• advertisement_alt
  • advertisement_alt
  • advertisement_alt
Sign in to follow this  
ramif

Algas no arranque

Recommended Posts

Boas

 

Montei o aqua a uma semana e desde ontem que comecaram a aparecer umas manchas verde escuras nas pontas das folhas da bacopa. As restantes parecem estar livres de algas.

 

Seguem algumas fotos para me poderem ajudar.

 

1ad0fe942c3bdaa1680510fde79e57f6.jpg

 

20db1bc8105f0666eb1ef7d662af348b.jpg

 

setup:

 

Aqua 100x30x40

2x 39w 7 horas dia

Co2 3/4 bps sempre ligado que nao tenho a valvula ainda

Fertilização: soluções aquáticas - 3x semana micros. 3x semana macros. Tpa 50% domingo tou a dar 8ml dia

 

Sera que devo aumentar a dose de fertilizacao e fazer mais tpas durante a semana?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas, eu tenho mais ou menos o mesmo setup. Faço 10 ml de macros e 5 ml de micros (EI)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

 

Se queres ajuda, tens de ser um bocadinho mais específico...

 

Fertilização: soluções aquáticas - 3x semana micros. 3x semana macros. Tpa 50% domingo tou a dar 8ml dia

O que raio são soluções aquáticas? :sorry:

 

 

Sera que devo aumentar a dose de fertilizacao e fazer mais tpas durante a semana?

Para responder a essa pergunta era importante saber os parametros do aquário (NH4, NO3 e PO4). A composição dos 8ml de macros também seria interessante. E já agora... tens substrato fértil? Já concluiste o ciclo?

 

Aqua 100x30x40

2x 39w 7 horas dia

Hummm... isso parece-me bastante luz. Como está o CO2? Isso das bolhas por segundo diz muito pouco... depende da eficiência da difusão, da quantidade perdida pela agitação de superfície, etc. Um medidor de CO2 sempre é um bocadinho mais fiável.

 

Eu aconselhava a diminuir um bocado a iluminação (se puderes subir a calha, era o ideal, desligar uma das lâmpadas talvês seja excessivo, reduzir o fotoperiodo seria outra solução), sempre é mais fácil controlar os parâmetros. O mais provável é que tenhas pouco CO2... mas isto é só uma suposição.

 

Cumps.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Obrigado pelas respostas.

 

Vou medir os valores e ja volto a postar aqui.

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

Peco desculpa nao ter vindo aqui mais cedo mas os irc e irs nao me largam.

 

Micro chip baixei para 6h o foto periodo ja que a calha esta na tampa do aquário e é impossível de se subir.

 

Nao tenho os testes todos mas ficam estes valores. Sabado ver se compro os restantes e alguns mais precisos.

 

Ph: 7.2

Kh: 10

Gh: 14

No3: 50 mg/l

No2: 0.5 mg/l

 

O gh e kh nos testes nao menciona se é mg/l ou outra coisa. Fica a foto.

 

bc3e6f035b85a25ff283482f963bf1ef.jpg

 

Quanto a fertilização a cada 8 ml de macro adiciono 10 ppm de nitrato, 2.5 ppm de fosfato e 9 ppm de potassio.

 

O aquario esta montado a 10 dias, portanto ainda esta a ciclar. Sei que e normal algumas algas mas ja sei onde isto vai parar.

 

acham que aumentar a fertilizacao e o co2 ajuda ou devia tentar menos iluminação?

 

Obrigado

 

f66a29f4de34701be27b3dc844f2f253.jpg

 

3fb1329499d7f72814cfb2aab968e59a.jpg

 

966b249bd025a88614e5cc9b0d553cc1.jpg

 

34d111c5f8d471a3e166bc8c0109deed.jpg

 

8621702776f1e7b8361afb07780f8e77.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

Ph: 7.2
Kh: 10
Gh: 14
No3: 50 mg/l
No2: 0.5 mg/l


Com esse valor de NO3 eu diria que o teu problema não é a fertilização. A menos que haja um grande desequilibrio de nutrientes.

Já o CO2... é difícil perceber na foto, mas o medidor parece estar verde escuro. Deves subir o CO2 até que fique verde clarinho. Presumo que não tenhas fauna, por isso não tens problemas se exagerares, de qualquer forma para afinar um plantado (CO2, luz, fertilização) é sempre tudo feito muito devagarinho e com muita paciência e observando o efeito nas plantas até chegares à combinação certa.

Outra coisa... o posicionamento da saida/entrada do filtro e do difusor de CO2 não me parece ser o mais eficiente. Por norma, colocas a saida no centro da lateral, ligeiramente abaixo do nível da água a a sair na horizontal (vai criar ondas sem quebrar a superfície. A corrente gerada vai atravessar o aquário por cima, bater na lateral oposta e rotornar pelo fundo. A entrada para o filtro fica na mesma lateral da saida e vai recolher a água depois de ter feito este trajecto. O difusor de CO2 fica na lateral oposta à saida do filtro, onde vai apanhar a corrente descendente que faz com que as bolhas não cheguem à superfície, dissolvendo-se totalmente na água. Pelo menos em teoria é assim! :sorry:

 

De qualquer forma não sou especialista nestas coisas... nada como ouvir mais opiniões.

Cumps.

  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

Mudei a posição da entrada e saída do filtro como sugeriste.

 

Fiz TPA de 50%, desliguei co2 e iluminação e tapei o aquário para não apanhar iluminação nenhuma e assim vai ficar uns 4 dias. Sábado faço uma poda nas folhas afetadas e nova TPA de 50% e começo novamente o processo de aprendizagem.

 

Penso que o difusor de co2 não está a ser suficiente e dai estarem a aparecer as algas. Tenho de trocar por um maior e guardar este.

 

Sábado volto a dar novidades.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fiz TPA de 50%, desliguei co2 e iluminação e tapei o aquário para não apanhar iluminação nenhuma e assim vai ficar uns 4 dias. Sábado faço uma poda nas folhas afetadas e nova TPA de 50% e começo novamente o processo de aprendizagem.

Hummm... Estás a tentar livrar-te das algas ou matar as plantas?! :eusathink: Parece-me um bocado radical para a quantidade de algas e para a fase inicial de montagem. Preocupa-te em tratar bem das plantas... se as plantas estiverem bem, as algas desaparecem.

 

Penso que o difusor de co2 não está a ser suficiente e dai estarem a aparecer as algas. Tenho de trocar por um maior e guardar este.

Não será mais uma questão de eficiência de difusão do que de tamanho do difusor?

 

Tens de conseguir que as bolhinhas sejam o mais pequenas possível e que não cheguem à superfície.

 

Cumps.

Edited by Micro-Chip

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

Infelizmente tive de o fazer. Nao só pelas algas mas tambem porque a garrafa de co2 ficou vazia. Aqui na minha zona nao encontrei nada para encher garrafas da tmc.

 

Entretanto ja resolvi o assunto mudando para o extintor e um novo difusor.

 

Algumas plantas sentiram o black out mas a boa noticia e que a maior parte das algas foi se.

 

Meti uma bomba para ajudar a difusão do co2 e a circulação de água à superfície e já noto as micro bolhas a passar o fundo do aquário de um lado ao outro.

 

A iluminação continua as 7h diárias e a fertilizacao os mesmos 8ml de macros e micros alternados.

Share this post


Link to post
Share on other sites

5dfa19ead6d2450868af57766832fbda.jpg

 

Enviado do meu GT-I9195 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom dia,

 

Antes de mais permite-me que te diga que o que vou escrever é baseado na minha própria experiência e aprendizagem. Depois naturalmente as opções são tuas. O texto é longo porque quando me debruço sobre um projecto analiso de ponta a ponta e digo o que faria.

 

Só de olhar para a foto frontal percebe-se claramente uma sucessão de rectificações a empreender e que já te alertaram para algumas. E que não estudas-te bem a coisa. Ou andas-te a absorver conselhos dos mais variados e acabas-te por confundir-te e saiu o que está aí na foto.

 

Mas vamos com calma portanto passo a passo.

 

Substrato:

Que substrato/areão amarelo é esse? Viste na embalagem a composição dele a nível de silicatos?

Consigo perceber e creio que tens aí também Manado da JBL mas não adicionas-te substrato fértil por baixo certo? Se não tens substrato fertil por baixo as plantas não vão sobreviver ou vais andar com uma luta eterna devido à fertilização ser feita apenas na coluna de água. Se tem fertil por baixo não mexas então.

 

As plantas são radiculares por isso as raízes precisam de enraizar em substrato fertil e dali absorverem nutrientes.

Vai ao Google e lê sobre “plantas radiculares”

 

Dado que a montagem é recente ainda vais a tempo de corrigir isto se não tem fertil por baixo. Seria o que eu faria. Retirava as plantas, a raiz vem sã e salva, tirava esse areão todo para fora, introduzia um substrato fértil, e depois por cima um granulado. Mas o manado da JBL não serve. É muito leve.

Tens o Tropica PLant (subtrato fértil e granulado). Há outros é claro, mas o mais barato sai caro. Não duvides..

E com o Tropica não te preocupes com ciclos que isso não é nada. O Tropica ao fim de uns dias já não larga amonia. Acabou o ciclo. E podes introduzir vivos que vao ajudar á colonização.

 

Filtragem / Co2

Tens um aquário de 120 Litros. Que filtro tens aí? Pelo bico de pato parece-me um JBL e se for qual deles é? Onde está colocado? Qual a altura das mangueiras até ao aquário? Que matéria cerãmicas tem la dentro? e as esponjas?

 

Depois está mal montado. Então o Outflow está a apontar para cima? Que raio de circulação de agua é essa amigo?

 

Colocas o Outflow numa lateral do aquário na parte da frente e o INflow do mesmo lado mas ao fundo.

O Drop Cheker na mesma lateral no meio dos dois (Out e IN) a meio da altura do vidro.

O difusor de CO2 na outra lateral do aquário em frente ao OUTflow.

A agua sai pelo OUTflow até ao difusor, retém o CO2 na zona inferior do aquário, que é sugado pelo Inflow do outo lado. As poucas perdas de Co2 vão para a superfície.

Como o Drop Checker fica do lado oposto do difusor, se este ficar verde clarinho deste lado é um bom indicador que o CO2 está a ser bem dissolvido.

Para teres a certeza que tens o CO2 a 30PPm podes comprar um reagente calibrado a 30PPm da “CAL AQUA” e metes dentro do Drop Cheker.

 

CO2:

Esse difusor que aí tens não cumpre a sua missão para o tamanho do aquário. E aqui digo-te já que com um fraco difusor nunca te vais safar. Vais andar eternamente ás turras com o aquário. Tens que investir num Pollen Beetle da VIV de 40mm, ou se houver euros num ADA ou DOaqua.

Tens que garantir uma boa dissolução do macro nutriente principal que é o CO2 porque sem este os outros nutrientes não chegam ás plantas suficientemente.

E sem luz suficiente o CO2 não vale nada. Isto funciona tudo em cadeia amigo.

 

Ainda sobre o Co2 e depois de teres um bom difusor deves manter ligado 24 horas.

Na natureza desligamos o CO2? Se tiveres o CO2 estabilizado num determinado valor fixo tambem estabilizas o PH, GH, KH etc. toda a química da água.

Menos variantes com que te preocupares portanto.

 

 

Dentro do aquario com agua a rolar num circuito fechado não há CO2 e a menos que injectes é zero. Dissolução meu caro! Não estás na natureza pura. Tens que garantir uma muito boa dissolução.

 

Estando o CO2 sempre presente, está sempre disponivel. As plantas têm-no á disposição a todo o momento porque o crescimento delas não pára mesmo sem luz ou com pouca luz portanto o CO2 é sempre necessário. As plantas não esperam pelo hora do almoço ( liga a luz) e não vão dormir a sesta (desliga a luz)..

A maioria dos aquariofilistas utiliza métodos de injecção de CO2 pouco convencionais apenas e só para poupar CO2.

Antes de Ligar a luz ligam o CO2 uma ou duas horas antes a disparar CO2 aos magotes pra dentro do aquario e alterar todos os parametros da aqua em minutos! E passado mais umas horas desligam e voltam a alterar todos os parametros outra vez!
Isto repetido 2 vezes por dia vezes 365 dias deve dar uma saude ao aqua e aos peixes.. além de que estas flutuações de CO2 e PH são as reais amigas das algas. É nestes intervalos que elas ganham espaço para nascer.

 

Por isso os aquariofilistas andam sempre ás turras com as algas ou têm que andar com controlos brutais sobre o aqua a nível de fertilização porque com este sistema de injeção ao mínimo deslize é um cargo dos trabalhos.

E contrariamente ao que muitos não acreditam, as plantas "bebem" CO2 mesmo de noite.. CO2 está presente 24 horas em qualquer ecossistema. Mais uma vez não se desliga a seu bel prazer.

E ainda contrariamente ao que muitos defendem o CO2 libertado pelas plantas (porque também o libertam é claro) é nulo. Basta olhar para a cor de qualquer drop cheker (de manhã) num aquario onde só ligam o Co2 quando liga as luzes ou ligam duas horas antes..e desligam duas horas antes das luzes desligarem etc etc... como é que fica o reagente? Fica Azul.. Adeus CO2 dissolvido na água.. aumento do PH.. e andam nisto eternamente (liga / desliga / sobe e desce o PH e sobe o desce o CO2 e todos os parametros da agua do aqua andam ali tipo de ping pong) quando estas flutuaçoes são das maiores causas de algas.

Alem de que tendo o CO2 sempre ligado as plantas acabam por consumir menos e mais espaçado no tempo. Não precisas de ter valores elevados de CO2 = 30PPM (e a tal força bruta de quando se liga a luz parece que chegou a hora da paparoca).

A malta desliga o CO2 para poupar.. eu compreendo mas aceite-se os riscos que daí advém e é mau para o sistema.

 

 

Fertilização “EI” – Estimative Index

 

Com o sistema "Ei" então e com a teoria de meter sais á bruta (50 PPm de NO3.. que brutidão tens ai) que não há azar.. que a "EI" não faz algas.. à pois não.. desliga lá o CO2 ou não o tenhas afinado com a luz e mete desses sais com fartura para dentro do aquário que logo vês.. acredita na teoria do outro que dizia que metia o nitratos a 100 PPM e não tinha algás. Mitos..

 

“Ei” provoca algas sim senhor. Seja qual for o fertilizante,. Se não for consumido sobra para outros organismos. Isto é simples de entender. Portanto mesmo a “EI” tem que ser altamente bem doseada. O próprio Tom Barr dizia que a “EI” era dar na dose máxima de absorção das plantas com um ligeiro excedente. Esse excedente é o tal que é retirado na TPA semanal. Portanto quando dizes que metes “X” PPm por semana que andas a fazer?

 

As plantas consomem isso tudo? Quem te mediu o consumo do aqua? Além de que compras um sais cuja receita é normalizada para a maioria dos aquários e não especificamente para o teu. Dás mais ou menos mas nunca sabes a quantas andas ao certo. De cada vez que metes sais aumentas tudo! KNO3, PO4 etc. Se precisares aumentar só PO4 não o consegues fazer sem aumentar tambem KNO3. De forma inversa se precisares reduzir um sal reduzes todos. Que belo sistema certo? Andas sempre em excesso ou em falta de um ou mais nutrientes.

 

Conselho meu: Larga isso da “Ei” e usa Tropica Fertilizer. A Tropica não anda nisto á dois amigo.. e sabem o que fazem. Há outros fertilizantes mas depende do que queres gastar. E segue o que eles dizem na embalagem. Está mais que estudado. Se seguires o que eles dizem está a introduzir apenas o necessário que as plantas precisam e nunca em excesso.

 

Luz:

Dizes que tens 2x39W.

Qual a cor das lâmpadas? Que kelvins (K) tens nas lâmpadas? 6500 K? 8000K? E Lumens?

As lâmpadas deverão ter uma referência e através dela consegues saber a ficha técnica das lâmpadas.

 

Dizes que não consegues subir a calha. Quase que aposto que sim com um DIY.

Umas fotos detalhadas ajudava bastante a perceber. E um DIY made in Leroy Merlin resolve tudo.

 

 

Testes:

 

Com sistema de fertilização “Ei” os testes não valem rigorosamente nada. Só indicam a presença de determinado sal na agua e nunca a quantidade correcta. E muito menos com essas fitas da JBL com que andas a fazer medições. Isso é para brincar. Se queres um teste com alguma fiabilidade terás que comprar um JBL especifico ou ELOS.

Isso que aí tens podes deitar fora. E mesmo os testes que te referi apenas te vão dizer que estás na presença de determinado sal. Agora se tens 10PPm ou 20PPm esquece que os testes não te dizem isso usando “EI”. OS testes não estão preparados para tal.

 

Aqui fica a minha opinião. Ainda vais a tempo de corrigir e curtir o teu aquario de ora em diante e menos problemas.

 

Abraços

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ramif, penso que o Micro-Chip já te deu bons conselhos. Agora há que dar tempo para que as coisas produzam efeitos. Saber esperar é uma virtude também na aquariofilia ;)

 

 

 

Paulo, visto que

Antes de mais permite-me que te diga que o que vou escrever é baseado na minha própria experiência e aprendizagem.

podes partilhar connosco que experiências/testes efectuaste para afirmar isto:

 

Substrato: Se não tens substrato fertil por baixo as plantas não vão sobreviver ou vais andar com uma luta eterna devido à fertilização ser feita apenas na coluna de água.

isto:

 

E contrariamente ao que muitos não acreditam, as plantas "bebem" CO2 mesmo de noite..

Com o sistema "Ei" então e com a teoria de meter sais á bruta (50 PPm de NO3.. que brutidão tens ai) que não há azar.. que a "EI" não faz algas.. à pois não.. desliga lá o CO2 ou não o tenhas afinado com a luz e mete desses sais com fartura para dentro do aquário que logo vês.. acredita na teoria do outro que dizia que metia o nitratos a 100 PPM e não tinha algás. Mitos..

 

Ei provoca algas sim senhor. Seja qual for o fertilizante,. Se não for consumido sobra para outros organismos. Isto é simples de entender. Portanto mesmo a EI tem que ser altamente bem doseada. O próprio Tom Barr dizia que a EI era dar na dose máxima de absorção das plantas com um ligeiro excedente. Esse excedente é o tal que é retirado na TPA semanal. Portanto quando dizes que metes X PPm por semana que andas a fazer?

 

As plantas consomem isso tudo? Quem te mediu o consumo do aqua? Além de que compras um sais cuja receita é normalizada para a maioria dos aquários e não especificamente para o teu. Dás mais ou menos mas nunca sabes a quantas andas ao certo. De cada vez que metes sais aumentas tudo! KNO3, PO4 etc. Se precisares aumentar só PO4 não o consegues fazer sem aumentar tambem KNO3. De forma inversa se precisares reduzir um sal reduzes todos. Que belo sistema certo? Andas sempre em excesso ou em falta de um ou mais nutrientes.

 

 

Conselho meu: Larga isso da Ei e usa Tropica Fertilizer. A Tropica não anda nisto á dois amigo.. e sabem o que fazem. Há outros fertilizantes mas depende do que queres gastar. E segue o que eles dizem na embalagem. Está mais que estudado. Se seguires o que eles dizem está a introduzir apenas o necessário que as plantas precisam e nunca em excesso.

Portanto, o EI não presta mas os fertilizantes de marcas sim...a sério? Como chegaste a essa conclusão brilhante? Foi a tal "aprendizagem"?

 

e mais esta:

 

Com sistema de fertilização Ei os testes não valem rigorosamente nada. Só indicam a presença de determinado sal na agua e nunca a quantidade correcta.(...) os testes que te referi apenas te vão dizer que estás na presença de determinado sal. Agora se tens 10PPm ou 20PPm esquece que os testes não te dizem isso usando EI. OS testes não estão preparados para tal.

Paulo, fico então à espera que mostres os testes/experiências com que te baseias para aqui dizeres este tipo de afirmações.

  • Upvote 2
  • Downvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fico a espera das respostas que agora quero perceber isso tudo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas,

 

Paulo não sei onde foste buscar tais afirmações, mas espero bem que não te estejas a basear apenas na tua experiência. Mas de qualquer das formas no mundo da aquuariofilia são sempre bem vindas novas "opiniões" e não verdades absolutas, não faças dos teus aquários que não correram tão bem regras de ouro porque para cada aquário onde o método EI não funciona, tens 50 casos onde funciona.

 

Relativamente ao substrato fértil ou não, as plantas apenas têm interesse na vertente fértil por nutrientes, sejam eles pela coluna de água ou substrato, o que não faltam são exemplos de aquas onde nao foram utilizados substratos fertil e apenas se faz fertilização pela coluna de água , é obvio que substrato fértil é sempre uma mais valia, se podermos providenciar nutrientes pelas raízes, assim como pela coluna de água é sempre bom, mas nao é obrigatório. Digo e volto a repetir, um bom aquariofilista consegue facilmente ter aquários plantados sem o uso de fértil, o que nao faltam sao casos a nivel nacional e internacional de pessoal que nao utiliza fértil e todo o aquário transpira saúde.

É obvio que a escolha de um bom substrato é imperativo para um bom plantado, e quando digo bom substrato estou a referir-me a um poroso, com elevado "CEC" ou seja troca iónica e cationica de elementos. a titulo de exemplo Akadama. Com um substrato deste genero, muito da fertilização que irá ser feita pela coluna de agua irá estar disponivel para as raízes das plantas igualmente. Um substrato bastante poroso preferencialmente à base de argilas e barros é excelente para o enraizamento das plantas pois promove a oxigenação das mesmas , oxigenação esta que irá ser extremamente benéfica para várias especies de bactérias oxidarem os vários tipos de compostos (amonia, etc etc) . O mais importante nem sao os nutrientes que o substrato tras ou deixa de trazer, mas sim a sua capacidade CEC e porosidade

 

Relativamente ao CO2, sim é verdade que a maioria da malta prefere ligar antes das luzes, pois para evitar problemas de algas e derivados apenas devemos garantir que os niveis de co2 sao estáveis durante o fotoperiodo. Qualquer oscilação de co2 após o fotoperiodo será indiferente para as plantas, pois sem luz não existe fotossintese e por, consequente, não existe absorção de co2. Mas também é relativamente usual deixar 24h ligado, apenas estamos a bombardear os peixes com niveis de co2 altos desnecessariamente e existe sempre o risco da balança o2 vs co2 caia para o lado errado, o que nao é nada benéfico para a fauna, como para a oxidação de compostos pelas bactérias.

 

Relativamente aos niveis de nitratos e a toda a "novela" em volta do EI , digo e volto a repetir para cada caso onde um correu mal, existem 50 onde correu bem. Está mais do que provado que excesso de nutrientes nao causam algas e relativamente aos niveis que os testes acusam, como disseste e bem, nem vale a pena guiarmo-nos por eles, basta olharmos para as plantas . Relacionar algas com EI é dar 50 passos para trás na evolução do hobbie, tendo em conta a informação disponivel atualmente.

Não é preciso fazer nenhum estudo elaborado de 50 paginas para perceber que existem aquarios cheios de algas com EI , sem EI, com fertil, sem fertil, com pedras, sem pedras, com plantas, sem plantas......etc etc

Eu e o Ivo , a título de exemplo, e ridicularizando o assunto, os nossos aquários são "piscinas" de fertilizante e não existe qualquer alga, usamos um sistema de EI há varios anos modificado por nós, Paulo se soubesses os valores injetados diariamente..... lol e no entanto com reprodução de espécies sensiveis de camaroes, peixes selvagens, sem algas, etc etc Voltamos ao mesmo, para um caso em que as coisas correm mal, existem 50 que correm bem... Neste meio nada é uma verdade absoluta

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Agora voltando ao que interessa ajudar o ramif, as plantas todas elas só têm interesse por ordem piramide de maslow , LUZ - CO2 - NUTRIENTES e CIRCULÇÃO,

Em relação a Luz as vertentes mais importantes temos o espectro e intensidade do mesmo que irá resultar num determinado valor de PAR e por sua vez de PUR, onde as marcas das lampadas e se é rotulada para plantas ou peixes e valor de lumens pouco interessa, infelizmente termos acesso a este tipo de leituras e de especificações no mundo da aquariofilia torna-se um pouco dificil, pois temos que nos apoiar na experiencia propria e recomendação, desde lampadas que aprovam pois têm um bom espectro, o que irá consequentemente resultar num bom PAR e PUR. A nível de intensidade como ninguem tem maquinas de leitura em casa tbm temos que muitas das vezes que nos apoiarmos em experiencia e observação do aquario, de qualquer forma existem ja disponiveis na internet colegas nossos de aquariofilia que se deram ao trabalho de fazer pequenas leituras destes parametros e publicar os resultados

 

Em relação ao CO2, como todos nós sabemos nao basta simplesmente "mandar" para dentro do aqua, convém garantir niveis ideais, obviamente que ao olhos das plantas co2 nunca é demais, no entanto "infelizmente" estamos limitados devido ao mais importante na aquariofilia que é a fauna, por isso devemos garantir através de uma leitura aproximada utilizando dropchecker com água 4dkh ou outros métodos menos "fidedignos" valores entre 25-30ppm (a menos que tenhamos uma maquina laboratorial de medição de co2 lol)

 

Em relação aos nutrientes, as plantas nao vao saber se o nutriente que estão a consumir é da tropica , da ADA, das Soluções Aquáticas ou da Tropical , neste aspectos as plantas apenas querem nutrientes. Simples. Preferencialmente que tenham acesso aos mesmos pela via radicular e foliar. No caso de so podermos utilizar um dos meios, preferencialmente via foliar, pois a grande maioria das plantas (existem excepções) utilizam as suas raizes maioritariamente como forma de se alojarem num local especifico, com isto nao estou a dizer que nao consomem nutrientes pela raíz, até porque isso é cultura geral.


Agora existe um fator que normalmente é bastante ignorado que tem um papel fundamental, especialmente no caso de fertilização pela coluna de agua, e igualmente importante para a distribuição de co2 que é a circulação. Mediante a luz disponivel, e voltando à piramide de maslow, no topo desta piramide temos a luz, ou seja para um determinado nivel de intensidade luminosa e tudo o que está agregado a este tema temos de garantir que a circulação existente no aqua é suficiente para que as plantas consigam obter tudo o que está diluido na agua de forma a conseuirem tirar proveito de grande parte ou toda a luz disponivel, excesso de luz relativamente a esta questão irá trazer todo o tipo de problemas de algas, pois se a planta nao consegue obter os nutrientes que estão diluidos na agua e o carbono irá apresentar possivelmente todo um tipo de carencias nutritivas apesar de termos bons niveis de nutrição na agua, pois esta nao os consegue absorver devido à fraca circulação naquela zona ou zonas . voltando a repetir no caso de fazermos ferts liquidos, ambos (co2 e nutrientes) estão diluidos na coluna de agua , pelo que é preciso ter a maior consideração por este aspecto, do que se a planta tivesse tbm disponivel uma camada fertil, pois neste caso conseguiria compensar possiveis carencias nutritivas ,recorrendo às raizes

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom dia caro Vmike, Okamispeed e titular do tópico,

Não vou tecer comentários ás considerações pessoais. Não acho correcto mas isso é a minha forma de estar.

No seguimento do que se adiante publicou e argumentou, e uma vez que se aprofundou a questão da luz contribuo com um link de uma página que considero ser das mais completas a esse nível. Caso o nosso amigo aquariofilista queira aprofundar a sério esta temática.

Luz:

http://www.americanaquariumproducts.com/aquarium_lighting.html

CO2:
Quanto ao CO2 reitero tudo o que disse para o ter calibrado a 30PPM e nunca por excesso ou diminuto. Tal como eu referi tem reagentes calibrados a 30 PPM. Pelo menos a CAL Aqua tem. E não é a libertação de CO2 por parte dos peixes ou das plantas que vai eliminar ou sobrepor-se ao O2 desde que e repito: O tenha calibrado nos 30PPM. Foi isto que eu disse, confesso que não vejo onde esteja a duvida. Não é injectar CO2 aos magotes até e porque:

Contrariamente ao que afirmou ( obviamente que ao olhos das plantas co2 nunca é demais)o CO2 em excesso é prejudicial para as plantas.
O CO2 que não é libertado/evaporado até á superficie da água, nem absorvido pelas plantas, vai acabar por se dissolver na água e forma ácido carbónico fazendo com que o PH desça para niveis muito baixos mesmo. É quase como ter as plantas plantadas em vinagre.
Quando os aquariofilistas medem a quantidade que estão a injectar através de medições do PH estão apenas preocupados com a fauna, quando deviam tambem estar preocupados com a flora também. Eu percebo que os vivos é o foco principal naturalmente, mas a flora também é afectada. Tal como eu disse também ao inicio do que escrevi lá em cima, na natureza tudo está em equiilibrio. Aqui é a mesma coisa. Não é injectar CO2 que as plantas não se queixam.. São detalhes meu caro.
O crescimento das plantas quer no aquario (ambiente aquatico) quer no exterior (ambiente atmosférico) está directamente relacionado com a optimização dos parâmetros de Luz, CO2 e Nutrientes. Nunca qualquer deles em excesso mesmo o CO2.


Em relação aos nutrientes, as plantas nao vao saber se o nutriente que estão a consumir é da tropica , da ADA, das Soluções Aquáticas ou da Tropical , neste aspectos as plantas apenas querem nutrientes. Simples. Preferencialmente que tenham acesso aos mesmos pela via radicular e foliar. No caso de so podermos utilizar um dos meios, preferencialmente via foliar, pois a grande maioria das plantas (existem excepções) utilizam as suas raizes maioritariamente como forma de se alojarem num local especifico, com isto nao estou a dizer que nao consomem nutrientes pela raíz, até porque isso é cultura geral.


Substrato:
Quando afirmo que é necessário um substrato fertil e não só o granulado é porque o granulado serve para apoiar as plantas e fornecer nutrientes limitadamente porque esgota enquando o fertil não esgota e vai permitir que microrganismos se multipliquem e estabilizam o aquário.
Esta actividade dos microorganismos no substrato fertil é a mais importante porque a matéria orgânica e restos de detritos não consumidos passa pelo granulado (a porosidade que o meu amigo referiu e bem), e vai assentar no substrato fertil. E são os micro-organismos que vão decompor estes residuos evitando a entrofização. (nao vou escrever sobre o que é entrofização porque passei por ela no meu aquario). Se me perguntam que experiências tenho talvez esta sirva de alguma coisa.
Com esta conversão a ocorrer no substrato fertil e com a plantas ali enraizadas é facil concluir os beneficios para as mesmas.

Portanto há claramente diferenças. Aliás se assim não fosse para que a Tropica e outros o fabricam? Não sabem o que fazem?


Agora se me disseram que é possivel montar um aquario apenas com granulado é claro que sim que é. E quanto tempo duram essas montagens nas devidas condições? Não haverá um acréscimo de dificuldade em manter esses aquarios?
Mais uma vez.. quem faz essas opções não é por fiabilidade mas sim por redução de custos. Outros fazem-no porque as montagens não é para serem duradouras. (concursos e afins). Outros (lojistas por exemplo) tambem dizem que basta o granulado. Como é obvio e por uma questão de respeito não vou comentar isso.
A maioria dos aquariofilistas tenta reduzir custos e com isso vai encurtando caminhos, e claro está que há sempre quem aproveite o facto para que de alguma maneira possa dizer que é viavel. E imparcialidade?

Eu nunca disse que era inviavel apenas com granulado pois não? Leia lá bem o que eu disse.
Eu disse e repito:

"Se não tens substrato fertil por baixo as plantas não vão sobreviver ou vais andar com uma luta eterna devido à fertilização ser feita apenas na coluna de água"

Agora existe um fator que normalmente é bastante ignorado que tem um papel fundamental, especialmente no caso de fertilização pela coluna de agua, e igualmente importante para a distribuição de co2 que é a circulação. Mediante a luz disponivel, e voltando à piramide de maslow, no topo desta piramide temos a luz, ou seja para um determinado nivel de intensidade luminosa e tudo o que está agregado a este tema temos de garantir que a circulação existente no aqua é suficiente para que as plantas consigam obter tudo o que está diluido na agua de forma a conseuirem tirar proveito de grande parte ou toda a luz disponivel, excesso de luz relativamente a esta questão irá trazer todo o tipo de problemas de algas, pois se a planta nao consegue obter os nutrientes que estão diluidos na agua e o carbono irá apresentar possivelmente todo um tipo de carencias nutritivas apesar de termos bons niveis de nutrição na agua, pois esta nao os consegue absorver devido à fraca circulação naquela zona ou zonas . voltando a repetir no caso de fazermos ferts liquidos, ambos (co2 e nutrientes) estão diluidos na coluna de agua , pelo que é preciso ter a maior consideração por este aspecto, do que se a planta tivesse tbm disponivel uma camada fertil, pois neste caso conseguiria compensar possiveis carencias nutritivas ,recorrendo às raizes



Sobre este utimo capitulo, que talvez esteja um puco confuso, Importa referir para o nosso amigo do post, que o que ali se está a tentar dizer é mais uma vez o equilibrio entre a luz, nutrientes e CO2 mas atenção há limites!

Isto porque as plantas têm taxas máximas de absorção de nutrientes (limites). Portanto a partir de determinado limite não adianta introduzir fertilização a mais.
Se as plantas têm taxas de absorção que as limitam, e que estão bem vincadas no Tom Barr Report) alguem que me explique porque há pessoas que insistem nestas práticas de piscinas de fertilização?
Alguem que me explique porque razão se dá 100 a uma planta que não consegue absorver mais de 20(?)... e para onde vão os outros 80? (figuradamente falando valores ao acaso). Quem beneficia deles? Ficam lá na agua a marinar.. á espera da TPA semanal é isso? Olhem que já há muitos aquariofilistas a acordar para outras realidades.

Mas a tabela de taxas de absorção em valores de PPM está definida pelo Tom Barr. É só lá ir ver. E curioso também que o mesmo Tom Barr (pai do "Ei") apenas usa o ADA Amazonia. (pelo menos foi o que me disseram e li lá no report, se alguem tem prova em contrário que a traga á luz)

Eu e o Ivo , a título de exemplo, e ridicularizando o assunto, os nossos aquários são "piscinas" de fertilizante e não existe qualquer alga, usamos um sistema de EI há varios anos modificado por nós, Paulo se soubesses os valores injetados diariamente....




Não abordei a circulação/corrente/caudal porque desconheço que filtragem tem. Perguntei.

Termino apenas referindo o seguinte que é do conhecimento de algumas pessoas, embora essas talvez por alguma particularidade que desconheço, façam questão de não as mencionar e apenas se limitem a canções de escarnio e nada acrescentam de util.

Eu procuro e questiono. E muito do que digo, não só se consubstancia na minha própria experiência e visualização como recorro a outras pessoas como por exemplo professores catedráticos, investigadores cientificos, estudiosos, biologos marinhos, zoologistas, pessoas que trabalham em areas que divergem e encontram-se com a aquariofilia e muitos dos quais eles próprios aquariofilistas.

E já dei provas disso apresentando pareceres técnicos dos mesmos, copiando trocas de correspondência sobre a aquariofilia noutro forum, portanto não tenho nem nunca tive a pretensão de ser detentor de verdades absolutas.
Apenas procuro respostas, questiono certas verdades que se têm como absolutas e socorro-me e apoio-me em diversos quadrante e sectores.
E apraz-me inclusivé e é essa parte que me dá alguma satisfação, o ser util a este universo da aquariofilia e a todos os amigos, quando se desmistifica algo como já foi feito. Exemplo do mito que os filtros não podiam estar desligados mais de 30 minutos a uma hora e que as bactérias morriam.

Está provado que é um mito. Pelos tais professores e cientistas e não foi desmentido. E toda essa documentação está disponível. Portanto não sou eu que o afirmo. Fui procurar respostas.

Não vou pela via mais facil da tentativa de limitação de pensamento de terceiros sem apresentar alternativas e muito menos de forma pouco graciosa para com o próximo.

 

Certas personagens só me fazem lembrar a Inquisição, pelo que ainda bem que não sou Galileu.

Abraços

Edited by Paulo Alexandre Soares

Share this post


Link to post
Share on other sites

Já estou a ver isto tarde. Nas primeiras duas\três semanas não se fertiliza, até as plantas estarem habituadas e estáveis. Só aí é que começam a consumir nutrientes. Deves começar com doses pequenas, e fertilizar sem nitratos e fosfatos. Vais subindo gradualmente e os fosfatos e nitrato só começas a fertilizar no mínimo passadas três\quatro semanas.

No primeiro mês também fazes um série grande de tpa's e começas com um fotoperíodo menor que o normal.

Basicamente o que tinhas de fazer é parar de fertilizar por mais umas semanas.

  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas Paulo,

 

concordo com algumas das tuas afirmações, no entanto existem algumas questões que colocaste e sobre as quais passo a dar a minha opinião:

 

Em relação ao excesso de co2 nos nossos aquários discordo da tua afirmação. A meu ver é impossível ter excesso de co2 num aquário aos olhos das plantas, nos aquários que mantemos dificilmente conseguimos ter concentrações de co2 >35ppm sem estarmos a afetar diretamente a fauna e como deves saber um bom exemplo são as quintas de reprodução de plantas que optam por fazer a reprodução das nossas plantas aquáticas na sua grande maioria no estado emerso, ou seja de forma a tirar partido do carbono gratuito da atmosfera que ronda os 300-400ppm. Repara 300 e 400ppm... impossivel de ter num aquário.

O que podes referir e bem, é que podemos ter excesso de co2 para a quantidade de luz disponivel nos nossos aquários e isto para mim em parte é uma boa politica, eu próprio o faço, evita-te muitos problemas com algas porque as plantas por elas consumiam ainda mais co2 e nutrientes, simplesmente não podem porque a luz que lhes dou não permite, ou seja o meu fator limitador é a luz.


Em relação à formação de ácido carbónico, estás a ver a coisa de forma errada, o ácido carbónico passa a existir sempre no aquario a partir do momento em que tu injetas co2 para dentro do mesmo, seja por reator ou difusor (para quem nao sabe todas as bolhas de co2 que vemos a sair do difusor é o desperdicio inicial do proprio difusor, ou seja existem moleculas de co2 que assim que saem da pedra difusora sao automaticamente diluidas na agua, este gas nem sequer chegamos a ve-lo, o que nós vemos sim é a quantidade de gas que nao se conseguiu dissolver na hora, ao que eu chamo desperdicio. É obvio que todos nós tentamos através de meios de circulação de agua tentar manter as bolhas o mais tempo possivel em circulação pelo aqua para permitir que estas se consigam dissolver posteriormente ou ficarem retidas nas folhas das plantas, algo que estas, segundo alguns dos entendidos, perferem absover o precioso carbono no estado gasoso)

Passo a ilustrar a equação:

CO2 + H2O <=> H2CO3 = Ácido Carbónico
H2CO3 <=> H+ + HCO3- = Ião de hidrogénio carregado positivamente responsavel pela redução de ph e Bicarbonato responsavel pela manutenção do Kh

Ou seja, como referi a partir do momento em que injetas co2 no aqua e este entra em contacto com a agua tens automaticamente criado ácido carbonico, nao precisas de esperar nada, ele passa a existir na água. No caso de usares reator de co2, este dilui na hora todo o co2 gasoso na agua, gerando ácido carbónico automaticamente.
Em relação às variações de ph geradas pelo co2 era outro assunto que daria mais umas boas paginas, mas para resumir a historia é irrelevante, tanto para fauna como para flora, mesmo em casos de aguas com kh baixos, podemos sim considerar que ph's < 6,3 (exemplo) irão ter um efeito redutor de eficiencia na colonia de bacterias nitrificadores e oxidantes de compostos. Agora se isto é relevante ao ponto de destabilizar um aqua ao ponto de haver aumento de "toxinas" que comprometam o equilibrio de um aquario, duvido e para quem disser que sim voltamos à mesma questão, para quem disser que sim e usar este fator para explicar o possivel boom de algas que tem no seu aquario, existem N casos de pessoas com kh baixos onde derivado do co2 o ph vai para niveis inferiores e têm aquarios de sucesso.


Em relação a toda a questão que tu referiste sobre a colonia de bacterias no substrato e etc, sim é obvio que fértil ajuda apenas na questão de nutrientes, não na questão de ser melhor ou pior para as bactérias ao ponto de ser relevante. Acredito que sim, sabendo que as bacterias sao quimiotróficas, ou seja utilizam como fonte de alimento varios dos compostos que aos olhos das plantas sao nutrientes para se multiplicarem e crescerem, por isso existe uma pequena vantagem em utilizar substratos enriquecidos em nutrientes, no entanto volto a repetir para cada exemplo de quem use sempre substrato fértil porque senao o aqua vira alguedo ou etc, existem N casos que nao utilizam e têm aquarios de sucesso. A questão de ser temporario ou nao, nao se prende com o uso de fertilizantes liquidos, mas sim com o uso de substrato fertil, pois é este que eventualmente esgota, fertilizante liquido podes sempre utilizar, a menos que se esgote a água em tua casa eheh

Em relação à tua questão sobre o porquê de usar valores nutritivos muito acima da taxa de absorção maxima das plantas prende-se um pouco com a questão que nao quiseste abordar: a circulação.
Podes ter um aquario com 50ppm de nitratos diluidos na agua, mas dependendo da circulação de agua numa zona em particular, aos "olhos" das plantas naquela zona poderá nao estar disponivel 50ppm de nitratos e poderá apenas, por exemplo, estarem disponiveis 5ppm, ou whatever
Isto prende-se com o facto de a corrente ser capaz de quebrar a tensão superficial das folhas das plantas, de forma a lhes fornecer os nutrientes desejados, na quantidade que ela necessita, quantidade esta que está diretamente relacionada com a intensidade luminosa. O mesmo aqui aplica-se à questão que eu abordei anteriormente de ter excesso de co2 para a luz disponivel, ou seja até podes ter 30ppm de co2 diluidos na agua, mas dependendo da circulação de agua e da distribuição de co2 no aqua, a planta poderá nao ter acesso a essa concentração tanto de co2 como de nutrientes.
Em suma, ao saturares a agua com mais nutrientes/co2 (sendo este um nutriente) estás a garantir, à partida, uma maior taxa de sucesso da planta conseguir absorver todos estes compostos em relação à taxa de crescimento imposta pela luz, nao tens nada a perder em saturar a água de algo que as plantas precisam: co2 e luz. O que não falta, um pouco por todo o Portugal, internet e etc, é pessoal que para um determinado nivel de luminosidade nos testes ja acusa excelentes valores de fosfatos (>2ppm) e mesmo assim estão com GSA, ao que eu respondo: Esquece os testes e vamos partir do principio que o teste é fidedigno, feito no lab mais credenciado do mundo lol, pois não interessa apenas a concentração que está na agua, mas sim a concentração que está disponivel para a planta Y no lugar X, e isto só consegues saber olhando para as plantas e quando elas pedem mais, dares mais independentemente do valor numerário.

Abraços,
Ivo Soares
  • Upvote 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

Antes de mais queria agradecer todas as opiniões referidas aqui, infelizmente não respondi porque nao tenho vindo aqui muito por razões profissionais.

 

Penso que descobri a razão das algas.

 

Quando comprei o aquario vinham duas lâmpadas de 39w, 6500k e 4200k respectivamente, mas como sempre achei a iluminação muito amarela decidi mudar.

 

Comprei duas de 6500k novas e foi ai que comecaram as algas. A calha estava montada na tampa do aquário, sensivelmente a 30cm do substrato o que acho que seja muita intensidade de iluminação para a quantidade de plantas que tenho.

 

O que fiz foi tirar a tampa e fazer um diy para subir 10cm a iluminação, ficando a 40cm do substrato.

 

f229782419c200082b929cdd121db5e6.jpg

 

Ainda tenho muitas algas mas parecem ter diminuído.

 

Quanto ao substrato e manado com fertil da tropica por baixo e aquela areia era uma da ada que decidi cobrir com manado devido a gsa e staghorn.

 

Co2 continua 24/24 que nao tenho solenoide. Ja foi dito que nao e o ideal mas sera que e pior que nunca ter o mesmo nivel diario?

 

Outra coisa que alterei foi o difusor por um inline da cal aqua labs. Parece me que faz mais difusao e micro bolhas que o anterior.

 

38210f6cc1e5dbb60cdc2c0c2c611d61.jpg

 

Mantenho as 8h diarias de iluminação.

 

Quanto a fertilização, optei por ser eu a fazer a mistura.

 

Demorei bastante a perceber o ei e a encontrar valores aceitaveis porque uns dizem uma coisa, outros dizem outra, enfim.

 

Basei me nestes valores:

 

Nitrato - 20

Potassio - 30

Fosfato - 3

Magnesio - 10

Ferro - 0.5

 

Receita:

 

500ml agua - 23.3g kno3

 

500ml agua - 3.5g kh2po4

 

500ml agua - 20.6g kci

 

500ml agua - 5g mgso4.7h2o

 

500ml agua - 5g ca

 

Ou seja, fiz 5 garrafas e meto 10ml diarios de cada.

 

Alguem me pode conferir a receita na calculadora e ver se estam bons os valores?

 

Para a gsa nos vidros é subir os fosfatos certo? E que tou com bastante.

 

Seguem algumas fotos.

 

7708ad6755e7b2132786475e8355d17b.jpg

 

11c137addc95d01968f7df89562bcfbd.jpg

 

b656ffcf203697588150dc8aa438e47c.jpg

 

a718d3ad45038d87032d6fa115b3ff4e.jpg

 

Obrigado a todos

 

Enviado do meu GT-I9195 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas Bruno

 

Não percebi o que querias dizer com a tua afirmação. No caso de não teres valvula solenoide (a que faz ligar e desligar o co2) penso que a melhor opção é deixar ligado as 24 horas.

 

Assim não tens oscilações de co2 nem alterações de PH.

 

Logo vou tentar deixar aqui um update .

 

Cump

Share this post


Link to post
Share on other sites

A questão é mesmo essas!?

 

Tenho tido como verdade absoluta que não se deve ter o Co2 ligado de noite - fotossíntese. E venho ler agora que ... talvez não seja uma verdade tão verdadeira.

 

Dai estar confuso. É que a meu entender, ambos os argumentos tem lógica.

 

PS - e tenho válvulas, difusores, tudo...

 

:discuss_gathering: What to do....

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

Nao tenho bases cientificas mas sempre li que as plantas faziam a fotossíntese de dia, ou seja com iluminação. De noite existe fotossíntese quimica, ou seja, as plantas absorvem co2 e libertam o2 mas posso estar a fazer confusão.

 

Alguem entendido que diga alguma coisa.

 

Tirando o gasto que se tem em co2, ainda não li em lado nenhum que seja prejudicial ter co2 24h por dia. Pelo menos para a flora.

 

Cump

 

Enviado do meu GT-I9195 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa tarde,

 

As verdades absolutas... a Inquisição também as tinha.. e o Galileu sofreu bastante com elas.

 

Na natureza desligas o CO2?
Se tiveres o Co2 estabilizado num determinado valor fixo tambem estabilizas o PH, GH, KH etc.

 

E ainda contrariamente ao que muitos defendem o CO2 libertado pelas plantas (porque também o libertam) é nulo. Basta olhar para a cor de qualquer drop cheker (de manhã) num aquario onde só ligam o CO2 quando liga as luzes ou ligam duas horas antes..e desligam duas horas antes das luzes desligarem etc etc... como é que fica o reagente? Azul Goodbye CO2.. aumento do PH.. e andam nisto eternamente (liga / desliga / sobe e desce o PH e sobe o desce o CO2 e todos os parametros da agua do aqua andam ali tipo de ping pong) quando estas flutuaçoes são das maiores causas de algas.

 

E mais: estando este sempre presente, está sempre disponivel. As plantas têm-no á disposição a todo o momento porque o crescimento delas não pára mesmo sem luz ou com pouca luz portanto o CO2 é sempre necessário. As plantas não esperam pelo hora do almoço ( liga a luz) e não vão dormir (desliga a luz)..
Achas viavel ligar a luz e disparar CO2 aos magotes pra dentro do aquario e alterar todos os parametros da aqua em minutos? E passado mais umas horas desligam e voltam a alterar todos os parametros outra vez.
Isto repetido 2 vezes por dia vezes 365 dias deve dar uma saude ao aqua e aos peixes..

 

A malta desliga o CO2 para poupar.. eu compreendo mas aceite-se os riscos que daí advém e é péssimo para o sistema.

 

E contrariamente ao que muitos não acreditam, as plantas "bebem" CO2 mesmo de noite.. CO2 está presente 24 horas em qualquer ecossistema. Na natureza falo.

 

Estabilidade do ecossistema (compensação fótica) tal como na natureza.
Baixa Ph.. sobe PH.. sobe Co2 .. desce Co2.. tudo isto contraditório e contraprucedente quando se afirma que estas variações causam algas e ao nivel do PH problemas na fauna. Tudo isto são práticas incoerentes com a natureza PER SI.

Assim porque não aplicar metodologias similares ao meio natural? Mais uma vez: O Co2 desliga á noite?

Simples meu caro.

 

Mitos.. mitos e tretas que perduram na net. é como dizerem que se tiveres os filtros desligados mais de meia hora que a bactérias morrem... outro mito que anda na net e que teima em perdurar.

Sobre isso até vos dou uma colagem de um professor investigador catedrático:

 

"As bactérias nitrificantes não morrem por falta de oxigénio durante o processo de manutenção dos filtros biológicos. Dependendo das espécies, conseguem oxidar a amónia em nitrito e o nitrito em nitrato em águas com concentrações de oxigénio muito baixas. No entanto, são muito sensíveis a alterações na química da água e temperatura.

As cerâmicas que normalmente são utilizadas nos filtros dos aquários têm uma relação área/volume muito elevando. Porém, quando as microfissuras das cerâmicas que são colonizadas pelas bactérias nitrificantes ficam colmatadas com matéria orgânica, o processo de nitrificação é afetado negativamente, uma vez que a água dificilmente chegará às bactérias.

Como tal, os substratos utilizados para o desenvolvimento de bactérias nos filtros biológicos (cerâmicas, biobolas, etc) devem ser regularmente limpos (com água do próprio aquário, para evitar alterações de pH e temperatura).

Relativamente à questão do oxigénio, não é preocupante durante algumas horas. De qualquer forma, este problema poderá ser resolvido de uma forma bastante simples com uma bomba de ar e uma pedra difusora, que promoverá o arejamento da água e a sua oxigenação (de forma indireta através de trocas gasosas).

Relativamente a bibliografia, existem vários trabalhos aplicados a “Recirculating Aquaculture Systems” em aquacultura de água doce e salgada disponíveis na internet."

 

E sim eu tenho o CO2 24 horas ligado e nunca tive problemas. Drop Cheker sempre verdinho clarinho. :)

 

Bem haja a todos.

Edited by Paulo Alexandre Soares
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas Paulo

 

Obrigado pela tua explicação.

 

Vou manter o co2 como tenho (24h). Como dizes é mais estavel.

 

Cump

 

Enviado do meu GT-I9195 através de Tapatalk

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sign in to follow this