Sign in to follow this  
Pedro_

Dinoflagelados ou outra coisa?

Recommended Posts

Boas,

 

Estive uma semana fora e quando voltei tinha uma infestação disto no meu aquário, gostava que me ajudassem para saber se são Dinoflagelados, Diatomaceas ou outra coisa.

 

Fica a imagem:

rbablg.jpg

 

 

Desde já obrigado!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas, Pedro!

 

Parecem dinoflagelados... mas por vezes confundem-se com as outras algas e/ou ciano...

 

Penso mesmo que a diferença entre dino e ciano só se vê microscopicamente.

 

Podem ser mesmo algas verdes a morrerem e ficam com esse aspecto...

 

Aguardava para ver no que dá... pode ser mesmo próprio do ciclo!

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boas, Pedro!

 

Parecem dinoflagelados... mas por vezes confundem-se com as outras algas e/ou ciano...

 

Penso mesmo que a diferença entre dino e ciano só se vê microscopicamente.

 

Podem ser mesmo algas verdes a morrerem e ficam com esse aspecto...

 

Aguardava para ver no que dá... pode ser mesmo próprio do ciclo!

 

Boas,

 

Isto aconteceu depois de eu ter retirado umas rochas e de as ter esfregado para retirar algumas algas verdes filamentosas.

 

Os Zoanthus estão sem problema, agora as xenias e a euphyllia é que se ressentiram com bloom acastanhado.

 

Vou aguardar mais uma semana para ver no que dá, depois compro mais alguma areia de coral para juntar a que tenho, retiro as rochas, lavo-as em parte da água do aquário e faço uma TPA de 50% mais ou menos. Que te parece?

 

 

Obrigado pela ajuda.

Edited by Pedro_

Share this post


Link to post
Share on other sites

Então essas algas devem ser diatomáceas e no processo da escovagem da rocha libertaram esporos da filamentosa que ficaram agarradas ás diatomáceas e se desenvolveram nesse lugar.

 

Em relação à areia nova, conta que ela vá ciclar... provavelmente irá apanhar alga já que será uma areia virgem.

 

Na água que tirares da TPA recomendava-te a dividires em 3 ou 4 recipientes. Escovavas bem a rocha na banca (ou seja, fora de água) e passavas depois por cada pote... o meio de reprodução da filamentosa é por divisão celular, logo ao escovares irás estar a dar azo a que ela se divida ainda mais.

 

A partir desta altura, podes contar que ela volte a aparecer... e é nesta altura que a redução de nutrientes no aquário terá que vir e assim que vires focos deixa-las crescer uns 3 cms e tira-las com as unhas o mais rente possível da rocha.

 

Para o processo de retirar a alga da rocha, deverás ter um recipiente com água doce e tentar tirar o tufo mais rente e deixar no recipiente de água doce e lavar sempre a pontas dos dedos para evitarmos introduzir esporos no aquário.

 

É um processo um demoroso, mas ao longo dos tempos vimos os efeitos...

 

Passei pelo mesmo e sei que dá o seu trabalho... na altura só mesmo com osmose + biopellets + raspagem é que dei cabo do meu tapete verde...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Deixo-te umas fotos na alturas das minhas algas verdes:

 

 

 

dscf0295ok.jpg

 

dscf0256wx.jpg

 

dscf0296d.jpg

 

 

E passado uns meses e já com a transrerências de todos os vivos para o novo aquário:

 

dscf0640jb.jpg

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bem, se forem diatomaceas é melhor do que ciano/dinoflagelados.

 

Sim, eu sei que a areia nova irá estar a ciclar, tenciono coloca-la por baixo da areia actual depois de bem lavada e misturada com bactérias filtrantes que tenho em frasco.

 

 

Mais uma vez obrigado pela ajuda!

 

Abraço!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ponto da situação:

 

- Escovei a rocha toda com parte da água que retirei do aquário (adicionei à água uma preparação de iodina para ver se de algum modo ajudava) e voltei a escovar noutra porção da água retirada do aquário;

 

- Remexi a areia para que se libertasse a maior parte das algas (ou dinoflagelados);

 

- Adicionei um filtro de mochila para não só aumentar a circulação dentro do aquário como também aspirar as algas que estavam na coluna de água. Neste filtro coloquei resina anti-fosfatos e anti-silicatos assim como lã filtrante que foi retirada 2 dias depois;

 

- Fiz uma mudança parcial de água;

 

- Alterei as disposição das rochas para que haja mais circulação de água;

 

- Realizei testes: dKh: +/- 12 ; pH: 7,5 ; NO2: 0ppm; No3: 0ppm; Ca:425ppm

 

- Reduzi hoje a iluminação para apenas 4h por dia para ver se ajuda a resolver o problema;

 

_________________

 

 

Dito isto, infelizmente vejo que as rochas e a areia já estão a ficar com a mesma substancia castanha que produz micro bolhas de ar.

Edited by Pedro_

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas... qual a filtragem que tens no aqua?

 

Diatomáceas não parecem quase de certeza...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Boas... qual a filtragem que tens no aqua?

 

Diatomáceas não parecem quase de certeza...

Boa noite,

 

Tenho uma sump com escumador, rocha viva, carvão activado e resina anti fosfatos e anti nitratos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Podes colocar aqui mais especificações?

 

Torna-se mais fácil para poder ajudar...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Podes colocar aqui mais especificações?

 

Torna-se mais fácil para poder ajudar...

 

Aquário: 60 comprimento x 50 largura x 45 altura

Sump: Caixa de 75 Litros de plástico com bastante Rocha viva (não sei ao certo a quantidade), 2 Sacos de Carvão activo

Escumador: MSK 120 (da trukesfishes)

Escumador JEBO 178 adaptado para ser apenas um filtro de mochila com resina anti-fosfatos e anti-nitratos e proporcionar melhor circulação da água no aquário.

Bomba de circulação: Resun Waver 2000

Bomba de reposição: Tetra WP 600 (enquanto espero por outra)

Iluminação: 2 Calhas da Odyssea T5, uma com 4xT5 e outra com 2xT5 - Estou a utilizar 1 ATI Purple Plus. 1 ATI Blue Plus, 3 ODYSSEA actinic, 1 ODYSSEA White 10.000k

 

Areia de coral e mais rocha viva no aquário.

 

Vivos:

1 Lysmata amboinensis

2 Banded Trochus Snail

1 Astraea phoebia (com o que parecer ser uma lapa agarrada a concha do mesmo)

5 Ermitas

Alguns Zoanthus, Palytoas, 1 Euphyllia parancora

Edited by Pedro_

Share this post


Link to post
Share on other sites

Esse escumador poderá estar a ser insuficiente...

 

Tenta remover parte dessa alga e ver se volta a surgir rapidamente...

Share this post


Link to post
Share on other sites
Esse escumador poderá estar a ser insuficiente...

 

Tenta remover parte dessa alga e ver se volta a surgir rapidamente...

 

 

Foi o que fiz, e já está a voltar, aos poucos.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Deves tentar fazer um teste de fosfatos e nitratos...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Olá Pedro,

 

Quer pelas fotos, quer pela descrição que fazes, eu diria que são dinoflagelados.

 

Já tive duas vezes, é um pincel acabar com eles e senão agires depressa, dão conta do aquário todo e começam a sufocar os corais.

 

Espalham-se facilmente porque as bolhas de O2 que produzem tendem a flutuar e a arrastá-los. A circulação faz o resto.

 

Podes tentar de tudo: resinas, membrana de osmose nova, métodos probióticos, TPAs, saco de partículas, etc. Nada resulta.

 

Há, inclusivé, alguns destes métodos que são até contra-indicados e potenciam o aparecimento deles.

 

Tratamento: escuridão total durante 4-5 dias. Quando digo total não é só manter a iluminação desligada. É cobrir o aquário com lençóis, mantas, cartolina, papel, cortinas, toalhas, o que tiveres à mão e que isole completamente o que está dentro do aquário da luz exterior.

 

Contra-indicações: não há se respeitares este período de tempo. Mais do que os 5 dias e os corais podem-se ressentir. Os peixes não se ressentem de certeza.

 

O que se espera que aconteça: Inibição da fotossíntese por parte dos dinoflagelados e enfraquecimento dos mesmos. Dependendo da quantidade que tens, seguramente mais do que 50% vai desaparecer e o remanescente vai ficar esbranquiçado, como que a desintegrar-se, podendo complementar com um segundo apagão de 2-3 dias, juntamente com aspiração.

 

 

Boa sorte!

André

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa noite pessoal

 

Encontro-me como o mesmo problema do Pedro_, alias também fiz o mesmo tirei as rochas escovei-as e aspirei o maior do areão. Ja la vai uma semana e parece-me que esta a aparecer outra vez.

 

 

 

Olá Pedro,

 

Quer pelas fotos, quer pela descrição que fazes, eu diria que são dinoflagelados.

 

Já tive duas vezes, é um pincel acabar com eles e senão agires depressa, dão conta do aquário todo e começam a sufocar os corais.

 

Espalham-se facilmente porque as bolhas de O2 que produzem tendem a flutuar e a arrastá-los. A circulação faz o resto.

 

Podes tentar de tudo: resinas, membrana de osmose nova, métodos probióticos, TPAs, saco de partículas, etc. Nada resulta.

 

Há, inclusivé, alguns destes métodos que são até contra-indicados e potenciam o aparecimento deles.

 

Tratamento: escuridão total durante 4-5 dias. Quando digo total não é só manter a iluminação desligada. É cobrir o aquário com lençóis, mantas, cartolina, papel, cortinas, toalhas, o que tiveres à mão e que isole completamente o que está dentro do aquário da luz exterior.

 

Contra-indicações: não há se respeitares este período de tempo. Mais do que os 5 dias e os corais podem-se ressentir. Os peixes não se ressentem de certeza.

 

O que se espera que aconteça: Inibição da fotossíntese por parte dos dinoflagelados e enfraquecimento dos mesmos. Dependendo da quantidade que tens, seguramente mais do que 50% vai desaparecer e o remanescente vai ficar esbranquiçado, como que a desintegrar-se, podendo complementar com um segundo apagão de 2-3 dias, juntamente com aspiração.

 

 

Boa sorte!

André

André

Vou seguir o teu concelho, gostaria muito de fazer a escuridão total mas gostava de saber tua opinião sobre uma duvida que tenho em relação a duas anemonas que tenho :confused4:??? Posso fazer com elas?

 

Cump

Share this post


Link to post
Share on other sites

rwcl, isto diz respeito apenas aos dinoflagelados. Será que é o que tu tens?

 

Em relação às anémonas, eu penso que terão um comportamento similar aos restantes corais no que toca à ausência de luz.

 

Estou a pensar que o que pode acontecer ou uma das coisas que pode acontecer é elas soltarem-se da zona onde estão e passearem um bocado. Se assim for, atenção às bombas, certo?

 

O que acho que podes fazer para colmatar a ausência de luz é alimentá-las. Sempre lhes dá uma fonte de energia enquanto não houver fotossíntese.

 

No entanto nunca tive anémonas e portanto todo este post são suposições. Pode ser que alguém tenha mais experiência com elas e dê o seu contributo.

 

De qualquer maneira, antes de tudo, certifica-te que são mesmo dinoflagelados. Este tratamento só faz sentido se assim for. Se forem algas, o tratamento passa por perceber a causa do seu aparecimento através do controlo de nutrientes.

 

 

Abr

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não conheço esse tipo de tratamento mas quanto as anémonas e apenas o cuidado com as bombas. De resto aguentarão de certeza...

Share this post


Link to post
Share on other sites

boas

já tive o mesmo problema e só consegui arrumar com elas com um apagão de 4 a 5 dias

 

pode nao resolver o problema de vez mas vai enfraquecelas em muito de certeza.

abraço

joao paulo

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas a todos, esse método do apagão também funciona com Cianobactérias?

 

Cumps.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Tenho a mesma questão que o Vodka...

Mas eu acho que sao cianos... Estou com o mesmo problema, e estou a conseguir livrar com aspirações nos TPA semanais...

Share this post


Link to post
Share on other sites

pelas fotos que tenho visto, tambem estou com problemas de dinoflagelados :(

 

de manha as coisas ate parecem bem, ao fim do ciclo de luz, tenho o areao e alguma rocha coberto com aquela alga acastanhada.

 

PAra o tratamento do apagao alguem me sabe dizer se mantenho a alimentacao?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas

 

Eu já lidei com os dois infelizmente. Tudo devido a falta de paciência e experiência, no fim cheguei a conclusão que quanto menos mexer no aquário melhor as coisas ficam, mas na altura a principal causa era a água de reposição que era da torneira assim que mudei para osmose as coisas foram ganhando rumo.

Lembro-me de na altura ler em sites americanos sobre os dois temas. As cyanos apareciam quando há na agua nitratos e fosfatos, ja os dinoflagelados é devido a ter nitratos a zero e ter fosfatos altos. Nos dinoflagelados muitos combatiam com agua oxigenada mas se nao eliminar os fosfatos eles acabam por voltar quando paravam com a agua oxigenada.

No caso das diatomaceas elas aparecem devido a existência de silicatos.

O apagão a meu ver ajuda quando se combate realmente as verdadeiras causas, isto é, eliminado a fonte de nitratos/fosfatos. Lembro-m de ler que um na ausência de alimento utilizava a luz mas qual ja nao sei.

 

Cumprimentos

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boas!

No meu caso a origem esta em nitratos a tender para 0 e fosfatos também a 0 (demasiada escumacao e resina)

Julgo eu claro!!

 

Estes dinoflagelados como há pouco nutriente e pouco fosfato sao os 1ºs e praticamente únicos a alimentarem-se

Dai optar pelo apagão, para os enfraquecer e ao mesmo tempo reduzir escumacao e talvez aumentar a comida :)

 

Tenho um deltec mc600 para 125L (é sobresime sionado eu sei) mas já lá esta há quase 2 anos e até a data não tinha tido estes problemas, mas também acho q nunca andei com nitratos tão baixos como agora

Share this post


Link to post
Share on other sites

Boa noite

 

PedroSoraes

E são dinoflagelados mesmo? as vezes são confundidos com outras coisas. Eu tive que confirmar ao microscópio.

 

http://www.reefkeeping.com/issues/2006-11/rhf/#11

Neste link tem como tratar.

Como eu disse e li em vários sítios o mal em geral está nos fosfatos, que no seu caso estão a dar zero mas o mais certo é estarem a ser rapidamente consumidos e nao aparecerem nos testes.

Pelo que me lembro, isto já vai a algum tempo, na altura eles li que o problema estava no racio entre fosfatos e nitratos. Isto é, pelo que dizem(isto são teorias que li na Internet) quando temos nitratos muito baixo e temos fosfatos altos temos condições favoráveis aos dinoflagelados.

Procure por redfield ratio.

Outra coisa que costumam fazer que me lembrei agora é aumentar o kh.

Eu tentaria baixar os fosfatos, digo isto porque acredito que tenha os nitratos a zero, mas mesmo estes podem estar a ser consumidos rapidamente e nao aparecerem nos testes. Não me acredito que apareçam em sistemas com poucos nitratos e fosfatos.

A quanto tempo tem a resina e a sua água é de osmose?

Na altura também li que apareciam em sistemas com falta de nutrientes mas fiquei de pé atrás e só melhorando o sistema de filtragem e comprando uma osmose é resolvi o problema

Share this post


Link to post
Share on other sites
Sign in to follow this