Vera Santos

Pseudo, biotopo do rio negro?

Recommended Posts

Depois de peixeirada toda despachada, eis que remontei o meu cubo.

Data de Montagem: 31/08/15

Aquário: 45*45*55,

Volume: 110 litros brutos

Luminária: Calha de led's Chihiros A451, 45cm, 81 led's equivalentes a 27w, 8000 kelvins, 4350 lúmens.

Filtragem: Filtro externo JBL e700 profi

Aquecimento/Arrefecimento: Termostato Elite de 200W

Hardscape: Um tronco ramificado. Abano stones.

Substrato: Inerte de cor acinzentada

Fertilização: Não tenciono fazer.

Flora: Para já não penso ter.

Fauna: As estrelas do aqua são surpresa. :sunbathing:

A habitar está um hypancistrus sp. 201 e uma corydora Metae.


Fotos:

travaux.gif

Edited by Vera Santos

Share this post


Link to post
Share on other sites

(...)

Data de Montagem: 31/09/15

(...)

 

Tem tudo para ser um projeto muito à frente... :cool2:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Hum 31/09/15..hum..uma montagem futurista,lol.

 

Vai metendo fotos Vera..e boa sorte.

 

Cumps,

 

Enviado do meu GT-I9195 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá, Vera!

Esse não era o aqua dos Dicrossus?

 

Boa sorte! Esperamos todos ansiosamente por novidades! E fotos! Eheheh

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá, Vera!

Esse não era o aqua dos Dicrossus?

 

Boa sorte! Esperamos todos ansiosamente por novidades! E fotos! Eheheh

 

Era, dizes bem. Epah eu já andava a ficar farta de ver o aqua na mesma, o mesmo substrato, o mesmo tronco que por sinal era muito bonito (está guardado). Sabes é que o aqua está ao lado da TV num móvel comprido no meu quarto. E como já há seis anos que tenho ciclídeos anões, aquela agua bem escura, vermelha já estava a saturar, embora eu goste dos aquas assim. Olha vamos ver se tenho sorte e se os bichos novos que estão para chegar se dão bem. O objetivo é mantê-los e não criá-los, pois não tenho condições cá em casa para ter um aqua de criação com tudo o que isso implica, alimentos vivos como vermes de grindal e outros.

 

O aqua está com uma leve cor de chá, nem nada que se assemelhe ao que estava.

 

Fotos de dia 1/Set.

 

P8020179%202.jpg

 

Os meus dois meninos que mantiveram na mesma casa.

 

P8030244.jpg

 

E outro deste L que eu tanto gosto. No anterior layout passavam 10/15 dias e nunca o via, estava sempre escondido nos buracos do tronco. Agora vejo-o todos os dias, eheheheh. Foi outro dos factores que me levaram a remodelar o aqua.

 

P8030241.jpg

 

Espero que vocês gostem!

 

Entrou um cardume de 20 bichanos, depois tento colocar uma foto com o telemóvel, que a tampa das pilhas da máquina já ameaçava há muito e deu o berro depois de tirar estas fotos. Tem de ir a arranjar.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, estou a ver... só tenho pena mesmo pelos peixes, eram fabulosos. Vê lá é se te deixas de mistérios e dizes logo o que tens por aí para mostrar ao pessoal, eheheh

 

Bem, esse aquário está um espectáculo! Mas eu juntava aí uma Echinodorus, ou qualquer coisa... mas isso já é ao teu critério, o importante é tu e os bichos gostarem :D e adoro o teu L 201! Uma questão: porque tens a cory sozinha?

 

Edited by HugoHeisenberg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas Vera Santos

Esse substrato e de granito,e muito bonito,e o

que eu tenho no meu aquário de 120 litros,gostei

do teu aquário,e gosto também da cor da água,eu

tbm tenho nos meus dois aquários,num mais do

que outro,a água cor de chá.

 

Cump: Álvaro Silva

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sim, estou a ver... só tenho pena mesmo pelos peixes, eram fabulosos. Vê lá é se te deixas de mistérios e dizes logo o que tens por aí para mostrar ao pessoal, eheheh

 

Bem, esse aquário está um espectáculo! Mas eu juntava aí uma Echinodorus, ou qualquer coisa... mas isso já é ao teu critério, o importante é tu e os bichos gostarem :D e adoro o teu L 201! Uma questão: porque tens a cory sozinha?

 

 

Sobrou-me esta coitada, não tenho muita sorte com corydoras! :sorry: Duram no máximo um ano ou dois. Quando não as compro e pifam logos nos dias a seguir, especialmente com algumas espécies. Mas não sou só eu a queixar-me disto, é o que vale!

 

Plantas para já não, ando aí com umas ideias é dumas para colocar imersas, no galho do tronco que está acima da água do aqua. Deixa lá ver, o que é que sai daqui...

Boas Vera Santos

Esse substrato e de granito,e muito bonito,e o

que eu tenho no meu aquário de 120 litros,gostei

do teu aquário,e gosto também da cor da água,eu

tbm tenho nos meus dois aquários,num mais do

que outro,a água cor de chá.

 

Cump: Álvaro Silva

 

Obrigada Álvaro pelo teu comentário, agora que dizes o substrato deve ser isso mesmo. Boa! Não tinha lembrado que podia ser granito, por acaso também gosto muito! :thumbup3:

Estou aqui com um problema que não consigo tirar as fotos do telemóvel, eu aqui com novidades para mostrar. Está-me a falhar alguma coisa!

Share this post


Link to post
Share on other sites

 

Sobrou-me esta coitada, não tenho muita sorte com corydoras! :sorry: Duram no máximo um ano ou dois. Quando não as compro e pifam logos nos dias a seguir, especialmente com algumas espécies. Mas não sou só eu a queixar-me disto, é o que vale!

Plantas para já não, ando aí com umas ideias é dumas para colocar imersas, no galho do tronco que está acima da água do aqua. Deixa lá ver, o que é que sai daqui...

Isso é muito estranho... as minhas foram o primeiro peixe que tive, ainda pescava menos disto do que agora e aguentaram-se a todas as asneiras. Enfim, cada caso é mesmo um caso.

 

Desculpa, mas queres dizer imersas ou emersas? Se é acima da água...

Então resolve lá isso que queremos ver as novidades, hahahah estou a brincar, boa sorte com isso

Share this post


Link to post
Share on other sites

Parabéns pela bela montagem! Gosto muito de biotopos com águas castanhas. Quem são os tetrinhas que entraram? Boa sorte e força no projeto!

 

Enviado de meu LG-D325 usando Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por momentos também fiquei confuso, hahahah

Deixa ver... isto é um biótopo, suponho que do rio Orinoco, porque é (segundo a minha pesquisa rápida) o único rio onde encontras corydoras metae e o hypancistrus sp. 201. Se bem que não se encontram nos mesmo tributários... essas corys são endémicas do rio Meta (excepto do baixo-Meta, aparentemente não existem nessa região) e o hypancistru do Ventuari. Eu há uns meses atrás fiz uma pesquisa sobre essa zona (Orinoco em geral) e até encontrei referências a várias plantas não aquáticas. De momento não estou a conseguir encontrar aquele artigo, que estava bastante simples, sucinto e direto, mas encontrei este outro em espanhol que tem coisas úteis, penso. A meu ver, o que interessa daí são as: adenocalymma apurense, melloa quadrivalvis, tanaecium jaroba, rourea glabra kunth, dalbergia amazonica... estes são apenas alguns exemplos, não tenho noção da sua acessibilidade/disponibilidade ou se consegues sequer arranjar.

Agora, caso não estejas interessada em nada dali ou não consigas arranjar, existe uma planta da qual eu gosto muito e não dá trabalho absolutamente nenhum. Não consigo encontrar o seu nome científico nem imagens, mas se não estou em erro, o seu nome comum é algo como "vivo do ar". É semelhante um um cacto não espinhoso e, tal como o nome indica, "vive do ar". Não precisa de ser regado nem sequer de estar enterrado; suponho que a água e nutrientes de que se alimenta provenham da humidade da noite... de qualquer forma, assim que puder envio-te uma foto, tenho disso em casa.

Espero ter ajudado...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigada Hugo, tenho que fazer uma pesquisa sobre o que disseste.

 

Normalmente faço dos meus tópicos como que um bloco de apontamentos para ir pensando e decidindo o que fazer cá vai...

 

Estava aqui com insónias e encontrei isto:

 

How to set up an Amazon themed aquariuml

 

George Farmer sets up another smash hit of an Amazonian biotope tank - this time recreating the life and décor of the Rio Nanay.

 

My fully planted jungle aquascape featured in PFK a few months back kept me busy pruning and thinning out plants – sometimes daily. So when commissioned to set up the same tank with an Amazon biotope I was almost relieved!

 

The Amazon measures more than 6000km/3730 miles and has many tributaries, so choosing an individual biotope to replicate isn’t easy. Some believe the waters may be home to more than 5,000 species of fish and I deliberated for weeks over stocking. I would choose the fish, then design the aquarium layout appropriately.

 

I usually select fish based on their size, colour and behaviour, including their height to length ratio to suit my tank. In my case the aquarium is much longer than it is tall, at 120 x 45cm / 48 x 18”, so I would usually choose some longer, slender fish.

 

However, at The Waterzoo in Peterborough I was captivated by some stunning angelfish. I had seen these before, often labeled Peruvian angelfish and Peruvian altums, and wanted them — even though they are not my ideal choice for the tank’s dimensions.

 

 

Heiko Bleher confirmed they were a wild Pterophyllum scalare from Peru and advised me about décor and suitable tank mates. The shop manager then said they were in fact P. scalare ‘Rio Nanay’, and he assured me they were indeed caught from that waterway. This was brilliant news, as there was plenty of information about them on the Internet.

 

Altum they are not! Despite being labeled as Peruvian altums at some retailers, the fish I bought are definitely P. scalare, although it ‘s perhaps understandable why they are called altum. With their delicate tall-bodied shape and distinctive notched forehead profile they do look similar.

 

P. scalare ‘Rio Nanay’ is unique to its namesake river, but there’s some debate about its origin.

 

In the 1970s a fish exporter’s facility was flooded and all the fish, including thousands of Discus, were released into the Nanay. In the 1980s collectors began catching Discus descended from this accidental introduction. Some believe that this species does not originate from the Rio Nanay and that this distinct strain of scalare may have reached the river by the same release.

 

This is backed up by the fact that scalare usually avoid the very acidic blackwater that’s found in the Nanay.

 

Some experts believe that what we call scalare might be a number of different but similar species. This might be possible, as scalare is found from Peru, in eastern South America, all the way to Belem in the west and in many Amazonian tributaries.

 

 

Aquascape plans

After speaking to Heiko Bleher, my aquascaping plans were confirmed as needing plenty of wood, pale sand and some leaf litter.

 

Aquascaping a larger tank using relatively few materials can be a challenge. With biotope aquascaping the trick is to make it look natural and not too contrived, yet at the same time it needs to look appealing.

 

One or two pieces of wood wouldn’t work in this size of tank, looking too simple and unnatural. I borrowed a lovely large piece of Sumatra wood from PFK editor Jeremy Gay to form the backbone of the layout. Smaller pieces were then added strategically around the large piece, taking care to create balance.

 

I took several days to come up with the final result, as every time I looked at it there was something I wasn’t particularly happy with. With no plants to disguise or detract attention it can be tough to get a hardscape-only aquascape to look good.

 

A few months previously I picked up some fallen copper beech leaves from my local park and soaked them for a few days to ensure they would sink after adding water.

 

I then deliberately left open sand to the left of the aquarium as it provides a nice balance between open and full spaces.

 

Heiko confirmed that the waters of the Rio Nanay were stained with tannins, so I added tannins via Indian almond leaf sachets. These are like giant tea bags full of shredded catappa leaves. I placed three sachets in a jug of boiling water, left to stew for 24 hours, then added the contents into the aquarium water.

 

The effect looks great, adding a really natural looking blackwater effect, but not enough to spoil the view. I did try to source some genuine wood and leaves from the Amazon, but was unsuccessful.

 

 

Cost at a glance

Aquarium and cabinet: £400

Lighting: £100

Filtration/heating: £100

Substrate: £3

Décor: £50

Fish: £140

Total: £793

 

How to set up a Rio Nanay aquarium

 

 

1. I’m using a 240 l/53 gal aquarium measuring 120 x 45 x 45cm/ 48x18x18”. It’s braceless and rimless, making it ideal for aquascaping from which décor and plants can protrude from the surface. An overtank luminaire is used to provide the lighting and a black background is fitted, helping to hide equipment.

 

 

2. A 15kg bag of play sand is then added. This is an inexpensive substrate and readily available from many shops. It doesn’t require pre-rinsing, is inert and the colour and texture is similar to the substrate found in the Rio Nanay. Only a thin layer is going to be necessary as I’m not adding plants.

 

 

3. A large piece of Sumatra wood is added. Thought is given to its position along the length of the tank, so some open sand is provided to the left. The wood is placed to look aesthetically balanced with the branches pointing in a way that leads the eye across the tank.

 

 

4. More wood is added, keeping in mind how it looks against the original piece. Although in nature the wood will be more randomly placed, I like to use some compositional aids to create a visually pleasing aquascape. I feel biotope aquariums don’t have to be ugly!

 

 

5. The final pieces of wood are added. These are smaller bits of Sumatra, adding texture to the layout. The individual ones are interlocked and I’ve experimented to achieve the desired effect. Pre-soaked copper beech leaves are added. I enlisted the help of fellow aquascaper James Starr-Marshall during this process.

 

 

6. I am using RO here as the water in the Rio Nanay is soft and acidic. The angelfish added later are wild-caught and had been kept in similar conditions in the shop. I use an RO unit, which is relatively inexpensive and ideal for creating softwater set-ups in which you can control mineral content.

 

 

7. The aquarium is filled, but some wood has not been waterlogged enough to sink, so I add a large rock. The filter is switched on and heater is set to 28°C/ 82°F. The tank is fishlessly cycled and over the next two weeks I fiddle with the wood until totally happy with the layout.

 

 

8. Once ammonia and nitrite are undetectable using test kits I acclimatise and add the seven wild-caught Pterophyllum scalare ‘Rio Nanay’ and 30 Petitella georgiae. They are initially quite skittish but after 24 hours settle and feed on a selection of high-quality dry and frozen foods.

 

Tank set-up

Aquarium: 120 x 45 x 45cm (48 x 18 x 18”) 240 l/53 gal, braceless, rimless

Lighting: Arcadia overtank luminaire with DIY bracket

Filtration/heating: Fluval FX5 with Hydor 300w external heater

Substrate: 15kg play sand

Décor: Sumatra wood and driftwood, copper beech leaves

Fish: Seven Pterophyllum scalare ‘Rio Nanay’, 30 Petitella georgiae

 

Fish profiles

 

 

Full name: Pterophyllum scalare ‘Rio Nanay’

Common name: Peruvian angelfish, Peruvian altum

Distribution: Rio Nanay

Temperature: Prefers warmer water around 28°C/82°F

Water chemistry: Soft and acidic with low conductivity.

Diet: Quality dry, frozen and live foods. Should readily accept dry foods.

Maximum size: Total height reportedly up to 30cm/12”

Swimming area: Midwater

 

 

Full name: Petitella georgeiae

Common name: False rummynose tetra

Distribution: Rio Nanay, Purus, Negro and Madeira

Temperature: 24-28°C/75-82°F

Water chemistry: Soft and acidic with low conductivity.

Diet: Quality dry, frozen and live foods, mouth-sized

Maximum size: 5cm/ 2”

Swimming area: Lower to midwater

 

 

What’s the Rio Nanay like? (picture by exedu, Creative Commons)

The Rio Nanay is 3.5km/2.2 miles from the city of Iquitos and one of the tributaries of the Amazon. It‘s a blackwater river that’s surrounded by forest.

 

In the rainy season it bursts its banks and floods the adjacent forests, causing trees to collapse into the water.

Its average temperature is 28°C/82°F, pH is about 6 and the conductivity 25-50µS in the dry season. In the rainy season, conductivity drops to 15µS. Flow rate depends on the season as well as the depth, which is usually about 5m/16’.

 

It contains hundreds of species of fish popular in the hobby, most notably probably Symphysodon aequifasciata, the Green Discus, a result of accidental introduction. There are a few Echinodorus spp. but these are not commonly seen.

 

 

Which species of rummynose?

There are three species of what’s commonly known as the Rummynose tetra — Hemmigrammus bleheri, H. rhodostomus and Petitella georgiae — and Heiko said that only the latter are found with my chosen angelfish.

 

My local shop had a tank full of rummynoses, but labeled H. bleheri. However, on close inspection, none had their red coloration running past their gill plates.

 

Top tips

Black backgrounds are ideal for most aquascapes. Much equipment is black, so it becomes camouflaged. Colours contrast well against black and it helps to hide algae that may grow on the glass.

 

When aquascaping it’s best to place the décor in the tank before adding water. This way you can change the layout many times without messing up the substrate or disturbing the fish.

 

Why not take out a subscription to Practical Fishkeeping magazine? See our latest subscription offer.

 

 

 

Published: George Farmer Thursday 15 March 2012,

 

 

11. Rio Nanay, Shore

 

Marcin Mirkowski (Warsaw, Poland)

 

Aquarium Volume: 540 l

 

Aquarium Age: 9 months

 

Animals: Pterophyllum scalare sp. Peru, Nannostomus mortenthaleri, Carnegiella marthae, Corydoras panda, Panaqolus changae

 

Plants: No freshwater plants. Other plants: Spathiphyllum adans, Dieffenbachia, Syngonium diseases, Marantaa, Guzmania, Frizea (Vriesea), Tradescantia

 

Biotope description: The aquarium was set up based on Rio Nanay biotope, north Peru. Slowly flowing among the rainforest. This is wide and deep river. There are not to many freshwater plants. Flooded trees are perfect place for many species of fish to live.

 

Tenho que pesquisar também estas plantas.

Edited by Vera Santos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Vera, ganhaste o troféu de post mais longo do mês. só é pena ser na sua maioria um quote de outra pessoa.

 

Esquece lá as plantas, o máximo que vais poder colocar é limnobium laevigatum ;)

Share this post


Link to post
Share on other sites

De nada!

Por acaso li esse artigo há umas seis semanas, gostei imenso. As fotografias então... está excelente e bastante elucidativo. Essas plantas parecem-me uma boa opção, tendo em conta que não queres flora aquática...

 

 

Esquece lá as plantas, o máximo que vais poder colocar é limnobium laevigatum ;)

Tenho de discordar, António... se a Vera quisesse, conseguia colocar plantas neste aqua. Eu mantenho uma Echinodorus saudável no meu biótopo. E já vi bastantes. Claro que não são todas e é difícil, mas consegue-se.

Agora, Vera, devias seriamente considerar adicionar alguma espécie de planta flutuante como Limnobium Laevigatum, por exemplo. São grandes ajudas a controlar a qualidade da água ao "comer" poluentes e (a meu ver) fazem um efeito visual espectacular. Para além de que transmitem uma maior sensação de segurança a muitos peixes (QUE CONTINUAMOS SEM SABER QUAIS SÃO eheheheh)


Um pequeno off-topic: lembras-te da nossa conversa sobre os nannostomus? Se a "oferta" se mantiver... envia-me pm, por favor.

Edited by HugoHeisenberg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Por momentos também fiquei confuso, hahahah

 

Deixa ver... isto é um biótopo, suponho que do rio Orinoco, porque é (segundo a minha pesquisa rápida) o único rio onde encontras corydoras metae e o hypancistrus sp. 201. Se bem que não se encontram nos mesmo tributários... essas corys são endémicas do rio Meta (excepto do baixo-Meta, aparentemente não existem nessa região) e o hypancistru do Ventuari.

 

Desculpa Hugo por não te ter respondido a esta questão,mas tenho andado com falta de tempo.

 

O que é certo é que já me tramaste, :rolleyes: passará a ser um pseudo biótopo por que como é óbvio não vou desfazer-me da cory, coitadinha! Bem e se pensarmos no L 201,nem pensar tenho tamanha admiração por este peixe que até lhe arranjei que não resisti e comprei um macho para lhe fazer companhia, fica um casalito para se sentirem mais acompanhados. :tongue:

 

Fica aqui uma foto da nova aquisição: :blush2:

 

IMG_20150907_222530.jpg

 

Parabéns pela bela montagem! Gosto muito de biotopos com águas castanhas. Quem são os tetrinhas que entraram? Boa sorte e força no projeto!

 

Enviado de meu LG-D325 usando Tapatalk

 

Obrigada!

Vera, ganhaste o troféu de post mais longo do mês. só é pena ser na sua maioria um quote de outra pessoa.

 

Esquece lá as plantas, o máximo que vais poder colocar é limnobium laevigatum ;)

 

Tá mas é calado! :tapfoot:

Vou arranjar uma plantinha vais ver!

Edited by Vera Santos
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Epah,isto fotos com telemóvel não sai nada de jeito!

 

Mas pronto aqui vai, entraram uns nannostomus beckfordi.

 

IMG_20150907_222737.jpg

 

Foi o que se pode arranjar! :sorry:

 

Fica aqui uma imagem de uns para vocês verem melhor mas esta foto não é dos meus:

 

nannostomus%20beckfordi.jpg

  • Upvote 3

Share this post


Link to post
Share on other sites

Depois de andar a tentar montar um pseudo-biótopo do rio nanay (pseudo pela intruducao de um casal de L201), eis que as coisas se complicam e tudo muda de figura.

Como sou uma rapariga cheia de sorte quando já estava tudo combinado, para me enviarem 3 escalares do rio nanay, 2machos e uma fêmea, segundo o dono se davam os três muito bem e que vinham do Valongo, a fêmea resolve adoecer e o negócio ficou sem efeito.

 

Entretanto, após a petfestival, o Ricardo Gomes, fez questão de me oferecer um casalito de Apistogramma Gephyra, por sinal muito bonitos, eu que não andava prai virada, fiquei rendida à sua beleza e agradeço a generosidade ao Ricardo.

 

Lá vieram mais seis nanastomus juntar-se ao grupo, agora ao todo são 28, não dei por nenhuma baixa e estão a crescer bem com boas cores.

 

Entretanto surgiu a oportunidade e comprei, uma iluminaria nova, uma calha de led's Chihiros A451, 45cm, 81 led's equivalentes a 27w, 8000 kelvins, 4350 lúmens. Estou radiante, vinha com um controlador de intensidade, o que é porreiro, porque nem de sombras precisa de estar no máximo, basta ter na segunda posição de seis para a luz ser suficiente.

 

Aqui vão duas fotos dela:

 

dd26eab7d408023b0896b82102e56aa6.jpg

 

535c8bb086c5cb16b1d11ef7efc2c3fd.jpg

 

E do casal:

 

A fêmea,

4c59d6abdfdc5cdf8ea171c21dd685bb.jpg

 

E o macho com pequeno ajuste de cor, reflectindo as cores da realidade, foi tirada com tlm.

fef2e413cadbb6bdddf9bcea69a1a64c.jpg

 

E aqui sem ajuste de côr,

d5602e76874c005e0f91d46d2f146490.jpg

 

 

 

 

Enviado do meu GETAWAY através de Tapatalk

Edited by Vera Santos
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Belas fotos Vera, vai mostrando mais vezes pois tens aí uns belos exemplares.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Querido Nuno, sempre atento!

Pois é, tenho falhado um bocado, menos tempo, máquina avariada, mas também não havia meio de ter uma novidade para partilhar, numa semana logo duas novidades, os apistos e a calha. Isto vai devagar, devagarinho mas a pouco e pouco vai indo.

Onde andas tu a postar o que tens em casa, tenho de indagar por aí.

Beijinho e obrigada por passares por aqui.

 

Olha deixo aqui mais uma foto tirada à pouco.

O meu L201, que a fêmea é lixada de apanhar.

46565726ba873d756681059938738113.jpg

 

Enviado do meu GETAWAY através de Tapatalk

Edited by Vera Santos
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ninho do casal de de L201 que por aqui anda.

 

DSCN0425%20copy.jpg

 

Tenho de ver se consigo uma foto em condições dos apistos, tem estado difícil.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom fim de semana

 

Apistogramma Gephyra - Fêmea

944169fd-476b-436a-929d-58d10c7f199b.jpg

 

Apistogramma Gephyra - Macho

b94daec3-f8fe-48e8-b5db-0ce1d1225a1a.jpg

 

Nannostomus beckfordi (a primeira foto que consegui com alguma qualidade)

e1b26799-c583-4c21-8f64-9ad822af874d.jpg

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Apistogramma Gephyra - A foto está desfocada mas é difícil apanhá-lo com as barbatanas abertas.

 

net2.jpg

 

net3.jpg

 

Uma geral, para que não vos falte nada. Isto estar de ferias facilita...

net1.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites
Este tópico tem mais de 6 meses de antiguidade... Se fizer sentido, por favor considere criar um novo tópico em vez de reactivar este. Obrigado!

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.