• >>> Anúncios da Comunidade <<<

    • João Branquinho

      Mensagem para Visitantes   15-04-2017

      Estimado visitante, antes de mais, muito obrigado pelo seu interesse na comunidade Aquariofilia.Net! Esperamos que esteja a gostar do conteúdo que temos no fórum. Dado que não é ainda um membro registado da nossa comunidade, não sabe que está a perder muitas outras funcionalidades e informações disponíveis apenas a membros! Do que está à espera para se juntar a nós? É só fazer clique no canto superior direito e pode inclusivamente usar as redes sociais para agilizar o processo de registo. Obrigado!
    • João Branquinho

      Mensagem para NOVOS MEMBROS e MEMBROS com ZERO MENSAGENS!   31-05-2017

      Os novos membros, e membros com 0 mensagens, têm que apresentar-se no seu tópico de boas-vindas ou criar um tópico com a apresentação do seu aquário! Aquários de água doce devem ser colocados nos Primeiros passos ou em Aquários ou numa das suas sub-áreas e os de Água Salgada nas Fotos e Vídeos. Só depois poderão usar todas as outras áreas do fórum.

João Gomes

.Membro
  • #Conteúdo

    30
  • Registado Em

  • Última Visita

  • País

    Portugal

Reputação

0 :)

4 Seguidores

Sobre João Gomes

  • Rank
    Super Recém Chegado
  • Aniversário 13-11-1952

Contact Methods

  • Website URL
    http://
  • ICQ
    0

Profile Information

  • Sexo
    Masculino
  • Localização
    Portimão

Quem visitou o meu perfil

1784 visitas ao perfil
  1. Puntius denisonii. Existe muita informação disponível online. Abraço
  2. Boa tarde Afonso Sem querer aumentar a entropia lol, parece-me, pelo aspecto geral e pelo nº de tentáculos, uma Condylactis, eventualmente C. gigantea. Mas tenho que reconhecer que atribuir um nome a uma anémona representa, na maior parte dos casos, um risco grande. Abraço João
  3. Olá TNT O Rodrigo tem razão, é um pacu. Experimenta seguir este link http://www.monsterfishkeepers.com/forums/showthread.php?61138-Identify-Red-Bellied-Pacu-from-a-Red-Bellied-Piranha onde as diferenças são mostradas com clareza Abraço João PS: se o peixe estivesse num aquário plantado, já o terias descoberto da pior maneira
  4. Olá Parece-me uma espécie do filo Sipunculida (= Sipuncula = Sipunculoidea). No entanto, porque as imagens não são suficientemente nítidas, pode também tratar-se de representante do filo Echiurida (= Echiuroidea) ou ainda do filo Priapulida (= Priapuloidea). Dependendo do estado de contracção do animal, as características que distinguem estes três grupos podem ser mais dificilmente observáveis. Em qualquer dos casos, não tens que temer, são animais detritívoros que não causarão qualquer problema no aquário; na minha opinião, esse que tens fará parte da equipa de limpeza Espero ter ajudado, abraço João
  5. Boa noite Parecem-me tencas douradas (Tinca tinca). Também existe uma variedade dourada de Leuciscus idus, mas nesta espécie os dois lobos da barbatana caudal seriam bastante mais distintos. Além disso, as tencas possuem barbilhos, o que me parece ser o caso dos teus exemplares. Podem atingir comprimentos acima de 50cm e são mais apropriadas para lagos. São muito resistentes a má qualidade da água e a baixos teores de oxigénio dissolvido. Seguramente encontrarás muita informação se pesquisares com as palavras-chave "golden tench" ou, para os L. idus, "golden orfe". Abraço João
  6. Boa tarde É uma Houttuynia cordata "Chameleon". É uma planta marginal de crescimento rápido e propaga-se muito facilmente por estacas. Na minha experiência, não suporta imersão total. Abraço João
  7. Olá Eu sou suspeito para responder a essa questão, costumo achar piada a tudo que aparece nos meus aquários ... todos inocentes até prova em contrário lol. Gosto particularmente de cultivar macroalgas; se por acaso decidires que a C. peltata não fica bem no teu aquário , não a destruas, eu estou comprador (os #2,3 e 4 também já tenho eheh). Abraço João
  8. Olá, boa noite Na minha opinião, a #1 poderá ser Caulerpa peltata, a #2 é realmente uma esponja (na extremidade dos tubos localizam-se os ósculos - orifícios exalantes) No restante, concordo com o Pedro e a Helena Abraço João
  9. Boa noite Tens aí um belíssimo Cirrhilabrus aurantidorsalis. Não é de todo traquinas , é bastante bem comportado, a menos que seja forçado a coabitar com outro macho da mesma espécie ou eventualmente de uma espécie próxima. O único defeito que encontro nos Cirrhilabrus é uma propensão para saltar fora do aquário. Abraço João
  10. Boa noite Vitor Os 'bichos feios' são isópodes parasitas, provavelmente das famílias Cymothoidae ou Anilocridae. Esses crustáceos não são comuns em aquário, mas podem constituir um problema sério em aquacultura. Para além de enfraquecerem o hospedeiro ao alimentarem-se de sangue, as feridas que provocam são porta de entrada de infecções secundárias e, muitas vezes, por se alojarem nas cavidades buco-faríngica e branquial, impedem o hospedeiro de se alimentar e são causa de perturbações respiratórias. Recordo-me de, entre outros, serem sugeridos tratamentos com formaldeído e peróxido de hidrogénio. Talvez o cobre pudesse ser eficaz, assim como banhos de água doce, mas isto é especulação da minha parte. Sugiro que faças uma pesquisa mais aprofundada. Também é possível extrair os parasitas com uma pinça. Eu já o fiz em alguns peixes da nossa costa (sparídeos), mas não o aconselharia em apogonídeos; o último segmento das patas é um gancho com que se fixam firmemente e o mais provável é ferir ainda mais o peixe durante essa operação. Por outro lado, a maior parte dos parasitas adultos são fêmeas, que geralmente transportam no marsúpio uma grande quantidade de larvas; é fácil esmagar o parasita adulto e libertar as formas juvenis ... essa operação deveria sempre ser efectuada num recipiente à parte. Espero ter ajudado Abraço João
  11. Olá Afonso, boa tarde As tuas montiporas podem estar infestadas de nudibrânquios de uma espécie que se alimenta exclusivamente de corais desse género. Não posso garantir que essa seja a causa, mas as lesões circulares da montipora vermelha são idênticas às que apareceram num frag que eu tinha. No entanto eu não observei qualquer alteração de cor ou outra, com a antecedência que referes, as lesões cresceram rapidamente. No meu caso os nudibrânquios, observados à lupa eram idênticos aos das fotos deste artigo My link. Têm sido identificados como Phestilla minor, mas não sei se a informação será confiável, identificar ‘nudis’ é muito difícil, tarefa de especialista. Um outro bom artigo, da autoria de Eric Borneman, também indica vários métodos de luta My link. Além dos referidos acima, num site francês (não me recordo qual) é indicado o betadine bucal na dose de 2ml/1l de água do aquário em banho de 15 minutos. De qualquer modo, e caso seja realmente essa a causa do teu problema, não posso sugerir que utilizes o método “soft” que eu decidi utilizar ... retirar o coral do aquário e desalojar os nudibrânquios com um jacto de água relativamente forte, de um frasco de laboratório com esguicho. Repeti o processo várias vezes, tanto na face superior como na inferior e soltavam-se sempre vários, e o coral parecia limpo, mas não foi o suficiente (já agora, mantidos num pequeno aquário e sem alimento, começavam a definhar passado um dia/dia e meio e morriam no prazo de uma semana) Espero ter ajudado Abraço João Ps: é off-topic, mas não deixo passar a oportunidade de te felicitar pelo sucesso na reprodução dos P. Kauderni. Os meus parabéns!!
  12. Olá Luis Parecem-me ostracodes (Ostracoda). São crustáceos primitivos, com ampliação suficiente verás que possuem uma carapaça com duas valvas. São herbívoros e detritívoros, não causam problemas. Já os tive em aquários de criação de killies e ajudavam a manter o fundo limpo. Os peixes (Aphyosemion spp) não os consumiam. Suponho que não terás nada a temer pelos teus camarões. Qualquer tentativa de remoção deverá ser feita mecanicamente, um químico que os elimine deverá também ter efeitos nefastos sobre os camarões. Abraço João
  13. Olá Nuno Experimenta este link My link, acho que lá está mais do que é preciso saber lol. Abraço João
  14. Olá a todos Para além das resinosas, existem outros tipos de troncos que, por precaução, eu não utilizaria em aquário. Sei que algumas espécies do género Prunus contêm cianeto de hidrogénio e em várias publicações é formalmente desaconselhado o uso de todos os Prunus (cerejeira, amendoeira, pessegueiro, etc) em aviários com aves que despedaçam a madeira. Não faço ideia se, por ser um composto bastante volátil, seria libertado/destruído no processo de cura do tronco. Alguém deveria experimentar Quanto às macieiras, a única parte da planta que contém esse composto é a semente. O tronco deverá ser seguro (atenção se as árvores foram tratadas com insecticidas ou fungicidas, sobretudo os sistémicos). Abraço João ps: em tempos, dei-me muito bem com troncos meio carcomidos de velhas alfarrobeiras - formas muito bonitas e relativamente fáceis de curar.