ricardonovi

Re-iniciação!!

Recommended Posts

Muito boa tarde a todos.

Já tive um aquário a um par de anos mas foi tudo muito mal feito e desorganizado correu mal e acabou por ser desmontado, mas ficou sempre o gostinho.

Então resolvi que agr que tou de férias da universidade seria um bom momento para voltar a tentar!!

O meu aquário é de cerca de 40 litros, antes de mais eu preciso de retirar o silicone e por um novo, que o atual já tá velho e com algumas fugas, se alguém tiver dicas como retirar aceito xD

Gostava de fazer um plantado low-tech sendo que é um assunto que pouco conheço e aceito ajudas sobre especies de plantas comuns e fáceis.

Sobre a fauna o meu objetivo seria um casal de ramirezis e um grupo de 8 tetras néon (ou talvez narizes de bêbado ou rasboras galaxy) e uma neritina, gostava tbm de ter um casal de endlers mas não sei... Gostava de opiniões sobre a fauna o que acham?

Por enquanto é isso, pretendo ir atualizando sempre que tiver avanços!!

Cumprimentos

Ricardo Novita

 

Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

 

 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas, bem vindo novamente ao hobby. 

Para teres um casal de Ramis, aconselho os 8 neons porque o aquário é pequeno, as neritinas é sem problema, já o casal de endlers acho mal, porque os Ramis podem ratar as caudas e para além disso é num estante que ficas com o aqua sobrelotado, reproduzem que nem coelhos! 

Quanto às plantas podes colocar umas elodeas, umas valisnérias estas serviram de plantas de fundo, anúbias (rizoma), musgos, um tronquinhos, umas pedras para as de rizoma. 

Mas tens tb uma lista de plantas lowteck no sub-fórum das plantas que te ajuda a escolheres as que mais gostas. 

Tens de montar o aquário com calma e sem pressa fazer o ciclo do azoto, cerca de 28 dias para ires colocando os peixes, primeiroas néritinas, o cardume e depois os ramis. 

Que filtro vais usar? E substrato?

Sobre retirares o silicone, aconselho com um x-acto e com paciência removeres o máximo depois colocas o silicone novamente a toda a volta, esquina a esquina, a seguir com o dedo e os excessos retiras com cuidado, há um vídeo do Rui Melo para teres uma ideia, vou tentar procurá-lo. 

Vai actualizando. 

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boas, bem vindo novamente ao hobby. 

Para teres um casal de Ramis, aconselho os 8 neons porque o aquário é pequeno, as neritinas é sem problema, já o casal de endlers acho mal, porque os Ramis podem ratar as caudas e para além disso é num estante que ficas com o aqua sobrelotado, reproduzem que nem coelhos! 

Quanto às plantas podes colocar umas elodeas, umas valisnérias estas serviram de plantas de fundo, anúbias (rizoma), musgos, um tronquinhos, umas pedras para as de rizoma. 

Mas tens tb uma lista de plantas lowteck no sub-fórum das plantas que te ajuda a escolheres as que mais gostas. 

Tens de montar o aquário com calma e sem pressa fazer o ciclo do azoto, cerca de 28 dias para ires colocando os peixes, primeiroas néritinas, o cardume e depois os ramis. 

Que filtro vais usar? E substrato?

Sobre retirares o silicone, aconselho com um x-acto e com paciência removeres o máximo depois colocas o silicone novamente a toda a volta, esquina a esquina, a seguir com o dedo e os excessos retiras com cuidado, há um vídeo do Rui Melo para teres uma ideia, vou tentar procurá-lo. 

Vai actualizando. 

Muito obrigado pela resposta Vera sem dúvida foi esclarecedora!! Realmente nos endlers pensei nessa hipótese, ainda pensei num casal de camarões fantasma que vi em promoção, mas depois com as crias ia haver o mesmo problema...

Sobre o filtro eu ainda tenho o antigo que é interno de 200l/h vou mudar a nível da mídia tirando o carvão ativado e adicionando mais spirorax mini, futuramente quero trocar para um externo mas por enquanto vai servir, visto que os gastos em princípio já vão ser um pouco avultados.

O substrato eu pensei em JBL Manado, vi na loja relativamente barato sendo que provavelmente iria usar fertilizante e não conto usar CO2, a iluminação eu tenho um tubular com 55 luzes led que usei anteriormente, sendo low-tech acho que vai servir bem. Sobre a cilclagem o que pensei em fazer era aplicar um bio Starter só para ser um pouco mais rápido mas na altura decido.

Em relação às plantas muito obrigado pela ajuda realmente era as que já tinha em mente.

Sempre que possível atualizarei

 

 

Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem atualizando, hj foi dia de retirar o silicone, usei um bisturi (mesmo à estudante de enfermagem xD), agr vou à loja comprar silicone e se tiver a bom preço talvez já traga o substrato.

Sempre que puder vou atualizando.

 

Melhores cumprimentos

Ricardo Novita

 

 

 

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Muito boa tarde a todos.
Bem após ter procurado coisas para o paisagismo do aquário de modo a ficar o mais natural possível eu encontrei algumas pedras e um tronco (que pus num outro tópico), as pedras são todas de basalto, menos as últimas duas que não tenho a certeza o que sal, é o mais abundante aqui na Madeira, e é gratuito o que é muito vantajoso pois aquelas belas pedras dragon stone são uma fortuna, e além de estar a fazer um low-tech tbm quero um low-cost. Que venham comentários positivos e negativos, mas principalmente construtivos.
Melhores cumprimentos
Ricardo Novitab423cc69bcb0f78f8240a2ed7076eb2d.jpg9e2ff7a705e47d12fff8a814717705af.jpg5c88c9e8a1ed6f94e3ef37e6e540332a.jpg

Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas ricardonovi

Tenta colocar todas as pedras iguais fica ainda mais natural,mas antes de colocares no aquário,ainda com as pedras secas faz um teste para veres se são ou não são calcarias,basta usares vinagre,ou limão,ou outro acido,colocas uma pinga na pedra se ferver ou borbulhar,então a pedra e calcaria,e não deves colocar no aquário,porque te vai subir muito o PH,se não tiver reação então podes colocar no aquário,sempre bem lavadas,as de basalto essas dão,as outras terás que ver.

Cump: Álvaro Silva

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boas ricardonovi
Tenta colocar todas as pedras iguais fica ainda mais natural,mas antes de colocares no aquário,ainda com as pedras secas faz um teste para veres se são ou não são calcarias,basta usares vinagre,ou limão,ou outro acido,colocas uma pinga na pedra se ferver ou borbulhar,então a pedra e calcaria,e não deves colocar no aquário,porque te vai subir muito o PH,se não tiver reação então podes colocar no aquário,sempre bem lavadas,as de basalto essas dão,as outras terás que ver.
Cump: Álvaro Silva
Uma vez mais só lhe tenho a agradecer pelos conselhos!!
Melhores cumprimentos
Ricardo Novita

Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Estamos cá para isso,tudo o que se poder ajudar cá estamos.

Cump: Álvaro Silva

Share this post


Link to post
Share on other sites

De certeza que queres um casal de ramirezis? Digo isto porque o aquário tem 40L e se por acaso se reproduzirem vais ter aí muito peixe.
E os néons podem comer alguns mas num plantado vão haver sempre sobreviventes.

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

O meu objetivo era mesmo os ramirezis com um pequeno cardume de tetras, eu até pensei que podia haver essa possibilidade mas que os outros peixes tratariam do assunto, e mesmo que algum sobreviva o que faria era doar ou vender se necessário.
Melhores cumprimentos
Ricardo Novita

De certeza que queres um casal de ramirezis? Digo isto porque o aquário tem 40L e se por acaso se reproduzirem vais ter aí muito peixe.
E os néons podem comer alguns mas num plantado vão haver sempre sobreviventes.

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk




Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então não posso ter os Ramirezis?

Para Ramis convém um Aqua de 60*30e 45 de altura, o que perfaz 81 litros, esqueci de te dizer isso, peço desculpa. 


Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois, é pouco, cada casal de Ramis dever no mínimo 40*40 cm, comprimento X largura. Pera lá que meto um tópico aqui sobre o assunto. Só um instante 

Share this post


Link to post
Share on other sites

Qual é a dimensão do aquário?
(Comprimento, largura e altura)

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

50©*30(A)*27(L)

Qual é a dimensão do aquário?
(Comprimento, largura e altura)

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk




Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é aconselhada uma base de 60*30 para um casal de ramirezis

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois vou ver então como mudarei a fauna, ainda pensei num betta, mas tenho receio que os tetras deem cabo da cauda...

Pois é aconselhada uma base de 60*30 para um casal de ramirezis

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk




Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não consigo abrir o link

Estou com problema aqui de postar o tópico, estou no tlm, só um bocadinho 


Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Apistogramma Borellii

 

 

 

 

Macho adulto

 

 

 

Fêmea adulta

 

 

 

Fêmea jovem

 

 

 

Foto cedida por Vera Basílio dos Santos ©

 

 

 

 

 

 

 

Foto cedida por Vera Basílio dos Santos ©

 

 

 

Fêmea Jovem

 

 

 

Foto cedida por Vera Basílio dos Santos ©

 

 

 

Casal

 

 

 

Foto cedida por Vera Basílio dos Santos ©

 

 

 

Nome científico: Apistogramma borellii

 

Nome popular (BR): Apistograma Boreli

 

Nome popular (ING): Umbrella cichlid

 

Heterogramma borellii (Regan 1906), Heterogramma ritense (Haseman 1911), Heterogramma rondoni (Mirando Ribeiro 1918), Apistogramma aequipinnis (Ahl 1939), Apistogramma reitzigi (Ahl 1939). 

 

Subfamilia: Geophaginae.

 

Tribu: Geophagini.

 

Pleurodema borellii é uma espécie de anfíbio da família Leptodactylidae.

 

Biotopo: 

 

Subamazónico. 

 

Encontrado em diferentes locais pertencentes ao Pantanal como vários afluentes no sul do Brasil dos rios Paraguai e Paraná até á Argentina. Também são encontrados na região de Mato Grosso, no Brasil e na Bolívia, bem como em la Plata. 

 

Habitat: 

 

Os seus habitats naturais são: florestas secas tropicais ou subtropicais, florestas subtropicais ou tropicais húmidas de baixa altitude, regiões subtropicais ou tropicais húmidas de alta altitude, campos de altitude subtropicais ou tropicais, rios de água doce, afluentes de água doce, jardins rurais, áreas urbanas, florestas secundárias altamente degradadas e lagoas.

 

Água: 

 

Necessita de uma água de excelente qualidade, nitritos a zero e um valor muito baixo de nitratos, convenientes as tpa's semanais, mas tendo o cuidado de não variar os parâmetros mínimos da água do aquário de água pelo menos 20 % do volume do aquário. É um peixe muito sensível ás condições da água. 

Condições de água devem ter os seguintes valores: pH 6-6 ' 5, GH 2-6 ° dgh; 2nd-5 kh dkh;

 

Temperatura entre 25 ° - 28 ° C. 

 

Além disso, a espécie é sensível para a poluição das águas, que terão para monitorar os níveis de nitritos e nitratos e alterações de água regularmente. Alterações da água podem ser 20 % semanalmente, tendo em conta sobretudo não existentes nos parâmetros do aquário variam muito.

 

Características do Aquário: 

 

Portanto, este ciclideo tem boas probabilidades de alcançar a sua reprodução, seria aconselhável para colocar em um aquário de 60 litros. Este peixe é geralmente um pouco tímido em primeiro lugar, portanto, são aconselháveis plantas abundantes e troncos; assim, sempre se sentem seguros de qualquer incidente no exterior do aquário. Também colocar algumas pedras ou rochas, isso irá servir como uma zona de esconderijo e mais tarde como possíveis locais de desova e para esconder a descendência. É preciso lembrar que os cíclideos estão mais na parte mediana e inferior do aquário, se podemos vê-lo sempre na área zona alta é porque algo não está certo ou não corre bem. 

Borelli! Também se reproduzem facilmente e depois tens algo único...juntas umas heterantheras e tens um excelente biotopo! 90% das echinodorus são da região do pantanal.. Bem como centenas de outras plantas aquáticas...Ao contrário do que muita gente pensa, plantas aquáticas pouco existem no amazonas... Agora no pantanal...é plantas a dar com pau! Ideal no caso do borelli , seria um semi plantado com substrato de areia e plantas flutuantes também, agua clara e alguns troncos. a região e rica em Echinodorus e também em Ludwigias e Rotalas entre dezenas de outra plantas para outras espécies ai o setup muda.

 

Comportamento: 

 

Excepto para reprodução, é um peixe muito sossegado e tímido, portanto não é recomendado para misturar com outro tipo de Apistogrammas mais agressivos como o Apistogramma agassizii, etc.. Apresenta uma forma interessante de nadar, com movimentos muito curtos e rápidos com a cabeça sempre inclinado para cima. Na época de reprodução, a mudança do macho é drástica, tornando-se extremamente territorial, defendendo o lugar da desova por qualquer intruso, mas esse comportamento duro, uma vez que a desova é feita, será a fêmea a responsável por defender a sua prole. 

 

Tamanho: 

 

8 cm machos e 5 cm as fêmeas . 

 

Alimentação: 

 

Este é um dos pontos fracos para manter este lindo peixe. Na natureza, seu poder é alimentar-se exclusivamente de alimento vivo, é difícil adaptá-lo para alimentos secos, (escala, grãos, liofilizada), quando se tratam de exemplares selvagens. Alimentos congelados tornam-se indispensáveis (larva vermelho, artemia), ocasionalmente adicionando alguns complexos vitamínicos e fornecem alimentos vivos quando possível (artemia salina).

Em cativeiro os borellii não apresentam qualquer dificuldade para aceitar qualquer tipo de comida, da seca á viva, congelada, escalas, flocos, grânulos, ração, patê, artêmia salina, branchonetas, tubifex etc.

 

Coloração: 

 

O macho tem uma cabeça amarelada e um tom de cinzento com iridiscencias azul do resto do organismo. Apresenta uma linha ao longo do comprimento do corpo inteiro, recurso em muitos Apistogrammas, esta linha é mais evidente quando o peixe é sublinhado. Por seu turno a fêmea tem um amarelo ao longo de todo o corpo, tornando-se uma reprodução amarela intensa. 

 

Diferenças sexuais: 

 

Mesmo género como todos apistogrammas, Dimorfismo sexual é muito clara: o macho é maior, atingindo 8 cm, barbatanas dorsais e anais são muito alongadas, chegando as dicas da nadadeira dorsal à altura do fluxo na fêmea as barbatanas são pequenas e arredondadas. A barbatana e outras aletas, tem terminações em amarelo limão. Coloração na uma cabeça é amarela intensa, passando um tom azul no resto do organismo. Você também pode ver uma faixa de cor preta ao longo de todo o corpo. 

Por seu turno, a fêmea é menor, atingindo 4 a 5 cm. As suas barbatanas são muito pequenas e coloração é de um amarelo mais escuro em todo o corpo, tornando-se um amarelo realmente intenso na altura da reprodução e durante este momento desaparece também a faixa preta que dá nome a esta família de ciclideos; 

 

Reprodução: 

 

Ovípara, ocorre com certa facilidade em cativeiro. É uma espécie polígama, portanto, recomendamos que você mantenha 1 machos e duas fêmeas a gosto, ou até mesmo três. Semelhante a outros ciclideos, até essa fêmea desovar, é a perseguição do macho a flirtar a fêmea. Quando eles pararem e o macho fecunda-a junto com a fêmea em natação. A fêmea então com movimentos ondulantes atrai o macho em direcção à caverna onde mais tarde será a desova. Os ovos são suspensas no telhado da caverna, passando, em seguida, o macho para os fertilizar e ficar de guarda aos alevins. Quando terminar o tempo para eclosão, é a fêmea que guarda os ovos e expulsa qualquer peixe que se aproxima demais, mesmo o macho. O tempo de incubação é aproximadamente igual à maioria das raças cíclideos entre 48 e 72 horas. É possível que à medida que os ovos vão nascendo, a fêmea os vá movendo para um local mais seguro. Mais tarde passados 5 ou 6 dias até os jovens consumirem totalmente o saco vitelino, a fêmea durante este tempo irá defender seriamente os alevinos e até mesmo deixar de comer com tanta veemência e fazê-lo, portanto por breves momentos ou segundos, retornando imediatamente para junto dos seus descendentes.

 

 

Referências:

 

Fish Base; DCG; Apisto.sites.no

 

Escrito por Vera Basílio dos Santos © Copyright 2011 ©

 

 

 

É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A PUBLICAÇÃO DE TODO O CONTEÚDO AQUI PUBLICADO NOUTROS CONTEXTOS, SOB PENA DE ACÇÃO JUDICIAL.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Apistogramma Borellii
 
 
 
Macho adulto
 
 
 
Fêmea adulta
 
 
 
 
 
Fêmea jovem
 
 
 
Foto cedida por Vera Basílio dos Santos
 
 
 
 
 
 
 
Foto cedida por Vera Basílio dos Santos
 
 
 
Fêmea Jovem
 
 
 
Foto cedida por Vera Basílio dos Santos
 
 
 
Casal
 
 
 
Foto cedida por Vera Basílio dos Santos
 
 
 
Nome científico: Apistogramma borellii
 
Nome popular (BR): Apistograma Boreli
 
Nome popular (ING): Umbrella cichlid
 
Heterogramma borellii (Regan 1906), Heterogramma ritense (Haseman 1911), Heterogramma rondoni (Mirando Ribeiro 1918), Apistogramma aequipinnis (Ahl 1939), Apistogramma reitzigi (Ahl 1939). 
 
Subfamilia: Geophaginae.
 
Tribu: Geophagini.
 
Pleurodema borellii é uma espécie de anfíbio da família Leptodactylidae.
 
Biotopo: 
 
Subamazónico. 
 
Encontrado em diferentes locais pertencentes ao Pantanal como vários afluentes no sul do Brasil dos rios Paraguai e Paraná até á Argentina. Também são encontrados na região de Mato Grosso, no Brasil e na Bolívia, bem como em la Plata. 
 
Habitat: 
 
Os seus habitats naturais são: florestas secas tropicais ou subtropicais, florestas subtropicais ou tropicais húmidas de baixa altitude, regiões subtropicais ou tropicais húmidas de alta altitude, campos de altitude subtropicais ou tropicais, rios de água doce, afluentes de água doce, jardins rurais, áreas urbanas, florestas secundárias altamente degradadas e lagoas.
 
Água: 
 
Necessita de uma água de excelente qualidade, nitritos a zero e um valor muito baixo de nitratos, convenientes as tpa's semanais, mas tendo o cuidado de não variar os parâmetros mínimos da água do aquário de água pelo menos 20 % do volume do aquário. É um peixe muito sensível ás condições da água. 
Condições de água devem ter os seguintes valores: pH 6-6 ' 5, GH 2-6 ° dgh; 2nd-5 kh dkh;
 
Temperatura entre 25 ° - 28 ° C. 
 
Além disso, a espécie é sensível para a poluição das águas, que terão para monitorar os níveis de nitritos e nitratos e alterações de água regularmente. Alterações da água podem ser 20 % semanalmente, tendo em conta sobretudo não existentes nos parâmetros do aquário variam muito.
 
Características do Aquário: 
 
Portanto, este ciclideo tem boas probabilidades de alcançar a sua reprodução, seria aconselhável para colocar em um aquário de 60 litros. Este peixe é geralmente um pouco tímido em primeiro lugar, portanto, são aconselháveis plantas abundantes e troncos; assim, sempre se sentem seguros de qualquer incidente no exterior do aquário. Também colocar algumas pedras ou rochas, isso irá servir como uma zona de esconderijo e mais tarde como possíveis locais de desova e para esconder a descendência. É preciso lembrar que os cíclideos estão mais na parte mediana e inferior do aquário, se podemos vê-lo sempre na área zona alta é porque algo não está certo ou não corre bem. 
Borelli! Também se reproduzem facilmente e depois tens algo único...juntas umas heterantheras e tens um excelente biotopo! 90% das echinodorus são da região do pantanal.. Bem como centenas de outras plantas aquáticas...Ao contrário do que muita gente pensa, plantas aquáticas pouco existem no amazonas... Agora no pantanal...é plantas a dar com pau! Ideal no caso do borelli , seria um semi plantado com substrato de areia e plantas flutuantes também, agua clara e alguns troncos. a região e rica em Echinodorus e também em Ludwigias e Rotalas entre dezenas de outra plantas para outras espécies ai o setup muda.
 
Comportamento: 
 
Excepto para reprodução, é um peixe muito sossegado e tímido, portanto não é recomendado para misturar com outro tipo de Apistogrammas mais agressivos como o Apistogramma agassizii, etc.. Apresenta uma forma interessante de nadar, com movimentos muito curtos e rápidos com a cabeça sempre inclinado para cima. Na época de reprodução, a mudança do macho é drástica, tornando-se extremamente territorial, defendendo o lugar da desova por qualquer intruso, mas esse comportamento duro, uma vez que a desova é feita, será a fêmea a responsável por defender a sua prole. 
 
Tamanho: 
 
8 cm machos e 5 cm as fêmeas . 
 
Alimentação: 
 
Este é um dos pontos fracos para manter este lindo peixe. Na natureza, seu poder é alimentar-se exclusivamente de alimento vivo, é difícil adaptá-lo para alimentos secos, (escala, grãos, liofilizada), quando se tratam de exemplares selvagens. Alimentos congelados tornam-se indispensáveis (larva vermelho, artemia), ocasionalmente adicionando alguns complexos vitamínicos e fornecem alimentos vivos quando possível (artemia salina).
Em cativeiro os borellii não apresentam qualquer dificuldade para aceitar qualquer tipo de comida, da seca á viva, congelada, escalas, flocos, grânulos, ração, patê, artêmia salina, branchonetas, tubifex etc.
 
Coloração: 
 
O macho tem uma cabeça amarelada e um tom de cinzento com iridiscencias azul do resto do organismo. Apresenta uma linha ao longo do comprimento do corpo inteiro, recurso em muitos Apistogrammas, esta linha é mais evidente quando o peixe é sublinhado. Por seu turno a fêmea tem um amarelo ao longo de todo o corpo, tornando-se uma reprodução amarela intensa. 
 
Diferenças sexuais: 
 
Mesmo género como todos apistogrammas, Dimorfismo sexual é muito clara: o macho é maior, atingindo 8 cm, barbatanas dorsais e anais são muito alongadas, chegando as dicas da nadadeira dorsal à altura do fluxo na fêmea as barbatanas são pequenas e arredondadas. A barbatana e outras aletas, tem terminações em amarelo limão. Coloração na uma cabeça é amarela intensa, passando um tom azul no resto do organismo. Você também pode ver uma faixa de cor preta ao longo de todo o corpo. 
Por seu turno, a fêmea é menor, atingindo 4 a 5 cm. As suas barbatanas são muito pequenas e coloração é de um amarelo mais escuro em todo o corpo, tornando-se um amarelo realmente intenso na altura da reprodução e durante este momento desaparece também a faixa preta que dá nome a esta família de ciclideos; 
 
Reprodução: 
 
Ovípara, ocorre com certa facilidade em cativeiro. É uma espécie polígama, portanto, recomendamos que você mantenha 1 machos e duas fêmeas a gosto, ou até mesmo três. Semelhante a outros ciclideos, até essa fêmea desovar, é a perseguição do macho a flirtar a fêmea. Quando eles pararem e o macho fecunda-a junto com a fêmea em natação. A fêmea então com movimentos ondulantes atrai o macho em direcção à caverna onde mais tarde será a desova. Os ovos são suspensas no telhado da caverna, passando, em seguida, o macho para os fertilizar e ficar de guarda aos alevins. Quando terminar o tempo para eclosão, é a fêmea que guarda os ovos e expulsa qualquer peixe que se aproxima demais, mesmo o macho. O tempo de incubação é aproximadamente igual à maioria das raças cíclideos entre 48 e 72 horas. É possível que à medida que os ovos vão nascendo, a fêmea os vá movendo para um local mais seguro. Mais tarde passados 5 ou 6 dias até os jovens consumirem totalmente o saco vitelino, a fêmea durante este tempo irá defender seriamente os alevinos e até mesmo deixar de comer com tanta veemência e fazê-lo, portanto por breves momentos ou segundos, retornando imediatamente para junto dos seus descendentes.
 
 
Referências:
 
Fish Base; DCG; Apisto.sites.no
 
Escrito por Vera Basílio dos Santos Copyright 2011  
 
 
 
 
 
É EXPRESSAMENTE PROIBIDA A PUBLICAÇÃO DE TODO O CONTEÚDO AQUI PUBLICADO NOUTROS CONTEXTOS, SOB PENA DE ACÇÃO JUDICIAL.
 
 
Certíssimo, então tal aplica-se aos rams, o que acha da outra sugestão de fauna?

Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Está xD

Pois vou ver então como mudarei a fauna, ainda pensei num betta, mas tenho receio que os tetras deem cabo da cauda...


Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk



Enviado do meu Redmi 5 Plus através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois os neons às vezes pode acontecer, mas olha lá, é se tu escolhesses um casal de colisas, em vez do beta? Tens várias, variantes, chuna's, cobalto, lálias, que te parece? Assim dava à mesma para teres um cardume de neons, o cardume mínimo eu considero 7, menos que isso não é cardume para mim. 

Portanto, um casal de colisas, 7 neons e néritinas. 

Colisas, são dos meus preferidos! Pesquisa... E vê se gostas. 

Share this post


Link to post
Share on other sites

*casal de colisas

Enviado do meu LENNY2 através do Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites
Este tópico tem mais de 6 meses de antiguidade... Se fizer sentido, por favor considere criar um novo tópico em vez de reactivar este. Obrigado!

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.