Sign in to follow this  
Ricardo Pinto

Cirurgiões - Possiveis soluções para 300L

Recommended Posts

Yo,

 

O meu aquário tem aprox 300L (85x55x60cm) e eu acho que está na altura de comprar um cirurgião. Sempre dei prioridade aos corais, mas também queria já ter uns peixitos ;)

 

Os meus preferidos são o Sohal e o Achilles, mas acho o aquário demasiado pequeno para estes. Ainda arriscava o achilles, mas como quero ter duas espécies, tentarei noutra altura se calhar.

 

A minha lista de possíveis neste momento resume-se:

 

Acanthurus triostegus

Acanthurus lineatus

Ctenochaetus strigosus

Acanthurus japonicus

 

Nestas coisas costumo ser bastante decidido, mas confesso que estou um pouco confuso, em principio irei optar pelo strigosus e depois mais tarde pelo achilles ou pelo japonicus.

 

O flavescens e o xanthurus estão fora de questão, o hepathus não acho feio, mas já é um bocado batido. Adorava ter um leucosternon mas tenho consciencia que é dificil de manter e depende bastante da sorte de cada um.

 

Um abraço,

Share this post


Link to post
Share on other sites
Nestas coisas costumo ser bastante decidido, mas confesso que estou um pouco confuso, em principio irei optar pelo strigosus e depois mais tarde pelo achilles ou pelo japonicus.

 

Vais introduzir um strigosus e mais tarde outro acanturideo? Na minha opinião isso é demasiado. No máximo colocaria um flavescens pois o teu aquário não é muito longo.

Embora o volume possa ser aceitável para um acanthurus, o comprimento do aquário não lhe dá grande espaço para "nadar" e se há peixe que gosta de nadar....

 

Mas isto claro, é apenas a minha opinião, o marco madeira por exemplo manteve um num aquário de 120cm com um hepatus, um flavescens e mais uns peixitos pequenos durante muitos meses com sucesso.

 

A l e x a n d r e

Share this post


Link to post
Share on other sites

O aquário é pequeno pra dois acanthurus.

 

O achilles vai matar o japonicus, essas espécies parecem não se tolerar

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá Ricardo.

 

Também concordo com o Alexandre e o Celso, 2 cirugiões parece-me um pouco à justa para o teu aquário.

 

O Ctenochaetus strigosus, muitas vezes desprezado, é um peixe quando saudável que tem uma coloração espetacular e também é um comedor de algas incansável. Parece-me que seria uma boa opção.

 

Cumps

DC

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

 

Estou com o Duarte e com os demais: Para Acanthurus, parece-me curto; de entre os Ctenochaetus, porque não o hawaiiensis (para além do preço) ? É pura e simplesmente espectacular.

Da tua lista, postava no strigosus

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem parece-me que já me decidi e para já vou optar por um Ctenochaetus strigosus. Alguém tem ideia se este "menino" come bem caulerpa? (É que tou com uma praga"zinha" de taxifolia e já estou cansado de a tirar à pata cheers)

 

Depois mais tarde e atendendo que o strigosus é um cirurgião relativamente calmo, talvez compre outro ... o japonicus ou o achilles, pode ser que arranje em tamanho Xs.

 

O hawaiiensis é muito bonito, quem me dera te-lo, mas é de facto muitos €€ por um peixe e sinceramente nunca vi nenhum em nenhuma loja.

 

Se alguém se lembrar de mais alguma sugestão que opine ;).

 

Abraço,

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ola Ricardo

 

eu tenho um Ctenochaetus strigosus e tenho uma praga de Caulerpa racemosa (maldita a hora que puz esta caulerpa no aquario) e ele não toca nela.

 

abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá,

 

Mantive no meu aqua de 300 litros (100x60x50) um flavescens e um desjardini durante muito tempo e não tive problemas... para quem se lembra:

 

Pic_86_8.jpg

 

Tal como Luis diz o strigosus não é grande comedor de caulerpas!

 

Abraço,

Diogo

Share this post


Link to post
Share on other sites
eu tenho um Ctenochaetus strigosus e tenho uma praga de Caulerpa racemosa (maldita a hora que puz esta caulerpa no aquario) e ele não toca nela.

 

Desculpem o off-topic mas muita gente quando evolui dos doces para os salgados insiste em colocar um pouco de "verde" introduzindo no aquário algumas espécies de caulerpa. Até pode parecer apelativo no inicio mas à medida que se vão interessando cada vez mais pelos recifes, o gosto pelo verde vai e bem, esmorecendo. O pior é na altura de erradicar as caulerpas do aquário, porque mesmo que aparentemente já não sobre nenhuma, qualquer variação ligeira de nutrientes provoca o aparecimento destas pragas.

O meu conselho é nunca introduzir voluntariamente caulerpa no aquário de modo a precaver estas situações.

 

A l e x a n d r e

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi Ricardo,

 

Percebo bem essa ânsia de querer mais peixes no aquário. Os cirurgiões são peixes super divertidos e altamente sociais. Se queres uma espécie diferente aconselho-te o A. triostegus e para este não ficar sózinho o C. strigosus. Tenho cá em casa 4 espécies diferentes de cirurgiões e uma característica comum a todos eles é que não gostam de estar sózinhos acabando sempre por arranjar um amigo para nadar lado a lado.

 

Alexandre, sou a favor da introdução de Caulerpa no aquário, para além do efeito estético inigualável de algumas espécies (C. prolifera, C. taxifolia e C. sertularioides) estas são também úteis na remoção activa de nutrientes (nitratos e fosfatos), servem de alimento natural aos peixes herbívoros e refúgio para a micro-fauna bêntica do aquário. Não aconselho a introdução de C. racemosa porque é difícil remover da rocha viva. Como tu próprio referiste a Caulepra pode também ser um bom indicador natural da presença de nutrientes indesejados no aquário, possivelmente até mais eficaz que um teste químico!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Eu pus a caulerpa porque no inicio, durante o primeiro mês, não tive logo o escumador que tenho hoje, o APF 600. Tinha um prizm da red sea, então foi uma optima maneira de consumir nutrientes. Sempre controlei mais ou menos o crescimento da caulerpa. Mas sem nada que coma definitivamente a alga, acho que não consigo erradica-la totalmente.

 

Então aconselham a colocar logo os dois cirurgiões? A minha ideia era colocar o "teoricamente" menos agressivo primeiro e só depois colocar o segundo.

 

Devido à "má" experiência que tive com um veliferum em Dezembro (morreu ao fim duma semana com crypto e estava a comer), desta vez estou a pensar colocar logo um ozonizador ou um filtro UV. Tenho fácil acesso a ambos. Sei os prós e contras de cada um destes aparelhos e de vez em quando costumo usar o ozonizador. Mas se alguém quiser partilhar a sua experiencia pessoal, agradecia.

 

Mas acho que nesta próxima semana, os peixes que vou introduzir primeiro vou ser um par de Nemateleotris decora. São bastante resistentes (principalmente ao crypto né?) e já estão na loja há algum tempo. Os cirurgiões, ainda para mais o japonicus, não é fácil por vezes de arranjar, principalmente porque quero compra-los ainda pequenos.

 

O A. triostegus ainda ontem tive a olhar para um e estava até muito bem. Que tal o comportamento desta espécie Ricardo?

 

Abraço,

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ola Ricardo...

Na minha opiniao nao deverias colocar nenhum acanthurus... precisam de muito espaco para nadar assim como o Alex mencionou.

Optava entre as outras 3 familias sendo que ja colocaste uma de parte.

Neste caso resta os Zebrassoma e os Ctenochaetus. Assim optava por um strigosus sem duvida e um YT de preferencia pequenos... Com eles pequenos tinhas cerca de ano e meio a dois anos para que crescem e se tornassem adultos... Com esse volume nao arriscaria mais em prejuizo de guerras e stresse desnecessarios...

 

Eu em 250 litros mantive um hepatus e um YT. Apos isso abusei um pouco e ainda coloquei o Aquilles embora pequeno. Mas ao fim de uns 6 meses comecei a ter problemas. Embora se dessem todos bem, (e continuo a defender a teoria que desde que sejam de generos diferentes sao-se bem) comecaram a surgir os ja muito falados streses de espaco e de area util de natacao. Embora o YT nao ligasse nada para isso (e acredito que os ctenochaetus tambem nao, devido ao seu estilo diferente de natacao) o Hepatus e o Aquilles depois de crescerem bastante comecaram a ter comportamentos muito estranhos. Desde comecarem a fazer sprints malucos em todas as direcoes e sentidos ao mesmo tempo, ate passarem largos minutos a fazer sprints rapidissimos a todo o comprimento do aquario (pareciam pocessos). De vez em quando a velocidade era tanta, que muitas vezes batiam um no outro ou em outros companheiros ou ainda espetavam-se literalmente contra os vidros ou contra as rochas aparecendo varias vezes com rasgos e pequenas feridas. A partir dai vi que tinha cometido asneira e que era altura de mudar para um aquario maior. Assim que os coloquei no novo aquario o comportamento e crescimento sao completamente diferentes...

O aquilles e o hepatus tornaran-se bem maiores em 2 meses de aquario crescendo a um ritmo impressionate. Estao enormes!! cheers Para alem disso, nadam muito tempo e acabaran.se aqueles comportamentos de stress. Por tudo isto e atraves da experiencia que tenho tido ao longo dos anos e mesmo em conversas entre o pessoal aquilo que te aconcelho e que os compres pequenos e das especies atras referidas como mais aconcelhadas para esse tipo de volume de aquario. Quando montares um maiorzito podes pensar nos Acanthurus, embora se os comprares pequenos os possas manter por 1 ano ou dois nesse teu aquario.

Boa sorte e boa escolha ! :wink:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aproveito a presença dos mestres para os questionar sobre se a minha ambição de ter um hepatus com um achiles é estúpida para as dimensões do meu 350 litros (130x50x55).

 

Tenho um hepatus (chamado sushi) que salvei dum aquário decadente (que estava a 1035 de densidade) e, apesar de ainda ser pequeno (cada vez menos porque continua a crescer bem), parece-me quase criminoso mantê-lo muito mais tempo no mini de metro 120 litros onde o mantenho. Só lá está porque veio dum local bem pior e tem a sua casa nova quase pronta.

 

Acrescento que tinha uma pragazinha de racemosa circunscrita a apenas uma rocha e o meu amigo sushi, tal era a fominha que trazia do campo de concentração donde o libertei, deu conta dela em dois dias.

 

Fica aqui o meu agradecimento público ao meu querido sushi que além de ter sofrido os horrores de viver numa salina é um sobrevivente da doença do buraco na cabeça!

 

Enfim... se comprar outro cirurgião envolve algum risco para o sushi, vou é ficar bem quietinho...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olás,

 

Como também estou a montar um aquário com a mesma capacidade, embora com medidas bem diferentes - 150x40x50 (CxLxA) -, também gostaria de saber se é possível colocar um YT e um hepatus num aquário com esta capacidade.

 

No total vou ficar com 1 donzela (Pomacentrus coelestis), um Ecsenius bicolor e 2 Ocellaris - do aquário antigo, devem entrar no novo amanhã - 1 Psedocheilinus hexataenia, 3/4 Nemateleotris magnifica ou 3/4 Pterapogon kauderni (cardinal de bangai) - para comprar aos poucos.

Entretanto irei colocar um YT e gostaria de saber se ainda me "cabe" um hepatus...

A rocha viva/morta foi colocada encostada ao vidro traseiro, para permitir um maior espaço de "natação" para os peixes, mas de forma a albergar os corais (o espaço lateral não é muito...mas lá consegui ajustar a decoração).

 

Cumps,

Nuno Reis

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ola Nunos...

Na minha opiniao a mesma resposta serve para os dois. Dá para ter os dois peixes nesse volume de agua mas sem adicionar mais nenhum cirurgiao. Talves Nuno (Prazeres) teras apenas mais problemas em relacao ao crescimento que irao ter ja que esses dois sao peixes que crescem bastante e gostam de nadar mais e de mais espacos abertos. Mas de resto nem acredito que exista problemas de agressividade entre ambos visto que sao de generos diferentes, nos dois casos.

Temos de combinar de virem ca a casa ver estes 3 malandros, porque por acaso ate tenho os tres cirurgioes que mencionam para terem uma ideia da diferenca de tamanhos e até de comportamento entre eles...

:wink:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Concordo com o Marco Madeira em relação à conflitualidade entre espécies do mesmo género. Já agora acrescento que o que tenho observado é que o género Ctenochaetus com Zebrasoma também é problemático, portanto encarem como se fosse o mesmo género.

De entre os menos conflituosos há o género Naso. Os Paracanthurus também me parecem pouco conflituosos.

Os maiores problemas de conflito surgem normalmente com a entrada de um espécime novo e podem durar entre 2 dias a quase 2 semanas, sendo que a partir daí (se o peixe novo sobreviver :shock: ) existem apenas alguns conflitos momentâneos e geralmente sem consequências.

Nuno Reis, a opinião do Marco parece-me correcta. Desde que sejam dois peixes pequenos, o flavescens e o hepatus não costumam dar quaisquer problemas. Atenção à carga orgância exercida por tanto peixe nesse aquário.

Nuno Prazeres, o mesmo se aplica aqui. Começa com espécimes médio/pequeno e uns anos mais tarde fazes um upgrade para um aquário maior :wink:

Devido à "má" experiência que tive com um veliferum em Dezembro (morreu ao fim duma semana com crypto e estava a comer), desta vez estou a pensar colocar logo um ozonizador ou um filtro UV.

Ricardo, já usei os 2 e o ozonizador parece-me mais eficaz e tem outros benefícios. Eu só o uso quando introduzo peixes novos e quando vejo qualquer ponto branco nos acanturídeos. Mas se nesse aquário já houve esse incidente dessa forma, não é um ozonizador que vai resolver a situação. É muito importante haver muita circulação de água sem pontos mortos, excelente qualidade de água e estabilidade de parâmetros. O ozonizador é só um backup para travar pequenos desenvolvimentos do parasita e não infestações desse género.

Share this post


Link to post
Share on other sites
É muito importante haver muita circulação de água sem pontos mortos, excelente qualidade de água e estabilidade de parâmetros. O ozonizador é só um backup para travar pequenos desenvolvimentos do parasita e não infestações desse género.

 

Estes conselhos é para erradicar crypto do meu aquário ou para os peixes apresentarem um sistema imunitário em optimas condições que lhes permita combater várias doenças? :oops:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

 

Já estou como o Nuno: "Aproveitando a presença dos mestres" o meu aquário é um pouco semelhante ao do Nuno 120x60x60cm 385l + 185l de sump.

 

De peixes o que gostaria de introduzir seria: Zebrassoma Dejardinni, Zebrassoma Flavenscens, um Achiles e um Chelmon isto fora os meus dois palhaços e um futuro Mandarim.

 

É muito não é?

Posso equacionar alterar um Flavenscens para um hepatus.

 

Digam de vossa justiça e já agora se puderem indicar qual a melhor ordem de entrada ...

 

P.S: João Cotter, Welcome Back. Espero que de vez ...

 

 

Abraços,

 

R(/)G

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olás,

 

Já coloquei os peixes que tinha no antigo reef (150L) no aquário novo, e vi a real dimensão da minha donzela: está um bicho enorme!! ;)

 

Sendo assim, acho que vou ter de pensar melhor nos peixes que vou introduzir para ela não dar cabo deles. Um YT não deverá ser problemático, agora com um hepatus (devido á semelhança na coloração) deverá haver muitos problemas...

Próxima compra: Zebrassoma flavescens...daqui a 1 mes e meio. :)

 

Cumps,

Nuno Reis

Share this post


Link to post
Share on other sites
O A. triostegus ainda ontem tive a olhar para um e estava até muito bem. Que tal o comportamento desta espécie Ricardo?

 

Nunca tive nenhum A. triostegus pelo que não te vou poder ajudar. Mas é sempre bom haver alguém disposto a dar o primeiro passo para depois partilhar a sua experiência!

 

Estive a reler atentamente as várias opiniões do pessoal e acabo por concluir o mesmo em relação ao rápido crescimento das espécies pertencentes ao género Acanthurus e Paracanthurus, como é o caso da minha Dory que na hora de comer parece um aspirador!

 

Quanto à introdução de peixes novos em aquários com peixes já existentes queria só recomendar o uso de uma gaiola de aclimatação de dimensão apropriada ao tamanho do peixe, no caso de haver espécies agressivas e territorias. A introdução de um peixe novo deve ser feita preferencialmente à noite pouco tempo antes de as luzes actínicas se apagarem, nesta fase os peixes estão mais calmos.

 

João Cotter, como vai o aquário?

 

Abraço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
De peixes o que gostaria de introduzir seria: Zebrassoma Dejardinni, Zebrassoma Flavenscens, um Achiles e um Chelmon isto fora os meus dois palhaços e um futuro Mandarim.

 

É muito não é?

 

Na minha opinião é. Um zebrassoma, de preferencia o flavescens e o chelmon já ocupam bem um aquário com essas dimensões, principalmente se atendermos ao tamanho adulto que esses peixes podem atingir.

 

Já viste um flavescens do tamanho de um prato? É impressionante!

Embora seja um peixe muito comum entre nós aquariofilistas, não deixa de ser um dos mais bonitos. Lembrem-se da sensação que sentiram ao vê-lo pela primeira vez, concerteza em tamanho infantil ou juvenil no máximo, agora imaginem "full-grown".

 

A l e x a n d r e

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá,

 

... 120x60x60cm 385l + 185l de sump.

 

De peixes o que gostaria de introduzir seria: Zebrassoma Dejardinni, Zebrassoma Flavenscens, um Achiles e um Chelmon isto fora os meus dois palhaços e um futuro Mandarim.

 

É muito não é?

 

É muito... mas não seria tão radical como o Alexandre - até porque o flavescens nunca irá cresce tanto! Penso que podes ter o flavescens e desjardini em conjunto com o Chelmon. Agora o achilles acho despropositado!

 

Abraço,

Diogo

Share this post


Link to post
Share on other sites
Estes conselhos é para erradicar crypto do meu aquário ou para os peixes apresentarem um sistema imunitário em optimas condições que lhes permita combater várias doenças?

Zonas mortas no aquário são locais ideais para o desenvolvimento da fase enquistada dos parasitas.

Uma boa oxigenação favorece o metabolismo dos peixes (acelera a digestão do bolo alimentar e permite que sobrem reservas energéticas ao peixe para o crescimento e maiores defesas imunitárias). O oxigénio é extremamente importante para os peixes já que a sua concentração em água salgada é baixíssima. 1/3 do oxigénio respirado pelos peixes é imediatamente consumido apenas para o esforço de respiração (músculos da boca e operculares). Os outros 2/3 para a movimentação, digestão e satisfação de necessidades básicas. O crescimento é o último da lista (e muitas vezes não acontece).

Aconselho também a colocar alho líquido (alicina) na comida só por causa dos parasitas.

De peixes o que gostaria de introduzir seria: Zebrassoma Dejardinni, Zebrassoma Flavenscens, um Achiles e um Chelmon isto fora os meus dois palhaços e um futuro Mandarim.  

 

É muito não é?  

Posso equacionar alterar um Flavenscens para um hepatus.

Um achiles também me parece um bocado abusivo para esse aquário.

O Chelmon eu desistiria. É um peixe que dá mais frustrações que alegrias. São com certeza poucos os casos aqui no fórum de sucesso com este peixe. Acredito que os casos de insucesso, na sua maioria, não vêm a público e são muitos de certeza. Eu digo já que é um peixe com o qual nunca tive sorte e já desisti. No máximo aguentou-me uns 4 ou 5 meses e o motivo fundamental é a alimentação.

 

vi a real dimensão da minha donzela: está um bicho enorme!!

Esses bichos são terríveis. Se está assim grande, cuidado!!! :D

agora com um hepatus (devido á semelhança na coloração) deverá haver muitos problemas...

A cor não me parece o maior problema, mas sim a proximidade taxonómica. Atenção à introdução de cromídeos, palhaços, pseudochromis, etc. De qualquer maneira não é de fiar. Se houvesse maneira de isolar o bicho ao introduzir novos era o ideal.

Quanto à introdução de peixes novos em aquários com peixes já existentes queria só recomendar o uso de uma gaiola de aclimatação de dimensão apropriada ao tamanho do peixe, no caso de haver espécies agressivas e territorias. A introdução de um peixe novo deve ser feita preferencialmente à noite pouco tempo antes de as luzes actínicas se apagarem, nesta fase os peixes estão mais calmos.

100% de acordo!

João Cotter, como vai o aquário?

Quando é que cá vens? Vais ver umas boas diferenças (para melhor :D )!

 

Abraços,

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

 

Agora o achilles acho despropositado

 

Um achiles também me parece um bocado abusivo para esse aquário.

O Chelmon eu desistiria. É um peixe que dá mais frustrações que alegrias.

 

Mesmo que durante a aquisição se veja o peixe a comer outro tipo de comida que não aiptaisas ou espirógrafos?

 

O que vos quero perguntar é o seguinte: O Achilles não porque em adulto atinge os 20cm em cativeiro e 25cm na natureza? ou o Achilles não desde muito novo?

 

É que este aquário de 1.20m é para manter por uns 2 anos. Depois se tudo correr bem, hei-de mudar de casa e montar um maior.

 

Antes de responder equacionem também o seguinte: Eu adoro o raio do peixe quer pela sua beleza natural quer pelo seu comportamento e não me importo nada se vir que o peixe está a crescer muito ou a sofrer com o caso de o entregar para adopção.

 

Ok. Get ready, set .... go .... respondam agora :D

 

João Cotter, é pá eu só vejo falar, falar mas fotos do teu aquário está quieto. cheers Se precisares a máquina, ela não é grande coisa. A bem da verdade nem o fotógrafo ... mas ... posso sempre levar cerveja :D

 

Abraços,

 

R(/)G

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi Rui,

Mesmo que durante a aquisição se veja o peixe a comer outro tipo de comida que não aiptaisas ou espirógrafos?

Bem, se ele estiver de facto a comer bem sem depois cuspir a comida então já é de arriscar. Não deve é ser fácil encontrar um assim.

O que vos quero perguntar é o seguinte: O Achilles não porque em adulto atinge os 20cm em cativeiro e 25cm na natureza? ou o Achilles não desde muito novo?

Encara o achiles como outra versão do leucosternon, ou seja, uma pintura diferente :D Se for pequeno, se não houver muitos peixes no aquário e tiveres óptimas condições de água, blá, blá, blá, e se pensas mais tarde fazer upgrade para um aquário maior, então não vejo porque não. cheers

João Cotter, é pá eu só vejo falar, falar mas fotos do teu aquário está quieto.  Se precisares a máquina, ela não é grande coisa. A bem da verdade nem o fotógrafo ... mas ... posso sempre levar cerveja

Não há nada de especial para ver mas quando quiseres combinar, sabe sempre bem umas bejecas :D

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sign in to follow this