• >>> Anúncios da Comunidade <<<

    • João Branquinho

      Mensagem para Visitantes   15-04-2017

      Estimado visitante, antes de mais, muito obrigado pelo seu interesse na comunidade Aquariofilia.Net! Esperamos que esteja a gostar do conteúdo que temos no fórum. Dado que não é ainda um membro registado da nossa comunidade, não sabe que está a perder muitas outras funcionalidades e informações disponíveis apenas a membros! Do que está à espera para se juntar a nós? É só fazer clique no canto superior direito e pode inclusivamente usar as redes sociais para agilizar o processo de registo. Obrigado!
Entra para seguir isto  
Seguidores 0
Tiago do Vale

Biotopo de Água Doce em Portugal (Album?)

13 posts neste tópico

Olá a todos:

 

 

 

Imaginemos um aquário simulando um biotopo português, o mais completo possível...

 

Que plantas, peixes, invertebrados, etc. deviam constar num aquário que exemplifique o que se passa num ribeiro ou lago português???...

 

Que variações há no biótopo à medida que se "viaja" na geografia do país?

 

 

 

Podia-se até acabar por transformar este tópico numa espécie de "Album" que nos permitisse vir cá e identificar espécies de plantas, peixes, etc. por comparação com as fotos!

 

O que acham? Interessa-me muito! :) E acho que se podemos vibrar com outros ecossistemas mais exóticos e mais exuberantes, também podemos com o desafio de um biótopo "nosso", tornando o ecossitema muito mais completo e fidedígno do que conseguimos com outros, tropicais!

 

Um grande abraço a todos!!! :)

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

bem...ha rios portugueses muito bonitos, sem duvida, conheço alguns bastante bonitos, existe no geres, em vilar d mouros, montes deles...uma coisa que encontrei em comun neles todos é a existencia de pedras de granito rdondas, correntes fortes... conheço um que tem pantanos de elodeas, ate assusta! as raizes das arvores tambem são uma caracteristica...quanto a peixes, ficam muito grandes, conheço algumas especies "de vista"... crescem muito, tens de ter um aqua muito grande..é tudo o que te posso dizer!

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Acho a ideia interessante!

 

Realmente temos rios e lagos/lagoas muito bonitos, outros nao tanto mas o seu ecosistema e muito interessante, costumo chamar lagoa amazónica à Lagoa Azul em Sintra, tem algumas varieades de peixes (água fria claro) e muitas elodeas, alias já lá apanhei muitas para o meu aquário e nao tem nada a haver com as da loja, o formato é igual, mas sao muito mais espeças, verdes e claro duradouras! Chamo de lagoa amazónica pois se olhares para lá são muito poucos os peixes que consegues ver, mas ainda se vêm, pena é a quantidade de tartarugas de faces rosadas (trachemys scripta elegans) que lá estão, claro abandonadas, que distabiliza um pouco o ecossistema, plantas não tem muitas mas ainda se podem arranjar, especies de glosso, juncos e outras plantas pantanosas! Muitos girinos! Imensos junto a beira da agua parecem pedras pretas mas não o são!

 

As especies de peixe não sei muito bem, mas já lá cheguei a ver carpas bem grandes

 

Percas sol

Chacitos

e outras especies que não me recordo do nome, mas não tem assim muitas... pena é que podem atingir tamanhos exorbitantes como uma carapa adulta de 50 cm... ou mais... seria melhor mesmo um tanque ou um aquário com uns valentes 500 ou melhor 1000 litros!

 

Quando era pequeno fui ao gerês e se me recordo a descriçao dos seus belos rios foi tal e qual como o mao-morta disse!

 

Julgo que foi neste forum que já criaram um post sobre um aquario com biotopo de agua doce português (tb de água salgada) é uma questão de pesquisar!

 

#food:wink:

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Olá.

 

Há tempos andei a recolher informação porque andava a pensar montar um biótopo da lagoa azul. Estava muito pouco informado e não me senti preparado para um projecto desses e acabei por não o montar. Mas se pesquisares por "Sintra" ou "Lagoa Azul" ou "Biótopo" deves encontrar esse tópico.

 

Está muito bom, o pessoal informou-me muito. Pode ser que te ajude.

 

Um abraço.

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Caros amigos,

Infelizmente são raros e pouco acessíveis os locais onde podemos encontrar a nossa natureza primitiva nos ecossistemas de água doce em Portugal.

Para dificultar ainda mais essa tarefa, os nossos endemismos ibéricos, ( animais e plantas que só existem numa dada região ), são cada vez mais raros e carecem de aquários grandes e tão bem cuidados como os de água salgada dos mares de coral.

Com efeito, é preferível investir algum tempo a investigar e começar com peixes exóticos introduzidos como as Percas-sol ( Lepomis gibbosus ) ou as (G a m b ú s i a s) [b][color=&quot;#FF0000&quot;] Espécie inserida no DL 565/99.[/color] [url=&quot;http://http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showannouncement=6&quot;]Lista de espécies cuja venda é proibida em Portugal[/url][/b] ( G(G a m b u s i a) [b][color=&quot;#FF0000&quot;] Espécie inserida no DL 565/99.[/color] [url=&quot;http://http://www.aquariofilia.net/forum/index.php?showannouncement=6&quot;]Lista de espécies cuja venda é proibida em Portugal[/url][/b] affinis holbrooki ) e de início deixar de lado os nossos animais e plantas originais, ( como os pequenos Ciprinídeos ameaçados de extinção ).

Em geral os habitantes dos nossos ecossistemas exigem uma amplitude térmica controlada, uma qualidade de água quimicamente exemplar ( que varia de região para região do país ), bons níveis de oxigénio dissolvido e alguma corrente ( nos casos de proveniência de águas não lênticas ).

Em nossas casas as temperaturas são demasiado elevadas em grande parte do ano para mantermos os peixes e plantas mais representativos da nossa fauna saudáveis.

As espécies de maior porte exigem aquários que não estão ao alcance da maioria dos aquaristas e cuidados suplementares.

Carpas ( Cyprinus carpio ) e outros peixes introduzidos podem servir para as primeiras experiências pois são geralmente mais tolerantes e não fazem parte da fauna original da Península Ibérica.

Posso dar algumas dicas mas o meu tempo livre não é muito e as respostas podem demorar.

Muito cuidado com as capturas de espécies ameaçadas e com a transferência de peixes entre as bacias hidrográficas pois o nosso país tem muitos endemismos restritos e são muito poucos os ecossistemas preservados ou não detriorados ( mesmo quando a qualidade da água é muito boa ).

No entanto a ideia não deixa de ser fantástica... desde que científicamente bem fundamentada e que se saibam escolher bem as espécies que se podem manter em aquário com sucesso.

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Estive a dar uma volta pelo Rio Labruja (um ribeiro na zona de Ponte de Lima) e acabei por trazer material para montar um aquário de 1 metro. :lol:

 

De facto, o areão só aparecia nas zonas lentas, de resto só grandes pedras roladas achatadas de granito e xisto nas zonas mais rápidas, e pedras roladas mais pequenas nas intermédias.

 

Só vi um peixe, muito ao longe, mas nesta altura do ano é normal. :P

 

Trouxe areão, água e pedras (e também plantas, mas já falo disso), montei o aquário, e tem sido um prazer descobrir que com eles vieram vários tipos de invertebrados (minhocas?) e alguns insectos aquáticos minúsculos. Vamos ver se não dão problemas :P (tenho de pedir uma máquina digital emprestada para vos mostrar).

 

 

 

Mas o que me deixou surpreendido (apesar de estes ribeiros não serem particularmente ensolarados) foi o facto de, para além de vegetação que ficou submersa com o aumento do nível das águas no inverno (musgos e algumas ervas) não havia flora aquática.

 

Excepto esta:

tiagodovale-planta.jpg

 

Tem estas folhas e, junto às raízes, desenvolve-se num ou mais tubérculos muito longitudinais, cuja tamanho varia muito... Aparece entre as pedras, ou na fronteira entre as grandes pedras roladas e o areão: nunca no areão.

 

Procurei na net mas não encontrei nada: só uma foto de uma planta da América tropical, a Samabaia d'Água, que parece ter exactamente o mesmo aspecto...

 

 

 

O que acham?

Um abraço! :?

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Viva,

 

no tipo de rios que existem no nosso país , não vais encontrar muitas plantas verdadeiramente aquáticas. A maioria, e é o caso por certo da que recolheste, são plantas de hábitos terrestres que suportam períodos diversificados de imersão.

 

A razão porque nao encontras plantas no areão, ou pleo menos nas zonas de deposição de granulometria mais fina é que são tão volúveis com o tempo, que as plantas não têm hipótese de se estabelecerem.

 

A espécie que recolheste só pela imagem é de muito dificil identificação. No entanto se tens acesso ao ribeiro com facilidade, recomendava-te que acompanhasses o crescimento da mesma e que fosses dando imagens sobretudo da floração e dos frutos.

 

Paulo Lopes

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Caros amigos,

 

Em relação à minha mensagem anterior e no seguimento das últimas participações sobre este tema venho acrescentar que os biótopos de água doce em Portugal são muito variados.

Se bem que concorde com o amigo Paulo Lopes, posso acrescentar que nem sempre é assim.

Mesmo nos mais insignificantes cursos de água podem ocorrer diversos tipos de ambientes condicionados pela força das correntes e pela geologia.

Cada zona ( Zona da Truta, Zona do Barbo, Zona dos Ciprinídeos, etc ), apresenta características diferentes e ambientes mais ou menos propícios à fixação de plantas aquáticas.

Nas Ribeiras Atlânticas que drenam da Serra de Grândola para o Atlântico ou para os sistemas lagunares de Melides, Santo André e Sancha, a introdução do Lagostim da Louisiana ou Lagostim de patas Vermelhas ( Procambarus clarkii ), fez em apenas 4 anos deaparecer completamente inúmeras espécies de plantas aquáticas submersas como algumas representantes nacionais dos géneros Ceratophyllum, Myriophyllum, Vallisneria, Nuphar, Fontinalis, entre muitos outros.

Estas ribeiras tornaram-se então autênticos leitos estéreis desprovidos de vegetação subaquática e mesmo a vegetação palustre sofre de graves e drásticas dimuições.

Por essa razão não percam as esperanças e procurem bem.

Há locais onde algumas epécies estrangeiras como as do género Elodea foram introduzidas.

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Boas.

é mto boa a tua ideia.

Ja tinha falado contigo num post meu sobre a Ceratophyllum demersum que é muito bonita...

A planta que tu tens na foto é como tu dizes uma Ceratopteris thalictroides mais conhecia por samambaia de agua ou feto indiano.

Tens que vesitar bué rios e por vezes é necessario precorrer vários Km's até encontras as plantas,procura tambem as Myriophyllum propinquum que deves encontar...

Mas o melhor é vires ao Mondego que ai encontras decerteza...

 

Boa sorte

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Obrigado pelas vossas ideias e informações! :idea:

 

Bem: Estou muito satisfeito com o que se vai passando no meu aquário de biótopo alto-minhoto. :wink:

 

Tinha tudo para correr muito mal: não desinfectei nada, havia muita matéria orgânica na água (sementes, folhas mortas, paus, etc., e imagino que parte do musgo irá morrer também) mas descobri que tudo continua perfeitamente equilibrado. Instalei com água "usada" e filtros "usados" de outro aquário.

 

A verdade acaba por ser muito simples: estão a ver a "rocha viva" nos aquários de recife? O que eu tenho aqui é um "areão vivo" :lol: cheio de bactérias, invertebrados, etc.., que se alimentam de matéria orgânica e filtram tudo e mais alguma coisa!!!

 

Tenho também dois filtros internos de caixa, para injectar ar e pôr a água em movimento, mas nunca tive a qualidade da água em tão boas condições. Vou esperar pelos desenvolvimentos nos próximos meses. :D

 

As Samabaias de Água estão a crescer muito bem :). Em relação ao musgo vou esperar para ver: se correr bem, coloco aqui fotos...

 

 

 

Para já queria mostrar-vos a minhoca:

tiagodovale-minhoca1.jpg

Vive nas partes escuras não expostas das rochas maiores: só tenho uma: sendo hermafroditas será que se reproduzem? Tem 10-15cm e é mais escura do que na foto.

 

Há outros invertebrados, mas são muito pequeninos: vou ver se os apanho (o mesmo digo em relação aos minúsculos insectos que se parecem alimentar de musgo).

 

 

 

Agora tenho uma ou duas destas larvas (serão larvas?): têm cerca de 4 cm e são (ou é) gordinhas. Não têm este aspecto brilhante quando estão submersas: muito pelo contrário.

tiagodovale-larva1.jpg

Têm um autêntico pavor de ficar expostas e vivem (ou vive: n sei se é uma ou duas) enterradas no substracto.

 

Se forem larvas preocupa-me do que serão: é que são grandinhas... Alguma ideia?

 

...E vamos andando... :)

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Boas...

 

Tiago deixo-te aqui este site onde poderas tirar uma ideia dos peixes a colocar no teu aqua...

 

http://www.cm-mora.pt/Fluviario/ESPECIES.HTM

 

pelo menos so tens de escolher e ir a pesca... :wink:

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

Progressos há? Se houver mete fotos sff :shock:

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais

ola

essa minhoca que tens ai e um tubifex e nao tarda a reptoduzir-se enchendo.te o aqua de minhocas iguais.

a larva que tens e uma larva de típula que sao umas melgas com patas muito grandes e fininhas, nao fazem nada servem de alimento aos peixes!

cumps :cry:

0

Partilhar este post


Link para o post
Partilhar nas redes sociais
Entra para seguir isto  
Seguidores 0