sistema com 5000 litros de água, decidi utilizar eritromicina.

Li um tópico com 28 paginas no Reefcentral e cocclui que 95% dos que já tinham usado eritromicina não tinham tido problema e apenas 5% tinham tido desgraças.

Ora a minha conclusão foi que provavelmente esses 5% tinham aplicado uma dose excessiva por mau calculo do volume de água ou porque a qualidade da água já era tão má que independentemente de terem usado ou não eritromicina as desgraças tinham acontecido na mesma.

Mas é claro que não é uma decisão fácil quando tenho um recife carregado de corais que não queria perder.

Mas lá avancei . Calculei a dose em função de 4000 lt de água, ( descontando a rocha ) . Usei 1 mg por litro ou seja 4 gramas, isto é 8 comp. de ESE ( farmácia ) de 500 mg. Tirei o carvão e desliguei o ozono , mas não desliguei o escumador como eles diziam . a coragem não chegou para tanto. Nesse dia mal dormi a pensar que de manha iria ter os corais todos marados.

De manha tentei ver alguma coisa comas luzes apagadas e uma lanterna e tudo parecia normal . Quando as luzes acenderam os corais começaram a abrir . Os peixes apareceram todos . Os camarões também. As tridacnas idem . E.... as cianobacterias resumiam-se a uns ínfimos focos. Nessa noite apliquei mais 6 comprimidos . No dia seguinte as cianobacterias desapareceram até hoje sem nenhuma baixa visível. As analises estavam perfeitas. Coloquei carvão e Rowaphos e estou muito satisfeito.

O moral da historia é que hoje revendo o espectro de acção da eritromicina penso que estamos perante um antibiótico que afecta as bactérias aerobicas gram positivas e as anaeróbias. Não é o caso das bacterias nitrificantes porque são aeróbias gram negativas. As desnitrificantes poderão sofrer um pouco mas como estão em zonas menos acessiveis é provável que a eritromicina não atinja aí concentrações susceptíveis de as atingir significativamente.

Assim, usando uma dose correcta e tendo uma boa qualidade de água, penso que podemos controlar alguns surtos de ciano em casos pontuais que não se devem a uma má circulação ou escumação mas sim a um aumento episódico da matéria orgânica por um acidente como, neste caso, a morte das xénias. Nos outros casos devemos sempre corrigir primeiro a causa.

Antes do tratamento devemos sifonar a maioria das algas e depois do tratamento também devemos sifonar os restos de cianobacterias mortos para evitar as suas toxinas.

 

Cump.

Rui

Link to comment
Share on other sites

Uma particularidade das cianos eh preferirem locais de sedimentação de matéria organica particulada (MOP), entao um reforço de circulação nestas áreas eh interessante tbem... bem como o uso de uma powerhead para fazer uma "tempestade" eventualmente evitando esta sedimentação. Infelizmente elas tem uma particularidade de serem extremamente resistentes.... e por isso eh dificil sua eliminação... exige um bucado de paciencia.

 

Eritromicina eh eficiente para bactérias G(+) que G(-), felizmente as bactérias que fazem parte do ciclo do nitrogenio são do segundo tipo. O maior risco na aplicacao da eritromicina deve-se ao fato da liberação de toxinas na morte das cianos.

 

Embora eritromicina também mate certas bactérias, estas bactérias podem ser capazes de recolonizar facilmente o sistema. Desde que vc não reintroduza novamente o organismo (ciano), seja atraves da água, rochas ou coral, não haverá nova infestação (obvio). Mas deve tomar o cuidado na completa erradicação apos a aplicação do Red Slime

 

Eu parti pra dosagem de H2O2 (água oxigenada) com uma seringa diretamente dentro do substrato (elas se acumulam proximas ao vidro). A dosagem nao deve exceder os 6ml/100 litros

 

Na realidade nao estou apenas aplicando água oxigenada diretamente nos focos com uma seringa e sim alguns procedimentos em conjunto. Usar eritromicina, água oxigenada pode ser um paleativo pois combate-se o efeito e nao a causa. "Eh como ter um telhado com goteira e limpar o chão"

 

A vantagem da água oxigenada eh que eh um composto que se decompõe –se facilmente em água e oxigênio

 

2H2O2 =>H20 + O2

 

Mas existe o perigo da formação de radicais livres tbem... se combinar com o Ferro, a água oxigenada ganha mais um elétron, formando o a hidroxila

 

Outro problema eh que a maioria da água oxigenada encontrada comercialmente eh indicada para uso externo porque contém. estabilizantes, na realidade ela eh 3% de H2O2 + 97% de H2O + estabilizantes. Existe a P-10 para uso interno, mas eh dificil de encontrar, mas tbem nao sei se teria alguma vantagem, mas seu uso eh indicado para ingestão da mesma

 

http://www.ibraqui.com.br/produto.php?id_produto=P-10

 

H2O2 se forma naturalmente na chuva e na neve, a partir do ozônio atmosférico, logo não eh um elemento assim tão anti-natural, por isso preferi esta alternativa.

 

Conjuntamente com a adição da água oxigenada estou sifonando os focos, dosando kalk para ajudar na exportação do skimmer e aumentei a circulação

 

Existe uma equação de RedField que atribue ao surto de ciano uma limitação do nitrato.

 

http://acuaristasdechile.cl/foro/viewtopic...4b8c2b0dc1031e9

Celso e-mail: celsois@ipaq.org.br

IPAq. Aquicultura e Aquariologia ao seu alcance. em www.ipaq.org.br

logo.gif

Link to comment
Share on other sites

Viva Celso

Eu concordo contigo quanto á eliminação das causas e é isso que aconselho sempre. Mas no meu caso nada tevce a ver com a circulação ,porque no aquário grande de 2700 litros eu tenho 74000 litros de circulação por hora. O escumador é um deltec 1004 . O problema foi a morte massiva das Xénias.

A solução da água oxigenada é interessante e neste momento é o medicamento mais promissor para o Amyloodinium pela hipotes de ser relativamente seguro nessa dosagem ou até ligeiramernte maior no recife. No entanto, parece-me que para as ciano não haverá melhor do que a eritromicina. Claro que se existirem causas predisponentes como circulação ou escumação deficientes ela voltará porque está sempre presente no aquário. Penso que é virtualmente impossivel erradicá-la totalmente.

Do que eu entendi, os nitratos não serão um factor directamente limitante mas sim porque a sua ausênçia diminuiria o crescimento de macroalgas ( traçando o paralelismo para a água salgada) o que por sua vez não permitiria exportar tantos fosfatos que as ciano aproveitariam.

Cump.

Rui

Link to comment
Share on other sites

O uso da água oxigenada eh hábito comum entre os aquaristas de plantados. Deve ser feito com as luzes apagadas... pois mesmo O2 em excesso eh prejudicial.

 

Outra coisa eh que atribuem a substancias oxidantes como água oxigenada ou pergamanato de potassio a uma diminuição no muco protetor dos peixes e consequente parasitismo. Portanto eu prefiro administrar diretamente nos focos.

 

Creio que tenhamos algo em comum... meu surto de ciano começou com um crash em uma colonia enorme de xenias que tinha. Assim como caulerpas exportam nutrientes xenias tbem tem uma capacidade incrivel em faze-lo, inclusive podem ser usadas como refugios biologicos.

 

http://www.reefkeeping.com/issues/2002-12/...ature/index.php

Celso e-mail: celsois@ipaq.org.br

IPAq. Aquicultura e Aquariologia ao seu alcance. em www.ipaq.org.br

logo.gif

Link to comment
Share on other sites

O meu caso teve ralação com o "crash" do escumador e tive paciência para o aturar durante 4 meses.

 

Apesar de ter aumentado substancialmente a agitação, as cyano estavam concentradas no refúgio e, por mais que as eliminasse fisicamente, mesmo muito tempo passado após o upgrade do escumador, por lá continuaram a prosperar.

 

Adoptei exactamente a solução do Rui (obrigado bigsmile) com a vantagem de ter isolado temporariamente o refúgio do aquário principal.

 

Não alterei o regime de iluminação e aspirei todas as cyano que consegui, coloquei (a olho) cerca de 1mg por litro e no dia seguinte já praticamente não havia mais do que umas massas descoloridas onde antes estavam as malditas.

 

Aspirei o que pude fazendo uma muda de 50% (fácil porque o refúgio leva cerca de 25/30 litros) e dei mais uma dose igual. No dia seguinte não havia sinais delas e voltei a mudar 50% da água. Finalmente no 3.º dia restabelecia a circulação com o aquário principal e coloquei carvão novo no escumador.

 

Curiosamente ou não, as poucas cyano que subsistiam no aquário principal também desapareceram numa semana.

 

Consequências nos corais não tive e tenho um pequeno frag de Acropora que à partida é suficientemente sensível para funcionar como indicador. Quanto aos peixes, também correu tudo bem. Quanto aos copépodes, anfípodes, mysipedes, gamarrideos do refúgio, até parece que aumentaram de número.

 

Estou totalmente satisfeito. Se bem que não tenho certezas, apenas suspeitas, quanto à fonte do problema.

 

Penso que ele, no meu caso, tem origem primária em excesso temporário de nutrientes e flutuações de pH que disponibilizam temporariamente fosfatos fixados pelo Ca. As cyano depois formam um biofilme e desconfio que têm alguma capacidade química para forçar pequenas quebras do pH localizadas permitindo-lhes consumir o fosfato. Diz-se que também têm capacidade de usar o azoto dissolvido na água como nutriente primário. Estes factos são consistentes com as soluções que defendem potenciais redox muito elevados e agitação. No entanto, quando se forma um bom biofilme acho que não há nada a fazer a não ser atacá-las directamente.

 

Enfim espero nunca mais ter de me preocupar com isso bigsmile

 

Finalmente, por se ajustar como uma luva ao "problema" das algas, não resisto a citar de memória uma frase do Padrinho penso que III: "Não odeies o teu inimigo porque isso vai prejudicar a tua razão"

 

Quantos de nós já não fizeram grandes borradas para resolver pequenas insignificâncias que acabariam por se resolver por si. Eu já bigsmile

 

Acho que só quando se esgotam todas as soluções aceitáveis para resolver estes problemas na fonte (muitas vezes a solução é meramente deixar passar algum tempo) vale a pena atacar a questão por "acção directa"

Link to comment
Share on other sites

  • 2 weeks later...

Boas.

Eu tenho uma duvida que gostava de colocar porque tambem tenho bastante cyano, num aquario com ano e meio, e ela é a seguinte:

- Esse medicamenco eritromicina qual é a dosagem ideal para colocar no aquario e como colcar ?

 

Desde já Obrigado

Cumps

Marco

Cumps

Marco.

Link to comment
Share on other sites

1 mg por litro dois dias seguidos. Os comp. ESE da farmácia ( é um antibiotico usado em medicina humana) têm 400 mg . Ou seja dão para 400 lt.

ATENÇÃO :!::!::!:

calcula bem o volume de água EFECTIVO do teu aquário.

Antes aspira todas as cianobacterias que conseguires.

Retira o carvão activado e desliga as UV's ou oozonizador se tiveres.

No 3º dia volta a colocar o carvão.

 

O TRATAMENTO NÃO SUBSTITUI A CORRECÇÃO DOS FACTORES PREDISPONENTES , como sejam :

- má circulação

- insuficiençia do escumador

- sobrepopulação

- excesso de alimentação

- má qualidade da água

 

O tratamento deve ser ponderado pelo aquariofilista e é da sua responsabilidade. Eu li 18 páginas de threads antes de usar o medicamento visto ter muitos corais e outros invertebrados no meu aquário. Não tive qualquer problema´. No entanto ,aresponsabiliade de usar medicamentos cabe a cada um de nós individualmente.

 

Cump.

Rui

Link to comment
Share on other sites

  • 1 year later...
Em primeiro lugar deixei-me chamo-me Nelson e sou do norte mais precisamente da Povoa de Varzim.

Este topico esta relacionado com o problema recente que tenho no meu aquario que posso a descrever...

Tem sensivelmente 1000 litros (2 metros/70cm/70cm).

Sump tem 1,20 m/50cm/50 cm

Escumador Aquamedic 5000 shorty 2

Em termos de circulaçao tenho 4 Eheim 1060 (2280 Litros cada/hora)

70 kgs de rocha viva Indonesia Jakarta

Pelo facto de ter umas algas vermelhas no substrato leva-me a pensar em cianobacterias...Com isto procurei razoes para o aparecimento e talvez o mais forte seja o facto do aquario ser recente (5 meses).Outra da possiveis causas seja excesso de carga organica pelo facto de dar uma alimentaçao farta aos meus peixes e corais...quanto a circulaçao estou pensando fortece-la com mais duas bombas (tunze electronic system 7400/2) em conjunçao com um singlecontroller 7091 Tunze.Alguem ja teve experiencia com este tipo de bombas ou as stream na mesma da tunze?Outra da possiveis causas talvez fosse a agua de reposiçao mas a tres meses para cá que adquiri uma osmose inversa.Estejam a vontade para opinar e se possivel falem das bombas...um abraco

 

:rolleyes: Amigo, Nelson.

 

As cianobacter são o produto da existência de um gás dissolvido (flureto de Hidrogénio), existe devido à decomposição das nitrobacter anaérobia.

As ciano absorvem este gás e utilizam-no como fonte de energia no seu metabolismo, durante o processo libertam síclicios que se aglutinam com oxigénio.

Não estejas preocupado com os sílicios, estes são um precipitado resultante do processo e são inofensivos, concentra-te no gás dissolvido.

 

Lê artigo sobre ajuda microalgas.

 

Pesquisa sobre mais sobre ciclo anaérobio e aérobio, vantagens e desvantagens do cultivo anaérobio fora do aquario, e fotoquímica simbiótica de zooxantelias (complexo).

 

A boa saúde de zooxantelias é imprescindivel para um biótopo estável, estas são as primeiras a serem afectadas pela presença de cianobacter aérobia.

 

:Fade-color Boa sorte

Oz33

Link to comment
Share on other sites

  • 5 years later...